You are on page 1of 24

terysos.

com
territorio y sostenibilidad

Portfolio experiência de equipe

Amadeo Arias, 17, 4º B 47014 Valladolid Tfno. 664 35 05 86 terysos@ono.com

terysos.com
territorio y sostenibilidad

Portfolio

ambiente 3 .Equipe Antonio Hoyuela Jayo arquiteto Javier Gómez Herrero arquiteto José María Carreño arquiteto David Quintana Nieto geógrafo Raffaella Bompiani D´Ancora Fotógrafa.ambiente Germán Sanz licenciado em meio . especialista en comunicação visual Nossos colaboradores: Fernando Cobos arquiteto José Emilio Nogués arquiteto Roberto Martínez Alegría geólogo María Pardo advogada Sara Sanchez licenciada em meio .

• Estudos do entorno natural com base geográfica. • Estudos de tráfico e de sistemas de fluidez. • Assessoria na metodologia dos Sistemas de Informação. revista. • Análise e evolução de usos do solo e elaboração de cartografía com o apoio de imagens de satélite. utilização do transporte. Estudos Territoriais. • Sistemas para la avaliação do impacto ambiental. • Desenvolvimento de planos de Sistemas de Informação. • Planos Operativos Locais (POL) Planificada Setorial. Imagen e desenho gráfico • Formação. • Incorporação de modelos físicos em entornos GIS..e acompanhamento grafico no desenvolvimento e elaboração dos projetos empresariais: • Publicidade. Planos Especiais. • Normas Urbanísticas Estaduais. Estudos Urbanísticos. Urbanismo • Planos Diretores Urbanos PDU .Áreas de Negocio Áreas de Negocio de TERYSOS Ordenação do Território. diagnóstico e desenvolvimento territorial. • Planos e projetos regionais. • Planos Parciais. Geovisualização. transporte rural. diagnóstico e preparação da informação. transporte metropolitano. ordenação . • Normas Urbanísticas Municipais. Planificação estratégica e territorial. paisagísticos e Meioambientais • Estudos de impacto e prevenção de riscos naturais e antrópicos. • Elaboração de folhetos. pesquisas perceptivas. • Estudos de transporte: sistema concessional. 4 . • Elaboração das Diretrizes de Ordenação do Territorio. Geo-Informática e Sistemas de Informação Geográfica (GIS) • Desenvolvimento de Sistemas Integrados de inventário. • Projetos de edificação. • Projetos de escritórios.guias. Arquitetura • Projetos de urbanização. difusão.. • Análise de impacto de investimentos • Análise e Planejamento Paisagístico • Estudos territoriais e urbanísticos que incluem inventario. • Análise. • Informes técnicos. • Planificação Territorial no âmbito cultural. • Elaboração de interfaces gráficas para projetos ambientais ou de infra-estruturas. análise e gestão de dados espaciais.

Terysos territorio y sostenibilidad 5 .

Pesquisas e inventários. 1.estruturas Espaciais ). Urbanismo 1. projeto GEOCUENCA. Valladolid 2. Valladolid. F. 3. Paisagem. 1. Projeto de gestão sustentável das paisagens das vinhas. IDETRAMP. Assessoria IDE (Infra. Diretrizes de Ordenação territorial de Segovia e entorno. PLAU. Infra-estrutura de dados espaciais para a gestao de mercadorias perigosas. Estratégia dos caminhos a Santiago por Castilla y León. Mapa geológico e mineiro de Castilla y León 2. Assessoria nas propostas de “Urbanismo en Red” -Prefeitura e governo regional de Valladolid. 2. Inventario de planejamento Urbanístico . Plano geral de Ordenação urbana de Valladolid 2. . Geo. Estudo para a remodelação integral dos bairros de “Pajarillos y Rondilla” – em Valladolid 5.estruturas de Dados Espaciais). Plano Regional Territorial Valle Del Duero: projeto “Cúpulas del Duero” 3. Plano diretor das fortificações trans-fronteiriças do baixo Miño. B. Viabilização da linha de trens subterrâneos em Valladolid 4. Plano cartográfico de Castilla y León 2010 . 1. EIEL ( Pesquisas de Infra. nos governos Regionais de Burgos. Ordenação do território. Rede de Inteligência e Innovaçao Turística. Cuenca . 3.Experiência Experiências mais destacadas da equipe de TERYSOS A. Plano de prevenção de riscos e y ordenação de equipamentos de proteçao civil de Tenerife. H. Viabilização da linha de trens subterrâneos em León (concurso de anteprojetos) 3. G. Assistência técnica ao projeto de acondicionamento urbano do bairro degradado de San Antón. 2. 2. E. Cartografia 1. C.cidade do conhecimento : ECOINNO – ESINCO. 2.Prefeitura de Cuenca. Estudo da LAAT (Linha de Alta Tensão) passando pela bodega “Abadía de Retuerta”. I+d+ inovaçao 1.informatica 1. Planificação estratégica 1. 2. RIITur. Estúdio de impacto da A-11 (estrada provincial) por Abadía de Retuerta no âmbito do Plano Regional Territorial “Valle del Duero”. Cuenca.2020. D.

Apresentação geral 7 .

Territorio y Sostenibilidad “O solo. arquitetos. . meio.. Geólogos. que aposte por um territorio pensado a partir do lugar e suas condiçoes. geógrafos. o patrimonio cultural e natural. contando com visoes mais especificadas no assunto. . forman parte da equipe de profissionais que TERYSOS vem trabalhando. economistas. ser repensados e reformulados des de uma metodologia que aposte por um desenvolvimento sustentavel. mais que nunca.ambiente. O urbanismo. a industria. historiadores. ingenheiros de minas. e o território são um patrimônio coletivo que ha de ser utilizado de forma equilibrada e sustentável para deixar para as futuras gerações ” TERYSOS nasce da ideia de trabalhar para uma planificaçao sustentavel . A sua caracteristica principal esta´centralizada no estudo e adaptaçao `as necessidades específicas de cada trabalho . a exploraçao dos recursos naturais. TERYSOS trabalha com uma amplia e variada equipe de especialistas nas las distintas áreas do conhecimento do territorio. arqueólogos. A planificaçao urbanística e territorial encontran e se enfrentam no seculo XXI a escala mundial de urbanizaçao e´ a herencia de um processo de urbanizaçao acelerado e pouco respeituoso com o ambiente. des do "locus" e nao des da la racionalidade pretendida da geometria e da implantaçao de modelos exógenos.Apresentação geral TERYSOS.. os riscos. necessitam. engenheiros industriais e civis.. um grande trabalho de coordenaçao e tambem de assessoramento. o transporte.. os sistemas energéticos.

em especial as seguintes matérias: Ordenamento do Território. urbanismo — Planos urbana. Planos Especiais. pesquisas de percepção. gestão. Estudos Territoriais. — Desenvolvimento de Análise. as avaliações de transporte. — Estudos de transporte: o sistema de concessão. Paisagem e Meio Ambiente — Estudos de impactos e mitigação de riscos naturais e antropogénicos — Estudos da base geográfica natural — Sistemas de avaliação de impacto ambiental Planejamento estratégico e territorial. metropolitana. Planejamento Urbano Provincial — Informação. diagnóstico e territorial. design esistemas de informação geográfica e. Parcial — Planos. transporte rural. . urbanismo. — Informação Municipal de Planejamento Urbano. Estudos Urbanos. — Planos e projetos regionais. — Planejamento Planejamento em matéria cultural. — Desenvolvimento de Diretrizes para o Planejamento. — Estudos de sistemas de tráfego e de medição.Apresentaçao geral Equipe de Terysos TERYSOS é voltado à prestação de serviços de consultoria e assistência técnica específica para arquitetura. — Análise de impacto dos investimentos — Análise e Planejamento da paisagem — Estudos e inventário cobertura do solo urbano. diagnóstico e elaboração das informações — Planos operadores locais (POL) Planejamento do setor.

— Incorporação de modelos físicos em ambientes GIS. Geovisualization — Análise e desenvolvimento do uso da terra e do desenvolvimento da cartografia com a ajuda de imagens de satélite. — Relatórios técnicos. coerente com a proteção do ambiente e do património cultural " . análise e gerenciamento de dados espaciais. a fim de melhorar a qualidade de vida ea coesão social da população. "O principal objetivo do planejamento tem que ser que o uso da terra está de acordo com o interesse geral. exposições. — Projetos de instalações. — Conselho sobre a metodologia de sistemas de informação.presentación general Nosotros arquitetura — Projetos de urbanização.. divulgação e participação pública na elaboração dos planos — Design gráfico e fotografia — Definição de manuais e guias de estilo . — Desenvolvimento de sistemas de informação planos. Geoinformática e Sistemas de Informação Geográfica (GIS) — Desenvolvimento de Sistemas Integrados de inventário. — Desenvolvimento de interfaces gráficas para projectos ambientais ou de infraestrutura. — Projetos de construção. Fotografia e design gráfico — Treinamento de Gestão.

a lógica urbana e territorial. Definir modelos de crescimento. mas. redes e centralidades. Trabalhar a partir de uma compreensão da lógica da morfoestruturais e onde a definição de estruturas e sistemas territoriais e áreas urbanas através dos conceitos de morfologia. mas de desenvolvimento econômico. para melhorar a eficiência de procedimentos ineficientes. Melhorar a qualidade. Promover a flexibilidade e racionalidade em seus meios de distribuição e extensão obedecendo às questões sociais. em suma. 5.presentación general Urbanismo Planejamento Urbano Sustentável e Ecologia Urbana A sustentabilidade dos modelos regionais dependem de alguns princípios básicos que analisamos. e não de uma lógica sectorial. 6. e para definir o equilíbrio global . 7. não só administrativa (passivo ) deles. Rever o quadro legislativo e regulamentar e propor novos modelos adaptados às exigências para corrigir os desvios derivados de modelos atuais. Apoiando-se na utilização sistemática das tecnologias de informação e comunicação que podem fornecer e proporcionar oportunidades para modelo de mudança de paradigma intersante e ambientais. 2. flexível e criativo. Assumindo a importância de uma boa coordenação da participação da sociedade no planejamento e na definição destes modelos através das estruturas da sociedade civil deve ser promovida e reforçada. mas aquele que testemunha a culturas e lugares e paisagens identificadas através de proteção ativa. tipologia. . Propor. diversidade e pluralidade do patrimônio natural e cultural. Garantir a sustentabilidade da infra-estrutura e serviços como elementos básicos de uma lógica. os modelos de uso da terra urbana e inovadora. alto de consenso e integrar as tecnologias e modelos que visam o desenvolvimento sustentável. 9. 3. 8. 4. Pense transporte e mobilidade sustentável. um script que irá Decálogo nossas intervenções: 1. de fácil manuseio e executar grau. acima de tudo. não só para a excelência. transformando "sustentável" como uma base para projetos e programas e terrenos urbanos. social e territorial ética e viável.local. 10. econômicas e ambientais na tomada.

administrativa e política concebida como uma abordagem interdisciplinar e propício para o equilíbrio global das regiões ea organização física do espaço. de 05 de dezembro) os objectivos da OT são claramente superadas qualquer objetivo setor: . bem como no que diz respeito às peculiaridades locais. que necessariamente se estende a outros materiais setores. entre outros. a Carta Europeia do Ordenamento do Território estabeleceu conceito internacional de planejamento tem sido uma fonte de inspiração para muitas das Leis do Ordenamento do Território. consistente com a reunião as necessidades crescentes de recursos.presentación general Ordenación del Territorio Ordenamento do Território foi definida na Carta Europeia de 1983 como: "A expressão espacial das políticas económica. de acordo com a exposição de motivos ao nosso LOT (10/1998. que. a gestão responsável dos recursos naturais e proteção ambiental. social. ou seja. o nosso de CYL. " Esta conceituação ampla lista é acompanhada por uma série de "objetivo" que revelam o escopo e coordenar cruzar esta área. (LOT Reason) Como é sabido. Este documento de ordenamento do território destina-se como "a expressão espacial das políticas económica. e para o desenvolvimento racional e equilibrada regionais através da definição de usos aceitáveis para cada tipo ou promover terra. técnica. a criação de redes de infra-estrutura adequada e até mesmo a promoção de ações para melhor prosseguir o reforço do espírito de comunidade. caracterizado tanto como "disciplina FICA científica. Na análise de um instrumento de planejamento não pode perder de vista o que seus teleologia. sem incorrer em invasão de competências. melhorando a qualidade de vida das pessoas. através de seu acesso ao uso dos serviços públicos e infra-estrutura e do património natural e cultural. cultural e ecológico de toda a sociedade" tendo como objetivos: equilibrado e sustentável de desenvolvimento econômico. cultural e ecológica da sociedade inteira". social.

Esta abordagem é em grande parte irrefutáveis. o destino genérico ou alojamento ordenamento do território. " Ordenamento do território. que tem o poder de projetar no espaço territorial de Castilla e Leon a utilização do espaço global de políticas com vista a atingir uma adequada equilíbrio territorial (reequilíbrio na alocação de recursos econômicos. Através desta função ordenação.1. a gestão responsável dos recursos naturais e proteção ambiental.3 da Constituição Espanhola ª (CE) para "planejamento" como uma questão de jurisdição. e para o desenvolvimento racional e equilibrada regionais através da definição de usos aceitáveis para cada tipo ou a promoção de terra. culturais. com a dupla exigência constitucional de que a conduta das autoridades públicas promovam "condições favoráveis para o progresso social e económico e para a distribuição de renda regional mais eqüitativa" (artigo 40 º CE) e para assegurar "o uso eficiente de todos os recursos naturais a fim de proteger e melhorar a qualidade da vida "(artigo 45 º CE). etc.. através de seu acesso ao uso dos serviços públicos e infra-estrutura e do património natural e cultural. para que a função pela qual a autoridade pública determina os mais diversos usos e atividades. a criação de redes de infraestrutura adequada e até mesmo a promoção de ações que melhor prosseguir o reforço do comentário do espírito.presentación general Ordenación del Territorio ". que em nossa região tem sido confiada ao Ministério do Meio Ambiente. sociais. assim. melhorando a qualidade de vida das pessoas. consistente com a reunião as necessidades crescentes de recursos. O desenvolvimento equilibrado e sustentável.) e. . se você conecte o simples menção do artigo 148. para melhorar a qualidade de vida dos cidadãos. bem como no que diz respeito às peculiaridades locais.

podemos dizer que a paisagem é moldada como uma interesses coletivos legal.. o produto da experiência na área e que desperta e conduz seu povo para viver sentimentos.. os textos legais e jurisprudência têm vindo a decorrer a este respeito: Assim. Em nosso ordenamento jurídico é amplamente aceito que a proteção legal da paisagem ou o seu reconhecimento como um reconhecimento jurídico relevante no âmbito dentro do qual o artigo 45 da CE fez o meio ambiente e qualidade de vida. . A paisagem formas de espaço humano e é. que dá o valor da posição ou lugar para a representação de crenças. medida. territorializado manifestação da cultura. Mas também.). também pode ser agredida. com algumas contribuiçõesreferemse a doutrina. seguindo a classificação de Macedo Soares pode dizer que o valor paisagístico de um lugar pode ser estabelecida sob uma ordem tripla de valores: estética. por sua vez. é um valor ambiental que precisa de proteção legal porque. o que é socialmente atribuído ao local. fim .presentación general Paisaje como instrumento urbanístico y de OT A paisagem é um elemento cada vez mais importante de proteção ambiental e um componente indissociável da qualidade da vida humana. o emocional. e acima de tudo. o resultado das atividades humanas e da história. proporção. eo simbólico. Objetivar minimamente componentes desse conceito é suficiente para o propósito deste trabalho. A partir daqui. assim como outros elementos do ambiente. conceitos ou eventos. referindo-se à beleza (luz. tais como identidade oua reagir contra possíveis ataques. integrado no ambiente mais amplo e tudo o que envolve certos deveres de protecção por parte do governo e pode envolver ou exigir a limitação como aqui-outros direitos einteresses de natureza econômica.

que abrange "as áreas naturais. mar e águas interiores" (art. o preâmbulo da Convenção Europeia da Paisagem de 20 de outubro de 2000 (ratificado pela Espanha em 06 de novembro de 2007 e em vigor desde 1 de março de 2008) reconhece que "a paisagem é um elemento chave do bem-estar individual e protecção social. gestão e planejamento implicam direitos e responsabilidades para todos. como percebido pelas pessoas. ainda. ambientais.presentación general Paisaje Por seu turno. o seu impacto sobre a paisagem. e para o valor que eles atribuem a população derivada dimensão subjetiva dos links de vários tipos bloqueado. é claro especialmente importante para a alta tensão da linha que nos interessa é saber que a Convenção Europeia da Paisagem exige. agrícolas. rurais. para identificar e desenvolver objetivos paisagem. os determinantes de excepcional beleza e ambiente natural. Além disso. e integrar paisagem em política. planejamento. bem como outras que possam ter efeitos diretos ou indiretos sobre a paisagem (artigo 5 º b)) . indicando. políticas sociais e econômicas. 1 ). O cenário a partir deste texto é definido e protegido por tanto a dimensão estrutural-objetiva. Esta definição está agora incorporadas ao nosso sistema legal para hoje e para a Lei 42/2007. . que inclui e combina tanto objetiva e avaliação subjetiva deste elemento. não está de acordo com o sistema legal. entre outras descobertas. paisagem de qualidade (artigos 6 º c) e d)). urbanas e peri-urbanas áreas de terra. Em que agora pode ser de maior interesse deste texto define a paisagem como "uma área. urbanismo e políticas culturais. 2). cujo caráter é o resultado da ação e interação dos recursos naturais e / ou humana" (art. uma alternativa ou até mesmo um EIA-Laat não avaliar corretamente e entender que isso não for feito. Património Natural e Biodiversidade define a paisagem literalmente abraçar estas disposições citadas da Convenção Destas previsões é importante notar que contém uma superação da distinção clássica entre paisagem natural e cultural. Em seguida.

permite a recuperação de dados espaciais através da web usando protocolos específicos. metadados. mas em outros servidores compatíveis. fornecendo todos os potenciais utilizadores a localização. Sua implementação deve se estender elemento básico e fundamental para o acesso a informação relevante em qualquer lugar e sobre qualquer assunto. proteção e manejo de cartografia. identificação.presentación general IDE – SIG y el paradigma de la Sostenibilidad Infraestruturas de Dados Espaciais definir um novo paradigma na produção. As principais operações sãoserviços de consultoria ou capacidades WMS. a exibição de mapas ou informações de consulta associado com certos elementosdo mapa. Permite a busca de informações de diversas origens e temas variados. serviços e informação geográfica. . Web Feature Service Interface Standard. O padrão GML para troca de informações sob o mecanismo de protocolo utiliza XML e troca de informações. Os elementos básicos que irão moldar uma IDE são: O Web Map Service (WMS) pode produzir mapas com base em uma localização geográfica específica dinamicamente a partir de informação geográfica contida não só no seu servidor. Esta característica favorece grandemente a colaboração de diferentes atores ou instituições que fornecem informações sobre a composição dos mapas para a carta em um só lugar. Catálogo dos serviços (CWS Web Service Catalog) define interfaces para recuperação e captura de metadados sobre os dados em si. A WFS. A função principal é desenvolver a visualização e acesso a dados. IDEE definiu umaespecificação de co catálogo nten com base na norma espanhola de Metadataje Serviços de troca de dados. Têm como objectivo integrar Internet através de dados. seleção e acesso a tais recursos. A WFS-T permite a troca de dados e edição remota.

Disponibilidade de mapas de base pelo usuário final personalizável e potencialmente "overlapping" com informações de vários fornecedores. Internet Locator Service (ILS) genéricos soluções orientadas a serviços de mobilidade. que podem oferecer serviços de processamento de dados espaciais. o envio de uma pergunta. Implementação de nomes de buscadores da rede (processamento paralelo).presentación general IDE . que define a interface para o pedido de informações sobre um determinado sensor capacidades e como consultar. onde o processo específico e sua implementação depende da vontade de cada usuário.SIG O mais necessário para o desenvolvimento da análise espacial ou redes específicas. Sensor Web Enablement suite (SWE) de padrões inclui: A Linguagem Modelo Sensor. atualização ou cancelamento. Cobertura Web Service (WCS) para baixar ou analisar dados raster remotamente. a fim de obter resultados de valor de recursos disponíveis no IDE. É um serviço genérico. O Sensor de Serviço de Planejamento Internet Standard (SPS). Você pode trabalhar com dados espaciais e alfanuméricos. WPS opera a partir de uma série de dados com um algoritmo ou função e produz um conjunto de saída padrão pré-definido. . e atualizá-lo em colaboração com agências relevantes. Web Processing Service (WPS). através de um serviço. especificamente. o que facilita a localização de nomes de lugares. WPS. nomes de lugares . Entre outros. de status de resposta.. É um serviço que permite que o "mash-up" a informação remotamente. Serviço de Processamento. O SOS. podemos ver: Consulta remota de informação cadastral. e acesso a outros serviços OGC a partir de dados coletados O desenvolvimento destes serviços permitirá que vários aplicativos que contribuem para a melhoria da qualidade da distribuição de tarefas complexas de atualização e manutenção e disseminação da informação geográfica. Web Map Context (WMC). e produtor de conteúdo (e agora até mesmo com a variável tempo). A maioria das funções definidas neste trabalho devem ser incorporadas por meio de serviços WPS. Trabalha com sensores estáticos e dinâmicos. ea capacidade de download de dados geográficos de qualquer lugar. os dados de "observação". SensorML. as suas variáveis de monitoramento. serve como um quadro para o intercâmbio de informações entre um sensor e um modelo de GIS.. e ainda a ser desenvolvidos são o serviço de processo. A norma foi concebida para suportar pedidos para as seguintes perguntas: viabilidade e acessibilidade do sensor. projetado para armazenar uma representação de dados em forma de mapa e jogar. Layer Style Descriptor (SLD). principalmente focada em roteamento e dispositivos de cálculos de geocodificação. o l censo ou recenseamento de rua. Sensor Observation Service (SOS) fornece uma API para a gestão e recuperação de dados de sensores e. para alterar a simbologia de um WMS.

Walt Whitman. o prazer. Considerar "a excelência eo valor da imagem" sobre a estratégia global de negócios. Pagamento: (a partir de Pagus Lat.. 2. O valor da imagem reside na suacapacidade de transmistir compromisso com a qualidade com o território. enquanto que na Borgonha são os "grands crus".que parece ser a tradução literal. 1891) Alguma vez você já pensou sobre como transformar uma imagem em algo mais valioso do que mil palavras? . com a excelência de um produto bem feito e bem fotografado.Departamento de imagen . os sentidos. orientação. (Leaves of Grass. fauna. incluindo não sóo terreno ou a composição do mesmo. especialmente vinhas ou olivais. o território é um valor fundamental.. pon / Coloque em primeiro lugar. com o "premiers crus" a segunda categoria. ou seja. quase ecossistema. mas é errado. ou partes. "Cru Bourgeois" (burguesa) .. / O campo da arte e da ciência. Determinado distrito ou a herança da terra. "premier cru". Cru: Normalmente aplicadas para aqueles que estão dentro de uma classificação hierárquica.. /Para recolher imagens / Coloque suas canções disse: / Eu não a hora ou dia. Como na produção de vinho. embora os franceses podem ter um significado mais amplo. um pagamento ou vinha.presentación general IMAGEN Departamento imagem Eu conheci um profeta / Que foi além dos detalhes e objetos no mundo. Climat: ('tempo') é equivalente a cru Borgonha. como cercar o produto ou serviço. vegetação. uma luz para todos e todas as músicas de abertura. mas também o microclima. e assim por diante. Há "grand cru". presente de castas. Terroir: terroir é o equivalente. Disseram em sete passos 1. o ambiente de um indicador definitivo. / as imagens . "Compreender o valor do local. ou segmentos.. Alguns traduzem como "brutos". Uma coisaimportante no Médoc o "melhor" os vinhos são os "premiers crus". o território".). em qualquer negócio. Pictures..

com a cor... " Edward De Bono 4. "Em tempos de crise." Albert Einstein. "Inovar através da imagem". 6. o fundo. uma adaptação de tamanhos e formatos. portanto. A nossa forma de transmitir nossa idéia de qualidade está relacionada não só com a qualidade da imagem e da fotografia. com o quadro. mas com a seleção do ponto de vista.presentación general IMAGEN 3. Entrevistas para entender a estratégia de imagem." Jules Verne. slides digitais de qualidade Grande ou negativos.). 18791955. 1828-1905. com a composição. 6X9.Iluminação e câmeras portáteis de diferentes formatos. O uso de "Tecnologia da Informação e Comunidación (TIC)" na gestão. 10X12 (Plate).. Preços adaptados às necessidades dos nossos clientes. a sua visão através da fotografia e suas diversas formas combinadas. etc . Onsite pessoal especializado em todo o processo. apresentação e divulgação das imagens. "Às vezes você tem que andar de mãos antes que eles possam ir em frente. "Há algo mais importante do que a lógica: é a imaginação. só a imaginação é mais importante que conhecimento. a sua "marca" a sua "estratégia". cartazes. As escolhas de formato ou a qualidade de acordo com o que será usado as imagens (revistas. Próprios veículos. georeferenciamento automático de fotos (GPS). apresentações. web dinâmica (web 2." Alfred Hitchcock. qualidade e inteligência." Produtos e Serviços Catálogo: Trabalho nos seguintes formatos: Médio de qualidade digital. a capacidade de enfrentar os riscos ou fazer coisas que não fazem sentido no curto prazo. Cada detalhe da imagem exige uma análise cuidadosa e design não comprometeria a capacidade de se comunicar. "Serviços e produtos de excelência. TERYSOS especializado em transmitir a idéia do cliente. formatos: 6X6. Tecnologias Web.. decoração de interiores. outros podem fazer isso acontecer. "Tudo o que uma pessoa pode imaginar. . 5. formato e mídia é distribuído com o tamanho de impressão . A Estratégia prevê a longo prazo e. "Flexibilidade. web. processamento digital de imagem. 1899-1980... Opções para todos os tipos de necessidades. folhetos." Relatórios de publicidade in-house. etc . com a proporção eequilíbrio no mage i.0).

Hoyuela Antonio Jayo. na Itália. Juan Miguel Ortega Terol. Hon. Cuenca. . Planejamento e Sustentabilidade 2010: Interoperabilidade e Segurança no IDE 2009: IDE Governo Serviços Locais 2008: IDE e Planejamento Sustentável 2007: Oportunidades de IED em Admon local Foto cuartocurso a abertura do Governo IDE e local da nova sede da UIMP. O vulcão não venha a Cuenca. UIMP Diretor Acadêmico. Diretor do Seminário (TERYSOS) Foto da intervenção via vídeo-conferência Craglia Max. Seminarios IDE y Administración Local Reuniões (seminários) da Universidade Internacional Menéndez Pelayo. Cuenca. abril de 2009. Fran Pulido. em Cuenca: IDE e Local Admon Cuenca Municipal vem trabalhando com diversas entidades e autoridades na divulgação e conhecimento de iniciativas nacionais e europeias no domínio da informação geográfica através do seminário anual realizada na sede da Universidade Internacional Menéndez Pelayo (UIMP) em Cuenca sob a direção acadêmica do D. gerente TERYSOS. Jose Antonio Hoyuela Jayo.presentación general UIMP. Prefeito de Cuenca. do CCI.

presentación general Nossos valores •Vasta experiência em todos os tipos de projetos. . •Pessoal altamente qualificado •Inovação contínua de nossas estratégias e métodos de trabalho •Vocação para o cliente •a máxima confidencialidade •Descrições e multidisciplinar •Compromisso com a Sustentabilidade. •Compromisso com a Qualidade.

excmo Ayuntamiento de la Ciudad de Cuenca En colaboración con Tarea Referenciación de los yacimientos arqueológicos de Castilla y León en el SIG corporativo de la Junta Publicación de las DOTAPSA. Directrices de Ordenación del Territorio de la provincia de Salamanca. Junta de Castilla y León Jesús Ruíz de la Parte DG de Catastro. Junta de Castilla y León (antes DG Vivienda y Urbanismo) DG Patrimonio. Consejería Cultura y Turismo. Consejería Cultura y Turismo.presentación general Referencias TRABAJOS REALIZADOS POR TERYSOS Cliente DG Patrimonio. Dirección y coordinación de la Estrategia de los Caminos a Santiago por Castilla y León Informe de gestión urbanística del SG EL08 en el PGOU de Valladolid Desarrollo de una herramienta informática para la actualización de los datos 901 en la plataforma LOCALGIS Elaboración de una herramienta para la localización de las competencias de las distintas administraciones públicas en un entorno de un punto concreto del espacio Implantación de la herramienta GEOPISTA (hoy LOCALGIS) en el Excmo Ayuntamiento de Cuenca Volcado del planeamiento urbanístico en el sistema PLAU del Centro de Información Territorial y carga en la página WEB del Sistema Informe sobre la llegada del AVE a Valladolid para el COA Valladolid Ordenación y gestión del Sector 15 del PGOU de Simancas (aprobacion inicial) Implantación de la herramienta GEOPISTA en la Diputación de Pontevedra Propuesta del deslinde del Camino Francés Normas Urbanísticas del Ayuntamiento de San Cebrian de Mudá Gestión del proyecto "URBANISMO EN RED" que incluye la publicación de los datos urbanísticos Fin TERYSOS 2007 COTESA 2007 COTESA 2007 TERYSOS 2007 2007 2007 2008 COTESA 2008 TERYSOS Estudio José Emilio Nogués COTESA UTE BAU-SIGNO TERYSOS 2008 2008 2008 2008 En des TERYSOS 2008 . Junta de Castilla y León (antes DG Vivienda y Urbanismo) COA Valladolid (Informe Alta Velocidad) SECTOR 15 SIMANCAS Diputación de Pontevedra Consejería de Cultura. Xunta de Galicia Ayuntamiento de San Cebrian de Mudá Patronato de Cuenca. Ministerio de Economía y Hacienda COTESA Ministerio de Administraciones Públicas COTESA Ayuntamiento de Cuenca COTESA DG Urbanismo y Política de Suelo. Junta de Castilla y León DG Urbanismo y Política de Suelo.

Fases 1 a 3 como director técnico de la UTE. Cabildo Insular de Tenerife COTESA UIMP. Junta de Comunidades de Castilla . 2010 . TALLER DE IDEAS. Javier Berzosa y TERYSOS Redacción del Plan General de Ordenación Urbana de Villalba de Duero En des DG Patrimonio. JCYL TERYSOS En des . Dirección General de Ordenación del Territorio COTESA Asesoría en Sistemas de Información al Excmo Ayuntamiento de Cuenca Informe sobre la ordenación del territorio y del paisaje en Castilla y León para el Atlas de los Paisajes de CLM Plan Cartográfico de Castilla y León. Junta de Castilla y León TERYSOS Actualización de la Estrategia de los Caminos a Santiago por Castilla y León. Junta Castilla y León En colaboración con Tarea Informe sobe el paso de la LAAT de 43 Kv por la finca de Abadía Retuerta y su afección al paisaje Fin 2008 UTE INCOSA.presentación general Referencias TRABAJOS REALIZADOS POR TERYSOS Cliente Abadía de Retuerta. S XXI DG Prevención Ambiental y Ordenación del Territorio.La Mancha Dirección y coordinación del Plan Territorial Especial de Ordenación y Prevención de Riesgos del Cabildo Insular de Tenerife Dirección de los cursos sobre IDEs. Consejería Cultura y Turismo. SA TERYSOS DG Prevención Ambiental y Ordenación del Territorio. 2007 y 2008 En des TERYSOS 2008 TERYSOS Informe: "Experiencias de análisis territorial en Castilla y León" 2009 Ministerio de Defensa / PROFIT / ADE COTESA Plan General de Ordenación Urbana de Villalba de Duero Elaboración de una infraestructura de datos espaciales para la gestión de mercancías peligrosas En des David Dobarco.1 2009 Desarrollos Naturales. En des Planes Insulares. Consejería Medio Ambiente.2014 2009 TERYSOS 2009 Centro de Información Territorial. V 9. Consejería Medio Ambiente. Universidad Internacional Menendez y Pelayo Consejería de Ordenación del Territorio y Vivienda. Junta Castilla y León TERYSOS Proyecto Regional "Centro de Ocio en Montealegre" 2009 Danko Linder Paisajista Estudio "Paisajes del Viñedo" para el programa INTERREG 2009 Ayuntamiento de Cuenca Junta de Comunidades de Castilla La Mancha. COTESA Dirección y coordinación del PRT Valle del Duero y del programa Cúpulas del Duero. Infraestructuras de datos Espaciales.

TERYSOS trabaja en la elaboración del proyecto GEOCUENCA II y LOUReD para la implantación y desarrollo de LOCALGIS y Urbanismo en Red en la Diputación de Valladolid. Fernando Cobos y Xaime Garrido. Antonio Hoyuela Jayo) TERYSOS colabora en la preparación de las propuestas de la primera convocatoria de Urbanismo en Red en la Diputación de Valladolid y en el Ayuntamiento de Valladolid Las normas de Villalba de duero en Aprobacion Inicial (Noviembre 2009) Campiñas y tesos aislados en el entorno de Gormaz . TERYSOS trabaja en múltiples proyectos de normalización cartográfica y de planificación urbanística y territorial Las normas de San Cebrían de Mudá en Aprobacion Inicial (Noviembre 2009) LocalGIS2 sigue avanzando con nuevas propuestas coordinadas por el Grupo de Usuarios (Octubre 2009) URBS IBEROAMERICANA (La Exposición y artículos sobre la historia del urbanismo y de la frontera de Brasil. en los premios AEAC 2009. por el Plan Director de las FortificacionesTransfronteirizas del Baixo Minho. de La Xunta de Galicia. en una ceremonia en Lugo. AEAC. ha otorgado. en el Principado de Asturias. en el Ayuntamiento de Cuenca. la medalla de Plata de la AEAC.presentación general Referencias Principales trabajos en realización por TERYSOS La Asociacion Española de Amigos de losCastillos. a la Dirección Xeral do Patrimonio Cultural de La Consellería de Cultura e Turismo. dirigido por Antonio Hoyuela.