You are on page 1of 39

Disciplina: Ondas e Propagação

Prof.: Airton Ramos

Universidade do Estado de Santa Catarina Centro de Ciências Tecnológicas – CCT Departamento de Engenharia Elétrica Laboratório de Eletromagnetismo LEM (sala E-32)

Bancada de Instrumentos Eletrônicos
O laboratório de Eletromagnetismo do Centro de Ciências

Tecnológicas está sendo estruturado para permitir a execução de atividades de ensino e pesquisa em diversas atividades relacionadas à interação de campos e ondas eletromagnéticas com sistemas eletroeletrônicos. Atualmente, para as aulas da disciplina Ondas e Propagação (OPR) foram montadas e configuradas as bancadas de instrumentos eletrônicos, constituídas pelos seguintes equipamentos:

1) Osciloscópio Digital Tektronix – Modelo TDS2024B; 2) Gerador de Funções TTi – Modelo TG 2000; 3) Multímetro Digital Rigol – Modelo DM 3062; 4) Fonte de Alimentação Politerm – Modelo HY 3003; 5) Ponteira de Corrente Tektronix – Modelo A622; 6) Ponteira de Corrente Tektronix – Modelo P6022; 7) Analisador de Espectro Instek – Modelo GSP830;

Nas seções seguintes é feita uma apresentação sucinta das principais características desses instrumentos.

Laboratório de Eletromagnetismo

1

Disciplina: Ondas e Propagação

Prof.: Airton Ramos

1) Osciloscópio TDS2024B
A Figura 1 mostra uma imagem do painel frontal do osciloscópio digital Tektronix TDS 2024B. Este instrumento possui 4 canais de entrada analógica, largura de banda de 200 MHz, taxa de amostragem 2,0 GS/s e display colorido.

Figura 1 – Osciloscópio Digital Tektronix TDS 2024B

1.1) Configurando o osciloscópio
A Figura 2 mostra uma visão detalhada dos botões do menu de controle do osciloscópio. As funções destes botões são descritas a seguir:

Figura 2 – Painel frontal com os botões de menu e controle

Laboratório de Eletromagnetismo

2

Disciplina: Ondas e Propagação

Prof.: Airton Ramos

AUTORANGE ajusta os valores de configuração para controlar um sinal quando este apresenta grandes alterações ou quando se move a ponteira.

SAVE/RECALL exibe o menu para salvar ou recuperar formas de onda. Grava até 10 configurações diferentes. As formas de onda também podem ser gravadas em uma USB flash drive.

MEASURE pode efetuar até 5 medições automáticas ao mesmo tempo. Essas medições podem ser de freqüência, período, média, pico a pico, rms, tempo de subida ou de descida, etc.

ACQUIRE exibe o menu de Aquisições com as opções amostra, detecção de pico e média.

AUTOSET mostra uma forma de onda estável, pois ele ajusta automaticamente os controles verticais, horizontais e de “trigger”. Dessa forma, um sinal monitorado qualquer aparece bem definido na tela do instrumento sem que o usuário precise ajustar manualmente esses controles.

REF MENU exibe o Menu Ref. para mostrar ou ocultar formas de onda de referência armazenadas no osciloscópio.

UTILITY exibe o menu Utilitário.

CURSOR exibe o menu Cursores. Use o botão de múltiplas funções para alterar a posição de um cursor. O cursor pode ser de tempo ou de amplitude.

Laboratório de Eletromagnetismo

3

Disciplina: Ondas e Propagação Prof. PRINT serve para imprimir em uma impressora PictBridge compatível ou simplesmente para executar a função salvar na USB flash drive.: Airton Ramos DISPLAY exibe o menu Display para escolher como as formas de onda serão apresentadas (vetores ou pontos) e para alterar a aparência do visor. Figura 3 – Controles de Trigger Laboratório de Eletromagnetismo 4 . DEFAULT SETUP restaura e exibe a configuração padrão. SINGLE SEQ. SAVE quando o led acender indica que o botão Print está configurado para gravar os dados na USB flash drive. 1. adquire uma única forma de onda e pára quando detecta um evento de trigger.2) Controles de trigger O trigger determina quando o osciloscópio começa a adquirir dados e exibir uma forma de onda. RUN/STOP adquire continuamente formas de onda ou interrompe a aquisição.

POSITION posiciona o sinal na posição horizontal apenas na tela do osciloscópio.: Airton Ramos TRIG MENU habilita 3 tipos: Borda. FORCE TRIG é usado para concluir a aquisição de uma forma de onda independente se o osciloscópio detectou ou não um trigger. 1. SET TO 50% é usado para estabilizar rapidamente uma forma de onda. Vídeo e Largura de Pulso. LEVEL é usado para controlar o nível de trigger. SET TO ZERO posiciona automaticamente o sinal no início da tela.Disciplina: Ondas e Propagação Prof. Figura 4 – Controle Horizontal Laboratório de Eletromagnetismo 5 . SEC/DIV serve para selecionar a escala de tempo. TRIG VIEW é usado para fazer com que o osciloscópio exiba o sinal de trigger condicionado.3) Controles horizontais A Figura 4 mostra os controles do menu HORIZONTAL.

X. e a correspondente tensão. V. Laboratório de Eletromagnetismo 6 . Figura 5 – Controle Vertical A relação entre o desvio espacial.X onde S representa a sensibilidade em Volt/divisão.4) Controles verticais A Figura 5 mostra os controles do menu VERTICAL.5) Conectores de entrada Figura 6 – Conectores de entrada e trigger externo. VOLT/DIV serve para ajustar a escala de amplitude do sinal. é dada por: V = S.: Airton Ramos 1.Disciplina: Ondas e Propagação Prof. 1.

OBSERVAÇÃO IMPORTANTE: NUNCA PROVOCAR CURTO CIRCUITO NA SAÍDA DO GERADOR. As formas de ondas são geradas por DDS – Direct Digital Synthesis. Apresenta baixa distorção e controle digital total.Disciplina: Ondas e Propagação Prof.001 Hz até 20 MHz com 6 dígitos de resolução. Forma de onda Senoidal Frequência de saída 1mHz até 20 MHz Laboratório de Eletromagnetismo 7 . 2.1) Características principais Tabela 1 – Características principais do gerador TTi TG 2000.: Airton Ramos 2) Gerador TG 2000 O gerador de funções TTi TG 2000 é um equipamento destinado a geração de sinais de tensão com forma de onda pré-programada operando na faixa de frequência de 0. PODERÁ DANIFICAR O EQUIPAMENTO! Figura 7 – Painel frontal do gerador TTi TG 2000.

Amplitude variável: entre 5 mV até 10 Vpp para uma fonte de impedância de 50 ou 600 Ω e 5 mV até 10 Vpp para circuito aberto (hiZ). Interfaces: Serial RS-232 e USB. Botões: Laboratório de Eletromagnetismo 8 . kHz. ms.25 mV a 5 Vpp. mHz. são elas: MHZ. ou de circuito aberto com a fonte de 50 Ω ou 600 Ω. localizadas ao lado do botão giratório.5 mV a 10 Vpp em 50 Ω. mV. 2. dB. s.Disciplina: Ondas e Propagação Prof.: Airton Ramos Quadrada Triangular Pulso Positivo Pulso Negativo 1mHz até 20 MHz 1mHz até 1 MHz 1mHz até 20 MHz 1mHz até 20 MHz Tensão de saída: 2. exceto para ondas pulsadas positiva e negativa onde o nível de saída é de 1. Abaixo são descritas de forma sucinta as principais funções dos botões e menus no painel frontal do gerador TTi TG 2000. Offset configurável na carga: ± 10V para uma impedância de 50 Ω. µs. de 600 Ω. com relação ao nível de offset. Hz.2) Menus e botões O gerador de funções disponibiliza 4 teclas de unidades padrão. %. ns e V.

Figura 8 – Display do botão MENU do gerador de sinais TTi TG 2000. ESCAPE retorna uma configuração para ser editado o último valor. Esta tecla possui um LED que indica seu estado (on/off). STATUS sempre retorna o visor para o padrão de tela inicial que dá um panorama da configuração do gerador. Após montar o circuito e ligá-lo ao osciloscópio.3) Seleção da Forma de Onda no MENU Principal Laboratório de Eletromagnetismo 9 . Quando ligado pela primeira vez. salvo indicação em contrário. 2.Disciplina: Ondas e Propagação Prof. esta tecla deverá ser pressionada para ligar a saída principal do gerador ao circuito.: Airton Ramos MENU chama a tela de menu mostrada na Figura 8. Com o gerador configurado para os padrões de fábrica a tela exibida corresponde a Figura 9. Ao lado do conector BNC da Saída Principal (MAIN OUT) há uma tecla ON. a partir da qual todas as funções do gerador podem ser diretamente selecionadas. Figura 9 – Display do botão STATUS do gerador de sinais TTi TG 2000. CE (Clear) Entrada: desfaz uma entrada numérica dígito por dígito. com a Saída Principal (MAIN OUT) desligada. o gerador será definido como os padrões de fábrica.

como por exemplo. seleciona-se a forma de onda desejada na lista de formas de onda disponíveis. o campo adicional de simetria é exibido à direita do tipo de forma de onda. Se a forma de onda selecionada possui simetria que possa ser ajustada. o valor frequência pode ser introduzido diretamente a partir do teclado em todas as unidades convenientes. Figura 11 – Display do Menu SYMMETRY do gerador de sinais TTi TG 2000. Laboratório de Eletromagnetismo 10 . mas também pode ser inserido como 12340 Hz ou 0. 12.34 kHz pode ser inserido diretamente no kHz. como mostrado na Figura 12.01234 MHz. conforme mostra a Figura 11. Frequency: Com a frequência selecionada. A Figura 10 mostra a tela da função Waveform: Figura 10 – Display do Menu WAVEFORM do gerador de sinais TTi TG 2000.Disciplina: Ondas e Propagação Prof.: Airton Ramos Waveform: Pressionando-se a tecla referente a Forma de Onda na função MENU.

entretanto.Disciplina: Ondas e Propagação Prof. O modo Varredura varia a frequência de uma forma de onda de maneira linear ou logarítmica. há mais duas opções. As reticências que procedem More e Setup. portanto. dBm ou Vrms. Figura 13 – Display do Menu MODE do gerador de sinais TTi TG 2000. AMPLITUDE: no menu principal aparecerá a tela Amplitude. Mode: Geralmente o modo contínuo é utilizado na geração de sinais. Laboratório de Eletromagnetismo 11 . imprevisíveis. indicam que há uma tela posterior. As opções de unidades para a amplitude são: Vpp. Figura 14 – Display do Menu AMPLITUDE do gerador de sinais TTi TG 2000. para o item que foi selecionado. O gerador não está sincronizado com a fonte de gate e as fases de partida e parada do gerador são. No modo Gated o gerador entrega a forma de onda quando o gatilho no sinal é alto. por exemplo. a saber: Gated e Sweep. conforme mostrada na Figura 14. com novas opções. na Figura 13. Com essa opção pode-se obter a resposta em frequência de um filtro.: Airton Ramos Figura 12 – Display do Menu FREQUENCY do gerador de sinais TTi TG 2000.

Laboratório de Eletromagnetismo 12 . para obter medidas mais confiáveis deve-se configurar a impedância de saída do gerador a fim de evitar alguns erros. A tela de DC Offset é mostrada na Figura 15. Figura 15 – Display do Menu DC OFFSET do gerador de sinais TTi TG 2000.: Airton Ramos DC OFFSET: Deve-se observar que a impedância da carga pode variar. Portanto.Disciplina: Ondas e Propagação Prof.

Figura 17 – Painel frontal do multímetro DM 3000 Laboratório de Eletromagnetismo 13 . conforme mostram as Figuras 17 e 18. possui vinte e seis funções de medições que serão descritas na sequência. USB.: Airton Ramos 3) Multímetro DM 3000 O Multímetro Digital é um equipamento de precisão.Disciplina: Ondas e Propagação Prof. Inclui interface RS-232. O painel frontal do Multímetro Digital 3000 inclui quatro botões de direção. multifunção. LAN. multiplexador. doze teclas de função. medições automáticas. operações matemáticas. seis teclas de menu e duas teclas de controle. medição de sensores e outras funções. GPIB para armazenamento em disco e impressão. com 6 ½ dígitos de precisão. alta velocidade de aquisição de dados. Além disso.

e o cabo de teste preto no terminal LO. o cabo de teste vermelho ao terminal HI. Figura 19 – Interface de Dados de Medição de Tensão Contínua.Disciplina: Ondas e Propagação Prof. Laboratório de Eletromagnetismo 14 .1) Medição de tensão contínua A seguir é mostrado como fazer medições básicas no Multímetro a partir da seleção das funções de medição (Figura 19 e Tabela 3).: Airton Ramos Figura 18 – Detalhes da tela de visualização do medidor DM 3000 3. Tabela 3 – Características de Medição de Tensão Contínua. Conecte os cabos de teste conforme mostra a Figura 20. 1. ou seja.

esse parâmetro não é requerido. para selecionar a função de medição de 3.: Airton Ramos Figura 20 – Esquema de Ligação dos Cabos para Medição de Tensão Contínua. Laboratório de Eletromagnetismo 15 . 6. “List” e “HistoG”. O cálculo nulo será uma opção de operação. Defina o valor nulo (Null value). 2. Pressione para configurar a impedância de entrada contínua. Use a função History. Pressione History no menu mostrado a seguir. O valor padrão é de 10 M . 5. Configure a impedância contínua. Se o usuário não implementar o cálculo nulo. Esta função serve para rever ou salvar os dados que são adquiridos pela função de medição atual. Figura 21 – Dados da função History. Escolha a faixa de medição adequada. Os dados são mostrados na tela “Info”.Disciplina: Ondas e Propagação Prof. isso poderá ser configurado de acordo com a demanda do usuário. Pressione a tecla corrente contínua. 4.

: Airton Ramos Pressione a tecla Update para atualizar os dados em History. Figura 22 – Interface de Dados de Medição de Tensão Alternada. 3. ou seja. Conecte os cabos teste como mostra a Figura 23. Esta prática fornece um guia para se familiarizar com a técnica de medição de tensão AC. Laboratório de Eletromagnetismo 16 . 1. selecione a função Auto range se a faixa de medição é incerta para adquirir mais exatidão na medição dos dados. o cabo de teste vermelho ao terminal HI.Disciplina: Ondas e Propagação Prof. a seguir mostra-se como fazer as conexões do sistema e a seleção das funções de medição.2) Medição de tensão alternada Tendo em vista a função de medição de tensão alternada. nas Figuras 22 e 23 e Tabela 4 as características da medição de tensão AC. (As funções de AC suportam apenas medições com 5 ½ dígitos). Tabela 4 – Características de Medição de Tensão Alternada. e o cabo de teste preto no terminal LO. Pressione a tecla Save para salvar os dados. Para facilitar. A seguir mostram-se.

3) Medição de corrente contínua A seguir mostram-se. Configure o filtro AC. Escolha a faixa de medição adequada. 5. para selecionar a função de medição de 3. e diretamente é feito o próximo passo. Laboratório de Eletromagnetismo 17 .Disciplina: Ondas e Propagação Prof. Pressione a tecla corrente alternada. O cálculo nulo será uma opção de operação. 2. esse parâmetro não é requerido. A função History utilizada na medição de tensão cc também pode ser usada aqui. Esta prática fornece um guia para se familiarizar com a técnica de medição de corrente cc. as conexões do sistema e a seleção de funções de medição. nas Figuras 24 e 25 e Tabela 5 as características de medição de corrente cc. isso poderá ser configurado de acordo com a demanda do usuário. O padrão é usar “MID” (Médio). Pressione para configurar a largura de banda do filtro AC. 3.: Airton Ramos Figura 23 – Esquema de Ligação dos Cabos para Medição de Tensão Alternada. 4. Defina o valor nulo (Null value). Se o usuário não implementar o cálculo nulo. 6.

para selecionar a função de medição de corrente 3. 2. isso poderá ser configurado de acordo com a demanda do Laboratório de Eletromagnetismo 18 . 4. Escolha a faixa de medição adequada. Figura 25 – Esquema de Ligação dos Cabos para Medição de Corrente Contínua. o cabo de teste vermelho ao terminal HI.Disciplina: Ondas e Propagação Prof. Conecte os cabos de teste como mostra a Figura 25. e o cabo de teste preto no terminal LO.: Airton Ramos Figura 24 – Interface de Dados de Medição de Corrente Contínua Tabela 5 – Características de Medição de Corrente Contínua 1. Defina o valor nulo (Null value). O cálculo nulo será uma opção de operação. ou seja. Pressione contínua.

Conecte os cabos teste como mostra a Figura 27. ou seja. 3.4) Medição de corrente alternada As informações relativas à medição de corrente alternada são apresentadas nas Figuras 26 e 27 e Tabela 6 abaixo. Figura 26– Interface de Dados de Medição de Corrente Alternada Tabela 6 – Características de Medição de Corrente Alternada 1. Se o usuário não implementar o cálculo nulo. Laboratório de Eletromagnetismo 19 .: Airton Ramos usuário.Disciplina: Ondas e Propagação Prof. esse parâmetro não é requerido. e diretamente é feito o próximo passo. e o cabo de teste preto no terminal LO. o cabo de teste vermelho ao terminal HI.

5. Se o usuário não implementar o cálculo nulo. 6. Pressione para configurar a largura de banda do filtro AC. Laboratório de Eletromagnetismo 20 . para selecionar a função de medição de 3. A função History utilizada na medição de corrente cc também pode ser usada aqui. “List” e “Graph” das medições. esse parâmetro não é requerido. 4. 3. Defina o valor nulo (Null value). Ela mostra “Info”.Disciplina: Ondas e Propagação Prof.5) Medição de resistência Os métodos de medição da resistência podem ser de dois tipos: medição a dois Fios ou Medição a quatro Fios. Medição a Dois Fios As Figuras 28 e 29 e Tabela 7 mostram as características do sistema de medição de resistência a dois fios. Configure o filtro AC. e diretamente é feito o próximo passo. Pressione a tecla corrente alternada.: Airton Ramos Figura 27 – Esquema de Ligação dos Cabos para Medição de Corrente Alternada 2. isso poderá ser configurado de acordo com a demanda do usuário. O padrão é usar “MID” (Médio). Escolha a faixa de medição apropriada. O cálculo nulo será uma opção de operação.

Figura 29 – Esquema de Ligação dos Cabos para Medição de Resistência a dois Fios Laboratório de Eletromagnetismo 21 .: Airton Ramos Figura 28 – Interface de Dados de Medição de Resistência a dois Fios Tabela 7 – Características de Medição de Resistência a dois Fios 1.Disciplina: Ondas e Propagação Prof. o cabo de teste vermelho ao terminal HI. ou seja. e o cabo de teste preto no terminal LO. Conecte os cabos teste como mostra a Figura 29.

Disciplina: Ondas e Propagação Prof. isso poderá ser configurado de acordo com a demanda do usuário. Defina o valor nulo (Null value). o erro da impedância do fio de teste pode ser eliminado. Se o usuário não implementar o cálculo nulo. a operação Null será recomendada. Pressione a tecla resistência a dois fios.Medição a quatro fios As Figuras 30 e 31 e Tabela 8 mostram as características do sistema de medição de resistência a quatro fios. esse parâmetro não é requerido. O cálculo nulo será uma opção de operação. Observação: Quando pequenos valores de resistência são medidos. Figura 30– Interface de Dados de Medição de Resistência a quatro Fios Tabela 8 – Características de Medição de Resistência a quatro Fios Laboratório de Eletromagnetismo 22 .: Airton Ramos 2. . Escolha a faixa de medição apropriada. e diretamente é feito o próximo passo. para selecionar a função de medição de 3. 4.

Observação: Quando se mede resistência. Laboratório de Eletromagnetismo 23 . e os cabos preto nos terminais LO.: Airton Ramos 1. Escolha a faixa de medição apropriada. Se o usuário não implementar o cálculo nulo.Disciplina: Ondas e Propagação Prof. isso poderá ser configurado de acordo com a demanda do usuário.Esquema de Ligação dos Cabos para Medição de Resistência a quatro Fios 2. esse parâmetro não é requerido. ou seja. 4. Pressione a tecla resistência a quatro fios. Defina o valor nulo (Null value). os cabos vermelhos aos terminais HI. 3. para selecionar a função de medição de 3. O cálculo nulo será uma opção de operação.6) Medição de capacitância As Figuras 32 e 33 e Tabela 9 mostram as características do sistema de medição de capacitância. e diretamente é feito o próximo passo. não é recomendado tocar nas resistências. Conecte os cabos de teste como mostra a Figura 31. Figura 31 . pois pode causar erro na medição.

ou seja. Conecte os cabos de teste como mostra a Figura 33.: Airton Ramos Figura 32– Interface de Dados de Medição da Capacitância Tabela 9 – Características de Medição da Capacitância 1. Figura 33 – Esquema de Ligação dos Cabos para Medição de Capacitância Laboratório de Eletromagnetismo 24 . o cabo de teste vermelho ao terminal HI.Disciplina: Ondas e Propagação Prof. e o cabo de teste preto no terminal LO.

: Airton Ramos 2. isso poderá ser configurado de acordo com a demanda do usuário. e diretamente é feito o próximo passo. Defina o valor nulo (Null value). esse parâmetro não é requerido.Disciplina: Ondas e Propagação Prof. Escolha a faixa de medição apropriada. para selecionar a função de medição de 3.7) Teste de continuidade As Figuras 34 e 35 e Tabela 10 mostram as características do sistema de teste de continuidade. poder 3. Pressione a tecla capacitância. Figura 34 – Interface de Dados de Teste de Continuidade Tabela 10 – Características de Medição da Continuidade Laboratório de Eletromagnetismo 25 . você deve curto-circuitar as duas pernas dele e deixá-lo descarregar. O cálculo nulo será uma opção de operação. 4. para então medi-lo. Se o usuário não implementar o cálculo nulo. Observação: Antes de medir capacitores eletrolíticos.

Figura 36 – Interface de Dados para Verificação de Diodos Tabela 11 – Características para Verificações de Diodos Laboratório de Eletromagnetismo 26 . Pressione a tecla continuidade. Pressione o botão Set.8) Teste de diodos As Figuras 36 e 37 e Tabela 11 mostram as características do sistema de teste de diodos. o cabo de teste vermelho ao terminal HI. 2. Conecte os cabos teste como mostra a Figura 35. 3. O valor padrão é 10 e não é necessário modificá-lo.: Airton Ramos 1. ou seja. Configure a resistência de curto-circuito. para configurar a impedância de curto-circuito.Disciplina: Ondas e Propagação Prof. para selecionar a função de medição de Figura 35 – Esquema de Ligação dos Cabos para Medição de Continuidade 3. e o cabo de teste preto no terminal LO.

ou seja.: Airton Ramos 1. para selecionar a função que verifica os Figura 37 – Esquema de Ligação dos Cabos para Verificação de Diodos Laboratório de Eletromagnetismo 27 . Pressione a tecla diodos. Conecte os cabos teste como mostra a Figura 37. e o cabo de teste preto no terminal LO.Disciplina: Ondas e Propagação Prof. 2. o cabo de teste vermelho ao terminal HI.

Remova o curto circuito e ajuste a tensão desejada. A proteção de sobrecarga já está ajustada então é recomendável NÃO mais tocar no botão “CURRENT” evitando assim mudar esse limite. Possui medidores de tensão e corrente em cada canal de saída ajustável.5 e 5V. 4. série e independente das saídas ajustáveis. ligue a fonte na rede e ajuste o botão “VOLTAGE” para uma tensão entre 0.2) Operação simples da fonte Ligue a fonte e ajuste o valor de tensão desejado lembrando que a corrente máxima que a fonte fornece é 3 A em cada saída.1) Ajuste da corrente máxima Após verificar o valor da corrente máxima que poderá fluir através do circuito a ser alimentado pela fonte. o desgaste físico do equipamento e a possível queima. O valor mostrado nos displays possui precisão de um dígito decimal. Faça um curto circuito entre os terminais positivo e negativo da fonte. evitando assim. Possui controles para conexão em paralelo. capacidade de corrente de 3 A em cada saída e uma saída com tensão fixa de 5 V e capacidade de corrente de 3 A.Disciplina: Ondas e Propagação Prof. Conecte a fonte no circuito a ser alimentado. Laboratório de Eletromagnetismo 28 .: Airton Ramos 4) Fonte HY-3003E A Fonte de Alimentação Politerm HY-3003E possui duas saídas ajustáveis de 30 V. Esta fonte possui um botão de controle “ON/OFF OUTPUT” que corta a saída após o ajuste dos valores de tensão e corrente permitindo conectar o circuito que será alimentado à fonte sem desligá-la. temporariamente e ajuste o botão “CURRENT” com o valor máximo de corrente que poderá fluir no circuito. Conecte a carga aos terminais de saída da fonte sempre observando as polaridades positiva e negativa. Tem também proteção contra sobrecarga e curtocircuito. 4.

Disciplina: Ondas e Propagação Prof. a corrente máxima é próxima de 6 A. Se for necessário ajuste o botão “CURRENT” da fonte MASTER para obter um valor diferente de 3 A em cada uma delas. Neste modo de operação pode-se conseguir a tensão máxima próxima Laboratório de Eletromagnetismo 29 . Figura 38 – Conexão modo paralelo – Conexão modo série Após ligar a fonte pressione as teclas INDEP/TRACK e deixe a tecla SERIES/PARALEL solta para configurar o modo de conexão série.3) Configuração série e paralelo – Conexão modo paralelo Após ligar a fonte pressione as teclas INDEP/TRACK e SERIES/PARALEL para configurar o modo de conexão paralelo. Neste modo. Conecte a carga aos terminais de saída da fonte sempre observando as polaridades positiva e negativa. conforme Figura 38 a seguir. Ajuste o valor de tensão (“VOLTAGE”) desejado na fonte MASTER.: Airton Ramos 4.

a tensão total de saída é a soma das tensões nas duas fontes. Figura 39 – Conexão modo série Laboratório de Eletromagnetismo 30 .: Airton Ramos de 60 V. obviamente. Conecte a carga aos terminais de saída da fonte sempre observando as polaridades positiva e negativa.Disciplina: Ondas e Propagação Prof. Ajuste o controle de tensão (“VOLTAGE”) da fonte MASTER e. O modo série pode ser utilizado para a alimentação de amplificadores operacionais. conforme Figura 39 a seguir.

: Airton Ramos 5) Ponteira A622 A ponteira de corrente A622 é de uso geral em osciloscópios para mostrar sinais de corrente contínua ou alternada até 100 Apico (ou 70 Arms). 20 minutos antes de conectar a ponteira. Uma seta indica a convenção de polaridade para a medição de corrente fluindo do positivo para o negativo. A ponteira possui banda igual a 100 kHz. O osciloscópio deve estar ligado por. A Figura mostra quatro símbolos de controle que compõem a ponteira e como se deve interpretá-los ou modificá-los a fim de obter o correto funcionamento da ponteira.Símbolo da direção do fluxo de corrente na ponteira A622 Laboratório de Eletromagnetismo 31 . Figura 41 . Com isso o osciloscópio estará termicamente estável e proporcionará mais fidelidade as medições. Botões e indicadores Figura 40 . no mínimo.Ponteira A622 Fluxo de corrente – mostrado na Figura .Disciplina: Ondas e Propagação Prof.

Figura 13 .Valores máximos de tensão e corrente Indicador de Sobrecarga – A luz vermelha indica se o sinal medido é maior que a capacidade da faixa (RANGE) selecionada.Símbolo do ajuste zero da ponteira A622 Chave OFF/Range – ilustrada na Figura 1 é a chave LIGA/DESLIGA que também permite selecionar a escala que se deseja trabalhar: 10 mV/A ou 100 mV/A (Ver Tabela 22). Laboratório de Eletromagnetismo 32 . Figura 42 .: Airton Ramos Ajuste de zero – A Figura mostra o ajuste de zero da ponteira A622.Disciplina: Ondas e Propagação Prof. Isso também serve para dar um offset em uma componente de sinal contínuo. Esse ajuste deve ser rotacionado a fim de manter a saída da ponteira em zero quando não passa corrente por ela.Símbolo da chave OFF/Range na ponteira A622 Tabela 22 . Mude a ponteira para 10 mV/A se possível ou remova a ponteira do circuito.

Veja a Figura a seguir. principalmente quando as correntes envolvidas forem na ordem de alguns ampères. Como utilizar a ponteira A622 1) Conecte o conector BNC da ponteira na entrada do osciloscópio. Deve-se desligar o circuito de teste antes de remover a ponteira. Definir o canal para volts DC para ver ambos os sinais de correntes AC e DC. portanto usá-la em circuitos com tensões maiores que isso pode causar danos a ponteira e/ou lesões ao operador. 3) Use o ZERO para ajustar a ponteira em zero ou para dar um offset na saída da ponteira. Definir o canal para AC para ver apenas a corrente alternada. A deflexão vertical em 0.: Airton Ramos Figura 44 . isso evita sobre tensões que podem danificar a ponteira. 4) Conecte a ponteira no circuito abrindo as garras e prendendo-a ao redor do condutor. Defina o canal vertical do osciloscópio acoplado em volts DC. Quando o led verde estiver desligado deve-se trocar a bateria da ponteira.Símbolo do indicador de sobrecarga na ponteira A622 Precauções A isolação da ponteira é de 600 Vac. 5) Ajuste a ponteira e o canal conforme necessário para obter uma visualização limpa do sinal.1 Volts/divisão (V/div). 2) Mova a chave OFF/Range para a posição 10 mV/A ou 100 mV/A para ligar a ponteira.Disciplina: Ondas e Propagação Prof. Laboratório de Eletromagnetismo 33 . Sempre conecte a ponteira ao instrumento antes de grampeá-la ao circuito sob teste.

fazendo passar por um condutor em teste uma corrente conhecida. Laboratório de Eletromagnetismo 34 . Pode-se perceber que para correntes mais altas a banda da ponteira reduz drasticamente após 10 kHz.: Airton Ramos Figura 45 . Tecnicamente ela deve funcionar com até 6 Vdc. o que torna essa ponteira interessante para aplicações em baixa freqüência com potências mais elevadas. Figura 46 .Máxima corrente em função da freqüência Pelo fato dessa ponteira funcionar com bateria.Conectando a ponteira de corrente A622 Outras especificações É importante observar as características da ponteira para executar uma medida precisa.Disciplina: Ondas e Propagação Prof. Antes de realizar uma medição com ponteira de corrente desse tipo deve-se fazer uma aferição da medida. deve-se sempre estar atento para o nível de tensão da bateria. porém com vários erros na medição. A Figura apresenta a curva de corrente pela freqüência para a ponteira A622.

Nunca desligue a ponteira do terminal quando ela estiver ligada a um condutor energizado pela rede. O metal exposto na ponteira e no cabo de saída da terminação é eletricamente Laboratório de Eletromagnetismo 35 . Isso ajuda a contornar correntes de RF acopladas capacitivamente que podem fluir para o cabo da ponteira e gerar oscilações (ringing). Possui impedância de entrada de 1 M . corrente mínima de 1 mA e corrente máxima igual a 6 App (esse valor pode variar de acordo com a freqüência).Disciplina: Ondas e Propagação Prof.: Airton Ramos 6) Ponteira P6022 Esta ponteira de corrente apresenta banda passante igual ou superior a 100 MHz. As entradas do osciloscópio devem usar conectores BNC e ter uma impedância de 1 M . Para medições de alta freqüência. Para evitar choque elétrico e possíveis lesões. encaixar o fio terra da ponteira ao terra do osciloscópio para melhorar a rejeição a campos eletromagnéticos próximos ao local de medição. Nunca desligue a terminação da ponteira deixando a P6022 presa com o gancho em torno do condutor quando medir correntes elevadas.Ponteira de corrente P6022: terminais e conector de terra Instalação Verifique se a ponteira e o osciloscópio estão apropriadamente casados. Figura 47 . não aplicar qualquer tensão acima do potencial de terra para o fio comum da ponteira (não flutuar o comum).

permitindo fechar a ponteira. Controle de sensibilidade da ponteira A terminação da ponteira P6022 tem um controle que permite selecionar a sensibilidade da ponteira.Botão para controle da sensibilidade Uma prática para melhorar a sensibilidade de ponteiras de corrente é fazer o condutor passar mais vezes pela ponteira. Esta ponteira foi projetada para uso somente com osciloscópios que fazem referência ao terra. 3) Solte a trava. Empurre um pouco a trava para fechar bem a ponteira.Disciplina: Ondas e Propagação Prof. Figura 48 . Laboratório de Eletromagnetismo 36 . 2) Colocar o condutor sob teste dentro do núcleo do transformador exposto. A seta no final do transformador da ponteira indica o fluxo da corrente convencional. multiplicando a tensão de saída pelo número de voltas dadas. Se você colocar a ponteira sobre o condutor então a seta na ponteira indica o fluxo de corrente convencional através do condutor. A chave tem duas posições: 1 mA/mV e 10 mA/mV. Uso da ponteira 1) Deslocar suavemente a trava deslizante na sua direção e segurar a chave nesta posição.: Airton Ramos conectado ao fio comum da ponteira e. a orientação da forma de onda mostrada será a correta. portanto. está no mesmo potencial.

remover a ponteira do condutor.Disciplina: Ondas e Propagação Prof. O núcleo é não isolado. mas mantê-la na mesma posição de quando você fez a medida suspeita. Entretanto. siga os passos: 1) Conecte as ponteiras (com terminação) nas entradas positiva e negativa do osciloscópio. 42 V pico ou 60 V dc. Blindagem e interferências A ponteira é blindada para minimizar o efeito de campos magnéticos externos. 3) Definir o osciloscópio para subtrair a componente do sinal que é comum à ambas as ponteiras. 2) Prenda uma ponteira no condutor o qual se deseja medir a corrente. não conecte ou desconecte a ponteira de corrente de um condutor não isolado energizado. Para isso. Se você precisa medir a corrente na presença de um campo magnético forte. Para reduzir o risco de fogo. Se suspeitar que um campo externo esteja interferindo na medição. Se um sinal ainda aparecer no osciloscópio tente medir a corrente condutora no ponto mais próximo da localização do campo magnético. Essas ponteiras não são qualificadas para fios nus com tensões acima de 30 V rms. pode-se diminuir a interferência usando duas ponteiras de corrente e um osciloscópio de entrada diferencial. Sempre desligue o circuito em teste antes de conectar ou desconectar a ponteira de condutores nus. Laboratório de Eletromagnetismo 37 . 42 V pico ou 60 V dc. campos fortes podem interferir com o sinal de corrente que está sendo medido.: Airton Ramos Precauções Para reduzir o risco de choque elétrico use somente condutores isolados com essas ponteiras em circuitos com tensões acima de 30 V rms.

Disciplina: Ondas e Propagação Prof. É difícil eliminar o sinal indesejado completamente.: Airton Ramos 4) Ajuste as posições das ponteiras para melhores resultados. devido às diferenças entre as ponteiras e suas terminações. Laboratório de Eletromagnetismo 38 .

Disciplina: Ondas e Propagação Prof.: Airton Ramos 8) Analisador de Espectro GSP830 OBS: manual do fabricante em anexo Laboratório de Eletromagnetismo 39 .