You are on page 1of 4

ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DA SEGURANÇA PÚBLICA

Superintendência de Polícia Técnico-Científica

Orientação Técnica sobre Perícias em Locais de Incêndio
Perita Criminal SPTC/GO Valquíria Soares de Freitas Perito Criminal SPTC/GO Marcos Augusto Monteiro (Revisor) Perito Criminal SPTC/GO Ricardo Matos da Silva (Revisor)

OBJETIVO DA PERÍCIA DE INCÊNDIO A perícia em locais de incêndio visa estabelecer, sempre que possível, os pontos de origem do fogo (focos), o agente ígneo patrocinador e a identificação das causas do incêndio e sua classificação. O incêndio causado por ação pessoal intencional é tipificado no Código Penal Brasileiro no art. 250 como “crime de incêndio”. Logo, o objetivo fim do Perito Criminal é determinar materialidade e autoria desse delito. O crime de incêndio possui também a versão culposa, ao contrário do crime de dano. CLASSIFICAÇÃO DOS INCÊNDIOS: Fenômeno termoelétrico Fenômeno natural Fenômeno químico Origem acidental Ação pessoal intencional Ação pessoal acidental Ação pessoal indeterminada Causa decorrente de ação de criança (acidental) Causa não apurada COMPORTAMENTO DO FOGO  A fumaça e os gases quentes produzidos pela combustão tendem a subir atingindo o teto. À medida que sobe, o fogo também vai se alastrando horizontalmente pelas paredes e vigas, porém em velocidade bem menor que a propagação vertical. Esse movimento é chamado de cogumelo;  A propagação descendente é lenta e difícil;  Devido à delimitação física do teto, o calor (energia térmica) desce e espalha-se para os lados (paredes) em movimento circular, aquecendo os materiais presentes no ambiente por convecção e radiação térmica, enquanto as chamas do foco inicial continuam propagando o incêndio radialmente por condução;  As partes altas das edificações são as mais afetadas;  A ascensão dos gases quentes e da fumaça aquecida forma a figura de um cone invertido;  Os gases penetram em aberturas (pontos de ventilação) e podem alastrar o fogo;  As correntes de ar laterais desviam as chamas. Brisas mais fortes podem até dobrá-las para baixo. Porém o deslocamento lateral será restrito;  Chaminés, poços de elevadores promovem a sucção dos gases superaquecidos desviando as chamas em sua direção.

www.policiacientifica.go.gov.br

inclusive por fuligem).ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DA SEGURANÇA PÚBLICA Superintendência de Polícia Técnico-Científica DOS ELEMENTOS A SEREM OBSERVADOS NO LEVANTAMENTO PERICIAL         Obter relato de testemunhas (quem são. madeira. de concentração de público. Verificar as instalações elétricas em busca de vestígio de curto-circuito (fusão em pérola) ou fenômeno correlato (ver disjuntores.). sem risco potencial de provocar incêndio podendo ocorrer também sobre-tensões que provocam o superaquecimento dos aparelhos eletroeletrônicos com grande potencial de provocar incêndios. a área queimada é mensurada em hectares.go. etc. i www. Investigar ou entrevistar vizinhos que também possam ter sido afetados por sobrecarga na rede elétrica. capacidade de fios. Informar a ocorrência de chuva (condições climáticas) no período que antecedeu o evento. Ver as instalações elétricas se são protegidas por eletrodutos 2. DADOS DA EDIFICAÇÃO o Endereço completo.  Verificar se houve o rompimento de obstáculos (arrombamento) como quebra de janelas. mista. o Tipo de piso. Geralmente ocorre SUB-TENSÃO.         *Nas investigações de incêndios florestais. etc). madeirite. o Área total da edificação em metros quadrados. (concreto. A empresa concessionária pode fornecer um relatório informando a capacidade técnica e o registro de todo o fluxo anômalo ocorrido em qualquer ponto da rede sob sua responsabilidade.  Investigue se o imóvel possui seguro contra incêndio. vidro. o Identificar áreas atingidas somente pelas chamas. tipo de edificação (se residencial. escolar. etc. industrial. Certificar-se da presença/ausência de fontes potenciais de ignição. o Descrever a constituição física das instalações (material em que a edificação foi construída) ou o tipo de material predominante. o Se o local é abastecido por energia elétrica. etc. terminais. etc. telhado.). abertura de portas ou abertura no teto e paredes. fusíveis. Verificar a ocorrência de Descarga elétrica atmosférica (raios). Informar data e hora da realização da perícia.br . Verificar se as aberturas fazem parte da técnica utilizada pelos bombeiros no procedimento de combate ao fogo.policiacientifica. condutores.) Informar data e hora do evento. área atingida pelo incêndio em metros quadrados (todos os compartimentos atingidos.gov. Verificar a presença de materiais susceptíveis de combustão. o que viram ou presenciaram. Verificar a ocorrência de sobre-tensão na rede (oscilação da tensão elétrica).). comercial. Avaliar o comportamento do fogo (se houve digressão 1).  Verificar as entradas de ventilação (elas podem alterar a direção das chamas). o Número de pavimentos da edificação e qual(is) deste(s) foi(ram) atingido(s) pelo incêndio. Verificar qual unidade do Corpo de Bombeiros que atendeu a ocorrência. o Tipo de cobertura (laje. tijolo.

pois essa informação pode identificar o sentido de propagação do calor e das chamas. O incêndio torna-se mais intenso na medida em que mais materiais participam da queima. como paredes de madeira. Identificar o padrão de queima em “V” mais evidente em materiais combustíveis. ou por SUPERAQUECIMENTO dos dispositivos eletro-eletrônicos conectados devido a excesso de tensão da rede (SOBRE-TENSÃO). A generalização do incêndio é chamada de flashover. geralmente. a temperatura no teto supera os 700 ºC. as faíscas produzidas não mantêm calor por tempo suficientemente capaz de atingir o ponto de fulgor necessário ao desencadeamento do fogo na maioria dos materiais. A fuligem é trazida pela fumaça e suas marcas são de manchas uniformes escuras. pois devido à natureza efêmera da faísca e/ou calor produzido num curto-circuito. Verifique nos objetos quais as extremidades mais queimadas.. etc. vãos de escada. O exame dos objetos no ambiente sinistrado ajuda a identificar mais facilmente a zona de origem do fogo.ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DA SEGURANÇA PÚBLICA Superintendência de Polícia Técnico-Científica                Pontos onde houve chamas apresentam marcas claras. Em geral. Não se limite a esse resumo apenas. atualmente. Pode haver também o descolamento do material de revestimento da parede pela ação da energia térmica desprendida. comumente provocado por excesso na demanda de energia no local do foco (SOBRECARGA). porém restrita ao foco inicial ou a um compartimento. nas paredes adjacentes ao foco do incêndio. a maior incidência de incêndios do tipo estão relacionados ao SUPERAQUECIMENTO da rede elétrica. Estes sinais podem identificar o foco inicial do incêndio. Realize criterioso registro fotográfico. o local da ocorrência deve estar associado à presença de material capaz de incendiar-se rapidamente. Obs. Os pontos atingidos somente pela fumaça apresentarão bastante fuligem. na parte superior e no teto.go. A carbonização é maior na zona de origem se comparada com outros ambientes adjacentes. Hoje. Obs.br . a queima apresenta-se rápida. Observar as marcas de fuligem causadas pela chama nas paredes. para ocorrer um incêndio provocado por curtocircuito.policiacientifica. Produza um Desenho Esquemático do Local. haja vista a delimitação do calor e das chamas pelo teto (comumente em laje de concreto) e pelas paredes. 1 Tenha argúcia para se atentar para outros detalhes importantes que porventura não estejam previstos neste breve resumo. pois as possibilidades numa ocorrência de incêndio são inúmeras. 2: Atualmente os fios e cabos elétricos são revestidos por material antichama (ou autoextinguíveis). O material de acabamento da edificação influenciará significativamente no processo de propagação do fogo. www. Promova a coleta de amostras para análise (pesquisa de acelerantes). fato que diminuiu espetacularmente a incidência de incêndios provocados por curtos-circuitos. Em geral. Obs. num incêndio. 3 Com relação aos incêndios atribuídos à rede elétrica. O incêndio se propaga à medida que encontra entradas de ventilação como janelas.gov. em maior profundidade. porém o material do teto influencia mais que o material das paredes.

Osvaldo. TOCCHETTO. Domingos (Organizador).php/sepct/downloads/doc download/38-artigo-investigacao-de-incendio. então essa é a conclusão sobre o incêndio. George Cajaty Barbosa.  Determinar além do ponto de origem do fogo.br/site/emg/7secao/index. Digressão: desvio de rumo 2. ainda que os investigadores saibam o que causou o sinistro. LANDIM. www. Nesse caso a forma cônica do incêndio não prevalece. ou seja.Uma Introdução à Engenharia Forense.  Relacionar as vítimas. de forma a compreender o que ocorreu no local. Se forem descartadas de maneira segura as causas mencionadas e houver indícios que caracterizem um incêndio intencional. NEGRINI NETO. usados em instalações elétricas de alta e baixa tensão.gov. álcool. Disponível em: <https://www. querosene).gov. KLEINUBING. Brasil. Ranvier Feitosa. A conclusão do incêndio muitas vezes é dada pelo método da exclusão.  Possibilitar a descrição da dinâmica de propagação do incêndio.ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DA SEGURANÇA PÚBLICA Superintendência de Polícia Técnico-Científica INDÍCIOS DE INCÊNDIOS INTENCIONAIS  Presença de múltiplos focos iniciais. Por isso. marcas de queima em maior profundidade e seus vestígios podem ser analisados por meio de testes laboratoriais.policiacientifica.  Comportamentos de queima anômalos incompatíveis com situações acidentais.cbm.  Causa não apurada: ocorre sempre que os vestígios existentes não forem suficientes para apontar seguramente uma causa. Eletrodutos: tubos para proteção de fios e cabos. 2010. BRAGA. BIBLIOGRÁFIA: ARAGÃO.go. mais comumente.  Estabelecer correlação entre os elementos obtidos. Millennium Editora. CONCLUSÃO: os elementos levantados no local devem ser suficientes para apontarmos as seguintes informações:  Apontar a zona de origem do incêndio ou do foco do incêndio. Rodrigo. sobretudo as fatais. indicando a causa das lesões e/ou óbito sempre que possível.df. Investigação de Incêndio. essa situação caracteriza um incêndio intencional (a substância acelerante líquida escorre dando origem a um incêndio com propagação horizontal). i 1.html> Acesso em 08/03/2011. Incêndios e Explosivos . verificam-se todas as possibilidades do incêndio ter se desencadeado por fenômenos naturais ou causa acidental. Helen Ramalho de Oliveira.  Presença de agentes aceleradores. CORDIOLI.  Pontos com agentes aceleradores apresentam.br . o agente ígneo patrocinador e a identificação das causas do incêndio (sinistro). na maior parte das vezes.  Incêndios com propagação horizontal (a tendência é a propagação vertical) sem correntes de ar que justifique o deslocamento anômalo podem indicar o uso de substâncias acelerantes. Celito. hidrocarbonetos (gasolina.