You are on page 1of 7

1

RESOLUÇÃO Nº 19, DE 14 DE NOVEMBRO DE 2006.

Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de


Administração/CPAN, da Universidade Federal de Mato
Grosso do Sul e dá outras providências.

O COLEGIADO DE CURSO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DO CAMPUS DO


PANTANAL, DA FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL, no uso de
suas atribuições legais resolve:

Art. 1º Manifestar-se favoravelmente pela aprovação do Projeto Pedagógico do Curso de Administração, do


Câmpus do Pantanal (CPAN), da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, criado pela Resolução CEE/MT 31-A DE
19.11.1973.

Art. 2º Fazem parte, em complemento ao presente Projeto Pedagógico, os seguintes documentos anexos: os
regulamentos das Atividades Complementares, Estágio Supervisionado em Administração e outros pertinentes ao curso,
aprovados por proposta do Colegiado de Curso e pelo Conselho de Câmpus/CPAN.

Art. 3º O Curso de Administração, em respeito às normas superiores pertinentes a integralização curricular,


obedecerá aos seguintes indicativos:
1) Tempo útil:
1.1) tempo útil CNE: não definido;
1.2) tempo útil UFMS: 3.012 horas;
2) Número de anos:
2.1) mínimo CNE: não definido;
2.2) mínimo UFMS: 4 anos;
2.3) máximo CNE: não definido;
2.4) máximo UFMS: 6 anos.
3) Turno de funcionamento: Noite e sábado pela manhã e tarde (NSMT).

Art. 4º Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação, com os seus efeitos a partir do ano letivo de
2007, para os acadêmicos matriculados na 1ª série do curso.

Art. 5º Fica assegurada a oportunidade de conclusão do Curso de Administração/CPAN aos acadêmicos que
estiverem vinculados ao currículo pleno aprovado pela Resolução CPAN nº 297, de 04.10.05, desde que estejam:
- em 2007/1, matriculados na 2ª, 3ª e 4ª séries;
- em 2008/1, matriculados na 3ª e 4ª séries;
- em 2009/1, matriculados na 4ª série.
§ 1º Os acadêmicos da 1ª série, em 2007/1, serão enquadrados na estrutura curricular do projeto pedagógico
aprovado por esta Resolução.
§ 2º Os acadêmicos que estavam com a matrícula trancada em 2006/2 e necessitarem cursar a 1ª série em
2007, ao retornarem ao curso serão automaticamente enquadrados na estrutura curricular do projeto pedagógico aprovado
por esta Resolução, mediante plano de estudos elaborado pelo Colegiado de Curso do Curso de Administração/CPAN, de
acordo com os dispositivos pertinentes do Regulamento aprovado pela Resolução CAEN nº 170/ 2000.
§ 3º Os acadêmicos que não lograram aprovação para a 2ª série ao final do ano letivo de 2006 e para isto
necessitarem cursar a 1ª série em 2007, serão automaticamente enquadrados na estrutura curricular do projeto pedagógico
aprovado por esta Resolução, mediante plano de estudos elaborado pelo Colegiado de Curso do Curso de Administração/
CPAN, de acordo com os dispositivos pertinentes do Regulamento aprovado pela Resolução CAEN nº 170/2000.
§ 4º Os acadêmicos que não lograrem aprovação na última série do Curso de Administração/CPAN e para
isto, necessitarem cursar uma ou mais disciplinas da 4ª série serão autorizados a fazê-lo, em caráter excepcional até 2010,
exceto aqueles que estiverem sujeitos à exclusão do curso, de acordo com os dispositivos pertinentes do Regulamento
aprovado pela Resolução CAEN nº 170/2000.
§ 5º Outras situações serão definidas mediante consulta prévia à PREG para cada caso.

Art. 6º Fica revogada, ao final do ano letivo de 2010, a Resolução nº 297/CPAN, de 04.10.2005

Parágrafo único. A revogação prevista no caput deste artigo poderá ser antecipada se não houver acadêmico
enquadrado no currículo pleno aprovado pelos documentos nele relacionados.

ANTONIO TADEU MARTINEZ


Presidente
2

ANEXO II

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL


CAMPUS DO PANTANAL -CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

CAPITULO I
DISPOSIÇÕES INICIAIS

Art.1º - Este regulamento dispõe sobre a oferta e a implementação das atividades complementares do
curso de graduação, Bacharelado em Administração / CPAN / UFMS, sendo parte integrante da organização
didática e das normas disciplinadoras do Projeto Pedagógico da referida graduação.

Art. 2° - As Atividades Complementares são componentes curriculares enriquecedores e


implementadores do próprio perfil do formando, distintas do estágio curricular supervisionado, que possibilitam
o reconhecimento, por avaliação, de habilidades, conhecimentos, competências e atitudes do aluno, adquiridas
interna ou externamente ao ambiente acadêmico, como parte do processo de individualização da sua formação
acadêmica e atuação profissional, integrando-as às diversas peculiaridades regionais e culturais.

Art. 3° - A oferta, a escolha e a validação das atividades complementares deverão nortear-se, entre
outras finalidades decorrentes do conceito expresso no art. 2º, no sentido de:

I - flexibilizar a integralização do currículo pleno;

II – propiciar ao aluno a ampliação epistemológica, a diversificação temática e o aprofundamento


interdisciplinar;

III - fomentar a reflexão crítica do aluno e a descoberta de novas aptidões, habilidades e competências
adquiridas fora do ambiente acadêmico.

IV – instigar o aluno a ampliar seus horizontes acadêmicos e profissionais e a diversificar a prática


complementar, entre as modalidades disponíveis;

V - fortalecer a articulação da teoria com a pratica, por meio der vivência e ou observação de situações
reais, valorizando a interação do discente na sua formação e atuação profissional;

VI – promover a contextualização do currículo, a partir do desenvolvimento de temas regionais e locais


significativos para a formação do aluno e por meio da conexão com a comunidade;

VII - articular a trilogia ensino,pesquisa e extensão e integrar o aluno nas atividades e missão
institucionais.

VIII – incentivar a participação do aluno em projetos de extensão e experiências ou práticas que


contribuam para sua formação acadêmica e profissional;

IX - valorizar a atuação e a vivência individual e coletiva., o senso de responsabilidade social e a


autonomia intelectual dos alunos, como agentes de sua própria formação profissional;

X - privilegiar o exercício da cidadania e a construção de comportamentos éticos, sociais, humanos e


profissionais adicionais às atividades acadêmicas tradicionais

CAPITULO II
3

DAS MODALIDADES DE OFERTA

Art. 4° - As atividades complementares devem incluir as seguintes modalidades específicas de atuação


acadêmica:

I – curso, ação ou projeto de extensão, tanto acadêmico quanto comunitário;

II - estágio extracurricular desenvolvido com base em convênios ou parcerias, excetuados os


supervisionados pela Coordenadoria do Curso;

III – eventos em geral, como seminário, simpósio, congresso, conferência e assemelhado;

IV – monitoria acadêmica;

V – atividade de intercâmbio, excursão ou visita técnica, que não componham o programa de estágio ou
de disciplina do curso;

VI – gestão e representação estudantil;

VII -projeto de iniciação científica;

VIII - projeto de pesquisa ou de prática investigativa;

IX – disciplinas a serem cursadas como enriquecimento curricular e aprimoramento da formação básica


e profissional do aluno.

X - disciplinas eletivas oferecidas pelos outros cursos do CPAN, ou por outras instituições de ensino,
ou entidades de regulamentação e supervisão do exercício profissional, que se integrem com os
demais conteúdos curriculares, de forma interdisciplinar;

XI – prática de estudos e atividades independentes, transversais, com característica de


interdisciplinaridade e de contextualizada atualização profissional, especialmente nas relações
com o mundo do trabalho e com as ações extensionistas junto à comunidade;

§ 1°- Outras atividades, correlatas ou diversificadas, tidas como relevantes à formação profissional
serão passíveis de apreciação prévia pelo colegiado de Curso do Curso de Administração / CPAN, para efeito de
validação e cômputo de carga horária.

§ 2º - As atividades complementares, sob as mais diversas modalidades enriquecedoras dos estudos e


da prática pedagógica curricular, poderão ser oferecidas de forma presencial, semipresencial e/ou a distância,
conforme o caso e a sua natureza.

Art. 5º - As atividades complementares serão desenvolvidas no âmbito do CPAN ou junto à


comunidade, promovidas sob a responsabilidade didático-pedagógica do respectivo Colegiado de Curso,
podendo ser também oferecidas, conforme o caso, por empresas ou entidades publicas ou privadas, mediante co-
patrocínio, convênios, parcerias ou intercâmbios, ou por outras instituições reconhecidas, desde que aceitas pelo
Colegiado de Curso, de forma a propiciar a complementação da formação do aluno e assegurar o alcance dos
objetivos previstos no art. 3º.

CAPITULO III
DA INTEGRALIZAÇÃO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES
4

Art. 6º - As atividades acadêmicas complementares, e suas respectivas cargas horárias, assim como os
critérios de integralização e limite de horas-aula por modalidade, encontram-se discriminados na tabela
constante do Anexo I a este Regulamento.

Art. 7º - As atividades complementares devem ser estabelecidas e realizadas ao longo do curso,


podendo cumprir-se inclusive durante as férias escolares.

CAPITULO IV
DA COMPOSIÇÃO E CÔMPUTO

Art. 8º - O acadêmico deverá desenvolver e comprovar uma programação cumulativa que perfaça a
carga horária exigida na Matriz Curricular do curso, indispensáveis à colação de grau, reconhecidas pelo
Colegiado de Curso e computadas, em cada tipo, na conformidade da tabela objeto do Anexo I a este
Regulamento.

Art. 9º - É vedado o cômputo concomitante ou sucessivo, como atividade complementar, de cargas


horárias ou conteúdos, trabalhos, atividades ou práticas próprios das disciplinas do currículo pleno, ou
desenvolvidos nos estágios supervisionados obrigatórios, ou destinados à elaboração e defesa de trabalho de
conclusão de curso, ou monografia. e nem serão consideradas para esse efeito as atividades de pesquisa ou
extensão que não estejam expressa e previamente vinculadas ao regime de atividades complementares.

Parágrafo único. As atividades, conteúdos ou disciplinas que tenham sido objeto de aproveitamento de
estudos para efeito de concessão de crédito em disciplina(s) curricular(es) não poderão, ao mesmo tempo, ser
validados como atividades complementares, e reciprocamente.

Art. 10 – O acadêmico que ingressar no Curso de Administração / CPAN, por transferência ou matricula
ex oficio, se enquadrado em série da matriz curricular aprovada a partir de 2007, fica igualmente sujeito ao
cumprimento da carga horária relativa às atividades complementares, fazendo jus, porém, ao aproveitamento das
que houver realizado na instituição de origem, desde que atendidas as seguintes condições adicionais:

I - as atividades complementares devem ser compatíveis com os objetivos, normas e critérios de


validação estabelecidos neste Regulamento;

II - a carga horária atribuída pela instituição de origem deve ser compatível à carga horária conferida por
este Regulamento para atividade idêntica ou congênere.

CAPITULO V
DAS ATRIBUIÇÕES DOS RESPONSÁVEIS PELO
PROCESSO DE COMPLEMENTAÇÃO CURRICULAR

Art. 11 - Para a execução das Atividades Complementares do Curso de Administração / CPAN, cabe:

I- ao Colegiado de Curso:

a) exercer a coordenação pedagógica e supervisão didático-científica;

b) zelar pela qualidade da oferta;

c) zelar pela qualidade da oferta;

d) promover a articulação e implementação das atividades;

II - à Coordenadoria do Curso:
5

I - supervisionar e acompanhar a execução da programação de atividades


complementares;

II - promover, organizar e divulgar oportunidades e critérios de acesso e o calendário de


realização de atividades complementares, interna ou externamente, bem como o número de
vagas disponíveis para cada uma das atividades;

III - incentivar a participação do aluno em eventos acadêmicos e culturais;

IV - estabelecer critérios para inscrição e seleção dos interessados nas atividades complementares
internas e externas;

V - promover contatos e propor vínculos ou parcerias com outras instituições ou organizações,


públicas ou privadas, junto às quais os alunos possam desenvolver atividades
complementares;

VI - identificar oportunidades e disponibilizar informações sobre a integralização das atividades


complementares e demais aspectos relacionados a esse componente curricular;

VII - designar professores para a oferta das diferentes modalidades de atividades complementares,
em cada período letivo;

VIII - acompanhar o controle e registro das atividades complementares desenvolvidas pelo aluno,
da integralização da carga horária total que lhes está reservada, bem como dos procedimentos
administrativos inerentes a essa função.

Art. 12 - Constituem obrigações do aluno:

I - informar-se sobre as atividades oferecidas dentro ou fora do CPAN;

II - inscrever-se nos programas e participar efetivamente destes;

III - providenciar a documentação que comprove a sua participação e requerer a sua avaliação e
validação na data estabelecida pela Coordenação do Curso, com o registro formal das
atividades realizadas.

CAPITULO VI
DA COMPROVAÇÃO, AVALIAÇÃO E VALIDAÇÃO

Art. 13 - A programação de atividades complementares cumprida pelo aluno ficará sujeita aos
procedimentos necessários para sua comprovação, avaliação e validação perante à Coordenação do Curso de
Administração/CPAN, conforme disposto no inciso III do art. 13;

§ 1º - Somente será considerada, para efeito de cômputo e validação como atividades complementares,
exceto disciplinas, a participação do aluno em atividades desenvolvidas após a data de ingresso no curso, ou na
instituição de origem, em se tratando de transferido, ressalvadas, a juízo do Colegiado de Curso, as atividades
realizadas até dois anos anteriores.

§ 2º - Em caso de mudança de curso, as atividades consideradas complementares são passíveis de


reavaliação pelo Colegiado de Curso.

Art. 14 - Em relação aos eventos e outras modalidades de atividades complementares, para os quais não
for determinado previamente o número de horas passíveis de cômputo, caberá ao Colegiado de Curso
estabelecer a proporcionalidade entre cada hora cumprida e a hora-aula de atividade complementar.
6

Art. 15 - A comprovação da atividade complementar realizada deverá ser feita através de requerimento
do acadêmico para o professor responsável, ao qual serão juntados os demais documentos necessários para a
avaliação, protocolado na Secretaria da Coordenação do Curso, ficando uma cópia com o acadêmico.

§ 1º - O documento comprobatório apresentado deverá conter a denominação da atividade


desenvolvida e respectiva carga horária, bem como a assinatura e o carimbo do responsável pela oferta da
atividade.

§ 2º - Todos os comprovantes das atividades realizadas deverão ficar arquivadas junto à Coordenação
do Curso, devendo o acadêmico responsabilizar-se pela guarda dos documentos originais e dos comprovantes de
entrega.

Art. 16 - O controle da carga horária cumprida é de responsabilidade dos acadêmicos.

Art. 17 - A documentação comprobatória deverá ser encaminhada ao professor responsável em tempo


hábil para aprovação, obedecendo-se prazos definidos no Calendário Acadêmico para entrega das atas finais.

Art. 18 - Ao aluno que completar a carga horária exigida em atividades Complementares será atribuído
o resultado final aprovado ou reprovado, a ser consignado em seu Histórico Escolar.

ANEXO I -ATIVIDADES DE FORMAÇÃO COMPLEMENTAR


CURSO DE ADMINISTRAÇÃO / CPAN
Atividades Carga Equivalência de carga Requisitos para avaliação
Horária horária
Máxima
1- Aprovação em 12 h Cada 10 horas/aula Comprovação da aprovação
disciplina de graduação corresponderá em disciplina de
extracurricular a 1 (uma) hora de formação outro curso de graduação.
complementar
2 – Estágio 20 h Cada dez (10) horas de estágio O estágio deverá ser
extracurricular corresponderão a duas (2) desenvolvido em áreas
horas de responsabilidade ou
atuação do Administrador
3 – Extensão
3.1 – Participação em 30 h Cada dez (10) horas Participação do aluno
projetos de participação em projetos de extensão
corresponderão a duas (2) vinculados ao CPAN.
horas
3.2 - Voluntariado 30 h Cada dez (10) horas Participação do aluno, em
comprovadas corresponderão a atividades de filantropia ou
uma (1) hora de apoio a programa social,
desde que relacionadas aos
conteúdos de formação
do Administrador.
4 - Monitoria
4.1. Monitoria de Ensino 20 h Cinco (4) horas de monitoria Trabalho de monitoria,
corresponderão a uma (1) remunerada ou voluntária,
hora em disciplinas da área da
Administração.
4.2 – Monitoria de 20 h Quatro (4) horas de monitoria Trabalho de monitoria,
Extensão corresponderão a uma (1) remunerada ou voluntária,
hora em disciplinas designadas ao
Curso de Administração.
7

5 - Participação em palestras, seminários, congressos


5.1 - Participação como 60 h Cada hora corresponderá a Participação em palestras
ouvinte uma (1) hora de formação relacionadas à formação
complementar profissional do
Administrador
e reconhecidas e autorizadas
pela Coordenação do Curso
5.2 - Participação como 15 h Cada palestra correspondera a
palestrante ou expositor cinco (05) horas
6. Pesquisa: participação 30 h Dez (10) horas Participação em projetos
em projetos de pesquisa corresponderão a uma(1) hora de pesquisa desenvolvidos
acadêmicas por professores.
7. Publicação de trabalho 15 h Cada trabalho corresponderá a O trabalho deverá ter seu
em revista ou periódico. dez (10) horas, se impresso, e conteúdo relacionado ao
a cinco (05) horas, se por meio campo
eletrônico. da Administração e deverá
ser publicado em livro,
mídia eletrônica, periódico,
anais de congresso, entre
outros.
8. Vivência profissional 30 h Um (1) ano de trabalho Atuação do aluno, em
em áreas da corresponderá a 30 horas de ativida-des profissionais que
Administração ativi- exijam conhecimentos das
dades complementares técnicas e práticas
administrativas. Para
comprovação o aluno deverá
apresentar cópia da carteira
profissional ou do contrato
de prestação de serviços.
9. Gestão e 20 h Cada ano de mandato Resolução ou instrumento
Representação Estudantil corresponderá a vinte (20) legal de designação para o
horas de atividades mandato.
complementares