Biomateriais utilizados na Cardiologia

Profª. Drª. Profª. Drª. Cecília Amélia de Carvalho Zavaglia IM - 241 Biomateriais

Faculdade de Engenharia Mecânica - Unicamp Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia - IDPC/SP

Objetivos:
⊕ ⊕ ⊕ ⊕

Equipamentos médicos Próteses e Órteses Materiais Tendências

Equipamentos:
⊕ ⊕ ⊕ ⊕ ⊕

Bombas de sangue e CEC Estabilizadores Videoscopia Instrumental cirúrgico Desfibriladores

Circulação Extracorpórea ⊕ Primeira bomba de sangue. bomba de roletes. princípio peristáltico (DEBAKEY. . 1934) ⊕ Hemocompatibilidade maior tempo de contato.

Circulação Extracorpórea ⊕ Bombas de sangue Roletes (hemólise alta) Centrífugas (hemólise baixa) .

Circulação Extracorpórea ⊕ Cirurgias cardíacas de “coração aberto” sangue venoso PACIENTE bomba descartável oxigenador cânulas motor O2 fluxômetro MÓDULO DE ACIONAMENTO sangue oxigenado .

Circulação Extracorpórea ⊕ CEC com bomba de roletes .

Circulação Extracorpórea ⊕ CEC com bomba centrífuga .

Circulação Extracorpórea ⊕ Máquina “coração.pulmão”: “coração. discos.bomba e oxigenador ⊕ Oxigenadores de bolhas. membrana (fibra oca) Módulo Oxigenador Bomba .

e Pneumonias. Infecções. Convalescência (3 meses). Microembolia. .Problemas com a CEC ⊕ ⊕ ⊕ ⊕ ⊕ ⊕ Hemólise (quebra das hemácias) Longo período PO (8 dias).

Equipamentos: ⊕ ⊕ ⊕ ⊕ ⊕ Bombas de sangue e CEC Estabilizadores Videoscopia Instrumental cirúrgico Desfibriladores .

Estabilizadores ⊕ ⊕ ⊕ Revascularização: Angioplastia e Ponte Cirurgias “beating heart”. Estabilizadores “Octopus” permitem a sutura com o coração batendo ⊕ Ventosas do polvo http://www.html .epworth.au/services/davincisystem.org. menos traumáticas CEC heart”.

Aterosclerose ⊕ ⊕ ⊕ Colesterol forma depósitos de gorduras (ateromas) Obstrução ou aneurisma Vaso aterosclerótico: rígido. sujeito a inflamações Depósitos de gordura (ateroma) Cateter coronária direita obstruída .

ou .Revascularização do Miocárdio ⊕ ⊕ Angioplastia ou ponte (arterial ou venosa) Enxertos: .venosos.arteriais.sintéticos (próteses vasculares) . .

Equipamentos: ⊕ ⊕ ⊕ ⊕ ⊕ Bombas de sangue e CEC Estabilizadores Videoscopia Instrumental cirúrgico Desfibriladores .

html .: Robô Da Vinci) Cirurgias à distância (telepresença) http://www.Videoscopia ⊕ ⊕ ⊕ Técnicas minimamente invasivas Cirurgia Robotizada (ex.org.epworth.au/services/davincisystem.

Equipamentos: ⊕ ⊕ ⊕ ⊕ ⊕ Bombas de sangue e CEC Estabilizadores Videoscopia Instrumental cirúrgico Desfibriladores .

Instrumental cirúrgico ⊕ Pouco tempo de permanência no organismo (biotoleráveis como aço inoxidável 304) .

. Estabilizadores. Aspiradores..) . tesoura. bisturi.Instrumental cirúrgico ⊕ Afastadores.etc. Instrumental tradicional (pinça.

Instrumental cirúrgico ⊕ Materiais esterilizáveis e resistentes .

Equipamentos: ⊕ ⊕ ⊕ ⊕ ⊕ Bombas de sangue e CEC Estabilizadores Videoscopia Instrumental cirúrgico Marcapassos e desfibriladores .

Marcapassos e desfibriladores ⊕ ⊕ Função das células marcapasso (NSA) Início do impulso elétrico de despolarização (atividade elétrica de excitação do miócito) Nódulo Sinoatrial .

Marcapassos e desfibriladores ⊕ ⊕ ECG representação gráfica da atividade elétrica (despolarização do miocárdio) Eletrocardiógrafo (Galvanômetro de Einthoven) .

Marcapassos e desfibriladores
⊕ ⊕

ECG representação gráfica da atividade elétrica (despolarização do miocárdio) Eletrocardiógrafo (Galvanômetro de Einthoven)

Marcapassos e desfibriladores
⊕ ⊕

ECG representação gráfica da atividade elétrica (despolarização do miocárdio) Eletrocardiógrafo (Galvanômetro de Einthoven)

Marcapassos e desfibriladores
⊕ ⊕

ECG representação gráfica da atividade elétrica (despolarização do miocárdio) Eletrocardiógrafo (Galvanômetro de Einthoven)

Marcapassos e desfibriladores ⊕ ⊕ ECG representação gráfica da atividade elétrica (despolarização do miocárdio) Eletrocardiógrafo (Galvanômetro de Einthoven) .

Marcapassos e desfibriladores ⊕ ⊕ ECG representação gráfica da atividade elétrica (despolarização do miocárdio) Eletrocardiógrafo (Galvanômetro de Einthoven) .

Marcapassos e desfibriladores ⊕ ⊕ ECG representação gráfica da atividade elétrica (despolarização do miocárdio) Eletrocardiógrafo (Galvanômetro de Einthoven) .

Marcapassos e desfibriladores ⊕ ⊕ ECG representação gráfica da atividade elétrica (despolarização do miocárdio) Eletrocardiógrafo (Galvanômetro de Einthoven) .

Marcapassos e desfibriladores ⊕ ⊕ ECG representação gráfica da atividade elétrica. biopotencial (despolarização do miocárdio) Eletrocardiógrafo (Galvanômetro de Einthoven) .

Marcapassos e desfibriladores ⊕ ⊕ Vetores da despolarização Derivações padronizadas (triângulo de Einthoven) 3 .

.Marcapassos e desfibriladores ⊕ Marcapasso interno (implantável) e externo (paracorpóreo).

Marcapassos e desfibriladores ⊕ ⊕ Desfibrilador implantável ou externo Manual ou automático (AED/DEA) .

Objetivos: ⊕ ⊕ ⊕ ⊕ Equipamentos médicos Próteses e Órteses Materiais Tendências .

LVAD. TAH .Próteses e Órteses: ⊕ ⊕ ⊕ Válvulas e anéis de Carpentier Enxertos e Stents Assistência Circulatória DAV.

. .. etc. Disco.Próteses Valvares ⊕ ⊕ Mecânicas ou Biológicas Mecânicas: Bola.

00/R$ 5.Próteses e órteses valvares ⊕ Biológicas: menor duração (10/20 anos).000. mais caras (R$ 9.000.00). mas têm menos riscos Anuloplastia e valvoplastia (reparos congênitos) ⊕ Anel de Carpentier .

Válvulas Mecânicas ⊕ ⊕ ⊕ Válvulas de disco. Estudo de fluxo e visualização: determinação da vida útil da válvula . um ou dois folhetos Relação: área aberta vs área fechada.

Tratamento com glutaraldeído (eliminação dos fosfolípides evita a calcificação) Armazenamento Formalina (10% formol) Estrutura polimérica ou metálica. Porcinas.Válvulas Biológicas ⊕ ⊕ ⊕ ⊕ Pericárdio bovino. . Duramáter (cadáveres).

TAH . LVAD.Próteses e Órteses: ⊕ ⊕ ⊕ Válvulas e anéis de Carpentier Enxertos e Stents Assistência Circulatória DAV.

Enxertos e Stents ⊕ ⊕ Enxertos de Dacron® (tecido) ou Teflon® (polímero) Antitrombogênicos .

ou .Enxertos e Stents ⊕ Biolização e recobrimento das superfície visando biocompatibilidade. ⊕ Baixo coeficiente de atrito do PTFE e baixa trombogenicidade .o próprio sangue do paciente. ⊕ Impermeabilização do Dacron®: .colágeno animal.

Órteses Vasculares (Stents) Expandido Normal Comprimido .

. Polipeptídeos.Enxertos e Stents ⊕ ⊕ Coberturas Bioativas ou Biocompatíveis: Polissacarídeos. Fosfolipídeos. Citocininas e Proteínas.

TAH .Próteses e Órteses: ⊕ ⊕ ⊕ Válvulas e anéis de Carpentier Enxertos e Stents Assistência Circulatória DAV. LVAD.

Dispositivos de Assistência Circulatória ⊕ ⊕ Dispositivos de Assistência Ventricular (DAV) Biventricular (BVAD). Ventricular Direita (RVAD) ⊕ Corações Artificiais Totais (TAH) . Ventricular Esquerda (LVAD).

Dispositivos de Assistência Circulatória (DAV) ⊕ ⊕ ⊕ ⊕ ⊕ Insuficiência Cardíaca Congestiva (ICC) Ponte para o Transplante Cardíaco (BTT) Ponte para a Recuperação (BTR) Suporte pós Cardiotomia (PCLS) Terapia destino (DT) .

eletropneumático. ou mistas ⊕ ⊕ Acionamento eletromecânico. centrífugas. e paracorpóreos Pulsáteis ou não pulsáteis (fluxo contínuo) .fluxo contínuo: bombas axiais. ou eletrohidráulico . parcialmente implantáveis.Dispositivos de Assistência Circulatória (DAV) ⊕ Totalmente implantáveis.

DAV Thoratec Jarvik (CardioWest) Paracorpóreos Thoratec Hemopump (T.H.I.) Implantáveis Totalmente ou Parcialmente implantáveis .

H.I.) AbioCor (Abiomed) ATAH (IDPC-SP) Eletrohidráulico Pneumático Eletromecânico .DAV Pulsáteis x nãonão-pulsáteis ??? Akutsu III (T.

Objetivos: ⊕ ⊕ ⊕ ⊕ Equipamentos médicos Próteses e Órteses Materiais Tendências .

Materiais: ⊕ ⊕ ⊕ Produtos Características Aplicações .

se comparados com os polímeros . se comparados com os polímeros e cerâmicas ⊕ alta resistência à fadiga.Metais ⊕ boa resistência mecânica. se comparados com as cerâmicas ⊕ ⊕ boa usinabilidade boa resistência ao desgaste.

avaliação). aplicações temporárias e constante avaliação). .Metais ⊕ ⊕ Baixa resistência à corrosão em meio fisiológico Grandes diferenças de propriedades quando comparadas aos tecidos ⊕ Baixa biocompatibilidade (maioria biotoleráveis.

Ti6Al7Nb. hemocompatíveis Eletromagnéticos como Neodímio e Ferrite dispositivos e acionamentos sem contato com o sangue ⊕ ⊕ . biotolerável Ti e ligas como Ti 6Al 4V.Metais: utilização ⊕ ⊕ ⊕ Aço inoxidável ASTM 316L. baixo carbono. biotolerável Aço inoxidável ISO 5832-9. alta resistência à fadiga 5832Aço inoxidável ASTM 304 para intrumental de corte.

Facilidade de conformação e usinagem Baixa resistência mecânica Com o tempo.Polímeros ⊕ ⊕ ⊕ ⊕ ⊕ Alta ductilidade Em geral. há a degradação no organismo. . boa biocompatibilidade.

bolsas de sangue. cânulas e dispositivos) .Polímeros: utilização ⊕ ⊕ ⊕ ⊕ ⊕ ⊕ ⊕ Polietileno Dacron® (Poliéster) Teflon® (Politetrafluoretileno PTFE) Poliuretano Delrin® (boa usinabilidade) Policarbonato Silicone (tubos CEC.

Cerâmicos ⊕ ⊕ ⊕ ⊕ ⊕ Boa resistência à compressão Alta resistência à corrosão Baixa resistência à tração e ao cisalhamento Baixa tenacidade Biocompatibilidade depende muito do material .

Cerâmicos: utilização ⊕ Carbono vítreo e pirolítico.cerâmica + PE UHMW ⊕ ⊕ . Recobrimento enxertos de PFTE Mancais cerâmicos .

Objetivos: ⊕ ⊕ ⊕ ⊕ Equipamentos médicos Próteses e Órteses Materiais Tendências .

.. géis.. polissacarídeos. proteínas (colágeno).Tendências dos Biomateriais na cardiologia ⊕ ⊕ Recobrimentos Biocompatíveis ou Bioativos Filmes. Cateter de PTFE utilizado para liberação de drogas na parede interna dos vasos .

Tendências dos Biomateriais na cardiologia ⊕ ⊕ ⊕ Liberação controlada de drogas Stents Coronarianos: Recobrimento: fina camada matriz polimérica com a droga “sirolimus” sintetizada e incorporada Previne a formação do tecido cicatrizante (Reestenose) .

restauração e regeneração Arcabouço “scaffold” (biomateriais).Tendências dos Biomateriais na cardiologia ⊕ ⊕ ⊕ Engenharia de Tecidos Reparo. e fatores de crescimento Maior interação: material x organismo ⊕ . células vivas.

.

Muito Obrigado ! .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful