FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANS DE OLINDA PROFª: GUIOMAR MELO DISCIPLINA: PSICOLOGIA DA PERSONALIDADE A PSICOLOGIA DO CORPO – WILHELM REICH  ANTECEDENTES

BIOGRÁFICOS  Nasceu na Áustria em 1897.  Morreu na Pensilvânia em 1957, atormentado por visões paranóicas e identificando-se com mártires (Cristo, Giordano Bruno).  Vibrante pesquisador, agitou vários países da Europa com a pregação: “O homem tem medo do prazer” .  Líder entre os jovens psicanalistas da Sociedade de Viena. Atraiu Freud que o fez diretor de uma de suas clínicas.  Realizou pesquisas sobre a energia sexual em clínicas psiquiátricas e nos centros de higiene sexual para trabalhadores e jovens alemães.  Atraiu rejeiÁão em cadeia e foi expulso de vários locais: Sociedade Psicanalítica, do Partido Comunista alemão, autoridades médicas, imprensa e polícia nos cinco lugares onde se refugiou – URSS, Áustria,Noruega, Suécia e EUA.  Causa da perseguição: as idéias de Reich tinham traços irracionais.  Reich acreditava numa realidade diferente da Europa superexcitada pelo Nazismo e a guerra.  Tentou aplicar seus acumuladores de Orgon e foi preso com charlatão. Mais tarde seu experimento foi reproduzido pelo argentino David Sussman.  Einstein chegou a se interessar pelo seu trabalho, mas por razões não esclarecida pediu para Reich se afastar.  Nos EUA seus livros foram queimados em público e fechado o “Orgon Institute”, fundado em Maine, perto da fronteira do Canadá.  Reich foi denunciado como construtor de uma “usina Nuclear”, processado e preso. PRINCIPAIS OBRAS       A Revolução Sexual Análise do Caráter A Função do Orgasmo A Psicologia das Massas sob o Fascismo Escuta Zé Ninguém O Assassinato de Cristo

CONCEITOS  Energia orgástica: energia cósmica, da vida – a bioenergia.  DoenÁas Orgânicas: geradas pela estagnação da energia e vêm acompanhadas de uma atitude emocional.  Ex: impotência, frigidez, neuroses de sintoma, neuroses de caráter, perversões.

 Potência Orgática: depende da capacidade de ereção e ejaculação. Capacidade de abandonar-se ao fluir da energia biológica sem nenhuma inibição.  É a capacidade de descarregar toda a excitação contida através de contrações de prazer involuntárias no corpo.  Orgasmo: função natural do corpo humano, comprometida por proibições grosseiras ou dissimulada ao órgão genital.  A criança aprende a expressar a sexualidade indiretamente através de fantasias contendo medo e angústia.  CouraÁa muscular: a energia que não descarrega naturalmente através do aparelho genital vai se acumular nos músculos, transformando a energia vital em energia de morte. “ Homens e mulheres passam toda a vida lutando contra a força da energia que trazem no corpo. Com os músculos e os reflexos, constroem no próprio corpo uma couraça contra a passagem desse fluxo de energia, que só obedece a uma lei: fluir do centro para fora. Nesta luta contra sua própria natureza, as emoções se deterioram e repetem-se as sensações de dor, angústia insegurança, medo, ódio, masoquismo e destrutividade cada vez que se aproxima a sensação do orgasmo” . Wilhelm Reich  ReaÁões de compulsão: determinadas pelo acúmulo de energia sexual, constituindo o caráter neurótico. “ A primeira vítima da repressão é o diafragma, pois a energia vital, a bioenergia, está no ar e penetra no corpo. Reich observou que a primeira função prejudicada pelo neurótico – independente do grau de profundidade do conflito emocional – é a respiração” .  MODJU (1952): é sinônimo de peste emocional, ou caráter empestado, que utiliza a calúnia e a difamação pérfida para combater a vida e a verdade. Nome derivado da contração de Mocenigo e Djugatchivilli.  Mocenigo: era um cerelado. Personagem desprezível e insignificante que, no séc. XVI, entregou um grande sábio aos inquisitores – Giordano Bruno, que ficou preso durante oito anos, antes de ser executado na fogueira.  Djugatchivilli: deriva do verdadeiro nome de Stalin – Joseph Vissarionovich Djugatchivilli, responsável pela morte de milhões de pessoas na Rússia.  MODJU Sofre de ataques de irracionalidade motivados por uma perturbação da vida amorosa que minguam quando eliminada a perturbação. Pode levar a afecções cardíacas e ao câncer.

Alimenta-se de impulsos secundários. É uma função do caráter com sintomas de angústia e cólera. Sua característica principal é a impotência, não há coerência entre a razão e a ação. O indivíduo impõe sua maneira de viver pela força.  Praga emocional: comportamento humano que sobre a base biopática do caráter, se reflete nas ações sociais. Ex: misticismo em sua forma destrutiva; impulso ativo e passivo para a autoridade; moralismo; biopatias do sistema vital autônomo; ideologia partidária e belicista; praga familiar; métodos sádicos de educação; tolerância masoquista a esses métodos ou a rebelião criminal; calúnia e a difamação; burocracia autoritária; anti-sociabilidade criminal; pornografia e a intolerância; usura e o ódio racial. Apóia-se num sistema vegetativo perturbado. É uma defesa contra a aproximação da energia orgástica e como o caráter neurótico, suas reações se orientam para o princípio de evitar o desprazer, porém de modo ineficaz. Essa energia estagnada reativa processos anti-sociais. Quando rompida a barreira corporal, a energia passa a circular e a couraça deixa de existir. PROPOSTAS PARA A REVOLUÇÃO SEXUAL  Medidas de segurança da vida infanto-juvenil;  Moradia para os jovens;  Subsistência assegurada para os pais;  Reestruturação do caráter dos educadores;  Crítica a todas as tendências políticas cujas atividades se baseiam no desamparo essencial do homem;  Auto-orientação interna básica do homem e das massas  Auto-orientação na educação infantil;  Emancipação dos adultos;  Legalização do aborto. A REVOLUÇÃO SEXUAL  Raiz da doença psíquica das massas: regulação social da vida sexual humana.  Energia sexual: é a energia biológica construtora do aparelho psíquico que constitui a estrutura sensorial e do pensamento humano.  Sexualidade: é a energia vital produtiva. Sua repressão significa, de forma ampla e geral, perturbação das funções vitais fundamentais. A expressão socialmente mais importante desse fato é a ação ineficaz, irracional do homem, sua loucura, seu misticismo, sua disposição para a guerra.  Sobre o Nazismo: a catástrofe alemã é o resultado das massas humanas tornadas biologicamente indefesas, que caíram sob o domínio de alguns líderes sedentos de poder.  A vida amorosa do homem é reprimida para manter a tradição, a educação conservadora e a família tradicional e conservadora.  Influência da moral sexual conservadora: fundamenta a sexualidade em termos éticos;

 A instituiçaõ do matrimônio como freio da reforma sexual – a ideologia do recato convencional – contradiz o reconhecimento da satisfação sexual.  Tabu da virgindade e a questão do aborto. “ O fato de querer se dar às massas apenas pão, e não todos os prazeres da vida, fortalece sua humildade. No conflito entre o impulso e a moral, o organismo psíquico fica obrigado a armar-se tanto contra o impulso quanto contra o mundo exterior , que torna-se frio. A “armadura” representa uma restrição de toda a capacidade e atividade vital. Essa armadura reforça necessidades anti-socias, perversas, cruéis, o temor e a inibição moral. Toda regulação moral é sexualmente negativa porque nega as necessidades sexuais naturais”. ASPECTOS DA INVESTIGAÇÃO PSICANALêTICA QUE CONTRADIZEM A CULTURA  O inconsciente qualitativo e quantitativamente é determinado pela cultura;  A rejeição de impulsos infantis e anti-sociais pressupõe a satisfação de desejos sexuais normais e necessários.  A sublimação como realização cultural principal do aparelho psíquico propõe a eliminação de qualquer repressão sexual e, na vida adulta, apenas se aplica aos impulsos pré-genitais, mas não aos impulsos genitais.  A satisfação genital como fator sexual econômico, decisivo na prevenção das neuroses e estabelecimento da capacidade de realização social, contradiz em todos os pontos as leis atuais do Estado e de qualquer religião patriarcal.  A eliminação da repressão sexual proposta pelos psicanalistas como terapia, encontra-se em contradição com os elementos culturais que se baseiam na repressão. FUNÇÃO POLêTICA DA FAMêLIA  A família reproduz-se a si mesmo, reprime seus indivíduos, aleijando-os sexualmente, ao perpetuar a família patriarcal, porque perpetua a repressão sexual com suas conseqüências: distúrbios sexuais, neuroses, psicoses, crimes sexuais.  Cria o indivíduo que está sempre com medo da vida e da autoridade, estabelecendo a possibilidade das massas de serem dominadas pelo poder totalitário.  A família “garante a manutenção do Estado e da Sociedade” - função educadora da família.