A maior inspiração para o Outono-Inverno 2008 é a própria Mulher.

Ícones retirados da literatura, da história, do mundo das artes ou da vida real: Heroínas Urbanas, Sacerdotisas Ancestrais, Princesas Tribais, Amazonas Modernas, Musas e Divas de todos os tempos. Sofisticada, romântica, sensual, desportista, arrojada,... Não importa o seu estilo ou modo de vida: o importante é ter atitude e não temer a própria personalidade. Por Fátima Trombini

OUTONO-INVERNO 2008 – A ESTAÇÃO DO GLAMOUR A ditadura da moda cede lugar ao democraticamente correto e a máxima desta estação é “diversidade com sofisticação e muito estilo”: Modelos simples ou arrojados; Tons neutros e o cinza com cores fortes; Curtos ou compridos; Justos ou amplos; atendendo a todos os gostos e valorizando o corpo e a sensualidade da mulher brasileira e o nosso inverno tropical, com praticidade e elegância. Na viagem pelo mundo da criação a principal inspiração vem da história: personagens, fatos sociais e políticos, elementos folclóricos, símbolos, lugares de todo o mundo, dão o tom das propostas para a estação com um mix de referências que se integram e se confundem. Esta característica do processo criativo da moda confere identidade ao produto e ao jeito de usar do consumidor, ao interpretar as tendências de uma forma dinâmica e contemporânea, resgatando tradições, valorizando as manifestações culturais, o artesanal e os elementos naturais. A proposta é revisitar o passado e trazer para a atualidade o que cada década tem de melhor: A irreverência dos anos 20; A delicadeza dos anos 50; O glamour dos anos 70; Ir mais além, na época das cruzadas, ou a um passado mais recente, com o estilo tecnológico/esportivo. A valorização do folclórico e do “saber fazer” nutrem a criatividade que dá personalidade ao trabalho, o artístico integrado com o design e a tecnologia. SER OU NÃO SER Bijuterias - Estação a estação, elas vêm tomando mais espaço, literalmente, por conta do maximalismo: Absolutas, reinando sobre um pretinho básico; Coadjuvante, compondo um look ou Exuberantes, coordenadas com outros acessórios. Se as definições a respeito de artesão e artesanato ainda geram controvérsias, a inclusão ou não do trabalho das “bijuzeiras” neste segmento é uma grande polêmica. Mas, seja como artesanato, trabalhos manuais ou produto da indústria da moda, é indiscutível o crescimento deste ramo de atividade e sua contribuição dentro da economia nacional. O resultado deste fenômeno pode ser percebido nas vitrines, nas ofertas de serviços (como cursos e fornecedores de matéria-prima) e em publicações, voltadas exclusivamente para o setor. Nas últimas estações, seminários e eventos diversos de moda, já davam uma atenção especial às bijuterias, quando falavam em tendência para acessórios. Pela primeira vez foi citada como a técnica mais utilizada pelos entrevistados na pesquisa do Anuário de Artesanato 2008, da Editora On Line, que aponta os destaques para o setor.

1

Muito mais do que um enfeite ou um complemento, segue seu caminho como “elemento tradutor de atitude e personalidade”. CONSUMO INTELIGENTE A criação para atender ao consumidor do novo milênio deve estar baseada na proposta do consumo inteligente. Consumir correto, escolher melhor, são atitudes de respeito com o Mundo, confere, “elegância a quem cria e quem usa a moda”. A qualidade na produção de uma coleção deve estar presente em toda a cadeia produtiva: que se inicia na eleição da matéria-prima, no respeito às mãos que a manufaturam e na responsabilidade sócio-ambiental, como uma nova forma de fazer moda. O investimento em tecnologia e designer, associado ao “fazer artesanal”, fundamentam não apenas esta filosofia, mas também o processo criativo. Fazendo uso de técnica e de intuição o artista se sente mais livre para criar. A inspiração trilha o caminho da criação, alimentada pela conjugação da sua “alma artesã”, com experiências vivenciadas e criatividade, em uma releitura contemporânea de diferentes épocas, uma viagem no tempo, cheia de charme; valorizando peças clássicas aliadas à modernidade, com novos materiais, explorando tecidos e modelagens sofisticadas, proporcionando um desfile de elegância e praticidade. TEMAS E ESTILOS Mesmo com toda a interferência das tendências internacionais, continuo apostando nos temas nacionais, expressando as questões étnicas, folclóricas e ambientais, diversidade que promove “o resgate do indivíduo se sobrepondo ao próprio modismo”. Dentre as tendências para o outono e inverno de 2008, destaque para os estilos clássicos e os temas voltados para a preservação da natureza e para o resgate das tradições; valorizando a mistura de materiais e priorizando a modelagem e o acabamento das peças, coordenadas entre si e com os acessórios, estrelas da estação. Destaque para alguns temas: Esportivo Com referências tecnológicas e tendo as Olimpíadas como referência, ganha destaque a cada nova estação, podendo até mesmo influenciar outros temas. Do esportivo básico às peças sofisticadas, está presente no visual ciclista, no look Amazona contemporânea ou nos trajes dos praticantes de sky: efeitos de matelassê, listrados, sobreposições, contraste de cores em peças do vestuário e nos acessórios, braceletes maciços ou de couro, bijuterias em tecido e resina, fios e correntes compridos. Medieval Peças elaboradas que traduzem a força da mulher moderna, se inspira nas cruzadas, transformando o conceito de proteção com toque punk-gótico dos anos 80, com muita elegância e personalidade. Uso de masculino/feminino, cristais, pérolas e metais, couro e peles. Viagem Cultural O tema mais livre da temporada sugere uma viagem por civilizações antigas dos cinco continentes a movimentos culturais das décadas 60, 70 e 80. O resultado é uma mistura de

2

estilos, cores e materiais, com base nestas referências folclóricas, com uma releitura ultra contemporânea. Bordados, apliques, pelos, penas e peles, símbolos étnicos. Cubismo Cores vivas e contrastantes em estampas, formas e recortes que abusam da mistura de materiais para retratar o cubismo – movimento estético-artístico que teve Pablo Picasso como seu principal fundador e faz uso de formas geométricas com linhas retas para se expressar – em roupas, acessórios e bijuterias. Pulseira e braceletes, correntes, efeito patchwork. Natural A inspiração desta vez vem da vida natural e da busca pelo conforto no dia-a-dia. Combinações versáteis, explorando materiais naturais, contrapondo toques românticos (como rendas e babados) com materiais rústicos e detalhes em couro. Coletes, franjas, laços, tricô, xadrez Alfaiataria A alfaiataria traz o classicismo com o retorno de peças elegantes e sofisticadas, numa moda usável e com a influência do look masculino, numa releitura ultra moderna. Gravata e cintos traduzem o estilo. Acessórios como luvas, sapatos e bolsas, principalmente em couro complementam o visual. Pedras lapidadas, fios longos com pérolas. É TENDÊNCIA Cores O preto, sempre elegante e o branco, clássico, dividem espaço com o cinza, em todos os tons, do grafite ao asfalto. A cartela de cores desta estação, além dos tradicionais tons neutros, como: marfim, bege e marrom, dos naturais: baunilha, café, chocolate, tons de verdes (musgo, militar, azeitona), rosas (pálido, antigo) e azuis (do azul céu até o anil), trás também tons vivos e brilhantes (pink e turquesa) e metalizados (zinco, ouro, prata, bronze). Presença também de tons quentes e vibrantes: vermelho, amarelo, laranja, coral, topázio, além de cores fortes, como vinho, roxo, violeta, ametista, azuis ultramarinho, verde esmeralda. Cores do verão se apuram e continuam presentes no inverno, como o rosa, o verde e o laranja flourescente, desta vez, um pouco mais escuros. As combinações preto e branco, a ambivalência do claro-escuro e a mistura de cores tendo como base o preto e, principalmente o cinza estão em alta. Destaque para o turquesa, o rosa, o vinho e o violeta, com suas variações. Materiais Vale usar e abusar das pedrarias, cristais, vidros, espelhos, strass e acrílico, além das pérolas (que junto com os cristais são a grande aposta da temporada); Presença de elementos naturais como peles, penas, pêlos, couro e pedras coloridas, naturais ou sintéticos; Paetês e lantejoulas, rendas, organza, malhas e cetim; Metal laqueado e escovado, todos os tons do ouro, fitas e correntes, ilhoses, rebites e zíperes. Tecidos Lãs - fria, cashmere, alpaca e mohair; Tecnológicos - sintéticos, funcionais e esportivos; Naturais - fibra de bambu, tricoline, malhas; Couro - natural ou sintético;

3

Nobres - tafetá, cetim, chiffon; Risca de giz, Príncipe de Gales; Transparências - rendas e organza; Denim preto - principalmente para os homens; Veludo - molhado, cotelê, cristal, plano ou malha; Tecidos metalizados; Artesanais – Tricôs e tear Efeitos Glitter, metalizados e laminados, envelhecido, dourado e acobreado; Perolados e leitosos; Patchwork, Matelassê, Transparências. Estampas O eterno xadrez (de todos os tamanhos, cores e formas); flores (com efeito bordado, aplicado ou “carimbado”); poás, listras, pespontos e risca de giz; peles de animais; desenhos étnicos: andinos, indianos, africanos, sul americanos; geometrismo e papéis de parede; pop art,tatuagens e grafismos; brasões e símbolos. Tamanhos Maximalismo – Apesar das peças continuarem grandes, diminuem um pouco em relação a estação passada, principalmente as bolsas. As peças ganham mais maleabilidade. Golas altas e amplas (um diferencial no look); Colares em fios compridos e várias voltas; Brincos gigantescos e anéis imensos; Bolsas grandes e calçados pesados, com saltos altos e largos. VITRINE Bijuterias A ordem é arrasar, junto com os demais acessórios em alta na estação, compondo o visual com atitude e glamour e colorindo o inverno brasileiro com muito charme e brilho. A max bijuteria dá forma a colares, brincos e anéis. Uso de materiais imitando pedras preciosas, como brilhantes e diamantes e formatos irregulares, como pedras naturais ou formas arredondadas. Destaque para as peças em couro, no estilo punk/gótico (associado a metais); natural, com inspiração country ou sofisticado, combinado à materiais nobres, como a prata e o cobre. Romantismo e glamour nos hits da estação: a pérola e o cristal, sozinhos ou associados com o murano ou qualquer outro elemento, de acordo com a imaginação do artista. Fios com pérolas e anéis com estilo de jóias; Colares com muitas voltas, valorizando o volume das peças; Fios com correntes enormes e brincos gigantescos; Detalhes de flores e folhas em anéis e colares; Bottons, broches e medalhas com emblemas Peças em couro como colar e bracelete; Anéis com símbolos e braceletes com correntes; Metal articulado; Acessórios de cabelo: grampos, presilhas e tiaras em tricô, tecido ou bordadas. Jóias Ouro Rosé – É a vez do ouro rose como grande tendência para a estação, já anunciada em coleções anteriores, promovendo a ousadia na mistura com outros materiais.

4

Com os tons metalizados em alta, a presença do ouro em suas diversas tonalidades ajuda a compor um visual moderno, com sutiliza e ousadia, muito chique!!!. Jóias Infantis – A graça das jóias infantis promete ser mais uma grande novidade de investimento em um segmento sempre atual e antenado com os desejos do consumidor. Utilizando uma nova linguagem para eternizar um momento, vem retratando personagens do imaginário infantil, tanto dos desenhos animados como dos games. Acessórios São os principais elementos da estação, onde os detalhes fazem toda a diferença! Estão coordenados, podendo ser usados dos pés à cabeça, com as roupas em formas e cores mais contidas, dando um toque de personalidade ao visual. Luvas, boina, gorro e chapéu; cachecol e echarpes; cintos largos, com 4 ou mais fivelas; As meias (ainda mais fortes que no inverno anterior) - opacas ou coloridas, finas ou de lã; Os sapatos, merecem um capítulo à parte, extremamente trabalhados, mais pesados, com saltos largos e pesados, meia pata ou plataforma, coloridos, bicolor, com muitas amarrações: sapatilhas, mocassim, gladiador, oxford, ankle boots, aliás botas para todos os gostos, do tipo botina até as de cano alto, acima dos joelhos; As bolsas, com rebites, brilhos e fivelas, seguem o mesmo estilo dos sapatos (tipo carteira ou maxi, de mão) mais sóbrias e chiquérrimas. Vestuário Também no vestuário o artesanal é o hit – tricô, crochê e bordados (coloridos, com pedrarias ou em metal), patchwork e matelassê, aquecem os dias frios, com muito charme e beleza. As roupas estão estruturadas, com formas retas e marcadas na cintura. A ordem é acinturar, afivelar. O xadrez reforça o clima do campo, com franjas e coletes de couro. Outro destaque é a camisa branca, mais do que um curinga é peça chave em qualquer guardaroupa. Sobretudos, casacos tailleur e jaquetas: de tricô a couro, é presença em todas as coleções. Atenção para o abotoamento duplo, no estilo militar e para a jaqueta perfecto; Vestidos: aparecem do simples aos muito elaborados, com mistura de materiais e texturas, em todas as cores do inverno, mas principalmente, o cinza – em todas as suas variações. Calças: Para quase todos os gostos, observando a altura da cintura: skinny, reta, leggings, combinando tanto com as botas quanto com os sapatos e as sandálias. As pantalonas, as calças capri e as de corte reto também continuam. Saias: mais justas e com cintura alta. Blusas e camisas: com transparências ou detalhes em cetim e organza. Demais destaques Babados, pregas e laços Shorts e balonês, continuam Peças em couro - coletes, saias e jaquetas Espartilhos, corseletes e corpetes Golas: altas e amplas
Fátima Trombini Professora,Artesã Designer de Bijuterias em Papel Machê E-mail: jasmim-manga@hotmail.com fátima.trombini@bol.com.br

5

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful