Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome

Ação de Distribuição de Alimentos a Grupos Populacionais Específicos

Secretaria Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional

.

Muitos vivem distantes das cidades e não têm à sua disposição a variedade e a qualidade satisfatórias. é fundamental o acesso a uma alimentação adequada com relação a aspectos de quantidade. Assim. Portanto. DE 15 DE SETEMBRO DE 2006). Para isso foi criada. Outros vivem em territórios diminutos. considera-se que : “A alimentação adequada é direito fundamental do ser humano. a Ação de Distribuição de Alimentos a Grupos Populacionais Específicos.346. O que é? A Ação de Distribuição de Alimentos a Grupos Populacionais Específicos é uma ação emergencial que tem o objetivo de entregar cestas de alimentos para famílias de Ação de Distribuição de Alimentos a Grupos Populacionais Específicos . é dever do Governo distribuir alimentos para essa parcela da população. por diversas razões. inerente à dignidade da pessoa humana e indispensável à realização dos direitos consagrados na Constituição Federal. previsto em lei — a Lei Orgânica de Segurança Alimentar e Nutricional — LOSAN (LEI Nº 11. O acesso à alimentação é um direito de todos os cidadãos. em 2003. E há ainda aqueles que não têm renda suficiente para adquirir os alimentos. Para se ter uma vida saudável.” Os grupos beneficiados são aqueles que possuem maiores dificuldades de acesso a alimentação. segurança e valor nutritivo. Mas ainda existem no país muitas famílias que não têm condições financeiras de adquirir os alimentos ou vivem em localidades onde a disponibilidade da alimentação saudável é precária. com pouco espaço para produzir em quantidade adequada para o consumo. devendo o poder público adotar as políticas e ações que se façam necessárias para promover e garantir a segurança alimentar e nutricional da população.Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome Introdução O Governo Federal procura assegurar o direito humano à alimentação adequada às pessoas com dificuldades de acesso aos alimentos.

2 kg de farinha de mandioca. Quem pode participar? Os grupos populacionais atendidos na Ação são povos indígenas. totalizando 22 kg. marisqueiras. comunidades quilombolas. 1 kg de leite em pó e 1 kg de flocos de milho. 2 latas de óleo de soja.Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome determinados segmentos sociais que estão em situação de insegurança alimentar e nutricional. 2 kg de farinha de trigo. Há duas composições básicas de acordo com a região: • Regiões Norte e Nordeste: 10 kg de arroz. O MDS repassa o recurso financeiro para a CONAB. A Secretaria Nacional de Defesa Civil do Ministério da Integração Nacional pode solicitar cestas para os municípios que estejam em situação de emergência e/ou Ação de Distribuição de Alimentos a Grupos Populacionais Específicos . 1 kg de macarrão. 2 kg de açúcar. que compra a produção da agricultura familiar para a distribuição ou formação de estoques para os programas. 3 kg de feijão. 2 kg de açúcar. 1 kg de macarrão. trabalhadores rurais sem terra que pleiteiam acesso ao programa de reforma agrária. Os alimentos são comprados por meio de parceria firmada entre o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) e a Companhia Nacional de Abastecimento (CONAB). 2 latas de óleo de soja. Grande parte dos alimentos que compõem as cestas distribuídas vem do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA). 1 kg de leite em pó e 1 kg de fubá. caranguejeiras e grupos atingidos por barragens. 3 kg de feijão. Composição das cestas: As cestas são compostas por oito tipos de alimentos. órgãos e entidades sociais do país. que realiza a compra e a armazenagem. comunidades de terreiros. • Região Centro-Sul: 10 kg de arroz.

no limite total de 320 mil beneficiários regulares. Dessa forma. Ação de Distribuição de Alimentos a Grupos Populacionais Específicos . garante-se que de todos os grupos sejam atendidos. Como participar: A indicação das famílias atendidas é feita por órgãos do Governo Federal responsáveis pela atuação com cada um desses segmentos: • A Fundação Nacional do Índio (FUNAI) e a Fundação Nacional de Saúde (FUNASA) são responsáveis pela indicação dos povos indígenas. Cada órgão governamental possui um número fixo de beneficiários a indicar para participar da Ação. • A Secretaria Especial de Aqüicultura e Pesca (SEAP). que indica as famílias impactadas pela construção de barragens. • A Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (SEPPIR) pela indicação das comunidades de terreiros. pela indicação dos acampamentos. pela indicação dos municípios em situação de emergência e/ou calamidade pública. caso essa Secretaria não possua alimentos em seus estoques. • A Secretaria Nacional de Defesa Civil (SEDEC-MIN).Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome calamidade pública reconhecidos. As famílias dos grupos em situação de insegurança alimentar e nutricional devem ser indicadas por órgãos governamentais que representem os segmentos. • A Fundação Cultural Palmares (FCP) pela indicação das comunidades quilombolas. • O Departamento de Ouvidoria Agrária e Mediação de Conflitos e Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (DOAMC-MDA /INCRA). Foram instituídas cotas de participação por segmento devido aos limites orçamentários. A única exceção é o Movimento Nacional dos Atingidos por Barragens (MAB). pela indicação das marisqueiras e caranguejeiras. uma sociedade civil.

FCP. Sobre o andamento da Ação: O responsável pela retirada das cestas no armazém da CONAB pode ser tanto uma entidade governamental como um representante do segmento atendido da sociedade civil. por meio de listagem contendo nome e número do documento de identificação do beneficiário. de acordo com o orçamento disponível para a Ação. os beneficiários devem denunciar para as autoridades competentes. monitorar e fiscalizar o andamento da Ação. Esse responsável deve acompanhar a retirada e transporte dos produtos e atestar a efetiva entrega às famílias. Os órgãos parceiros (FUNAI . • Coordenar a Ação. A CONAB é responsável por: • Realizar a compra dos alimentos para compor as cestas por estado. • Garantir o transporte e a entrega das cestas do armazém da CONAB até os beneficiários. essa documentação deverá ser enviada também ao órgão responsável pela indicação do segmento. Ação de Distribuição de Alimentos a Grupos Populacionais Específicos . SEPPIR. Essa lista deve ser enviada à CONAB. Caso o responsável seja da sociedade civil. DOAMC-MDA /INCRA.FUNASA. Cabe à comunidade atendida acompanhar. de acordo com a demanda apresentada. SEAP) são responsáveis por: • Indicar as famílias/povos/comunidades que receberão as cestas. • Disponibilizar os alimentos nas unidades armazenadoras.Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome O papel de cada órgão: O Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome é responsável por: • Encaminhar as indicações dos órgãos/entidades. Se for identificada alguma irregularidade. à CONAB.

057.: (61) 3386-1938 – www.mda. Central – Bloco 655 – casa 06 – Núcleo Bandeirantes – 71. Palácio do Desenvolvimento – Sala 915 – 70.gov.presidencia.br Marisqueiras e Caranguejeiras: SEAP – Esplanada dos Ministérios – Bloco D – Sala 232 – 70.funasa.054-900 – Brasília (DF) Tel.br Povos Indígenas: FUNASA – SAS – Quadra 04 – Bloco “N” – 5º andar – 70.043-900 – Brasília (DF) Tel.br Acampados: Departamento de Ouvidoria Agrária e Mediação de Conflitos – SBN – Quadra 1 – Ed.gov.gov.: (61) 3314-6392 – www.org.390-025 – Brasília (DF) Tel. Elcy Meireles – 70.gov.: (61) 3424-0144 – www.presidencia.900 – Brasília (DF) Tel.: (61) 3313-3643 – www.br Comunidades de Terreiros: SEPPIR – Esplanada dos Ministérios – Bloco A – 9º andar – 70. Lex – 3º andar – 70.390-010 – Brasília (DF) Tel.br/estrutura_presidencia/seap Atingidos por Barragens: MAB – Av.funai.mabnacional.br FUNAI – SRTVS 702/902 – Ed.br/estrutura_presidencia/seppir Comunidades Quilombolas: Fundação Cultural Palmares – SBS – Quadra 02 – Lote 11 – Ed.Lista de contatos: CONAB: SGAS 901 Bloco “A” Lote 69 – Asa Sul – 70.palmares.: (61) 3218-3872 – www.710-012 – Brasília (DF) Tel.: (61) 3312-6000 – www.gov.gov.br/ouvidoria .: (61) 3411-3637 – www.070-040 – Brasília (DF) Tel.conab.070-120 – Brasília (DF) Tel.: (61) 2191-9904 – www.gov.

gov.br www.fomezero.Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome 0800 707 2003 Esplanada dos Ministérios – Bloco C CEP 70046-900 – Brasília (DF) www.br .mds.gov.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful