You are on page 1of 2

O poder do grupo sem poder

Para o guru John Kotter, a melhor forma de liderar uma empresa é ter uma coalizão de gente comprometida
Por / Paulo Eduardo Nogueira

Outro ataque ao mito do executivo-chefe vem de um dos principais gurus da administração: John Kotter, professor da Harvard Business School e autor de 11 best-sellers sobre gestão. Em um recente vídeo postado em seu blog na revista Forbes, Kotter defende um tipo diferente de liderança – a coalizão dirigente. Ele afirma que, ao longo de 20 anos de experiência, sempre detectou esse tipo de equipe por trás de bem-sucedidas mudanças em larga escala. A princípio, não há fórmulas fixas para essa coalizão: membros, objetivos comuns e níveis de confiança variam de empresa para empresa. Muitas vezes o núcleo inicial nasce com apenas duas pessoas e rapidamente se expande para 25 ou 30, distribuídas em vários departamentos e escalas de hierarquia. Segundo Kotter, esses membros não devem ser escolhidos de cima para baixo, mas recrutados entre voluntários com grande comprometimento.

credibilidade entre funcionários e desejo firme de concretizar planos. e assim por diante. da engenharia ao marketing. Mas as coalizões dirigentes ainda são raras. Quanto mais esta equipe combinar habilidades de liderança (e não só de gestão). diz Kotter. pode ser muito mais poderosa do que um comitê executivo ou uma força-tarefa montados quando se necessita operar grandes mudanças. Quais as próximas iniciativas? Como derrubar barreiras que impedem ações? Como obter pequenas vitórias aqui e ali? Para Kotter. se revela desanimador: analisando centenas de empresas participantes de programas de Qualidade Total de Gestão. O resultado do apego a métodos do passado. por uma razão básica: esse conceito não faz parte da formação dos executivos e a mentalidade dominante ainda enfatiza a verticalidade e a individualidade da liderança.Kotter optou pelo termo “coalizão” por não se tratar de uma equipe “natural”. um grupo expandido e diversificado se transforma numa máquina mais eficiente para processar informações e realizar ações. sem preocupação com organogramas. obediente aos parâmetros tradicionais de organização. Para Kotter. Outro conceito-chave da coalizão dirigente de Kotter é o de “conexões” – relacionamentos não só nos limites da empresa. Essa aliança. consultorias como Arthur D. porém. da incapacidade de conquistar pequenos avanços e da dificuldade de implantar uma mentalidade de mudança. de deficiências na comunicação de metas. E esforços de reengenharia fracassam em 70% dos casos. maior será a possibilidade de sucesso. mas em todo o mundo. facilitam a abordagem de problemas fundamentais. Fonte: Matéria publicada no Portal Época Negócios – Edição Julho de 2011. Isso agrega diferentes níveis de experiência ou conhecimento. combinadas. por pessoas com diferentes níveis de informação – que. Little e McKinsey constataram que dois terços não atingem as metas. . o fracasso advém da falta de visão e de senso de urgência. Forma-se de maneira espontânea.