Uni – Anhanguera _ Centro Universitário de Goiás.

Controladoria I

27/11/2011.

. 27/11/2011.Uni – Anhanguera _ Centro Universitário de Goiás. Disciplina: Controladoria I Professor: Gilberto Crispim Curso: Ciências Contábeis Período: 7º Alunos: Leilaine Souza Marcia Tereza da Costa Silvia Pires da Silva Controladoria uma contribuição na gestão e controle empresarial.

.......4-Comportamento Organizacional................................. 1....1-Natureza dos Sistemas de Controle Gerencial................................... 1...............................................Introdução............................................................5- ........................................................................ 1...................................................................................SUMARIO 1... 2-O Papel da Controladoria no Processo de Gestão..3-Sistema de Informações Gerenciais........ 1.................................................

Isso ficou ainda mais imperativo com a edição da constituição Federal de 1988. O controle interno integrado constitui o controle do Estado como pessoa Jurídica de Direito Publico. Há uma obrigação de usar os recursos sabidamente. sendo responsável pela coordenação das atividades individuais de controle de cada um dos poderes e atuando modo independente para conferir pleno sentido a sua mais nobre função: a proteção permanente e continua do Patrimônio Publico. entre outras. o controle interno constitui uma função permanente que não deve sofrer influencias episódicas ou sazonais. arrecade. desde prestadoras de serviços. Desse modo. a contabilidade e a auditoria passam a estar mais voltadas para os aspectos gerenciais. constatam-se diversas experiências inovadoras em que os sistemas tradicionais estão sendo gradativamente abandonados e consequentemente. Há dinheiro a ser ganho e gasto.INTRODUÇÃO A utilização da contabilidade gerencial e seus métodos. como organizações não governamentais. embora os aspectos da legalidade e da formalidade ainda permaneçam como focos culturalmente importantes por dos órgãos de controle interno e externo. Lei essa que tem . ultrapassaram os limites das organizações manufatureiras e agora vemos sua aplicação nos mais diversos setores da economia. ate entidades sem fins lucrativos. ou que. publica ou privada. guarde. Há orçamentos a serem preparados e sistemas de controle a ser projetado e implantados. da entidade de cada e o conjunto dos três poderes. O controle interno de cada um dos poderes tem. ou seja. as normas constitucionais ainda obrigam que deva prestar contas qualquer pessoa física ou jurídica. Ao tratar do controle interno. em nome desta assuma obrigações de natureza pecuniária. Além da constituição para o alcance dos objetivos da economicidade eficiência das ações do governo. como bancos e hospitais. resultado dos planos ocasionais e temporais dos governos. a contabilidade contribui para a eficiência das operações governamentais a atingir seus objetivos. No Brasil observa-se já há algum tempo a preocupação dos gestores de diversos níveis da administração publica com o aspecto de controle. Se usado de maneira inteligente. bens e valores públicos ou pelos quais a União responda. que utiliza. perdas ou erros não intencionais além de assegurar o grau de contabilidade das informações contábeis e financeiras. como ferramenta importante na geração de informações que auxiliam o processo decisório. os Sistemas de controle Gerencial passaram a ser um instrumento fundamental depois da chamada “Lei de Responsabilidade Fiscal”. a finalidade de proteger e salvaguardar os bens e outros ativos contra fraudes. Os gestores e contadores das organizações governamentais ou sem fins lucrativos tem muito em comum com suas contrapartes em organizações com fins lucrativos. gerencie ou administre dinheiros.

. que em seu conjunto. Em decorrência dessa realidade. como também para auxiliar o processo decisório e consequentemente melhorar os demais princípios a transparência e a responsabilização. são orientadores para a implantação do modelo de informações gerenciais. o controle e a responsabilização. pois o planejamento e o controle são instrumentos fundamentais para a geração de informações uteis não só para o atendimento da lei. este artigo tem como objetivo apresentar um breve serviço da literatura sobre o Sistema de Controle Gerencial e em especial levantar os Aspectos Aplicáveis em Entidades Governamentais.como princípios: o planejamento. a transparência.

desenvolvimento das medidas de desempenho e o monitoramento. Embora seja difícil mensuração o desempenho da organização governamental no sentido da contribuição a população. • Assegurar que os objetivos organizacionais sejam atingidos através do controle . podemos inferir da definição dos autores os objetivos fundamentais da utilização de um sistema de controle gerencial quais sejam: • Coletar informações relevantes para tomadas de decisões. Ao estabelecer as metas. diminuição no déficit habitacional.70) (. 1. pois e através do lucro que os proprietários têm um retorno sobre o investimento total aplicado na atividade que desenvolvem. motivando os colaboradores. procedimentos.52) o Sistema de planejamento e controle gerencial consiste de politicas. Portanto.300) o Sistema de controle Gerencial é uma integração logica das técnicas para reunir e usar as informações a fim de tomar decisões de planejamento e controle. estruturando como a organização se posicionara no mercado.1 – Natureza dos Sistemas de Controle Gerencial: Segunda a definição de Hornagrem Sundem e Stratton (2004 p.. mortalidade infantil. . o próximo passo será a definição dos processos críticos necessários para alcança-los.. quais seriam os objetivos das metas? Na definição de Anthony e Herzlin Ger. etc. Já nas entidades sem fins lucrativos. motivar o comportamento de empregados e avaliar o desempenho. pode ser medida parcialmente pela evolução dos indicadores sociais tais como: escolaridade. Nas entidades com fins econômicos as metas visam maximização do lucro.) o sucesso de uma organização sem fins lucrativos deveria ser mensurado pelo quanto ela contribui para o bem estar publico.1 – Metas Organizacionais: O primeiro e mais básico componente de um sistema de controle gerencial são as metas de organização. citado pelo professor Peixe (2002 p. métodos e praticas usadas pelo administrador de uma organização para atingir os objetivos organizacionais. • Avaliar o desempenho da organização. Estabelecendo as metas da organização. Para a American Accoutina Association citada pelo professor Peixe (2002 p. para que os gestores possam mensurar os resultados. a alta direção da organização esta estabelecendo a direção a ser seguida. • Comunicar os resultados das ações a toda a organização.

os gestores devem definir as medidas de desempenho. onde o produto é fabricado ou o serviço é prestado. tais medidas não financeiras podem ser mais oportunas e mais proximamente afetada por empregados nos níveis mais baixos da organização. alvos de lucro ou retorno exigido sobre o investimento. que nem sempre são expressas em termos financeiras.Estabelecidas às metas. ser utilizadas na avaliação e recompensa de gestores e empregados a ser razoavelmente objetivas e fáceis de mensurar. . tais como orçamentos de operações. ser afetados por ações dos gestores e dos empregados. ser facilmente entendidas pelos empregados. As boas medidas de desempenho deverão relatar as metas organizacionais. Um sistema de controle gerencial bem projetado desenvolve e relata as medidas de desempenho financeiras e não financeiros. equilibrar os interesses de curtos e longos prazos. Alias.

A controladoria tem a função de subsidiar esse processo apoiando e subindo os gestores em todas as etapas. A função da Controladoria dentro de uma organização. procedimentos e métodos oriundos das ciências de Administração. Sendo assim. A controladoria surgiu no inicio do século XX. de acordo com Kaniz (1976 p. juntamente com a instalação das multinacionais norte americana no país. o papel da controladoria é assessorar os gestores da empresa. Psicologia.99) conceituam a controladoria como o conjunto de princípios. consiste em dirigir e implantar os sistemas de: • Informação – compreende os sistemas contábeis e financeiros da empresa. e . com informações confiáveis. aquisições e fusões. que se ocupa com a gestão econômica das empresas com a finalidade de orienta-los para eficácia.2 – O Papel da Controladoria no processo de Gestão. mensurando as alternativas econômicas. estima-se que a controladoria surgiu na década de sessenta. • Motivação – refere-se aos efeitos dos sistemas de controle sobre o comportamento das pessoas diretamente atingidas. fez-se necessário um controle central de todos os negócios. • Planejamento – determina se os planos são consistentes e viáveis e se podem servir de base para avaliação posterior. haja vista que. O processo de gestão fundamentada em modelos econômicos tem sido de fundamental importância para as empresas adequarem-se nova realidade econômica. • Coordenação – assessoria e proposta de soluções que o controlador presta a direção da empresa. Economia.78 apud Moura e Beurem 2003 p. Estatística e principalmente Contabilidade. De acordo com Perez Junior (1997). estabilidade da moeda e globalização são determinantes dessa nova realidade. a missão da controladoria é aperfeiçoar os resultados econômicos da empresa por meio da definição de um sistema das informações baseado no modelo de gestão. Mosimam e Fisch (1999 p. No Brasil. Com o crescimento vertical diversificado. a partir das novas necessidades de geração de informações para a tomada de decisão dos gestores das grandes corporações norte americanas. além de integrar informações e reporta-las para facilitar a tomada de decisão. relacionado às subsidiarias e\ou filiais com sua matriz. • Avaliação interpretação e avaliação dos resultados.56). e a internacionalização destas empresas.

.• Acompanhamento – consiste em acompanhar de perto a evolução dos planos trocados. Nesse sentido. que geralmente é o gestor da controladoria tem o papel fundamental na formulação e no controle do planejamento estratégico da empresa. percebe-se que o controller. uma vez que ele fornece aos gestores os dados necessários da companhia e seu desempenho no setor possibilitando a analise das forças e fraquezas e auxiliando na formulação das estratégias de desenvolvimentos.

O que diferencia um dado de uma informação. O SIG abrange a empresa tanto estrategicamente. O dado: qualquer elemento identificado em sua forma bruta que. a lucratividade e as decisões estratégicas das empresas. • Para o processamento da informação são necessários recursos tecnológicos e humanos. novas formas de coordenação e controle. Dado transformado > gera conhecimento Exemplo de dados numa empresa: Transformação > Resultado da analise dos dados O resultado da analise desses dados é a informação. Devem-se distinguir dados de informação. não conduz a compensação de determinados fatos. diz-se que esse é um sistema de informações gerenciais. por si só. taticamente e operacionalmente. Os aspectos mais relevantes dos Sistemas de Informação Gerencias são: • Há uma grande interligação dos sistemas de informação com o processo decisório. Estas informações é que serão usadas pelos executivos. E quando esse processo esta voltado para a geração de informações que são necessários e utilizados nos processos decisório da empresa. • • A forma de apresentação da informação pode afetar sua utilização. Ela afeta e influencia a produtividade. SIG é o processo de transformação de dados em informações. . Ou seja: • • • Capacidade de produção. Produtividade do funcionário. • As empresas tem tratado a informação como um recurso vital. Custo de venda do produto. • É necessário um sistema de informações eficiente para um processo adequado de decisões. A informática e uma inovação tecnológica que permite o armazenamento e tratamento da informação. é o conhecimento que ela propicia ao tomador de decisões.3 – Sistema de Informação Gerencial.

É um instrumento básico de apoio a otimização dos resultados. • Melhoria nos serviços realizados e oferecidos. • Melhoria na produtividade. com esforço. • A habilidade para identificar a necessidade de informações. propiciando relatórios mais precisos e rápidos. • O apoio global dos vários planejamentos da empresa. • Redução do grau de centralização de decisões na empresa e. • Melhoria no acesso as informações. .O sistema de informação tem grande importância neste processo. • A habilidade para tomarem decisões com informações. Os sistemas de informações gerenciais podem trazer os seguintes benefícios para a empresa: • Redução de custos nas operações. Importância dos sistemas de informações para as empresas. • Melhoria na estrutura de poder. apoiando a empresa no processo de tomada de decisão. por meio de fornecimento de informações mais rápidas e precisas. • Exige competência intrínseca as pessoas que irão utiliza-lo. • Estimulo de maior interação entre os tomadores de decisões. • Fornecimento de melhores projeções dos efeitos das decisões. proporcionar maior poder para aqueles que entendem e controlam o sistema. Alguns aspectos que podem fortalecer o sistema de informações gerenciais nas empresas: • Envolvimento como SIG. • A atenção especifica ao fator humano da empresa. • Melhoria na estrutura organizacional. • O uso de um plano mestre. captando ocorrências externas e internas. • Melhorias nas tomadas de decisões. • Melhora na adaptação da empresa para enfrentar os acontecimentos não previstos. para facilitar o fluxo de informações .

No entanto. Só com o advento dos computadores com sua capacidade de coletar dados. ou seja. De forma resumida mostra a importância da integração entre as atividades de administração e contabilidade. do potencial dos sistemas contábeis. entre a contabilidade e as demais áreas da instituição. existe o desconhecimento. De que sua atuação profissional atende apenas as necessidades fiscais. As organizações sempre tiveram algum tipo de sistema de informação gerencial. Atualmente. nas empresas é comum à falta de integração entre as áreas. que incorpore conhecimento de gestão organizacional. com isto. a partir da informação e dos respectivos sistemas gerencial e contábil podendo ser a área de controladoria um espaço importante para tal integração. assim. • O apoio catalizador de um sistemas de controladoria. a responsabilidade dessa situação é decorrente da própria atuação da área contábil. • O conhecimento e a confiança no sistema de informações gerenciais. as organizações dependem cada vez mais de informações adequadas e que permitam a tomada de decisão eficaz. por parte do gestor. o projeto do sistema de informação gerencial se tornou um processo formal e um campo de . afastando as criticas comumente feitas pelos gestores da organização. • A existência de dados e informações relevantes e atualizadas. quando se preocupada mais com os aspectos fiscais que com a gestão organizacional. ampliando. o seu legue de atuação e. Por outro lado. inclusive. não se deixa de considerar a responsabilidade da administração da empresa sobre a pouca utilização da informação contábil na tomada de decisão. mesmo que ele não tenha sido reconhecido como tal. • A adequada relação custo versus benefícios. Por vezes. 3. principalmente no nível estratégico. a informação contábil e pouco utilizada pelo tomador de decisão. Tal fato pode ser observado. O contador deve ir além e também participar do processo de tomada de decisão sendo necessário. o que dificulta sobremaneira a gestão empresarial.• O apoio organizacional de adequada estrutura organizacional e das normas e dos procedimentos inerentes aos sistemas.1 – Evolução do Sistema de Informação Gerencial. No passado esses sistemas eram muito informais em sua montagem e utilização. visto que por muitas vezes. para isso.

etc. Devido às habilidades especializadas que eram requisitos para operar os equipamentos caros. serviços) e não material ( de ordem afetiva. 3. a tomarem decisões ótimas. apoiada em informações contábeis e numa visão multidisciplinar e responsável pela modelagem. A controladoria enquanto ramo de conhecimento. para que seja possível . O processo de controle. financeiros. complexos e algumas vezes temperamentais os computadores eram localizados em departamentos de processamento de dados (PED) conhecido como Centro de processamento de dados (CPD). ou seja. a implementação e a revisão de novos sistemas. Os padrões de controle são as referencias em relação às quais o desempenho da organização será comparada. do desempenho dos diversos setores e subsistemas de uma organização. prévio ou não. E necessário entender que as organizações são entidades de transformação de recursos (materiais.estudo. exigindo que a controladoria deva agir de forma proativa em relação a estas necessidades. Para lidar com estas novas tarefas CPDs desenvolveram relatórios padronizados para o uso dos seus gerentes de operações. tecnológicos. A tentativa de usar com eficácias os computadores levou a identificação e ao estudo dos sistemas de informação e ao planejamento. necessárias a geração proativa de informações para o processo de tomada de decisões. outras tarefas de processamento de dados e gerencia de informações foram computadorizados. humanos. riquezas. diz respeito às atividades desenvolvidas pela controladoria. Estas necessidades informativas são a cada dia maiores. quando requerido. A primeira atividade a ser desenvolvida pela controladoria refere-se à definição de parâmetros ou padrões de controle. Á medida que crescia a velocidade e a facilidade de processar dados. intelectual. isto as características como organizações sociais e econômicas. sempre revertidos ao próprio homem. que nada mais é do que um modelo de gestão voltado á abordagem sistêmica das organizações. É necessário enfatizar que tais informações são decorrentes do monitoramento e controle. moral). construção e manutenção de sistemas de informações e modelos de gestão das organizações que supram adequadamente as necessidades informativas dos gestores e os conduzam durante o processo de gestão.) que tem por objetivo a geração de benefícios de natureza material (bens.2 – Conceito e Enfoque. o que exige dos profissionais desta área uma formação bastante solida em termos de conhecimentos relativos ao processo de gestão organizacional. PED: quando computadores começaram a ser introduzidos nas organizações foram usados principalmente para processar dados para algumas poucas funções para a organização usualmente contabilidade e faturamento.

.avaliar positiva ou negativamente qualquer resultado é necessário estabelecer qual a referencia a ser considerada. O processo de controle tem como objetivo principal a geração proativa de informações para os tomadores de decisão.

Neste momento são agregados informações com níveis e politicas de estoque. Esta comparação . elaboração de projeção de volumes de vendas. mais sim. Estas atividades a partir da projeção elaborada cabem enfatizar que não deve haver uma preocupação excessiva no que se refere à exatidão do projeto de vendas. ou seja. evidenciando. A primeira atividade pertinente ao desenvolvimento do planejamento orçamentário refere-se a. torna-se imperativo o estabelecimento de um processo de planejamento e controle orçamentário. o qual possibilitara. otimistas e pessimistas. serão elaborados. b) agregar informações de todos os subsistemas o orçamento organizacional devera considerar todos os setores da organização a fim de tornar possível o monitoramento de todos os fluxos de informação e para que os objetivos conflitantes entre os diversos setores da organização sejam mais facilmente evidenciados. direta ou indiretamente. em função da realização do planejamento sistêmico. A projeção da utilização dos fatores de produção possibilita. estrutura física e pelos colaboradores da organização. uma vez que a projeção inicial somente constitui a referencia a partir da qual os diferentes cenários.4 – A Controladoria e o Orçamento Organizacional. Neste ponto é necessário salientar que estes preços nãos constituirão. Isto permitira o calculo dos preços de venda de todos os produtos. será possível elaborar o planejamento do volume de produção. necessariamente. através da utilização das mais diversas metodologias. mais uma vez a necessidade de agregar informações para tornar efetivo o planejamento sistêmico da organização. “prever antes para corrigir antes”. torna-se necessário projetar a utilização dos fatores de produção que são constituídos por insumos. serão utilizados para a comparação com os preços de venda praticados no mercado. desta informação. os preços de venda a serem praticados. a controladoria devera respeitar duas premissas: a) o principio do controle futuro. na medida em que é somente através desde processo que se torna possível aperfeiçoar a utilização dos fatores de produção. fornecendo-lhes informações. Conhecido o volume de produção projetado. através da agregação e projeção de informações de todos os subsistemas. Durante esta etapa evidencia-se a importância da existência de um processo de planejamento e controle orçamentário. A verdadeira importância da projeção de vendas reside no fato de que praticamente todas as decisões organizacionais dependem. No sentido de aperfeiçoar o processo de tomada de decisão dos gestores de uma organização. Uma vez elaborados os diferentes cenários de venda. o monitoramento prévio das possíveis performances de todos os setores da organização. a elaboração da projeção dos custos e despesas em que a organização ira incorrer. Este principio consagra o posicionamento de que a atividade de controle será mais eficaz e eficiente na medida em que trabalhar com informações projetadas. para que esta seja possível.

O tema resgatado da Antropologia Cultural parte de princípios os quais as características objetivas das empresas. a economia e as ciências politicas são utilizadas nos estudos dos comportamentos organizacionais por meia subclassificação: microorganizacional. Os resultados demonstram as influencias da cultura organizacional da empresa nos aspectos qualitativos relacionados às praticas de controladoria. a junção de elementos teóricos e empíricos é necessário ao desenvolvimento de pesquisas multidisciplinar. não são explicadas suficientes por meio de seus processos. do conteúdo. ou seja.permitira avaliar previamente a necessidade de alteração na composição de custos dos produtos e/ou na politica mercadológica da organização. O relacionamento. Fleury (1996) elaborada o estudo cultural das organizações como uma fase a qual a forma é modelada em conjunto com a elaboração. a sociologia.1 – Comportamento Organizacional. aplica aos colaboradores das áreas administrativas. Busca-se então. 4. a antropologia. entre a cultura organizacional e as praticas contábeis nas empresas são objetos de estudo ainda pouco explorados. messorganizacional e macroorganizacional (Wagner III e Hollenbeck 2002). O entendimento relacionado ao comportamento dos indivíduos dentro da empresa esta diretamente ligada a teorias existentes em ciências diversificadas. através das analises cientificas o aprofundamento necessário às pesquisas desenvolvidas. contábeis e de custos. A contribuição para o estudo do tema comportamento organizacional é explorada com a finalidade da melhor compreensão acerca dos aspectos culturais e comportamentais que influenciam as tomadas de decisões nas entidades. A psicologia. Para a avaliação da cultura organização Quim. as pesquisas dedicadas são aspectos comportamentais e culturais dentro das organizações vem obtendo crescimento representativo. . As praticas de controladoria da empresa soa identificadas com base nas etapas de planejamento. controle e execução. Nos últimos anos. financeiras.

.

INTRODUÇÃO .