You are on page 1of 3

1

F

F

A

C

U

L

A

D

A

D

E

S

R

R

I

O

G

R

G

A

TRABALHO DE LEGISLAÇÃO TRABALHISTA PROFESSOR: CAROLINE M. KUNZLER

TRABALHADOR BANCARIO

ALUNOS: Alvair Abreu Beck Jose Antônio Marcaroni

Porto Alegre, Novembro 2011 1. Jornada de trabalho

2. já tem remuneradas às duas horas extraordinárias que excederem de seis. de segunda a sexta-feira. Percebendo gratificação igual ou superior a um terço do salário do posto efetivo. 224 da CLT. esta remunera apenas a maior responsabilidade do cargo e não às duas horas extraordinárias além da sexta. remunerando apenas a jornada normal. O bancário que exerce a função a que não esta enquadrada no § 2º do art. Exceto os ocupantes de cargo de confiança que recebam gratificação não inferior a um terço do salário do cargo efetivo. O bancário sujeito à jornada de oito horas tem salário-hora calculado com base no divisor 220 e a jornada de seis horas tem calculado em 180. O caixa. 71 da CLT. Remuneração Integra a remuneração do bancário a verba denominada quebra de caixa e o ganho por ele obtido na comercialização de serviços e produtos oferecidos pelo banco. está sujeito à jornada reduzida. ainda que caixa executivo. Admite-se a prorrogação excepcional para até oito horas diárias. com o pagamento das horas suplementares como extraordinárias. O caixa bancário. de quinze minutos para os que trabalharem em jornada de seis horas e entre uma e duas horas para os demais. não exerce cargo de confiança. tal como sucede com os demais trabalhadores.2 A jornada normal do bancário é de seis horas. O intervalo é o previsto no art. totalizando trinta horas semanais. independentemente do recebimento de gratificação. O intervalo de 15 minutos não é computado na jornada de trabalho. e que recebe gratificação não inferior a um terço do seu salário. . No caso de excedente da jornada de trabalho fica assegurando o pagamento de hora adicional de 50% (cinquenta por cento) no mínimo. pois esta enquadrado como cargo de confiança ou gerencia. A pré-contratação de horas extras é reputada ilegal.

Basta constatar que a hora-extra deve ser paga com acréscimo de no mínimo 50% (cinquenta por cento) em relação à hora normal. tem natureza indenizatória e. 508 da CLT contém justa causa específica para o bancário. em forma legal. investido em mandato. 3.533. portanto. A gratificação de função tem como objetivo remunerar a maior responsabilidade do cargo. 224 consolidado. pagar ao trabalhador pelo exercício de uma atividade de maior relevância e que envolve obrigações mais complexas e emocionalmente mais tensionantes. não integra o salário do empregado bancário. . o trabalhador bancário está tendo evidentíssima perda salarial. a gratificação de função. A auxilio-alimentação assegurada por norma coletiva não tem natureza salarial. tenha encargos de gestão e usufrua de padrão salarial que o distinga dos demais empregados. em decorrência de prestação de horas extras por prorrogação de jornada. paga na proporção de 1/3 do salário da função é inferior ao que receberia o bancário se as duas horas fossem pagas efetivamente como horas extras. O pagamento de horas extras tem a finalidade de remunerar o tempo de trabalho que ultrapasse os limites da jornada normal e que o empregado despendeu em efetivo proveito do empregador. Art. Justa causa O art. Assim. Há que se considerar mais o seguinte: se nos termos da Súmula nº 102. A ajuda alimentação prevista em norma coletiva em decorrência de prestação de horas extras tem natureza indenizatória e. A ajuda alimentação paga ao bancário. 509 (revogado pela lei n: 6. por isso. as horas excedentes de seis trabalhadas pelos comissionistas são extraordinárias e pagas pela gratificação de função. cumpre jornada normal de oito horas. enquadrado na previsão do § 2º do art. a falta contumaz de pagamento de dívidas legalmente exigíveis. somente não tendo jus às horas suplementares. não integrativa ao salário. excedentes da oitava hora quando.3 O gerente bancário. isto é. de 24-5-1978).