ORGANIZAÇÃO

Eduardo Caetano Leal Eliana Nunes Hipólito Maira Silveira de Almeida Raissa Aguiar Coelho Rodrigues

MANUAL DE NORMALIZAÇÃO PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS DA UNIVALE

Governador Valadares Atualizado em outubro de 2010

SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO ....................................................................................................... 7 2 ORIENTAÇÕES QUANTO À FORMA DE APRESENTAÇÂO DOS DIVERSOS TIPOS DE TRABALHOS ACADÊMICOS ................................................................ 9 3 ORIENTAÇÕES QUANTO À ENTREGA DOS TRABALHOS ACADÊMICOS.... 10 4 FORMATO DE APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS ............... 12 4.1 PAPEL E FONTE .............................................................................................. 12 4.2 MARGENS ........................................................................................................ 12 4.3 ESPACEJAMENTO ........................................................................................... 13 4.4 PARÁGRAFOS .................................................................................................. 14 4.5 NOTAS .............................................................................................................. 14 4.6 TÍTULOS NÃO NUMERADOS .......................................................................... 15 4.7 TÍTULOS NUMERADOS E NUMERAÇÃO PROGRESSIVA ............................ 16 4.8 PAGINAÇÃO ..................................................................................................... 18 4.9 ALÍNEAS ........................................................................................................... 19 4.10 ILUSTRAÇÕES E TABELAS ........................................................................... 21 5 ESTRUTURA DOS TRABALHOS ACADÊMICOS ............................................. 24 5.1 ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS ......................................................................... 25 5.1.1 Capa (elemento obrigatório) ........................................................................ 26 5.1.1.1 Lombada (elemento opcional) .................................................................... 27 5.1.2 Folha de rosto (elemento obrigatório) ....................................................... 27 5.1.2.1 Folha de rosto (verso) ................................................................................. 29 5.1.3 Errata (elemento opcional) .......................................................................... 29 5.1.4 Folha de aprovação (elemento obrigatório) .............................................. 30 5.1.5 Dedicatória(s) (elemento opcional) ............................................................. 32 5.1.6 Agradecimento(s) (elemento opcional) ...................................................... 32 5.1.7 Epígrafe (elemento opcional) ...................................................................... 33 5.1.8 Resumo na língua vernácula (elemento obrigatório) ............................... 34 5.1.9 Resumo em língua estrangeira (elemento obrigatório) ............................ 35 5.1.10 Lista de ilustrações (elemento opcional) ................................................. 36 5.1.11 Lista de tabelas (elemento opcional) ....................................................... 37 5.1.12 Lista de abreviaturas e siglas (elemento opcional) ................................ 38

5.1.13 Lista de símbolos (elemento opcional) .................................................... 40 5.1.14 Sumário (elemento obrigatório) ................................................................ 40 5.2 ELEMENTOS TEXTUAIS .................................................................................. 43 5.2.1 Introdução ..................................................................................................... 44 5.2.2 Desenvolvimento ......................................................................................... 44 5.2.3 Conclusão ..................................................................................................... 45 5.3 ELEMENTOS PÓS-TEXTUAIS ......................................................................... 45 5.3.1 Referências (elemento obrigatório) ............................................................ 46 5.3.2 Glossário (elemento opcional) .................................................................... 47 5.3.3 Apêndice(s) (elemento opcional) ................................................................ 47 5.3.4 Anexo(s) (elemento opcional) ..................................................................... 48 5.3.5 Índice (elemento opcional) .......................................................................... 50 6 PROJETO DE PESQUISA ................................................................................... 51 6.1 ESTRUTURA ..................................................................................................... 51 6.1.1 Elementos pré-textuais ................................................................................ 52 6.1.2 Elementos textuais ....................................................................................... 53 6.1.2.1 Introdução ou apresentação (elemento obrigatório) ................................... 53 6.1.2.2 Objeto de pesquisa ou problema de pesquisa (elemento obrigatório) ........ 53 6.1.2.3 Objetivos (geral e específico) (elemento obrigatório) .................................. 54 6.1.2.4 Justificativa (elemento obrigatório) .............................................................. 54 6.1.2.5 Revisão bibliográfica (elemento obrigatório) ............................................... 55 6.1.2.6 Metodologia (elemento obrigatório) ............................................................. 55 6.1.2.7 Cronograma (elemento obrigatório) ............................................................ 55 6.1.2.8 Recursos materiais (elemento opcional) ..................................................... 56 6.1.3 Elementos pós-textuais ............................................................................... 57 7 ARTIGO CIENTÍFICO .......................................................................................... 58 7.1 DICAS PARA LEITURA E REDAÇÃO .............................................................. 58 7.2 FORMATO DE APRESENTAÇÃO DO ARTIGO CIENTÍFICO ......................... 59 7.3 ESTRUTURA ..................................................................................................... 60 7.3.1 Elementos pré-textuais ................................................................................ 61 7.3.1.1 Título, subtítulo (elemento obrigatório) ...................................................... 61 7.3.1.2 Nome(s) do(s) autor(es) (elemento obrigatório) .......................................... 62 7.3.1.3 Resumo na língua do texto (elemento obrigatório) ..................................... 62 7.3.1.4 Palavras-chave na língua do texto (elemento obrigatório) .......................... 62

.. 72 8.......3...................................................................................2 Citação de documentos elaborados por dois ou três autores...... 74 8.7 Apêndice(s) (elemento opcional) ...........3.........7 Citação de informações extraídas da internet.............................1........................1 Autor pessoal .3 Adequação da apresentação da citação conforme o tipo de autoria da obra ...............1................... 79 8................................. 83 10..............1 Formas de entrada ..... 68 7................1...............................................2 Elementos textuais .2 Resumo em língua estrangeira (elemento obrigatório) ..........3.5 Citação de traduções ............................................................................... 68 7........................2 Desenvolvimento .................................................3......................... 67 7....... 77 8.............................................2........................................4 Notas explicativas (elemento opcional) .....1................................3..... 68 7..... 67 7......3..................7.....3 Conclusão .......................1...........3........ 63 7........1 Título e subtítulo em língua estrangeira (elemento obrigatório) ......... 63 7.................................3........................ 78 8..................1....... 71 8.................................3.3............3.............................3...............1.......................3 Elementos pós-textuais ................ 67 7...............1 REGRAS GERAIS DE APRESENTAÇÃO ........3................................................. 84 ..........4 Citação de documentos elaborados por instituições.....1.....5 Citação de documentos com autoria desconhecida.............3...............................................3.......................................................................................3.3......................................6 Citação de informações verbais ........ 78 8...............................3.........................1 Citação de documentos elaborados por um autor................. 75 8...... 68 7......................... 83 10...........3...........1 Introdução ..............1.3..................................................................................................................1 ELEMENTOS QUE COMPÕEM A REFERÊNCIA ............. 69 8 CITAÇÃO ..........................................3 Palavras-chave em língua estrangeira (elemento obrigatório) ....................... 79 9 NOTAS DE RODAPÉ .8 Citação de citação ..1................ 81 10 REFERÊNCIAS .......72 8......2......................................................4 Adição de interpolações........ 70 8.......................... 74 8...............1.....1 Citações diretas ..............................................................2.....3................3 Citação de documentos elaborados por quatro ou mais autores.......1.......................................2 Citações indiretas ........................3........................................... 84 10.......................................5 Referências (elemento obrigatório) ................1........................................................... supressões e grifos ....................................... 65 7.....3..3........6 Glossário (elemento opcional) ....1. 76 8...1.... 67 7..... comentários....3............. 70 8..................... 65 7................................................3..8 Anexo(s) (elemento opcional) ........................... 72 8........1.........................

..................................................7...............1.............. dissertações e teses .1 Livros e folhetos .................1......2.......... 98 10................... 92 10...........7....2 Formato eletrônico ........2 Formato eletrônico .........1 Formato convencional ....................................2.....................................2.............7........ 99 ............2 Autor entidade ..1........5 Editora .2.......................................... ........1......................................................................................5 Trabalhos apresentados em eventos (congressos... etc............2 Título e subtítulo ..............................2........................... etc...........1................. boletim............2....4....2..................6 Normas técnicas .............. 87 10.2.............. 96 10....2 Artigo e/ou matéria de revista............................................................3................................................). 96 10......5.......................3 Obra sem autoria...........................2................................2.........................................2 Formato eletrônico ...2.......2................2............. 94 10...... 95 10... 97 10............... 86 10...........2..........7................1....................................... 98 10......................................................................2..................................................................2.... 86 10.... 90 10.....2.........4 Local de publicação .............. 93 10...... 86 10................ 96 10.................6.....1 Formato convencional .. conferências e outros eventos científicos no todo ......... 99 10..........3..........................................................................2..................................................... 92 10......... 98 10...2...........2 Capítulo de livros .. 92 10...........................................................................................................................2 Formato eletrônico ...1.2......................................................... 91 10................7............. seminários....................................................................1 Formato convencional .................................2. 95 10....... 93 10.1 Formato convencional ................................................................6.................................................................7 Publicações periódicas ...............................10..2...1............2 APRESENTAÇÃO DAS REFERÊNCIAS ...2......... 94 10............ 90 10......2..............................................7.....1.......2......1 Formato convencional ...3 Artigo e/ou matéria de jornal ........2...........1........ 90 10....................3 Edição ..6 Data ........5...................1..................... 97 10.................................................2................................... 91 10.1 Publicação periódica no todo ...........1 Formato convencional ..................... 88 10.........................................2 Formato eletrônico .............................1 Formato convencional ..........2......................................................................................... 95 10.4...2 Formato eletrônico ................ 97 10........2....2 Formato eletrônico ............................ 89 10...............2...4 Congressos....................................3 Trabalhos acadêmicos..................1..... 94 10.........................1...........7.......................................................................................... 87 10......................................................2 Formato eletrônico ..................1 Formato convencional ..............................

...................1........................................................ 103 10.....................2...........................2 Formato eletrônico ................................8.....................2 Jurisprudência (decisões judiciárias) .................3............. 103 10...............................................................9 Documentos de acesso exclusivo em meio eletrônico.............2 Formato eletrônico .....1 Formato convencional ...9.............................. 104 10......................7............... 101 10.......... 102 10...1 Legislação .......2.......... 100 10..2.9.......2 Lista de discussão.... 105 REFERÊNCIAS ............................9..............................3 Sites.....2........................8........ 100 10............2 Formato eletrônico . 101 10......2.1 Formato convencional ....................................................... 103 10..............10...............................4 Mensagens eletrônicas......2.........2...........2............1......2.......................................................................9.....2..........................................................7...................................................................2...8 Documentos jurídicos ................................................................8............................. 102 10..............2............2..8................ 106 .......................................... 102 10..................................2....2..............................3..8.....1 Base de dados............. 101 10......................................8.........1 Formato convencional ........... 104 10..............2.............

que se encontram em vigor no momento da publicação deste manual. Apresentamos aqui o padrão UNIVALE de normalização. É também o instrumento básico recomendado pela Resolução CONSEPE: Nº. recomenda-se que sejam utilizadas as edições mais recentes. No momento da elaboração de um trabalho acadêmico o autor deverá considerar que esse não será lido apenas por seus professores. que fornece subsídios para a elaboração de trabalhos técnico-científicos e tem como objetivo promover a uniformização na apresentação dos trabalhos acadêmicos. dos quais a Biblioteca é receptora e disseminadora. Como toda norma está sujeita a revisão. sua padronização e a compreensão da leitura. orientadores ou outros profissionais de sua área. regras e procedimentos definidos. Em determinados casos a ABNT apresenta em suas normas algumas regras que são opcionais ou permite ao próprio autor defini-las. e) ABNT NBR 6028/2003 – Resumo: apresentação. Dessa forma. Diante disso. São elas: a) ABNT NBR 6022/2003 – Artigo em publicação periódica científica impressa: apresentação. a produção escrita do trabalho também deve merecer cuidados especiais em sua apresentação. d) ABNT NBR 6027/2003 – Sumário: apresentação. sugerimos a utilização de alguns critérios que consideramos facilitar a compreensão dos acadêmicos e demais leitores. . c) ABNT NBR 6024/2003 – Numeração progressiva das seções de um documento escrito: apresentação. torna-se essencial o uso de normas técnicas para facilitar a apresentação do trabalho. baseado principalmente na ABNT NBR 14724/2005. 006/2009 – Aprova alterações na Norma que regulamenta o Trabalho de Conclusão de Curso – TCC. b) ABNT NBR 6023/2002 – Referências: elaboração. da Universidade Vale do Rio Doce UNIVALE. Para um maior aprofundamento técnico indicamos a consulta das normas relacionadas a seguir.7 1 INTRODUÇÃO Assim como a pesquisa científica deve seguir normas.

k) ABNT NBR 15287/2005 – Projeto de pesquisa: apresentação. h) ABNT NBR 10520/2002 – Citações em documentos: apresentação. i) ABNT NBR 12225/2004 – Lombada: apresentação. j) ABNT NBR 14724/2005 – Trabalhos acadêmicos: apresentação.8 f) ABNT NBR 6034/2004 – Índice: apresentação. .

demonstrando o conhecimento da literatura existente sobre o assunto. do trabalho de curso (TC). devido às suas peculiaridades. Os trabalhos de conclusão de curso (TCC) geralmente são elaborados por alunos de graduação e de pós-graduação lato sensu. Dissertação é um documento que representa o resultado de um trabalho experimental ou exposição de um estudo científico. A tese deve ser um trabalho experimental de profunda investigação. estão descritos separadamente nos itens 6 e 7 deste manual. É a exposição de um estudo onde deve-se expressar domínio sobre o tema escolhido. Os trabalhos apresentados sob a forma de Projeto de Pesquisa ou Artigo Científico. analisar e interpretar informações. respectivamente. Visa obter o título de mestre. respectivamente. para colação de grau e obtenção de título de especialista. contribuindo sistematicamente para a especialidade em questão. elaborada com base em uma pesquisa original.9 2 ORIENTAÇÕES QUANTO À FORMA DE APRESENTAÇÂO DOS DIVERSOS TIPOS DE TRABALHOS ACADÊMICOS As orientações apresentadas neste manual deverão ser seguidas durante a elaboração dos trabalhos monográficos de graduação e pós-graduação lato sensu (TCC). como requisito necessário. Este trabalho visa a obtenção do título de doutor. das dissertações e teses. de tema único e bem delimitado. com o objetivo de reunir. . sendo necessária a existência de um orientador. relacionado com alguma disciplina do curso.

d) o Coordenador do Curso preencherá o “Termo de Encaminhamento de Trabalho de Conclusão de Curso à Biblioteca”. no endereço eletrônico: http://www. Caso o aluno do Programa de Pós-graduação Stricto Sensu queira deixar uma cópia do seu trabalho na versão impressa. do “Formulário de autorização para disponibilização de Trabalhos de Conclusão de Curso de Graduação ou Pós-Graduação Lato Sensu para livre acesso na internet”. autorizando ou não a disponibilização do trabalho na íntegra para livre acesso de seu conteúdo na internet. devese adotar os seguintes procedimentos para a entrega dos trabalhos: a) após aprovação da banca examinadora e realização das correções propostas.10 3 ORIENTAÇÕES QUANTO À ENTREGA DOS TRABALHOS ACADÊMICOS As Bibliotecas da UNIVALE são responsáveis pelo tratamento. guarda e divulgação da produção intelectual da comunidade acadêmica. porém. c) o orientador encaminhará o CD-ROM e o Formulário do item b à Coordenação do Curso. Diante disso. No caso das Teses e Dissertações dos Programas de Pós-graduação Stricto Sensu da UNIVALE. disponível também no endereço mencionado acima. e preenchê-lo corretamente com os dados dos autores e orientador. também disponível no endereço eletrônico já mencionado.br/sites/biblioteca/orientacoes_entrega_trabalho. . e o encaminhará à Biblioteca acompanhado do CD-ROM e do “Formulário de autorização para disponibilização de Trabalhos de Conclusão de Curso de Graduação ou Pós-Graduação Lato Sensu para livre acesso na internet”.univale. o formulário a ser preenchido será o “Termo de consentimento para disponibilização de Tese ou Dissertação dos Programas de PósGraduação Stricto Sensu para livre acesso na internet”. os alunos deverão gravar uma cópia da versão final do trabalho em CD-ROM em um ÚNICO ARQUIVO no formato PDF. essa deverá ser entregue encadernada com capa dura (não será aceita em espiral). o procedimento da entrega dos trabalhos será o mesmo descrito acima. b) fazer um download no site da Biblioteca.

etc.br/sites/biblioteca/orientacoes_entrega_trabalho. produção técnica.univale. As demais produções intelectuais dos docentes como os livros. em CD-ROM em um ÚNICO ARQUIVO. produção artística. disponível também no endereço acima mencionado. Se for escolhida a versão impressa para ser entregue. no formato PDF. O formato para entrega desses trabalhos deverá ser preferencialmente na versão eletrônica. ela deve ser encadernada com capa dura (não será aceita em espiral).. .11 As teses e dissertações produzidas pelo docente da UNIVALE em outras IES deverão ser entregues na Biblioteca. trabalhos apresentados em eventos. deverão ser encaminhadas à Biblioteca juntamente com o “Formulário para entrega de Produção Intelectual do Docente”. artigos de periódicos. acompanhada do “Termo de consentimento para disponibilização de Tese ou Dissertação”. disponível no endereço: http://www.

A NBR 14724/2005 . paginação e legendas das ilustrações e tabelas. 4. em tamanho 12 para o texto e 10 para citações diretas de mais de três linhas. diagramação e tipo. 4. podendo utilizar outras cores somente para as ilustrações.7 cm) e impressos na cor preta. descritas a seguir. define as regras para apresentação dos trabalhos acadêmicos. notas de rodapé. já que alguns tópicos ficam a critério do autor. apresentação gráfica.1 PAPEL E FONTE Os textos devem ser apresentados em papel branco. contendo entre outros aspectos.12 4 FORMATO DE APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS O formato de apresentação dos trabalhos acadêmicos é o modo de organização física e visual.Trabalhos acadêmicos: apresentação. estrutura. Deve-se ter a preocupação constante em manter uma padronização na apresentação gráfica do trabalho como um todo. Deve-se utilizar fonte Times New Roman ou Arial.2 MARGENS As folhas devem apresentar margem esquerda e superior de 3 cm e direita e inferior de 2 cm. . formato A4 (21 cm x 29.

a ficha catalográfica. a enumeração destes poderá figurar em espaçamento simples na capa. As referências. de acordo com a NBR14724/2005. Atendendo à solicitação da Câmera de Ensino.Margens Fonte: Os organizadores 4. Os títulos das subseções (divisões do capítulo) devem ser separados do texto que os precedem e que os sucedem por dois espaços de 1.3 ESPACEJAMENTO O texto deverá ser justificado.5. Os títulos das seções (capítulos) devem ser separados do texto que os sucedem por dois espaços de 1.5. Pesquisa e Extensão do CONSEPE. nos casos em que os trabalhos acadêmicos forem elaborados por mais de três autores.13 Modelo: Figura 1 . folha de rosto e na folha de aprovação. o nome da instituição a que é submetida e a área de concentração devem ser digitados em espaço simples. o objetivo. . ao final do trabalho.5. Este procedimento deverá ser adotado somente quando não for possível arranjar todos os nomes dos componentes do trabalho. a natureza do trabalho.5 entre linhas. utilizando espaçamento 1. as legendas das ilustrações e tabelas. com espaço de 1. As citações diretas de mais de três linhas. as referências. as notas de rodapé. devem ser separadas entre si por dois espaços simples.

As normas da ABNT NBR 6022/2003. NBR 14724/2005 e NBR 15287/2005. Recomendamos neste Manual o uso do parágrafo tradicional. ficando. por ser mais formal. utilizando fonte tamanho 10.4 PARÁGRAFOS São utilizados atualmente dois tipos de parágrafos: o parágrafo moderno.5 NOTAS As notas de rodapé são inseridas na margem inferior da mesma página onde foi feita sua chamada numérica.14 4. 4. definido pelo autor. abaixo da primeira letra da primeira palavra e sem espaço entre elas. não estabelecem padrões para a apresentação dos parágrafos. que adota a mesma margem esquerda para todo o texto. portanto a critério do(s) autor(es) a escolha do tipo de parágrafo a ser utilizado. . Devem ser alinhadas a partir da segunda linha. separadas do texto por um traço contínuo de 3 cm e digitadas em espaço simples. que adota um recuo da margem esquerda. destacando-se os parágrafos pelo espaçamento duplo entre eles. o parágrafo tradicional. . na primeira linha e é preferido por muitos autores para os documentos técnicos. com recuo de 1. na mesma nota.25 cm (padrão do Word) a partir da margem esquerda.

Figura 2 – Notas de rodapé Fonte: Os organizadores 4. referências. de símbolos. porém. São diferentes. Estas duas diferenças estão relacionadas uma com a outra. sumário. secundários e terciários conforme o átomo de carbono portador do elétron não emparelhado. apêndices. digitados em negrito e em letras maiúsculas. agradecimentos. de siglas. em dois aspéctos: ambas principiam com o mesmo alcano (o propano) e ambas levam a um radial alquila e um átomo de hidrogênio. de tabelas.15 Modelo: 14 2 AS ENERGIAS DE DISSOCIAÇÃO HEMOLÍTICA As reações são semelhantes. .6 TÍTULOS NÃO NUMERADOS Os títulos: errata. glossário. abstract. lista de ilustrações. na quantidade de energia que envolvem e no tipo de radical alquila que se forma . resumo. anexos e índices devem ser centralizados sem numeração. uma à outra. 1 _______________ ¹ Os radicais alquila se classificam em primários.

Segundo a NBR 6024/2003 – Numeração progressiva das seções de um documento escrito: apresentação. Para as seções não numeradas.7 TÍTULOS NUMERADOS E NUMERAÇÃO PROGRESSIVA Deve-se adotar uma numeração progressiva para evidenciar a sistematização do conteúdo do trabalho. lê-se um cinco um. deve-se limitar a numeração progressiva (subdivisão de seções) até a seção quinária. Figura 3 – Títulos não numerados Fonte: Os organizadores 4. ou seja.1. Todas as seções devem conter um texto relacionado a elas e não se deve utilizar “ponto. A todos que. Marina de Souza pela dedicação e paciência.5) Agradeço à minha orientadora Profa. os pontos não devem ser pronunciados. Em 1. deve-se seguir o formato de apresentação das seções primárias (negrito e maiúsculo). hífen. até cinco subseções. de alguma forma contribuíram para que este trabalho fosse possível.5.16 Modelo: AGRADECIMENTOS (2 espaços de 1. . Aos meus familiares pela paciência e carinho. Na leitura oral. travessão ou qualquer sinal após o indicativo de seção ou de seu título”. centralizando-as.

separado por um espaço (equivalente a um caractere) e estar alinhado à margem esquerda. terciárias. devem ser iniciados em folha própria e digitados todos em letras maiúsculas e negrito. na mesma fonte. caixa alta. As seções terciárias dever ser digitadas com a primeira letra maiúscula. de acordo com a subdivisão necessária. devem ser empregados de forma idêntica no texto e no sumário. etc. com negrito) Título (Inicial maiúsculo.1 1.1.17 Os recursos utilizados nos títulos das seções. em tamanho 12. Os subcapítulos ou seções secundárias devem ser digitados usando todas as letras maiúsculas e sem o negrito. seguindo a regra da língua portuguesa e usando negrito para destacá-las. alinhados à margem esquerda. sem negrito) Título (Inicial maiúsculo. como negrito. com a primeira letra maiúscula e sem nenhuma forma de destaque.1.1.1 Indicativo numérico Apresentação TÍTULO (NEGRITO E MAIÚSCULO) TÍTULO (MAIÚSCULO SEM NEGRITO) Título (Inicial maiúsculo. portanto. adicionado do número de cada parte. Os capítulos ou seções primárias são as divisões principais de um texto.1 1.1.1. Os indicativos das seções secundárias.1 1. Modelo: Seção Primária Secundária Terciária Quaternária Quinaria 1 1. como mostra o Quadro 1 apresentado neste capítulo. estando ambos separados por ponto. As seções quaternárias e quinárias devem ser digitadas normalmente. sem negrito) Quadro 1 – Apresentação das seções Fonte: Os organizadores O número do capítulo (seção) e subcapítulo (subseção) deve preceder o título.1. . quaternárias e quinárias serão formados pelo número do capítulo.

Deve-se utilizar fonte Times New Roman ou Arial. em tamanho 10 e deve constar no canto superior direito da folha. . começando pela folha de rosto.8 PAGINAÇÃO Todas as folhas do trabalho devem ser contadas sequencialmente. 2. estrutura. diagramação e tipo. as suas folhas devem ser numeradas de maneira contínua e sua paginação deve dar seguimento à do texto principal. podendo utilizar outras cores somente para as ilustrações. contendo entre outros aspectos. paginação e legendas das ilustrações e tabelas. a 2 cm da borda superior direita. Havendo apêndice e anexo. formato.1 PAPEL E FONTE Os textos devem ser apresentados em papel branco. Figura 4 – Títulos numerados Fonte: Os organizadores 4. formato A4 (21 cm x 29.18 Modelo de títulos numerados: 18 2 FORMATO DE APRESENTAÇÃO DO TRABALHO O formato de apresentação do trabalho é o modo de organização física e visual.7 cm) e impressos na cor preta. notas de rodapé. mas a numeração deve ser colocada somente a partir da primeira folha textual (Introdução). tamanho 12 para o texto e 10 para citações de mais de três linhas. A paginação deve ser feita em algarismos arábicos.

e) devem ser ordenadas alfabeticamente.).3 Elementos pós-textuais São elementos complementares que irão figurar após o texto.19 Modelo: 67 7. b) todo o texto das alíneas deve ser justificado.3. d) o texto começa em letra minúscula e termina em ponto e vírgula (. glossário. exceto a última que termina em ponto (.9 ALÍNEAS Alínea é “cada uma das subdivisões de um documento. Figura 5 – Paginação Fonte: Os organizadores 4.3. .3. Usam-se alíneas para enumerar os diversos tópicos de uma seção. 7. resumo em língua estrangeira.25 cm. c) o texto que as antecede deve terminar em dois pontos (:).1 Título e subtítulo em língua estrangeira Título e subtítulo (se houver) em língua estrangeira devem ser separados por dois pontos e precedem o resumo em língua estrangeira. apêndices e/ou anexos. A disposição gráfica das alíneas obedece às seguintes normas: a) devem ter um recuo de 1. São elementos pós-textuais: título e subtítulo em língua estrangeira. palavras-chave em língua estrangeira. Devem ser formatados em negrito e centralizados. notas explicativas. que tenha conteúdo pouco extenso ou que não possua título. indicada por uma letra minúscula e seguida de parênteses” (NBR 6024/ 2003).). referências.

).o hífen é colocado abaixo da primeira letra do texto da própria alínea. b) todo o texto das alíneas deve ser justificado. pode-se usar subalíneas. exceto a última que termina em ponto (. . c) o texto que as antecede deve terminar em dois pontos (:).as frases das subalíneas se iniciam com um hífen e letra minúscula.). g) quando necessário.o texto que antecede as subalíneas deve ser terminado com dois pontos(:). f) a segunda e as próximas linhas do texto da alínea começam sob a primeira linha do texto da própria alínea. . sendo pontuadas com vírgula (. A disposição gráfica das alíneas obedece às seguintes normas: a) devem ter um recuo de 1. .o texto que antecede as subalíneas deve ser terminado com dois pontos(:).as frases das subalíneas se iniciam com um hífen e letra minúscula. g) quando necessário. d) o texto começa em letra minúscula e termina em ponto e vírgula (. Modelo: 21 4. e) devem ser ordenadas alfabeticamente. pode-se usar sub-alíneas. . .as linhas seguintes do texto da subalínea começam sob a primeira letra do próprio texto. . que tenha conteúdo pouco extenso ou que não possua título.as linhas seguintes do texto da subalínea começam sob a primeira letra do próprio texto. de acordo com as seguintes regras: .o hífen é colocado abaixo da primeira letra do texto da própria alínea.) ao final. sendo pontuadas com vírgula (.) ao final. Figura 6 – Alíneas .8 Alíneas Usam-se alíneas para enumerar os diversos tópicos de uma seção. de acordo com as seguintes regras: .20 f) a segunda e as próximas linhas do texto da alínea começam sob a primeira letra do texto da própria alínea.25 cm.

apenas com a inicial maiúscula.10 ILUSTRAÇÕES E TABELAS Consideram-se ilustrações: quadros. Quando as ilustrações forem em um tamanho maior ou em grande número.5. gráficos. mapas. . independente da numeração dos capítulos ou paginação. da fonte e legenda deve ser em tamanho 10. sem negrito. Sua citação pode fazer parte do texto. Exemplo: A figura 7 mostra o espaço destinado aos usuários na Biblioteca Central. As ilustrações. os dados sobre a fonte (autor e data) devem ser citados e devem constar na listagem das referências ao final do trabalho (ver item 8. seguidos de seu número de ordem em algarismos arábicos e hífen. plantas. precedidos da palavra designativa. que é um texto explicativo e deve ser colocado logo abaixo do título da ilustração. fotografias.21 Fonte: Os organizadores 4. aconselha-se seu agrupamento como anexos no final do trabalho. A ilustração e seu título devem ser centralizados e separados um do outro por um espaço de 1. O título não deve ultrapassar os limites da figura. ou localizar-se entre parêntese no final da frase. quando necessário. podem vir acompanhadas de legenda. desenhos. Esta numeração ocorre em sequência própria. As ilustrações devem ser inseridas o mais próximo possível do texto a que se referem. A letra do título. fluxogramas e outros (NBR 14724/2005). Quando a ilustração é oriunda de uma publicação. Quaisquer dessas ilustrações devem ter título e fonte identificados na parte inferior. Citação). em espaçamento simples. Ou Espaço destinado aos usuários na Biblioteca Central (figura 7).

as laterais não devem ser fechadas. Deve ainda apresentar o título na parte superior com indicação da natureza dos dados apresentados. Devem ser numeradas sequencialmente em todo o trabalho.22 Modelo: 22 Figura 7 – Biblioteca Central da UNIVALE Fonte: Foto de José da Silva Figura 7 – Ilustração Fonte: Os organizadores As tabelas apresentam informações tratadas estatisticamente. O título e a fonte devem ser grafados utilizando fonte tamanho 10 e devem ser alinhados à esquerda. . Na apresentação das tabelas. a segunda e as próximas devem iniciar abaixo da primeira letra do próprio título. centro e rodapé. conforme as normas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). com algarismos arábicos e precedidos da palavra Tabela. restringindo-se o uso de linhas apenas para a separação do topo. bem como sua abrangência geográfica e temporal. Quando o título contiver mais de uma linha.

Modelo: Figura 8 – Tabela Fonte: Os organizadores .23 Na parte inferior da tabela devem ser colocadas: a fonte de onde foi extraída e algumas notas que o autor julgar necessárias (nota de fonte. nota geral ou nota referente a uma parte específica da tabela).

sob a coordenação de um professor orientador. Artigo Científico. A NBR 14724/2005 determina as regras para normalização da estrutura dos trabalhos acadêmicos. que compreende: elementos pré-textuais. Especialização e/ou aperfeiçoamento (Trabalho experimental ou não experimental). além da capacidade de interpretação e crítica científica.24 5 ESTRUTURA DOS TRABALHOS ACADÊMICOS Trabalhos acadêmicos são textos dissertativos que representam o resultado de estudo e pesquisa. a capacidade investigativa e produtiva do aluno. . Trabalho de Curso/TC. 006/2009 da UNIVALE será considerado Trabalho de Conclusão de Curso: Trabalho Monográfico de Graduação. elementos textuais e pós-textuais. apresentados conforme o quadro a seguir. devendo expressar conhecimento do assunto escolhido sobre um tema específico. De acordo com a Resolução CONSEPE: Nº. Tese. Dissertação. Projeto de Pesquisa (experimental ou não experimental). dentre outros a serem definidos pelo Colegiado de Curso.

discussão Conclusão Pós-textuais Referências (obrigatório) Glossário (opcional) Apêndice(s) (opcional) Anexo(s) (opcional) Índice (opcional) Quadro 2 – Estrutura do trabalho acadêmico Fonte: Os organizadores 5.25 ESTRUTURA Pré-textuais ELEMENTO Capa (obrigatório) Lombada (opcional) Folha de rosto (obrigatório) Errata (opcional) Folha de aprovação (obrigatório) Dedicatória(s) (opcional) Agradecimento(s) (opcional) Epígrafe (opcional) Resumo na língua vernácula (obrigatório) Resumo em língua estrangeira (obrigatório) Lista de ilustrações (opcional) Lista de tabelas (opcional) Listas de abreviaturas e siglas (opcional) Lista de símbolos (opcional) Sumário (obrigatório) Textuais Introdução Desenvolvimento: .metodologia .revisão da literatura . apresentando informações que ajudam a identificar e utilizar o trabalho acadêmico.resultados .1 ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS São os elementos que antecedem o texto. .

e) local (cidade) da instituição onde o trabalho deve ser apresentado. b) nome do(s) autor(es). d) subtítulo. se houver. Modelo: UNIVERSIDADE VALE DO RIO DOCE FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS CURSO DE PSICOLOGIA José Antônio da Silva O LÍDER NA GESTÃO DE PESSOAS: a evolução do profissional Governador Valadares 2006 Figura 9 – Capa Fonte: Os organizadores . deve evidenciar sua subordinação ao título principal. onde os dados são transcritos na seguinte ordem: a) nome da instituição e subordinações. c) título do trabalho.26 5. f) ano da apresentação do trabalho.1 Capa (elemento obrigatório) A capa é a proteção externa do trabalho.1.

27 5. coladas ou mantidas juntas de outra maneira. b) título do trabalho abreviado quando necessário e impresso da mesma forma que o nome do autor.1 Lombada (elemento opcional) Lombada é a parte da capa que reúne as margens internas ou dobras das folhas. Deve seguir as regras estabelecidas na NBR 12225/2004 – Lombada: apresentação. utilizando o mesmo tipo de letra para o autor e o título. também chamada de dorso. Modelo: Figura 10 – Lombada Fonte: Os organizadores 5. . c) ano da apresentação.1. ou descendente (de cima para baixo). Devem aparecer na seguinte ordem: a) nome do(s) autor(es).1. que deve conter os elementos essenciais que identifiquem a publicação. As informações devem ser impressas na seguinte ordem: a) nome do autor impresso horizontalmente (da esquerda para a direita) possibilitando a leitura quando o trabalho está no sentido horizontal.2 Folha de rosto (elemento obrigatório) Folha de abertura. sejam elas costuradas. com a face voltada para cima.1.

apresentada à Faculdade de Ciências Humanas e Sociais da Universidade Vale do Rio Doce. e) nome completo do orientador e. dissertação. identificando o seu conteúdo e possibilitando a indexação e recuperação da informação. f) local (cidade) da instituição onde deve ser apresentado.28 b) título principal do trabalho: deve ser claro e preciso. Modelo: JOSÉ ANTÔNIO DA SILVA O LÍDER NA GESTÃO DE PESSOAS: a evolução do profissional Monografia para obtenção do grau de bacharel em Psicologia. se houver. se houver. precedido de dois-pontos. g) ano da apresentação do trabalho. do co-orientador. d) natureza do trabalho (tese. Orientador: João Batista Costa Governador Valadares 2006 Figura 11 . objetivo (aprovação em disciplina. deve ser claro e evidenciar a sua subordinação ao título principal. grau pretendido e outros). Esses devem figurar em espaçamento simples e ter seu alinhamento do meio da mancha para a margem direita. trabalho de conclusão de curso e outros).Folha de rosto Fonte: Os organizadores . c) subtítulo. nome da instituição a que é submetido e área de concentração.

III. . Esta ficha deverá ser elaborada por um bibliotecário.2. Governador Valadares. Meio ambiente – Estudo e ensino. 1.5 x 12.1.29 5.5 cm e deve ser digitada com espaço simples.3 Errata (elemento opcional) Constitui uma lista de erros detectados no trabalho após a sua impressão. Ramos. esta deverá ser realizada antes da encadernação definitiva. Educação ambiental : tendências e interpretação da realidade / Marcela Freitas Souza Campos.Universidade Vale do Rio Doce. Educação e Letras.1 Folha de rosto (verso) Apenas para dissertações e teses é recomendada a inclusão de ficha catalográfica. Dissertação (mestrado) -. Se houver possibilidade de correção. CDD 372. medindo 7.1.2005. MG. Faculdade de Ciências. 2005. Universidade Vale do Rio Doce. conforme as regras estabelecidas no Código de Catalogação Anglo-Americano. -. II. Paulo Bastos. A errata não deve ser encadernada com o trabalho. Modelo: Campos.357 Figura 12 – Ficha catalográfica Fonte: Os organizadores 5. I. 287 f. colocada no verso da folha de rosto. Marcela Freitas Souza. 2. Título. Orientador: Paulo Bastos Ramos. Educação ambiental.

instituição a que pertence e assinatura do professor orientador. d) natureza do trabalho (tese. Deve conter os seguintes elementos: a) nome do(s) autor(es). se houver. e) cidade e data de aprovação. trabalho de conclusão de curso e outros).4 Folha de aprovação (elemento obrigatório) A folha de aprovação é colocada logo após a folha de rosto. b) título do trabalho. grau pretendido e outros). c) subtítulo. . objetivo (aprovação em disciplina. dissertação. Contém a avaliação do trabalho do aluno. f) nome. titulação. Esses devem figurar em espaçamento simples e ter seu alinhamento do meio da mancha para a margem direita. nome da instituição a que é submetido e área de concentração. realizada pela banca examinadora.30 Modelo: ERRATA Folha 21 35 Linha 4 10 Onde se lê valo comunicção Leia-se valor comunicação Figura 13 – Errata Fonte: Os organizadores 5.1.

Dr. Banca Examinadora: __________________________________________ Prof. ___ de ____________ de _____. João Alencar .Orientador Universidade Vale do Rio Doce __________________________________________ Prof. Modelo: JOSÉ ANTÔNIO DA SILVA O LÍDER NA GESTÃO DE PESSOAS: a evolução do profissional Monografia apresentada como requisito para obtenção do grau de bacharel em Psicologia pela Faculdade de Ciências Humanas e Sociais da Universidade Vale do Rio Doce Governador Valadares. instituição a que pertencem e assinatura dos outros membros da banca examinadora. Observação: a data de aprovação e as assinaturas dos membros componentes da banca examinadora devem ser colocadas após a aprovação do trabalho. titulação.31 g) nome. Carlos Batista Universidade Federal de Minas Gerais __________________________________________ Prof. Mauro José Cardoso Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais Figura 14 – Folha de aprovação Fonte: Os organizadores . Dr. Dr.

1. com a palavra AGRADECIMENTO(S) centralizada no alto da folha. sem título na parte superior. filhos e amigos pelo incentivo e apoio na realização deste trabalho. Deve ser impressa em folha distinta. Figura 15 – Dedicatória Fonte: Os organizadores 5. é a manifestação de gratidão do autor às pessoas ou às instituições que contribuíram para o desenvolvimento do trabalho.5 entre linhas. utilizando fonte tamanho 12 e espaço de 1. Modelo: Dedico a meus pais. é a homenagem que o autor presta a uma ou mais pessoas.1. . Deve(m) ser colocado(s) em folha distinta. esposa.6 Agradecimento(s) (elemento opcional) Colocado(s) após a dedicatória.32 5. utilizando fonte tamanho 12 e espaço de 1.5 Dedicatória(s) (elemento opcional) Elemento colocado após a folha de aprovação.5 entre linhas.

no final do trabalho. Marina de Souza pela dedicação e paciência. relacionado ao tema do trabalho.7 Epígrafe (elemento opcional) É a citação de um pensamento retirado de um livro.1. destacado entre aspas e seguida da indicação de autoria. de alguma forma contribuíram para que este trabalho fosse possível. Deve ser impressa em folha distinta. Agradeço à minha orientadora Profa. A todos que. cuja referência deve constar na lista de Referências.5) Agradeço primeiramente a Deus pela luz e força nesta longa caminhada. um poema. . Figura 16 – Agradecimento(s) Fonte: Os organizadores 5. Aos meus familiares pela paciência e carinho. sem título na parte superior. uma música.5 entre linhas. com o texto colocado à direita na parte inferior da folha. utilizando fonte tamanho 12 e espaço de 1.33 Modelo: AGRADECIMENTO(S) (2 espaços de 1.

engajam as pessoas comunicandolhes essa visão e inspirando-as a superar os obstáculos”. . Robbins Figura 17 . depois. as palavras-chave. Deve-se usar o verbo na voz ativa e na terceira pessoa do singular. Abaixo do resumo devem constar as palavras representativas do conteúdo do trabalho. separadas entre si por ponto e finalizadas também por ponto. isto é. O resumo deve possuir no mínimo 150 e no máximo 500 palavras. É constituído de uma sequência de frases objetivas e não de uma simples enumeração de tópicos.34 Modelo: “Os líderes estabelecem direções através do desenvolvimento de uma visão do futuro. iniciadas por letra maiúscula.8 Resumo na língua vernácula (elemento obrigatório) O resumo na língua vernácula ou original é a apresentação concisa dos pontos relevantes do trabalho.Epígrafe Fonte: Os organizadores 5.Resumo: apresentação.1. Deve ser redigido de maneira que o leitor possa identificar o conteúdo do trabalho. conforme a NBR 6028/2003 .

Resumo acadêmico. em francês résumé. Resumo acadêmico. Resumo acadêmico.5) Resumo do trabalho acadêmico. Resumo do trabalho acadêmico. Figura 18 – Resumo na língua vernácula Fonte: Os organizadores 5. do trabalho Resumo do acadêmico. Resumo do trabalho acadêmico. Resumo do trabalho Resumo do trabalho acadêmico. do trabalho Resumo do acadêmico.35 Deve ser impresso em folha distinta com o título RESUMO centralizado ao alto. em espanhol resumen. Resumo do trabalho Resumo do trabalho acadêmico. do trabalho Resumo do acadêmico.9 Resumo em língua estrangeira (elemento obrigatório) É a versão do resumo em idioma de divulgação internacional. trabalho acadêmico. sem recuo e com espaçamento simples. Resumo acadêmico. Resumo do trabalho Resumo do trabalho acadêmico. Modelo: RESUMO (2 espaços de 1. apresentado em parágrafo único. Resumo do trabalho acadêmico. do trabalho Resumo do acadêmico. Em inglês abstract. Palavras-chave. Resumo do trabalho acadêmico. trabalho acadêmico.1. Resumo acadêmico. do trabalho Palavras-chave: Palavras-chave. Resumo do trabalho Resumo do trabalho acadêmico. Deve ser a tradução literal do resumo em português e apresentar palavras-chave logo abaixo do texto. trabalho acadêmico. trabalho acadêmico. .

. mapas. onde devem constar o número. mapas. Versão do resumo em outro idioma. fotografias.36 Modelo: ABSTRACT (2 espaços de 1. Versão do resumo em outro idioma. Deve ser elaborada de acordo com a ordem apresentada no texto. Keyword. Caso haja mais de um tipo de ilustração (quadros. Versão do resumo em outro idioma. Keyword. Versão do resumo em outro idioma. quadros. Versão do resumo em outro idioma. organogramas.) pode-se optar por apresentar uma lista para cada tipo. Versão do resumo em outro idioma. Versão do resumo em outro idioma. gráficos. o título e a página.10 Lista de ilustrações (elemento opcional) A lista de ilustrações é um sumário das ilustrações que aparecem no texto (desenhos. Versão do resumo em outro idioma. por tipo de ilustração.5) Versão do resumo em outro idioma. Versão do resumo em outro idioma. imagens. fluxogramas. gravuras. Versão do resumo em outro idioma. etc. plantas e outros). devem aparecer na lista em ordem alfabética. Versão do resumo em outro idioma. Versão do resumo em outro idioma. esquemas. Versão do resumo em outro idioma. Versão do resumo em outro idioma. Versão do resumo em outro idioma. ou lista única para todas. Keywords: Keyword. Versão do resumo em outro idioma. Figura 19 – Resumo em língua estrangeira Fonte: Os organizadores 5.1. fotografias. No segundo caso. Versão do resumo em outro idioma. Versão do resumo em outro idioma. Versão do resumo em outro idioma.

................. acompanhadas do respectivo número da página..............37 Modelos: LISTA DE ILUSTRAÇÕES LISTA DE ILUSTRAÇÕES (2 espaços de 1.5) Figura 1 ......... 52 Mapa 1 – Cidade do Rio de Janeiro ..... 85 Figura 20 – Listas de ilustrações Fonte: Os organizadores 5........... 52 Figura 1 .......... 44 Figura 3 ................Morro de Copacabana (RJ) ...Estado do Rio de Janeiro . 44 Figura 3 ... relacionadas de acordo com a ordem em que aparecem no texto.... 73 Quadro 2 – Distribuição da renda ........Aterro do Flamengo (RJ) .............11 Lista de tabelas (elemento opcional) Sumário das tabelas. 23 Figura 2 ....................Morro de Copacabana (RJ) ....5) (2 espaços de 1.....Praia de Ipanema (RJ) ...............Praia de Ipanema (RJ) .. 56 Mapa 2 ............ 23 Figura 2 .Aterro do Flamengo (RJ) ...... 61 Quadro 1 – Crescimento populacional . ..1....

..: Coordenador (Coord. Deve-se evitar ao máximo a utilização de abreviaturas e siglas.Distribuição da População... No texto devem ser citadas primeiramente por extenso...12 Lista de abreviaturas e siglas (elemento opcional) Relação alfabética das abreviaturas e siglas utilizadas no texto....PIB – 1970/1990... Ex. Ex......)... Caso necessário consulte normas e dicionários para verificar a forma correta para abreviar as palavras..... seguidas da sigla entre parênteses....38 Modelo: LISTA DE TABELAS Tabela 1 . por extenso...... etc.. Na lista: IML – Instituto Médico Legal. 44 Tabela 3 . Editor (Ed..... ......: Instituto Médico Legal (IML).. Organizador (Org. 23 Tabela 2 . seguidas do seu significado.......).).Crescimento Populacional.1.. 52 Figura 21 – Lista de tabelas Fonte: Os organizadores 5.

.Organizador Figura 22 – Lista de abreviaturas Fonte: Os organizadores LISTA DE SIGLAS ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas FGV – Fundação Getúlio Vargas IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística Figura 23 – Lista de siglas Fonte: Os organizadores .Editor Ex.Exemplo Org. .39 Modelos: LISTA DE ABREVIATURAS Ed. .

seções e partes que compõem o trabalho. O sumário é o último elemento pré-textual.Sumário: apresentação: . Modelo: LISTA DE SÍMBOLOS ® @ $ %   Marca registrada Arroba Dinheiro Porcentagem Feliz Triste Figura 24 – Lista de símbolos Fonte: Os organizadores 5. na mesma ordem e grafia em que aparecem no texto. com os respectivos significados.1.13 Lista de símbolos (elemento opcional) Deve ser elaborada de acordo com a ordem que os símbolos aparecem no texto. seguidos do respectivo número da página. localizado antes da introdução e deve estar de acordo com as seguintes regras da NBR 6027/2003 .1.40 5.14 Sumário (elemento obrigatório) Enumeração dos capítulos.

7). o título SUMÁRIO deve ser centralizado no alto da página. hífen. e) os indicativos das seções que compõem o sumário devem ser alinhados à esquerda. travessão ou qualquer sinal após o indicativo de seção ou de seu título. deve ser escrito em letras maiúsculas e em negrito. d) deve ser empregada a numeração progressiva. com a mesma fonte utilizada para os títulos das seções primárias. portanto. As listas e resumos não são considerados capítulos e. f) não se utiliza ponto. não são numerados.41 a) impresso em folha distinta. limitada até a seção quinária. g) o sumário não deve ser confundido com índice ou lista. ou seja. . c) os elementos pré-textuais não devem constar no sumário. utilizando somente algarismos arábicos. separados do título por um espaço. b) a subordinação dos itens do sumário deve ser destacada pela apresentação tipográfica utilizada no texto. conforme a NBR 6024/2003 (ver item 4.

..............1 Seção Terciária ..........................................1.........................................................1.............1 Seção Terciária ..................................................... xx ANEXOS ..........................1................ xx 3....... xx 4..................... xx 2...................1.......................1 Seção quinária ............. xx 4............................................ xx REFERÊNCIAS .............................................................................1................................................................................................................................................1 Seção quaternária ............1 SEÇÃO SECUNDÁRIA ...................................................................... .................. xx 5...........1 SEÇÃO SECUNDÁRIA ..1 Seção Terciária ............................................1 Seção Terciária .................... xx 3.....................1...........................................1................ xx Figura 25 – Sumário Fonte: Os organizadores ..... xx 2 SEÇÃO PRIMÁRIA ................................. xx 4.1................................................................................................. xx 2.......1.............................................1 SEÇÃO SECUNDÁRIA ...................... xx 5........... xx 6 CONCLUSÃO ................................................................................................ xx 2............................... xx 5........1..............................................1 Seção quaternária ............1.......1 Seção quaternária ....... xx 5 SEÇÃO PRIMÁRIA ................................................1............................... xx 4 SEÇÃO PRIMÁRIA ................................1......................................................................1 Seção quaternária ................................. xx 3 SEÇÃO PRIMÁRIA ...1..1.....................1...........................1................................xx 2..........................1 Seção quinária ...........42 Modelos: SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO ......... xx 5.............................1...........................................................................................1 SEÇÃO SECUNDÁRIA ................... xx 3...... xx APÊNDICE .......................................

....................... xx REFERÊNCIAS ................................................................. .................................................1 CONCEITUAÇÃO E CARACTERÍSTICAS......... 006/2009 UNIVALE.....2 ELEMENTOS TEXTUAIS Constituídos de três partes fundamentais: introdução......................... xx 4....... xx 3.................................................................................1 CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL.........................2 CLASSIFICAÇÃO.... xx Figura 26 – Sumário Fonte: Os organizadores 5......................... xx APÊNDICE .... xx ANEXOS ................2 CONCEITO.................................................................................. xx 4...........1 Do fundamento legal......................................................................xx 4 O CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS EDUCACIONAIS.............. xx 2....... desenvolvimento e conclusão..............................2 LEI DE DIRETRIZES E BASES DA EDUCAÇÃO NACIONAL................................................43 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO . xx 5 CONCLUSÃO .................... xx 4.................................... é o corpo do trabalho e segundo a Resolução CONSEPE: Nº.. xx 3 O CONTRATO DE TRABALHO.......................................1 EVOLUÇÃO............................... os elementos textuais devem possuir o mínimo e o máximo de páginas definidos pelo Colegiado de Curso.................................................................................................................................. xx 2 A EDUCAÇÃO NO BRASIL SEGUNDO A LEGISLAÇÃO VIGENTE.......2............... xx 3.....xx 2........................

a partir de uma amostra trazer ao usuário itens similares a esta amostra e de interesse do usuário de forma satisfatória. resultados e discussão. organização e compartilhamento de vídeos digitais. ainda não temos ferramentas adequadas para. Figura 27 – Introdução Fonte: Os organizadores 5. justificativa e outros elementos que o autor julgar necessários para situar o tema do trabalho. reprodução.2 Desenvolvimento Parte principal do texto. que contém a exposição ordenada e pormenorizada do assunto tratado. objetivos da pesquisa.44 5. Modelo: 9 1 INTRODUÇÃO Computadores mais rápidos e baratos.2. dividindo-se em seções e subseções.1 Introdução Deve conter a delimitação do assunto abordado. que variam em função da abordagem do tema e do método escolhido. conexões mais rápidas com a Internet e serviços que propiciam o compartilhamento de informações são alguns fatores que têm sido o combustível para a alta demanda de soluções que permitam a edição. dispositivos com alta capacidade de armazenamento. metodologia. como por exemplo. O problema da indexação de vídeos consiste em que apesar da grande quantidade de vídeos e imagens em forma digital disponíveis atualmente. a delimitação da pesquisa em relação ao campo e período abrangido e o relacionamento do trabalho com outros da mesma área.2. . Compreende a revisão da literatura.

apêndices. questionário. para citações em documentos (ver item 8). A metodologia é a descrição do método adotado (entrevista. mas começar diretamente com o primeiro tópico definido. observação. as estatísticas. podendo também apresentar sugestões de novas linhas de estudo. Aqui o autor pode dividir e definir os tópicos de acordo com a necessidade. com indicação dos autores. anexos e índice. quantificação. É na conclusão que o autor coloca as suas observações pessoais. 5.3 ELEMENTOS PÓS-TEXTUAIS São elementos complementares ao trabalho que devem estar. . características e 5. Nesta parte do texto não se deve apresentar citações ou interpretações de outros autores. sem interpretação pessoal. comparações com outros estudos e outras observações que o autor julgar necessárias. São elementos pós-textuais: referências. a população pesquisada. o que significam os resultados obtidos. vinculadas ao objetivo proposto. Sua estrutura depende do assunto abordado e do tipo de pesquisa. A discussão mostra a relação entre os fatos observados. conforme a norma NBR 10520/2002. glossário.2.3 Conclusão Parte final do texto. Sugerimos não colocar a palavra Desenvolvimento como tópico inicial dessa parte do trabalho. apresentadas até o momento da elaboração do texto. após o texto. experimentação).45 A revisão de literatura compõe-se da análise da evolução do tema e ideias de diferentes autores. Os resultados compreendem a apresentação sistemática dos dados obtidos. na qual se apresentam conclusões relativas aos resultados obtidos na pesquisa. como o próprio nome indica. O desenvolvimento não tem um padrão. Deve conter citações textuais ou livres.

Maurice. define referências como o conjunto padronizado de elementos descritivos que permite a identificação. 2. RAP. 2006. 40. Rio de Janeiro. Antonio Carlos. no todo ou em parte.php?codlink= 3&&codigogrupo=1>. periódicos. Métodos e técnicas de pesquisa social. MERLEAU-PONTY.Referências: elaboração.1 Referências (elemento obrigatório) A NBR 6023/2002 .pucpr. 1999. apresentando as obras consultadas e citadas no texto (ver item 10). 2.46 5. p. São Paulo: Martins Fontes. de documentos impressos ou registrados nos diversos suportes existentes. Nadia Ficht. 179-200. ed. v. São Paulo: Atlas. em espaço simples e separadas entre si por dois espaços simples. As referências devem ser apresentadas em uma única ordem alfabética. mar. Figura 28 – Referências Fonte: Os organizadores . independentemente do suporte físico (livros. 1999. Maurício. RICHARDT. Modelo: 78 REFERÊNCIAS GIL.3. Fenomenologia da percepção. SERVA. FERREIRA. Joel Lincoln Oliveira. alinhadas à esquerda. Acesso em: 20 de junho de 2006. Normas para trabalhos. 5. publicações eletrônicas ou materiais audiovisuais). n.br/template. Disponível em: <http://www. O fenômeno workaholic na gestão de empresas. ed.

Deve ser apresentado em ordem alfabética. Exemplos: APÊNDICE A – Questionário 01 . etc. que serve como complemento de sua argumentação. explanar. Digitalização – Datilografia em computador. Encadernação – Ação de juntar folhas em um livro. Interpretar – Explicar.: questionário aplicado. Cadastro – Lista. Ex. Os apêndices devem ser identificados por letras maiúsculas consecutivas.3 Apêndice(s) (elemento opcional) Documento auxiliar elaborado pelo autor.3. roteiro de entrevista.3. esclarecer. rol.47 5. Adjurar – Invocar por meio de juramento. acompanhadas de seu significado. travessão e seus respectivos títulos. Quando ultrapassar as 23 letras do alfabeto. inventário.2 Glossário (elemento opcional) Relação de palavras ou expressões técnicas utilizadas no texto. Modelo: 82 GLOSSÁRIO Ábaco – Tábua emoldurada e cheia de areia para cálculos. Período – Intervalo de tempo. Boletim – Pequeno escrito noticioso. Figura 29 – Glossário Fonte: Os organizadores 5. utilizar letras dobradas. Acalmia – Período de repouso momentâneo que se segue a outro de agitação.

A paginação deve ser contínua à do texto principal. folder institucional. APÊNDICE AA – Questionário 24 Na apresentação usar uma folha em branco com o cabeçalho APÊNDICE(S) centralizado. Os anexos são identificados por letras maiúsculas consecutivas..48 APÊNDICE B – Questionário 02 . Modelos: 105 106 APÊNDICE A – QUESTIONÁRIO 1) 2) 3) APÊNDICE(S) 4) Idade: _________ Sexo: ( )Feminino ( )Masculino Tempo de empresa: _________ Escolaridade: ( ( ( ( ( ( ) 1º Grau completo ) 1º Grau incompleto ) 2º Grau completo ) 2º Grau incompleto ) 3º Grau completo ) 3º Grau incompleto Figura 30 – Apêndice Fonte: Os organizadores 5. Na sequência.. que servem para fundamentar.. na mesma ordem em que foram citados no texto.4 Anexo(s) (elemento opcional) Os anexos são documentos auxiliares. relação de normas técnicas. travessão e pelos respectivos títulos.3. Exemplo: leis na íntegra. . inserir os apêndices ordenados e titulados. etc. não elaborados pelo autor. ilustrar e comprovar a argumentação do trabalho.

.3. Exemplos: ANEXO A – Lei de diretrizes e bases da educação nacional ANEXO B – Relação das normas da ABNT sobre documentação .49 A forma de apresentação é igual a do Apêndice.. item 5.3.. ANEXO AA – NBR 6027 de maio de 2003 Modelo: 110 ANEXO A – PROPAGANDA DA COCA-COLA EM 1964 Figura 31 – Anexo Fonte: Os organizadores .

50 5.. 30 Anexos. 59 Figura 32 – Índice Fonte: Os organizadores .3. Modelo: 111 ÍNDICE ALFABÉTICO A-C A Agradecimentos. etc. etc. nomes geográficos. que remetem às informações contidas no texto.5 Índice (elemento opcional) Índice é uma lista com entrada ordenada de nomes pessoais. 78 Artigo científico. 83 Apêndices. Deve ser elaborado conforme a NBR 6034/2004 – Índice: apresentação. 78 Artigo e/ou matéria de jornal. O índice deve constar no final do trabalho. 66 C Capa. 24 Capítulos de livros. assuntos. 67 Artigo e/ou matéria de revista. 83 Apresentação. com paginação consecutiva. boletim. entidades..

1 ESTRUTURA De acordo com a NBR 15287/2005 – Projeto de pesquisa: apresentação a estrutura do Projeto de Pesquisa compreende: elementos pré-textuais. para traçar um caminho a seguir durante a investigação. 6. tabelas.51 6 PROJETO DE PESQUISA É a descrição da estrutura da pesquisa a ser realizada. elementos textuais e pós-textuais. as atividades e estratégias a serem implementadas. onde o pesquisador deverá mostrar o que pretende investigar. siglas e símbolos) (opcional) Sumário (obrigatório) Textuais Introdução ou Apresentação (obrigatório) Objeto de pesquisa ou Problema de pesquisa (obrigatório) Objetivos (geral e específico) (obrigatório) Justificativa (obrigatório) Revisão bibliográfica (obrigatório) Metodologia (obrigatório) Cronograma (obrigatório) Recursos materiais (opcional) Pós-textuais Referências (obrigatório) Glossário (opcional) Apêndice(s) (opcional) Anexo(s) (opcional) Índice (opcional) Quadro 3 – Estrutura do projeto de pesquisa Fonte: Os organizadores . conforme quadro a seguir: ESTRUTURA Pré-textuais ELEMENTO Capa (opcional) Folha de rosto (obrigatório) Listas (ilustrações. abreviaturas.

52

6.1.1 Elementos pré-textuais

Constituídos dos seguintes elementos: a) capa (opcional); b) folha de rosto (obrigatório); c) listas (ilustrações, tabelas, abreviaturas, siglas e símbolos) (opcional); d) sumário (obrigatório).

Modelo da folha de rosto:

ANA MARIA DE SOUZA

O PERFIL POSTURAL DE CRIANÇAS EM IDADE ESCOLAR: um estudo dos participantes de um projeto social

Projeto de Pesquisa submetido ao Curso de Fisioterapia da Faculdade de Ciências da Saúde da Universidade Vale do Rio Doce, como requisito para obtenção do grau de bacharel em Fisioterapia.

Governador Valadares 2006

Figura 33 - Folha de rosto do Projeto de Pesquisa Fonte: Os organizadores

Todos esses elementos já foram descritos no item 5 deste manual, e têm a mesma forma de apresentação, com exceção para a folha de rosto, que no Projeto de Pesquisa não inclui o nome do Orientador.

53

6.1.2 Elementos textuais

Os elementos textuais obrigatórios de acordo com a Resolução CONSEPE: Nº. 006/2009 – UNIVALE devem ser constituídos de: introdução, objeto de pesquisa, objetivos, justificativa, revisão bibliográfica, metodologia e cronograma. A estruturação do texto em cada um dos tópicos acima mencionados deverá seguir os padrões demonstrados nos itens 4, 8 e 9 deste manual.

6.1.2.1 Introdução ou apresentação (elemento obrigatório)

É a parte inicial de formulação do projeto, que apresenta uma conceituação do tema ou objeto de estudo, fornecendo uma visão geral da pesquisa a ser realizada. Devem ser descritos os motivos teóricos e práticos que justificam a investigação, a conveniência e oportunidade da escolha do problema de pesquisa.

6.1.2.2 Objeto de pesquisa ou problema de pesquisa (elemento obrigatório)

É a pergunta inicial que determina a investigação. O pesquisador deve, a partir da delimitação do tema, formular uma questão, cujo trabalho de investigação procurará solucionar. Para a formulação de um problema de pesquisa o autor deverá dizer de maneira explícita, clara, compreensível e operacional, qual será a dificuldade enfrentada e o que se pretende resolver, limitando seu campo e apresentando suas principais características, tornando-o individualizado, específico e inconfundível. O problema deverá também ser suscetível de solução e afastado de valores morais. A escolha do problema deve levantar indagações que nortearão a pesquisa: a) o problema é relevante para justificar a pesquisa? b) é um problema original? c) o problema é adequado para o pesquisador?

54

d) a investigação é pertinente para a sua área? e) o pesquisador tem reais possibilidades para executar tal estudo? f) existem recursos financeiros para a investigação? g) o tempo será suficiente? h) há possibilidades reais de obtenção de dados e informações na quantidade e qualidade requeridas para a pesquisa?

6.1.2.3 Objetivos (geral e específico) (elemento obrigatório)

O objetivo indica e caracteriza o que se pretende com o desenvolvimento da pesquisa e quais os resultados esperados para contribuir na resolução do problema proposto. O pesquisador formula primeiramente um objetivo geral, indicando quais as metas pretende alcançar, numa visão global e abrangente. Os objetivos específicos são desdobramentos que dão suporte ao objetivo geral, ou seja, os tópicos que necessariamente deverão ser abordados para que seja satisfeito o objetivo geral.

6.1.2.4 Justificativa (elemento obrigatório)

Nessa etapa o pesquisador trata da relevância e oportunidade da pesquisa. É quando ele especifica os motivos de ordem teórica e prática que justificam seu trabalho e relaciona as contribuições esperadas dessa pesquisa para o conhecimento científico, para a sociedade e para a solução do problema em questão.

fundamentos. atualizado e oportuno possível.1. pesquisa bibliográfica.6 Metodologia (elemento obrigatório) Indicam-se nessa etapa os métodos e técnicas a serem adotados para a realização da pesquisa.2. As pesquisas experimentais podem ser: de campo. O pesquisador poderá fazer uma análise comentada sobre as ideias. 6. O levantamento ou revisão bibliográfica deve ser o mais completo.1.2. dentre outras. É o relato do que será desenvolvido. enfatizando os pontos convergentes e divergentes entre eles sobre o mesmo objeto de estudo. etc.5 Revisão bibliográfica (elemento obrigatório) É uma pequena revisão literária para fundamentar e embasar as ideias expostas a respeito do tema abordado e conhecer as proposições apresentadas por diversos autores em seus trabalhos. 6. os procedimentos a serem utilizados. de laboratório. As pesquisas descritivas podem ser: pesquisa de opinião.1. estudo de caso. inferências e conclusões dos autores selecionados. para que o autor da pesquisa desenvolva de forma satisfatória o tema abordado. pesquisa documental. . prevendo em um quadro explicativo o tempo despendido nas atividades. a natureza da pesquisa a ser desenvolvida e o tipo de pesquisa (descritiva ou experimental). mês a mês. período por período.7 Cronograma (elemento obrigatório) Estabelece o tempo necessário para o desenvolvimento de cada uma das etapas do trabalho de pesquisa.2. O autor deverá descrever as fases de realização da pesquisa.55 6.

8 Recursos materiais (elemento opcional) É a relação das despesas previstas no projeto de pesquisa. Out. equipamentos). encargos sociais. X X X X X X X X X X Quadro 4 . .56 Modelo: ETAPAS / MESES Entrega do Projeto Revisão da Literatura Análise dos dados coletados Capítulo 1 Capítulo 2 Capítulo 3 Capítulo 4 Conclusão e Introdução Revisão Entrega da Monografia Defesa Jul. Set.Cronograma Fonte: Os organizadores 6. etc. Nov. etc.1. Dez. móveis. publicação.). que podem ser agrupadas em categorias. tais como: a) gastos com pessoal (salários. X X X Ago.). Deve-se montar um quadro com a discriminação dessas despesas.2. c) despesas com serviços (transporte. xerox. b) gastos com materiais (material de consumo.

possuindo as mesmas regras gerais de apresentação do item 4.3 deste manual.57 6.3 Elementos pós-textuais Os elementos pós-textuais são os seguintes: a) referências (obrigatório). d) anexo(s) (opcional). c) apêndice(s) (opcional).1. e) Índice (s) (opcional) Elementos já descritos no item 5. . b) glossário (opcional).

a fim de fazer citações diretas com todas as informações completas. que apresentam novas ideias e opiniões acerca de questões atuais. 7. . técnicas. seu desenvolvimento e a avaliação dos resultados. que apresenta e discute ideias. assim como o número da página correspondente a cada uma.58 7 ARTIGO CIENTÍFICO De acordo com a NBR 6022/2003 – Artigo em publicação periódica científica impressa: apresentação. Todas as fontes utilizadas para fazer o trabalho devem ser referenciadas. Antes da leitura. Evitar o uso de textos não editados ou informações obtidas verbalmente. artigo científico é “parte de uma publicação com autoria declarada. Apresentam temas ou abordagens originais. c) estudos de casos. anotar as principais ideias do autor. A seguir. processos e resultados nas diversas áreas do conhecimento. Durante a leitura. Prefira sempre a utilização de textos originais. b) de revisão. mesmo que não estejam citadas no corpo do texto. quando reúnem as principais ideias e fatos de um determinado assunto publicado e estabelece relações entre eles.” Os artigos científicos podem ser: a) originais. experiências ou pesquisas. métodos. que apresentam os dados coletados. Seu conteúdo possui dados passíveis de não comprovação.1 DICAS PARA LEITURA E REDAÇÃO O primeiro passo para iniciar uma pesquisa é fazer um levantamento bibliográfico e selecionar as obras relevantes que irá ler. anotar os dados das fontes a serem utilizadas (ver no item 10 deste manual a forma correta para referenciar cada tipo de material). elaborar um roteiro de seu trabalho para nortear a leitura e a pesquisa que se iniciam. Evite o uso excessivo das citações de citação (apud).

Dedicatória. deve-se utilizar como fonte as expressões: dados da pesquisa. que sejam sucintas e curtas. observaram-se. Todas as figuras. observou-se. Antes de enviar um artigo para ser publicado. o autor deve consultar as normas editoriais da revista e adotálas. 7. as abreviaturas devem ser feitas por extenso na sua primeira ocorrência no texto. essas interrompem a sequência lógica da leitura. fotos. arquivo pessoal. A numeração das páginas é sequencial. em algarismos arábicos. Como a NBR 6022/2003 não define o formato de apresentação do artigo científico. Deve-se utilizar fonte Times New Roman ou Arial. Pode-se elaborar lista de siglas e abreviaturas utilizadas em todo o trabalho. Caso necessário. etc. em tamanho 12 para o texto e 10 para citações diretas de mais de três linhas. Caso tenham sido produzidos pelo autor ou construídos a partir dos resultados da pesquisa. apresentamos sugestões baseadas na pesquisa em vários Periódicos Científicos de renome nacional. Folha de Aprovação. notas de rodapé e paginação. Agradecimentos e Epígrafe.59 Evite o uso excessivo de notas de rodapé. Para os Artigos de Conclusão de Curso da UNIVALE não é necessário apresentar Capa. pois. tabelas e gráficos devem ser identificados com título e a sua fonte.). Caso necessário. em todas as páginas do artigo. Se o artigo for publicado . centralizada e localizada no rodapé. etc. fotos da autora.2 FORMATO DE APRESENTAÇÃO DO ARTIGO CIENTÍFICO As orientações aqui contidas estão de acordo com a NBR 6022/2003 e são destinadas à elaboração dos Artigos de Conclusão de Curso da UNIVALE. observam-se. Evite utilizar siglas e abreviaturas. principalmente jargões específicos da área. Observar a concordância verbal e a correção gramatical. já que cada editor de periódicos adota uma norma de acordo com as tendências da sua área de atuação ou de acordo com o país de publicação. O texto científico deve ser redigido de forma impessoal (observa-se. Folha de Rosto.

5 cm ou espaço simples. O texto do artigo pode ser apresentado em uma ou em duas colunas. observando que os títulos das seções e das subseções devem ser separados do texto que os precedem e que os sucedem por um espaço de 1. 7. As divisões das seções podem permanecer na mesma página. com espaço de 1. conforme o padrão definido para todo o artigo.60 posteriormente em um periódico científico. ficando a critério do autor. que é o formato utilizado pela maioria das publicações científicas. O texto do artigo deverá ser justificado.5 entre linhas (conforme figura 35). de 1. O Resumo e o Abstract devem ser apresentados em parágrafo único. Os parágrafos deverão seguir o padrão do Word. Recomendamos a apresentação em duas colunas. conforme quadro a seguir: . ficando a critério do autor ou do Colegiado do curso.25 cm a partir da margem esquerda. textuais e pós-textuais. de acordo com as normas adotadas pelo periódico. ou espaço simples (figura 36). a paginação deverá ser inserida na legenda bibliográfica. sem recuo e com espaçamento simples.3 ESTRUTURA A estrutura de um artigo é composta de elementos pré-textuais.

subtítulo (se houver) (obrigatório) Nome(s) do(s) autor(es) (obrigatório) Resumo na língua do texto (obrigatório) Palavras-chave na língua do texto (obrigatório) Textuais Introdução Desenvolvimento Conclusão Pós-textuais Título.61 ESTRUTURA Pré-textuais ELEMENTO Título. nome(s) do(s) autor(es). A ordem desses elementos deve ser conforme descrito a seguir.3. . subtítulo (se houver) devem estar na página de abertura do artigo. resumo na língua do texto e palavras-chave na língua do texto. Sugerimos que sejam centralizados e em negrito.1 Elementos pré-textuais Os elementos pré-textuais são: título e subtítulo.3.1. subtítulo (se houver) em língua estrangeira (obrigatório) Resumo em língua estrangeira (obrigatório) Palavras-chave em língua estrangeira (obrigatório) Nota(s) explicativa(s) (opcional) Referências (obrigatório) Glossário (opcional) Apêndice(s) (opcional) Anexo(s) (opcional) Quadro 5 – Estrutura do artigo científico Fonte: Os organizadores 7. separados por dois pontos e na língua do texto. 7.1 Título e subtítulo (elemento obrigatório) O título.

os resultados e conclusões. Os currículos e endereços devem figurar em notas de rodapé.3. em parágrafo único... 7. que devem estar presentes tanto ao final do nome completo do autor. Expressões supérfluas como: O presente trabalho trata-se de.3.. fórmulas.4 Palavras-chave na língua do texto (elemento obrigatório) As palavras-chave representam os assuntos mais significativos do conteúdo do artigo. ressaltando os objetivos. método utilizado. bem como comentários e críticas pessoais do autor. 7.3 Resumo na língua do texto (elemento obrigatório) O resumo deve ser constituído de uma sequência de frases concisas e objetivas e não de enumeração de tópicos. Como a NBR 6022/2003 não define os padrões de apresentação dos nomes dos autores. contendo de 100 a 250 palavras.1. No resumo devem constar apenas informações mais significativas do artigo. fica a critério dos mesmos a formatação e a decisão da ordem de entrada dos autores.. que não sejam absolutamente necessários. diagramas. Devem estar logo abaixo do resumo. Devem ser evitados símbolos. Deve-se usar o verbo na voz ativa e na terceira pessoa do singular... sem recuo e com espaçamento simples.2 Nome(s) do(s) autor(es) (elemento obrigatório) O(s) nome(s) do(s) autor(es) deve(m) ser acompanhado(s) de um breve currículo que o(s) qualifique(m) na área de conhecimento do artigo e de seu endereço postal e/ou eletrônico. indicados por algarismos arábicos. Ver item 9 deste manual.1. etc. quanto no início da nota. devem também ser evitadas..62 7. equações. separadas desse por um espaço de .3.1. O autor do trabalho descreve.

Modelo: TÍTULO DO ARTIGO EM NEGRITO E CENTRALIZADO: subtítulo Nome do Aluno¹ Nome do Aluno2 Nome do Aluno3 Nome do Aluno4 Nome do Orientador5 RESUMO O resumo deve ser constituído de uma seqüência de frases concisas e objetivas e não de enumeração de tópicos.63 1. conforme mostra a figura XX.1 Introdução .. antecedidas da expressão “Palavras-chave”. ressaltando os objetivos. como qualquer outro trabalho científico.com. O autor do trabalho descreve.com. Devem ser evitados símbolos. devem também ser evitadas. No resumo deve constar apenas as informações mais significativas do artigo. Email: xxxxxx@ccccccc.com. que não sejam absolutamente necessários.2 Elementos textuais A estrutura de um de artigo de publicação periódica. fórmulas. Deve-se usar o verbo na voz ativa e na terceira pessoa do singular. da Universidade Vale do Rio Doce.. os resultados e conclusões. diagramas.3. da Universidade Vale do Rio Doce Email: xxxxxx@ccccccc.5. contendo de 100 a 250 palavras.br 5 Orientador Professor Mestre do Curso de XXXXXXX. Ppppppppppp..com. método utilizado. Palavras-chave: Xxxxxxxxx.. Email: xxxxxx@ccccccc. ________ ¹ Acadêmico do Curso de XXXXXXX... 7. O texto deve ser digitado em letra 12 e a palavra “RESUMO” deve ser em negrito.3.br 1 Figura 34 –Elementos pré-textuais Fonte: Os organizadores 7. etc.com. da Universidade Vale do Rio Doce.2. seguida de dois pontos (:) e separadas entre si por ponto e finalizadas também por ponto.br 2 Acadêmico do Curso de XXXXXXX. divide-se em: introdução. equações. da Universidade Vale do Rio Doce. em parágrafo único sem recuo e com espaçamento simples..br 4 Acadêmico do Curso de XXXXXXX. Email: xxxxxx@ccccccc. Yyyyyyyyyyyy. da Universidade Vale do Rio Doce.br 3 Acadêmico do Curso de XXXXXXX. bem como comentários e críticas pessoais do autor. Email: xxxxxx@ccccccc. desenvolvimento e conclusão. Expressões supérfluas como: O presente trabalho trata-se de.

. em parágrafo único sem recuo e com espaçamento simples.br 2 Orientador Professor Mestre do Curso de XXXXXXX. 2 1 INTRODUÇÃO De acordo com a NBR 6022 (2003) artigo científico é “parte de uma publicação com autoria declarada. que não sejam absolutamente necessários. da Universidade Vale do Rio Doce Email: xxxxxx@ccccccc. que apresenta e discute ideias. Yyyyyyyyyyyy.com. processos e resultados nas diversas áreas do conhecimento”. etc. apre ______ ¹ Acadêmico do Curso de XXXXXXX. Email: xxxxxx@ccccccc. Um artigo científico pode ser: a) original. equações. Antes de enviar um artigo para ser publicado. Ppppppppppp. fórmulas. Devem ser evitados símbolos. Modelo: TÍTULO DO ARTIGO EM NEGRITO E CENTRALIZADO: subtítulo Nome do Aluno¹ Nome do Orientador RESUMO O resumo deve ser constituído de uma sequência de frases concisas e objetivas e não de enumeração de tópicos. métodos.com. ressaltando os objetivos. Apresenta temas ou abordagens originais. técnicas. justificativa da escolha do tema. os resultados e conclusões. O texto deve ser digitado em letra 12 e a palavra “RESUMO” deve ser em negrito.. da Universidade Vale do Rio Doce. já que cada editor de periódicos adota uma norma de acordo com as tendências da sua área de atuação ou de acordo com o país de publicação. Deve-se usar o verbo na voz ativa e na terceira pessoa do singular. Deve apresentar definições... etc.64 Parte inicial do artigo. diagramas.. incluindo o problema. quando reúne as Esclarecemos que as orientações aqui contidas estão de acordo com a NBR 6022 (2003) e são destinadas à elaboração dos Artigos de Conclusão de Curso da UNIVALE.. b) de revisão. o autor deve consultar as normas editoriais da revista e adotá-las. 2 FORMATO DE APRESENTAÇÃO DO ARTIGO CIENTÍFICO principais ideias e fatos de um determinado assunto publicado e estabelece relações entre eles. pontos de vista e abordagens. Expressões supérfluas como: O presente trabalho trata-se de. quando relata experiência de pesquisa. O autor do trabalho descreve. No resumo deve constar apenas as informações mais significativas do artigo.. relacionando a literatura consultada com o assunto do artigo. conforme mostra a figura XX. conceituações. contendo de 100 a 250 palavras. bem como comentários e críticas pessoais do autor. método utilizado.br 1 Figura 35 – Elementos textuais Fonte: Os organizadores . os objetivos e a metodologia da pesquisa. Palavras-chave: Xxxxxxxxx. devem também ser evitadas. Como a NBR 6022 (2003) não define o formato de apresentação dos artigos científicos. que deve conter uma exposição breve do tema abordado. estudo de caso.

O desenvolvimento não tem um padrão. onde o autor expõe.2. Deve ser breve e concisa. em que se apresentam as conclusões correspondentes aos objetivos e hipóteses propostos. Sugerimos não colocar a palavra Desenvolvimento como tópico inicial desta parte do artigo.2.3. Deve apresentar a fundamentação teórica dos tópicos abordados para atingir o objetivo proposto.3 Conclusão Parte final do artigo.3.65 7. os resultados e a discussão. utilizando-se numeração progressiva. Sua estrutura depende do assunto abordado e do tipo de pesquisa. mas começar diretamente com o primeiro tópico definido. Pode incluir também recomendações e sugestões de outras pesquisas na área. explica e demonstra o assunto em todos os seus aspectos. Ver item 4. O autor pode expor seu ponto de vista pessoal.2 Desenvolvimento Parte principal e mais extensa do artigo. com base nos resultados que avaliou e interpretou.7 deste manual. Aqui o autor pode dividir e definir os tópicos de acordo com a necessidade. conforme a NBR 6024/2003. 7. . incluindo uma resposta para a problemática do tema proposto na introdução. que varia em função da abordagem do tema e do método. Divide-se em seções e subseções. bem como a metodologia.

66

Modelo:

8 CONCLUSÃO

Destaca-se o registro da informação como ponto fundamental para o nascimento das profissões ligadas à organização e à difusão de informações. O histórico apresentado destaca a profissão de bibliotecário que se formou inicialmente pautada em largo conhecimento cultural e humanístico, passando até a ser considerada elitista, devido ao grande conhecimento e erudição de seus profissionais, para depois mergulhar na técnica, perdendo sua visão crítica e chegando a ser considerada reduto de pessoas “bondosas, porém incompetentes, verdadeiras guardiãs num depósito de documentos”. Com o advento das TIC, a categoria resolveu assimilar o ambiente virtual como campo de trabalho e optou pela mudança de denominação, atitude que não foi aceita em consenso pela totalidade da comunidade científica da área. Argumenta-se que esse posicionamento dá ingresso aos profissionais de outras áreas, com conhecimentos práticos de informática, tão necessárias para se atuar no meio virtual. Será que os bibliotecários estarão prontos para assumir essa empreitada? Nesse sentido, mais uma vez, a categoria poderá sofrer prejuízos, pois a atuação em uma profissão depende

tanto do domínio de técnicas específicas e das competências de inserção no mercado de trabalho, quanto das necessidades criadas por esse mercado, além de estar ligada ao próprio reconhecimento da função da classe pela sociedade. A ligação do termo bibliotecário com o livro e os objetos culturais não deveria ser motivo de vergonha, mas sim de orgulho. As entidades de área deveriam se organizar no sentido de mobilizar as autoridades em relação a investimentos na área de Bibliotecas públicas e escolares, destacando-se aí, a função de educador do PI. O incentivo à cultura no Brasil é fundamental para melhorar o ambiente atual. O quadro teórico esboçado mostrou um grande número de trabalhos que enfocam o perfil dos PI, suas habilidades e competências, principalmente em relação ao que o mercado de trabalho exige. Depois desse percurso, finaliza-se ressaltando que o conceito de Profissional da Informação precisa ser mais discutido, para ser definido e aceito pela comunidade, visando fortalecer a categoria. Segundo esta pesquisa entende-se que o conceito de Profissional da Informação ainda encontra-se em construção.

THE INFORMATION PROFESSIONAL: a concept under construction

ABSTRACT To discuss the concepto f “Information Professional”, a study was performed, focusing on the history of professions related to the processing of information, with emphasis on the librarian functions. The study’s approach included na analysis of the relationships among such áreas as Archivology, Librarianship, Information Science, Documentation and Museology. Finally, to verify whether the concept of Information Professional had, or not, a consensus in the literature about Information Science, a compilation was made, of selected works whose object of study was the Information Professional. The conclusion was that there is no consensus on such concept, and that this subject deserves more studies, as much to preserve the integrity of the professional category, as to assure the recognition of its function by the society. Keywords: Information professional. Librarian. Professional working field.

REFERÊNCIAS VALENTIM, M. L. P.. O profissional da Informação: formação, perfil e atuação profissional. São Paulo: Pólis, 2000. 221p. BARBOSA, R. R. Perspectivas profissionais e educacionais em Biblioteconomia e Ciência da Informação. Ciência da Informação, Brasília, v. 27, n. 1, p. 53-60, 1998. BURKE, P. Uma história social do conhecimento: de Gutenberg a Diderot. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2003. 241 p.

CÂNFORA, L. A biblioteca desaparecida: histórias da biblioteca de Alexandria. São Paulo: Companhia das Letras, 1996. 195 p. FONSECA, E. N. Introdução à Biblioteconomia. São Paulo: Pioneira, 1992. 145 p. (Manuais de estudo) OLIVEIRA, Z. C. P. O bibliotecário e sua autoimagem. São Paulo: Pioneira, 1983. 98 p. SARACEVIC, T. Interdisciplinary nature of information science. Ciência da Informação, Brasília, v. 24, n. 1, p. 36-41, 1995.

28

Figura 36 – Conclusão e Elementos pós-textuais Fonte: Os organizadores

67

7.3.3 Elementos pós-textuais

São elementos complementares que irão figurar após o texto. São elementos pós-textuais: título e subtítulo em língua estrangeira, resumo em língua estrangeira, palavras-chave em língua estrangeira, notas explicativas, referências, glossário, apêndices e/ou anexos.

7.3.3.1 Título e subtítulo em língua estrangeira (elemento obrigatório)

Título, subtítulo (se houver) em língua estrangeira devem ser separados por dois pontos e precedem o resumo em língua estrangeira. Devem ser formatados em negrito e centralizados.

7.3.3.2 Resumo em língua estrangeira (elemento obrigatório)

Versão do resumo em idioma de divulgação internacional. Deve conter as mesmas características do resumo na língua do texto. Em inglês abstract, em espanhol resumen, em francês résumé. Deve ser a tradução literal do resumo em português.

7.3.3.3 Palavras-chave em língua estrangeira (elemento obrigatório)

Versão das palavras-chave na língua original para a mesma língua do resumo em língua estrangeira.

68

7.3.3.4 Notas explicativas (elemento opcional)

Devem ser colocadas no rodapé e reduzidas ao mínimo necessário. A numeração das notas explicativas é feita em algarismos arábicos, devendo ser única para todo o artigo. Ver item 9 deste manual.

7.3.3.5 Referências (elemento obrigatório)

É a relação das fontes utilizadas pelo autor e devem ser elaboradas conforme a NBR 6023/2002. Ver item 10 deste manual. As referências são alinhadas somente à margem esquerda do texto, com igual espaço entre as palavras (não justificar) e são apresentadas em espaço simples. A letra deve ser em tamanho 12 e o tipo da fonte o mesmo utilizado no texto.

7.3.3.6 Glossário (elemento opcional)

Relação de palavras ou expressões técnicas utilizadas no texto, seguidas de seu significado. Deve ser apresentado em ordem alfabética. Ver item 5.3.2 deste manual.

7.3.3.7 Apêndice(s) (elemento opcional)

Material complementar ao texto, os apêndices são indicados por letras maiúsculas consecutivas, travessão e seus títulos. Ver item 5.3.3 deste manual.

travessão e pelos respectivos títulos.3.8 Anexo(s) (elemento opcional) Documentos que servem de ilustração.69 7. Ver item 5.3. comprovação ou fundamentação.4 deste manual. São identificados por letras maiúsculas consecutivas.3. .

A menção no texto poderá ser uma transcrição literal (citação direta). a indicação da responsabilidade faz parte da sentença ou frase. Neste sistema. O ponto final deve ficar após o fechamento dos parênteses. sem. Devem ser grafadas com a inicial do sobrenome em maiúscula quando fizerem parte integrante do texto e com todas as letras maiúsculas quando estiverem ao final da frase. Exemplos: Segundo Cerbasi (2008). a indicação da fonte é feita pelo último sobrenome de cada autor ou pela primeira palavra do título. São introduzidas no texto com o propósito de esclarecer. Se a frase transcrita terminar com um ponto.70 8 CITAÇÃO Segundo a NBR 10520/2002 . pois. as citações são trechos transcritos ou informações extraídas de outras publicações consultadas para a realização do trabalho. redigir as próprias palavras do autor. Sugerimos a utilização do sistema autor–data. 8. ilustrar ou sustentar um determinado assunto. conferindo respeito ao autor da ideia e ao leitor. no entanto. caso a obra não tenha autoria.Citações em documentos: apresentação. As citações podem aparecer no texto ou em notas de rodapé. este deve ser inserido dentro das aspas. Qualquer que seja o método escolhido. ele deve ser seguido durante todo o trabalho. deve-se respeitar a grafia do texto. No caso das citações diretas. um primeiro ponto a criticar é o método de identificação do perfil do investidor. . entre parênteses. onde as palavras são reproduzidas no trabalho exatamente como constam no original. ou uma citação indireta onde se reproduzem ideias e informações do documento.1 REGRAS GERAIS DE APRESENTAÇÃO As citações devem ser indicadas no texto por um sistema de chamada que pode ser numérico ou autor–data.

97). fazendo Isadora entrar em cena com as asas confeccionadas sob uma base de arame e cobertas de penas brancas (CHALITA. 2005. Exemplo: O diretor mostrou-se indiferente às suas queixas e manteve a caracterização original de sua fantasia e acessórios.” (TOYNBEE. devem ser especificados. . p. 24). ou seja. ortografia e pontuação. seções ou tomos. 1969. “A civilização que tomou nome de helenismo começou a existir em fins do segundo milênio antes de Cristo.1. nas citações literais. 1. com a letra menor que a do texto (fonte tamanho 10). primeiramente a data e em seguida.1 Citações diretas Nas citações diretas no texto. sendo as aspas simples utilizadas para indicar citação dentro de outra citação. As citações diretas com mais de três linhas. p. As transcrições curtas de até três linhas devem estar contidas entre aspas duplas. v. respeitam-se todas as características formais do original como a redação. 2006. p. Maar (2001. precedidos pelo termo que os caracteriza de forma abreviada.71 “A ética na publicidade tem grande importância porque a profissão exerce influência sobre milhões de pessoas. no texto. recuado a quatro centímetros da margem esquerda. p.” (DUAILIBI. as páginas. Neste caso. devem constituir um parágrafo independente. volumes. Exemplos: Neste contexto. Ainda nas citações diretas. em espaçamento simples e sem aspas. 20) propõe que “afirmar que a política tem objetivos culturais e possui uma „missão civilizadora‟. não quer dizer que toda atividade política cumpra seu papel”. deve-se observar o tamanho do texto transcrito. 18). 8.

1.1. p. 8. Neste caso. Exemplos: O futuro desenvolvimento da informação está cada dia mais dependente de um plano unificado de normalização (MARTINS. .1 Citação de documentos elaborados por um autor Menciona-se o sobrenome do autor seguido do ano de publicação da obra com a adição da paginação. 1985. tomo.1. a indicação das páginas é opcional e a indicação da fonte entre parênteses pode suceder a citação. etc. Podem ser: obras com um autor. era impossível ir além de seus próprios limites. volume. em caso de citação direta. 8. 37).2 Citações indiretas As citações indiretas são redigidas a partir de informações e contribuições de outro autor sem que ocorra uma transcrição do texto original. gregos antigos e romanos. 1984). os historiadores do tênis acreditam que diversas formas desse desporto tenham sido praticadas pelos maias. autor instituição ou documentos sem indicação de autoria ou responsabilidade.3 Adequação da apresentação da citação conforme o tipo de autoria da obra Há recomendações específicas para a apresentação das citações de acordo com os diversos tipos de autoria.. Segundo Giffoni (1989). Exemplo: “E apesar de ficar insatisfeita consigo mesma algumas vezes. para evitar interrupção na sequência do texto. mais de três autores.3. dois ou três autores. incas.72 8.” (COELHO.

1997. PAIVA. 1989) (Oliveira. MORAES. devem ser acrescentadas a eles as iniciais de seus prenomes e.3. deve-se mencioná-los separados por ponto e vírgula em ordem alfabética. Helena Borges. 125 f. seguido das datas de publicação das obras entre parênteses. 1997. 1985) (Santana. p. Saulo. em duas ou mais citações. 1997. Exemplos: (Santana. v. Universidade de São Paulo. São Paulo. Simone. Eduardo José de. 1987) (Oliveira. 1997.3. 1997). 1997. MORAES. 1987) Quando houver citações de diversas obras de um mesmo autor em anos diferentes. Revista Brasileira de Implantodontia. Dissertação (Mestrado) Departamento de Traumatologia. 1989. O. Marcelo Garcia da. 1997. 1997. PAIVA. O papel dos enxertos ósseos autógenos na implantodontia osseointegrada.6-10. Na listagem das referências devem-se incluir os dados de cada obra citada. Exemplos: No texto: Diversos autores salientam a importância da utilização do metal nobre nos pinos dos implantes dentários (FONSECA. a citação é feita pelo sobrenome do autor. Nas citações indiretas que contenham informações oriundas de vários documentos de diversos autores. caso necessário. maio/jun. Tratamento de lesões de furca pela técnica da regeneração tecidual guiada associada ou não ao enxerto ósseo em neoformação.73 No caso de haver coincidência nos sobrenomes de autores. 2006) classificou seis tipos de patologias nos citros nativos na Região Centro Sul. R.. Exemplo: Simões (1986. utilizam-se os prenomes por extenso. n. Monografia.. (Aperfeiçoamento / . Na referência: FONSECA. Implantação na região posterior da maxila: apresentação de casos clínicos.

Semêncio e Genaro (1996) destacam a importância da presença da família na ressocialização de menores infratores. na ordem em que aparecem na obra. acrescido da expressão et al.74 Especialização em Implantodontia) . 1997. Exemplos: França e Vasconcellos (2008) definem planejamento como um processo que permite direcionar ações de forma coordenada.Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais.2 Citação de documentos elaborados por dois ou três autores Quando os autores estiverem inseridos no interior do texto utiliza-se o termo “e” para unir dois sobrenomes e em caso de obras com três autores. Silvester. Quando se faz a opção de citar a autoria ao final da frase.1. SOUZA.3 Citação de documentos elaborados por quatro ou mais autores Neste caso.1. Universidade de São Paulo. PRINE. . 2003). Exemplo: Diversos autores evidenciam a diferença do potencial produtivo na horticultura em face aos fatores climáticos (COSTA. 8. 8.3. (e outros) e a data. recomenda-se a utilização do sobrenome do primeiro autor. Nestes casos.3. coloca-se o ano de publicação da obra junto ao último sobrenome. separa-se os dois primeiros sobrenomes utilizando vírgula ”. separados entre si por ponto e vírgula e seguidos do ano de publicação.” em seguida usa-se “e” ligando o segundo sobrenome ao terceiro. São Paulo. os sobrenomes dos autores devem estar entre parênteses.

foi fundada a Faculdade de Medicina de Belo Horizonte.4 Citação de documentos elaborados por instituições Nas citações de documentos de instituições. utiliza-se o nome da instituição por extenso. transcreve-se o nome até o primeiro sinal de pontuação. estado ou município. cuja referência se inicia pelo nome geográfico do país.. Imprensa da Universidade Federal de Minas Gerais.3. 1971. Na referência: UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS. que devem ser realizados somente por profissionais da área. 301). “A Escola Polonesa de Filosofia da Medicina foi constituída por três gerações de médicos-filósofos e teve como fundador Tytus Chalubinski.” (DELIZOICOV et al. No texto: O mecanismo proposto para viabilizar esta concepção é o chamado Contrato de Gestão. 1995). História da Universidade Federal de Minas Gerais.” (UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS. Exemplos: No texto: “A 5 de março de 1911. 1971. p. 8. que desenvolveu suas atividades entre 1860 e 1914. No caso de órgão da administração direta do governo. (2005) orientam quanto à aplicação dos testes de avaliação do condicionamento físico.75 Exemplos: Alves et al. Belo Horizonte. em sessão da Associação Médico-Cirúrgica de Minas gerais. que conduziria à captação de recursos privados como forma de reduzir os investimentos públicos no ensino superior (BRASIL. 1999). .1.

incluindo artigo ou monossílabo. 2002. Quando a entidade coletiva for conhecida por sigla..5 Citação de documentos com autoria desconhecida Nas citações de documento de autoria desconhecida. . Nas seguintes. p. NBR 10520: informação e documentação: citações em documentos: apresentação. p.” (EXPLORAÇÃO. seguido de reticências. 2002) Na referência: ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. Plano diretor da reforma do aparelho do Estado.] pelo nome da entidade responsável até o primeiro sinal de pontuação. Ministério da Administração Federal e da Reforma do Estado. Rio de Janeiro. seguido(s) da data de publicação do documento [. Exemplo: No texto: “[. 8.76 Na referência: BRASIL.]” Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT.. deve-se citar o nome por extenso acompanhado da sigla na primeira citação. 1976. da data de sua publicação e das páginas da citação. as crianças são levadas às lavouras a partir dos 5 anos.3. Exemplos: No texto (na primeira citação): “[.. 84).] em Londrina (PR). 2002....1. Nas citações subsequentes: ABNT (2002) ou (ABNT.. 1995. Brasília.. deve-se citar a primeira palavra do título. DF.. utilizando todas as letras maiúsculas. usar apenas a sigla.2).

. Brasil Jovem. 1976.] desse modo. p.77 Na referência: EXPLORAÇÃO do menor: esta forma criminosa de obter lucros.. a expressão “grifo do autor”.8. início do desenvolvimento de uma ciência. a parte omitida é indicada por reticências entre colchetes [. 2004. 2004. Ao usar uma citação que contenha alguma expressão ou palavra destacada pelo escritor usa-se. Quando for omitido um trecho do texto ou parte dele. 1976. p.41).30. 26. grifo do autor). os métodos não-experimentais tendem a ser mais proeminentes [. p. comentários. 8.. n. acrescenta-se após a citação a expressão “grifo nosso”. isto indica que o trecho original não termina ali. v. supressões e grifos Caso no texto seja necessária a adição de interpolações. estes devem estar entre colchetes [ ].4 Adição de interpolações. p. Caso as reticências entre colchetes sejam usadas no final da citação.. quando houver reticências entre colchetes no início da citação significa que a mesma não está sendo transcrita desde o início. entre parênteses.]” (MCGUIGAN.. após a citação.” (FICHT. Exemplos: “[. Quando se deseja dar ênfase ou destaque a algum trecho do texto. entre parênteses. Exemplo: “[.” (FRANÇA. Caso o destaque seja feito pelo indivíduo que está elaborando o trabalho..] buscavam explicar o desempenho do indivíduo nas organizações. as palavras devem ser negritadas.. .]. acréscimos ou comentários.1. digitadas em itálico ou grifadas. Do mesmo modo. 179).. Rio de Janeiro. Exemplo: “O índice é um instrumento necessário [indispensável] à recuperação de informações contidas numa publicação.83-87.

entre parêntese. p. Exemplo: No texto: O novo medicamento estará disponível até o final deste semestre (informação verbal)¹. 52. No rodapé da página: ____________ ¹ Notícia fornecida por John A. em nota de rodapé mencionar os dados disponíveis. Exemplo: “Em uma pesquisa existem diversas alternativas. a expressão “tradução nossa”. por ser controlado pelos inimigos. em Outubro de 2001. 8. a expressão informação verbal. e. que em geral são complementares à obtenção dos dados para o trabalho. etc. . indicar.” (SOUTZ.5 Citação de traduções Quando a citação se tratar de um texto que foi traduzido. após a chamada da citação.78 “O vilarejo onde Joana morava não era considerado território francês. tradução nossa). entre parênteses. Smith no Congresso Internacional de Engenharia Genética. grifo nosso). 8.1.” (CHALITA. 33. em Londres. p. v. deve-se incluir.6 Citação de informações verbais Quando a citação se tratar de dados oriundos de informações verbais (debates.1. palestras. 2005. 1.). 1978.

Acesso em: 19 mar. Na referência: UNIVERSIDADE VALE DO RIO DOCE. pode-se reproduzir a informação já citada.1. a idéia de Hirschman (1980) consta na obra de Abranches. 8. Todo esforço deve ser empreendido para se consultar o documento original.1. Entretanto.79 8. 2008. aconselha-se registrar no texto o autor do site (se houver) ou o título como nas citações de obras publicadas e citar a fonte nas referências conforme indica o item 8 deste manual. Aquisições. p. 2008). mas que tomou conhecimento por citação de outro trabalho. Apresenta as novas aquisições realizadas pelas bibliotecas.7 Citação de informações extraídas da internet Quando a citação se tratar de informações retiradas de sites da internet. Na referência bibliográfica deve aparecer somente a obra de Abranches. que foi efetivamente consultada.8 Citação de citação A citação de citação é a menção a um documento que o pesquisador não teve acesso. Santos e Coimbra. caso isso não seja possível. No caso abaixo.univale. .br/sites/biblioteca/aquisicoes/>. Exemplo: No texto: A cada mês a Biblioteca da UNIVALE apresenta as obras adquiridas naquele período por meio de um Boletim Informativo (UNIVERSIDADE VALE DO RIO DOCE. obedecendo à seguinte ordem: sobrenome do autor original seguido da expressão apud (expressão latina que significa citado por) e sobrenome do autor da obra consultada. Disponível em: <http://www.23). Santos e Coimbra (1987. Biblioteca.

70) apud Abranches. COIMBRA. 1980.1987.23) afirma que “a explicação para essa tolerância pode estar no „efeito túnel‟ de que fala.23) Na referência: ABRANCHES. Santos e Coimbra (1987. Política social e combate à pobreza. S. COIMBRA.. SANTOS. M. A.80 Exemplos: No texto: Hirschman (1980. p. SANTOS. G. W. p. 1987.” (HIRSCHMAN. H. p. . p. 70 apud ABRANCHES..” ou “a explicação para essa tolerância pode estar no „efeito túnel‟ de que fala. Rio de Janeiro: Zahar.

sem parênteses. Podem ser usadas como notas explicativas ou para referência.81 9 NOTAS DE RODAPÉ As notas de rodapé são utilizadas para prestar esclarecimentos que não são incluídos no texto. com numeração única e consecutiva. abaixo da primeira letra da primeira palavra e sem espaço entre elas. de sua experiência. em Recife. Nota de tradução ____________ ¹ The material is considered as linear elastic with mechanical properties dependent of the temperature and moisture concentration or linear viscoelastic with constitutive relation defined by a hereditary integral and with hygrothermal-rheologically simple behavior. mas como a atitude dinâmica de alguém ao sentido radical. promovido pela Fundação Estadual de Planejamento Agrícola de Pernambuco. Devem ser alinhadas a partir da segunda linha. não devendo recomeçar a numeração a cada nova folha. de acordo com a NBR 10520/2002 – Citações em documentos: apresentação. a fim de não interromper a sequência lógica da leitura e devem ser elaboradas de maneira concisa. Coordenador do Curso de Sociologia da Faculdade Y. utilizando fonte tamanho 10. Exemplos: Nota de titulação ____________ ¹ Doutor em Sociologia. Nota explicativa ____________ ¹ O termo “religioso” é tomado aqui no sentido não como próprio de uma religião. na entrelinha superior. separadas do texto por um traço contínuo de 3 cm e digitadas em espaço simples. Nota de publicação ____________ ¹ Esse texto foi apresentado inicialmente no Congresso Agrícola de Recife. último. na mesma nota. nos dias 10 e 11 de maio de 2001. Professor e assessor da Reitoria da Universidade X. . Para fazer a chamada das notas de rodapé. usam-se algarismos arábicos. As notas de rodapé são inseridas na margem inferior da mesma página onde foi feita sua chamada numérica.

tempos e espaços. Figura 37 – Notas de rodapé Fonte: Os organizadores . nos anos 70. _______________ ¹ Esse termo é utilizado por Angel Rama. 102-151). refere-se ao exílio latino-americano e está contido na nomeação do livro intitulado La riesgosa navegación del escritor exilado e no artigo que dele faz parte. Na encruzilhada de textos. em decorrência do golpe militar de 1964 no Brasil. Modelo: 18 3 DARCY RIBEIRO. ÁNGEL RAMA E EXÍLIO O diálogo entre os dois intelectuais mencionados no título começa no exílio de Darcy Ribeiro no Uruguai. e continua em outros espaços. de forma comparativa. mostrando a importância dessa “riesgosa navegación” 1 para a compreensão do pensamento latino-americano. é possível evidenciar.82 Nota complementar ____________ ¹ Mais detalhes a este respeito podem ser encontrados em Castelo Branco (1988. p. em conseqüência das diferentes ditaduras na América Latina. o exílio de Darcy Ribeiro e aquele de Ángel Rama.

quando se utiliza na citação o sistema numérico. As referências podem aparecer no rodapé. resenhas e recensões ou em lista própria.83 10 REFERÊNCIAS De acordo com a NBR 6023/2002 – Referências: elaboração. São elementos complementares: subtítulo da obra. notas de conteúdo. tradutor. Os elementos essenciais são: autor. tecendo resumos. 10. editora e ano da publicação. A lista deve obedecer a uma ordem alfabética única de sobrenome de autor. quando se utiliza na citação o sistema autor-data. ou pode ser apresentada em ordem numérica crescente. título da obra. em espaço simples e separas entre si por dois espaços simples. mas deve ser uniforme em todas as referências. itálico ou sublinhado) utilizado para destacar o elemento título. Quando as referências estão relacionadas em lista própria. coleção. série. . dimensões de volume e paginação. utilizamos o recurso negrito para destaque. Neste manual. As referências são alinhadas somente à margem esquerda do texto. com igual espaço entre as palavras (não justificar). A letra deve ser em tamanho 12 e o tipo da fonte o mesmo utilizado no texto. devem ser ordenadas de acordo com o sistema utilizado para citação no texto (autor-data ou numérico) e o autor deve incluir todas as fontes efetivamente utilizadas para a elaboração do trabalho. local. Sugerimos a utilização do sistema alfabético (ordem alfabética de entrada). fica a critério do autor. nome de entidade ou título. São apresentadas no final do trabalho. entende-se por referência o conjunto padronizado de elementos descritivos que permitem a identificação de publicações no todo ou em parte. no final de texto ou capítulo. edição. número de ISBN. O recurso tipográfico (negrito.1 ELEMENTOS QUE COMPÕEM A REFERÊNCIA A NBR 6023/2002 define os elementos essenciais e complementares que deverão ser extraídos do documento que estiver sendo referenciado.

Osório VARGAS NETO.1. . Camilo Quando a obra é elaborada por dois ou três autores. mencionam-se os nomes de todos na mesma ordem em que constam na publicação. as expressões que indicam parentesco e também os sobrenomes que contenham um substantivo + adjetivo. 1991. separados por ponto-e-vírgula. (Coleção Almanaques do Barão de Itararé). uma entidade/instituição. abreviados ou não. Henrique ESPÍRITO SANTO JÚNIOR. inicia-se a entrada pelo último sobrenome do autor (exceto para sobrenomes compostos).84 Exemplo: TORELLY. os que são ligados por hífen. São considerados sobrenomes compostos. José MARQUES JÚNIOR. Exemplos: DUQUE-ESTRADA. seguido dos prenomes escritos da mesma forma em que se encontram no documento. A entrada pode ser um autor pessoal. M. São Paulo: Studioma: Arquivo do Estado. Almanaque para 1949: primeiro semestre ou Almanaque d‟A Manhã. 10.1. Contém iconografia e depoimentos sobre o autor. em letras maiúsculas.1 Formas de entrada A entrada é uma expressão ou uma palavra que encabeça uma referência.1 Autor pessoal Para obras com até 3 autores.1. ou mesmo o título da obra. Lúcio Emílio do CASTELO BRANCO. 10.

A. Cidade: Editora. (Org. Metodologia científica. Exemplos: CERVO. 1994. indica-se apenas o primeiro.. 15. acrescentando-se a expressão latina et al. Amado L. Administração: conceitos e aplicações.). ed. . et al. ed... deve-se adotar essa entrada.) Exemplo: FERREIRA. mas possui um responsável intelectual destacado (organizador. ou seja. Documentos elaborados por mais de três autores. São Paulo: Ática. desde que seja a forma adotada pelo autor.. Pedro A. Donald C. Paul H. 5.. editor. ed. MEGGINSON. Para documentos publicados sob pseudônimo. Brasília: IPEA. São Paulo: Prentice Hall. que significa “e outros”. compilador. Constituição de uma matriz de contabilidade social para o Brasil. 1994. O fonoaudiólogo e a escola. Júlio. 4. PIETR. Comp. seguida da abreviatura pertinente. a entrada da referência deve ser pelo nome desse autor. Leslie Piccolotto (Org.. São Paulo: Harbra. Nome. Nome. coordenador e outros). Exemplo: DINIZ.85 SOBRENOME. Júlio Diniz é um dos pseudônimos utilizados por Joaquim Guilherme Gomes Coelho na publicação de suas obras. 1991. As pupilas do senhor reitor. 2002. Coord. Exemplo: URANI. BERVIAN.. Neste caso. São Paulo: Summus. Edição. Ed. Leon C. Quando um documento é elaborado por vários autores. Título: subtítulo.. caracterizando o tipo de responsabilidade entre parênteses. etc. 1998. SOBRENOME. ano. MOSLEY. documentos onde o autor utilizou um nome fictício como alternativa ao seu nome legal.

Ministério da Justiça.1. Relatório da Diretoria-Geral: 1984.1. 2002. sendo que o título deve ser destacado utilizando o negrito ou um dos outros recursos adotados. ed.1. seu nome é precedido pelo nome do órgão superior. Exemplo: BRASIL. 10. se houver. 1985. . O título deve ser separado do subtítulo por dois pontos. pelo seu próprio nome.2 Autor entidade Quando uma obra é de responsabilidade de uma entidade (órgão governamental. 6. Exemplo: O PERFIL da administração pública paulista.2 Título e subtítulo O título e o subtítulo devem ser reproduzidos da mesma forma como figuram no documento.) tem entrada de modo geral. congresso. Quando a entidade tem uma denominação genérica.1.3 Obra sem autoria As publicações anônimas ou não assinadas têm a entrada pelo título da publicação. São Paulo: FUNDAP. 1994. seminário. associação. Rio de Janeiro. ou pelo nome da jurisdição geográfica à qual pertence. empresa. inclusive o artigo ou monossílabo. por extenso. sendo a primeira palavra impressa em letras maiúsculas.86 10. Exemplo: ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. etc. NBR 10520: informação e documentação: citações em documentos: apresentação. Rio de Janeiro. 10.1.

do país. Recife. 1999. e aum. 10.1. Em caso de homônimos de cidades acrescenta-se o nome do estado. [Trabalhos apresentados]. 10. Belo Horizonte: UFMG. [Comentários à norma de apresentação tabular do IBGE]. 1993. Exemplo: ARTE de furtar. 1992. 1980. Cartas chilenas: retrato de uma época. M.3 Edição Indica-se a edição de uma obra a partir da segunda publicação e esta deve ser escrita no idioma do documento. 2. Belo Horizonte: [s. essa informação deve ser acrescentada de forma abreviada. Arte sacra: espaço sagrado hoje. G. podem-se suprimir as últimas palavras.].87 Exemplo: PASTRO. 1985.. Para documentos sem título. etc. sendo a supressão indicada por reticências.4 Local de publicação O local de publicação (cidade) deve ser redigido conforme figura no documento. Em caso de títulos e subtítulos demasiadamente longos. Rio de Janeiro: Academia Brasileira de Ciências. Quando a edição for revista e aumentada. entre colchetes que identifique o conteúdo do documento. Cláudio. rev. ed. Exemplos: ÁLVARES. SIMPÓSIO BRASILEIRO DE AQUICULTURA. desde que o sentido não seja alterado. Exemplo: FERREIRA. C.. pode-se atribuir um título. Rio de Janeiro: Nova Fronteira. .n. 1. São Paulo: Loyola. 1978..1. D.

AL Viçosa. [S. . ed. indica-se entre colchetes. 10. abreviada. l. São Paulo: Atlas. entre colchetes [S.88 Exemplos: Viçosa. Deve-se abreviar os prenomes e suprimir as palavras que designam a natureza jurídica ou comercial. Quando a cidade não aparece no documento. mas pode ser identificada.1. 4. MG Viçosa. indica-se o primeiro ou o mais destacado.]. indicam-se ambas. 1995.5 Editora O nome da editora deve ser transcrito conforme aparece no documento. Exemplo: OS GRANDES clássicos das poesias líricas. Exemplo: DAGHLIAN. 1984. Lógica e álgebra de Boole. Jacob. Quando não é possível determinar o local. Cria e recria. [São Paulo]: SDF Editores. se as editoras forem 3 ou mais. Exemplo: LAZZARINI NETO.]: Ex Libris. RJ Quando houver mais de um local para apenas uma editora.l. 1981. indica-se a primeira ou a que estiver em destaque. desde que sejam dispensáveis para a identificação. utiliza-se a expressão sine loco. Nota: Na publicação encontra-se: Editora Atlas Quando houver duas editoras. Sylvio. com seus respectivos locais (cidades).

F.n.6 Data A data da publicação de uma obra deve ser indicada em algarismos arábicos. n.1. 1997.]. Exemplo: GONÇALVES.l.].: s.89 Exemplo: AFONSO-GOLDFARB. abreviada. portanto. I.: s. deve ser sempre indicada. História da ciência: o mapa do conhecimento. B. 10. 1995. [S. 1993. deve-se indicar a data aproximada entre colchetes. utilizam-se ambas as expressões abreviadas e entre colchetes [S.]. É elemento essencial para a referência. MAIA. Quando a editora for também o próprio autor (entidade ou pessoa) e já consta como tal. l. Quando a editora não é identificada. Exemplo: UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS. conforme apresentado a seguir: Exemplos: [2001 ou 2002] um ano ou outro [2006?] data provável [2003] data certa. Caso não seja possível sua identificação. entre colchetes [s. Exemplo: FRANCO. Ana Maria. não indicada no item [entre 2000 e 2006] use intervalos menores de 20 anos [ca. São Paulo: EDUSP.n.n. Belo Horizonte. 2006] data aproximada . Normas gerais de pós-graduação. Carlos A. 1993.]. Rio de Janeiro: Expressão e Cultura. utiliza-se a expressão sine nomine. Quando o local e o editor não puderem ser identificados na publicação. A história do Mirador. Discursos: de outubro de 1992 a agosto de 1993. não precisa ser mencionado novamente. Brasília: [s.

2.. data.1.1 Formato convencional AUTOR. 1978. . Título: subtítulo. etc. 10.2. enciclopédias. que pode ser: convencional (impresso). 10. catálogos.2 APRESENTAÇÃO DAS REFERÊNCIAS A apresentação das referências ocorre de acordo com o tipo do material. deverá estar do acordo com o formato a seguir. ed. as obras são consideradas “obras no todo”. A. l. Metodologia científica: para uso dos estudantes universitários. dicionários.2. guias. manuais. Local (cidade) de publicação: Editora. Edição. São Paulo: McGraw-Hill do Brasil. P. A. BERVIAN. folhetos. Nesse caso. material especial e documento eletrônico.1 Livros e folhetos A apresentação das referências de livros. Exemplo: CERVO.90 [199-] década certa [199-?] década provável [19--] século certo [19--?] século provável 10..

10.) ou Disponível em: <endereço eletrônico>.2 Capítulo de livros São obras em que o autor do trabalho utilizou apenas parte do documento a ser referenciado. precedido da expressão: “Disponível em:” e a data de acesso ao documento precedida da expressão “Acesso em:”. fragmentos e outras partes de uma obra. Local (cidade) de publicação: Editora. HOUAISS.]: Virtual Books. volumes. acrescidas das informações relativas à descrição física do meio eletrônico. ALVES. também são essenciais as informações sobre o endereço eletrônico entre os sinais <>. Acesso em: 10 jan. Castro. No final da referência. com ou sem autores e/ou títulos próprios. Enciclopédia e dicionário digital 98. [S. Edição. l. 2002.1. 1998. 5 CD-ROM. Exemplos: KOOGAN. André. etc.2 Formato eletrônico As referências devem obedecer aos padrões indicados para os documentos monográficos no todo. Acesso em: dia mês e ano (para documentos on-line). Navio negreiro. .com. deve-se informar a paginação ou outra forma de individualizar a parte referenciada. 2000. Quando o autor e/ou o título da obra citada for o mesmo do capítulo pode-se substituí-lo(s) nas referências por um traço sublinear (equivalente a seis espaços). Título: subtítulo. data.br/virtualbooks/freebook/port/Lport2/navio negreiro. CD-ROM. Quando se tratar de obras consultadas on-line. Antonio (Ed.91 10.html>.).terra. Disponível em: <http://www. Inclui capítulos.2. AUTOR. Descrição física do meio eletrônico (DVD.2. São Paulo: Delta.

7-16.1 Formato convencional AUTOR DO CAPÍTULO. In: LEVI.2. Descrição física do meio eletrônico (DVD. SANTOS. In: AUTOR DO LIVRO. cap. etc. A colonização da terra do Tucurujús. Local (cidade) de publicação: Editora. data. R. 2.92 10. 10. 3. teses e outros. p. dos. 1994. In: AUTOR DA OBRA.).2. 1999. São Paulo: Companhia das Letras. G. Macapá: Valcan. artigos científicos.2. data. volume ou capítulo ou páginas inicial-final da parte. dissertações. Exemplos: ROMANO. Título da parte. Edição.2 Formato eletrônico AUTOR DA PARTE. História do Amapá: 1º grau.pt/dlDLPO>.3 Trabalhos acadêmicos São trabalhos que envolvem a pesquisa e a investigação. Acesso em: dia mês e ano (para documentos on-line). In: ______. Imagens da juventude na era moderna.2. SCHIMIDT. Título do capítulo. Acesso em: 8 mar. 10. 1998. História dos jovens. que têm como finalidade informar e defender a relevância de determinado conhecimento e sua aplicação prática na sociedade. J. volume ou páginas.) ou Disponível em: <endereço eletrônico>. Edição. Local (cidade) de publicação: Editora. Título: subtítulo. Giovanni. (Org. . In: DICIONÁRIO da língua portuguesa.priberam. 1996. ed. Exemplo: POLÍTICA.2. F. CD-ROM. São considerados trabalhos acadêmicos: trabalhos monográficos de graduação. Disponível em: <http://www. Título: subtítulo. Lisboa: Priberam Informática.

Monografia (Especialização em Gestão do Conhecimento nas Organizações) . Descrição física do meio eletrônico (DVD. Guarda compartilhada: sua importância no ordenamento jurídico brasileiro. Ano de apresentação.2. 2002. ano da defesa. Exemplos: DINIZ. (para os documentos on-line).93 10.Programa de Pós-graduação em Tecnologia. 10.1 Formato convencional AUTOR. Título: subtítulo. CD-ROM. RAMOS. Curitiba. Universidade Federal de Minas Gerais. Direito internacional público e o estado moderno.3. Acesso em: dia mês e ano. 2009. Categoria (se é monografia. Ano de apresentação.) ou Disponível em: <endereço eletrônico>. 1996. 2005. A utilização de tecnologias de informação na biblioteca: o caso da PUC-PR. 196 f. Universidade Federal de Minas Gerais. Compartilhamento da informação e do conhecimento em bibliotecas especializadas. 1975. BATISTA. Nome da Universidade. 2002. 91 f. dissertação ou tese) (Área de concentração) – Nome da Faculdade. 2005. . Número de folhas. Disponível em: <http://www.2 Formato eletrônico AUTOR. LOPES. Neuza Aparecida. Curitiba. Universidade Tecnológica Federal do Paraná. Nome da Universidade. 1975.pergamum. 1996. Exemplos: ASSUMPÇÃO. Título: subtítulo. Arthur José Almeida. dissertação ou tese) (Área de concentração) – Nome da Faculdade. Ciências Administrativas e Econômicas. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Direito) – Faculdade de Direito. Solange Rodrigues Bonono. Número de folhas. 1 CDROM. ano da defesa. Categoria (se é trabalho de conclusão de curso. etc. Dissertação (Mestrado em Educação) – Pontifícia Universidade Católica do Paraná. 118 f. 2009. 72 f.2. 117 f. Belo Horizonte. Adriano. Dissertação (Mestrado em Estudos Linguísticos) – Faculdade de Letras. Cidade. José Alves. Tese (Doutorado em Direito) – Faculdade de Direito. Belo Horizonte. Universidade Vale do Rio Doce.3. O jogo da pontuação: a construção do sentido na tissitura da escrita. Governador Valadares. Cidade.

etc.: subtítulo da publicação. Descrição física do meio eletrônico (DVD...4. Acesso em: dia mês e ano..) ou Disponível em: <endereço eletrônico>. (para os documentos on-line). 2001. 10. numeração (se houver) seguida de ponto.94 univale.2. anais.2. 2001. ENCONTRO SUL-BRASILEIRO DE ESTUDANTES DE DIREITO. 1.2 Formato eletrônico NOME DO EVENTO.1 Formato convencional NOME DO EVENTO.. 10. Local de publicação (cidade): Editora.4 Congressos. numeração (se houver) seguida de ponto. Local de publicação (cidade): Editora. Salvador: FEBAB. 10. conferências e outros eventos científicos no todo Apresenta o formato de referência para o conjunto dos documentos reunidos num produto final de um evento.. Londrina: UEL. local de realização (cidade)... seminário. CD-ROM.4. 1980. Título. data de publicação. São as atas. 6. Salvador.php?resolution2=800#posicao_da dos_acervo>.. Londrina. local de realização (cidade). ano. . Exemplos: CONGRESSO LATINO-AMERICANO DE BIBLIOTECONOMIA E DOCUMENTAÇÃO. Título. 1980.. resultados. 2009. Programa.2. ano. data de publicação. Acesso em: 21 dez. proceedings. Anais .: subtítulo da publicação.. simpósio ou conferência.br/pergamum/biblioteca/index. entre outras denominações.

. Título do trabalho apresentado: subtítulo do trabalho apresentado. In: NOME DO EVENTO.5. Título da publicação.: descentralização e sustentabilidade. São Paulo: USP. Local: Editora.16-29. 1994. Brasília. Exemplo: BRAYNER.2 Formato eletrônico AUTOR. local de realização do evento. data de publicação. São Paulo..2.. Belo Horizonte: FALE/UFMG. local de realização do evento.com/artigospsb/public 007.95 Exemplos: SIMPÓSIO INTERNACIONAL SOBRE ANÁLISE DO DISCURSO. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE BANCO DE DADOS. 2003. numeração (se houver) seguida de ponto. 2001. Local: Editora.) Mostra o formato em que se referenciam trabalhos à parte. seminários. encontros. ano. data de publicação.5. Discurso.. Disponível em: <http://www. C. etc. Páginas inicial-final (do trabalho). 2001. 10. 1994. 10. .. Acesso em: 14 set. p.5 Trabalhos apresentados em eventos (congressos.1 Formato convencional AUTOR..pdf>. que são apresentados juntamente com outros em eventos como congressos. 2. In: NOME DO EVENTO. MEDEIROS. Belo Horizonte.2. CONGRESSO BRASILEIRO DE PREVENÇÃO EM DST E AIDS. ano. Coordenação Nacional de DST/Aids. Título do trabalho apresentado: subtítulo do trabalho apresentado. A. Brasília: Ministério da Saúde. Incorporação do tempo em SGDB orientado a objetos. B. 10.. Anais. seminários. 1 CD-ROM. simpósios. 4. numeração (se houver) seguida de ponto. ação & sociedade.. 2002.. 9.. Anais .2..portalsaudebrasil.. etc. 2002. R. A. Título da publicação.

(para os documentos on-line). 10. data.br/anais/ anais/educ/ce04. Recife. R. R..) ou Disponível em: <endereço eletrônico>. Acesso em: dia mês e ano.6.ufpe.2. Acesso em: dia mês e ano. OLIVEIRA.. Recife: UFPe. NBR 6023: informação e documentação: referências: elaboração. Rio de Janeiro.. Os limites pedagógicos do paradigma da qualidade total na educação.6.. Exemplo: ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. . Local de publicação: Editora. 10. (para os documentos on-line). DVD.1 Formato convencional AUTOR. Descrição física do meio eletrônico (CD-ROM. 10.6 Normas técnicas As normas estabelecem os princípios gerais para apresentação de trabalhos ou ditam a maneira que se deve fazer ou elaborar algo.2. etc.prospesq. etc.) ou Disponível em: <endereço eletrônico>. Número da norma: título da norma: subtítulo.html>. 1996. 4. Acesso em: 21 jan. Exemplo: SILVA. data. 2002. 1996. Local de publicação: Editora. Anais eletrônicos. disquete. Disponível em: <http://www. N.2.96 Descrição física do meio eletrônico (CD-ROM. 1997. Número da norma: título da norma: subtítulo.2 Formato eletrônico AUTOR. In: CONGRESSO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA UFPE.

acrescentam-se as informações: Descrição física do meio eletrônico (CD-ROM. Acesso em: 18 dez. o periódico é uma publicação que pode ser apresentada em qualquer tipo de suporte.2. Essas publicações podem estar em diversos formatos como.gv. 10. (para os documentos on-line). podendo ser semanal.br/smsa/vigilânica/arquiivos>.7. 10. jornais. Belo Horizonte. revistas..1 Formato convencional TÍTULO DA PUBLICAÇÃO. etc. em CDs ou sítios da internet. data de inicio – fim da coleção. mensal. DVD. Disponível em: <http://www. boletins ou mesmo em meio eletrônico. 10.97 Exemplo: BELO HORIZONTE.phb. etc. Acesso em: dia mês e ano. Secretaria Municipal de Saúde.) ou Disponível em: <endereço eletrônico>.1 Publicação periódica no todo Neste caso inclui a coleção como um todo.. 2002.2. 1999. Prefeitura Municipal. . isso porque apresenta toda a coleção de um título de periódico.1. editado em tempos determinados. bibliotecas e editoras. anual.7.7 Publicações periódicas Também chamado de revista. Local (cidade) de publicação: Editor.2. 005/99: norma técnica de fiscalização e vigilância sanitária em laboratórios de citopatologia. Quando a coleção ou artigo de periódico se encontra sob formato eletrônico. Este tipo de referência é utilizada em listas de catálogos e obras preparadas por livreiros.

10. São Paulo: Associação Paulista de Medicina.2. Acesso em: dia mês e ano. local de publicação (cidade). Rio de Janeiro: IBGE.98 Exemplos: REVISTA BRASILEIRA DE GEOGRAFIA. Particularidades que identifiquem a parte (se houver). 2010. Acesso em : 14 jul.1. Local (cidade) de publicação: Editor. Exemplos: CLÍNICA VETERINÁRIA. 1 CD-ROM.) ou Disponível em: <endereço eletrônico>. 1996-.2. páginas inicial-final (quando se tratar de artigo). 10. SÃO PAULO MEDICAL JOURNAL.2. Aqui incluem partes de publicações periódicas (volumes.1 Formato convencional AUTOR (ES).2 Formato eletrônico TÍTULO DA PUBLICAÇÃO. data de inicio – fim da coleção.2.7.ba. Descrição física do meio eletrônico (CD-ROM. numeração correspondente ao volume e/ou ano.gov. 10. resenhas e outros. boletim. São Paulo: Guará. reportagens. . 19391940. entrevistas. Título do periódico. 1941-1945. editorial. REVISTA BAIANA DE SAÚDE PÚBLICA. data ou intervalo de publicação.2 Artigo e/ou matéria de revista. etc. 2004-. fascículos e suplementos com título próprio). Disponível em : <http://www. Salvador: Instituto de Saúde.7. DVD. Título da parte.7. artigo ou matéria. etc.saude. fascículo ou número.br/rbsp/>. (para os documentos online).

A prisão de Pinochet e a extraterritorialidade da lei penal. Título da parte. encontra-se também este meio de comunicação em formato on-line. 1999.com.2.179. WINDOWS 98: o melhor caminho para atualização. MÃO-DE-OBRA e previdência. LOPES. 7. páginas inicial-final (quando se tratar de artigo). v. htm>.com.2. Particularidades que identifiquem a parte (se houver).idg. Rodrigo Borges. A queda do cometa.7. São Paulo. jan.49-52. PC World. 1994.br/abre. data ou intervalo de publicação. (para os documentos on-line).7. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios. Práticas ecosóficas e restauração da cidade subjetiva. Marcelo. n.2.html>. n. Acesso em: 10 set. set. 10. 1 CD-ROM. numeração correspondente ao volume e/ou ano. 9-26. Suplemento. Tempo Brasileiro. Assédio moral e a reforma na legislação trabalhista. 10. Exemplos: LOPES JUNIOR. Síntese trabalhista. NICOLAU.15. Além da apresentação em papel.3 Artigo e/ou matéria de jornal Jornal é um meio de comunicação impresso que tem como característica o uso de "papel de imprensa". 75. 1998. DVD.99 Exemplos: GUATTARI. Rio de Janeiro. n. Título do periódico. Rio de Janeiro. artigo ou matéria. Boletim Paulista de Direito. inverno 1994. maio 2004. . Acesso em: 28 fev.2 Formato eletrônico AUTOR(ES). Porto Alegre. v. VIEIRA. Acesso em: dia mês e ano.) ou Disponível em: <endereço eletrônico>. etc.br/links/revista. Disponível em: <http://www. local de publicação (cidade).116. fascículo ou número. 2. n. 1998./mar. Aury Celso de Lima. Descrição física do meio eletrônico (CD-ROM. Neo Interativa. p. Felix. 1983. p.jus. Disponível em: <http://www. Cássio Leite. Rio de Janeiro.

19 set.3. local.100 Os jornais. São Paulo. seção ou suplemento. 13. Disponível em: http://www. Paulo. Nome e número do caderno. p. mês.htm>. Folha de S. 1998. O Estado de S. Exemplos: NAVES. Nome e número do caderno. Lagos andinos dão banho de beleza. Título do artigo. editorial.br/pena_morte_nascituro. DVD. Dona Chiquita: as primeiras estórias de Guimarães Rosa. 1968. P.org. 23 nov. Belo Horizonte. que são fascículos de encadernação separada. resenhas. podem estar organizados em Cadernos e Suplementos.7. Caderno 8. Minas Gerais. etc. . (para os documentos on-line). 10. ano. Acesso em: 19 set.7. páginas inicial-final. Título do jornal.2. seção ou suplemento.1 Formato convencional AUTOR(ES). dia. Folha Turismo. Descrição física do meio eletrônico (CD-ROM. 1999. Ives Gandra da. Acesso em: dia mês e ano. ano. Paulo. Pena de morte para o nascituro. 1998. Humberto.2 Formato eletrônico AUTOR. dia. 28 jun.2. local. Exemplo: SILVA. 10. etc.provida familia. WERNECK. p. Aqui são indicadas as formas de referência para apresentação de reportagens.) ou Disponível em: <endereço eletrônico>. Título do artigo. mês. São Paulo. entrevistas.3. Suplemento Literário. Título do jornal.3. incluídos no conjunto publicado e de periodicidade predeterminada (geralmente semanal). páginas inicial-final.

as emendas constitucionais. Brasília: Senado. São Paulo: Saraiva. 10. notas remissivas e índices por Juarez de Oliveira. jurisprudências (decisões judiciais) e doutrinas (interpretações dos textos legais). BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil.8 Documentos jurídicos Os documentos jurídicos são: legislações. Elementos complementares para melhor identificação do documento (se necessário). 1995. Código civil. 10. etc. Dados da publicação que transcreveu o documento. 46.1 Formato convencional JURISDIÇÃO (nome do país. Título.1 Legislação Compreende a Constituição. Exemplos: BRASIL.8. 1988. decretos em todas as suas formas. Constituição (1989). os textos legais infraconstitucionais (lei complementar e ordinária. 2001. Belo Horizonte: Inédita. mês e ano). medida provisória. Constituição do Estado de Minas Gerais.). MINAS GERAIS.2. numeração e data (dia. Constituição (1988).101 10. portarias.2.8.1. Quando necessário. . resoluções. resoluções do Senado Federal) e as normas emanadas das entidades públicas e privadas (atos normativos. ed. Organização dos textos. estado ou município) ou NOME DA ENTIDADE. acrescentam-se elementos complementares à referência para melhor identificar o documento.2.

Diário de Justiça da União. Acesso em: dia mês e ano. Emenda constitucional n. 10.102 10.br/ccivil_03/Constituicao/Emendas/Emc/emc41 htm>. Partes envolvidas (se houver).2 Jurisprudência (decisões judiciais) São as súmulas. Superior Tribunal de Justiça. Seção 1.1.8. 201. 13 de maio 2004.2. mês e ano). Título. numeração e data (dia. 96. 2006.2.gov. 282. Descrição física do meio eletrônico (CD-ROM.2 Formato eletrônico JURISDIÇÃO (nome do país.2. estado ou município) e Órgão judiciário competente. de 19 de dezembro de 2003. 40. 10. de 15 de dezembro de 1998.) ou Disponível em: <endereço eletrônico>. enunciados.8. 149 e 201 da Constituição Federal. Exemplos: BRASIL.1 Formato convencional JURISDIÇÃO (Nome do país. 41.planalto. p.2. 48. Dados da publicação que transcreveu o documento. Acesso em: 9 jan. Cabe a citação por edital em ação moratória. 142 da Constituição Federal e dispositivos da Emenda Constitucional nº 20. mês e ano). Exemplo: BRASIL. 42. acórdãos. 37. Título (natureza da decisão ou emenda) e número. sentenças e demais decisões judiciais. Relator. Dados da publicação que transcreveu o documento. data (dia. Súmula n.8. . Brasília. DVD. Disponível em: <https://www. etc. e dá outras providências. (para os documentos online). revoga o inciso IX do § 3 do art. Local. Constituição (1988). estado ou município) ou NOME DA ENTIDADE. Modifica os arts. Elementos complementares para melhor identificação do documento (se necessário).

inscrição em concurso para cargo público.103 SANTA CATARINA. Acesso em: dia mês e ano. e-books. etc. Súmula nº 14. Acesso em: dia mês e ano. Acesso em: 29 nov. DVD. AUTOR (ES).) ou Disponível em: <endereço eletrônico>.2. Descrição física do meio eletrônico (CD-ROM. São Paulo. Local (se houver): Editora (se houver). 33. 10. Degradação ambiental.9 Documentos de acesso exclusivo em meio eletrônico São documentos publicados somente na sua versão eletrônica. artigos científicos.) ou Disponível em: <endereço eletrônico>. data (se houver). . imagens. Supremo Tribunal Federal. por ato administrativo. ano 9. br/jurisnet/sumusSTF.html>. (para os documentos on-line). Relator. 1998. p. Revista de Direito Ambiental. data (dia. Versão (se houver). estado ou município) e Órgão judiciário competente. Disponível em: <http://www. Título do serviço ou produto: subtítulo (se houver).8.2. Descrição física do meio eletrônico (CD-ROM. em razão de idade.2 Formato eletrônico JURISDIÇÃO (Nome do país. 10./mar. Ministério Público Estadual. Exemplo: BRASIL. jan. n. mês e ano). bibliografias.truenetm. Partes envolvidas (se houver). 295-308. Não é admissível. relatórios. restringir.2. 2004. DVD. que podem vir no formato de revistas. Título (natureza da decisão ou emenda) e número. (para os documentos online). etc. Relator: Nicanor Calírio da Silveira.1 Base de dados Conjunto estruturado de publicações científicas previamente organizadas. Dados da publicação que transcreveu o documento. 10.2. Local. etc.com.9.

Acesso em: dia mês e ano. Acesso em: 10 dez.2 Lista de discussão É uma ferramenta administrável pela internet que permite a um grupo de pessoas a troca de mensagens via e-mail entre os integrantes do grupo. O conjunto de todos os sites públicos existentes compõe a World Wide Web.9. Exemplo: COMUT online: lista de discussão.quando houver). 2002. 2008. 2009.9. Apresenta reproduções . apresenta. Disponível em: <endereço eletrônico>. AUTOR (ES). Exemplo: GALERIA virtual de arte do Vale do Paraíba. Título do serviço ou produto: subtítulo (se houver). Local (se houver): Editora (se houver). Local (se houver): Editora (se houver). 1 CD-ROM. Brasília: IBICT. data (se houver). Título da lista: subtítulo (se houver). 10.br>. data (se houver). Versão (se houver).ct. 1998.interscience. Base de Dados Cultura Ativa.3 Sites Um site é um conjunto de páginas da Web composta por hipertextos acessíveis geralmente pelo protocolo HTTP na Internet. Texas: Interscience. 2006. Acesso em: 19 mar. WILEY Interscience..wiley. São José dos Campos: Fundação Cultural Cassiano Ricardo. 10. Acesso em: dia mês e ano. Disponível em: <endereço eletrônico>. AUTOR (ES)..ibict. Belo Horizonte. 1998. Versão 2. Disponível em: <http://www3. Disponível em: <http://www. etc..1. Informações complementares (Coordenação.104 Exemplos: FUNDAÇÃO ESTADUAL DA EDUCAÇAO E CULTURA.br:8000/listserver@ibict..com/cgi-bin/home?CRETRY =1&SRETRY=0>. desenvolvida por.2.2.

2. Mensagens de e-mail possuem caráter informal. 1998.br> em 12 jan. P. Mensagem recebida por <E-mail do destinatário> em dia.com. enviar e receber mensagens através da internet. S. M. Fichas para MARC [mensagem pessoal]. Exemplos: ALMEIDA. Segundo a NBR 6023/2002.4 Mensagens eletrônicas Também conhecido como e-mail.com. é um método ou artifício que permite compor. Manual de referência bibliográfica corrigida [mensagem de trabalho].105 virtuais de obras de artistas plásticos do Vale do Paraíba. 10.com. 2002. mês abreviado e ano de acesso. não sendo recomendável seu uso como fonte científica ou técnica de pesquisa. Acesso em: 27 nov.br/oamis/civitas>. Disponível em: <http://virtualvale.9. . ghedin@9zero9. SOBRENOME. mensagens oriundas de correio eletrônico. Mensagem recebida por <mtmendes@uol. Assunto da mensagem [mensagem pessoal ou de trabalho]. Nome ou e-mail do remetente. Mensagem recebida por <magbiblio@hotmail. devem ser referenciadas somente quando não se dispuser de nenhuma outra fonte de pesquisa para o assunto apresentado.com> em 14 maio 2009.

Rio de Janeiro. NBR 14724: informação e documentação: trabalhos acadêmicos: apresentação. 2002. NBR 6024: informação e documentação: numeração progressiva das seções de um documento escrito: apresentação. Rio de Janeiro. 2002. ______. 2003. Belo Horizonte: Ed. ______. NBR 6023: informação e documentação: referências: elaboração. ______. ______. Rio de Janeiro.106 REFERÊNCIAS ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. Rio de Janeiro. ed. VASCONCELLOS. NBR 6022: informação e documentação: artigo em publicação periódica científica impressa: apresentação. Rio de Janeiro. NBR 10520: informação e documentação: citações em documentos: apresentação. Ana Cristina de. 8. Rio de Janeiro. ______. NBR 15287: informação e documentação: projeto de pesquisa: apresentação. Manual para normalização de publicações técnico-científicas. 2008. Rio de Janeiro. 2003. ______. 2005. ______. 2004. NBR 6034: informação e documentação: índice: apresentação. 2003. FRANÇA. 2004. ______. 2003. Júnia Lessa. Rio de Janeiro. 2005. NBR 12225: informação e documentação: lombada: apresentação. Rio de Janeiro. . ______. UFMG. Rio de Janeiro. NBR 6027: informação e documentação: sumário: apresentação. NBR 6028: informação e documentação: resumo: apresentação.

. João Bosco. Curitiba: PUCPR. 4. Disponível em: <http://biblioteca.br/visualizacao/monografias/visualiza_colecao_digital. 47 p. Curitiba. [Curso]. da Universidade Vale do Rio Doce . 006/2009: aprova alterações na Norma que regulamenta o Trabalho de Conclusão de Curso – TCC. Manual de sistematização e normalização de documentos técnicos. In: ENCONTRO NACIONAL DOS USUÁRIOS DA REDE PERGAMUM. ed. . São Paulo: Atlas. resenhas. Governador Valadares. São Paulo: Atlas.107 GARCIA. LOPES. 1998.php ?titulo=Normas%20de%20apresenta%C3%A7%C3%A3o%20tabular&link=Normas_ de_Apresentacao_Tabulares>. Adriano. Normalização de trabalhos científicos. Nádia Ficht. resumos. UNIVERSIDADE VALE DO RIO DOCE. Normas de apresentação tabular. Resolução CONSEPE: Nº. 2007. 9. 2009. 2009.ibge. 2007. Redação científica: a prática de fichamentos. 1999. Eduardo Alfonso Cadavid. IBGE. Acesso em: 20 mar.gov.UNIVALE. RICHARDT. MEDEIROS.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful