You are on page 1of 5

 Estado e Poder político

:

1. Natureza do poder político - Ordenação da vida em sociedade: a vida em sociedade é inerente à existência da pessoa humana. Esta está habituada a viver em sociedade. Mas devido à escassez de bens e à divergência de interesses geram-se conflitos. - Devido à existência de conflitos, gera-se a necessidade de criação de regras de conduta obrigatórias que determinem normas/critérios sobre o acesso a esses bens (regras que resolvam esses conflitos de forma justa e garantam a paz social) - O direito serve então como imperativo de regra em sociedade e regulador da paz social.

Direito: -> critério do “dever ser” -> contém regras de natureza obrigatória/imperativa

Mas há regras de direito que também podem ser apenas benefícios, com natureza obrigatória reduzida – Excepção

- Se a obrigatoriedade das regras de direito não foram cumpridas, as autoridades têm legitimidade para a ameaça do uso da força ou para a sua efectiva utilização – Ampara a imperatividade do direito

Autoridade: - aprovam regras e as fazem aplicar - a obrigatoriedade das regras radica a respectiva adopção de autoridades e a sua coercibilidade (garantir o acatamento das regras mediante a possibilidade do uso da força)

- Quando há direito gera-se o problema do poder

Poder: - Poder de sancionar quem não cumpre as regras de direito - Poder político, poder de impor as regras

Legitimidade de aplicação e criação do direito por parte das autoridades

 

Governantes/Autoridades: quem cria e impõe as normas Governados: quem tem o dever de as cumprir.

- No entanto também os próprios governantes têm o dever de cumprir as mesmas normas

Onde há sociedade (ubi societas ibi ius)

Há direito

O facto de uma sociedade organizada reclamar a existência de direito, torna procedente, quanto a este ponto, o ensinamento das correntes doutrinais institucionalistas

 Poder político estadual:
- Não faz sentido que a competência dos poderes esteja desagregada. - Os governantes ou possuidores de poder devem deter o monopólio do poder politico. * Autoridades e monopólio do poder político: - ao predicar a existência do direito, a sociedade reclama a existência de um poder politico como autoridade legitima de domínio vocacionada para prosseguir os interesses comuns de todo o colectivo, encontrando-se para o efeito investida na titularidade do monopólio da força e sendo competente para a criação do direito e para a sua aplicação compulsiva aos que o não acatem.

- Uma sociedade organizada deve ter um poder politico criador de normas e até as autoridades possuidoras do poder politico devem subordinar-se às suas próprias regras. - A autoridade que exercer a força, deve exercê-la com justiça material.

 Poder político do Estado:
- Poder político: considerado o que melhor controla/regula todos os outros poderes - Estado: colectividade mais completa, mais eficaz e mais perfeita em termos de organização social - Não é o único poder, é apenas uma forma de poder, embora seja provavelmente a forma de poder mais reguladora. -Exemplos de outras formas de poder: poder económico, poder da comunicação social (condiciona e modela a opinião publica. Poder menos controlado mas que exige um maior controlo do poder politico, mas reagem mal a esse controlo). São ambas realidades incontornáveis. Poder religioso (capacidade de contestação ao poder politico. Capacidade de modelação da mentalidade dos seus crentes. Apesar da separação Estado/Igreja) - Exerce-se em colectividades territoriais que com o tempo se foram alterando. * Colectividades territoriais: embora existam outras, o Estado foi considerada a colectividade mais perfeita e mais organizada - Faculdade de condicionar normativamente os outros poderes. -Poder politico do Estado: o poder politico como forma de poder. Registando-se historicamente a existência de múltiplos tipos de sociedades politicamente organizadas (as comunidades primárias, a cidade antiga, os burgos medievais, os Estados, os Impérios,…) observa-se que o Estado é aquela que se assume como colectividade mais completa e mais eficaz em termos de organização politica e social.

2. O Estado e a organização do poder politico: - Estados falhados: o Estado não consegue impor o seu poder, o Estado não garante os interesses gerais (paz, justiça, …). Existem vários partidos e nenhum com soberania. - Estado de direito: Colectividade territorial na qual se encontra fixado um povo e instituído um poder politico soberano cujo processo de decisão, tomado no âmbito de um ordenamento jurídico, visa a satisfação dos interesses gerais.

* Elementos: 1- Colectividade territorial (espaço físico) 2-Fixado um povo 3- Instituído um poder politico soberano 4- Visa a satisfação dos interesses gerais - Mas os elementos nem sempre foram estes. O Estado enquanto instituição foi sofrendo alterações ao longo do tempo.

Tipos históricos de Estado:

- O Estado como sociedade territorial politicamente organizada, situado num contexto de evolução histórica: O Estado institucional e o Estado Moderno I) Estado da Antiguidade Oriental: - Instituição muito ampla (impérios) - Grandes espaços territoriais com poder político centralizado - Poder religioso fundia-se com o politico - Espaço tinha fronteiras difusas e imprecisas - Direito centrado na figura do monarca II) Cidade-Estado grega da Antiguidade Clássica: - Magistrados eleitos pelos cidadãos - Não existiam reis - Democracia directa - Direito Misto: regras consuetudinárias, regras ditadas pela Assembleia - Democracia de cidadãos atenienses. Os escravos não participavam. Cidadãos intervêm no poder III) Estado Imperial Romano: - Centralização do poder na figura do Imperador - Imperados ditava as regras, o que fazia com que o senado perde-se importância. - Fronteiras difusas