You are on page 1of 57

PCS 2215

Fundamentos de Engenharia de Computação II

Módulo 07 – Análise e Síntese de Circuitos

Combinatórios
Marco Túlio Carvalho de Andrade
Professor Responsável
Versão: 2.0 (Agosto de 2.011)

© Andrade, Corrêa, Gomi e Margi 2.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios

PCS 2215 - Fund. Eng. Comp. II

1

Conteúdo
Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios

0. Notas e Definições Preliminares. 1. Formas Canônicas. 1.1 Identidades Básicas. 2. Análise de Circuitos Combinatórios 2.1 Circuitos a Portas. 3. Síntese de Circuitos Combinatórios. 3.1 Síntese por Método Algébrico. 3.2 Síntese por Mapa de Karnaugh.
© Andrade, Corrêa, Gomi e Margi 2.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 - Fund. Eng. Comp. II 2

1
1

Conteúdo
Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios

4. Minimização de Circuitos. 4.1 Implicantes primários. 4.1.1 Tabela de Cobertura 4.2 Minimização pelo Método Tabular 4.3 Mapas de Karnaugh Considerando-se os “Zeros” das Funções. 4.4 Funções Incompletamente Definidas 5. Exemplos de Aplicação. Bibliografia
© Andrade, Corrêa, Gomi e Margi 2.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 - Fund. Eng. Comp. II 3

0. Notas e Definições Preliminares Nota 1. - Uma Álgebra de Chaveamento ({F.C.}, ∨, ∧, ~, 0t, 1t) pode ser vista como um caso particular de uma estrutura algébrica genérica denominada Álgebra de Boole, onde o conjunto “S” gerador da estrutura é o conjunto de funções de chaveamento “{F.C.}”.

© Andrade, Corrêa, Gomi e Margi 2.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios

PCS 2215 - Fund. Eng. Comp. II

4

2
2

0. Notas Preliminares
Nota 2. - Álgebra Booleana (ver Complementos de Álgebra Boolena) - É uma sêxtupla: (S, ∨, ∧, ~, fronteira inferior Máxima, Fronteira Superior mínima) Nota 3. - Outra particularização de interesse é a Álgebra Booleana constituída pelas Classes de Equivalência geradas por funções de chaveamento de n variáveis (x1, x2, ..., xn), onde existe uma correspondência biunívoca entre elementos de {F.C.} e de {C.E.}: ({C.E.}, ∨, ∧, ~, Ft, Vt)
© Andrade, Corrêa, Gomi e Margi 2.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 - Fund. Eng. Comp. II 5

0. Notas Preliminares Nota 4. - Todo teorema de uma Álgebra Booleana vale para uma Álgebra de Chaveamento. Definição 1. - Literal - Representa uma variável ou uma variável complementada, tendo um sentido mais amplo que o de variável.
© Andrade, Corrêa, Gomi e Margi 2.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 - Fund. Eng. Comp. II 6

3
3

0. Notas Preliminares
Definição 2. - Expressões Booleanas geradas sobre x1, x2, ..., xn são definidas recursivamente: 1-) 0, 1, x1, x2, ..., xn são expressões Booleanas. 2-) Se X1 e X2 são expressões Booleanas então, também também são expressões Booleanas: (a) (X1) (b) ~X1 (c) X1 ∨ X2 (d) X1 ∧ X2 3-) Se X é uma expressão Booleana gerada sobre os símbolos x1, x2, ..., xn então podemos escrever X = X(x1, x2, ..., xn) onde cada símbolo xi (ou ~xi) é chamado de um Literal.
© Andrade, Corrêa, Gomi e Margi 2.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 - Fund. Eng. Comp. II 7

1. Formas Canônicas
Sejam, a Álgeb. de Chaveamento ({F.C.},∨,∧,~,0t,1t) ∨∧ e a Álgebra de Boole ({C.E.},∨,∧,~,Ft,Vt) das ∨∧ formas e Classes Booleanas geradas pelas variáveis x1, x2, ..., xn. Seja li uma metavariável que pode valer xi ou ~xi.

Definição 1.1 - Produto Canônico (ou mintermo) é toda Expressão de Chaveamento (ou Booleana) composta pelo Produto de todas as variáveis, complementadas ou não:

PCi = l1.l2 ., , ,.ln = ∏ (lj )
j =1
© Andrade, Corrêa, Gomi e Margi 2.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 - Fund. Eng. Comp. II 8

n

4
4

1. Formas Canônicas Definição 1.2 - Primeira Forma Canônica é toda Expressão de Chaveamento (ou Expressão Booleana) composta pela Soma de produtos canônicos, ou de mintermos, diferentes entre si. Teorema 1.1 - Toda Classe de Equivalência Cn pode representar-se mediante sua Primeira Forma Canônica que é única para esta Classe.
© Andrade, Corrêa, Gomi e Margi 2.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 - Fund. Eng. Comp. II 9

1. Formas Canônicas
Observações (I):

– Como em um produto canônico intervém todas as variáveis, sua interpretação será sempre “0” a menos de uma determinada: aquela que associe “1” a todas variáveis sem “~” e “0” a todas com “~”. – Portanto cada um dos 2n produtos canônicos serve para representar um, e apenas um, dos 2n átomos (ou elementos atômicos).
© Andrade, Corrêa, Gomi e Margi 2.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 - Fund. Eng. Comp. II 10

5
5

Gomi e Margi 2. © Andrade. © Andrade. de maneira única. Eng. – Portanto pode-se representar de maneira única como uma Soma de Produtos Canônicos. x2=1 e x1=1 e “011” em binário é “3” em decimal (“m3”).x2. 3-) Por exemplo: A interpretação de ~x3.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 . Eng. 2-) Este número é aquele que resulta ao interpretar-se como um número binário a combinação de “Zeros” e “Uns” das variáveis para a qual a interpretação do produto em questão é “1”. Formas Canônicas Observações (III) . Corrêa.x1 é “1” para x3=0. Corrêa. Comp. Gomi e Margi 2. II 12 6 6 . isto é. Comp.1.Fund.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 . representar na Primeira Forma Canônica (ou Soma Canônica). II 11 1.Fund. como uma soma de átomos. Formas Canônicas Observações (II): – Segundo Teorema da Álgebra de Chaveamento todo elemento desta Álgebra distinto de 0 pode expressar-se.Existe uma notação abreviada para descrever as formas canônicas: 1-) Baseia-se em associar um número decimal a cada produto canônico. Logo qualquer classe de equivalência distinta de C0 pode expressar-se de maneira única como uma soma de átomos.

011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios 1.Fund. Corrêa. II 13 © Andrade.Fund. Gomi e Margi 2. Eng.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios 7 7 . Eng. Gomi e Margi 2. Formas Canônicas x2 x1 C0 C1 C2 C3 C4 C5 C6 C7 C8 C9 C1 C11 C1 C1 C1 C15 m0 0 m1 0 m2 1 m3 1 0 1 0 1 0 0 0 0 0 0 0 1 0 0 1 0 0 0 1 1 0 1 0 0 0 1 0 1 0 1 1 0 0 1 1 1 1 0 0 0 1 0 0 1 0 1 0 1 1 2 3 4 1 1 1 1 1 0 1 0 1 1 0 0 1 1 0 1 1 1 1 0 C0 = ~(C1 + C2 + C4 + C8) C1 = C1 C2 = C2 C3 = C1 + C2 C4 = C4 C5 = C1 + C4 C6 = C2 + C4 C7 = C1 + C2 + C4 C8 = C8 C9 = C1 + C8 C10 = C2 + C8 C11 = C1 + C2 + C8 C12 = C4 + C8 C13 = C1 + C4 + C8 C14 = C2 + C4 + C8 C15 = C1 + C2 + C4 + C8 PCS 2215 . Corrêa. Comp. Comp.1. Formas Canônicas Mintermos para três variáveis: x3 x2 x1 0 0 0 0 0 1 0 1 0 0 1 1 1 0 0 1 0 1 1 1 0 1 1 1 Mintermos m0 = ~x3 ~x2 ~x1 m1 = ~x3 ~x2 x1 m2 = ~x3 x2 ~x1 m3 = ~x3 x2 x1 m4 = x3 ~x2 ~x1 m5 = x3 ~x2 x1 m6 = x3 x2 ~x1 m7 = x3 x2 x1 PCS 2215 . II 14 © Andrade.

pode ser representada na Segunda Forma Canônica. Teorema 1. diferentes entre si. II 16 8 8 .011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 . © Andrade. Gomi e Margi 2. Gomi e Margi 2. Formas Canônicas Definição 1. Eng. isto é.1. Comp. sua interpretação será sempre “1”.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 .2 . (ou “Produto Canônico”). Corrêa. + ln = ∑ (lj ) j =1 Definição 1. © Andrade.3 . Comp. Eng. II 15 1.Fund. a menos de uma determinada: aquela que associe “0” a todas variáveis sem “~” e “1” a todas com “~”. Corrêa. Em resumo: Qualquer classe de equivalência pode também ser expressa de maneira única como um Produto de Somas Canônicas.Segunda Forma Canônica é toda Expressão de Chaveamento (ou Booleana) composta pelo produto de somas canônicas. complementadas ou não: n SCi = l1 + l2 + .4.. ou de Maxtermos. Formas Canônicas Observações: Como em uma soma canônica intervém todas as variáveis.Soma Canônica (ou Maxtermo) é toda Expressão de Chaveamento (ou Booleana) composta pela soma de todas as variáveis..Toda Classe de Equivalência Cn pode representar-se mediante sua Segunda Forma Canônica que é única para esta Classe.Fund.

II 18 © Andrade.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios 9 9 . 3-) Por exemplo: A interpretação de x3+~x2+~x1 é “0” para x3=0. Gomi e Margi 2. Corrêa.1. © Andrade.Fund. Gomi e Margi 2. Corrêa. Eng. II 17 1. Formas Canônicas Maxtermos para três variáveis: x3 x2 x1 0 0 0 0 0 1 0 1 0 0 1 1 1 0 0 1 0 1 1 1 0 1 1 1 Maxtermos M0 = x3 + x2 + x1 M1 = x3 + x2 + ~x1 M2 = x3 + ~x2 + x1 M3 = x3 + ~x2 + ~x1 M4 = ~x3 + x2 + x1 M5 = ~x3 + x2 + ~x1 M6 = ~x3 + ~x2 + x1 M7 = ~x3 + ~x2 + ~x1 PCS 2215 .Fund. 2-) Este número é aquele que resulta ao interpretar-se como um número binário a combinação de “Zeros” e “Uns” das variáveis para a qual a interpretação da soma em questão é “0”. Eng.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 . Comp. Comp.Existe uma notação abreviada para descrever a segunda Forma Canônica: 1-) Baseia-se em associar um número decimal a cada soma canônica. Formas Canônicas Observações (II) . x2=1 e x1=1 e “011” em binário é “3” em decimal (“M3”).

C11 . Corrêa.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 . C13 . C13 C2 = C7 . Eng. C11 C4 = C7 . C11 .1. C14 C7 = C7 C8 = C11 . C11 . II 19 © Andrade. Formas Canônicas Mintermos e Maxtermos para três variáveis: x3 x2 x1 0 0 0 0 1 0 0 1 1 0 0 1 0 1 0 Mintermos m0 = ~x3 ~x2 ~x1 = ~M0 m1 = ~x3 ~x2 x1 = ~M1 m2 = ~x3 x2 ~x1 = ~M2 m3 = ~x3 x2 x1 = ~M3 m4 = x3 ~x2 ~x1 = ~M4 m5 = x3 ~x2 x1 = ~M5 Maxtermos M0 = x3 + x2 + x1 = ~m0 M1 = x3 + x2 + ~x1 = ~m1 M2 = x3 + ~x2 + M3 = x3 + ~x2 + M4 = ~x3 + x2 + M5 = ~x3 + x2 + M6 = ~x3 + ~x2 + x1 = ~m2 ~x1 = ~m3 x1 = ~m4 ~x1 = ~m5 x1 = ~m6 1 0 1 1 1 0 1 1 1 m6 = x3 x2 ~x1 = ~M6 m7 = x3 x2 x1 = ~M7 M7 = ~x3 + ~x2 + ~x1 = ~m7 © Andrade.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios 1. C13 . C14 C13 = C13 C14 = C14 C15 = ~(C7 . C14 C11 = C11 C12 = C13 . C13 . C14 C3 = C7 . Gomi e Margi 2. Comp.Fund. C13 C10 = C11 . C13 . C14) PCS 2215 . C14 C1 = C7 . C14 C5 = C7 . C13 C6 = C7 . Corrêa. II 20 10 10 . Eng. C14 C9 = C11 . Gomi e Margi 2. Formas Canônicas x2 x1 C0 C1 C2 C3 C4 C5 C6 C7 C8 C9 C1 C11 C1 C1 C1 C15 M0 0 M1 0 M2 1 M3 1 0 1 0 1 0 0 0 0 0 0 0 1 0 0 1 0 0 0 1 1 0 1 0 0 0 1 0 1 0 1 1 0 0 1 1 1 1 0 0 0 1 0 0 1 0 1 0 1 1 2 3 4 1 1 1 1 1 0 1 0 1 1 0 0 1 1 0 1 1 1 1 0 C0 = C7 . Comp.Fund. C11 .

∨. II 21 2 2 n =k 1.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios 11 11 .} tem um número de “n-tuplas” diferentes em {0.1.1}. Eng.} tem um número de k = 2n produtos canônicos com os quais pode-se escrever as 2k primeiras formas canônicas diferentes. ∨. PCS 2215 . Comp.1}n igual a k = 2n e gera 2k combinações distintas para aplicar cada uma destas k “n-tuplas” em {0. Gomi e Margi 2.Fund.3 do material adicional de Álgebra Booleana.Fund. Vt). II 22 © Andrade. Comp.E. 1t) tem o mesmo número de Funções de Chaveamento que o de classes de equivalência da Álgebra Booleana ({C. Formas Canônicas Observações adicionais: – {C.E.C. © Andrade.C. Corrêa. ∧. Gomi e Margi 2.}. Formas Canônicas Observações adicionais: A Álgebra de Chaveamento ({F. – Pela definição 4. ~. Eng. Corrêa. Ft. que é: – {F. ∧. – Sendo isomorfas existe uma correspondência biunívoca entre cada Função de Chaveamento de ordem “n” e cada classe de equivalência de Expressões Booleanas de “n” variáveis.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 .}. elas são isomorfas. 0t. ~.

Eng. Eng. Corrêa.fk) estarão em correspondência com (Ci+Ck) e (Ci.Fund. Corrêa. Comp.x+0=x x.1=x [Elemento neutro ou identidade] I2 .011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 . Importância na aplicação ao projeto de circuitos lógicos: – A saída de um circuito expressa como uma Função de Chaveamento tem infinitas formas associadas a uma classe de equivalência.x+~x=1 x.~x=0 [Complemento] I4 . II 23 1.Ck).1. – Como Engenheiros nos interessa encontrar a forma mínima! © Andrade. Comp.x+1=1 x.0=0 [Elementos máximo/mínimo ou elemento nulo] I3 . Gomi e Margi 2.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 . Identidades Básicas A seguir são apresentadas identidades básicas para duas ou três variáveis: I1 . Formas Canônicas Observações (continuação): A correspondência é tal que se fi e fk estão em correspondência com Ci e Ck então (fi+fk) e (fi. Gomi e Margi 2. II 24 12 12 .1.Fund.~(~x) = x [Involução] © Andrade.

z [Associativa] I8 .y+~x. Corrêa. Comp.x+(y+z)=(x+y)+z x.x + x = x x. Eng.x .(x+y).1.x+y=y+x x.z x+(y.1.z)=(x.Fund.y).y I14 .x.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios 13 13 .(x+z) [Distributiva] I9 .x=x [Idempotência] I6 .(x+~x.y I11b .~(x+y)=~x.y)=~x+~y I11a-(x+y).y+x.(x+y)=x [I9b] [Absorção ou cobertura] © Andrade.~y [De Morgan] ~(x.(~x+y)=x. y + x .y=x [I9a] x. Identidades Básicas Mais identidades: I10 .z+y.1. Identidades Básicas Mais identidades: I5 .y+~x. Comp.y=y. Eng. (x + ~y) = x [Combinação] I13 .(~x+z)= x.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 .(y+z)=x.(y+z)=(x+y).z=x.x+x.z+~x. Gomi e Margi 2. II 25 1.(~x+z)=x.y)=(x+y) x.x [Comutativa] I7 .x.z+~x.Fund. Corrêa. II 26 © Andrade.z [Consenso] I12 .y PCS 2215 .(y. Gomi e Margi 2.(~x+z). ~y = x (x + y) .z)=(x+y).

~y + x.z + y.~y+y.~y+x.z + x. II 28 14 14 .x + x.z + x.z + ~w.(~y + z) + x.z + x.z = = x.~y + x + y.z) é idêntica à expressão x . (w + y) .z + y.z+x.y. Gomi e Margi 2. Eng.z = = x.1.y.(x.z+y.~z+x.~z + x.z + y.~z + x.z + ~x.z + x.z © Andrade.z = = x.z = = x.y.z + x.1: Simplificar (x+y+z).z.~z= = x. (x + y) Exemplo 1.~y+y.0 + y.Fund. © Andrade.y) = (x+y)].4: Comprovar a validade da identidade I14.~y) + y.~y + x.z + y.x. por Diagrama de Venn. (y + w.~z + x. Corrêa.y.(z + ~z) + y. Corrêa. [(x + ~x.z.z + x.z = = x.~y + x.~z + y.1.~y.z + x.~y + x. Comp.z+x.~z) = = x.~y.z = = x.~z + y.y.~y.1.z = = x + y.3: Verificar que a expressão (~y + w.(y + x. Eng. Gomi e Margi 2.1 + y.z = = x.~z + y.~z) Exemplo 1.z) + x.~z(1 + y) + z.~z + z.(y + x) + y. (~w + ~y) + z .~y + x.y.x.z+x.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 .~z+x.x) .Fund. Identidades Básicas Exemplo 1.(~y + y.z+x.z + x.y.z + x.y+~y.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 .0 = = x. II 27 1. Identidades Básicas Exemplo 1.2: Calcular (desenvolver) f = ~(x.z+x.x.~y + x. Comp.

Comp.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 . xn) ou decomposta em sua Expressão dual [I15b] [x1+fn(0. [(x + ~x.4: Comprovar a validade da identidade I14. II 30 15 15 . x2.. por Diagrama de Venn. [ ~ x1+fn(1. x y x+ y ~x ~x . fn(1.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 . xn)] © Andrade. x2. x3. Comp....y) = (x+y)]. y x + ~x .... . Identidades Básicas Maxtermos/mintermos permitem a decomposição sistemática de Expressões de Chaveamento em subexpressões com subconjuntos das variáveis. Eng.Fund.Fund. Gomi e Margi 2.. Corrêa.. fn(0. x3.. Corrêa.. . y © Andrade.. x3. xn)] . .. . x2.1. Identidades Básicas Exemplo 1..1. x2. Gomi e Margi 2. x3. Eng. xn) + ~ x1 . II 29 1. xn) pode ser decomposta na Expressão [I15a] x1 . . x2.1.. x3. Teorema da Expansão de Shannon: Qualquer Expressão de Chaveamento do tipo fn(x1.

1. x3) f3(x1. x3) = x1.1)] © Andrade. x3)= x1.0)] . x2.~x2.1)] .1)] . Corrêa. Gomi e Margi 2.x2.~x3.~x3. x3) + x1.x2.1.1.f3(1.~x3.1.f3(0. x2. x3)] f3(x1. [x1+~x2+x3+f3(0. x2.x3.1.f3(1. x3) f3(x1.~x2.1) + x1. x3)].f3(1.0.[~ x1 + f3(1.1.1. x3) + ~x1.x2.1) + ~x1.~x2. [x1+~x2+~x3+f3(0.f3(1.Fund.0.1. [~x1+~x2+x3+f3(1.x2.Fund.1.x2. Eng.0. II 31 1.0.~x2.0.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 .1. x3) + ~ x1. Comp.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 . [~x1+x2+x3+f3(1. x3)=[x1+x2+f3(0.1)] . x2.0)] .f3(0.~x3.0)].x3.~x2.0) + ~x1.f3(1.~x2. x3)].0) + x1. x3)]. x2. x2.0) © Andrade.1.1.f3(0.x3. x3) + ~ x1. x2. [~x1+x2+~x3+f3(1.[x1+~x2+f3(0.0.0.[~ x1+~x2+f3(1. Identidades Básicas Exemplo da aplicação de [I15a]: f3(x1.1.0. x2.0.1) + x1. x3) = x1.0.f3(1. Comp. Gomi e Margi 2.f3(0. x3)=[x1+x2+x3+f3(0.x3.1. II 32 16 16 . x3)] f3(x1.x2.f3(0.0.0.0)] .x2.f3(0. x3)=[x1 + f3(0. x3)] . Corrêa.1. Eng.[~x1+x2+f3(1.0) + ~x1.[x1+x2+~x3+f3(0.f3(0.1) + ~x1. x2.f3(1. Identidades Básicas Exemplo da aplicação de [I15b]: f3(x1. [~x1+~x2+~x3+f3(1.

.y).. . z) = ~f(~x. .z) = ~fn(~x.z fnDUAL = (x+y) . por uma função do tipo fn(x.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 .. xn) as entradas lógicas.y+~y.. y..1.Fund.. Comp. ~z) [I18b] Exemplo: Dado fn = x. Identidades Básicas Mais Identidades: (fnDUAL)DUAL = fn [I16] [fn = gn] → [fnDUAL = gnDUAL] [I17] fDUAL(x1. II 34 17 17 . .. ... o efeito da operação lógica que ele realiza) depende apenas das entradas no instante presente (isto é. Análise de Circuitos Combinatórios Um Circuito Combinatório (ou circuito sem memória) pode ser visto como um dispositivo lógico cuja saída (isto é. Ou ainda. sendo (x1.. (y+~z) Portanto: fnDUAL(x.y + ~y.z)= (~x+~y) . (~y+z) ~fn=~(x.~y.~(~y. Corrêa. ~x2. .... . Em vista disto pode-se representar a saída de um circuito combinatório por uma função do tipo fn(x1.Fund... x2. Corrêa.. Eng. z) as entradas lógicas. Gomi e Margi 2. Eng. sendo (x. y. z).~z) © Andrade. Comp. das causas lógicas).. ..y. xn).1. ~xn) [I18a] fDUAL(x... xn) = ~f(~x1. . ~y. x2... © Andrade. II 33 2.. y. Gomi e Margi 2..011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 .z)=~(x. x2.

comportamento escondido (este pode ser extraído) Comportamento exposto. Gomi e Margi 2.Modelo funcional .Interpretação de Engenharia Tabela da Verdade © Andrade.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 .Fund. Comp. Análise de Circuitos Combinatórios Tipicamente extrai-se a Expressão de Chaveamento do Diagrama Lógico. Estrutura escondida (representa infinitas estruturas) © Andrade. Corrêa. II 36 18 18 . II 35 2. quando então constróise a Tabela da Verdade. Gomi e Margi 2. Eng.Fund. Comp. Eng.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 . Análise de Circuitos Combinatórios A forma de análise de um Circuito Combinatório depende do modelo utilizado para especificá-lo: Diagrama Lógico Expressão de Chaveamento Estrutura exposta. Diagrama Lógico Expressão de Chaveamento Identificação exata das operações algébricas envolvidas: . Corrêa.2.

Comp. 2-) Aplicação da Identidade de Shanonn (I15) . Comp. Análise de Circuitos Combinatórios Ao analisar um circuito combinatório pode-se utilizar um de três procedimentos básicos: 1-) Enumeração de todos os caminhos de propagação dos sinais de entrada . Eng.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 .x2 + ~x1.1.2.~x2 © Andrade. II 38 19 19 .1) Enumeração dos caminhos dos sinais de entrada: x1 x2 ~x1 ~x2 ~x1. Análise de Circuitos Combinatórios Exemplo 2.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 .Fund.x2 x1. © Andrade. Gomi e Margi 2. Gomi e Margi 2. Corrêa. 3-) Decomposição . II 37 2.~x2 x1. Eng.Divide-se o circuito em blocos e faz-se a análise no nível de blocos elementares. Corrêa.Levantam-se os caminhos possíveis das entradas para as saídas.Fund.Fixam-se os valores lógicos de uma dada variável xi gerando-se dois subcircuitos de n-1 variáveis.1 .

x2) = ~x2 x1 x2 1 x2 0 ~x2 x2 0 x2 x1 x2 0 x2 1 ~x2 0 ~x2 ~x2 Expressão final [e]: x1 . f(0. x2) = x1 . f2(0.1. Gomi e Margi 2.x2 x1.Fund.x2 ~x1. x2) = x2 e [d] f(0. II 39 2. Eng.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 . Comp.~x2 x1.2-2) Aplicação da identidade de Shanonn (I15): f2(x1.Fund.~x2 ~x1. Gomi e Margi 2. x2) [a] x1 = 0 → ~x1 = 1 → I15a → [b] x1 . f2(1. II 40 20 20 . x2 + ~x1 .3) Decomposição em blocos elementares: x1 x2 x1 x2 ~x1 ~x2 ~x1 ~x2 x1.1. x2) [c] f(1.~x2 © Andrade. x2) + ~x1 . Eng. ~x2 © Andrade. Análise de Circuitos Combinatórios Exemplo 2. f(1.x2 + ~x1. Corrêa.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 . Análise de Circuitos Combinatórios Exemplo 2.2. Corrêa. Comp.3 . x2) + ~x1 .

Circuitos a Portas Exemplo 2. Gomi e Margi 2. © Andrade. Corrêa. Definição 2. NOT}={NOR} são funcionalmente completos. p2. n – A porta AND (E) é a função ∧ de Z 2 em Z 2 ..1..2.Os conjuntos de portas {AND.Fund. .Fund. p2. . pn} de portas é denominado funcionalmente completo se.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 ..1.2) permitem mostrar que o conjunto de portas {AND. II 41 2.Portas Lógicas: n – Uma porta lógica é uma função de Z 2 em Z 2 . – A porta NOT (NÃO) é a função ~ de Z2 em Z 2. © Andrade..1.1 e 1.. NOT}={NAND} e {OR.Portas lógicas NAND e NOR. NOT} é funcionalmente completo. pn}. Comp. Gomi e Margi 2.. OR. Corrêa.3 . Comp.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 . II 42 21 21 . Eng.1.4 . Eng.1.Os teoremas que atestam que toda classe de equivalência pode ser gerada a partir da primeira e da segunda formas canônicas (1.O conjunto {p1.1 . NAND NOR Teorema 2. dado qualquer inteiro positivo n e uma função f n de Z 2 em Z 2 . Definição 2.1. Circuitos a Portas Definição 2. n – A porta OR (OU) é a função ∨ de Z 2 em Z 2.1 .1.2 . é possível construir um circuito combinatório que compute a função f utilizando apenas {p1.

Comp.1. Gomi e Margi 2. x5) e sua saída é o valor lógico f(x1. Comp.Fund.Análise Quando o circuito aparece determinado por meio de um diagrama de portas lógicas a maneira mais eficiente de análise é a decomposição em funções intermediárias. Circuitos a Portas . II 43 f1 f © Andrade. x5) = f(x1. x4. II 44 22 22 . ou a composição de funções. x4 + x3 . x1 x2 x4 x5 x3 f3 f2 PCS 2215 .011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 . x2.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios 2. x5) = f1(x1. (x4 + x5) = f(x1. x5) = x1. x3. Corrêa. x4. x2. x4. da saída para a entrada. x5) = x1. Circuitos a Portas .1. x3. x4. x4. x2. x2.Fund. x3. x3. Gomi e Margi 2.5 x4 x5 x1 x2 x3 f3 f2 f1 f As entradas do circuito anterior são (x1. x3. x2 + x3 . x5) = f(x1.2. x2) + f2(x3. x2. x2 + x3 . Da saída para a entrada tem-se: f(x1. Corrêa. x2 + x3 .Análise Exemplo 2. Eng. x5) = x1. x4. x4. Eng. x3.1. f3(x4. x5). da entrada para a saída. x5 © Andrade. x2.

de modo que f poderia ser representada por: x1 x2 x3 x4 x5 f ⊕ © Andrade.7 .1. Gomi e Margi 2. Gomi e Margi 2. Eng. II 46 23 23 . Comp.1.Fund.Análise de circuitos XOR: x1 x2 ⊕ f1 x3 ⊕ f2 x4 ⊕ f3 x5 ⊕ f Verifica-se a associatividade da operação.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 .Fund. Circuitos a Portas . Corrêa. Circuitos a Portas . Eng.2.1.Análise Exemplo 2.1.6 .011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios 2.Análise de circuitos E-OU (OU-E) a dois níveis: x1 x2 x3 x4 x5 x6 f3 f2 f f1 x1 x2 x3 x4 x5 x6 f3 PCS 2215 . II 45 f1 f2 f © Andrade. Corrêa. Comp.Análise Exemplo 2.

1. Eng.8 . Comp. Comp. II 48 24 24 .Análise de circuitos NAND: x1 x2 f1 x3 f2 x4 f3 f x5 Exemplo 2.Fund.1.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 .2. Gomi e Margi 2. Gomi e Margi 2. Circuitos a Portas .Análise de circuitos NOR: x1 x2 f1 x3 f2 x4 f3 f x5 PCS 2215 . Corrêa. Síntese de Circuitos Combinatórios Síntese Diagrama Lógico Expressão Algébrica Tabela da Verdade Interpretação Análise © Andrade. Corrêa. Eng.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios 3.1.Análise Exemplo 2.Fund.9 . II 47 © Andrade.

© Andrade. – Diagramas. laboratório. Comp. escopo. Gomi e Margi 2. II 50 25 25 .Fund. Comp. Projeto de Sistemas Digitais . métodos de implementação. Corrêa.Fases: »Especificação: requisitos. Corrêa. Gomi e Margi 2. »Modelo: técnicas. Álgebra Booleana e Álgebra de Chaveamento .Fund. Síntese de Circuitos Combinatórios Terminologia: Engenheiro de Computação .Necessidade de representação: – Linguagem. »Implementação: simulação. Eng.Aparecem como ferramenta aderente ao encaminhamento da solução desta classe de problemas. II 49 3. Projeto de Sistemas Digitais . Síntese de Circuitos Combinatórios Projeto de Sistemas Digitais .3. Eng. © Andrade.Envolve a atividade do Projeto Lógico Digital.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 .011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 .No exercício da profissão: »Envolvimento na realização de Projeto de Sistemas Digitais.

Comp. Circuitos Lógicos – Circuitos que existem apenas como Abstrações Matemáticas: » Independentes do mundo físico da eletrônica digital.Fund. ou Equipamento Matemático. Síntese de Circuitos Combinatórios Módulos Lógicos Funcionais: – Associações de Portas Lógicas Fundamentais que realizam as Operações Lógicas Primitivas definidas na Álgebra de Chaveamento adotada.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 . – O Circuito Lógico pode ser visto como uma associação (ou rede) de operadores matemáticos. Eng. Gomi e Margi 2. Eng. Realização de um Projeto Lógico Digital: – É o projeto de uma Máquina Abstrata. Comp. II 52 26 26 . II 51 3. © Andrade.3. Síntese de Circuitos Combinatórios Projeto Lógico Digital: – Atividade na qual o projetista de um sistema eletrônico digital cria circuitos analisando um problema e elaborando sua solução no nível conceitual dos Circuitos Lógicos. » Constituídos de associações de Módulos Lógicos Funcionais. © Andrade. Gomi e Margi 2. Corrêa.Fund. onde as primitivas (tijolos da construção) são operações matemáticas. Corrêa.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 .

– Minimização do número de pinos do circuito integrado a ser eventualmente construído. Corrêa.3.Fund. Eng. Síntese de Circuitos Combinatórios Engenharia do Projeto Lógico Digital [Fregni-95]: – Muda o enfoque do projeto .Parte do princípio de que a Finalidade de todo Circuito Lógico é ser Materializado em um Circuito Físico. Comp. – Projetista usa a Intuição . Eng. – Define as Características Físicas do circuito final. II 54 27 27 . – Define: Módulos Matemáticos a serem utilizados. Comp. – Minimização do número de interconexões entre as portas. Critérios possíveis: – Minimização do número de literais da função de chaveamento. © Andrade. Corrêa. Gomi e Margi 2. – Estabelece Técnicas e Métodos de implementação. II 53 3. com método científico! © Andrade.Fund. Síntese de Circuitos Combinatórios Objetivo: Obter a solução mais econômica! Solução mais econômica . – Projetar passa a ser uma Arte.A ação do Projetista deixa de ser exclusivamente mecanizada ou formal e este usa sua experiência como ferramenta.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 .011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 .Difícil de ser definida com precisão. Gomi e Margi 2.

4.x3 (SP) ou por f=(x1+x2 +x3).x3 + ~x1.~x2. II 55 3. M1 (PS) f = ∏ M (0.(x1+~x2+x3). Síntese por Método Algébrico Usando a definição de mintermos e maxtermos: f = x1..3.~x2. Eng.1. 3..x2 .011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 .1. Gomi e Margi 2.(x1+~x2+~x3).(~x1+x2+x3) (PS) f= M0 .x2.(x1+~x2+~x3).x2 .1. Comp.x3 pode ser representada por: f = x1. M2 . © Andrade. Comp.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 . f = x1.~x2.~x3 + x1. x3. Síntese por Método Algébrico O Teorema da Expansão de Shannon [I15] mostrou que pode-se decompor uma Expressão de Chaveamento fn(x1.I15a] e Produto de Somas [“PS” .6) .x3 + x1.x3 + x1. II 56 28 28 .Fund.1.5. Eng. .x2 + ~x2.(x1+~x2+x3).~x2. ou f=(x1+x2 +x3).x3 (SP) f = m3 + m7 + m5 + m4 (SP) f = ∑ m(3.(~x1+x2+x3) (PS) © Andrade.. Corrêa.Fund. x2. Gomi e Margi 2.x2. Ex. M6 .7) .~x3 + x1. Corrêa.2.I15b].x3 + ~x1. xn) em duas formas canônicas: Soma de Produtos [“SP” .

xn) é expressa como uma soma de p mintermos então ela também é expressa como um produto de (2n .011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios 3.. Síntese por Método Algébrico Teorema 3. x2.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 .Se a Expressão de Chaveamento fn(x1. xn) pode ser expressa de maneira única como uma soma de mintermos ou um produto de maxtermos. Comp.Uma Expressão de Chaveamento do tipo fn(x1.. Comp. x3. PCS 2215 . x2. .Fund. Eng.. f n = ∑ mi = ∏ M j p ( 2n − p ) .. que represente o comportamento do sistema em questão. Gomi e Margi 2. Corrêa. x3.2 .p) maxtermos. xn).1.3.. . Corrêa. x3.1..1. Síntese por Método Algébrico Síntese por Método Algébrico – Seja um sistema e uma especificação deste: – O processo de síntese consiste na obtenção de uma Expressão de Chaveamento do tipo fn(x1. Teorema 3.Fund. Eng. Gomi e Margi 2...1 . – Tabela da verdade. A especificação pode vir: – Por meio de linguagem natural (uma descrição de seu comportamento lógico. II 57 © Andrade. onde: ∀i ≠ ∀j. II 58 29 29 ..1. © Andrade. x2. por exemplo). .

x3 .1 x4 x3 x2 x1 y 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 1 1 0 1 1 0 0 1 0 1 0 1 1 0 1 0 1 0 1 0 1 Soma Produtos ~x4 . ~x2 . II 59 3.1.3. x1 x4 + ~x3 + ~x2 + x1 ~x4 . ~x3 . ~x3 .Fund. x1 x4 + x3 + ~x2 + x1 ~x4 . x1 PCS 2215 . x1 x2 x3 x4 Detector y © Andrade. x2 . Eng. Síntese por Método Algébrico Exemplo 3.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 .011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios 30 30 . Comp. x1 x4 + ~x3 + x2 + x1 ~x4 . x1 ~x4 + x3 + x2 + x1 x4 .Sintetizar um circuito de chaveamento para detectar os códigos BCD correspondentes aos números ímpares. Corrêa. Gomi e Margi 2. ~x2 .Fund.1. ~x2 . ~x3 .1. x3 . x2 . Gomi e Margi 2. II 60 Produto Somas x4 + x3 + x2 + x1 0 1 1 0 0 1 1 1 1 0 0 0 1 0 0 1 © Andrade. Comp. Síntese por Método Algébrico Exemplo 3.1. Eng. Corrêa.1 .

~x3.(~x4+x3+x2+x1) x1 x2 x3 x4 x1 x2 x3 x4 x1 x2 x3 x4 x1 x2 x3 x4 x1 x2 x3 x4 © Andrade.x1+~x4.1-Produto de Somas: y=(x4+x3+x2+x1). Gomi e Margi 2. Síntese por Método Algébrico Exemplo 3. Corrêa.(x4+~x3+x2+x1).1. Corrêa. Comp. Síntese por Método Algébrico Ex3.x3.Soma de Produtos: y = ~x4.x2. II 61 3.x2.~x2.Fund.1.(x4+x3+~x2+x1) .(x4+~x3+~x2+x1).~x3. Eng.x1+x4.1.Fund.x1 x1 x2 x3 x4 x1 x2 x3 x4 x1 x2 x3 x4 x1 x2 x3 x4 x1 x2 x3 x4 © Andrade.~x2.x3. Gomi e Margi 2. II 62 31 31 .~x2.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios y PCS 2215 .3.x1 + ~x4.x1+~x4.~x3. Comp.1.1 . Eng.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios y PCS 2215 .

Grupamentos (retangulares ou quadrados) de 2n células adjacentes.~x1 f=x2. Eng. Eng. em n dimensões.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios 32 32 . Corrêa. Gomi e Margi 2. Adjacências .Obtenção e interpretação para duas variáveis: Conjunto Universal ~x2 x2 ~x1 x1 ~x2 x2 ~x2 x2 ~x1 (0) (2) x1 (1) (3) Mintermos x2 x1 0 1 0 1 1 x1 0 1 x2 0 1 1 x1 0 1 1 x2 0 1 x1 0 1 1 x2 0 1 f=~x2. Comp. Corrêa.Fund. Consegue-se visualizar propriedades explícitas por meio de padrões e/ou estruturas que permitem simplificações nas funções de chaveamento. Comp. Gomi e Margi 2. © Andrade.Duas células são adjacentes quando diferem apenas no valor de uma variável.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 . Células Adjacentes .~x1 f=~x2.2. II 63 3. II 64 © Andrade.x1 PCS 2215 .Fund. Síntese por Mapa de Karnaugh Um Mapa de Karnaugh pode ser considerado como uma representação modificada de uma Tabela da Verdade. Síntese por Mapa de Karnaugh Mapa de Karnaugh .x1 f=x2. Célula . com complexidade de representação proporcional ao número de variáveis.3.É um mintermo ou um Maxtermo.2.

Gomi e Margi 2.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios ~x2 .011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 . Síntese por Mapa de Karnaugh Mapa de Karnaugh . ~x1 65 PCS 2215 .Fund. Síntese por Mapa de Karnaugh Mapa de Karnaugh . Eng. x1) = ~x2 + ~x1 = ~x2 x2 x1 0 1 0 1 1 x1 0 1 x2 0 1 1 x1 0 1 x2 0 1 1 1 + x2 x1 0 1 ~x1 0 1 1 1 f=x2+x1 f= ~(x2 + x1) = ~x2 .Interpretação das Leis de De Morgan para duas variáveis: x2 x1 0 1 1 0 1 x1 0 1 x2 0 1 1 1 1 x1 0 1 x2 0 1 1 1 1 x1 0 1 x2 0 1 1 1 x1 0 1 x2 0 1 1 1 f=x2. Gomi e Margi 2. Comp. II 33 33 . Corrêa.2.x1 x2 x1 0 1 1 0 1 1 1 f = ~(x2 . Corrêa. ~x1 = © Andrade.Fund. Comp.Representação de alguns Conectivos Lógicos para duas variáveis: Conjunto Universal x2 x1 0 1 0 1 1 1 1 1 x1 0 1 1 f=x2ORx1 x2 0 1 1 1 f=x2XORx1 x2 x1 0 1 1 0 1 1 f=x2ANDx1 x2 x1 0 1 1 0 1 Conjunto Universal x2 x1 0 1 0 1 1 1 1 1 f=x2NORx1 f=x2NXORx1 f=x2NANDx1 x2 x1 0 1 x2 0 1 1 x1 0 1 0 1 1 1 x1 0 1 x2 0 1 1 66 1 1 © Andrade. Eng. II 3.2.3.

Fund.Representação: Três variáveis: x3. Corrêa. Comp.Representação: Uma variável x1 0 1 (0) (1) Duas variáveis x2 x1 0 1 0 1 (0) (2) (1) (3) Três variáveis x3x2 x1 00 01 11 10 0 1 (0) (2) (6) (4) (1) (3) (7) (5) © Andrade. II 68 34 34 . Corrêa. Gomi e Margi 2.Fund.x2.2. Síntese por Mapa de Karnaugh Mapa de Karnaugh . Eng. Gomi e Margi 2.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 . II 67 3.2. Comp.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 . Síntese por Mapa de Karnaugh Mapa de Karnaugh .3. Eng.x1 x3x2 x1 00 01 11 10 0 1 (0) (2) (6) (4) (1) (3) (7) (5) ~x1 x1 x3x2 ~x1 x1 ~x3x2 x3~x2 ~x3~x2 ~x3~x2 ~x3x2 x3x2 x3~x2 © Andrade.

II 69 3. II 70 35 35 . Comp.2.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 .Fund. Eng. Síntese por Mapa de Karnaugh Mapa de Karnaugh . Gomi e Margi 2.3. Corrêa.2.Fund.Representação: Quatro variáveis x4x3 x2x1 00 01 11 10 00 (0) (4) (12) (8) 01 11 10 (1) (5) (13) (9) (3) (7) (15)(11) (2) (6) (14)(10) x4 00 01 00 01 11 10 (0) (4) (12) (8) (1) (5) (13) (9) (3) (7) (15)(11) (2) (6) (14)(10) x1 x2 11 10 x3 © Andrade. Corrêa. Comp.Representação: Quatro variáveis x4x3 x2x1 00 01 11 10 00 (0) (4) (12) (8) 01 11 10 (1) (5) (13) (9) (3) (7) (15)(11) (2) (6) (14)(10) Cinco variáveis x5 = 0 x4x3 x2x1 00 01 11 10 00 (0) (4) (12) (8) 01 11 10 (1) (5) (13) (9) (3) (7) (15)(11) (2) (6) (14)(10) x5 = 1 x4x3 00 01 11 10 x2x1 (16) (20) (28) (24) (17) (21) (29) (25) (19) (23) (31)(27) (18) (22) (30)(26) 00 01 11 10 © Andrade. Eng. Síntese por Mapa de Karnaugh Mapa de Karnaugh .011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 . Gomi e Margi 2.

Fund.2.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios 36 36 . II 71 © Andrade. Eng.3. Eng. II 72 © Andrade.2. Gomi e Margi 2. Corrêa.2.Fund.1 . Síntese por Mapa de Karnaugh Mapa de Karnaugh para Seis Variáveis: x5 = 0 x4x3 x2x1 00 01 11 10 00 (0) (4) (12) (8) x6 = 0 01 11 10 00 01 (1) (5) (13) (9) (3) (7) (15)(11) (2) (6) (14)(10) (32) (36) (44) (40) (33) (37)(45) (41) (35) (39)(47) (43) x5 = 1 x x 4 3 00 01 11 10 (16) (20) (28) (24) (17) (21) (29) (25) (19) (23) (31)(27) (18) (22) (30)(26) (48) (52) (60) (56) (49) (53) (61) (57) (51) (55) (63) (59) (50) (54) (62) (58) x2x1 00 01 11 10 00 01 11 10 x6 = 0 x6 = 1 11 x6 = 1 10 (34) (38) (46) (42) x2x1 00 01 11 10 x4x3 x5 = 0 00 01 11 10 x2x1 x5 = 1 x4x3 PCS 2215 .Determinar o menor conjunto de adjacências que cubra (ou contenha) todos os mintermos das funções de três variáveis dadas: x3x2 x1 00 01 11 10 0 1 0 1 1 0 1 0 0 1 x3x2 x1 00 01 11 10 0 1 0 0 1 1 1 1 1 0 x3x2 x1 00 01 11 10 0 1 1 1 0 0 0 0 1 1 PCS 2215 . Gomi e Margi 2. Comp.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios 3. Síntese por Mapa de Karnaugh Exercício 3. Corrêa. Comp.

Síntese por Mapa de Karnaugh elemento básico em um Mapa de Karnaugh. II 73 3. Eng. Gomi e Margi 2. Síntese por Mapa de Karnaugh Exercício 3. © Andrade.2.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 . Gomi e Margi 2. As n-1 variáveis em que dois Cubos-0 adjacentes são concordantes definem um Cubo-1. uma entrada qualquer com “1” (isto é.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 . Cubo-1: Em um Mapa de Karnaugh de n variáveis sejam dois Cubos-0 que diferem apenas no valor de uma variável (Cubos-0 adjacentes). Corrêa.2. Corrêa. Sua definição pode ser gerada de maneira indutiva: Cubo-0: Em um Mapa de Karnaugh de n variáveis.Fund. Eng. Comp. Comp.3. II 74 Cubo-r (“cubo de ordem r” ou “cubo erre”) .Determinar o menor conjunto de adjacências que cubra (ou contenha) todos os mintermos das funções de quatro variáveis dadas: x4x3 x2x1 00 01 11 10 1 0 0 1 00 1 1 0 1 01 0 1 0 0 11 1 0 0 1 10 x4x3 x2x1 00 01 11 10 0 0 0 0 00 01 11 10 1 1 0 1 1 0 1 0 0 1 1 1 © Andrade.Fund.2.É o 37 37 .2 . uma célula ou um mintermo) é um Cubo-0.

Exemplo com a função: f n ( x1 .2.0) x2 1 x1 2 3 (0. Eng.2) 1 0 © Andrade. x2 .Fund.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 .2. 1.0) (x2.6. As n-r variáveis em que dois Cubos adjacentes são concordantes definem um Cubo-r.Analogia com representações geométricas de variáveis contínuas: Uma variável x = 2. Eng. Corrêa.Fund. II 3.1) 2 x2 Duas variáveis (2.x1) x1 (0. Cubo-r .37 .3. Síntese por Mapa de Karnaugh Cubo-r . Gomi e Margi 2.Analogia com representações geométricas de variáveis contínuas.3.37 0 1 x1 2 3 0 (1.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 . Gomi e Margi 2.1) 75 x1 1 (1. x3 ) = ∑ mi (0. Comp.7) © Andrade.2. Corrêa. Síntese por Mapa de Karnaugh Cubo-r (r ≥ 1): Em um Mapa de Karnaugh de n variáveis sejam dois Cubos-(r-1) diferindo exatamente no valor de uma variável (denominados Cubos-(r-1) adjacentes). Comp. II 76 p 38 38 .

Eng.1) m5 (1. 1.0 Exemplo: Cubos-1 da função de três variáveis.x ) 3 2 1 (0. Síntese por Mapa de Karnaugh Exemplo: Cubos-0 da função de três variáveis.0) m2 (0.1 m3 (0.0) m3 (0.x2.1) 0.1.Fund. Comp.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 .x2.x1) (0.1. Eng.0) 3 x2 x3 (x .0) m2 (0.0) m7 (1.0) m0 0.1.1.0.1) © Andrade.1.x1) X.1) m1 77 (2.1.X (x3.Fund. 1.X.1.x .1.0.0.0.1) 1.1.0.2.0 © Andrade. Corrêa.1.0 (x3. Corrêa.1) m4 (1. m6 (1.1 X.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 . II 3.0) x1 m0 (0.0.2.1.1. 1. Gomi e Margi 2. II 78 39 39 .37. Comp.0 0.0 1.1. Gomi e Margi 2.2) x2 1 0 2 1 1 x1 2 2 x3 m7 (1.1.3.X 0. Síntese por Mapa de Karnaugh Três variáveis Cubos-0 possíveis para uma função de três variáveis m6 (1.1.1 0.2.

2. Gomi e Margi 2.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 .Fund.X.9.14) f n = x4 x2 ~ x1 + x4 ~ x2 x1 + x3 x2 ~ x1 + x3 ~ x2 x1 f n = ( x4 + x3 )( x2 ~ x1 + ~ x2 x1 ) © Andrade. Síntese por Mapa de Karnaugh Exemplo: Cubo-2 da função de três variáveis.1. Minimização de Circuitos No momento de simplificar-se um circuito é conveniente determinar uma topologia (ou formato) de circuito antes de definir-se o critério para o significado de mais simples possível.x2.13. p f n ( x1 . 1. Eng. Corrêa. x3 ) = ~ x3 ~ x1 + x2 Cubo-2 1.6.3.0 0. Eng. II 80 40 40 .2. Vejamos as implementações de três formas distintas da seguinte função: p f n = ∑ mi (5. Comp.3.7) f n ( x1 . x2 .Fund. II 79 4. 1.x1) © Andrade.X X. x3 ) = ∑ mi (0.6. Corrêa. Gomi e Margi 2. Comp.X X.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 . x2 .1 Cubo-1 0.1.0 (x3.10.

Comp. Corrêa. Gomi e Margi 2. II 81 4.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 .4. Eng. II 82 41 41 .Fund.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios (III) PCS 2215 . Eng. Gomi e Margi 2. Minimização de Circuitos Qual é a forma mais simples (II e III)? x x1 x2 4 x1 x2 x4 x1 x2 x3 x1 x2 x3 x2 x1 fn x4 x3 x2 x1 fn (II) © Andrade. Corrêa. Comp.Fund. Minimização de Circuitos Qual é a forma mais simples (I)? x1 x2 x3 x4 x1 x2 x3 x4 x1 x2 x3 x4 x1 x2 x3 x4 x1 x2 x3 x4 x1 x2 x3 x4 m5 m6 m9 m10 m13 m14 fn (I) © Andrade.

porém é um passo importante para a minimização. Comp. Gomi e Margi 2.Fund. Eng. Esta representação especial em Soma de Produtos é denominada Soma Completa.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 . © Andrade. Gomi e Margi 2. 4. PCS 2215 . Corrêa.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios 42 42 .1. Implicantes Primários Implicante Primário Essencial: Seja Ipj um implicante primário e seja fn uma função expressa na forma da soma de todos os seus Ipi.Uma função de chaveamento pode ser representada por uma soma de todos os seus implicantes primários. II 84 © Andrade. Se estes IPEs cubrirem fn totalmente então o problema de minimização está concluído. Corrêa. Implicantes Primários Implicante Primário: Um Cubo é um IP – implicante primário – se ele não estiver incluído em nenhum outro Cubo de ordem superior. Comp.1. Eng. Tal representação não é necessariamente a função de chaveamento minimizada.Fund. Ipj é um Implicante Primário Essencial (IPE) se Ipj contiver um cubo qualquer não contido na somatória dos Ipi. Os IPEs deverão estar presentes em uma realização mínima para fn. II 83 4.

011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 .011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 . II 85 4. Gomi e Margi 2.Fund. Para descobrir os demais implicantes realiza-se um processo de redução da Tabela de Cobertura: 1-) Por meio da eliminação das células já cobertas por IPE’s. Diz-se que estes implicantes dominam os demais.4.1. Eng. Corrêa. Tabela de Cobertura Considere-se o exemplo de uma função definida por seu Mapa de Karnaugh. Comp. © Andrade. Gomi e Margi 2. 2-) Encontrando-se implicantes de menor custo (k) possível e que cobrem o maior número de células. Eng. então deve-se usar algum procedimento que permita descobrir os IP’s (dentre os não essenciais). II 86 43 43 . © Andrade. Corrêa.1. Comp. Tabela de Cobertura Tabela de Cobertura: Se ocorrer o caso de que os IPE’s não cubram fn totalmente.1.Fund. que façam parte da expressão mínima: = IPE1 + IPE2 + … + IPEn + [Σ(Demais Implicantes)] Σ Expressão Mínima = Um destes procedimentos denomina-se Tabela de Cobertura.1. onde o custo (k) é igual ao número de Literais do IP.

~x1 1 0 0 1* 01 11 10 0 1 1 1 IP4 00 1 01 1 11 IP7 IP5 IP2=IPE2 PCS 2215 . Tabela de Cobertura Todos os IP’s: IPE’s: IP1 = IPE1 = ~x4.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios 44 44 . Comp. Gomi e Margi 2.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 .Fund.~x1 IP3 IP6 x x 4 3 x x 2 1 00 Demais IP’s: IP3 = ~x4. Gomi e Margi 2.1.Fund. II 88 1* 1* 0 0 0 IP1=IPE1 10 0 © Andrade.~x1 IP5 = x3. 1* 1* 0 0 0 10 0 10 0 IPE2 IPE’s: IPE1 = ~x4.~x3. Corrêa. Eng.x3.~x2.x1 IPE2 = x4. II 87 4.1.~x2. Corrêa.~x2 IP4 = ~x3. Tabela de Cobertura Exemplo – Função dada por seu Mapa de Karnaugh: x x 4 3 x x 2 1 00 x x 4 3 x x 2 1 00 01 11 10 0 1 1 0 1 1 0 0 1 0 0 1 01 11 10 0 1 1 1 1 0 0 1* 00 1 01 1 11 1 IPE1 00 1 01 1 11 *: Células não cobertas por nenhum outro cubo que seja o maior possível.x1 IP6 = x4. Eng.~x2 IP7 = x4.~x1 © Andrade. Comp.1.x1 IP2 = IPE2 = x4.~x2.~x3.1.4.~x3.

© Andrade.1. Gomi e Margi 2.4.Após processo de redução: Implicantes 0 X X X X X X 12 13 Custo(k) 3 3 3 3 3 IP3 e IP4 são indiferentes (k e m0 iguais) IP3 IP4 IP5 IP6 IP7 IP6 domina IP5 e IP7 fmín = IP1 + IP2 + IP3 + IP6 (k=2+3+3+3=11) OU IP1 + IP2 + IP4 + IP6 (k=2+3+3+3=11) PCS 2215 . Corrêa. II 90 © Andrade. II 89 4. Comp.1.1. Eng.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios 45 45 .1.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 .Para aplicação do processo de redução: Implicantes 0 1 X 3 X 5 X 7 X X X X X X X X X X X X X 8 10 12 13 Custo(k) 2 3 3 3 3 3 3 IP1=IPE1 IP2=IPE2 IP3 IP4 IP5 IP6 IP7 Obs: Lembrar que o custo (k) é igual ao número de Literais do Implicante. Tabela de Cobertura Tabela de Cobertura.Fund. Comp. Corrêa. Tabela de Cobertura Tabela de Cobertura .Fund. Gomi e Margi 2. Eng.

2 Minimização pelo Método Tabular Passo 1 -Listam-se os mintermos de fn com a notação Cubo-0 correspondente (Ex:m7=~x4x3x2x1).5. isto é. Define-se uma operação entre Cubos-0 compatíveis para gerar o Cubo-1 que os contém. Corrêa.8. Comp. Gomi e Margi 2. Os Cubos-0 são marcados com “√” e os Cubos-1 gerados colocados em outra tabela para o passo 2. II 92 46 46 . II 91 p 1 © Andrade.4. Eng. © Andrade.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios 4. Agrupam-se os Cubos-0 de modo que: – No primeiro grupo todos possuam zero 1’s.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 . que exista um Cubo-1 que os contenha. Corrêa. Dada a Função: fn = ∑ mi (0.2 Minimização pelo Método Tabular Exemplo: Procedimento de extração dos Implicantes Primários pelo método tabular.15) x4x3 x2x1 00 01 11 10 00 (0) (4) (12) (8) 01 11 10 (1) (5) (13) (9) (3) (7) (15)(11) (2) (6) (14)(10) x4x3 x2x1 00 01 11 10 00 01 11 10 1 1 1 1 1 1 1 1 PCS 2215 .7. Gomi e Margi 2. Identificam-se pares de Cubos-0 compatíveis. Comp. etc.Fund.Fund.4.12. – No segundo grupo todos possuam um 1. Eng.10.2.

2 Minimização pelo Método Tabular Exemplo – Método Tabular de extração dos Implicantes Primários : Passo 1 (0) (2) (4) (8) (5) (10) (12) (7) (15) x4 0 0 0 1 0 1 1 0 1 x3 x2 0 0 0 1 1 0 0 0 1 0 0 1 1 0 1 1 1 1 x1 0 0 0 0 1 0 0 1 1 √ √ √ √ √ √ √ √ √ PCS 2215 . Corrêa. Corrêa. de maneira que os elementos do primeiro grupo possuem zero 1’s. Passo 3 .Fund. Eng.Fund. É utilizado o mesmo procedimento de operação entre Cubos-1 para gerar Cubos-2 para o passo 3. etc. II 93 © Andrade. Como não são gerados Cubos-3 para este exemplo termina-se o algoritmo de geração de Implicantes Primários. os do segundo grupo um 1. II 94 47 47 . Comp.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 . Gomi e Margi 2. Comp.2 Minimização pelo Método Tabular Passo 2 .Os Cubos-1 gerados pelo Passo 1 são agrupados.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios 4. © Andrade.4. Gomi e Margi 2.O procedimento é análogo aos anteriores. Eng.

12) IPE2 IPE1 x4 x3 x2 x1 . IP5 IP4 IPE3 IPE2 IPE1 f = ~x4x3~x2 + ~x4x3x1 + x3x2x1 + ~x3~x1 + ~x2~x1 (4.4.0 (8. Eng.1 1 1 IP4 IPE3 f = ~x4x3~x2 + ~x4x3x1 + x3x2x1 + √ √ √ √ √ √ √ + ~x3~x1 + ~x2~x1 Passo 3 (0.7) (7.8.12) e 5 ∈ (5. Comp.Fund.8. II 96 48 48 .0 0 0 .10) (0.2.0 (0. Gomi e Margi 2. Ou outra maneira de ver é que: – 5 ∈ (4.10) (0. Corrêa.1 (7.Método Tabular de extração dos Implicantes Primários: IP5 Passo 2 x4 x3 x2 x1 (0.15) .0 .2 Minimização pelo Método Tabular Exemplo .4) 0 .8) .0 0 (5.10) 1 0 .5) e 7 ∈ (7.12) © Andrade.10) (4. Corrêa.5) ou (5.0 0 (0.12) 1 .0 0 PCS 2215 .2 Minimização pelo Método Tabular Verificar se há necessidade dos termos (4.5) 0 1 0 (4.15).0 .2) 0 0 .8. II 95 © Andrade.7) dado que: – 4 ∈ (0.4.0 1 0 (2.4.7).5) (5.8.2.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 .8.7) 0 1 . Eng.4.Fund.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios 4.15) (0. Gomi e Margi 2. Comp.12) .1 0 0 (8.

3 Mapas de Karnaugh Considerando-se os Zeros das Funções Até o momento identificamos Adjacências – isto é. Comp. Corrêa. para as quais o valor da Função é 1. grupamentos (retangulares ou quadrados) de 2n células (Maxtermos) adjacentes. Pode-se identificar outro tipo de Adjacências – isto é. Corrêa.5) IP4 (5. Gomi e Margi 2.Fund.4.10*) IPE3 (7. II 97 © Andrade.8.Fund.4.8.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios 4.15*) fmín = ~x4x3x1 + x3x2x1 + ~x3~x1 + ~x2~x1 OU IP4 IPE3 IPE2 IPE1 fmín = ~x4x3~x2 + x3x2x1 + ~x3~x1 + ~x2~x1 IP5 IPE3 IPE2 IPE1 PCS 2215 .011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 . para as quais o valor da Função é 0. Eng. II 98 49 49 . Eng.12*) 00 01 11 10 IP5 (4.7) IPE2 (0. Gomi e Margi 2. grupamentos (retangulares ou quadrados) de 2n células (mintermos) adjacentes.2*. © Andrade. Comp.2 Minimização pelo Método Tabular x 4x 3 x 2x 1 00 0 01 4 5 7 2* 15* 10* 11 12* 10 8 IPE1 (0.

II 99 4. considerando-se os uns (mintermos). Eng. considerando-se os uns chega-se ao mesmo valor.3 Mapas de Karnaugh Considerando-se os Zeros das Funções Dicas: 1-) Constrói-se o Mapa de Karnaugh de ~f. Corrêa. Corrêa.Fund. Na prática nem se chega a construir o Mapa de ~f.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios Maxtermos M0=x4 + x3 + x2 + x1 x4x3 x2x1 00 01 11 10 00 (0) (4) (12) (8) 01 11 10 (1) (5) (13) (9) (3) (7) (15)(11) (2) (6) (14)(10) 100 PCS 2215 . © Andrade. Eng.4. Gomi e Margi 2.Fund. estão nas mesmas posições que os mintermos. Gomi e Margi 2. Comp. obtendo-se f. Lembrar que os Maxtermos. Comp. © Andrade. 2-) Escreve-se a expressão de ~f.3 Mapas de Karnaugh Considerando-se os Zeros das Funções Exemplos: f = x2 + x4 x4 x4x3 x2x1 00 01 11 10 0 0 1 1 00 01 0 1 1 0 1 1 1 1 1 1 1 1 f = ~x1 + ~x3 x4x3 x2x1 00 01 11 10 1 1 1 1 00 ~x1 01 11 10 1 1 1 0 0 1 0 0 1 1 1 1 x2 11 10 ~x3 Realmente.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 . 3-) Complementa-se ~f. define-se o Mapa de f considerando-se os Zeros (Maxtermos). II 50 50 . identificados por seus índices.

Comp. tem o domínio de interesse de respostas menor que o conjunto de combinações de todas suas entradas. Corrêa.4.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 . a saída possa valer 0 ou 1 (X). para algumas combinações de entradas. Comp.3 Mapas de Karnaugh Considerando-se os Zeros das Funções Exercício – Considerando-se os Zeros das Funções. II 101 4. Eng.4 Funções Incompletamente Definidas Funções Incompletamente Definidas – São aquelas que.X) que.Fund. Eng. © Andrade. Pode-se tirar proveito deste grau de liberdade escolhendo-se o valor mais adequado de X para se obter a expressão mínima possível. Gomi e Margi 2. Gomi e Margi 2. Corrêa.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 .Fund. II 102 51 51 . determinar a expressão de chaveamento das seguintes funções: x4x3 x2x1 00 01 11 10 0 1 1 0 00 01 11 10 1 1 0 1 1 1 1 1 1 1 1 0 x4x3 x2x1 00 01 11 10 1 1 1 1 00 01 11 10 0 1 1 0 1 1 0 1 1 0 1 1 © Andrade. por razões diversas. São funções para as quais não importa (Don’t Care .

7) = {f1 = ∑ mi (6. de maneira que se obtenha a menor expressão de chaveamento. Gomi e Margi 2.4. fn = ∑ mi (1. Eng.7)]} x1 x3x2 00 01 11 10 0 1 (0) (1) (2) (3) (6) (7) (4) (5) x3x2 00 01 11 10 1 1 x1 p p p p fn 0 1 1 1 1 x3x2 00 x1 f1 0 1 x3x2 00 1 1 x1 f2 0 1 1 1 = 01 11 10 + 01 11 10 X X 1 104 © Andrade.7)} + {f2 = [∑ mi (1.3.6.6. e não importa seu valor lógico (1 ou 0) nas posições m6 e m7 (onde foi anotado um X).011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 .4 Funções Incompletamente Definidas Funções Incompletamente Definidas – Exemplo: Quer-se sintetizar o Circuito2 de maneira que: x1 x2 x3 x2 ⊕ Circuito2 f2 fn fn = ∑ mi (1.7) p x3 f1 Observa-se que a função f1=x3. e que fn=f1+f2.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 .4) + ∑ Xi (6.x2 já foi fornecida.4.3. m3 e m4. Comp. Por meio dos Mapas de Karnaugh faz-se a análise de quais mintermos podem ser don’t care (X). Comp. Eng.4 Funções Incompletamente Definidas Pode-se ver que a função f2 deverá fornecer 1’s nas posições m1. Corrêa. Gomi e Margi 2.Fund. II 103 4. Procura-se a melhor distribuição de 0’s e 1’s para os X’s.Fund. II 52 52 .4. Corrêa.3. © Andrade.

x3 10 11 © Andrade.Fund.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios 53 53 . Corrêa. Eliminar os IP’s que cubram apenas células X’s e apagar os X’s do Mapa de Karnaugh.4. Gomi e Margi 2. Marcar os Implicantes Primários (IP’s) considerandose as células X’s como se tivessem valor 1. 2. II 106 © Andrade. II 105 4.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 . Comp.Fund. 3. Comp. Eliminar IP’s contidos em outros deixando apenas os IP’s Essenciais (IPE’s).4 Funções Incompletamente Definidas Funções Incompletamente Definidas – Exemplo: Por meio da análise de quais mintermos podem ser Don’t Care (X) nos Mapas de Karnaugh e a aplicação de técnicas de minimização conhecidas (identificação do Implicantes primários Essenciais – IPE’s) pode-se sintetizar o Circuito2: x1 x2 x3 ⊕ x2 x3 Circuito2 f2 fn f1 PCS 2215 . Eng. Corrêa. Eng. x1 x3x2 00 01 11 10 0 1 1 1 1 x3x2 00 01 11 10 x1 0 2 1 1 1 x3x2 00 01 x1 0 3 1 1 1 1 1 x1.4 Funções Incompletamente Definidas Para sintetizar a soma mínima é preciso: 1.~x3 X X 1 1 ~x1. Gomi e Margi 2.

Eng.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 . Comp. Eng. II 108 54 54 . Somador 1-) Análise – Fornece-se o circuito lógico e pede-se para extrair a Expressão Algébrica e a Tabela da Verdade.) Por Mapa de Karnaugh – O funcionamento do circuito é especificado por uma Tabela da Verdade. da qual.5. Corrêa.Fund. © Andrade. Half Adder Full Adder “Half Adder” .Fund. b.2. Exemplos de Aplicação: 5. x 1 1 0 0 y 1 0 1 0 c s 1 0 0 1 0 1 0 0 x y s c © Andrade.1. Gomi e Margi 2. interpretando-se suas Funções de Engenharia.) Pela Função de Engenharia – A partir da especificação funcional vão sendo desenvolvidos os módulos constituintes dos sistema.Equivale a um circuito “meio-somador” de dois dígitos binários. por Mapa de Karnaugh. Exemplos de Aplicação: 5. Comp. 2-) Síntese: a. Corrêa.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 . II 107 5. Gomi e Margi 2. são extraídas as expressões algébricas .

3.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 . Eng.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 . Gomi e Margi 2. Eng.2.5. Exemplos de Aplicação: 5.Fund. Meio Somador .Fund. Corrêa. II 55 55 . Comp. Corrêa. Soma de Dois Números M = x3x2x1 s x1 y1 x2 y2 x3 y3 Meio Somador N = y3y2y1 z1 s z2 s c Somador Completo c Somador Completo z3 c z4 110 © Andrade. II 109 5. Comp. Exemplos de Aplicação: 5. Gomi e Margi 2.Somador Completo Somador Completo Meio Somador xi yi Meio Somador x y x y sint cint sint cint s ci ci+1 © Andrade.

995. Corrêa.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 . Saraiva. Gomi e Margi 2. Fernández. © Andrade. LTC . “Fundamentos Matemáticos Para a Ciência da Computação”.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 . Edson. Colección Alianza Informática. Tomás. Lista de Exercícios.Fund. A. Comp.987. Eng..995. Fregni. Eng. Judith L. Alianza Editorial. “Introdução aos circuitos de Chaveamento”.Livros Técnicos e Científicos Editora S. © Andrade..Lição de Casa Leitura Obrigatória: Capítulo 4 do Livro-texto.985. 1. 1. Lang. Antônio Mauro. II 111 Bibliografia Dias. “Digital Systems and Hardware/Firmware Algorithms”. Exercícios Obrigatórios: Capítulo 4 do Livro Texto. Ercegovac. Saez Vacas. Comp. Editora Edgard Blucher. Apostila. 1.Fund. Corrêa. Gregório. 1.. Francisco José de Oliveira. Milos D. II 112 56 56 .989. Fernando. “Engenharia do Projeto Lógico Digital”. Gersting. John Wiley. 1. Gomi e Margi 2. PEL/EPUSP. “Fundamentos de Informática”.

Eng. Edith. Francisco José de Oliveira “Notas de Aula de PEL 213 .979.977. R. “Introduction To Switching Theory and Logical Design”. Frederic and Peterson.974.975. 1.Fund. Tremblay.Bibliografia Guerra Vieira. and Monohar. Apostila. Comp. EPUSP.996. Corrêa. EPUSP. II 113 57 57 . Edson. P. “Notas de Aula de PCS 214 Teoria da Comutação: Introdução aos Circuitos Digitais”.. Elliott. 1. Hill.Circuitos de Chaveamento”. Gomi e Margi 2. 1. “Álgebra Booleana e Circuitos de Chaveamento”. Ranzini. Coleção Schaum.011 Análise e Síntese de Circuitos Combinatórios PCS 2215 . J. 1. © Andrade. Mendelson. Dias. Fregni. John Wiley Sons. “Discrete Mathematical Structures With Applications to Computer Science”. McGraw-Hill. Antônio Hélio. 1. Gerald. Editora McGraw-Hill. Apostila.