You are on page 1of 14

Residência Saúde

Hospital Universitário Pedro Ernesto

2006

PROVA OBJETIVA

NUTRIÇÃO

que deve ser aplicada .5 a 2 vezes a recomendação nutricional para a idade.NUTRIÇÃO 1) Dora. empregada doméstica. de 32 dias de vida. O tratamento proposto foi o esquema de seis meses. e em presença de diarréia persistente. e referiu condições socioeconômicas precárias.8kg . com 10% de perda de peso num período de um mês. refeições C) fornecer dieta com teor de energia e proteína de acordo com a recomendação nutricional para a idade. óleo vegetal e TCM às . o crescimento de recém-nascidos prematuros é avaliado com base nas curvas destinadas a crianças normais. Compareceu ao ambulatório de um hospital geral. ácido fólico (5 mg/dia) e vitamina K (5mg/semana) D) adicionar à taxa energética o fator de recuperação (igual ao percentual de perda de peso) de 20%. as orientações nutricionais deverão seguir a prescrição de: A) fornecer dieta com teor de energia e proteína equivalente a 1. dispnéia e cansaço. e fazer suplementação de ferro (3-4 mg/kg/dia). Maria.5% + carboidrato a 8% fórmula caseira com leite de vaca em pó a 8. Andréia. e uma fase de dois meses por Pirazinamida. e indicar o aumento de ingestão hídrica e a redução do consumo de fibras solúveis e de alimentos que contêm lactose 2) Alice. Para esta situação. sudorese noturna. 35 anos. apresentou um quadro de febre. dois anos. Alice relatou que estava amamentando sua filha. Baseando-se na situação descrita acima. compareceu ao ambulatório de nutrição acompanhada de sua tutora. para o peso e o comprimento até: A) B) C) D) 18 e 36 meses 18 e 42 meses 24 e 36 meses 24 e 42 meses 1 . Durante a anamnese. pesando 10. utilizando-se a idade corrigida. com diagnóstico de SIDA. e realizar as orientações quanto à segurança alimentar B) adicionar à taxa energética o fator estresse de 60% para infecções moderadas. onde obteve hipótese diagnóstica de tuberculose pulmonar.5% + carboidrato a 8% 3) Na prática. a prescrição dietoterápica indicada para Maria deverá ser: A) B) C) D) leite materno exclusivo fórmula infantil modificada fórmula caseira com leite de vaca em pó a 6. tosse seca com hemoptise franca. constituído por Isoniazida e Rifampicina. respectivamente. e aumentar a densidade energética através de maior concentração de açúcar cereais.

com 30% do valor energético total em lipídio. acompanhada de dor associada com encoprese. De acordo com relato de sua mãe. na temperatura ambiente D) aumentar o uso de alimentos doces. com 30% do valor energético total em lipídio. 7% de ácidos graxos saturados e 200mg/dia de colesterol 2 . Durante a anamnese com a mãe. 11 anos. Patrícia. foi verificado hábito alimentar errôneo.4) Jorge. apresentou náuseas. foi encaminhado ao nutricionista. é indicada a dieta: A) normocalórica. 10% de ácidos graxos saturados e 300mg/dia de colesterol C) normocalórica. com 25% do valor energético total em lipídio. de sete anos e oito meses. é portador de leucemia linfoblástica aguda. foi encaminhado ao ambulatório de nutrição. A características química e física da dieta indicada inclui: A) restringir o aporte de fibras e utilizar pouco sal. flatulentos. 7% de ácidos graxos saturados e 300mg/dia de colesterol B) hipocalórica. legumes e verduras. internado na enfermaria de hematologia. apresentando fezes endurecidas. de acordo com a tolerância do paciente B) aumentar o volume de líquidos entre as refeições e evitar alimentos com odor muito forte C) restringir o uso de alimentos gordurosos e utilizar alimentos macios. ele tem um consumo insuficiente de frutas. Dados antropométricos: Peso atual: 36kg Estatura: 135cm Exames laboratoriais: Colesterol total: 210mg/dl Triglicerídeos: 135mg/dl LDL: 140mg/dl HDL: 30mg/dl De acordo com a recomendação do National Cholesterol Education Program. vômitos e mucosite. com 25% do valor energético total em lipídio. O tratamento inclui líquidos e fibras em quantidades adequadas. com diagnóstico de obesidade. de: A) B) C) D) 692ml e 9g/dia 605ml e 11g/dia 1038ml e 9g/dia 1211ml e 11g/dia 5) João. frios. sedentarismo e história familiar positiva para doença cardiovascular . 10% de ácidos graxos saturados e 200mg/dia de colesterol D) hipocalórica. fermentescíveis 6) Guilherme. Durante o tratamento quimioterápico.com o diagnóstico de constipação intestinal. e evitar alimentos de difícil digestibilidade.3kg. respectivamente. quatro anos. com peso de 17. A recomendação da ingestão de líquidos e fibras alimentares é.

5 8) No caso de Joana. hiperprotéica e hipossódica hipocalórica. primigesta. normoprotéica e normossódica 3 .1 0. com 28 semanas de gestação. vômitos e edema da face e das mãos. o ganho de peso semanal deverá ser.3g/dl Hematócrito: 33% Albumina: 2. de: A) B) C) D) 0. normoprotéica e hipossódica normocalórica. Dados antropométricos: Peso pré-gestacional: 76kg Estatura: 1. Joana 16 anos.4g/dl Ácido Úrico: 3 mg/dl Creatinina: 0.4 0. cefaléia. em kg.60m Peso atual: 84kg Exame laboratoriais: Hemoglobina: 10. a prescrição dietoterápica deverá ser do tipo: A) B) C) D) hipocalórica.35g/24 horas TGO (Transaminase Glutâmico Oxalacética): 12 U/l TGP (Transaminase Glutâmico Pírúvica): 8U/l Pressão Arterial: 130 x 90 mmHg 7) Baseando-se na avaliação do estado nutricional pré-gestacional.De acordo com o caso abaixo.3 0.9mg/dl Uréia: 20 mg/dl Proteinúria: 0. responda às questões de números 7 e 8. com hipótese de diagnóstico clínico de distúrbio hipertensivo específico da gestação. relatando tonteira. compareceu à consulta de pré-natal. hiperprotéica e normossódica normocalórica.

9) Na criança gravemente desnutrida.66 m Exames Laboratoriais: Glicose=82mg/dl Uréia=45mg/dl Creatinina=0. hidroclorotiazida.2mEq/l EAS: Glicose = negativo Corpos cetônicos = negativo Hemácias= +3/4+ Proteína =+3/4+ Piócitos= 6/8 campo Nesta situação. o sistema endócrino sofre inúmeras alterações que contribuem para a manutenção da homeostase energética. fornecendo uma quantidade adequada de quilocalorias. em uso de furosemida. podemos citar: A) redução da secreção de insulina e aumento da liberação de glucagon e epinefrina. é internado na enfermaria de um hospital público. e diminuir as perdas de proteína na urina B) estabelecer um balanço positivo de nitrogênio. com diagnóstico de síndrome nefrótica por GESF (glomerulosclerose segmentar focal). captopril e prednisona.3kg Estatura=1.0g/dia de proteína para cada grama de perda do nutriente na urina 4 . 18 anos.0g/dl Na=134mEq/l K=3. devendo acrescentar 1. com fornecimento de proteína e energia em quantidade aumentada. compensando a desnutrição protéica. induzido pela baixa ingestão de alimentos 10) Leandro. Entre estas alterações. e apresentando ao exame clínico edema de membros inferiores +++/4+ e pressão arterial de 110/70 mmHg. Dados antropométricos: Peso Atual=48. sendo 75% de alto valor biológico C) produzir aumento da síntese de albumina sérica.93mg/dl Albumina=3. e favorecer o desaparecimento do edema com uma dieta rica em proteína D) prevenir o catabolismo protéico em conseqüência do uso de corticosteróide. em conseqüência da baixa concentração de insulina e de cortisol D) redução da secreção de corticosteróide. em conseqüência da redução plasmática de glicose e aminoácidos livres B) redução da secreção do hormônio de crescimento devido às baixas concentrações de aminoácidos plasmáticos C) redução da secreção de somatomedinas. os objetivos do manejo nutricional deverão consistir em: A) compensar a desnutrição protéica.

2kg/m². 63 anos. com peristalse inaudível. a excreção renal apresenta-se: A) B) C) D) diminuída em cálcio e normal em potássio normal em cálcio e diminuída em potássio diminuída em cálcio e aumentada em potássio aumentada em cálcio e aumentada em potássio 12) Os ácidos graxos de cadeia curta. responda às questões de números 14 e 15. no momento. índíce de massa corporal = 25. Rosa. com diagnóstico de úlcera gástrica e infecção por Helicobacter pylori.3 9. favorecendo sua sobrevivência aumento da acidez gástrica e destruição do muco protetor 5 . Em pacientes que utilizam furosemida. encaminhada pelo gastroenterologista. e fibras são as principais fontes energéticas para os colonócito. foi operado há três dias para ressecção de hemangioma hepático.4 8. distensão abdominal franca e cateter nasogástrico em sifonagem. alteram o equilíbrio corporal de outros minerais. 14) Um dos mecanismos de ação desta bactéria é: A) B) C) D) colonização do intestino delgado produção de amônia e diminuição do pH gástrico alcalizinação do meio. A conduta nutricional correta para o momento é dieta do tipo: A) B) C) D) nutrição parenteral periférica nutrição parenteral total enteral zero Tomando por base o quadro abaixo.0 9. 25 anos. vai à consulta no ambulatório de nutrição. dependendo do seu modo de ação. A erradicação do Helicobacter pylori faz parte do tratamento.11) Os diuréticos aumentam a perda urinária de sódio e. com drenagem de 800ml nas últimas 24 horas.45 13) José. Eles fornecem uma quantidade de kcal por grama igual a: A) B) C) D) 4. estando impossibilitado de alimentar-se via oral. produzidos no cólon a partir da fermentação bacteriana de nutrientes não digeridos. Apresenta-se.

de: A) B) C) D) 690 a 710 760 a 780 800 a 860 870 a 900 18) Paulo. responda às questões de números 16 e 17. internou na enfermaria de cirurgia de tórax para ser submetido a esofagectomia. é internado no CTI. 16) O tipo de acesso para nutrição enteral mais indicado neste momento é: A) B) C) D) cateter nasoentérico cateter nasogástrico gastrostomia jejunostomia 17) Devido ao estado clínico de João. o nutricionista é questionado em relação ao volume de água livre ofertado através da dieta enteral que João recebe. João. Na discussão do caso junto à equipe. Apresenta-se com hipoalbuminemia e desnutrição grave. porque o fumo: A) B) C) D) aumenta a pressão do esfíncter esofágico inferior reduz a secreção de bicarbonato pancreático retarda o esvaziamento gástrico aumenta o pH duodenal Considerando o quadro abaixo. a oferta de líquidos deve ser bem controlada. portador de cirrose crônica. devido a encefalopatia hepática grau IV. em média. O nutricionista optou por prescrever uma dieta à base de di e tripeptídeos porque esta formulação: A) B) C) D) é melhor absorvida do que uma dieta à base de aminoácidos cristalinos favorece maior retenção nitrogenada que proteínas intactas tem maior osmolaridade do que as dietas monoméricas requer pequena capacidade de digestão de peptídeos 6 . Sabendo que o paciente recebe 1000ml de dieta enteral ao dia. com uma densidade calórica de 1. 45 anos.5 kcal/ml. foi confeccionada uma jejunostomia para instituir nutrição enteral precoce.15) Rosa será orientada quanto às alterações dietéticas e mudanças comportamentais que vão auxiliar no tratamento e na melhoria dos sintomas da úlcera. em ml. Durante a cirurgia. Rosa é fumante e será aconselhada a interromper este hábito. 62 anos. é. ascite e varizes de esôfago. o nutricionista deverá responder que o volume de água livre.

mantendo há 6 meses glicemia de jejum em torno de 120 mg/dl. Renato. a orientação quanto à fonte e à quantidade de carboidratos na dieta é de que: A) a ingestão de açúcar simples deve ser inferior a 10% das calorias totais diárias B) a fonte ideal de carboidratos é o amido. restrita em sódio e rica em potássio normoprotéica. 48 anos. informando ser portador de cálculos renais de oxalato de cálcio. proteólise levemente aumentada e hiperglicemia proteólise intensa. Renato trouxe um laudo da nefrologia. glucagon aumentado e produção aumentada de glicose 20) Na nutrição parenteral. Durante a fase “ebb”. ocorrem as seguintes alterações metabólicas: A) B) C) D) hipermetabolismo.19) A resposta sistêmica ao trauma produz uma série de alterações metabólicas. foi encaminhado ao ambulatório de nutrição de um hospital público. rica em potássio e restrita em sódio hiperprotéica. deve ter as seguintes características: A) B) C) D) hiperprotéica. devendo-se restringir a ingestão de sacarose a 30g/dia C) os carboidratos complexos podem ser ingeridos sem restrição. em uso regular de hipoglicemiante oral. 21) De acordo com as recomendações da Associação Americana de Diabetes. hipertermia e má perfusão tecidual hipometabolismo. diabético tipo 2. devendo-se evitar os açúcares simples D) a prioridade máxima deve ser dada à quantidade total de carboidratos ingeridos e não à fonte de carboidratos 22) Na segunda consulta. A dieta recomendada. os nutrientes que menos contribuem para a osmolaridade das soluções são os: A) B) C) D) lipídios minerais carboidratos aminoácidos De acordo com o caso abaixo. com o objetivo de reagir frente à agressão. normoglicemia e insulina baixa resistência periférica à insulina. restrita em cálcio e rica em potássio normoprotéica. restrita em potássio e restrita em cálcio 7 . responda às questões de números 21 e 22. neste caso.

chamadas apolipoproteínas. podemos incluir: A) má absorção intestinal de lipídios. de acordo com os critérios do ATP III (Adult Treatment Panel III). alterações nos níveis sanguíneos das lipoproteínas.redução nas perdas urinárias de nitrogênio e anorexia D) redução da taxa metabólica basal. Os critérios utilizados para diagnosticar tal síndrome neste paciente foram: A) B) C) D) glicose de jejum. A apolipoproteína B-48 é encontrada na lipoproteína: A) B) C) D) LDL HDL VLDL Quilomicrom 26) Na insuficiência cardíaca. aumento na taxa metabólica basal e aumento nas perdas urinárias de nitrogênio B) má absorção intestinal de lipídios. A dieta DASH (Dietary Approaches to Stop Hypertension) é indicada para reduzir os níveis de pressão arterial. Este paciente apresenta síndrome metabólica. aumento das perdas urinárias de nitrogênio e anorexia 8 . Carlos. redução nas perdas urinárias de nitrogênio e redução na taxa metabólica basal C) aumento na taxa metabólica basal. 24 e 25. os quais revelaram: índice de massa corporal = 34kg/m . LDL-colesterol e HDL-colesterol glicose de jejum. 53 anos. Dentre estas alterações. na absorção intestinal e no metabolismo basal de alguns nutrientes. responda às questões de números 23. associados a proteínas. é obeso e hipertenso há 5 anos. índice de massa corporal e LDL-colesterol circunferência da cintura. ou seja. colesterol e triglicerídios. HDL-colesterol = 44mg/dl e LDLcolesterol = 186mg/dl. circunferência da cintura e triglicerídios triglicerídios. como também pelo tratamento medicamentoso utilizado. glicose de jejum = 123mg/dl. causadas não só pela doença. circunferência da cintura = 112cm. HDL-colesterol e índice de massa corporal 25) Carlos apresenta dislipidemia. que são formadas por fosfolipídios. triglicerídios = 180mg/dl. 23) A dieta apresentada no caso descrito se caracteriza por ser rica nos seguintes componentes: A) B) C) D) vinho e azeite frutas e azeite laticínios desnatados e vinho frutas e laticínios desnatados 24) Carlos retornou ao ambulatório. trazendo exames laboratoriais e foi submetido a avaliação 2 antropométrica. Está fazendo uso irregular de medicação antihipertensiva.Baseado no caso abaixo. podem ocorrer alterações na ingestão alimentar.

internou pela quinta vez devido a anorexia nervosa. 48 anos. parestesia periférica e rigidez e fraqueza generalizada nas pernas. em acompanhamento nutricional a nível ambulatorial. uma das recomendações nutricionais deverá ser: A) B) C) D) suplementar vitaminas hidrossolúveis suplementar vitaminas lipossolúveis restringir ingestão de lipídios restringir ingestão de sódio 28) Alessandra. apresentando desnutrição grave (índíce de massa corporal= 13kg/m²). pode-se afirmar que: A) B) C) D) é excretado pela urina é instável em altas temperaturas seu poder de doçura é 300 vezes superior ao açúcar sua ingestão aceitável é de 11mg/kg de peso por dia 9 . internou na enfermaria de neurologia. possui diagnóstico de fibrose cística e faz uso regular de enzimas pancreáticas. sendo indicado início imediato de terapia nutricional enteral. 25 anos. é correto afirmar que: A) B) C) D) podem ocorrer alterações hidroeletrolíticas graves muitos pacientes têm taxas metabólicas acima do normal mais energia é requerida para ganhar tecido muscular do que para tecido gorduroso ocorre depleção significativa das reservas adiposas e de proteínas somáticas e viscerais 29) Robson. Em relação ao acesulfame K. Para esta paciente. Esse quadro indica que o paciente pode apresentar deficiência da seguinte substância: A) B) C) D) cálcio magnésio ácido fólico vitamina B12 30) Os substitutos dietéticos dos carboidratos são amplamente utilizados em vários estados clínicos. foi encaminhado parecer para Equipe Multiprofissional de Terapia Nutricional. Em relação à anorexia nervosa. apresentando entorpecimento.27) Juliana. como na obesidade e no diabetes. 22 anos. perda da memória. Logo após a internação.

A temperatura ideal para a conservação de ovos frescos. atingindo. será servida salada de cenoura crua. deve estar num intervalo entre: A) B) C) D) 24° a 28° 22° a 26° 20° a 24° 18º a 22° 10 . A fim de melhorar a qualidade do trabalho e o conforto dos funcionários. como ventiladores e exaustores. Esta temperatura. em g. deve haver a seção de estocagem. Sabendo que esta Unidade fornece refeição para 100 comensais e que o per capta líquido da cenoura é 150g e o fator de correção é 2. deve ser de: A) B) C) D) 0° a 4° 4° a 8° 6° a 10° 8° a 12° 33) No cardápio do almoço de uma Unidade de Alimentação e Nutrição. foram empregados. o quantitativo necessário para compra de cenoura. em °C. carne sem brilho pele brilhante e úmida. meios artificiais. em °C. o nutricionista recomendou aos funcionários que redobrassem a atenção ao reconhecimento de pescado alterado. após receber reclamações de que teria sido servido peixe estragado a alguns pacientes. onde as temperaturas são diferentes para cada tipo de alimento. os funcionários deverão observar os sinais de pescado alterado. a temperatura considerada compatível com as operações realizadas na Unidade. olhos turvos e ventre abaulado 32) Na estrutura do Serviço de Nutrição. olhos salientes e guelras vermelhas escamas opacas. Para atender a esta solicitação.31) Em uma Unidade de Alimentação e Nutrição. é igual a: A) B) C) D) 1000 1500 2000 3000 34) Os funcionários de uma Unidade de Alimentação e Nutrição vinham apresentando queda da produtividade devido ao calor excessivo na cozinha. assim. cheiro desagradável. guelras pálidas e cauda firme carne amolecida. que são: A) B) C) D) ventre não abaulado.

Diante de tal fato. imergir em solução clorada na concentração entre 200 por 15 min. enxaguar com água potável. imergir em solução concentração entre 100 e 200 ppm por 15 min. recursos humanos e disponibilidade da área e dos equipamentos B) necessidades nutricionais. desprezar as partes estragadas D) lavar em água corrente. 20% dos pacientes foram acometidos de intoxicação por Staphylococcus aureus após a ingestão de frango contaminado. imergir em solução concentração entre 200 e 250 ppm por 15 min. como: A) necessidades nutricionais. política de compras e controle das operações durante a preparação C) recursos humanos. que deve manter a seguinte seqüência: A) desprezar as partes estragadas. devido à falta de um determinado gênero. controle das operações durante a preparação e método de recepção e armazenamento de mercadorias 37) Em um hospital. foi encontrada uma larva na verdura. enxaguar com água potável B) desprezar as partes estragadas. o nutricionista cobrou dos funcionários o cumprimeto dos procedimentos de higienização dos vegetais. lavar em água corrente. lavar em água corrente. o nutricionista considerou outros aspectos. enxaguar com água potável C) lavar em água corrente. método de recepção e armazenamento de mercadorias e disponibilidade da área D) política de compras. desprezar as partes estragadas clorada na clorada na e 250 ppm e 200 ppm 36) Na cozinha dietética de um hospital. enxaguar com água potável. Ao elaborar o novo cardápio.35) Na alimentação servida a um paciente. Dentre as causas dessa contaminação. além da disponibilidade do gênero no mercado. estão os seguintes fatores: A) tosse e espirro sobre os alimentos e utilização de panos para o contato com o alimento B) material do solo contaminando as superfícies da cozinha e contaminação cruzada através das mãos C) contato de alimentos crus contaminados com alimentos prontos e equipamentos não desinfetados D) manipuladores com as mãos contaminadas e utilização de água de poço ou de rede contaminada com esgoto 11 . o cardápio programado para o almoço dos pacientes com dieta especial precisou ser modificado. imergir em solução clorada na concentração entre 100 por 20 min.

é de: A) B) C) D) 30 32 34 36 40) Compete ao Serviço de Alimentação estabelecer a política de compras junto à administração superior. para o controle do estoque de gêneros alimentícios. regras para visitantes e controle da temperatura dos alimentos C) controle integrado de pragas. e listagem dos gêneros em ordem crescente de investimento semanal D) levantamento do consumo médio semanal de cada gênero. precisa de um manual de boas práticas de manipulação de alimentos. regras para visitantes e controle da temperatura das áreas de armazenamento 39) O nutricionista de um Serviço de Nutrição e Dietética hospitalar vinha tendo problemas devido ao quantitativo insuficiente de funcionários e. regras de higiene pessoal e controle da temperatura das áreas de armazenamento D) controle da temperatura dos alimentos. para controlar suas condições higiênico-sanitárias e atender a exigência da vigilância sanitária. Para a elaboração desse manual. alguns pré-requisitos básicos devem ser seguidos. e listagem dos gêneros em ordem crescente de investimento mensal B) levantamento do consumo médio mensal de cada gênero. Ao decidir pela aplicação da Curva ABC. por isso. e listagem dos gêneros em ordem decrescente de investimento semanal 12 . o número de funcionários necessários para esse Serviço. resolveu rever o dimensionamento do pessoal. e listagem dos gêneros em ordem decrescente de investimento mensal C) levantamento do consumo médio semanal de cada gênero.38) Uma Unidade de Alimentação e Nutrição. controle da água para consumo e controle integrado de pragas B) controle de saúde dos funcionários. os passos a serem seguidos incluem: A) levantamento do consumo médio mensal de cada gênero. dentre os quais: A) controle de saúde dos funcionários. considerando as ausências imprevistas. Sabendo-se que o hospital tem 240 leitos. organizar o sistema e racionalizar o processo de estocagem.

QUESTÕES OBJETIVAS E DISCURSIVAS ELABORADAS PELOS PROFISSIONAIS Cristina Fajardo Diestel Denise Tavares Giannini Marcia Regina S. Gonçalves Torres Patrícia Fonseca dos Reis .