You are on page 1of 47

PODER JUDICIÁRIO

JUSTIÇA DO TRABALHO

TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 4ª REGIÃO

Estudo de Implantação do pacote de aplicativos BrOffice.org na Justiça do Trabalho da 4ª Região

Secretaria de Informática Novembro/2007 Versão 1.0.0

Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região

Secretaria de Informática

Sumário
1 Introdução......................................................................................................................................................4 2 O Software Livre...........................................................................................................................................5 2.1 O que é Software Livre?........................................................................................................................5 2.2 Outras Licenças de Conteúdo................................................................................................................5 2.3 Benefícios do Software Livre................................................................................................................6
2.3.1 Qualidade de Desenvolvimento.......................................................................................................................6 2.3.2 Utilização de padrões abertos ..........................................................................................................................6 2.3.3 Interoperabilidade com padrões proprietários..................................................................................................7 2.3.4 Continuidade de Desenvolvimento..................................................................................................................7 2.3.5 Custo de licenciamento Zero............................................................................................................................7 2.3.6 Mão de obra qualificada e disponível..............................................................................................................8 2.3.7 Independência tecnológica...............................................................................................................................8

2.4 O Sistema Operacional Linux................................................................................................................8 2.5 Outros Softwares Livres........................................................................................................................9 2.6 O OpenOffice.org................................................................................................................................10
2.6.1 A Origem do OpenOffice.org.........................................................................................................................10 2.6.2 O Desenvolvimento do OpenOffice.org no Mundo Corporativo...................................................................10 2.6.3 O BrOffice.org................................................................................................................................................11 2.6.4 BrOffice.org Writer........................................................................................................................................12 2.6.5 BrOffice.org Calc...........................................................................................................................................13 2.6.6 BrOffice.org Impress......................................................................................................................................14 2.6.7 BrOffice.org Draw..........................................................................................................................................15 2.6.8 BrOffice.org Basic..........................................................................................................................................16 2.6.9 BrOffice.org Base...........................................................................................................................................17 2.6.10 Integração das Aplicações............................................................................................................................17 2.6.11 Os formatos de arquivo do BrOffice.org .....................................................................................................18

3 A Implantação do BrOffice.org....................................................................................................................19 3.1 Aspectos Relacionados ao BrOffice.org Writer....................................................................................20
3.1.1 Alternativas de uso dos formatos de arquivo de texto....................................................................................20

3.2 Aspectos Relacionados ao BrOffice.org Calc......................................................................................21
3.2.1 Fórmulas.........................................................................................................................................................21

3.3 Aspectos Relacionados ao uso do BrOffice.org Impress......................................................................22 3.4 Aspectos Relativos ao uso do BrOffice.org Base.................................................................................22
3.4.1 Criação e Conexão de Bancos de Dados........................................................................................................23

3.5 Aspectos Relacionados ao Uso de Macros...........................................................................................24
3.5.1 Linguagem Basic............................................................................................................................................24 3.5.2 A API de Desenvolvimento............................................................................................................................25

4 TRT4: Caso de Sucesso de Implantação no Judiciário Brasileiro................................................................26 4.1 Panorama geral da estratégia de adoção de Softwares Livres..............................................................26
4.1.1 A escolha do OpenOffice.org com pacote de aplicativos...............................................................................26

4.2 Diagnóstico do Ambiente.....................................................................................................................27
4.2.1 Avaliação de Hardware e Software................................................................................................................27 4.2.2 Avaliação do Sistema inFOR..........................................................................................................................27

4.3 Recodificação do Sistema inFOR........................................................................................................28 4.4 Treinamentos da Equipe de Suporte ....................................................................................................28
4.4.1 Período: agosto de 2004 ................................................................................................................................28 4.4.2 Período: outubro de 2004 ..............................................................................................................................29 4.4.3 Período: setembro de 2005.............................................................................................................................29 4.4.4 Período: setembro de 2006.............................................................................................................................29 4.4.5 Período: agosto de 2007.................................................................................................................................29

2

Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região

Secretaria de Informática

4.5 Pré-implantação...................................................................................................................................29 4.6 Implantação.........................................................................................................................................30 4.7 Suporte Técnico e Atualizações...........................................................................................................31
4.7.1 Novas Versões................................................................................................................................................31

4.8 Treinamentos dos Usuários Finais.......................................................................................................32 5 Conclusões...................................................................................................................................................34 ANEXO I – Ofício 17/2004 Secretaria de Informática..................................................................................37 ANEXO II – Via E-mail Especial – nº 23......................................................................................................42 ANEXO III – Matéria do Jornal Interno Em Pauta, Junho/Agosto de 2004...................................................43 ANEXO IV – Entrevista do Dir. Luis Fernando Pontello para o Projeto Software Livre Brasil – 2005.........44 ANEXO V – Matéria da edição “Escritório a custo zero” da Coleção INFO EXAME – 2006......................47

3

Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região

Secretaria de Informática

1 Introdução
O presente trabalho tem como objetivo apresentar, de forma sistematizada, o processo de migração para o pacote de aplicativos BrOffice.org no Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região (TRT4). O projeto, iniciado no ano de 2004, apresenta, hoje, reconhecidos resultados quanto a sua eficácia técnica e estratégica. A primeira etapa do documento tem como objetivo apresentar conceitualmente o Software Livre e o BrOffice.org para o leitor. É uma apresentação de grande utilidade, visto que, apesar do significativo avanço do Software Livre como solução técnica, ainda é necessário que alguns conceitos devam ser esclarecidos ou melhor fundamentados. Esses conceitos são um forte subsídio às definições estratégicas de projetos de migração e podem servir de apoio à tomada de decisão quanto à adoção de determinadas práticas, como quando falamos, no BrOffice.org, de formatos de arquivo e integração das aplicações. Grande parte do conteúdo foi baseado no material gentilmente cedido por Gustavo Buzzatti Pacheco, coordenador de documentação do projeto BrOffice.org e consultor da ProDesk Consultoria e Treinamento. Nessa etapa, foram detalhados os aspectos mais importantes para a fundamentação técnica da migração do TRT4. A segunda parte do documento descreve em detalhes o projeto de migração do TRT4 para o BrOffice.org. São descritas as etapas de análise, desenvolvimento, treinamento, préimplantação, implantação e suporte. São detalhadas iniciativas importantes e pioneiras em projetos de migração para o pacote de aplicativos. A recodificação do sistema inFOR, de geração de documentos pré-formatados, e a instalação automática remota, por exemplo, foram soluções inovadoras dentro do contexto de migração para a versão 1.1.x do OpenOffice.org, como o software se chamava em 2004. Será apresentada, também, a estratégia de treinamentos que caracterizou o projeto desde o seu início e que, hoje, é apontada como uma das razões fundamentais para o sucesso do projeto. Ao final do estudo, apresentaremos as conclusões do projeto sob três aspectos: economia, colaboração e padronização. A avaliação econômica do projeto é um dos itens indispensáveis ao nosso estudo. Já a colaboração é um aspecto inovador na relação do tribunal com os demais protagonistas do desenvolvimento e disseminação do pacote BrOffice.org (empresas, comunidade, projeto BrOffice.org, desenvolvedores, etc). Da mesma forma, a padronização apresenta as constatações derivadas da análise do ambiente externo quanto aos formatos de arquivo, a partir das necessidades de desenvolvimento de soluções informatizadas dentro da Justiça do Trabalho Por fim, acompanhando uma característica peculiar do Software Livre, este documento estará em constante evolução. A fim de subsidiar adequadamente as decisões futuras relacionadas ao projeto, documentaremos os novos desenvolvimentos do pacote BrOffice.org e sua aplicação direta num ambiente complexo como o da Justiça do Trabalho da 4ª Região.

4

. Ele impede. por exemplo. 1). Em resumo: é o software cuja licença garante ao usuário as liberdades de estudo.org 2. Referências complementares: Licença GNU GPL: http://www. O projeto GNU iniciou a pesquisa e o desenvolvimento de diversos programas. Para isso. ele terá a obrigação de garantir aos seus usuários compradores os mesmos direitos de execução. documentos. Esse conceito foi batizado de copyleft. . outras licenças similares foram desenvolvidas para diferentes casos. Acesso ao código-fonte é um pré-requisito para esta liberdade. 0). por exemplo. Além do trabalho técnico de desenvolvimento e suporte aos programas de computadores. 3). Acesso ao código-fonte é um pré-requisito para esta liberdade. É a licença GPL que define claramente as características necessárias para que um programa seja considerado livre. Stallman vem desenvolvendo essa idéia através do projeto GNU (Gnu is Not Unix).2 Outras Licenças de Conteúdo Em paralelo ao uso da licença GNU GPL. Pela licença GPL. cópia e distribuição do seu código de programação.Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região Secretaria de Informática 2 O Software Livre 2. modificação. Novas licenças foram desenvolvidas para o compartilhamento de músicas.A liberdade de estudar como o programa funciona.1 O que é Software Livre? O conceito de Software Livre foi criado pelo pesquisador Richard Stallman e baseia-se na garantia da liberdade do usuário de executar. que é voltada para o desenvolvimento de documentação técnica. quatro liberdades devem ser respeitadas.A liberdade de aperfeiçoar o programa.org/licensing/education Free Software Foundation: www. 2). que um software de código aberto seja incorporado e vendido por uma empresa como código proprietário. os conceitos do Software Livre foram adaptados para outras áreas do conhecimento.fsf. criado em 1984 pela Free Software Foundation. copiar.A liberdade de executar o programa. e liberar os seus aperfeiçoamentos. aproveitando as amplas possibilidades de desenvolvimento de trabalho colaborativo a partir da evolução das tecnologias de comunicação. . distribuição e aperfeiçoamento. desde que essas liberdades sejam garantidas para outros usuários. de modo que toda a comunidade se beneficie (liberdade no. .A liberdade de redistribuir cópias de modo que você possa ajudar ao seu próximo (liberdade no. a Internet. para qualquer propósito (liberdade no. cópia. distribuir e aperfeiçoar um programa de computador. em oposição ao copyright. distribuídos seguindo o modelo de licenciamento GPL (GNU General Public License). Licenças como a GNU FDL (Free Documentation License). todo programa que utilize fragmentos de programas licenciados pela GPL também deve seguir esse licenciamento. em particular.fsf. no entanto. e adaptá-lo para as suas necessidades (liberdade no. 5 . Isso quer dizer que o distribuidor que faz alguma alteração no programa tem o direito de cobrar uma taxa pelo seu desenvolvimento no software.

Vale a pena citar iniciativas estratégicas para a utilização de padrões abertos.1 Qualidade de Desenvolvimento O Software Livre possui o seu código-fonte aberto.3.2 Utilização de padrões abertos A utilização de padrões abertos é uma característica dos softwares livres. Um dos mais populares conjuntos de licenças é o Creative Commons.Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região Secretaria de Informática vídeos. Eventualmente. 2.creativecommons. o uso do software livre permite integrar novos conceitos operacionais e estratégicos. cuja criação teve como objetivo melhorar os processos de interoperabilidade entre aplicações. Isso. Referências Complementares: Licenças Creative Commons: http://www. mesmo utilizando softwares diferentes. conseguem desenvolver projetos. A utilização de procedimentos seguros de desenvolvimento de programas permite que o código final. a primeira vista. rápida e e econômica do que no software proprietário. o fato do código ser aberto não significa que ele seja vulnerável. Um dos maiores exemplos da utilização do licenciamento Creative Commons é a Wikipedia. uma enciclopédia on-line criada a partir das colaborações de diversas pessoas dos mais diferentes lugares do mundo. a arquitetura e-PING define um conjunto mínimo de premissas. Através do Creative Commons podemos assinalar digitalmente um material. Em relação a segurança.org/reticulum_rex/br/ 2. os formatos de arquivo do BrOffice.org obedecem a um padrão internacional de formatos de arquivo.org Vídeos sobre Creative Commons: http://mirrors.3. pode parecer uma possibilidade de problemas futuros com a segurança de informações ou com a disponibilidade do software. compilado a partir do código-fonte aberto. Um padrão aberto é uma norma técnica de conhecimento público. políticas e especificações técnicas 6 .org/getcreative/br/ http://mirrors. A utilização de padrões facilita a comunicação e a interoperabilidade entre usuários e organizações que. pois pode ser efetuada por qualquer programador com conhecimento do código-fonte. destacaremos as vantagens do uso de Softwares Livres em ambientes corporativos. ao contrário do que imaginamos inicialmente. 2. Um desses recursos mais comuns é o formato de arquivo utilizado para troca de documentos. encaminhar documentos e tomar decisões a partir da utilização de recursos padronizados. No entanto. tornando mais flexível a gestão do ambiente tecnológico e provendo soluções cada vez melhores para o usuário. Como veremos adiante. seja menos vulnerável a ataques. indicando as formas de distribuição e modificação permitidas aos demais usuários. a resolução é disponibilizada mais rapidamente.creativecommons.creativecommons. Nesta seção. textos e o mais variado conjunto de produção intelectual.3 Benefícios do Software Livre Para um ambiente corporativo. quando um problema é identificado. o código-fonte aberto permite que qualquer falha seja identificada e resolvida de forma mais fácil.

ou alterá-lo e distribui-lo a fim de comercializar serviços e projetos.governoeletronico. os softwares livres têm como característica a interoperabilidade com os padrões proprietários. utilizando a licença GNU GPL ou similar.arquivo=E15_677e-PING_v2. visite: http://www.br/governoeletronico/publicacao/down_anexo. normalmente.pdf 2. permitindo que a equipe interna tenha dedicação prioritária para as suas atividades normais.3. Com o licenciamento livre do software. consultoria e treinamento sejam desenvolvidas por alguma equipe externa à organização. os softwares livres são gerenciados por empresas ou comunidades de programadores organizados na Internet. o usuário tem a garantia de que o software que ele está utilizado um software que poderá continuar a ser desenvolvido mesmo que os programadores ou empresas responsáveis por ele desistam do desenvolvimento da aplicação.0_17112006_LINUX_FINAL. Dessa forma. Isso não significa. Caso a organização possua todo o conhecimento incorporado dentro da sua estrutura de Tecnologia da Informação. Isso garante a continuidade do trabalho do usuário em uma migração. Um exemplo dessa característica são os pacotes de aplicativos livres compatíveis com os formatos do pacote de escritórios Microsoft Office. o próprio usuário poderá alterar e melhorar o sistema para o seu próprio uso. amplamente utilizado e praticamente um padrão de fato nas organizações até o surgimento das alternativas livres. 2. 7 .3. Para conhecer o documento. embora.wsp? tmp.3. que não exista necessidade de investimento na implantação de um software livre. Isso acontece porque ele tem a sua disposição o código-fonte do software e a possibilidade de usá-lo e modificá-lo a partir da licença livre. 2. até mesmo esses investimentos podem ser descartados. Essas aplicações permitem abrir. estabelecendo as condições de interação com os demais Poderes e esferas de governo e com a sociedade em geral.Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região Secretaria de Informática que regulamentam a utilização da Tecnologia de Informação e Comunicação (TIC) no poder executivo do governo federal do Brasil. no entanto. Essa característica permite que uma implantação seja feita com mais tranquilidade e que o histórico de informação baseado em padrões proprietários seja aproveitado.4 Continuidade de Desenvolvimento Em geral. que desenvolvem as aplicações em conjunto com os usuários.3 Interoperabilidade com padrões proprietários Ao mesmo tempo em que utilizam formatos de arquivo baseados em padrões abertos. editar e salvar nos formatos do Microsoft Office. as atividades de suporte técnico avançado. Os investimentos são realizados para melhorar ou adaptar o software ao ambiente da organização através da contrataçào de serviços de treinamento.gov. suporte e configuração das aplicações.5 Custo de licenciamento Zero O Software Livre não possui custos de licenciamento.

Gentoo. A existência de várias distribuições é uma característica peculiar do Software Livre. Muitas organizações têm dificuldades em manter o seu ambiente tecnológico estável por uma série de motivos externos à organização. como poder exemplo. motivou a criação de outros projetos seguindo a mesma filosofia. administradores de sistemas. governos. Mandriva. um dos questionamentos mais comuns em relação ao Software Livre foi a disponibilidade de mão de obra qualificada: técnicos. O amadurecimento do mercado deve-se também a participação de vários desenvolvedores de sistemas brasileiros nas comunidades internacionais que mantêm as aplicações livres. A partir desse cenário. a organização tem a possibilidade de organizar a sua própria estratégia. 8 .Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região Secretaria de Informática 2. etc. para as organizações públicas. O primeiro anúncio do projeto foi postado em uma lista de desenvolvedores e. Com isso. Debian. SUSE. o projeto foi agregando voluntários da área da computação. programadores. usuários e voluntários em geral. com empresas prestadoras de serviços em software livre estabelecidas para o atendimento das demandas relacionadas a implantação do Software Livre. Muitas vezes. muitos novos profissionais do mercado têm ecolhido o Software Livre como base tecnológica. O sucesso do Linux. Ubuntu. instituições. Fedora e Slackware. Uma distribuição é um conjunto de aplicativos livres rodando sobre o sistema operacional Linux. etc. não há dependência de um único fornecedor ou de um único padrão de mercado. sustentados por comunidades de empresas. que se origina das possibilidades de modificar e distribuir o software livremente. interessados em programação e sistemas operacionais. no entanto. mudanças no mercado. 2.. o sistema operacional Linux. o finlandês Linus Torvalds. desenvolveu-se de forma colaborativa em todo o mundo. Por causa disso. dependência de um único fornecedor. analistas. na Universidade de Helsinque. As distribuições mais conhecidas são: Red Hat..3. foi desenvolvido o conceito de distribuição Linux.3. pois envolve questões relacionas à soberania tecnológica do país em determinada área do conhecimento. qualificando a prestação de serviços corporativos aos usuários e empresas. programadores. já que pode ter acesso ao código-fonte da aplicação. Uma distribuição pode ser feita por qualquer pessoa ou organização. 2. adequando o conjunto de aplicações às necessidades de cada ambiente.6 Mão de obra qualificada e disponível Há alguns anos atrás. SUSE e Ubuntu são distribuições Linux mantidas por empresas.7 Independência tecnológica Um dos aspectos mais importantes para a decisão estratégica da adoção do Software Livre é a Independência Tecnológica. a realidade indica não só uma quantidade suficiente de profissionais no mercado mas um ecossistema econômico consolidado. dependência de uma única tecnologia. Existem centenas delas e cada uma pode ser usada para uma necessidade diferente. aos poucos. Com o Software Livre. Red Hat. Mandriva. desde um servidor de alta disponibilidade até um aparelho de telefone celular. essa característica ainda mais importante.4 O Sistema Operacional Linux Baseado no licenciamento GNU GPL. Hoje. O projeto do Linux foi lançado em 1991 pelo seu autor. o maior expoente de software criado sob esse paradigma. analistas de suporte.

mozilla.linuxrsp.org/ Red Hat: http://www.slackware.nvu.gimp.org 2. é muito conhecido por sua estabilidade e segurança. como a distribuição Slackware. podemos utilizar o editor NVU (www. Uma versão em português foi desenvolvida pela equipe do Projeto Software Livre Bahia em: http://twiki.com Ubuntu: http://www.Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região Secretaria de Informática cujo foco corporativo caracteriza o desenvolvimento das soluções.mandriva. Debian.ufba. Referências Complementares: Página do Sistema Operacional Linux: http://www.projetofedora.ru/win-lin-soft/table-eng. por exemplo.html.redhat. uma organização internacional que deu continuidade ao trabalho desenvolvido de forma pioneira pela empresa Netscape.5 Outros Softwares Livres Existem outros softwares livres bastante conhecidos.suse.com Gentoo: http://www.org).org Slackware: http://www.org Mandriva: http://www.org) pode ser comparado em funcionalidades ao Adobe Photoshop e reúne funções bastante poderosas e flexíveis para o tratamento de imagens. Você poderá encontrar uma lista de softwares livres e seus equivalentes proprietários neste endereço da web: http://www.com Debian: http://www.debian. Gentoo e Fedora são distribuições mantidas por organizações sem fins lucrativos. Para a criação de páginas web. o leitor de e-mails Thunderbird (www.mozilla.im. que conta com o auxílio de diversas outras pessoas ao redor do mundo.linux. Ambos são desenvolvidos pela Mozilla Foundation.com).ubuntu. O editor de imagens GIMP (www.org) tem conquistado cada vez mais usuários. Existem ainda projetos pessoais de programadores.org Fedora: http://www. 9 . O navegador da Internet Firefox (www.br Suse: http://www. Juntamente com ele.br/bin/view/PSL/MiniTabelaDeSoftwaresEquivalentes .com.gentoo.

org deriva do seu custo de licenciamento zero.org está disponível. editor de fórmulas matemáticas e um gerenciador de banco de dados. em outubro de 2000.org passou a ser uma alternativa interessante para as organizações que querem ampliar o seu parque tecnológico mantendo a qualidade dos recursos computacionais e direcionando os investimentos de forma inteligente. Com a organização das comunidades locais. apenas 30% dos recursos do pacote.org.6. A partir de então. licenciado através da licença GNU LGPL. reunindo. o OpenOffice. Com o aparecimento do OpenOffice.6. tínhamos como padrão de fato o Microsoft Office. Pela sua vantajosa relação custobenefício. a americana Sun Microsystems adquiriu a StarDivision e.org O OpenOffice.org Em meados da década de 1990. o OpenOffice. o OpenOffice.6 O OpenOffice. que prioriza os serviços e a criação de conhecimento em vez da venda de licenciamento do software. planilha eletrônica. desde os mais falados no mundo até linguagens tribais africanas. editor de textos. sem que seja necessário adquirir uma licença para isso. disseminação do software ilegal e usuários não capacitados usando.1 A Origem do OpenOffice. o OpenOffice. cópia ou distribuição do programa. como o Microsoft Office e o amplo leque de funcionalidades disponíveis. os usuários passaram a contar com uma nova alternativa de informatização de escritórios.Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região Secretaria de Informática 2. em um só pacote. viam apenas o custo zero de licenciamento como vantagem da aplicação. a possibilidade de utilizá-lo em diversos sistemas operacionais (Windows.org. Por ser um software de código aberto. O resultado disso foi um período com alto custo de licenciamento para os pacotes de aplicativos. basta fazer o download e instalálo. 2. editor de desenho vetorial. o mercado estava praticamente voltado para uma única aplicação.org estão a interface familiar. uma empresa alemã chamada StarDivision lançou um pacote de aplicativos chamado StarOffice.org é um conjunto de aplicativos livre de produtividade. No entanto. em média.org. No ano de 1999. O usuário tem a possibilidade de copiar.org pertence a uma categoria de softwares com uma dinâmica diferenciada de mercado. ou seja. O pacote teve seu uso popularizado devido a sua distribuição gratuita e pela peculiaridade de poder ser utilizado em diversos sistemas operacionais. em mais de 40 idiomas.org. não é necessário nenhum tipo de pagamento para a instalação.org no Mundo Corporativo O interesse inicial das organizações pelo OpenOffice. GNU/Linux e FreeBSD). 10 . dando origem. instalar e distribuir livremente o OpenOffice. ao projeto OpenOffice. sem uma alternativa eficiente. a compatibilidade com formatos de arquivo de outros pacotes. editor de apresentações. Ou seja. Como pontos fortes do OpenOffice.org vem conquistando cada vez mais usuários corporativos pela sua qualidade. impressionando aqueles que. o OpenOffice.org não deixou de evoluir: são mais de 50 milhões de downloads contabilizados no site do projeto oficial desde o seu lançamento. hoje. fez a liberação de parte do código-fonte do StarOffice para a comunidade de Software Livre. No entanto.2 O Desenvolvimento do OpenOffice. Até o surgimento do OpenOffice. assim. 2. inicialmente. essa era uma situação desconfortável para o usuário pois.

linguagem de macros. Draw .editor de textos. 11 . Calc . A ONG BrOffice. 2. o grupo de trabalho brasileiro. assim. A formalização como uma pessoa jurídica garantiu. reunido no projeto OpenOffice.editor de imagens.org no Brasil. Impress . o OpenOffice. que organiza as atividades colaborativas que dão sustentação ao desenvolvimento da aplicação.editor de planilhas eletrônicas.org.org é representado pela ONG BrOffice.org tem como objetivos apoiar e desenvolver ações para fomentar a comunidade brasileira do BrOffice. a comunidade BrOffice. em 1998.org é um pacote de produtividade que reúne as seguintes aplicações : Writer . Basic .editor de apresentações. Base . decidiu.bancos de dados. desenvolvendo recursos voltados para o usuário local e disseminando a cultura de uso do Software Livre em eventos. A diferença de nome decorre do registro do nome “Open Office” no INPI (Instituto Nacional de Propriedade Intelectual). encontros e palestras pelo Brasil. além de apoiar a difusão do Software Livre e a promoção do voluntariado. todos os requisitos de proteção à nova marca do pacote de aplicativos: “BrOffice.3 O BrOffice.org”.org e seus projetos relacionados. Hoje. Devido ao registro já existente.org é uma das mais atuantes no cenário de Software Livre brasileiro. Embora o nome do pacote de aplicativos seja diferente.org.org No Brasil.Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região Secretaria de Informática O OpenOffice. Tudo isso com a continuidade da representação do projeto internacional OpenOffice. por uma empresa do Rio de Janeiro. o código fonte e oconjunto de aplicações e funcionalidades é exatamente o mesmo.org Projeto Brasil.br. criar uma organização não-governamental sem fins lucrativos chamada BrOffice. em janeiro de 2006.6.

funções complexas de tabelas. englobando as funções de completar palavras. o uso de Assistentes para tarefas específicas como a conversão de documentos. os recursos de âncora e quebra-automática. – – navegação através de estruturas textuais e objetos através do Navegador. com o uso de fórmulas.700. parágrafo. com um extenso conjunto de funcionalidades adequadas para a criação de documentos. estão: – a possibilidade de utilização de estilos de caractere.org Writer é um editor de textos bastante avançado. a instalação de dicionários e a criação de documentos como cartas e faxes. página e numeração. legendas e mapas de imagem. o Writer também exporta arquivos para os formatos . – funções de manipulação de figuras de fácil utilização e grande flexibilidade.6. quadro. como a organização de imagens através da galeria.4 BrOffice. editar e salvar nos formatos OpenDocument e Microsoft Office. envio por e-mail e impressão de documentos. autocorreção de palavras digitadas e um dicionário de verificação ortográfica com mais de 2.Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região Secretaria de Informática 2. – 12 . formatações específicas e repetição de títulos por página.HTML. através da ferramenta Estilos e Formatação. permitindo a criação de documentos complexos utilizando normas de estilo. .000 palavras.org Writer O BrOffice. tabelas dentro de tabelas. Entre as características mais importantes do Writer. funções de manipulação de documentos em diversos formatos: além de abrir. que conecta textos à bancos de dados com funções flexíveis de geração.PDF.TEX e . – um poderoso Assistente de Mala Direta. – – os recursos de digitação e correção textual.

com funcionalidades avançadas para a criação de cálculos. e .HTML. gráficos. que permitem ao usuário descobrir diferentes visões dos dados disponíveis.PDF.org Calc O BrOffice. permitindo a criação de planilhas com formatação condicional e a impressão de planilhas com diferentes estilos de página.Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região Secretaria de Informática 2.org Calc.5 BrOffice. No BrOffice. 13 . intervalos de células e objetos através do Navegador. etc. estatísticas. seja em uma planilha do arquivo ou em uma fonte externa de dados. a utilização de estilos de célula e de página através da ferramenta Estilos e Formatação. Entre suas principais qualidades. podemos destacar: – a criação de cálculos complexos através das fórmulas.org Calc é uma aplicação de planilha eletrônica. funções (quase 400 disponíveis) e operadores. – navegação através de planilhas. utilizando o recurso da definição do intervalo. o Writer também exporta arquivos para os formatos . demonstrações financeiras e contábeis. – a criação de Autofiltros dentro de planilhas.6. – a possibilidade de criação de Tabelas Dinâmicas. editar e salvar nos formatos OpenDocument e Microsoft Office. – – funções de manipulação de documentos em diversos formatos: além de abrir. é possível criar mais de um autofiltro por planilha. tanto pelo uso de assistentes quanto pela utilização de identificadores.

as funções de manipulação de documentos em diversos formatos: além de abrir. e Transições. . ao usuário. – os painéis de Slides e de Tarefas que.HTML. com a possibilidade de utilização de diferentes layouts. os recursos de Animação Personalizada. entre outros.JPG. tornam muito mais fácil e rápido o trabalho com o Impress.TIFF.6.org. – o uso de modelos de apresentação. para objetos. que permitem ao usuário alternar entre diversos tipos de exibição de slides. .Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região Secretaria de Informática 2. O Impress tem como principais características: – o uso de Slides Mestres para a composição padronizada dos slides da apresentação.PDF.BMP. a partir da versão 2.org e OpenOffice. Através do uso de slides sequenciais. o Impress também exporta arquivos para os formatos . o uso de um extenso conjunto de efeitos de movimentação e exibição. .GIF.6 BrOffice.org Impress O BrOffice. para slides. . que podem ser baixados diretamente nos sites do projeto BrOffice. cada um correspondendo a funcionalidades úteis à organização da apresentação. que permitem. além de diversos formatos de figuras como . editar e salvar nos formatos OpenDocument e Microsoft Office.SWF (Flash) e . – 14 . – – os modos de exibição de slides. .org Impress é a ferramenta certa para o trabalho com apresentações e tutoriais. utilizando recursos de multimídia para estimular o interesse dos seus interlocutores. o usuário pode desenvolver um determinada idéia ou tema.SVG.0.

como a organização de imagens através da galeria. editar e salvar nos formatos OpenDocument e Microsoft Office. – 15 . .GIF.HTML. os recursos de manipulação de imagens como texturas.TIFF.Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região Secretaria de Informática 2.PDF. os conectores inteligentes. transparência. o Impress também exporta arquivos para os formatos .org Draw O BrOffice. transparências e efeitos 3D. . podemos citar: – as funções de manipulação de figuras de fácil utilização e grande flexibilidade.BMP. além de diversos formatos de figuras como .6. Como principais funcionalidades do Draw. .7 BrOffice. conectores. texturas. . iluminação e perspectiva.org Draw é uma ferramenta de desenhos vetoriais. entre outros. É uma ótima opção para quem deseja criar desde cartazes e folders até organogramas e diagramas.JPG. – as funções de manipulação de documentos em diversos formatos: além de abrir. Com ele é possível desenvolver desenhos utilizando linhas. que acompanham o movimento de um determinado objeto através da interligação em pontos específicos do mesmo. – a Exibição de Dimensões permite que o usuário desenvolva diagramas técnicos comos respectivos cálculos das dimensões lineares.SVG. .SWF (Flash) e . curvas.

botões e menus das aplicações.6.Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região Secretaria de Informática 2. 16 . que permite controlar os componentes do BrOffice.org permite integrar os novos desenvolvimentos no Basic aos ícones. disponível para a gravação de um conjunto de passos realizado pelo usuário. – – uma linguagem Basic similar ao Visual Basic for Applications do Microsoft Office. – um Editor de Macros.org com diferentes linguagens de programação. fazendo com que o uso dos recursos seja transparente para quem o usa. diálogos e formulários. o BrOffice. inserindo novas funções desenvolvidas pelo próprio usuário ou otimizar um conjunto de funções de um processo em um número menor de funções ou até mesmo em uma única função. transformando-o em uma única função.org Basic contempla: uma API (Interface de Programação de Aplicativos). que permite o desenvolvimento de código em Basic para o controle das aplicações. permitindo o desenvolvimento de macros. Além disso. como uma função qualquer da aplicação. O BrOffice. – um Gravador de Macros.8 BrOffice.org Basic O BrOffice. Com o Basic é possível estender as funcionalidades do pacote.org Basic é uma linguagem de programação funcional e completa.

org Base O BrOffice. Isso significa mais rapidez e facilidade de uso quanto temos que trabalhar simultaneamente com textos. Como você pode ter notado na descrição das aplicações. que permite listar e encontrar objetos e estruturas no documento. relatórios e formulários através de Assistentes e editores de design.9 BrOffice. Com ele é possível: – utilizar conexões nativas.org possui as suas aplicações integradas. – – – criar bancos de dados nativos do BrOffice.Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região Secretaria de Informática 2.10 Integração das Aplicações O BrOffice. a Galeria.ODB) exige o uso da Máquina Virtual Java. cujo download pode ser feito através do site http://www. bancos de dados e outros documentos do dia-a-dia. A função da aplicação é armazenar informações com a possibilidade de recuperá-las posteriormente através de consultas.org no formato OpenDocument.org Base é um sistema de gerenciamento de Bancos de Dados. ordenar e filtrar dados em tabelas e consultas através de botões da interface da aplicação. que gerencia imagens e objetos de uso freqüente nos documentos do usuário.java. várias funcionalidades podem ser identificadas em praticamente todas as aplicações. JDBC ou ODBC para se conectar a praticamente qualquer banco de dados.com. – as funções de exportação. Isso acontece porque o Base foi desenvolvido a partir de uma outra aplicação de banco de dados livre chamada HSQLDB. criar consultas.6. 17 . visões e relatórios. como por exemplo: – – o Navegador.6. que permitem exportar os documentos para diversos outros formatos de arquivo. Uma peculiaridade do Base é que o uso da aplicação com o armazenamento em formato nativo OpenDocument (extensão . desenvolvida sobre a linguagem Java. planilhas. 2.

Para chegar a esse status.doc . – Assinaturas Digitais.org/iso/en/CatalogueDetailPage.CatalogueDetail? CSNUMBER=43485&scopelist=PROGRAMME Lista de aplicativos compatíveis http://opendocumentfellowship.6.xls . que permitem formatar um documento em uma norma com facilidade e flexibilidade. integrando bancos de dados. que auxiliam os usuários a realizarem suas tarefas em todas as aplicações do pacote. moderno e seguro para troca de documentos.iso.org 2. interessados no desenvolvimento de um padrão aberto. cujo objetivo é facilitar as operações de recorte e colagem nos documentos. você pode trabalhar no texto e abrir uma nova planilha. abra o BrOffice.iso.org Writer e veja o menu Arquivo > Novo.org/applications 18 com o formato ODF: .ppt . 2.org Os pacotes de aplicativos livres. que dão a possibilidade ao usuário de assinar digitalmente um documento. note que você poderá abrir qualquer tipo de arquivo do BrOffice.odp . ou estar numa apresentação e abrir um banco de dados.ods .11 Os formatos de arquivo do BrOffice.odb Microsoft Office . Para constatar essa característica. o formato de arquivos ODF foi criado e desenvolvido por um consórcio internacional de empresas. Tipo Texto Planilha Apresentação Banco de Dados BrOffice.x .mdb Referências complementares: Página da ISO: http://www. como o BrOffice.Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região Secretaria de Informática – as funções de colar especial. que apresenta dos Bancos de Dados registrados no BrOffice.frontpage Página do anúncio do OpenDocument como padrão ISO/IEC 26300: http://www. Abaixo. governos e entidades do mundo da tecnologia. Por exemplo. Essas organizações são mundialmente reconhecidas pela definição e normatização de padrões de qualidade. Além das funções comuns.org/iso/en/ISOOnline.org com os formatos mais comuns do Microsoft Office.org para uso no Writer e no Calc. a tabela comparativa associa os formatos OpenDocument do BrOffice. a função Fonte de Dados.odt . há uma peculiaridade interessante no pacote que é a possibilidade de abrir um documento qualquer a partir de qualquer aplicação.org têm como padrão o formato OpenDocument (OpenDocument Format – ODF).org para criar seu novo documento. reconhecido pela ISO (International Organization for Standardization) e pela IEC (International Electrotechnical Commission) como o padrão ISO/IEC 26300. textos e planilhas. – – os assistentes. – os Estilos de Formatação.

De fato. estão familiarizados aos conceitos incorporados ao Microsoft Office. o conhecimento dos recursos das aplicações é importantíssimo. Esse cenário só começou a se modificar a partir da criação e desenvolvimento do OpenOffice. diagnóstico. Soma-se a isso o fato do CorelDraw ser um pacote de diversas aplicações. projeto e aplicação da solução dentro do ambiente dos usuários. formulários de preeenchimento de pequenos bancos de dados e integração com aplicações externas. O BrOffice.org representa não só uma alternativa gratuita e legalizada de informatização. o conhecimento das funcionalidades da aplicação é complementado pelo conhecimento dos procedimentos de instalação do pacote. Por causa disso. no Brasil.org Draw no conjunto de aplicações sugeridas para a implantação. Calc (planilha) e Impress (apresentação). depende muito mais da dinâmica interna do que propriamente da aplicação BrOffice. Em grandes instalações. não tendo contato com outras aplicações de produtividade. Normalmente. respectivamente. do CorelDraw. que permite que as aplicações sejam adaptadas às necessidades do usuário. O resultado desse processo de muitos anos foi a criação de uma dependência funcional e cultural do uso do Microsoft Office em escritórios. a migração é mais lenta e complexa. praticamente a totalidade desses usuários foi capacitada nas aplicações deste pacote.org depende basicamente de dois fatores: planejamento e conhecimento.org. De fato. Diferentemente do Writer. em ambientes corporativos. pequenas demandas fundamentais para a realização do seu trabalho. resolvendo. O BrOffice. Como você pode ter notado. o Draw não abre os arquivos . a implantação do BrOffice. universidades. por sua vez.org O sucesso da implantação do BrOffice. Excel e PowerPoint. O Draw. apesar de ser uma ferramenta de desenho vetorial muito flexível.org faz com que estejamos diretamente em contato com o dia-a-dia do usuário. chamamos BrOffice. Em paralelo.cdr. portanto. A implantação do BrOffice. O conhecimento da aplicação é fundamental para que o projeto seja desenvolvido com qualidade. departamentos. requer etapas de análise. Em geral. A resolução rápida de qualquer questão relacionada a migração reverte em credibilidade para o projeto. mas uma série de conceitos de produtividade que só são encontrados nas aplicações deste pacote. Este fator.org possui uma estrutura flexível de instalação e configuração. com ele. Em geral. o Draw. o CorelDraw. são situações onde é necessária a integração das aplicações. escolas e residências em geral. O planejamento da implantação se assemelha a qualquer outro projeto de inovação tecnológica desenvolvido dentro da sua organização. caracterizados como os usuários não pertencentes à área de tecnologia ou de conhecimento limitado ao nível intermediário. Para isso. O segundo fator é o conhecimento.org.org. os usuários finais. que abrem os formatos de arquivo do Word. é comum encontrarmos situações específicas onde o conhecimento avançado das aplicações Base (banco de dados) e Basic (macros) é importante. do Calc e do Impress.Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região Secretaria de Informática 3 A Implantação do BrOffice.org está concentrada em três grandes aplicações: Writer (editor de textos). não inserirmos o BrOffice. como nos casos de uso do recurso de mala-direta. reunindo as mais diversas funcionalidades dentro dele. Da mesma forma. tem como objetivo ser uma aplicação voltada para o desenho vetorial complementar às demais aplicações do BrOffice.org que. 19 . não possui a mesma facilidade de migração se comparado com o seu principal concorrente.

que não têm necessidade de edição por parte de outros usuários. Essa alternativa é muito interessante para as organizações que já possuem o BrOffice. 1 ODT 2 3 PDF DOC Compatibilidade Completa BrOffice.org Compatibilidade Completa (somente leitura) BrOffice. Como vimos na tabela. No entanto. no caso de recebimento de algum documento em formato ODT vindo de outro setor da empresa. Como comentamos.0. Mesmo que o pacote de escritórios principal de um determinado usuário ou setor não seja o BrOffice. aplicações muito parecidas. várias delas foram incorporadas ao pacote. A barra de ferramentas vertical. posicionada do lado esquerdo da tela. mas com possibilidades restritas de mudança no arquivo. A mesma regra vale para organizações externas que também já possuem o BrOffice.org Writer Desde a versão 2. A segunda alternativa é utilizada principalmente para os usuários que geram documentos informativos.org. São. foi retirada e substituída pelo novo conceito de barras flutuantes. recomendamos que o formato ODT seja utilizado no armazenamento e nas trocas de documentos. o Writer incorporou uma série de modificações que o tornaram mais prático e familiar ao usuário final.0.1. é importante que o usuário o tenha instalado. caso seja necessária alguma modificação. Alguns usuários comentam sobre a familiaridade da aplicação com o Microsoft Word.1 Alternativas de uso dos formatos de arquivo de texto O esquema abaixo apresenta uma alternativa simples de utilização dos formatos de arquivo para uso com o BrOffice. Esses documentos podem ser enviados no formato PDF sem perda de qualidade.org instalado. é necessário que o usuário mantenha os arquivos originais.org para todos os seus usuários. Ao mesmo tempo. realmente. Usuários registrados no projeto possuem a prerrogativa de sugerir e votar modificações na aplicação.Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região Secretaria de Informática 3. permitindo que a informação seja disseminada.org. quando não sabemos qual o ambiente em que o documento será aberto no destino.org.org.org -> Adobe Alta Compatibilidade BrOffice. o formato ODT garante a segurança a a apresentação do documento no uso com o BrOffice.1 Aspectos Relacionados ao BrOffice. 3. pelo menos por algum tempo. São três alternativas de manipulação que podem ser empregadas nas situações onde os usuários necessitam de algum acompanhamento no uso da ferramenta. Inicialmente.org -> Ms Office 20 .org -> BrOffice. É um método útil para o envio de documentação externa. A partir da versão 2. isso é apenas reflexo da colaboração massiva dos usuários na concepção da interface do programa. para o BrOffice. o reposicionamento de diversos ícones de barras tornou a localização das funcionalidades ainda mais fácil.

Se isso for realmente necessário.org e os arquivos DOC é cada vez mais completa e a grande maioria das estruturas no documento é convertida sem problemas. criar fórmulas claras. Assim. faça com que uma célula indique o vínculo e que a função referencie esta célula. você encontrará a Área de Edição. é utilizado para o desenvolvimento de modelos. No entanto. Adiante. possui um nível de complexidade bastante alto. detalharemos as barras de funcionalidades. mesmo que isso exija um número de células maior para a sua composição. As aplicações de planilhas eletrônicas existem a mais de vinte anos no mercado de aplicativos de produtividade. Procure estabelecer uma sequência de utilização de células que facilite a leitura da fórmula e indique a lógica de funcionamento do cálculo. Para usá-las corretamente. o formato DOC é recomendado para que os usuários possam trabalhar com os documentos em ambas as aplicações. O Calc suporta grande parte dos formatos de arquivos dos programas mais populares do mercado que surgiram durante todo esse período. você certamente identificará algumas funcionalidades já conhecidas em outras aplicações. Modelos são arquivos especiais que podem servir de base para o desenvolvimento de outros arquivos. a possibilidade de erros no envio de planilhas para outros computadores ou no salvamento em formato XLS é minimizado. por exemplo. com a inclusão de campos de referência a um banco de dados.org. O recurso da Mala Direta. às trocas de documentos entre usuários que necessitam editar os arquivos e onde no mínimo um deles ainda utiliza o Microsoft Word e está impossibilitado de instalar o BrOffice. Além das barras. indicando algum comentário no corpo da planilha que possa esclarecer a um usuário eventual o que está sendo calculado. devemos sempre que possível documentar as fórmulas utilizadas. Numa rápida visualização. evite utilizar vínculos entre planilhas de arquivos diferentes dentro do cálculo da função. ocupando todo o espaço central com células. Esse tipo de documento não possui um salvamento adequado no formato DOC.536 linhas. também. O formato Modelo de Planilha do OpenDocument (OTS). principalmente.2 Aspectos Relacionados ao BrOffice. cuja extensão é representada pelas letras ODS. Por fim. colunas são identificadas por letras e linhas são identificadas por números. Esta área é composta por 256 colunas e 65. Como você pode ver na figura abaixo.Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região Secretaria de Informática A terceira alternativa diz respeito. O formato padrão de arquivos do BrOffice.org Calc é composta de estruturas comuns a outras aplicações de planilha.org Calc A interface do BrOffice. no entanto.org é o formato “Planilha do OpenDocument” (OpenDocument Spreadshet) .2.1 Fórmulas Em essência. também é um formato padrão. Procure. primeiro. algumas conversões não são possíveis por incompatibilidade na estrutura das aplicações. Nesse caso. 3. o uso de fórmulas e funções é a razão para o uso de planilhas de cálculo. Fórmulas muito grandes são de difícil leitura e entendimento. A compatibilidade entre o BrOffice. 3. 21 .

um formato de arquivo próprio similar ao formato . como no Microsoft Access. No entanto.pps. Antes disso.pps do Microsoft PowerPoint. É importante salientar que o uso normal desta aplicação requisita a instalação do Java. Com a exportação.org.org. O HSQLDB foi desenvolvido sobre a linguagem Java e é conhecido por sua segurança e flexibilidade de uso.pdf. e criar sobre ele toda uma interface de uso. por sua vez. Um slide é o espaço de inserção dos objetos que armazenam os conteúdos.org desde a versão 2.odp (Apresentação do OpenDocument). Devido a isso. a contar com o Base.ppt é predominante. também um software livre.org Impress é possível desenvolver.otp. O formato . Não há. O BrOffice. No momento do uso da apresentação.Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região Secretaria de Informática 3. o usuário utiliza os formatos . Juntamente do formato . a sua nova aplicação de banco de dados. Nos ambientes corporativos.odp. Em grande parte desses processos.org passou.org Impress está baseada no uso de slides. e que os usuários costumam trocar via e-mail. O formato padrão do Impress é o formato . Diferentemente dessas aplicações. é caracterizado pela execução imediata ao ser aberto. Com o BrOffice. fossem recuperadas e manipuladas. o uso do formato . Esses documentos podem ser criados utilizando recursos textuais e efeitos visuais.pps. de forma fácil e rápida.org possui uma ferramenta chamada Banco de Dados que permite a criação.org Base é um gerenciador de banco de dados.org Impress O BrOffice.org Base Com a popularização da microinformática. Está presente no pacote BrOffice. são apresentados sequencialmente. faltava uma interface que reunisse todas essas funções em uma única aplicação. Basicamente. 3. 22 . você pode criar arquivos . de execução imediata.3 Aspectos Relacionados ao uso do BrOffice. no Impress.odp de apresentação. representando a lógica escolhida pelo apresentador para apresentar a sua idéia. temos o formato . A solução foi incorporar uma aplicação de gerenciamento de banco de dados chamada HSLQDB dentro do BrOffice. o BrOffice.swf (Macromedia Flash) e . como vimos no primeiro módulo. documentos auxiliares para apresentação. Ao incorporar o HSQLDB. então. qualificando o entendimento da informação a ser transmitida. informação ou ensino. os slides. como veremos adiante.ppt e .html a partir do seu arquivo . O trabalho com arquivos no BrOffice. muitas vezes contendo áudio e vídeo. dos modelos de apresentação. ideais para pequenos sistemas de armazenamento locais. O BrOffice.org Impress é um editor de apresentações. seu uso é voltado para apresentações com conteúdo particular. posteriormente. as aplicações de bancos de dados armazenavam e permitiam que as informações.org já possuia ferramentas interessantes para conexão com BDs.0. em meados da década de 1990. A apresentação é composta por vários slides ordenados. no entanto. A ferramenta Banco de Dados permite ao usuário tanto criar um banco de dados para o armazenamento das suas informações quanto conectar-se a um banco de dados já existente. organização e manipulação de bancos de dados dentro das aplicações do BrOffice. o BrOffice. o Impress trabalha com um conjunto de formatos de arquivos muito menor. e seus respectivos conteúdos. muitos processos organizacionais passaram a ser automatizados.4 Aspectos Relativos ao uso do BrOffice. os formatos de exportação podem compor uma solução muito flexível. A estrutura de uma apresentação do BrOffice. .org Impress é relativamente mais fácil do que o trabalho com o Calc e o Writer.

A lista de possíveis tipos de bancos de dados conectáveis reúne: Microsoft Access. vamos criar um arquivo ODB que armazena tanto os dados (tabelas. ADO. no arquivo. JDBC. ODBC. Esse banco pode ser dos mais variados tipos: desde um arquivo texto separado por vírgulas até um servidor MySQL de uso corporativo. Os dados são armazenados dentro de um banco de dados externo ao qual o arquivo ODB está conectado. Ao conectar a um banco de dados. é criado um arquivo de extensão ODB (OpenDocument Base). Em ambos os casos. MySQL. armazenando. consultas e relacionamentos) quanto as estruturas visuais (formulários e relatórios). cuja extensào é .mdb.4. A conexão com um banco de dados é uma alternativa para os usuários que desejam buscar informações de uma base já existente sem criar nenhuma estrutura paralela de armazenamento. O uso deste arquivo se assemelha a um arquivo do Access. no entanto. Esse tipo de estrutura é de fácil gerenciamento para pequenas aplicações locais.org instalado. esse arquivo ODB armazena apenas a interface com o usuário e as diretivas da conexão.Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região Secretaria de Informática 3. Catálogo de endereços do 23 . Também no Access temos um único arquivo que armazena todas as estruturas necessárias para o uso dos dados. acaba se tornando uma dificuldade. Planilha. em algumas situações. as estruturas da interface. Você pode criar um arquivo que armazena dados e estruturas da interface ou conectar-se a uma base de dados existente. Texto. o Base também cria um arquivo ODB. Esse arquivo pode ser trabalhado localmente ou copiado para qualquer outro computador que tenha o BrOffice. no entanto. Adabas D. Oracle ODBC. com o crescimento do uso do banco de dados por vários usuários.1 Criação e Conexão de Bancos de Dados O Base é uma aplicação que permite a criação ou a conexão a uma base de dados. No caso da criação do banco.

como as do Microsoft Access e do MySQL. no entanto. por sua vez. uma formatação específica. Um exemplo possível e muito comum do uso dessa estratégia é a emissão de uma mala direta a partir dos dados obtidos diretamente do BD do sistema de gestão da empresa. desenvolver e manter o código fonte das suas macros. o programador consegue visualizar. Uma das alternativas de uso mais interessante é a possibilidade de utilizarmos macros disponíveis em repositórios da web. Ou seja.org Basic. O registro de todo o procedimento dará origem à macro. Tanto de uma forma como de outra.1 Linguagem Basic O BrOffice. Escolha a biblioteca e o módulo que você deseja e clique em Editar.Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região Secretaria de Informática Mozilla. Note que. Catálogo de endereços do Microsoft Windows. Esses passos podem ser a execução de uma função. veremos que as macros constituem um poderoso recurso dentro da aplicação. o usuário irá fazer o registro de todos os passos necessários para obter um determinado resultado. fazer o download e utilizá-la no seu ambiente. Como você pode notar é uma lista extensa. Usuários mais avançados. Mais adiante. Catálogo de endereços LDAP. O método mais comum de utilização de uma macro é a gravação a partir do registro de funcionalidades da aplicação. vá até o menu Ferramentas > Macros. constroem macros através da criação de código de programação. 3. além de configurações pré-definidas. > Organizar macros > BrOffice. Através desse ambiente. que deve ser disciplinado o suficiente para documentar adequadamente a solução que está sendo desenvolvida e comentar o código-fonte da macro para que qualquer correção posterior seja feita com mais facilidade e rapidez. atribuindo um alto nível de complexidade ao desenvolvimento da solução. uma seleção de um objeto.5 Aspectos Relacionados ao Uso de Macros Macros são programas que podem ser desenvolvidos para auxiliar o usuário na execução de uma tarefa relacionada à uma aplicação de um pacote de escritórios. Esta solução permite uma flexibilidade muito grande em relação ao tipo de solução desejada.mdb no seu ambiente.Ambiente de Desenvolvimento Integrado). Com elas. Catálogo de endereços do Microsoft Outlook. estaremos atrelados aos caminhos e permissões definidos para o arquivo ou servidor de banco aos qual estamos nos conectando. 3.. que dá muita flexibilidade ao BrOffice. Para acionar o IDE do BrOffice. Na lista. veremos um exemplo completo de uma conexão com um banco de dados do Microsoft Access.org Base. Você poderá ver um descritivo da função da macro.5. onde os usuários desenvolvedores publicam suas macros e às disponibilizam para a comunidade em geral.org. exige muita atenção do usuário. você encontrará conexões JDBC e ODBC. Catálogo de endereços do Thunderbird. você poderá estar conectado a praticamente qualquer banco de dados. se nos conectarmos a um banco de dados. 24 . que estará disponível para uso quando o usuário desejar.. etc.org oferece ao usuário um ambiente completo de desenvolvimento através do seu IDE (Integrated Development Environment . Essa conexão permitirá a você tratar adequadamente as ocorrências de arquivos . É uma forma eficiente encontrada pelo projeto para disponibilizar extensões de funcionalidade de forma fácil para qualquer usuário. Macros podem ser utilizadas tanto para a automação de tarefas repetitivas quanto para a implementação de regras de negócios relacionadas à manipulação de documentos.

org é que a linguagem possui as mesmas estruturas de controle e declaração que o Microsoft Visual Basic for Applications do Microsoft Office. Através dos recursos da API podemos. por exemplo. Por exemplo.org Basic é a linguagem de programação utilizada para a criação de códigos de programa dentro do Ambiente de Desenvolvimento do BrOffice.org é o recurso usado para a conexão de diferentes linguagens de programação com o BrOffice.. a conexão da aplicação é feita através de objetos OLE que.org são diferentes dos métodos e propriedades dos objetos do Microsoft Office. Além disso. o uso desses objetos implica no conhecimento anterior das funcionalidades da aplicação.5. A solução tecnológica é similar à que é desenvolvida com o Microsoft Office.org. pode ser usado dentro do código da aplicação.org: http://www. se o programador está desenvolvendo um código usando um objeto de texto.org..oooforum.org permite o uso da mesma estratégia. permitem o acesso às propriedades e aos métodos associados. 3. que essa manipulação exige um conhecimento prévio do programador para que a estrutura do código esteja adequada. No Microsoft Office. Através do Basic é possível construir estruturas complexas de controle das aplicações. o desenvolvimento será prejudicado. Esse função é feita a partir do recurso de seções no Microsoft Office. Um aspecto positivo no desenvolvimento de macros no Basic do BrOffice. Referência Complementar: Codificação de objetos OLE do BrOffice. etc. Ruby. É importante salientar.Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região Secretaria de Informática A linguagem BrOffice. é importante que ele domine os conhecimentos para a aplicação de estilos caso tenha que programar uma mudança no formato da página. Delphi. com simplicidade e rápido aprendizado. a partir daí. Caso o programador não conheça essa informação. no entanto.org de uma aplicação externa.org a partir de um programa desenvolvido numa linguagem como Visual Basic. É possível criar e manipular documentos do BrOffice. tanto o usuário avançado quanto o programador têm a facilidade de aproveitar os seus conhecimentos anteriores na nova plataforma. Com isso. comandar o BrOffice. O BrOffice. Os métodos e propriedades dos objetos da API do BrOffice. Java.org/forum/viewtopic.2 A API de Desenvolvimento A API (Application Program Interface) do BrOffice. O objeto é declarado na linguagem escolhida e. depois de declarados.phtml?t=9815 25 .

descritas em detalhes nas próximas seções: 1. outros softwares livres foram gradativamente incorporados ao parque de soluções tecnológicas do TRT4 como. Razões de ordem financeira a) redução dos gastos com licenciamento. Com o resultado positivo da iniciativa. OpenLDAP (diretório).1 A escolha do OpenOffice.1 Panorama geral da estratégia de adoção de Softwares Livres As motivações para a implantação de Softwares Livres no TRT4 dividem-se em três categorias: estratégicas. 4. As primeiras experiências com softwares livres no TRT4 foram desenvolvidas ainda no ano de 1998. b) performance. c) segurança. b) redução do custo total de propriedade. b) Alinhamento com a política de adoção de software livre no âmbito da Justiça do Trabalho c) Maior independência de fornecedores. 3. Diagnóstico do ambiente a) avaliação de hardware e software b) avaliação do sistema inFOR 2.org. Especificamente para a implantação do OpenOffice. financeiras e técnicas. Razões de ordem estratégica a) Alinhamento com as políticas governamentais de forte fomento ao uso do software livre no âmbito da administração pública.Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região Secretaria de Informática 4 TRT4: Caso de Sucesso de Implantação no Judiciário Brasileiro 4. Razões de ordem técnica a) estabilidade. com a implantação de um servidor de replicação de banco de dados usando o sistema operacional Linux. 1. Samba (impressão). a equipe técnica do tribunal passou a estudar a alternativa de implantar o pacote de aplicativos OpenOffice. Recodificação do sistema inFOR 26 . Webadmin (administração) e Nagios (monitoramento). por exemplo. cobrindo todos os requisitos técnicos e estratégicos do tribunal.org com pacote de aplicativos A partir do início do ano de 2004. 2. as soluções Linux Red Hat/Fedora (sistema operacional).org.1. O estudo da solução deveria prover a informação necessária para que o projeto fosse desenvolvido de forma definitiva e segura. foram definidas as seguintes fases de projeto.

da Secretaria de Informática.Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região Secretaria de Informática 3.org. Pré-implantação 5. 27 .920 computadores. A disponibilização de tais aplicativos era considerada um anseio antigo dos usuários e considerada como uma necessidade para a melhoria dos processos internos envolvendo trocas de documentos. de automação das varas do trabalho. descritas posteriormente no Ofício nº 17/2004. ligada ao projeto brasileiro da aplicação. Vale lembrar que. em agosto de 2004. Não eram disponibilizadas licenças de uso dos demais aplicativos do Microsoft Office. O sistema inFOR foi inicialmente concebido para a geração de documentos pré-formatados nos formatos utilizados pelo Microsoft Office e a codificação da aplicação foi feita através da conexão de objetos OLE do editor de textos Word. Juntamente com a consultoria. Suporte Técnico e Atualizações a) Novas versões b) Treinamentos dos usuários finais 4. período do início da implantação do OpenOffice.1 Avaliação de Hardware e Software Inicialmente.2 Diagnóstico do Ambiente O primeiro passo do projeto foi a realização de um diagnóstico do ambiente. Implantação 6. a equipe de analistas e programadores do tribunal avaliou as alternativas de recodificação da aplicação considerando a necessidade de geração da documentação nos formatos do OpenOffice.2 Avaliação do Sistema inFOR O segundo ponto importante foi o parecer positivo do estudo de viabilidade da recodificação do sistema inFOR. Para a realização do estudo de viabilidade da implantação foi contratada uma consultoria externa especializada (ProDesk Consultoria e Treinamento).2. havia no tribunal apenas licenças do Microsoft Word.org. que identificou as vantagens e desafios da migração para o OpenOffice.org. 4.org. 4. como o Excel e o PowerPoint. o Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região possuía 1.2. Treinamento 4. que auxiliou a equipe interna na avaliação da adequação do parque de computadores do tribunal à configuração necessária para a instalação do OpenOffice.

No entanto.org. A tecnologia utilizada para o novo desenvolvimento foi similar à aplicada anteriormente. com um programador alocado para o projeto em tempo integral. Ambas as questões foram solucionadas e o inFOR foi disponibilizado oficialmente no 1º Grau no dia 11 de outubro de 2004. desenvolvido na linguagem Delphi foi recodificado para que fosse possível a sua conexão com os objetos OLE do OpenOffice.org. duas demandas complexas foram levadas até a consultoria externa: o detalhamento da forma de tratamento de caminhos de arquivo dentro do BrOffice.org. intermediárias e avançadas de edição de documentos na suíte de aplicativos OpenOffice. foi considerada a experiência avançada dos servidores da equipe técnica em relação ao Microsoft Office. o que facilitou o rápido entendimento das dúvidas mais comuns. Em relação ao conteúdo. à fase de planejamento do desenvolvimento do inFOR para OpenOffice. dentro da estratégia inicial de contratação de empresas ligadas diretamente ao projeto OpenOffice.org Calc: 10 participantes OpenOffice. Ao todo. Para isso.org Impress: 10 participantes OpenOffice. Público Alvo: equipe de suporte do TRT4.org e a limitação de quantidades de parágrafos em 64k. foi contratado treinamento especializado externo. foram dois meses de desenvolvimento para a finalização da primeira versão.4.1 Período: agosto de 2004 Objetivo: capacitar o aluno a realizar operações básicas. então.3 Recodificação do Sistema inFOR Com a conclusão de que a codificação poderia ser plenamente compatível com o desenvolvimento já realizado.org. foram realizadas diversas turmas voltadas para os servidores da equipe técnica da informática e para usuários avançados das áreas administrativas do tribunal. OpenOffice. métodos e propriedades usados no BrOffice.Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região Secretaria de Informática 4.org Writer: 24 participantes OpenOffice. passou-se. que atuou no suporte ao projeto e na disponibilização da documentação técnica necessária aos programadores. 4. usado durante mais de 10 anos pelo TRT4. O desenvolvimento propriamente dito da nova versão do inFOR foi iniciado em agosto de 2004. Desde 2004.org Macros e Basic: 10 participantes 28 . preparando-o para a resolução de questões relacionadas à migração. O desenvolvimento foi facilitado pela similaridade da solução técnica em ambos os aplicativos.org.org Fontes de Dados: 10 participantes OpenOffice. 4.4 Treinamentos da Equipe de Suporte Uma das preocupações da coordenação do projeto foi a percepção da necessidade de capacitação da equipe de suporte para o atendimento das demandas internas dos usuários durante o período de migração. O inFOR. O subsídio de conhecimento para a realização do desenvolvimento veio da continuidade da contratação da consultoria especializada. relacionadas aos objetos.

Com a participação da consultoria externa que já havia trabalhado no projeto do desenvolvimento da nova versão do inFOR. a equipe de suporte desenvolveu uma série de scripts de instalação remota.org: 30 participantes (10 por turma) BrOffice.org Base: 10 participantes BrOffice.org Mala Direta: 2 participantes 4. preparando-o para a resolução de questões relacionadas à migração. Novidades da versão 2.0 do BrOffice. principalmente da área administrativa. foram definidas modificações na instalação padrão do OpenOffice. BrOffice.4 Período: setembro de 2006 Objetivo: atualização de conhecimentos para a versão BrOffice. permitindo que a instalação da aplicação fosse realizada via rede imediatamente após o login do usuário.4. BrOffice. Público Alvo: equipe de suporte do TRT4 e usuários administrativos avançados.org Impress: 20 participantes (10 por turma) OpenOffice.org.org Macros e Basic: 8 participantes 4.4.0.4.0. intermediário e avançado dentro do BrOffice.org Fontes de Dados: 10 participantes OpenOffice.org Calc: 20 participantes (10 por turma) OpenOffice.org.2 Período: outubro de 2004 Objetivo: capacitar o aluno a realizar operações básicas.org Base: 10 participantes 4.5 Período: agosto de 2007 Objetivo: capacitar o aluno ao desenvolvimento de bancos de dados e macros de nível básico.org 2. 29 .Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região Secretaria de Informática 4.5 Pré-implantação A partir da avaliação das necessidades dos usuários do Tribunal.3 Período: setembro de 2005 Objetivo: atualização de conhecimentos para a versão BrOffice.org Macros e Basic: 10 participantes 4.org para que funcionalidades extras fossem incorporadas ao ambiente. Público Alvo: equipe de suporte do TRT4 e usuários administrativos avançados. Público Alvo: equipe de suporte do TRT4 e usuários administrativos avançados. Público Alvo: equipe de suporte do TRT4.org Writer: 20 participantes (10 por turma) OpenOffice.4. intermediárias e avançadas de edição de documentos na suíte de aplicativos OpenOffice. OpenOffice.org 2.

org foram: • adição de auto-textos modelos. • adição de cliparts com os símbolos e brasões utilizados no TRT4.2. Essa estratégia permitiu que a equipe estivesse preparada para o atendimento à determinadas demandas relacionadas aos setores migrados. em paralelo ao processo de instalação.org/BrOffice.0.2 BrOffice. • adição da macro de geração de cabeçalho padronizado com brasão da República.1. Na tabela abaixo.org 2.org 1. 4.6 Implantação Com a implantação remota. • adição dos vínculos do pacote OpenClipart. sobre os quais falaremos mais adiante. • modificação da barra de formatação do Writer. A instalação foi realizada conforme o agendamento de setores previamente definidos. O técnico de suporte não precisava mais ir até o local para realizar a instalação do software.0 Tabela 1: Histórico de Aquisições de novos equipamentos com o OpenOffice.Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região Secretaria de Informática As funcionalidades incorporadas ao OpenOffice. • configuração dos caminhos da aplicação compatíveis com a rede do TRT4. o tempo de instalação foi reduzido significativamente. Os usuários dos setores do tribunal migrados para o novo pacote eram direcionados para os treinamentos oferecidos pela equipe interna da Secretaria de Informática. Além da possibilidade de instalação remota. ocorreram os treinamentos dos usuários finais. É importante salientar que. • configuração do Calc para impressão apenas da planilha selecionada.org 30 . Ano 2005 2006 2007 Configuração Básica Pentium IV 256 Mb Pentium IV 512 Mb Pentium IV 1 Gb Quantidade Total 295 300 320 Versão OpenOffice. também foi considerada a distribuição das novas versões a partir das imagens dos equipamentos adquiridos em licitação. com a inclusão de novos ícones.2 BrOffice.org 2. • adição da função de número por extenso no Calc e no Writer. é possível verificar a evolução das quantidades de equipamentos integrados à rede do TRT4 a partir de 2005. • adição de modelos de apresentação e texto.

havia duas questões importantes a serem avaliadas.org como também para a consolidação do projeto dentro da organização. Os demais setores do TRT4. um aumento de quase 50% em relação à quantidade no início do projeto de implantação do BrOffice.org ainda não foi completamente descartado.org e não mais OpenOffice. no início de 2006. onde o uso do editor de textos Writer está vinculado ao sistema inFOR. o parque do TRT4 possui 2. o uso do OpenOffice. A segunda.org 2. ligada ao projeto BrOffice.835 computadores. foram criados agendamentos para a instalação nos equipamentos já em produção. é feita a adequação ao método de instalação apresentado na seção anterior e o novo 31 . Melhorias como a duplicação do número de linhas no Calc (de 32. a mudança dos formatos de arquivo padrões. A atualização total das instalações do 1º Grau está prevista para 2008. com a constante aquisição de equipamentos. Até o final de 2007. principalmente os setores administrativos. foram consideradas fundamentais não só para a instalação do novo BrOffice. A nova denominação poderia causar uma desconfiança por parte do usuário quanto a maturidade do projeto e a mudança dos formatos. adquiridos em licitações.org no Brasil.org.org. que passava a se chamar BrOffice. e os equipamentos em manutenção ou remanejo. mediante a constituição da ONG BrOffice. em outubro de 2007.2 ainda aparece como pacote de escritório padrão. essas eram dificuldades que poderiam ser contornadas. já que o formato OpenDocument acabava de ser aprovado como um padrão ISO (ISO 26300).org. A primeira foi a modificação da denominação do produto. A implantação gradativa da nova versão atingiu prioritariamente os novos equipamentos. o OpenOffice. um descontentamento pela alteração para os novos formatos logo após a estabilização do uso dos formatos da versão 1. No entanto. que passaram a ser os formatos OpenDocument.Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região Secretaria de Informática 4.org 1. Principalmente no 1º Grau.000 para 65. Também foram consideradas as melhorias das aplicações da nova versão.7. A consultoria externa. é responsável pelas informações sobre os novos desenvolvimentos da aplicação à cada nova versão. Quando o conjunto de novos desenvolvimentos é considerado apto à instalação nos equipamentos dos usuários. Tanto uma quanto outra alteração poderiam apresentar impecílios.536).0. a modificação completa da interface do Impress e a inserção de uma nova ferramenta de Banco de Dados. Apesar das inúmeras novidades que foram integradas às aplicações. Em paralelo. Na avaliação interna. Hoje. A mudança de nome do projeto foi considerada um passo importante na formalização das atividades do projeto OpenOffice.org. são periodicamente atualizados em razão dos benefícios de compatibilidade e funcionalidade das novas versões do BrOffice. o Base.org. Essas informações são verificadas de acordo com as demandas dos usuários. for reforçado o aspecto de padronização. o Tribunal realizou uma avaliação da nova versão para definir a realização do procedimento de implantação da mesma. Já em relação à mudança dos formatos de arquivo. no entanto.7 Suporte Técnico e Atualizações 4.x.1.1 Novas Versões Com o lançamento do BrOffice. está prevista a aquisição de 200 novos computadores. O processo de homologação da versão é realizado conforme o acompanhamento do desenvolvimento feito pela consultoria externa e pela equipe de suporte.1.

org é distribuído internamente. a solução para não só apresentar a nova ferramenta mas.1.org/BrOffice.org. que criavam os planos de curso conforme as demandas identificadas entre os usuários finais.org possui um ciclo de novas versões a aproximadamente cada 3 meses. portanto.org 2.org/BrOffice.Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região Secretaria de Informática BrOffice.x do OpenOffice. A duração das aulas não ultrapassa duas horas.2. Hoje. A distribuição das versões pode ser vista em detalhes na tabela abaixo. equipado ainda com datashow e quadro branco. O treinamento seria. hoje. A coordenação do projeto manteve a estratégia para a migração para o OpenOffice. não eram plenamente dominados.org. 32 . somadas as instalações do OpenOffice.2.org 2. as versões 1. apesar de funcionalmente equivalentes ao Microsoft Office. para os usuários.org deverá ser efetuado no ano de 2008.8 Treinamentos dos Usuários Finais Desde antes do projeto de migração para OpenOffice. Ainda no início da migração.0.org 2.org 1. Como é possível identificar em comparação com o número total de equipamentos (2.0.org 2. inclusive dos instrutores internos. De acordo com essa estratégia e considerando que o BrOffice.org. e as mesmas são preferencialmente realizadas no turno da manhã.2.835). Uma das peculiaridades da estratégia de capacitação dos usuários finais no TRT4 foi a adequação aos horários dos servidores. apresentavam diferenças significativas na sua interface e na sua utilização. está localizada no interior do Estado.1.2 BrOffice.2 BrOffice. o tribunal conta com um laboratório com 12 computadores mais um computador para o instrutor. também.0 400 1286 957 Quantidade Tabela 2: Versões do OpenOffice. Versão OpenOffice.23% do total. apresentar e formalizar conceitos que. Em relação a infraestrutura. caminhos de funcionalidades e uma lógica de funcionamento diferenciada eram as principais dificuldades dos usuários e os motivos de resistência à migração.643 instalações do pacote de aplicativos no TRT4. são contabilizadas 2. o TRT4 já mantinha uma estratégia de capacitação interna dos usuários. foi desenvolvido um plano de adequação de conteúdos para os cursos dos usuários. A pouca quantidade de equipamentos sem o pacote.org no TRT4 em outubro/2007 4.1. onde o processo de instalação do BrOffice. BrOffice. a quantidade de computadores com o OpenOffice. eram designados servidores do quadro da área técnica da Informática.org é de 93.org 1.2 e BrOffice. O treinamento dos usuários finais caracterizou-se com um dos pontos mais importantes do projeto. o ciclo de versões instaladas do pacote no TRT4 é de uma nova versão a cada 9 meses.0. Para a instrutoria. Velocidade inferior. Após a capacitação da equipe de suporte. mesmo nos cursos de duração mais longa.

org avançado – ênfase editor de texto 2007 BrOffice.org – ênfase interoperabilidade 2005 OpenOffice.org – ênfase interoperabilidade 2006 BrOffice.org – ênfase planilha de cálculos 2005 OpenOffice.org básico – ênfase editor de texto 2006 BrOffice.org avançado – ênfase editor de texto 2006 BrOffice.org básico – ênfase editor de texto 2004 OpenOffice.org básico – ênfase editor de texto 2005 OpenOffice. em 2004.org – ênfase apresentação 2006 BrOffice.Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região Secretaria de Informática Ao todo. foram formados 843 alunos.org avançado – ênfase editor de texto 2004 OpenOffice.org – ênfase planilha de cálculos Tabela 3: Treinamento de usuários finais em BrOffice.org avançado – ênfase editor de texto 2005 OpenOffice.org – ênfase apresentação 2004 OpenOffice. Ano Módulo Carga Horária 10 horas 10 horas 4 horas 10 horas 2 horas 10 horas 10 horas 4 horas 10 horas 2 horas 10 horas 10 horas 4 horas 10 horas 10 horas 10 horas Participantes 203 87 12 68 57 58 74 14 44 55 34 46 8 33 26 24 2004 OpenOffice.org – ênfase apresentação 2005 BrOffice. desde o início do projeto.org – ênfase planilha de cálculos 2006 BrOffice.org desde 2004 33 .org – ênfase planilha de cálculos 2007 BrOffice. conforme a tabela abaixo.

o valor estimado correspondente às instalações do pacote BrOffice. encontraremos o seguinte resultado: Ano 2005 2006 2007 Quantidade Total 295 300 320 Custo do Microsoft Office R$ 707.00) resulta na economia estimada de mais de R$ 1 milhão de reais.565. A soma dos valores economizados em licenciamento dos equipamentos adquiridos (R$ 646. etc. quando o projeto de implantação foi iniciado. chegamos à aproximadamente 500.240. O valor pode ser comparado ao valor investido nas atividades de consultoria. com as aplicações de texto.00 reais).00 Total Geral R$ 646.00 R$ 707.000.00 R$ 7.00 Tabela 5: Valor investido em consultoria. durante o período: Ano 2004 2005 2006 2007 Valor R$ 11.380. decisão que vem desde o ano de 2004. Em aproximadamente 700 computadores o pacote BrOffice. contratadas no mercado.00 reais. Contando o parque de equipamentos anterior com essa característica.000.100. planilha.00) com os valores do parque de computadores existente em 2004 (R$ 500.org onde. ainda.000. desenho.Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região Secretaria de Informática 5 Conclusões A conclusão sobre o projeto de migração para BrOffice. além do Word.00 R$ 37. só havia a instalação do Microsoft Word.00 R$ 226.500. treinamento e suporte. Economia O direcionamento do TRT4 resultou numa economia significativa em licenciamento de software.org foi instalado por completo. Se considerarmos apenas as aquisições de equipamentos a partir do ano de 2005 e estimarmos o valor do licenciamento do Microsoft Office pela média de mercado para compras governamentais (707.200.00 R$ 12.org do TRT4 pode ser avaliada a partir da intenção do Tribunal em não adquirir licenciamento do Microsoft Office. treinamento e suporte para migração (2004-2005) 34 .905.00 Tabela 4: Estimativa de custo de licenciamento Microsoft Office para os equipamentos adquiridos em licitações após 2005 Podemos contabilizar.00 R$ 707. atendendo à demanda reprimida pela instalação de todas as demais aplicações do pacote Microsoft Office.00 R$ 212.00 R$ 6. antes.00 Total R$ 208.320.905.

O saldo final da migração corresponde ao demonstrativo abaixo: Ano Custo estimado do licenciamento do pacote Microsoft Office nos novos equipamentos 2005-2007 (A) Custo estimado do licenciamento do pacote Microsoft Office completo nos equipamentos antigos até 2004 (B) Investimento em consultoria externa de desenvolvimento.905. financiando o desenvolvimento dos módulos de gerência de documentos de gestão de pessoal. maior evento do gênero na América Latina.org.00 Tabela 6: Cálculo de economia na migração para o BrOffice. Em 2005. Além do Edidoc.C) Valor R$ 646. do Edidoc. com o objetivo de contribuir para a sustentabilidade do projeto brasileiro. no mesmo evento. a equipe técnica do TRT4 participa frequentemente de eventos colaborativos relacionados ao Software Livre. o TRT4 apresentou sua estratégia de TI com Software Livre na quinta edição do Fórum Internacional Software Livre. gerando documentos no formato .x e. Posteriormente. O Edidoc foi originalmente desenvolvido no TRT4 em meados da década de 1990.00 R$ 37. a aplicação foi disponibilizada sob uma licença livre gerando documentos no formato OpenDocument (.org.1. A página do Projeto Edidoc pode ser visitada no site: www. como um Software Livre licenciado pela GNU GPL. o Tribunal assumiu a prerrogativa de contratação de serviços de empresas associadas ao desenvolvimento do projeto BrOffice. Um dos resultados mais importantes dessa iniciativa de aproximação foi a disponibilização.00 R$ 494.odt). treinamento e suporte técnico não são consideradas para o cálculo do investimento visto que as mesmas são atividades permanentes da Secretaria de Informática.900.org em comparação com o Microsoft Office (2004-2007) Colaboração Desde o início do projeto. com significativo interesse do público. o Edidoc foi recodificado para o BrOffice. em 2005.200. treinamento e suporte (C) Resultado econômico do projeto (= A + B . um gerador de documentos padronizados e numerados seqüencialmente.org e beneficia diversas organizações que necessitam da geração de documentação padronizada em ambientes administrativos. e seriam desenvolvidas independentemente da migração para o novo pacote. os resultados da sua experiência de migração para o OpenOffice. Hoje. A aplicação foi desenvolvida em Word Basic (Word 2. o TRT da 8ª Região também integrou-se ao projeto. facilitando a organização e a recuperação das informações. Em 2004. o Edidoc é gerenciado pela equipe de desenvolvedores do BrOffice.00 R$ 1.605. o TRT4 apresentou.broffice.doc.org/edidoc.org 1.Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região Secretaria de Informática As atividades internas de desenvolvimento. Em 2004. 35 .104.0).

sem dependência de fornecedores ou tecnologias.a não obrigação de uso de um sistema ou software específico para o acesso público ou para a comunicação da instituição com outras organizações. mas sim. da Coleção INFO Exame. A partir da análise dessas observações. sendo necessário um esforço de migração para a instalação do plug-in que permite a compatibilidade dos formatos. além da migração. . d) o TRT4 e a Justiça do Trabalho possuem diversos sistemas desenvolvidos que utilizam o pacote de aplicativos disponível no equipamento do usuário para a geração de documentos. o formato padrão das aplicações passa a ser o Open XML. do BrOffice. Padronização Para o TRT4. foi homologado como padrão ISO. Os objetivos com essa ação são: . o cenário atual de formatos de arquivos apresenta as seguintes constatações: a) o formato de arquivos OpenDocument. Essa homologação não necessariamente deverá explicitar o uso de determinado formato de arquivo padrão. o próximo passo do projeto do TRT4 será a homologação de padrões abertos para o uso nos sistemas do judiciário trabalhista. c) as versões anteriores do Microsoft Office não abrem o formato Open XML por padrão. estabelecer as diretrizes pelas quais um dado formato possa ser considerado apto à padronização.a garantia de acesso completo ao conteúdo. 36 . . visando economicidade.a formalização de padrões universais para os sistemas do judiciário que utilizem formatos de documentos. .org.a garantia de continuidade e do desenvolvimento do formato de arquivo. compartilhamento de soluções e completo domínio tecnológico. o projeto foi destaque da Edição Escritório Aberto. b) a partir do Microsoft Office 2007. baseada no acesso público das especificações do formato.Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região Secretaria de Informática Consolidado como caso de sucesso. em 2006.

com o objetivo de prestarmos os esclarecimento devidos acerca da política de adoção de software livre no âmbito do TRT. Primeiramente. que deu 37 . quais sejam: A liberdade de executar o software. Juiz: Pelo presente. ou seja. Sr.Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região Secretaria de Informática ANEXO I – Ofício 17/2004 Secretaria de Informática PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 4ª REGIÃO Secretaria de Informática Ofício nº 17/2004 Porto Alegre. Um software é dito livre. também é fundamental que esteja disponível o código fonte.org. cabe enfocarmos alguns conceitos básicos sobre software livre.Exa. a programação. Para que algumas destas características sejam possíveis. viemos nos reportar à V. para qualquer uso. A liberdade de melhorar o programa e de tornar as modificações públicas de modo que todos beneficiem-se da melhoria. A liberdade de estudar o funcionamento de um programa e de adaptá-lo às suas necessidades. 26 de julho de 2004. que será implementado ainda deste ano.. quando apresenta quatro características fundamentais. relatando ações em andamento e principalmente o projeto de migração para o OpenOffice. A liberdade de redistribuir cópias.

Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região Secretaria de Informática origem ao software. Por outro lado. podendo inclusive adapta-lo às nossas necessidades específicas. de caráter majoritariamente unilateral e sob a ótica financeira. Colaboração entre as organizações. como o TJ/RS e o TRF da 4º Região. não há custo de licenciamento com o software livre. As motivações que nos levam a adotarmos uma política de software livre no TRT. O que normalmente comercializa-se quando falamos de software livre. sem fins lucrativos. podem ser colocadas da seguinte forma: Razões de ordem estratégica: Alinhamento com as políticas governamentais de forte fomento ao uso do software livre no âmbito da administração pública. a chamada comunidade do software livre. Razões de ordem financeira: economia importante com a aquisição de licenças de software. Desta forma. e na realidade. Conforme já dito acima. de forma bem abrangente. um software é dito proprietário. busca-se também a utilização de produtos que tragam benefícios de ordem técnica 38 . seja também com outras organizações do judiciário do Rio Grande do Sul. Analisando estes conceitos. um software livre tem o que chamamos de código aberto. seja com os demais TRTs. é o suporte e o treinamento na utilização destes produtos. Não ficamos totalmente presos às políticas de fornecedores específicos. O mundo do software livre é gerenciado por diversas organizações compostas por colaboradores. estamos apenas adquirindo uma licença de utilização restrita deste software. bem com a possibilidade de conhecermos o seu funcionamento. podemos constatar os principais benefícios relacionados à utilização do software livre. quando não tem estas liberdades. o chamado custo total de propriedade fica significativamente reduzido. Razões de ordem técnica: com a utilização do software livre. Logo. como a não existência de custo para a utilização do software. quando “compramos” um software proprietário. Maior independência de fornecedores.

bem como a sua confiabilidade. Estes critérios são detalhados a seguir: Etapas da disseminação da cultura do software livre: Primeiramente. a migração de todos os nossos servidores de rede do 1ª Grau (58 redes locais. que poderá ocorrer em um momento futuro. como estabilidade.Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região Secretaria de Informática também. 39 . planilha. precisa ser um dos elementos fundamentais do processo de adoção do software livre em uma organização. então vamos buscar. como a necessidade objetiva de migração da plataforma de rede do 1º Grau. uma solução software livre adequada. Como exemplo desta situação. partimos para a migração de serviços e sistemas operacionais de rede. ou seja. A partir de agora. Isto englobou. onde não temos licenças de planilhas eletrônicas. e praticamente transparente para o usuário final. o ambiente de trabalho do usuário. migrando de Novell Netware para Linux). como editor de texto. prioritariamente. Esta etapa terá início objetivo com a implantação do OpenOffice. etc. Migração do próprio ambiente desktop. que será detalhado a seguir. Procuramos relacionar a migração a projetos e necessidades já existentes. por exemplo.org nas Varas do Trabalho do Foro de Porto Alegre neste ano.org no 1º Grau. Priorizar necessidades mais imediatas de licenciamento. que é área mais técnica. iniciaremos a migração de aplicativos office. a implantação do OpenOffice. buscamos a utilização de software livre onde não temos licenças de algum software proprietário realmente necessário. performance e segurança. por exemplo. por diversas razões. A qualificação dos produtos. A política de implantação do software livre no nosso TRT está sendo feita em cima de determinados critérios. com vistas a que este processo ocorra da melhor forma possível. pensando preliminarmente no nosso usuário final. por exemplo. Quando a mudança é necessária.

com documentos pré-formatados. A partir destas considerações. intitulada “TRT 4ª Região – O software livre na estratégia de TI”. onde destacamos a “1ª Semana de Capacitação em Software Livre do Governo Federal”. sem a necessidade de uma utilização mais profunda dos recursos do editor de texto. temos participado de diversos eventos. temos feito constantes contatos com instituições que já realizaram migrações para o OpenOffice. Objetivando subsidiar o nosso processo de migração para software livre. e estamos também contratando 40 . o que facilita a adaptação ao novo programa. que é a implantação do OpenOffice. ressalte-se que o inFOR está sendo adaptado pela nossa área de desenvolvimento de sistemas para que venha a trabalhar com o OpenOffice. contendo editor de texto.org.org.Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região Secretaria de Informática - Análise do cenário global. temos apenas licenças do Microsoft Word hoje nestes locais. que é composto pelo Word. toda a suíte de aplicativos office fica disponibilizada. A sua implantação no TRT vem em substituição ao software proprietário Microsoft Office. não havendo licenças para todos os demais aplicativos office.org é uma suíte de aplicativos office.org. Com a implantação do OpenOffice. principalmente. O software livre OpenOffice. vamos agora detalhar um importante projeto dentro do contexto da utilização do software livre no TRT. e atendendo a um anseio antigo dos usuários. e onde a conscientização dos usuários finais mostrase como fundamental. Neste sentido. entre outros. realizada em Brasília/DF em abril deste ano. e o “5º Fórum Internacional de Software Livre”. que terá início brevemente. de aplicativos de utilização direta pelo usuário. a utilização do editor de textos neste locais é fundamentalmente vinculada à utilização do sistema inFOR. Inicialmente.org. preenchendo uma importante lacuna. Além disso. As razões fundamentais são duas: primeiramente. procurando estar em sintonia com soluções adotadas em outras organizações. como o Excel. pois entendemos que estes locais são ideais para a primeira migração para software livre no TRT. em especial quanto ao OpenOffice. realizado em Porto Alegre em junho deste ano. Excel. PowerPoint. em segundo lugar. onde inclusive apresentamos uma palestra acerca da nossa política de software livre.org. etc. editor de apresentação. assim como hoje trabalha com o Microsoft Word. planilha eletrônica. faremos a migração nas Secretarias das Varas do Trabalho de Porto Alegre.

Dr. critérios utilizados e benefícios evidentes que serão conseguidos para o usuário final. com destaque especial ao projeto de migração para o OpenOffice. A partir do mês de setembro. ainda que os motivos sejam plenamente justificáveis. para o êxito desta migração. Atenciosamente. outras áreas do TRT deverão ser também objeto de migração para o OpenOffice. A previsão de migração definitiva é para o mês de outubro. Sr. a partir do próximo ano. com diversas turmas e horários. que consideramos muito importante. e os benefícios significativos.org. Esperamos ter conseguido dar um panorama geral sobre a política de utilização do software livre no TRT. como as razões da migração.org. que haja a devida conscientização prévia dos usuários quanto aos elementos envolvidos neste projeto. e ministrados por instrutores da própria informática. objetivando vencer as resistências que naturalmente surgem em qualquer processo de mudança. através de cursos rápidos e objetivos. em especial em ferramentas de trabalho fundamentais como são os sistemas informatizados. e que requer a devida atenção de todos. Sabemos que mudar requer sempre uma dose de sacrifício. É fundamental.Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região Secretaria de Informática treinamento e consultoria para auxiliar neste processo. que procuramos detalhar acima. Luís Fernando Pontello Diretor do Serviço de Informatização do 1º Grau Eduardo Kenzi Antonini Diretor da Secretaria de Informática Exmo. Pedro Luiz Serafini Juiz Corregedor Regional 41 . A partir da experiência que vamos adquirir com este projeto. iniciaremos o processo de treinamento aos usuários das Varas do Trabalho. entretanto.

Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região Secretaria de Informática ANEXO II – Via E-mail Especial – nº 23 42 .

Junho/Agosto de 2004 43 .Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região Secretaria de Informática ANEXO III – Matéria do Jornal Interno Em Pauta.

2 rodando uma base de dados Oracle para consultas pela internet.org. com todos os Foros interligados.300 servidores em 58 cidades do Rio Grande do Sul. Luis Fernando Pontello para o Projeto Software Livre Brasil – 2005 Casos de Sucesso do OpenOffice. no V Fórum Internacional de Software Livre em Porto Alegre.000 microcomputadores e 800 impressoras. Antes da implantação do OpenOffice. o TRT4 ocupa posição de destaque na Justiça do Trabalho. que foram fundamentais para que a cultura da utilização do software livre fosse trazida para a nossa instituição. coordenador de documentação do OpenOffice.org: entrevista com Luiz Fernando Pontello Luís Fernando Pontello é um dos responsáveis pela migração de uma parte significativa do Tribunal Regional do Trabalho da 4° Região (TRT4) para o OpenOffice.000 processos julgados em 2003). o planejamento da implantação do Software Livre no TRT4 (disponível na nossa seção de Downloads) destacou a migração para o OpenOffice. Em relação ao projeto de migração para o OpenOffice. o TRT4 conta.org já haviam sido feitas outras implantações de Softwares Livres no TRT4. Diretor do Serviço de Informatização do 1º Grau. Hoje. Em 2001. Pontello faz uma avaliação geral do projeto de migração para o OpenOffice. Na sua estrutura. a confiança na utilização de produtos que não tinham o suporte de uma grande empresa por trás. 1. formado em Engenharia Elétrica pela UFRGS.org e para o Software Livre”.Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região Secretaria de Informática ANEXO IV – Entrevista do Dir. O parque de equipamentos é composto de aproximadamente 2. Outra experiência importante foi a migração de nossas 58 LANs de todo o estado para Linux Red Hat 7. concluída recentemente. Já em 1998 implantamos um servidor Linux Red Hat 6. por exemplo. Gustavo Pacheco.000 processos julgados em 2003) e 36 Gabinetes (55. Estas experiências nos trouxeram. principalmente. mas que se mostraram extremamente robustos. São 98 Varas do Trabalho (110.org e para o Software Livre. Pontello está na Secretaria de Informática do Tribunal há 14 anos. Nesta entrevista. como é o caso dos softwares proprietários. estáveis. compartilhando informações via web. adotamos o Apache como webserver.org? Tivemos experiências anteriores com o uso do software livre. Pelo seu histórico de sistemas e serviços pioneiros e inovadores na área tecnológica.org Projeto Brasil e diretor da ProDesk. com mais de 220 Juízes e mais de 2. Apresentado em junho de 2004.1.org não foi diferente. através da comunidade do software livre.org como uma das metas mais importantes da Informática do Tribunal no ano de 2004. atualmente. como foram essas experiências anteriores? Essas experiências influenciaram na decisão da migração para o Openoffice. afirma que “a qualidade gerencial e a qualidade técnica da equipe envolvida foram fundamentais para que o projeto alcançasse seus objetivos. e que nos troxeram uma nova forma de suporte. considero o projeto de migração do TRT4 um exemplo para todas as organizações que desejam migrar para o OpenOffice. 44 .

e considerando a nossa grande experiência com treinamentos internos. Nas Varas. destacando o conceito de software livre. Procuramos fazer um trabalho sério nesta questão. no Tribunal. e mais focado em suporte.org. a um estudo de viabilidade. Como foi esse desenvolvimento? De fato. Uma das peculiaridades do projeto do TRT4 foi a modificação de um software desenvolvido em Delphi para que o mesmo funcionasse adequadamente com os objetos do OpenOffice. Aqui no 1º Grau. Por outro lado. dando sinal verde para a migração. São usuários. atendido predominantemente pelo Serviço de Infra-estrutura e Planejamento. Windows XP. e trabalhavam com o Microsoft Word 97. Buscamos então uma consultoria especializada junto à ProDesk. Como é o ambiente e o perfil dos usuários que migraram para o OpenOffice. também. A nossa estratégia de implantação. os usuários que utilizam a suíte de aplicativos office de maneira mais aprofundada. Esse ambiente diferenciado não foi empecilho para a migração para o OpenOffice. havia uma variedade muito maior de uso das aplicações do Microsoft Excel. era a adequação de nosso aplicativo interno. os critérios que estamos utilizando para implantá-lo. quero destacar a importância. no 2º Grau. 3. mais de 200 servidores foram treinados pela nossa equipe de instrutores internos.org que realizamos. as motivações para a sua utilização do TRT. da conscientização prévia dos nossos usuários. já possuindo know how sobre a migração. e que utilizam o editor de texto de maneira não muito aprofundada. também nesta fase. que incluem Juízes e servidores.Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região Secretaria de Informática 2. 4. o treinamento externo envolveu. do apoio da equipe da nossa consultoria externa. uma vez que este trabalhava com chamadas ao Microsoft Word. Em um segundo momento. replicamos os conhecimentos em cursos para os usuários finais.org. ao OpenOffice. Os treinamentos internos ficaram apenas para os usuários com uma utilização mais simples da suíte. uma questão que nos preocupava com relação a este projeto. Apesar destas facilidades. O trabalho de adequação então envolveu uma analista de sistemas e um programador. Esta conscientização deu excelentes resultados.org. considerou as maiores facilidades para iniciarmos a migração pelo nosso 1º Grau. Na direção dos serviços. Procedemos. A partir deste treinamento. vinculada ao projeto OpenOffice. desenvolvido em Delphi sobre base de dados Oracle. neste projeto de migração para o OpenOffice. o inFOR. Para esta situação. inicialmente. pelas razões já expostas. de maneira geral. o uso do Word era predominante entre os usuários e não havia licenciamento das ferramentas Excel e PowerPoint.org? Aqui no 1º Grau. todas as estações trabalham com rede Microsoft. com amplo material de divulgação sobre a migração. e detalhando a migração para o OpenOffice. como foi tratada a questão estratégica da migração? Inicialmente.org. considero muito importante o treinamento em OpenOffice. 45 . que trabalhou em conjunto com a nossa equipe de desenvolvimento de sistemas. partimos para a migração na área administrativa do Tribunal. Inicialmente. a utilização do editor de texto está principalmente vinculada ao nosso aplicativo interno. além da equipe de TI.org no lugar dos objetos do Microsoft Office. praticamente eliminando as resistências para a migração. com um treinamento mais aprofundado. fizemos treinamentos para a nossa equipe de TI. e levou cerca de um mês para ser concluído.org. sem grandes conhecimentos em informática. Ressalto a importância. Na realidade.

org bastante segura. em cerca de 500. em substituição ao Internet Explorer. Por isto um trabalho sério precisa ser feito. a idéia é a adoção.org? A migração foi totalmente transparente para os usuários. apenas em 2004. a partir de 2005. no sentido de aprofundarmos ainda mais a cultura do software livre em nossa instituição. 7. envolvendo a conscientização prévia dos usuários. e um referencial inclusive para outros TRTs. Fazendo os cálculos. de um browser livre. Um dos destaques da apresentação do planejamento do TRT4 no V Fórum Internacional de Software Livre foi justamente a migração para o OpenOffice.org. uma política de adoção do software livre embasada. 46 . Com um trabalho elaborado. Na prática.org no segundo semestre de 2004. Outros projetos envolvem fomentar a utilização de webmail em detrimento de clientes. e mesmo análises já visando a migração para ambientes desktop software livre. Quais os próximos projetos do TRT4 para o Software Livre? A implantação de um browser livre como padrão será em 2005? Sim. de browsers livres.Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região Secretaria de Informática 5. O inFOR passou a rodar muito bem com o OpenOffice. que durou cerca de duas semanas. 6. e adequações à nossa infra-estrutura. o trabalho junto a uma empresa de consultoria e treinamento competente.org no TRT4? Calculamos a economia em licenciamento de software. qual a economia em licenciamento de software realizada com a implantação do OpenOffice.000. e uma estratégia de implantação do OpenOffice. 8. Qual o balanço final do projeto? A nossa avaliação é a melhor possível. apenas pequenos ajustes tiveram que ser feitos durante o projeto-piloto que fizemos em algumas máquinas. e sempre será necessária uma dose de sacrifício de todos. como o Microsoft Outlook. é natural que surjam resistências.00 reais. conseguimos fazer deste projeto uma grande sucesso. Sabemos que quando estamos tratando de mudanças que repercutem diretamente no usuário final. Qual a avaliação dos resultados obtidos atualmente com o inFOR rodando com o OpenOffice. Estamos em fase de testes.

Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região Secretaria de Informática ANEXO V – Matéria da edição “Escritório a custo zero” da Coleção INFO EXAME – 2006 47 .