You are on page 1of 65

Prof Nairton José Bádue P á g i n a ETEC GUARACY SILVEIRA – EXT PERDIZES / EE MAURO DE OLIVEIRA

IDR Meios Físicos Anotações de Aula -

|1

Meios Físicos Transmitir dados ou informações faz parte da história desde os primeiros registros da humanidade. A primeira comunicação do homem se dá entre o feto e sua mãe. Com o tempo esses “endpoints” vão se distanciando, como no ato do corte do cordão umbilical, por exemplo. A distância entre as comunicações continuam a aumentar e se tornar mais volumosas (tele= distância). Na história foram sendo desenvolvidos sistemas de comunicações a partir de recursos e sinais prèviamente combinados entre humanos. Assim sendo, o recém nascido já começa a treinar o seu “protocolo” de comunicação a partir do momento em que sua mãe o sugestiona em pedir “mamá” para se alimentar. Esse protocolo só foi possível graças ao meio físico em que ele é utilizado e que já está disponível para os seus interlocutores. Esse meio físico é o ar em que o som é propagado (meio) enquanto a boca da criança é o transmissor da mensagem e restando ao ouvido de sua mãe o papel de receptor. Esse protocolo é do tipo “ponto a ponto”. Há casos, no entanto, em que a relapsa mãe não está ao alcance da criança e dessa forma a criança se utiliza de um protocolo de “Broadcast”, ou seja, começa a gritar para que qualquer interlocutor que esteja por perto seja chamado. Hoje, um sistema um pouco mais eficiente que os homens se utilizam é a rede de computadores. Nessa rede, que a partir daqui denominaremos apenas por “rede”, os interlocutores estão espalhados por todo o mundo “world wide”. Os

Prof Nairton José Bádue P á g i n a ETEC GUARACY SILVEIRA – EXT PERDIZES / EE MAURO DE OLIVEIRA

IDR Meios Físicos Anotações de Aula -

|2

interlocutores não são necessariamente humanos. Podem ser sistemas microprocessados de diversos tipos e aplicações. Neste início de curso, vamos deixar esses interlocutores e seus protocolos de lado e vamos nos concentrar apenas nos meios físicos que permitem que essas comunicações se concretizem.
Classificação dos meios físicos da rede

Para efeito de estudos, normalizações, comercializações e organizações em geral, os meios físicos de redes de computadores são classificados da mesma forma que a centenária rede de telecomunicações:  Meios físicos metálicos (cobre e alumínio);  Rádio (interfaces aéreas);  Comunicações ópticas;
Tipos de cabos

Os primeiros sinais que utilizavam fios metálicos tinham como protocolo o código Morse. Os condutores eram fios nus fixados a postes (cruzetas) em isoladores de porcelana. Eram instalados em centenas de quilômetros de ferrovias e estradas, formando a saudosa rede de telégrafos, hoje totalmente removida ou abandonada.

Prof Nairton José Bádue P á g i n a ETEC GUARACY SILVEIRA – EXT PERDIZES / EE MAURO DE OLIVEIRA

IDR Meios Físicos Anotações de Aula -

|3

Cabos de par trançado

Com a alta procura por linhas de telecomunicações, as empresas de telegrafia e telefônicas passaram a isolar esses condutores metálicos ( inicialmente com papel ), trançando-os e protegendo-os em capas de chumbo ou plástico. Isso trazia ganhos de espaço nos postes e nas galerias subterrâneas das grandes metrópoles. A partir dessas necessidades, cresceram os desenvolvimentos de tecnologias para a fabricação de cabos de redes ( cobre e alumínio ).
Cabos Coaxiais

Teorias de eletromagnetismo foram comprovadas e o uso de cabos coaxiais ganhou forças nas aplicações de sinais multiplexados e de altas freqüências, conforme veremos adiante.
Redes de computadores

Cabos de cobre são usados em quase todas as redes locais. Estão disponíveis vários diferentes tipos de cabos de cobre. Cada tipo tem suas vantagens e desvantagens. Uma seleção cuidadosa de cabeamento é a chave para uma operação eficiente de redes. A fibra óptica é o meio mais freqüentemente usado para as transmissões ponto-a-ponto a grandes distâncias e com alta largura de banda necessárias para backbones das redes locais e em WANs. Usando um meio óptico, usa-se luz para transmitir dados através de uma fibra fina de vidro ou plástico. Os sinais elétricos fazem com

o vidro usado no cabo de fibra óptica é um bom isolante. O host receptor recebe os sinais de luz e os converte em sinais elétricos na extremidade mais distante da fibra. Os projetistas freqüentemente consideram a tecnologia sem fio ao instalarem uma nova rede ou quando atualizam uma rede existente. Em um ambiente residencial ou pequeno escritório. Uma simples rede sem fio poderia funcionar dentro de apenas alguns minutos após as estações de trabalho ser ligadas. A apresentação de tecnologia sem fio elimina essas restrições e oferece uma portabilidade verdadeira ao mundo da computação. A conectividade à Internet é possível através de uma conexão em fios. servidores e softwares. segurança ou confiabilidade no tempo de atividade nas redes cabeadas. . a tecnologia sem fio não fornece transferências a alta velocidade. A conectividade física permitiu um aumento na produtividade tornando possível o compartilhamento de impressoras. roteador. cabo ou modem DSL e um ponto de acesso sem fio que age como um hub para os nós sem fio. a flexibilidade da tecnologia sem fio justifica o sacrifício. No entanto. Os sistemas de redes tradicionais exigem que as estações de trabalho permaneçam estacionárias permitindo movimentação apenas dentro dos limites dos meios e da área de escritórios.Prof Nairton José Bádue P á g i n a ETEC GUARACY SILVEIRA – EXT PERDIZES / EE MAURO DE OLIVEIRA IDR Meios Físicos Anotações de Aula - |4 que o transmissor de fibra óptica gere os sinais de luz que são enviados através da fibra. Aliás. não existe eletricidade no próprio cabo de fibra óptica. Portanto. estes dispositivos podem ser combinados em uma única unidade. Atualmente.

A Tabela Periódica dos Elementos lista todos os tipos conhecidos de átomos e suas propriedades. • Descrever cabos de par trançado blindado (STP) e suas utilizações. • Examinar as características dos cabos direto. • Descrever as especificações e desempenho dos diferentes tipos de cabos. • Descrever o tipo de conectores e equipamento usado com cabos de fibra óptica. • Descrever fibra multimodo e monomodo. • Explicar como são testadas as fibras para garantir que funcionarão corretamente. • Examinar as questões de segurança que tratam de fibras ópticas. cruzado e rollover e onde cada um é usado. • Descrever cabos de par trançado não blindado (UTP) e suas utilizações. O átomo é constituído de: Elétrons – Partículas que têm uma carga negativa e ficam em órbita em torno do núcleo Prótons – Partículas com uma carga positiva .Prof Nairton José Bádue P á g i n a ETEC GUARACY SILVEIRA – EXT PERDIZES / EE MAURO DE OLIVEIRA IDR Meios Físicos Anotações de Aula - |5 Eletricidade básica Objetivos desta seção • Definir tensão elétrica. Átomos e Elétrons Toda matéria é composta de átomos. • Explicar os conceitos básicos do cabo de fibra óptica. • Descrever como as fibras são instaladas. • Descrever como as fibras podem guiar a luz para longas distâncias. impedância. • Descrever o cabo coaxial e suas vantagens e desvantagens sobre outros tipos de cabos. corrente e circuitos. resistência.

Os elétrons seriam do tamanho de cerejas e ficariam em órbita próximos aos assentos periféricos do estádio. Subtraindo-se o número atômico (2) do peso atômico (4). seria mais ou menos do tamanho do estádio. No caso de cargas opostas ou idênticas. você vai saber que o hélio também tem 2 nêutrons. Tem um peso atômico de 4. estabelece que cargas opostas reajam entre si com uma força que as leva a se atraírem. Esta ilustração mostra o modelo para o átomo de hélio. Quando as partículas se aproximam muito. inclusive o caminho do elétron. O núcleo do átomo onde existem os prótons e nêutrons seria do tamanho da bola de futebol. A força é inversamente proporcional ao quadrado da distância de separação. Isto explica porque o núcleo não se desintegra. o que significa que tem 2 prótons e 2 elétrons. Hélio tem um número atômico de 2. no meio de um campo de futebol. Cargas semelhantes reagem entre si com uma força que as leva a se repelirem. Uma das leis da natureza. O físico dinamarquês Niels Bohr desenvolveu um modelo simplificado para ilustrar os átomos. a força aumenta na medida em que as cargas se aproximam. o volume total deste átomo. chamada Lei da Força Elétrica de Coulomb. Se os prótons e nêutrons deste átomo tivessem o tamanho de uma bola de futebol. a única coisa menor que a bola seria os elétrons. localize o hélio (He) na tabela periódica. Para ajudá-lo a entender as propriedades elétricas dos elementos/materiais.Prof Nairton José Bádue P á g i n a ETEC GUARACY SILVEIRA – EXT PERDIZES / EE MAURO DE OLIVEIRA IDR Meios Físicos Anotações de Aula - |6 Nêutrons – Partículas sem carga (neutro) Os prótons e nêutrons são combinados em um pequeno grupo chamado núcleo. a energia nuclear sobrepuja a força elétrica de repulsão e mantém a coesão do núcleo. . Em outras palavras.

Os elétrons permanecem em órbita. isso pode gerar uma descarga eletrostática (ESD). A eletricidade é um fluxo livre de elétrons. No entanto. mesmo que os prótons atraem os elétrons. Modelo de Bohr – Prótons são cargas positivas e elétrons são cargas negativas. Se a lei de Coulomb é verdadeira. A energia nuclear é uma força incrivelmente potente que age como um tipo de cola para manter os prótons juntos. Se esses elétrons estáticos tiverem a oportunidade de passar para um condutor. sem movimento e com carga negativa. Este mar de elétrons. deve haver outra lei da natureza em ação. Os prótons e nêutrons são ligados por uma força muito potente. . então. Os elétrons têm velocidade o suficiente para orbitarem e não serem atraídos para o núcleo. os elétrons são ligados à sua órbita ao redor do núcleo por uma força mais fraca. O estudo de condutores virá mais adiante neste capítulo. Há mais de 1 próton no núcleo. da mesma forma que a lua gira ao redor da Terra. é o que torna possível a eletricidade. e se o modelo de Bohr descreve os átomos de hélio como estáveis. Os elétrons desprendidos que permanecem em um lugar. Os prótons não se afastam um do outro por causa de uma energia nuclear associada aos nêutrons.Prof Nairton José Bádue P á g i n a ETEC GUARACY SILVEIRA – EXT PERDIZES / EE MAURO DE OLIVEIRA IDR Meios Físicos Anotações de Aula - |7 Examine o modelo de Bohr do átomo de hélio. levemente ligados aos átomos. Os elétrons em certos átomos tais como de metais podem ser liberados do átomo e postos a fluir. Como ambos podem estar certos? Lei de Coulomb – Cargas opostas se atraem e cargas iguais se repelem. são chamados eletricidade estática.

condutores e semicondutores controlam o fluxo de elétrons e como trabalham conjuntamente em várias combinações. Os elétrons não passam através da própria bateria. A base para todos os dispositivos eletrônicos é o conhecimento sobre como os isolantes. ou pressão que ocorre quando os elétrons ou prótons são separados. dependendo de quão facilmente a eletricidade. roteador. A tensão elétrica também pode ser criada de três maneiras. A primeira é por fricção. Os elétrons então passam para o terminal oposto ou positivo através de um circuito EXTERNO. Átomos. A descarga estática pode danificar aleatoriamente chips. fluem através deles. Use cuidado ao trabalhar dentro de um computador. Isso é o que acontece em uma bateria. dados ou ambos. O circuito lógico dos chips do computador é extremamente sensível à descarga eletrostática. A força criada empurra em direção à carga oposta e afasta em direção contrária da carga semelhante. A FEM é relacionada a uma energia elétrica.Prof Nairton José Bádue P á g i n a ETEC GUARACY SILVEIRA – EXT PERDIZES / EE MAURO DE OLIVEIRA IDR Meios Físicos Anotações de Aula - |8 Apesar de que a ESD é geralmente inofensiva às pessoas. podem ser considerados materiais. ou grupos de átomos chamados moléculas. ou elétrons livres. ela pode criar problemas sérios aos equipamentos eletrônicos sensíveis. ou eletricidade . Lembre-se de que o fluxo de eletricidade é realmente o fluxo de elétrons. Os materiais são classificados como pertencentes a um de três grupos. etc. onde ações químicas fazem com que os elétrons se soltem do terminal negativo da bateria. Tensão elétrica Às vezes a tensão elétrica é conhecida como força eletromotriz (FEM).

A unidade de medida para tensão elétrica é volt (V). Volt é definido como a quantidade de trabalho. para energia eletromotriz. O termo atenuação é importante quando se estuda redes. Os materiais que oferecem pouca ou nenhuma resistência são chamados condutores. A unidade de medida para resistência é o ohm (Ω). necessária para separar as cargas. Aqueles que não permitem o fluxo da corrente. A quantidade de resistência depende da composição química dos materiais. são chamados isolantes. ou célula solar. a tensão elétrica pode ser criada por luz. Estas três características constituem a impedância. A letra R representa resistência. ou o restringem muito. O símbolo vem da letra grega ômega. Todos os materiais que conduzem eletricidade têm certa medida de resistência ao fluxo de elétrons através deles. por unidade de carga. A segunda é por magnetismo. A tensão elétrica é representada pela letra U. e às vezes pela letra E. Resistência e Impedância Os materiais através dos quais flui a corrente oferecem graus variáveis de oposição. ou resistência.Prof Nairton José Bádue P á g i n a ETEC GUARACY SILVEIRA – EXT PERDIZES / EE MAURO DE OLIVEIRA IDR Meios Físicos Anotações de Aula - |9 estática. A atenuação se refere à resistência ao fluxo de elétrons e a causa de um sinal se tornar degradado ao mover-se através do condutor. Esses materiais têm também outros efeitos conhecidos como capacitância e indutância associados ao fluxo de elétrons. . ou gerador elétrico. que inclui a resistência. ao movimento dos elétrons. E por último.

borracha e o gás hélio. são materiais que permitem o fluxo de elétrons com grande facilidade. a prata (Ag) e o ouro (Au). À temperatura ambiente. Os átomos em cada coluna pertencem a famílias químicas determinadas. papel. ou menos elétrons. Os exemplos .Prof Nairton José Bádue P á g i n a ETEC GUARACY SILVEIRA – EXT PERDIZES / EE MAURO DE OLIVEIRA IDR Meios Físicos Anotações de Aula - | 10 Os isolantes elétricos. A tabela periódica categoriza alguns grupos de átomos. ar. esses materiais têm um grande número de elétrons livres que podem oferecer condução. Condutores elétricos. ou isolantes. Outros condutores incluem a solda. O corpo humano é composto de aproximadamente 70% de água com íons. causando a passagem da corrente. como o cobre (Cu). Esses materiais têm estruturas químicas muito estáveis. Esses materiais estão listados juntos em uma coluna da tabela periódica. Os melhores condutores são os metais. geralmente conhecidos como apenas condutores. A introdução da tensão elétrica faz com que os elétrons livres se desloquem. Um íon é um átomo que tem mais elétrons. listando-os em colunas. Eles fluem facilmente porque os elétrons nas órbitas periféricas não estão fortemente ligados ao núcleo e são liberados com facilidade. com elétrons em órbita firmemente presos aos átomos. o que significa que ele. porque possuem elétrons que são liberados facilmente. que o número de prótons no núcleo do átomo. madeira seca. vidro. são materiais que permitem o fluxo de elétrons com grande dificuldade ou não permitem tal fluxo de forma alguma. Semicondutores são materiais aonde a quantidade de eletricidade conduzida pode ser controlada precisamente. uma mistura de chumbo (Pb) e estanho (Sn)) e a água com íons. Embora possam ter números diferentes de prótons. seus elétrons da camada externa têm órbitas similares e comportam-se de maneira semelhante ao interagirem com outros átomos e moléculas. é um condutor. nêutrons e elétrons. Exemplos de isolantes elétricos incluem plástico. também.

é conhecida como Vale do Silício porque a indústria de computação.Prof Nairton José Bádue P á g i n a ETEC GUARACY SILVEIRA – EXT PERDIZES / EE MAURO DE OLIVEIRA IDR Meios Físicos Anotações de Aula - | 11 incluem o carbono (C). motores e fontes de alimentação para computadores são classificados em termos de watts. os elétrons deslocam-se do terminal negativo através da passagem até o terminal positivo. Um watt é definido como a quantidade de energia consumida ou produzida por um dispositivo. A combinação de corrente elétrica e tensão elétrica equivale à potência em W (Watts). no vidro e em muitos tipos de rochas. que faz os melhores circuitos eletrônicos microscópicos. A unidade de medida para corrente é Ampere (A). é aplicada e há uma passagem para a corrente. na Califórnia. Em circuitos elétricos. Quando a tensão elétrica. ou pressão elétrica. O silício é muito comum e pode ser encontrado na areia. . é o silício (Si). Corrente A corrente elétrica é o fluxo de cargas criado quando os elétrons se deslocam. A região de San Jose. O terminal negativo repele os elétrons e o positivo os atraem. A letra "I" representa corrente. então a tensão elétrica pode ser considerada como a velocidade do tráfego de elétrons. começou nessa área. Um ampère é definido como o número de cargas por segundo que passa por um ponto ao longo de um caminho. O mais importante semicondutor. a corrente é criada pelo fluxo de elétrons livres. Os dispositivos elétricos como lâmpadas. que depende de microchips de silício. Se a corrente elétrica ou corrente pode ser imaginada como sendo o número ou volume do tráfego de elétrons que está fluindo. germânio (Ge) e a liga arsenieto de gálio (GaAs).

enquanto a resistência e a impedância se opõem a isso. Esses circuitos devem ser compostos por materiais condutores e ter fontes de tensão elétrica. O pino terra fornece um caminho de condução para os elétrons fluírem para a terra. Como um exemplo. Se houver um caminho.1. . O motor de partida em um automóvel opera a uma tensão elétrica relativamente baixa de 12 volts. tanto que pode pular um espaço de 2. ou zero volt.5 Circuitos As correntes fluem em loops fechados chamados circuitos. a corrente fluirá através dele. mas exige uma corrente elétrica muito alta para gerar energia suficiente para dar partida no motor. pois a resistência ao atravessar o corpo seria maior que a resistência ao fluir diretamente à terra.1 Meios em Cobre 3. A corrente flui através de caminhos que oferecem menor resistência. Quando um aparelho elétrico tem um plugue com três pinos. Conhecer esses fatos permite que as pessoas controlem um fluxo de corrente. A corrente consiste em elétrons que se deslocam para longe dos terminais negativos e em direção aos terminais positivos. Se o corpo humano fornecer um caminho de menor resistência. a eletricidade fluirá naturalmente para a terra.5 cm ou mais. um deles serve como terra. possui uma corrente elétrica muito baixa e como resultado pode criar um choque. A tensão elétrica faz com que a corrente flua. No entanto. mas não lesões permanentes. a eletricidade estática possui uma tensão elétrica muito alta. Raios possuem tensão e corrente elétricas muito altas e podem causar danos e ferimentos gravíssimos 3.Prof Nairton José Bádue P á g i n a ETEC GUARACY SILVEIRA – EXT PERDIZES / EE MAURO DE OLIVEIRA IDR Meios Físicos Anotações de Aula - | 12 É a corrente ou corrente elétrica em um circuito elétrico que realmente faz o trabalho.

A corrente da água também depende do tamanho do espaço por onde deve fluir. A corrente elétrica. a quantidade de corrente vai depender de quanta resistência existe. e negativa no outro. encontra resistência que. A corrente alternada (AC) e as voltagens variam com o tempo. e o negativo se torne positivo. A bomba é como uma bateria. mudando sua polaridade ou direção. . A relação entre tensão elétrica. resistência e corrente é tensão elétrica (V) = corrente (I) multiplicada pela resistência (R). Esta é a lei de Ohm. Os dois meios pelos quais a corrente flui são Corrente Alternada (CA) e Corrente Contínua (CC). reduz o fluxo. mais a água fluirá. Esse processo se repete continuamente. então. para que o terminal positivo se torne negativo. A tensão elétrica CA é positiva em um terminal. mais corrente será produzida. A analogia com a água ajuda a explicar os conceitos da eletricidade. Quanto maior o nível de água e maior a pressão.Prof Nairton José Bádue P á g i n a ETEC GUARACY SILVEIRA – EXT PERDIZES / EE MAURO DE OLIVEIRA IDR Meios Físicos Anotações de Aula - | 13 Terra geralmente significa nível de zero volt. Da mesma forma. quanto maior a tensão elétrica e maior a pressão elétrica. Em outras palavras. quando se faz a medição elétrica. V = I*R. Se ela estiver em um circuito CA. como a válvula de água. depois inverte e flui na outra direção. A CA flui em uma direção. e depois repete este processo. designada pelo nome de um cientista que estudava estas questões. a quantidade de corrente vai depender de quanta impedância existe. Se ela estiver em um circuito CC. o que significa que as medições de tensão elétrica devem ser realizadas entre dois pontos. A tensão elétrica é criada pela separação de cargas. E depois a tensão elétrica CA inverte sua polaridade. Ela fornece pressão para manter o fluxo em movimento.

onde só precisa ir a uma curta distância. Ele tem um eixo x que representa o tempo e um eixo y que representa a tensão elétrica. O processo químico na bateria provoca o acúmulo de carga. Eles não se modificam nem invertem. . Geralmente. os elétrons são permitidos a se deslocarem. A Figura mostra um circuito simples. Isto proporciona uma tensão elétrica . Imagine um interruptor como sendo duas extremidades de um único fio que pode ser aberto ou interrompido para impedir o fluxo de elétrons. baterias de carro e como fonte de alimentação para microchips na placa-mãe de um computador. Um terminal é sempre positivo e o outro sempre negativo. uma pressão elétrica que facilitam o fluxo dos elétrons através de vários dispositivos. Os elétrons fluem em circuitos fechados. Os circuitos envolvidos em redes usam uma versão muito mais complexa deste circuito simplíssimo. fixas ou em curto. geralmente um fio de cobre. As linhas representam um condutor.Prof Nairton José Bádue P á g i n a ETEC GUARACY SILVEIRA – EXT PERDIZES / EE MAURO DE OLIVEIRA IDR Meios Físicos Anotações de Aula - | 14 A corrente contínua (CC) flui sempre na mesma direção e as voltagens da CC têm sempre a mesma polaridade. Os fios elétricos levam eletricidade na forma de CA pois pode ser entregue eficientemente a longas distâncias. Um osciloscópio é um dispositivo eletrônico usado para medir sinais elétricos relativos ao tempo. Quando as duas extremidades estão fechadas. a lâmpada oferece resistência ao fluxo de elétrons. há duas entradas de tensão elétrica no eixo y para que duas ondas possam ser observadas e medidas ao mesmo tempo. Um osciloscópio representa em gráfico as ondas. fazendo com que liberem energia na forma de luz. Finalmente. ou loops completos. os pulsos e os padrões elétricos. A CC pode ser encontrada em pilhas de lanternas.

A velocidade da transmissão depende do tipo de condutor usado. No entanto. A Figura mostra parte do circuito elétrico que fornece energia a uma residência ou escritório. é necessário um circuito completo. o fluxo de elétrons é sempre da carga negativa para a carga positiva. para que haja o controle do fluxo de elétrons. são as duas escolhas. . Qual é o tipo de transmissão sendo considerada? As transmissões serão digitais ou baseadas em tecnologia analógica? A transmissão digital ou de banda base.Prof Nairton José Bádue P á g i n a ETEC GUARACY SILVEIRA – EXT PERDIZES / EE MAURO DE OLIVEIRA IDR Meios Físicos Anotações de Aula - | 15 Nos sistemas elétricos DC e CA. e a transmissão baseada na tecnologia analógica ou de banda base. Especificações de Cabos Os cabos possuem diferentes especificações e expectativas com relação ao seu desempenho: Quais são as velocidades para transmissão de dados que podem ser alcançadas quando se usa um determinado tipo de cabo? A velocidade da transmissão de bits através do cabo é extremamente importante.

o sinal se tornará tão degradado que o dispositivo receptor talvez não possa receber e interpretar corretamente o sinal ao chegar àquele dispositivo? A distância que o sinal transita no cabo afeta diretamente a atenuação do sinal. A degradação do sinal é diretamente relacionada à distância que o sinal transita e o tipo de cabo usado. .Prof Nairton José Bádue P á g i n a ETEC GUARACY SILVEIRA – EXT PERDIZES / EE MAURO DE OLIVEIRA IDR Meios Físicos Anotações de Aula - | 16 Qual é a distância que um sinal pode percorrer através de certo tipo de cabo antes que a atenuação desse sinal se torne um problema? Em outras palavras.

ou interpretada digitalmente. O comprimento máximo do segmento é de fato 185 metros. A 10BASE5 é geralmente conhecida como Thicknet. O 2 em 10BASE2 refere-se ao máximo comprimento aproximado de um segmento ser 200 metros. . O tipo de transmissão é banda de base. A 10BASE5-T se refere à velocidade de transmissão a 10 Mbps.Prof Nairton José Bádue P á g i n a ETEC GUARACY SILVEIRA – EXT PERDIZES / EE MAURO DE OLIVEIRA IDR Meios Físicos Anotações de Aula - | 17 Alguns exemplos de especificações Ehternet relacionadas ao tipo de cabo incluem: 10BASE-T 10BASE5 10BASE2 A 10BASE-T se refere à velocidade de transmissão a 10 Mbps. Thinnet é um tipo de rede e 10BASE2 é a especificação Ethernet utilizada nesta rede. A 10BASE2 é geralmente conhecida como Thicknet. A 10BASE2 se refere à velocidade de transmissão a 10 Mbps. ou interpretada digitalmente. Thicknet é um tipo de rede e 10BASE5 é a especificação Ethernet utilizada nesta rede. O T significa par trançado. O tipo de transmissão é banda de base. O 5 representa a capacidade do cabo de permitir que o sinal transite aproximadamente 500 metros antes que a atenuação venha a interromper a capacidade do receptor de interpretar corretamente o sinal sendo recebido. O tipo de transmissão é banda de base. ou interpretada digitalmente. antes que a atenuação venha a interromper a capacidade do receptor de interpretar corretamente o sinal sendo recebido.

aumenta também a dificuldade de se trabalhar com ele. ou blindagem. Pode cobrir maiores distâncias que o cabo de par trançado blindado (STP). que age como um segundo fio no circuito e como blindagem para o fio interior. cabo de par trançado não blindado (UTP). há uma trança de lã de cobre ou uma folha metálica. Lembre-se de que o cabo tem de ser puxado através de eletrodutos e calhas existentes que têm espessuras limitadas. À medida que aumenta a espessura do cabo. também reduz a quantidade de interferência eletromagnética externa. Ao trabalhar com cabo. A capa do cabo cobre esta blindagem. Sobre o material isolante. esse tipo de cabo pode ser muito rígido para ser instalado facilmente . O condutor central também pode ser feito de um fino cabo de alumínio laminado. O cabo coaxial existe em diversas espessuras. O cabo coaxial é mais barato do que o cabo de fibra óptica e a tecnologia é bem conhecida. Esta segunda camada. Os repetidores geram os sinais em uma rede para que eles possam cobrir distâncias maiores. O cabo coaxial oferece muitas vantagens às redes locais. O maior diâmetro foi especificado para uso como cabo de backbone Ethernet devido a sua maior extensão de transmissão e suas características de rejeição ao ruído. é importante considerar a sua espessura. permitindo que o cabo seja industrializado a baixo custo. e cabo de par trançado "screened" (ScTP) sem a necessidade de repetidores. Ele tem sido usado por muitos anos em vários os tipos de comunicação de dados inclusive televisão a cabo. Esse tipo de cabo coaxial é freqüentemente chamado de thicknet. Como o seu apelido sugere.Prof Nairton José Bádue P á g i n a ETEC GUARACY SILVEIRA – EXT PERDIZES / EE MAURO DE OLIVEIRA IDR Meios Físicos Anotações de Aula - | 18 Cabo Coaxial O cabo coaxial consiste em um condutor de cobre envolto por uma camada isolante flexível.

a instalação era também mais econômica. O cabo coaxial é mais caro de se instalar do que o cabo de par trançado. Geralmente. Por esta razão o thinnet não é mais comumente usado nem suportado pelos padrões mais modernos (100 Mbps ou maior) para redes Ethernet. cancelamento e trançamento de fios.35 cm era usado em redes Ethernet. mais cara será a instalação. A malha externa de cobre ou metálica no cabo coaxial constitui metade do circuito elétrico e deve-se ter muito cuidado para garantir uma conexão elétrica sólida em ambas as extremidades. Os dois pares de fios são totalmente envolvidos por uma malha ou folha metálica. o cabo coaxial ‘thinnet’ com um diâmetro externo de apenas 0. Cada par de fios é envolvido por uma malha metálica. exceto para fins de instalações especiais. Ele era especialmente útil para instalações de cabo que exigiam que o cabo fizesse muitas curvas e voltas. resultando em aterramento apropriado. No passado. Isso fez com que algumas pessoas o chamassem de cheapernet. Uma conexão de blindagem ruim é uma das maiores fontes de problemas de conexão na instalação do cabo coaxial. Problemas de conexão resultam em ruído elétrico que interfere na transmissão de sinais no meio da rede. quanto mais difícil for a instalação dos meios de rede. Conforme especificado para utilização nas . Já que o thinnet era mais fácil de instalar. Cabo STP O cabo de par trançado blindado (STP) combina as técnicas de blindagem. O cabo thicknet quase não é mais usado.Prof Nairton José Bádue P á g i n a ETEC GUARACY SILVEIRA – EXT PERDIZES / EE MAURO DE OLIVEIRA IDR Meios Físicos Anotações de Aula - | 19 em algumas situações. Geralmente é um cabo de 150 Ohms.

Entretanto. mas é mais caro e difícil de instalar do que o UTP. Os cabos STP e ScTP não podem percorrer distâncias tão longas como outros meios de rede como cabo coaxial ou fibra óptica. também conhecido como Foil Twisted Pair (FTP). Os materiais da blindagem metálica no STP e no ScTP precisam estar aterrados nas duas extremidades. sem que o sinal seja repetido. Essas ondas poderiam causar ruídos em outros dispositivos. É importante entender a maioria das referências feitas a STP hoje na verdade referem-se a cabeamento blindado de quatro pares. Muitos instaladores e fabricantes de cabos podem utilizar o termo STP para descrever cabeamento ScTP. mas também minimiza a saída das ondas eletromagnéticas irradiadas. também é um cabo de 100 Ohms. Se o aterramento for feito incorretamente ou se houver qualquer descontinuidade no comprimento inteiro do material blindado. ScTP. A blindagem não só impede que as ondas eletromagnéticas entrantes causem ruído nos fios de dados. o STP reduz o ruído elétrico dentro dos cabos como ligação dos pares e diafonia. o STP e o ScTP podem se tornar suscetíveis a grandes problemas de ruído. . O STP reduz também ruídos eletrônicos externos dos cabos. Um novo híbrido do UTP como o STP tradicional é o Screened UTP (ScTP).Prof Nairton José Bádue P á g i n a ETEC GUARACY SILVEIRA – EXT PERDIZES / EE MAURO DE OLIVEIRA IDR Meios Físicos Anotações de Aula - | 20 instalações de rede Token Ring. a interferência eletromagnética (EMI) e interferência da freqüência de rádio (RFI). O ScTP é basicamente o UTP envolvido em uma blindagem de folha ou malha metálica. por exemplo. O cabo de par trançado blindado compartilha muitas das vantagens e desvantagens do cabo de par trançado não blindado (UTP). O STP oferece maior proteção contra todos os tipos de interferência externa. Eles são suscetíveis porque permitem que a blindagem funcione como uma antena captando sinais indesejados. esse efeito atua nas duas direções. É altamente improvável que o verdadeiro cabo STP seja usado em um trabalho de instalação de cabos. como o UTP.

Os materiais de blindagem tornam as terminações mais difíceis e suscetíveis a más práticas de instalação. O fato de que os requisitos de enlace e canal em categoria 6 são compatíveis com a categoria 5e faz com que seja muito fácil para clientes escolherem categoria 6 e substituir a categoria 5e em suas . O TIA/EIA-568-B.Prof Nairton José Bádue P á g i n a ETEC GUARACY SILVEIRA – EXT PERDIZES / EE MAURO DE OLIVEIRA IDR Meios Físicos Anotações de Aula - | 21 Mais isolamento e blindagem se combinam para aumentar consideravelmente o tamanho. o que é para voz deve ser o UTP com quatro pares. previsões de analistas e pesquisas independentes indicam que o cabo de categoria 6 vai substituir o cabo de categoria 5e em instalações de rede. o STP e o ScTP ainda têm seu lugar. o cabo UTP deve seguir especificações precisas no que se refere a quantas torcidas ou trançados são permitidos por metro de cabo. o número de trançamentos nos pares de fios varia. produzido pelos pares de fios trançados para limitar a degradação do sinal causada por EMI e RFI. Além disso. Como o cabo STP.2 contêm especificações que controlam o desempenho do cabo. especialmente na Europa ou em instalações onde EMI e RFI são intensos próximos ao cabeamento. Contudo. Cada um dos 8 fios individuais de cobre no cabo UTP é coberto por material isolante. Dos dois cabos. Esse tipo de cabo usa apenas o efeito de cancelamento. Cabo UTP Cabo de par trançado não blindado (UTP) é um meio de fio de quatro pares usado em uma variedade de redes. A categoria 5e atualmente é o tipo de cabo freqüentemente recomendado e implementado em instalações de rede atuais. um para voz e outro para dados. cada par de fios é trançado em volta de si. peso e custo do cabo. Ele exige que se passem dois cabos. até cada tomada. Entretanto. Para reduzir ainda mais a diafonia entre os pares no cabo UTP.

Abaixo seguem os tipos de conexões de cabos entre dispositivos de internetwork. conectado ao pino receptor do destino. Para que ocorra comunicação. O cabo de par trançado não blindado tem muitas vantagens. o UTP custa menos por metro do que qualquer outro tipo de cabeamento de redes locais. a real vantagem é o tamanho. Isto não é mais verdade. fontes potenciais de ruído na rede são muito reduzidas e uma conexão bem sólida é praticamente garantida. O cabo de par trançado já foi considerado mais lento na transmissão de dados do que outros tipos de cabos. Ele é fácil de ser instalado e mais barato que outros tipos de meios de rede. Aliás. particularmente quando se instala uma rede em um prédio antigo. o sinal que é transmitido pela origem precisa ser entendido pelo destinatário. . Como tem o diâmetro externo pequeno. Esse pode ser um fator muito importante para se levar em conta. Entretanto. Além disso. Há desvantagens no uso de cabeamento de par trançado. O pino transmissor da fonte precisa estar em última instância. o cabo de par trançado é considerado o meio baseado em cobre mais veloz. Isto é verdade sob o ponto de vista tanto física como de software. Na realidade. hoje. O sinal transmitido precisa ser recebido corretamente pela conexão do circuito projetado para receber sinais. O cabo UTP é mais propenso a ruído e a interferência elétrica do que outros tipos de meios físicos de rede. Aplicações que funcionam em categoria 5e irão funcionar em categoria 6.Prof Nairton José Bádue P á g i n a ETEC GUARACY SILVEIRA – EXT PERDIZES / EE MAURO DE OLIVEIRA IDR Meios Físicos Anotações de Aula - | 22 redes. o UTP não enche os dutos de cabeamento tão rapidamente quanto outros tipos de cabo. e a distância entre amplificações dos sinais é menor no UTP do que nos cabos coaxiais e de fibra óptica. quando o cabo UTP é instalado usando-se um conector RJ.

Um técnico . dois switches são conectados juntos. O cabo que conecta de uma porta do switch a outra porta de switch é denominado um cabo cruzado. desde uma extremidade à outra do cabo. Os cabos são definidos pelo tipo de conexões. Na Figura. ou pinagens. um switch de rede local está conectado ao computador.Prof Nairton José Bádue P á g i n a ETEC GUARACY SILVEIRA – EXT PERDIZES / EE MAURO DE OLIVEIRA IDR Meios Físicos Anotações de Aula - | 23 Na Figura. Consulte as Figuras. Na Figura. O cabo que conecta da porta do switch à porta da placa de rede é denominado um cabo direto. o cabo que conecta o adaptador RJ-45 na porta COM do computador à porta do console do roteador ou switch é denominado um cabo rollover.

. contanto que o cabo não tenha sido ainda colocado em uma parede. Ao comparar as extremidades de um cabo cruzado. são todos tipos de energia eletromagnética. o radar. o ar. Um cabo reto deve ter as duas extremidades com padrões idênticos de cores. Em um cabo rollover. colocando as duas extremidades com o clipe na mão e a parte superior das duas extremidades do cabo apontadas para fora. Entretanto.Prof Nairton José Bádue P á g i n a ETEC GUARACY SILVEIRA – EXT PERDIZES / EE MAURO DE OLIVEIRA IDR Meios Físicos Anotações de Aula - | 24 pode comparar as duas extremidades do mesmo cabo ao colocá-los um ao lado do outro. a cor dos pinos #1 e #2 aparecerá na outra extremidade nos pinos #3 e #6. Se todos os tipos de ondas eletromagnéticas forem arranjados na ordem desde o maior comprimento de ondas até o menor. será criada uma série contínua. raios-x e raios gama parecem ser coisas muito diferentes. a combinação de cores da esquerda para a direita em uma extremidade deverá ser exatamente o oposto à combinação de cores na outra extremidade. Esta energia na forma de ondas pode deslocar-se através de um vácuo.1 O Espectro Eletromagnético A luz usada nas redes de fibra óptica é um tipo de energia eletromagnética. denominada espectro eletromagnético.2 Meios Ópticos 3. Isto acontece porque os pinos transmissor e receptor estão em diferentes locais. Quando uma carga elétrica se desloca para lá e para cá. . O rádio. e vice versa. ou acelera. e através de alguns materiais como vidro.2. Uma propriedade importante de qualquer onda de energia é o comprimento de onda. luzes visíveis. é produzido um tipo de energia conhecida como energia eletromagnética. as microondas. O técnico inspeciona as cores das duas conexões RJ-45.

serão geradas ondas na água com um comprimento de onda longo entre os picos das ondas. Porque as ondas eletromagnéticas são todas geradas de maneira idêntica. Um nanômetro é um bilionésimo de um metro (0. Os olhos humanos só podem perceber a energia eletromagnética com comprimento de ondas entre 700 e 400 nanômetros (nm).Prof Nairton José Bádue P á g i n a ETEC GUARACY SILVEIRA – EXT PERDIZES / EE MAURO DE OLIVEIRA IDR Meios Físicos Anotações de Aula - | 25 O comprimento da onda de uma onda eletromagnética é determinado pela freqüência com que a carga elétrica que gera a onda se desloca para lá e para cá. A taxa é de aproximadamente 300. Esses comprimentos de onda são levemente maiores que a luz vermelha e são chamadas luz infravermelha. Todas as ondas se deslocam a uma mesma velocidade no vácuo. A energia eletromagnética com comprimento de onda entre 700 e 400 nm é conhecida como luz visível.283 milhas por segundo. Se a carga se desloca lentamente. Esta parte do espectro eletromagnético é visto como as cores de um arcoíris. Imagine o movimento de uma carga elétrico como sendo um pau em uma piscina.000 quilômetros por segundo ou 186. Se o pau é movimentado lentamente de um lado a outro. o comprimento da onda que é gerada é um longo comprimento de onda. Estes comprimentos de onda que não são visíveis aos olhos humanos são usados para transmitir dados através de fibra óptica. Os comprimentos de onda mais curtos. O comprimento de onda de luz na fibra . Esta também é a velocidade da luz.000000001 metro) de comprimento. Os comprimentos de onda mais longos de luz de mais ou menos 700 nm são visualizados como cor vermelha. mais ou menos 400 nm aparecem como a cor violeta. A luz infravermelha é usada em controles remotos de TV. Se o pau é movimentado de um lado a outro com maior rapidez. compartilham muitas das mesmas propriedades. as ondas terão um comprimento de onda mais curta.

A densidade óptica do vidro determina o quanto que os raios de luz se desviam no vidro. a luz se propaga a diferentes velocidades mais lentas através de outros materiais como ar. No vácuo de espaço vazio.000 quilômetros por segundo. 1310 nm ou 1550 nm. Quando um raio de luz denominado raio incidente. a luz se propaga continuamente em uma linha reta a 300. 3.Prof Nairton José Bádue P á g i n a ETEC GUARACY SILVEIRA – EXT PERDIZES / EE MAURO DE OLIVEIRA IDR Meios Físicos Anotações de Aula - | 26 óptica é 850 nm. A quantidade de raio de luz incidente que é desviada depende do ângulo no qual o raio incidente atinge a superfície do vidro e a diferentes taxas de velocidade com que a luz se propaga através das duas substâncias. um pouco da energia da luz no raio será refletida de volta.2. Quanto . Estas linhas retas que se projetam a partir da fonte são denominadas raios. cruza o limite entre um material e outro. Este raio é chamado raio refratado. A energia da luz no raio incidente que não é refletida entrará no vidro. elas se propagam em linhas retas. A densidade óptica se refere ao quanto que o raio de luz desacelera ao passar através de uma substância. Imagine os raios de luz como sendo feixes de luz estreitos como aqueles produzidos por lasers.2 A Teoria de Raios de Luz Quando as ondas eletromagnéticas procedem de uma origem. O desvio dos raios de luz nos limites de duas substâncias é a razão porque os raios de luz são capazes de propagar-se através de uma fibra óptica mesmo que a fibra se curve em círculo. água e vidro. A luz que é refletida de volta é denominada raio refletido. Porém. pois se propagam pela fibra óptica melhor que outros comprimentos de onda. É por isso que você pode ver-se no vidro da janela. Esses comprimentos de onda foram selecionados. O raio que entra será desviado a um ângulo a partir de seu caminho original.

Em outras palavras. mais a luz desacelera da sua velocidade em um vácuo. Não é o raio de luz.2. o Índice de Refração. Um material com um grande índice de refração é mais opticamente denso e desacelera mais luz que um material com menor índice de refração. Portanto. O Índice de Refração é definido como a velocidade da luz no vácuo dividida pela velocidade da luz no meio. Purificando bem o vidro pode reduzir o índice de refração. um pouco da energia da luz no raio é refletida. A linha perpendicular é chamada normal. mas sim a ferramenta que permite as medições de ângulos.Prof Nairton José Bádue P á g i n a ETEC GUARACY SILVEIRA – EXT PERDIZES / EE MAURO DE OLIVEIRA IDR Meios Físicos Anotações de Aula - | 27 maior a densidade óptica de um material.2. 3. O ângulo entre o raio refletido e a normal é chamado ângulo de reflexão. O ângulo entre o raio incidente e uma linha perpendicular à superfície do vidro no ponto onde o raio incidente atinge o vidro é denominado ângulo de incidência. Para uma substância como vidro. o ângulo onde o raio de luz atinge uma superfície refletiva determina o ângulo que o raio se refletirá da superfície. 3. e sua relação ao design e função da fibra óptica.4 Refração . As próximas lições apresentarão maiores informações sobre reflexão e refração. ou densidade óptica.3 Reflexão Quando um raio de luz (o raio incidente) atinge a superfície brilhante de um pedaço de vidro plano. A Lei da Reflexão declara que o ângulo de reflexão de um raio de luz é igual ao ângulo de incidência. pode ser aumentado ao adicionarem-se materiais químicos ao vidro. a medida da densidade óptica de um material é o índice de refração daquele material.

O vidro tem um índice de refração de aproximadamente 1. até uma substância onde o índice de refração é maior. o raio refratado é desviado em direção ao normal. o raio que continua para dentro do diamante será desviado em direção ao normal. se o raio incidente não estiver a um ângulo exato de 90 graus com relação à superfície. Se o raio de luz se propaga de uma substância cujo índice de refração é menor. O desvio do raio entrante é chamado refração. Uma parte do raio de luz é refletida de volta na primeira substância. . Se o raio incidente atinge a superfície do vidro a um ângulo exato de 90 graus.419. a luz divide em duas partes. A razão para isso é que o ar tem um índice de refração menor. Se o raio de luz se propaga de uma substância cujo índice de refração é maio. O diamante tem um índice de refração de aproximadamente 2. No entanto. Portanto.000 vezes menor que o índice de refração do diamante. até uma substância onde o índice de refração é menor.Prof Nairton José Bádue P á g i n a ETEC GUARACY SILVEIRA – EXT PERDIZES / EE MAURO DE OLIVEIRA IDR Meios Físicos Anotações de Aula - | 28 Quando uma luz atinge a interface entre dois materiais transparentes. O raio não é desviado.523. ele será desviado para longe do normal. aproximadamente 1. Considere um raio de luz se propagando a um ângulo diferente de 90 graus através do limite entre vidro e um diamante. o raio entra direto no vidro. A quantidade do raio que é refratado depende do índice de refração de dois materiais transparentes. A energia restante no raio de luz cruza a interface e entra na segunda substância. o raio refratado é desviado para longe do normal. então o raio transmitido que entra no vidro será desviado. Quando aquele raio de luz cruza os limites entre o diamante e o ar a um ângulo diferente de 90 graus. com o ângulo de reflexão igual ao ângulo de incidência.

Isto é conhecido como reflexão interna total. As leis da reflexão e da refração ilustram como desenhar uma fibra que guia as ondas de luz através da fibra com uma perda mínima de energia. O ângulo de incidência do raio de luz é maior que o ângulo crítico para o núcleo e seu revestimento interno. O material que envolve o núcleo da fibra óptica é chamado revestimento interno. A reflexão interna total faz com que os raios de luz na fibra reflitam no limite do revestimento interno do núcleo e continuem os seus percursos em direção à extremidade distante da . que é a fundação sobre a qual a fibra óptica é construída. Se qualquer raio de luz que tenta sair pelo lado da fibra for refletido de volta na fibra a um ângulo que o envia em direção à extremidade distante da fibra.2. isto seria um bom "duto" ou "guia de ondas" para as ondas de luz. Deve ser realizado um design para a fibra de modo que a superfície externa da fibra aja como espelho para o raio de luz que se propaga pela fibra. O núcleo da fibra óptica precisa ter um índice maior de refração (n) que o material que o envolve. a inteira luz incidente na fibra será refletida de volta para dentro da fibra. Quando estas duas condições são satisfeitas. As duas condições abaixo precisam ser satisfeitas para que os raios de luz em uma fibra possam ser refletidos de volta para dentro da fibra sem nenhuma perda causada pela refração. O raio não deve refratar no material que envolve a fibra.Prof Nairton José Bádue P á g i n a ETEC GUARACY SILVEIRA – EXT PERDIZES / EE MAURO DE OLIVEIRA IDR Meios Físicos Anotações de Aula - | 29 3. A refração causaria a perda de parte da energia da luz do raio.5 Reflexão Interna Total Um raio de luz que é ligado e desligado para enviar dados (1s e 0s) a uma fibra óptica deverá permanecer dentro da fibra até que chegue à extremidade distante.

A restrição dos seguintes fatores controla o ângulo de incidência: . o ângulo de incidência dos raios de luz que entram no núcleo podem ser controlados. A luz seguirá um caminho de zigzag através do núcleo da fibra. A fibra que satisfaz a primeira condição pode ser facilmente criada. Além disso.Prof Nairton José Bádue P á g i n a ETEC GUARACY SILVEIRA – EXT PERDIZES / EE MAURO DE OLIVEIRA IDR Meios Físicos Anotações de Aula - | 30 fibra.

o lance de fibra óptica possuirá uma reflexão interna total. Com o controle das duas condições. Isto proporciona um guia para a onda de luz que poderá ser usada para comunicações de dados. Modos – Os caminhos que podem ser seguidos pelo raio de luz ao propagar-se através da fibra. .Prof Nairton José Bádue P á g i n a ETEC GUARACY SILVEIRA – EXT PERDIZES / EE MAURO DE OLIVEIRA IDR Meios Físicos Anotações de Aula - | 31 A abertura numérica da fibra – A abertura numérica de um núcleo é a faixa de ângulos de incidência de raios que entram na fibra que serão refletidos completamente.

Prof Nairton José Bádue P á g i n a ETEC GUARACY SILVEIRA – EXT PERDIZES / EE MAURO DE OLIVEIRA IDR Meios Físicos Anotações de Aula - | 32 3. Estes caminhos ópticos são chamados modos.6 Fibra Multimodo A parte de uma fibra óptica através da qual os raios de luz se propagam é camada núcleo da fibra. Da mesma maneira. uma vez que os raios tenham entrado no núcleo da fibra. Se o diâmetro do núcleo da fibra for suficientemente grande para que haja muitos . existe um número limitado de caminhos ópticos que podem ser seguidos pelo raio de luz através da fibra.2. Os raios de luz só podem entrar no núcleo se seus ângulos estiverem dentro da abertura numérica da fibra.

A fibra pode transportar muito mais bits por segundo e transportá-los muito além do que pode o cobre. O par trançado de cobre usa um par de fios para transmitir e um par de fios para receber. um cabo UTP teria que ser puxado para cada circuito. Até que os conectores sejam ligados. Os circuitos de fibra ótica usam uma única fibra para transmitir e uma para receber. Isto quer dizer que não existe questões de diafonia quando se trata de fibras. pois nenhuma luz se escapa quando está dentro de uma fibra. Uma fibra transporta dados transmitidos do dispositivo A até o dispositivo B. estes dois cabos de fibra estarão em um único revestimento externo até que cheguem ao ponto onde estão ligados os conectores. Com cobre. É bem comum ver pares de fibras múltiplas revestidos no mesmo cabo. Cada cabo de fibra óptica usado para redes consistem em duas fibras de vidro em revestimentos separados. As fibras são semelhantes a duas ruas de mão única indo em direções opostas. Tipicamente. o revestimento interno.Prof Nairton José Bádue P á g i n a ETEC GUARACY SILVEIRA – EXT PERDIZES / EE MAURO DE OLIVEIRA IDR Meios Físicos Anotações de Aula - | 33 caminhos por onde a luz pode se propagar através da fibra. A segunda fibra transporta dados do dispositivo B ao dispositivo A. Isto permite que um único cabo seja lançado entre closets de dados. Um cabo pode conter de 2 a 48 ou mais fibras separadas. um buffer. e uma capa externa. . As partes são: o núcleo. Geralmente cada cabo de fibra óptica é composto de 5 partes. Isso proporciona um link de comunicação full-duplex. a fibra é chamada fibra "multimodo". um material reforçante. não existe a necessidade de blindagem. A fibra monomodo possui um núcleo muito menor que só permite que os raios de luz se propaguem em um modo dentro da fibra. andares ou edifícios.

A fibra mais usada em redes locais é o cabo multimodo tipo tight-buffered. Os cabos tight-buffered possuem o . Ao redor do núcleo está o revestimento interno. Os raios de luz que se propagam através do núcleo da fibra refletem na interface entre o núcleo e o revestimento interno ao propagar-se através da fibra pela reflexão interna total. a área externa do núcleo é opticamente menos densa que o centro e a luz pode propagar-se mais rapidamente na parte externa do núcleo. chamado vidro de índice gradual. Portanto. O revestimento interno é também feito de sílica mas com um índice menor de refração que o núcleo. Existem dois tipos básicos de desenhos de cabos. Tipicamente um núcleo é feito de vidro com uma combinação de dióxido de silício (sílica) e outros elementos. Um cabo de fibra óptica multimodo padrão usa fibra óptica com um núcleo de 62. Este desenho é usado porque um raio de luz que segue um modo que vai diretamente ao centro do núcleo não precisa propagar-se longe como um raio que segue um modo que repercute na fibra. Esta é comumente designada como fibra óptica de 62.5/125 ou 50/125 microns.Prof Nairton José Bádue P á g i n a ETEC GUARACY SILVEIRA – EXT PERDIZES / EE MAURO DE OLIVEIRA IDR Meios Físicos Anotações de Aula - | 34 O núcleo é o elemento de transmissão de luz no centro da fibra óptica. Um micron é um milionésimo de um metro (1µ). Este vidro tem um índice menor de refração em direção à camada externa do núcleo. Envolvendo o revestimento interno existe um material de buffer que geralmente é plástico. Depois o receptor na extremidade da fibra recebe um forte lampejo de luz ao invés de um pulso longo e fraco. Todos os raios devem chegar juntos na extremidade da fibra.5 ou 50 microns e um revestimento interno de 125 microns de diâmetro. O material de buffer ajuda a proteger o núcleo e o revestimento interno contra danos. Eles são os desenhos de cabos tipo tubo solto e tight-buffered. O multimodo usa um tipo de vidro para seu núcleo. Todos os sinais de luz se propagam através do núcleo. O cabo de fibra óptica multimodo padrão é o tipo mais comum de cabo de fibra óptica usado em redes locais.

solventes e outros contaminantes. Use um ou outro. o mesmo material usado para produzir coletes a prova de balas. O material freqüentemente usado é Kevlar. Os LEDs são um pouco mais baratos para fabricar e não exigem tanta preocupação com a segurança quanto os lasers.5/125) pode transportar dados a distâncias de até 2000 metros (6. os LEDs não podem transmitir a luz através dos cabos a tanta distância quanto os lasers. A mais prática diferença entre os dois desenhos é as aplicações para as quais são usados. impedindo que o cabo da fibra seja esticado quando os instaladores o puxem. enquanto que o cabo tight buffered é usado dentro dos edifícios. Porém. O cabo tubo solto é usado primariamente para instalações do lado externo dos edifícios.Prof Nairton José Bádue P á g i n a ETEC GUARACY SILVEIRA – EXT PERDIZES / EE MAURO DE OLIVEIRA IDR Meios Físicos Anotações de Aula - | 35 material de buffer que envolve o revestimento interno em direto contato com ele. A fibra multimodo (62. A capa externa envolve o cabo para proteger a fibra contra abrasão. O elemento final é a capa externa. Os Diodos Emissores de Luz (LEDs) infravermelha ou Laser de Emissão Superficial com Cavidade Vertical (VCSELs) são dois tipos de fonte de luz geralmente usados com fibra multimodo. mas de vez em quando é de outra cor.560 ft). . A cor da capa externa da fibra multimodo é geralmente alaranjada. O material reforçante envolve o buffer.

Prof Nairton José Bádue P á g i n a ETEC GUARACY SILVEIRA – EXT PERDIZES / EE MAURO DE OLIVEIRA IDR Meios Físicos Anotações de Aula - | 36 .

Devido a este desenho. Isto aumenta em muito a velocidade e a distância que os dados podem ser transmitidos.Prof Nairton José Bádue P á g i n a ETEC GUARACY SILVEIRA – EXT PERDIZES / EE MAURO DE OLIVEIRA IDR Meios Físicos Anotações de Aula - | 37 3. As fibras laser e monomodo são mais caras que as fibras multimodo e LEDs. Uma marcação 9/125 no revestimento da fibra monomodo indica que a fibra do núcleo tem um diâmetro de 9 microns e o revestimento interno é de 125 microns em diâmetro. A fibra monomodo pode transportar dados de rede local até 3000 metros. os pulsos dos raios de luz que transportam dados em uma fibra monomodo são essencialmente transmitidos em linha reta direto pelo meio do núcleo. novas tecnologias aumentaram esta distância e serão discutidas em um módulo futuro. O raio de luz que ele gera entra no núcleo a um ângulo de 90 graus. Apesar de esta distância ser considerada um padrão. Um laser infravermelho é usado como fonte de luz em uma fibra monomodo. A capa externa da fibra monomodo é geralmente amarela. O núcleo do monomodo é de oito a dez microns em diâmetro. Devido a essas características. Como resultado.2. Os núcleos mais comuns são os de nove microns. a fibra monomodo é capaz de taxas mais altas de transmissão de dados (largura de banda) e maiores distâncias de lances de cabo que a fibra multimodo. A maior diferença entre a fibra multimodo e monomodo é que a monomodo permite que somente um modo de luz se propague através do núcleo menor da fibra óptica.7 Fibra Monomodo A fibra monomodo consiste nas mesmas partes que o multimodo. a fibra . A multimodo é capaz de transportar só até 2000 metros.

É necessária alguma coisa para converter a eletricidade em .2. A Figura compara os tamanhos relativos do núcleo e do revestimento interno para os dois tipos de fibra óptica em diferentes vistas em secção. 3. O laser é tão forte que pode causar sérios danos aos olhos. os links de fibra óptica usam luz para enviar dados. Entretanto. Jamais olhe na porta de transmissão na placa de rede. Lembre-se de manter capas protetoras nas extremidades da fibra e inseridas nas portas da fibra óptica dos switches e roteadores.8 Outros componentes ópticos Muitos dos dados enviados através de rede local são na forma de sinais elétricos. O núcleo da fibra menor e mais refinado em uma fibra monomodo é a razão porque a monomodo possui uma largura de banda e um lance de distância do cabo maior que a fibra multimodo.Prof Nairton José Bádue P á g i n a ETEC GUARACY SILVEIRA – EXT PERDIZES / EE MAURO DE OLIVEIRA IDR Meios Físicos Anotações de Aula - | 38 monomodo é freqüentemente usada para conectividade dentro dos edifícios. isto significa maiores custos de fabricação. Jamais olhe na extremidade próxima de uma fibra que está ligada a um dispositivo na extremidade distante. Tenha muita cautela. ADVERTÊNCIA: A luz laser usada com monomodo possui uma faixa de comprimento de onda que pode ser vista. Porém. switch ou roteador.

Cada uma dessas fontes de luz podem ser iluminadas e escurecidas muito rapidamente para enviar dados (1s e 0s) a um grande número de bits por segundo. Isto significa que são necessários um transmissor e um receptor. Depois o receptor converte o pulso de luz de volta ao seu sinal elétrico original que entrou primeiro no transmissor na extremidade distante da fibra. O transmissor recebe os dados a serem transmitidos a partir de switches e roteadores. Quando a luz atinge o receptor. Estes são usados com fibras multimodo nas redes locais. Estes dados são na forma de sinais elétricos. Os lasers são usados com fibras monomodo para longas distâncias envolvidos em WANs ou backbones de campus. O receptor funciona mais ou menos como uma célula fotoelétrica em uma calculadora que usa energia solar. Na outra extremidade da fibra óptica do transmissor está o receptor. O sinal está pronto para ser enviado através do fio de cobre a qualquer . Agora o sinal está de volta na forma de alterações de voltagem.Prof Nairton José Bádue P á g i n a ETEC GUARACY SILVEIRA – EXT PERDIZES / EE MAURO DE OLIVEIRA IDR Meios Físicos Anotações de Aula - | 39 luz e na outra extremidade da fibra converter a luz de volta em eletricidade. Deve-se ter muito cuidado para evitar ferimentos às vistas. As lentes são usadas para focalizar a luz infravermelha na extremidade da fibra. A primeira tarefa do receptor é detectar um pulso de luz que vem da fibra. Existem dois tipos de fontes de luz usados para codificar e transmitir os dados através de cabo: Um diodo emissor de luz (LED) produzindo luz infravermelha com comprimentos de onda de 850 nm ou 1310 nm. O transmissor converte os sinais eletrônicos em pulsos de luz equivalentes. Light Amplification by Stimulated Emission Radiation (LASER) é uma fonte de luz que produz um feixe fino de luz infravermelha intensa geralmente com comprimentos de ondas de 1310 nm ou 1550 nm. ele produz eletricidade.

Os sinais restaurados podem então ser enviados até o receptor na extremidade distante da fibra. Os dispositivos semicondutores que são geralmente usados como receptores com links de fibra óptica são chamados diodos p-intrínseco-n (fotodiodos PIN ). Quando atingido por um pulso de luz ao comprimento de onda correto. intensidades e temporizações originais. O tipo de conector mais comumente usado com a fibra monomodo é o SC (Conector de Assinante). Além de transmissores. 1310 ou 1550 nm de luz que são geradas pelo transmissor na extremidade distante da fibra. Assim é gerada uma alteração de voltagem que representa os dados 1s e 0s no cabo de cobre. receptores. Os conectores são ligados às extremidades da fibra para que as fibras possam ser conectadas às portas no transmissor e receptor. Na fibra monomodo. switch ou roteador. Os fotodiodos PIN são fabricados para ter sensibilidade a 850. repetidores e fibras patch panel são vistas com freqüência. o conector ST (Straight Tip) é usado freqüentemente. Os repetidores são amplificadores ópticos que recebem pulsos de luz atenuados que são propagados a longas distâncias e que os restauram às suas formas.Prof Nairton José Bádue P á g i n a ETEC GUARACY SILVEIRA – EXT PERDIZES / EE MAURO DE OLIVEIRA IDR Meios Físicos Anotações de Aula - | 40 dispositivo eletrônico receptor como um computador. o fotodiodo PIN produz rapidamente uma corrente elétrica da voltagem correta para a rede. Esses painéis aumentam a flexibilidade de uma rede óptica ao permitir alterações rápidas na conexão dos . As fibras patch panela são semelhantes aos patch panela usados com o cabo de cobre. conectores e fibras que são sempre necessárias em uma rede óptica. Ele imediatamente pára de produzir a voltagem assim que a luz atinge o fotodiodo PIN.

Prof Nairton José Bádue P á g i n a ETEC GUARACY SILVEIRA – EXT PERDIZES / EE MAURO DE OLIVEIRA IDR Meios Físicos Anotações de Aula - | 41 dispositivos como switches ou roteadores com vários lances de fibra disponíveis. ou links de cabos .

Prof Nairton José Bádue P á g i n a ETEC GUARACY SILVEIRA – EXT PERDIZES / EE MAURO DE OLIVEIRA IDR Meios Físicos Anotações de Aula - | 42 .

Prof Nairton José Bádue P á g i n a ETEC GUARACY SILVEIRA – EXT PERDIZES / EE MAURO DE OLIVEIRA IDR Meios Físicos Anotações de Aula - | 43 .

2. a transmissão da luz em uma fibra em um cabo não gera interferência que afeta a transmissão em qualquer outra fibra.9 Sinais e Ruídos em Fibras Ópticas O cabo de fibra óptica não é afetado pela fonte de ruído externo que causa problemas nos meios de cobre porque a luz externa não pode entrar na fibra exceto na extremidade do transmissor. Isto quer dizer que a fibra não tem problema com diafonia o que ocorre com meios de cobre. a fibra não está isenta de problemas. O revestimento interno é coberto por um buffer e um revestimento externo. O fator mais importante é a dispersão. Aliás. Além disso.Prof Nairton José Bádue P á g i n a ETEC GUARACY SILVEIRA – EXT PERDIZES / EE MAURO DE OLIVEIRA IDR Meios Físicos Anotações de Aula - | 44 3. . alguma da energia da luz é perdida. Quando a luz se propaga através da fibra. A dispersão da luz na fibra é causada pela falta de uniformidade microscópica (distorções) na fibra que reflete e dispersa um pouco da energia da luz. a qualidade dos links de fibra óptica é tão boa que os padrões recentes para gigabit e dez gigabit Ethernet especificam a distância de transmissão que ultrapassa o alcance tradicional de dois quilômetros da Ethernet original. Esta atenuação do sinal ocorre devido a vários fatores relacionados à natureza da fibra propriamente dita. Quanto mais longe o sinal de luz se propaga através da fibra. mais é perdida a intensidade do sinal. A transmissão de fibra óptica permite que o protocolo Ethernet possa ser usado nas Redes de Áreas Metropolitanas (MANs) e Redes de Longa Distância (WANs). que impedem que a luz entre ou saia do cabo. Apesar de que a fibra é a melhor de todos os meios de transmissão no transporte de grandes quantidades de dados por longas distâncias.

Infelizmente.Prof Nairton José Bádue P á g i n a ETEC GUARACY SILVEIRA – EXT PERDIZES / EE MAURO DE OLIVEIRA IDR Meios Físicos Anotações de Aula - | 45 A absorção é outra casa da perda de energia da luz. uma fonte de luz LED ou Laser emitiria luz de uma só freqüência. A dispersão de um lampejo de luz também limita as distâncias de transmissão em uma fibra. A absorção faz com que o sinal da luz perca um pouco da sua intensidade. Então a dispersão cromática não seria um problema. Esta energia da luz é convertida em pequenas quantidades de energia térmica. Quando um raio de luz atinge algum tipo de impureza química em uma fibra. Entretanto. Idealmente. A fibra monomodo não tem problemas de caminhos múltiplos que o sinal da luz pode seguir. a dispersão cromática é uma característica de ambas as fibras multimodo e monomodo. Outro fator que causa a atenuação do sinal da luz são irregularidades de fabricação ou aspereza no limite entre o núcleo e o revestimento interno. Dispersão é o termo técnico para a dissipação de pulsos de luz ao se propagarem através da fibra. as impurezas absorvem parte da energia. os lasers. Se um . A fibra muldimodo de índice gradual é desenhada para compensar pelas diferentes distâncias que vários modos de luz precisam se propagar no núcleo de diâmetro grande. e especialmente os LEDs geram uma faixa de comprimentos de onda que faz com que a dispersão cromática limite a distância que pode ser transmitida em uma fibra. A dispersão é causada quando comprimentos de ondas de luz se propagam a velocidades um pouco diferentes de outros comprimentos de ondas através de vidro. Certa intensidade do sinal da luz é perdida devido à reflexão interna total imperfeita naquela área áspera da fibra. Isto é porque um prisma separa os comprimentos de ondas da luz. Quaisquer imperfeições microscópicas na espessura ou simetria da fibra diminuirão a reflexão interna total e o revestimento interno absorverá um pouco da energia da luz.

10 Instalação. Se a fibra for esticada ou curvada demais. 3. separado e diminuído ao chegar até o receptor. Para evitar que as curvas da fibra sejam muito fechadas. as extremidades da fibra devem ser clivadas (cortadas) e corretamente polidas para garantir que as extremidades estejam lisas. O receptor não será capaz de distinguir a diferença entre um e um zero. facilita o puxamento da fibra. a fibra geralmente é puxada através de um tipo de duto instalado chamado interducting. Em vez de refletir ao redor da curva. Depois de puxada a fibra. Um microscópio ou instrumento de . Cuidados e Testes de Fibras Ópticas A maior causa de muita atenuação no cabo de fibra óptica é instalação incorreta. o que começou como um pulso brilhante de energia da luz será espalhado. Então o ângulo de incidência do raio se tornará menos que o ângulo crítico para a reflexão interna total.2. O ato de dobrar a fibra em curva muito fechada poderá alterar a incidência dos raios de luz atingindo o limite entre o núcleo e o revestimento interno. alguns dos raios de luz serão refratados no revestimento interno e serão perdidos. poderá causar pequenas rachaduras no núcleo o que fará com que os raios de luz se espalhem.Prof Nairton José Bádue P á g i n a ETEC GUARACY SILVEIRA – EXT PERDIZES / EE MAURO DE OLIVEIRA IDR Meios Físicos Anotações de Aula - | 46 sinal é transmitido para muito longe. O interducting protege a fibra. e garante que o raio de curvatura (limite de curva) da fibra não seja excedida. O interducting é muito mais rígido que a fibra e não pode ser dobrado tanto que a fibra dentro dele tenha uma curva muito fechada.

instalações incorretas e extremidades de fibra sujas diminuem a intensidade do sinal da luz e são conhecidas como ruído da fibra. ele deve ser testado para garantir que luz suficiente na realidade chega até o receptor para que possa detectar os zeros e uns no sinal. incorretamente emendados ou a emenda de dois cabos com diferentes tamanhos de núcleo reduzirá dramaticamente a luminosidade do sinal da luz. a dispersão. deve-se calcular o nível de perda de potência do sinal que pode ser tolerado. Depois que todas as despesas foram subtraídas da . Depois então o conector é ligado cuidadosamente à extremidade da fibra. As extremidades das fibras deverão ser cobertas com capas protetoras para evitar danos às extremidades da fibra. Antes de usar um cabo de fibra óptica. A difusão. a absorção. Imagine um orçamento financeiro mensal. Uma vez instalados os conectores e o cabo de fibra óptica. Isto é conhecido como budget de perda de link óptico.Prof Nairton José Bádue P á g i n a ETEC GUARACY SILVEIRA – EXT PERDIZES / EE MAURO DE OLIVEIRA IDR Meios Físicos Anotações de Aula - | 47 teste com uma lente de aumento incorporada é usado para examinar a extremidade da fibra e verificar se está corretamente polida e formada. Os conectores incorretamente instalados. Limpe as extremidades da fibra com papel de limpar lentes que não solte fiapo umedecido com álcool isopropil. As portas da fibra em um switch ou roteador deverão também ser mantidas cobertas quando não estiverem sendo usadas e devem ser limpas com papel de limpar lentes e álcool isopropil antes de se fazer a conexão. os conectores e as extremidades das fibras devem ser mantidas impecavelmente limpas. Quando essas capas são removidas antes da conexão da fibra a uma porta no switch ou roteador. Quando se planeja um link de fibra óptica. Extremidades sujas na fibra causarão uma grande queda na quantidade de luz que chega até o receptor. as extremidades da fibra deverão ser limpas.

eles poderão ser usados para solucioná-los. Dois dos instrumentos mais importantes são Medidores de Perda Óptica e Refletômetros Ópticos no Domínio do Tempo (OTDRs). Eles também testam para verificar que a perda de potência não caia abaixo do budget de perda de link óptico.Prof Nairton José Bádue P á g i n a ETEC GUARACY SILVEIRA – EXT PERDIZES / EE MAURO DE OLIVEIRA IDR Meios Físicos Anotações de Aula - | 48 renda inicial. O decibel (dB) é a unidade usada para medir o nível de perda de potência. . Fazer testes de links de fibras é extremamente importante e deve-se manter um registro dos resultados de tais testes. São utilizados vários tipos de equipamentos de teste de fibra óptica. Os OTDRs podem oferecer maiores informações detalhadas de diagnóstico sobre um link de fibra. Ele indica qual a percentagem de potência que sai do transmissor na realidade entra no receptor. Quando surgirem problemas de link. Estes dois medidores testam o cabo óptico para garantir que os cabos satisfazem os padrões TIA para fibras. deve-se deixar dinheiro suficiente para se sobreviver durante o restante do mês.

Prof Nairton José Bádue P á g i n a ETEC GUARACY SILVEIRA – EXT PERDIZES / EE MAURO DE OLIVEIRA IDR Meios Físicos Anotações de Aula - | 49 .

Prof Nairton José Bádue P á g i n a ETEC GUARACY SILVEIRA – EXT PERDIZES / EE MAURO DE OLIVEIRA

IDR Meios Físicos Anotações de Aula -

| 50

Prof Nairton José Bádue P á g i n a ETEC GUARACY SILVEIRA – EXT PERDIZES / EE MAURO DE OLIVEIRA

IDR Meios Físicos Anotações de Aula -

| 51

Prof Nairton José Bádue P á g i n a ETEC GUARACY SILVEIRA – EXT PERDIZES / EE MAURO DE OLIVEIRA

IDR Meios Físicos Anotações de Aula -

| 52

3.3 Meios Sem-fio 3.3.1 Padrões e Organizações de Redes Locais Sem-fio

Um entendimento dos regulamentos e padrões que se aplicam à tecnologia sem-fio garantirá que as redes implantadas serão interoperáveis e em conformidade com padrões. Da mesma forma que em redes cabeadas, IEEE é o principal originador dos padrões para redes sem-fio. Os padrões foram criados dentro do quadro de regulamentações criadas pela Federal Communications Commission (FCC). Uma tecnologia chave contida dentro do padrão 802.11 é Direct Sequence Spread Spectrum (DSSS). O DSSS se aplica aos dispositivos sem-fio operando dentro da faixa de 1 a 2 Mbps. Um sistema DSSS pode operar a até 11 Mbps mas não será considerado em cumprimento acima de 2 Mbps. O próximo padrão aprovado foi o 802.11b, que aumentou as capacidades de transmissão para 11 Mbp. Apesar de que as WLANs DSSS eram capazes de interoperar com as WLANs Frequency Hopping Spread Spectrum (FHSS), surgiram problemas que motivaram modificações no design pelos fabricantes. Neste caso, a tarefa do IEEE era simplesmente criar um padrão que coincidisse com a solução do fabricante. O 802.11b pode também ser chamado Wi-Fi™ ou sem-fio de alta velocidade e se refere aos sistemas DSSS que operam a 1, 2, 5.5 e 11 Mbps. Todos os sistemas 802.11b são retro-compatíveis, dado que também suportam 802.11 para as taxas de dados de 1 e 2 Mbps só para DSSS. Esta retro-compatibilidade é extremamente

permitindo que uma maior quantidade de dados seja transferida durante o mesmo período de tempo. um regime mais padrão é de 20 a 26 Mbps.3.11a coexistam na mesma WLAN.11b podem alcançar uma alta taxa de throughput de dados ao usar uma técnica de codificação diferente do 802. 802.11b. A grande maioria dos dispositivos de 802.11a é capaz de fornecer throughput de dados de 54 Mbps e com a tecnologia proprietária conhecida como "velocidade dupla" alcançou 108 Mbps.11b e 802. 802. O 802.11b ainda não chega ao throughput de 11 Mbps e geralmente funciona na faixa de 2 a 4 Mbps. dado que operam dentro de 2.4 GHZ.11g oferece a mesma largura de banda que a tecnologia 802.2 Topologias e Dispositivos Sem-fio Uma rede sem-fio pode consistir em um mínimo de dois dispositivos. O ponto de acesso fornece serviços de gateway permitindo que esses dispositivos.11b.Prof Nairton José Bádue P á g i n a ETEC GUARACY SILVEIRA – EXT PERDIZES / EE MAURO DE OLIVEIRA IDR Meios Físicos Anotações de Aula - | 53 importante pois permite a atualização da rede sem-fio sem precisar repor as placas de rede ou pontos de acesso. se comuniquem. Os dispositivos 802.11. – Os nós podem ser simplesmente estações de . Nas redes práticas.11a cobre os dispositivos WLAN que operam na banda de transmissão 5 GHZ A utilização da faixa de 5 GHZ impede a interoperabilidade dos dispositivos 802. Cisco desenvolveu um ponto de acesso que permite que os dispositivos 802. normalmente incompatíveis. usa a tecnologia de modulação Orthogonal Frequency Division Multiplexing (OFDM) e opera na faixa de frequência de 2. 3.4 GHZ.11a mas mantém a compatibilidade com dispositivos 802.

é crítica para permitir o movimento dos dispositivos dentro da WLAN. uma rede improvisada poderia ser estabelecida que competisse com qualquer rede ponto-a-ponto cabeada. Isto é bem semelhante aos serviços fornecidos pelas companhias de telefones celulares. possibilita a atividade de desconexão e reconexão transparente sem nenhuma interrupção nos serviços. Para atender maiores áreas. o tamanho da célula poderá variar em muito. Outro problema com este tipo de rede é a compatibilidade. Para resolver o problema de compatibilidade. A sobreposição.44 a 152. O AP é ligado através de fios à rede local cabeada para fornecer acesso à Internet e conectividade à rede cabeada. Os APs são equipados com antenas e fornecem conectividade sem-fio através de uma determinada área conhecida como célula.4 metros (300 a 500 pés). Com a disponibilidade de placas de rede sem-fio. Apesar de não estar mencionado nos padrões IEEE. será iniciada uma "escuta" por um dispositivo compatível com o qual se "associar". Isto é conhecido como varredura e pode ser ativo ou passivo. em redes AP múltiplas. Ambos os dispositivos agem como servidores e clientes neste ambiente. Essa taxa de sobreposição permitirá o roaming entre as células. como é o caso também do throughput. uma sobreposição de 20 a 30% é desejável. Na maioria dos casos. Muitas vezes as placas de redes de diferentes fabricantes não são compatíveis. Quando um cliente é ativado dentro da WLAN. Embora ele proporcione conectividade. podem ser instalados múltiplos pontos de acesso com certo grau de sobreposição. . a faixa será entre 91. a segurança é mínima.Prof Nairton José Bádue P á g i n a ETEC GUARACY SILVEIRA – EXT PERDIZES / EE MAURO DE OLIVEIRA IDR Meios Físicos Anotações de Aula - | 54 trabalho desktop ou computadores notebook. Dependendo da composição estrutural do local onde é instalado o AP e o tamanho e o ganho da antena. A sobreposição permite roaming entre as células. um ponto de acesso (AP) é comumente instalado para agir como hub central para o modo de infra-estrutura da WLAN.

o AP publicará uma resposta à sonda. porém. .x.3 Como as Redes Locais Sem-fio se Comunicam Depois de estabelecer a conectividade a WLAN.3 é 1500 bytes. As WLANs não utilizam um quadro padrão 802. Desta maneira. de gerenciamento e de dados. 3. é feita uma tentativa para a ligação à rede.3. A solicitação de sonda conterá o Service Set Identifier (SSID) da rede à qual deseja ligar-se. os quais são transmitidos pelo AP (modo infraestrutura) ou por nós de ponto (improvisados). Quando um nó recebe um beacon que contém o SSID da rede à qual está tentando ligar-se. Estão concluídas as etapas de autenticação e associação.3. um nó passará quadros da mesma maneira como em qualquer outra rede 802. Geralmente o tamanho do quadro da WLAN será limitado a 1518 bytes pois na maioria dos casos é conectado a uma rede Ethernet cabeada. A varredura passiva é um processo contínuo e os nós podem se associar ou desassociar com APs conforme vai mudando a intensidade do sinal. Quando é encontrado um AP com o mesmo SSID. Os nós passivos de varredura procuram quadros de gerenciamento de beacon (beacons). Existem três tipos de quadros: de controle. um quadro Ethernet não pode exceder 1518 bytes enquanto que um quadro semfio pode chegar até 2346 bytes.3.Prof Nairton José Bádue P á g i n a ETEC GUARACY SILVEIRA – EXT PERDIZES / EE MAURO DE OLIVEIRA IDR Meios Físicos Anotações de Aula - | 55 A varredura ativa faz com que uma solicitação de sonda seja enviada do nó sem-fio que procura ligar-se à rede. O payload dos quadros sem-fio e 802. usar o termo Ethernet sem-fio dá a impressão errada. Somente o tipo de quadro de dados é semelhante aos quadros 802.

Isto pode causar um consumo de 50% da largura de banda disponível. 3. A diferença maior é que não há nenhum método pelo qual o nó da fonte seja capaz de detectar que ocorreu uma colisão.5 Mbps numa rede local sem-fio 802. Isto é mais ou menos como a CSMA/CD do Ethernet. Este é um processo de autenticação do dispositivo e não do usuário. Estes custos adicionais. poderá ser invocada a ARS (Adaptive Rate Selection). a resolução de problemas e o gerenciamento geral de uma WLAN. É crítico lembrar-se disso ao considerar a segurança. reduzem o throughput efetivo de dados até um máximo de entre 5. Quando um nó da fonte envia um quadro.4 Autenticação e associação A autenticação na WLAN ocorre na Camada 2. podem ocorrer colisões da mesma maneira que acontece nos meios compartilhados cabeados.5 Mbps. de 5.0 e 5.3.Prof Nairton José Bádue P á g i n a ETEC GUARACY SILVEIRA – EXT PERDIZES / EE MAURO DE OLIVEIRA IDR Meios Físicos Anotações de Aula - | 56 Já que a radiofreqüência (RF) é um meio compartilhado. O desempenho na rede será afetado também pela intensidade do sinal e pela degradação da qualidade do sinal devido à distância ou interferência. o nó receptor retorna uma confirmação positiva (ACK). À medida que o sinal se enfraqueça. Por esta razão as WLANs usam a Detecção de Portadora para Múltiplo Acesso com Prevenção de Colisões (CSMA/CA). . A unidade transmissora reduzirá a velocidade dos dados de 11 Mbps até 5.5 Mbps até 2 Mbps ou de 2 Mbps até 1 Mbps. quando combinados com os custos adicionais do protocolo de prevenção de colisões.11b com regime de 11 Mbps.

realizada após a autenticação.Prof Nairton José Bádue P á g i n a ETEC GUARACY SILVEIRA – EXT PERDIZES / EE MAURO DE OLIVEIRA IDR Meios Físicos Anotações de Aula - | 57 A autenticação pode ser até um processo nulo. Autenticado e associado O nó está conectado à rede e permitido a transmitir e receber dados através de um ponto de acesso. Este é um padrão de conectividade aberta no qual é só necessário que o SSID corresponda.11 admite dois tipos de processos de autenticação O primeiro processo de autenticação é o sistema aberto. O cliente enviará um quadro de pedido de autenticação até o AP e o quadro será aceito ou rejeitado pelo AP. como é o caso de um novo AP e placa de rede com a configuração padrão estabelecida. Pode ser utilizado num ambiente seguro ou não seguro . Tipos de Autenticação e Associação Não autenticado e não associado O nó está desconectado da rede e não associado a um ponto de acesso. O AP também poderá ser configurado para fazer o handoff da tarefa de autenticação a um servidor de autenticação. Autenticado e não associado O nó foi autenticado na rede mas ainda não foi associado a um ponto de acesso. que realizaria um processo mais pormenorizado do credenciamento. Métodos de autenticação IEEE 802. O cliente é notificado sobre a resposta por meio de um quadro de resposta de autenticação. A associação. é a condição que permite que um cliente use os serviços do AP para transferir dados.

As transmissoras de rádio convertem estes sinais elétricos em ondas de rádio. A alteração da corrente na antena de uma transmissora gera ondas de rádio. . Chaves WEP estaticamente designadas providenciam um nível mais alto de segurança que os sistemas abertos mas certamente não são "imunes aos hackers". Este processo exige o uso de criptografia WEP (Wired Equivalent Privacy). para outra substância. A criptografia WEP é um algoritmo relativamente simples usando chaves de 64 e 128 bits. as ondas de rádio são refratadas. Como a luz. Ao passarem de uma substância. medidos a uma distância de apenas 10 metros (30 pés) da antena de transmissão teriam somente um centésimo da sua intensidade original. O problema da entrada não autorizada nas WLANs está sendo abordado por várias novas tecnologias de soluções de segurança. No entanto. O AP é configurado com uma chave criptografada e os nós que tentam acessar a rede através do AP precisam ter uma chave correspondente.Prof Nairton José Bádue P á g i n a ETEC GUARACY SILVEIRA – EXT PERDIZES / EE MAURO DE OLIVEIRA IDR Meios Físicos Anotações de Aula - | 58 embora seja alta a capacidade dos "sniffers" de baixo nível na rede de descobrir a SSID da WLAN. as ondas de rádio podem ser absorvidas por certos materiais e refletidas por outros. como uma parede de alvenaria. Estas ondas de rádio irradiam em linhas retas da antena.3. como o ar. As ondas de rádio também são espalhadas e absorvidas por gotículas de água no ar. os sinais de rádio.5 Os espectros de radiofreqüência e de microondas Os computadores enviam sinais de dados eletronicamente. Numa WLAN. 3. as ondas de rádio são atenuadas à medida que vão se afastando da antena de transmissão. O segundo processo é a chave compartilhada.

Há basicamente três maneiras em que um sinal portador pode ser modulado. Por exemplo. estes sinais de dados são usados para alterar um segundo sinal mais forte. as estações de rádio de Amplitude Modulada (AM) modulam a altura (amplitude) do sinal portador. o receptor também precisa estar munido de antena. Estas correntes elétricas.Prof Nairton José Bádue P á g i n a ETEC GUARACY SILVEIRA – EXT PERDIZES / EE MAURO DE OLIVEIRA IDR Meios Físicos Anotações de Aula - | 59 É importante lembrar-se destas qualidades das ondas de rádio ao planejar uma WLAN para um edifício ou cidade universitária. são iguais às correntes que originalmente geraram as ondas de rádio na antena da transmissora. Numa transmissora. . Antes. conforme determinado pelo sinal elétrico proveniente do microfone. Porque os sinais de rádio se enfraquecem à medida que se desloquem da transmissora. causadas pelas ondas de rádio recebidas. é utilizado para sobrepor o sinal de dados no sinal portador que por sua vez é transmitido pela transmissora. denominada fase modulada. As estações de rádio de Freqüência Modulada (FM) modulam a freqüência do sinal portador. denominado sinal portador. O receptor amplifica a intensidade destes minúsculos sinais elétricos. O processo de avaliação de um local para a instalação de uma WLAN é conhecido como Pesquisa do Local. Quando as ondas de rádio intersectam a antena do receptor. O processo de alterar o sinal portador que irá entrar na antena de uma transmissora chama-se modulação. os sinais elétricos (de dados) de um computador ou rede local não são enviados diretamente à antena da transmissora. Nas WLANs. minúsculas correntes são geradas nessa antena. um terceiro tipo de modulação.

Ao utilizar a tecnologia de radiofreqüência.6 Sinais e ruído em uma WLAN Em uma rede Ethernet cabeada. Uma solução para um problema de interferência de banda estreita é simplesmente mudar de canal sendo usado pelo AP. A identificação da fonte exige um analisador de espectro e mesmo um modelo econômico é relativamente caro. Nas casas . As tecnologias da Bluetooth™ pula de ponta a ponta dos 2. Como o nome implica. Um receptor demodula o sinal portador que chega da antena.3.Prof Nairton José Bádue P á g i n a ETEC GUARACY SILVEIRA – EXT PERDIZES / EE MAURO DE OLIVEIRA IDR Meios Físicos Anotações de Aula - | 60 Neste tipo de modulação. O efetivo diagnóstico da causa de uma interferência de banda estreita pode ser uma experiência muito cara e demorada. os bits de dados do sinal elétrico modificam a fase do sinal portador. A interferência de banda estreita é o contrário da tecnologia de espectro espalhado. 3. é normalmente um processo simples diagnosticar a causa de interferências. a interferência de banda estreita não afeta todo o espectro de freqüências do sinal sem-fio. Não é raro ver letreiros nas instalações que usam redes sem-fio pedindo que todos os dispositivos Bluetooth™ sejam desligados antes de entrar.11b. O receptor interpreta as mudanças de fase do sinal portador e reconstrói dele o sinal elétrico original dos dados.4 GHz muitas vezes cada segundo e pode causar um altíssimo nível de interferência em uma rede 802. vários tipos de interferência precisam ser considerados. A interferência em todas as bandas afeta todo o espectro.

Atualmente. muitos administradores estão falhos na implementação de práticas eficazes de segurança.4 GHz também podem causar distúrbios na rede. um dispositivo freqüentemente esquecido como fonte de interferência é o forno de microondas comum. No entanto. Em um ambiente de escritório pequeno ou domiciliar (SOHO). a segurança pode ser difícil de conseguir em um sistema sem-fio.3. Os telefones sem-fio que operam no espectro de 2. a neblina ou condições de umidade muito alta podem afetar. Uma estação com maior potência de saída transmitirá o sinal mais longe e uma antena parabólica que concentra o sinal aumentará o alcance da transmissão. reduzindo assim o alcance das comunicações. A primeira e mais obvia fonte de problemas com os sinais é a estação transmissora e o tipo de antena. . Geralmente.Prof Nairton José Bádue P á g i n a ETEC GUARACY SILVEIRA – EXT PERDIZES / EE MAURO DE OLIVEIRA IDR Meios Físicos Anotações de Aula - | 61 e nos escritórios. Os relâmpagos podem alterar a atmosfera e alterar o caminho de um sinal transmitido. o sinal RF não será afetado mesmo pelas condição climáticas mais violentas. as redes sem-fio. Isto vem sendo um problema desde os primeiros dias das WLANs. 3.7 Segurança para Sem-fio Como já foi estudado neste capítulo. a maioria dos pontos de acesso utiliza antenas onidirecionais geminadas que transmitem os sinais em todas as direções. Um vazamento de microondas a um nível de um só watt no espectro de radiofreqüência pode causar graves problemas na rede. Onde existem redes sem-fio. e de fato afetam. há pouca segurança.

Autenticação dos usuários – Este permite que só os usuários autorizados façam conexão. possivelmente um servidor dedicado e projetado para esse propósito.Prof Nairton José Bádue P á g i n a ETEC GUARACY SILVEIRA – EXT PERDIZES / EE MAURO DE OLIVEIRA IDR Meios Físicos Anotações de Aula - | 62 Vão surgindo várias novas soluções e protocolos de segurança. sem segurança. Criptografia – Esta oferece serviços de criptografia para proteger ainda mais os dados contra intrusos. EAP-MD5-Challenge – O Extensible Authentication Protocol é o tipo mais antigo de autenticação. e suporte à autenticação mútua. tais como Virtual Private Networking (VPN) e Extensible Authorization Protocol (EAP). o ponto de acesso não proporciona autenticação ao cliente. Com o EAP. que é muito semelhante à proteção CHAP por senha em uma rede cabeada. A utilização de uma tecnologia VPN de servidor integrado cria um túnel por cima de um protocolo já existente. criptografia com chaves WEP dinâmicas. O LEAP oferece segurança durante a troca de credenciais. Por outro lado. Autenticação de dados – Esta garante a integridade dos dados ao autenticar tanto o dispositivo de origem como o de destino. enviem e recebam dados sobre a rede sem-fio. As WLANs freqüentemente estendem além dos perímetros da casa ou escritório em que estão instaladas e. Esta é uma conexão de Camada 3 e não uma conexão de Camada 2 entre o AP e o nó emissor. A tecnologia VPN efetivamente fecha a rede sem-fio já que uma WLAN irrestrita irá automaticamente encaminhar o tráfego entre nós que parecem estar na mesma rede sem-fio. um mínimo de esforço . mas passa esta tarefa para um dispositivo mais sofisticado. os intrusos podem infiltrar na rede com pouco esforço. LEAP (Cisco) – O Lightweight Extensible Authentication Protocol é o tipo mais universalmente usado nos pontos de acesso WLAN da Cisco. tal como IP.

A descarga eletrostática (ESD) pode criar graves problemas para os equipamentos eletrônicos sensíveis. e as três partes principais dos átomos são: prótons. nêutrons e elétrons. Os prótons e nêutrons encontram-se na parte central (núcleo) do átomo. Um multímetro é usado para medir voltagem.Prof Nairton José Bádue P á g i n a ETEC GUARACY SILVEIRA – EXT PERDIZES / EE MAURO DE OLIVEIRA IDR Meios Físicos Anotações de Aula - | 63 por parte do administrador da rede poderá providenciar para a WLAN uma segurança de baixo nível. A atenuação se refere à resistência ao fluxo de elétrons e porque um sinal se torna degradado ao propagar-se. . que circunda um só fio condutor interno. corrente. testada e mantida. cancelamento e trançamento de fios. A fibra óptica é um meio de transmissão muito bom quando corretamente instalada. cruzado e rollover O cabo coaxial consiste em um condutor cilíndrico externo. Resumo Deve ter sido obtido um entendimento dos seguintes conceitos importantes: Toda matéria é composta de átomos. O cabo STP combina as técnicas de blindagem. resistência e outras quantidades expressas de forma numérica. A corrente flui em laços fechados denominados circuitos. O cabo UTP é um meio de quatro pares de fios usado em uma variedade de redes. os quais precisam ser compostos de material condutor e precisam de uma fonte de voltagem. Três tipos de cabos de cobre utilizados nas redes são: direto. oco.

é usada para transmitir grandes quantidades de dados de maneira segura a distâncias relativamente grandes. de gerenciamento e de dados. Problemas de compatibilidade das placas de rede são resolvidos pela instalação de um ponto de acesso (AP) para agir como hub central da WLAN. um tipo de onda de energia eletromagnética. A reflexão interna total faz com que os sinais de luz permaneçam dentro da fibra. Sempre se deve tomar cuidado para proteger os olhos quando da utilização de fontes de luz forte como lasers. Os cabos e conectores precisam ser corretamente instalados e completamente testados com equipamentos de testes ópticos de alta qualidade antes de serem utilizados. Um entendimento dos regulamentos e padrões que se aplicam à tecnologia sem-fio garantirá que as redes implantadas serão interoperáveis e em cumprimento dos padrões. mesmo que esta não esteja em linha reta. é produzida por uma transmissora que converte um sinal elétrico em sinal de luz. fato que permite a fabricação de fibras com a propriedade de reflexão interna total. Três tipos de quadros são usados nas comunicações sem-fio: de controle. especialmente se seções do cabo são conectadas em patch panels ou emendadas. Os raios de luz obedecem às leis de reflexão e refração ao propagarse através da fibra de vidro. Os links de cabos precisam ser testados periodicamente com instrumentos de testes ópticos de alta qualidade para determinar se o link tenha de alguma maneira deteriorado. As fibras são usadas em pares para providenciar comunicações full duplex. A atenuação de um sinal de luz se torna problemática em cabos longos. transmitido por uma fibra. A luz que chega à extremidade distante do cabo é convertida novamente pelo receptor no sinal elétrico original. O sinal de luz. .Prof Nairton José Bádue P á g i n a ETEC GUARACY SILVEIRA – EXT PERDIZES / EE MAURO DE OLIVEIRA IDR Meios Físicos Anotações de Aula - | 64 A energia da luz.

A autenticação em WLAN é um processo que autentica o dispositivo e não o usuário. .Prof Nairton José Bádue P á g i n a ETEC GUARACY SILVEIRA – EXT PERDIZES / EE MAURO DE OLIVEIRA IDR Meios Físicos Anotações de Aula - | 65 As WLANs usam a Detecção de Portadora para Múltiplo Acesso com Prevenção de Colisões (CSMA/CA).