You are on page 1of 3

DISPONIBILIDADE DE ÁGUA ÀS PLANTAS. CONCEITOS E RELAÇÕES COM OUTRAS PROPRIEDADES DO SOLO1 . Vanderlei R. SILVA2 & Mirta T.

PETRY2 A água é o principal fator de crescimento, responsável por oscilações na produtividade e produção de regiões agrícolas. A água é, ao mesmo tempo, o fator mais importante e mais limitante à produtividade das culturas. Devido à sua importância no sistema agrícola, muita atenção tem sido dada pela Física do Solo aos problemas envolvendo os limites de disponibilidade de água no solo. Galileo Galilei já dizia: “Eu posso prever o caminho de corpos celestiais, mas não posso dizer nada a respeito do movimento de uma pequena gota de água”. O estado da água no solo pode ser descrito por duas maneiras: (i) em termos de quantidade presente e, (ii) em termos de energia dessa água (potencial). Para as plantas, é importante o estado de energia da água no solo, pois, solos de diferentes classes texturais podem ter semelhantes quantidades de água, porém, com distintos estados de energia. O movimento de água se dá por uma diferença de potencial, seja no solo ou do solo para a planta. Para as plantas absorverem água do solo, a células da epiderme de suas raízes devem estar num potencial mais negativo do que a água que está no solo. Baseado nos estudos de potenciais de água no solo, desenvolveu-se o conceito de capacidade de campo e de ponto de murcha permanente. Sendo a capacidade de campo como um limite superior de água no solo, equivalente ao equilíbrio entre a força gravitacional (percolação de água) e a força de retenção desta água pelo solo. A capacidade de campo é a quantidade de água restante no solo após o excesso ter sido drenado, o que acontece de 2 a 3 dias após uma chuva ou irrigação. Este conceito é bastante subjetivo, pois não considera a quantidade de água que foi aplicada, não considerado as condições de umidade iniciais do perfil. A quantidade de água no solo onde as plantas não conseguem mais extrair água é o ponto de murcha permanente. É determinado com plantas de girassol, deixando-as entrar em processo de murcha irreverssível, leva-las para ambiente com 100% de umidade relativa do ar, porém sem adicionar água no solo. Se as plantas não recuperarem mais a turgidez, o conteúdo de água do solo neste momento é considerado o ponto de murcha permanente. Relacionando este conteúdo de água no solo e a curva de retenção de água, percebeu-se que o potencial de –1,5 MPa equivaleria ao ponto de murcha permanente. Da mesma forma que a capacidade de campo, o ponto de murcha permanente é um índice subjetivo, pois não considera o tipo de planta e a profundidade de extração de água. A água disponível no solo compreende o conteúdo de água entre a capacidade de campo e o ponto de murcha permanente. Recentemente, Letey (1985), Silva & Kay (1997) e Tormena et al. (1998), incorporou ao conceito de água disponível, outras propriedades físicas do solo que diretamente afetam o crescimento e desenvolvimento de plantas, tais como: adequado suprimento de oxigênio, temperatura, resistência mecânica à penetração e o próprio conteúdo de água no solo. Neste conceito, a água tem um papel fundamental, no desenvolvimento das plantas, pois, regula todos os outros fatores diretamente relacionados com o desenvolvimento das plantas. Da mesma forma, Richards (1960), Gardner (1966), Ritchie (1981), Ratliff et al. (1983) e Carlesso (1995) contestaram a maneira tradicional de avaliar a água disponível no solo, argumentando que o crescimento de plantas pode ser retardado antes que o ponto de murcha seja atingido, embora a extração de água pelas raízes possa continuar acima de –1,5 MPa. Além disso, as plantas podem extrair água do solo mesmo quando a umidade estiver acima da capacidade de campo. Segundo Ritchie (1981), a definição laboratorial da água disponível às plantas (com
1 2

Resumo apresentado na disciplina de Seminário em Solos II. Doutorandos do PPGA-Biodinâmica em Solos.

para suprir a demanda evaporativa da atmosfera. Para substituir o conceito anterior de água disponível. o potencial de água no solo. As condições atmosféricas determinam a demanda evapotranspiratória. indicando que as respostas fisiológicas das plantas sejam avaliadas em função da água potencialmente extraível pelas plantas. depois de um umedecimento completo (denominado limite superior) e o conteúdo de água no solo depois que as plantas tenham extraído toda a água possível do perfil (denominado limite inferior). pois. New York. densidade e crescimento em extensão. R. as condições de déficit ou excesso de água na profundidade explorada pelo sistema radicular das plantas. em diferentes situações de cultivo. definindo-a como uma combinação particular entre solo e cultura. Advances in Soil Science. Assim. R. Ciência Rural. 1966. In: Eds. considerando o tipo de solo. Enfim. W. 1995. considerando as condições de solo e de cultivo. Como o potencial matricial varia em diferentes solos e ao longo do perfil. os limites de disponibilidade de água às plantas devem ser feitas à campo.amostras deformadas ou indeformadas) está sujeita a sérios erros. Madison. a água extraível é determinada pela diferença no conteúdo volumétrico de água no perfil do solo após a ocorrência de drenagem. por evaporação ou transpiração vegetal. isto é. v. a capacidade de armazenamento de água disponível às plantas é o resultado da interação solo-planta. 1. esse deve ser determinado para cada situação. D. determinam a habilidade das plantas em manter um equilíbrio morfofisiológico. Soc. Assim. Entretanto. Kirkham. J. controla a taxa de perda de água. mesmo em condições de deficiência hídrica. das propriedades da planta e do solo. 25:183-188.127-149. A profundidade do sistema radicular. Am. . o comportamento da água no solo é um processo dinâmico e não intrínseco à sua matriz . que. Portanto. Pesk. qualquer alteração nos fatores que afetam o movimento da água contínuo solo-planta–atmosfera irá afetar as relações hídricas do solo. o solo é um reservatório ativo. não representa. W. Am. Por conseguinte. Plant environmental and efficient water use. isoladamente. Wisconsin. Pierre.R. p. 1985. a espécie vegetal e as condições de cultivo. em função das características físicas. & Shaw. LETEY. é razoável a assunção de que. Para substituir o conceito anterior de água disponível. químicas e biológicas do solo. A água extraída do solo pelo sistema radicular das plantas é transpirada pelas folhas em proporção à demanda evaporativa da atmosfera. Referências bibliográficas CARLESSO. definindo-a como uma combinação particular entre solo e cultura. dentro de certos limites. a quantidade de água que deve ser extraída do solo e transpirada pelas plantas para manter a turgidez das células. As propriedades hidráulicas do solo são responsáveis pelo fornecimento da água em resposta à demanda evaporativa imposta pela atmosfera. GARDNER. assim como o dossel vegetativo da cultura. Ritchie (1981) propôs o emprego de água extraível. a água extraível é determinada pela diferença no conteúdo volumétrico de água no perfil do solo após a ocorrência de drenagem. a avaliação da água disponível no solo deve ser feita a campo.. p.. H. Assim. J. Ritchie (1981) propôs o emprego de água extraível. 277-294.. Relationship between soil physical properties and crop production. J. indicando que. a dinâmica da água no contínuo soloplanta-atmosfera depende das condições meteorológicas. a fim de estudar as respostas das plantas ao potencial de água no solo. Absorção de água pelas plantas: água disponível versus extraível e a produtividade das culturas. depois de um umedecimento completo (denominado limite superior) e o conteúdo de água no solo depois que as plantas tenham extraído toda a água possível do perfil (denominado limite inferior). Soil water movement and root absorption.

Solo. SILVA.T. B. J. 1983. ..A. A. 1998. da & KAY. J. Ci..47:770-775. da & LIBARDI. L. Bras. Viçosa. P. 1997. Am. J. 58:327-338.P. A.. & CASSEL. Am.F. Plant Soil. RITCHIE.. 1981. Soil Sci.L.D. C. TORMENA. 22:573-581.T. SILVA.K.P. D. J. Estimating the leaast limiting water range of soil from properties and management. Soc.RATLIFF. Soil Sci. RITCHIE. Soc. Soil water availability. A survey of field measured limits of soil water availability as related to laboratory-measured properties. Caracterização do intervalo hídrico ótimo de um Latossolo Roxo sob plantio direto. .61:877-883. Rev. .