HORTA ORGÂNICA

FAMILIAR OU ESCOLAR

Patrocínio:

POR QUÊ PRODUZIR HORTALIÇAS?

AGRICULTURA ORGÂNICA OU CONVENCIONAL ???

PORQUE A AGRICULTURA CONVENCIONAL NÃO É SUSTENTÁVEL • DEGRADAÇÃO DO SOLO • DESPERDÍCIO E USO EXAGERADO DA ÁGUA • POLUIÇÃO DO AMBIENTE • DEPENDÊNCIA DE INSUMOS EXTERNOS • PERDA DA DIVERSIDADE GENÉTICA • SAÚDE DO HOMEM .

.

Números do PARA (Programa de Análise de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos) .

COMO PRODUZIR? .

BASES PARA A PRODUÇÃO ORGÂNICA .

PROMOVER A DIVERSIFICAÇÃO DE PLANTAS.CONVIVER COM OS INSETOS (PRAGAS) E MANCHAS (DOENÇAS).TRABALHAR A TERRA COMO UM ORGANISMO VIVO.A PRODUÇÃO ORGÂNICA DE HORTALIÇAS DEVE SER FEITA SEGUINDO UM CONJUNTO DE ORIENTAÇÕES : 1. 3. 2. .

COMO PRODUZIR? .

– Proteção com “quebra vento”. pois nessa face os ventos frios prejudicam ou até impedem o desenvolvimento de hortaliças em geral. 2 . ou voltados para o norte para aproveitar melhor o sol. 3 – A face SUL da HORTA deve estar protegida. .CONSIDERAÇÕES IMPORTANTES NA ESCOLHA DO LOCAL DA HORTA 1 – O local escolhido deve receber a luz direta do sol por no mínimo 5 horas diárias. que pode ser com o plantio de uma cerca viva de arbustos ou mesmo com a construção de uma mureta ou de uma cerca bem fechada.Os canteiros devem ser feitos na direção norte-sul.

SUGESTÃO DE LAY-OUT PARA 25m2 .

SUGESTÃO DE LAY-OUT PARA 25m2 .

SUGESTÃO DE LAY-OUT PARA 10m2 .

• Dica importante: A melhor água para a rega da sua HORTA é a água de CHUVA. A largura deve possibilitar o trabalho no canteiro de um só lado. 6 .até 1 metro a 1.As dimensões de um canteiro podem variar.CONSIDERAÇÕES IMPORTANTES NA ESCOLHA DO LOCAL DA HORTA 4 – O local escolhido não pode estar sujeito a encharcamentos ou alagamentos. O comprimento não deve ultrapassar os 10m para facilitar a circulação dentro da horta. nesse caso você deverá elevar os canteiros.20 metros.onde alcance o braço. . 5 – Dê preferência a um local que tenha uma fonte de água potável próxima e aonde possa ser construído um abrigo para os equipamentos e materiais. Aproveite a água de chuva colhendo-a através da calha de seu telhado armazenando-a em um tambor ou em uma caixa d’água.

SOLO .

Definição de Solo (Edafologia) Cobertura da rocha particulada que junto com a matéria orgânica contêm os minerais e nutrientes necessários para suportar o crescimento das plantas O SOLO COMO UM MEIO DE CRESCIMENTO VEGETAL .

.

Nesta camada é que as raízes das plantas se desenvolvem e obtêm os nutrientes SOLO AGRICULTÁVEL .

uma líquida (água) e uma gasosa ( ar ) COMPOSIÇÃO IDEAL .SISTEMA TRIFÁSICO Todo solo é formado por uma parte sólida (minerais e matéria orgânica).

05mm) Argila (menor de 0.Solo está formado por frações: • Inorgânica/ mineral Areia (0.05-2mm) Limo (0.002-0.002mm) • Orgânica Material orgânico em distintos estados de decomposição Textura Textura Estrutura .

Fração inorgânica do solo .

Fração orgânica .

além de adicionar nutrientes à solução do solo. e sim os minerais produzidos a partir da transformação desse material em húmus. • A matéria orgânica é um dos componentes de um solo e atua como agente de estruturação.• As plantas não consomem MATÉRIA ORGÂNICA. • As Plantas apenas absorvem os nutrientes MINERALIZADOS (transformados em elementos minerais). • A camada superficial – Horizontes 0 e A – é repleta de material orgânico em constante processo de humificação.possibilitando a existência de vida microbiana e fauna especifica. • A vida no solo é de suma importância para que as reações de transformação possam acontecer. .

Como se encontram organizados as frações minerais e orgânicas • Formam agregados • Microagregados • Macroagregados Agua Ar .

microporos Até 30µm microagregado Até 300µm macroagregado macroporos .

O que mantêm unidos os diferentes componentes de um agregado? .

hifas Limo Argila Areia ar agua bacterias actinomicetes Materia orgânica .

Relação da água com os poros • Em macroporos Agua gravitacional • Em microporos Agua aproveitável pelas plantas .Água capilar • Rodeando as partículas . Não se congela nunca se move em forma líquida .Agua higroscópica.

SOLO SATURADO Agua capilar Macroporo Com ar ar Agua gravitacional Necessario para a respiração .

-) colóide Ma + Mb+ (sol.) Colóide-Mb+ + Ma+ .CARACTERÍSTICAS QUÍMICAS DO SOLO Capacidade de Troca de Cátions Cargas elétricas (+.

0: Solução alcalina pH = 7. Ca. Neutra ou Alcalina (K.0: Solução ácida pH > 7. Mn).Características Químicas Reação do solo a) b) Ácida (H. Al.0: Solução neutra RS: 90% dos solos com pH < 4. Mg) Atividade do H+ em solução pH < 7.5 .

0 67% 100% 50% 70% 100% 90% 6.5 50% 100% 40% 50% 75% 70% 6.5 83% 100% 100% 80% 100% 100% .0 40% 80% 32% 40% 50% 35% 5.ABSORÇÃO DE NUTRIENTES EM FUNÇÃO DO pH 4.5 Cálcio Enxofre Fósforo Magnésio Nitrogênio Potássio 20% 40% 30% 20% 20% 30% 5.

CALAGEM • Para corrigir a acidez do solo é necessário acrescentar um produto que reaja com o alumínio. – Exemplo: pH do solo = 4 – índice que se deseja = 7. • Ideal fazer a análise do solo para saber o índice de pH correto. muito utilizado o calcário. • A fórmula básica para a correção é a adição de 150g de calcário / m2 de solo para cada ponto de pHque se deseje elevar. então são necessários 3 pontos x 150g por ponto = 450g de calcário / m2 incorporados ao solo. calcítico ou dolomítico. .

.argila) que compõem a massa do solo (terra fina: φ< 2 mm).CARACTERÍSTICAS FÍSICAS DO SOLO Textura Proporção relativa das frações granulométricas (areia .silte .

Silte e Argila • Areia: 0.2 mm (USDA) 0.Características Físicas Frações Texturais: Areia.02 mm) • Argila: < 0.002 mm • Argila coloidal: < 0.05 .02 – 2 mm (Atterberg. sistema Intern.) • Silte: 0.002 .05 mm (ou 0.0002 mm .0.

Características Físicas IMPORTÂNCIA Retenção e disponibilidade de H2O Circulação de H2O e de ar Resistência ao crescimento radicular Resistência à mobilização do solo .

Características Físicas

NUTRIENTES MINERAIS Macronutrientes
• N (Nitrogênio) – crescimento da planta • P (Fosfato) – floração e frutificação • K (Potássio) – crescimento das raízes e resistência à doenças • Ca (Cálcio) – crescimento de raízes e fecundação • Mg (Magnésio) – composição de clorofila • S (Enxofre) – síntese de clorofila e absorção de CO2

NUTRIENTES MINERAIS Micronutrientes • B (Boro) – desenvolvimento de raízes. frutos e sementes • Cl (Cloro) – quebra da água • Cu (Cobre) – respiração e síntese de clorofila • Co (Cobalto) – absorção de nitrogênio • Fe (Ferro) – respiração. síntese de clorofila. fixação de N • Mn (Manganês) – absorção de CO2 • Mo (Molibdênio) – fixação e nitrogênio • Zn (Zinco) – formação e maturação da semente .

FERRAMENTAS E EQUIPAMENTOS PÁS ENXADAS TRANSPLANTADOR PEQUENAS FERRAMENTAS INCORPORADOR ANCINHOS .

TESOURAS DE PODA MANGUEIRAS E REGADORES CARRINHOS SUBSTRATOS. COMPOSTOS E FERTILIZANTES .

PRODUÇÃO DE MUDAS .

PRODUÇÃO DE MUDAS • PROPAGACÃO SEXUADA – SEMENTES • PROPAGACÃO VEGETATIVA – ESTRUTURAS ESPECIALIZADAS – ESTAQUIA .

MULTIPLICAÇÃO POR SEMENTES SEMENTEIRAS CANTEIRO SEMENTEIRAS COMERCIAIS .

.

.

.

Mudas saudáveis e produtivas são facilmente identificáveis. Torrões bem formados repletos de raízes e folhas inteiras e viçosas são fundamentais para o desenvolvimento de plantas exuberantes. .

controle de plantas daninhas. . .cobertura do canteiro (plástico. . . . adubação).tratamento de solo (esterilização.controle fitossanitário.cuidado especial com irrigação. . palha).SEMENTEIRAS E PRODUÇÃO DE MUDAS .semeadura.

.MÉTODOS DE PROPAGAÇÃO VEGETATIVA PROPAGAÇÃO POR ESTRUTURAS ESPECIALIZADAS BULBOS RIZOMAS TUBÉRCULOS ESTAQUIA Estaca: qualquer segmento da planta-mãe com pelo menos uma gema vegetativa capaz de originar uma nova planta.

BULBO TUNICADO BULBO COMPOSTO BULBO ESCAMOSO BULBO SÓLIDO OU CHEIO .

RIZOMA .

ESTACA .

.

.

.

DIVERSIFICAÇÃO DE CULTURAS .

cana) dentro e ao redor da horta para harmonizar.Na produção orgânica faz-se o plantio de várias hortaliças na mesma horta e no mesmo canteiro. A variação de plantas também permite um melhor aproveitamento dos nutrientes do solo. girassol. Recomenda-se o plantio de faixas de plantas de tamanho médio (milho. Para criar um ambiente variado. favorecendo a vida de inimigos naturais. .

.

RESGATE DA AGROBIODIVERSIDADE .

.

ESCOLHENDO O QUE PLANTAR .

necessidade de água. época preferencial de plantio.Um bom planejamento tem início com a escolha das espécies a serem cultivadas. A escolha da melhor variedade está relacionada a: taxa de germinação. época de plantio e ciclo de colheita.Por exemplo. aspecto do produto final. resistência a ataque de pragas e doenças. sabor. produtividade. . Cada hortaliça possui características próprias quanto ao ciclo de vida. há cenouras apropriadas para plantio de inverno e de verão. desenvolvimento da planta. exigências nutricionais.

.

.

rabanete. salsa entre outras. Por exemplo: alface tem ciclo que pode variar de 35 dias no verão a até 60 dias no inverno. ervilha. uma vez que a alface tem ciclo curto e pode “passar” do ponto de colheita neste tempo. rúcula. Um canteiro com 5 metros de comprimento e 1. haverá uma colheita de aproximadamente 96 pés em.20 metros de largura pode produzir 96 plantas por canteiro.É importante organizar o semeio de acordo com o que se pretende colher. cenoura. como a couve. cebolinha. uma semana. De acordo com o que se pretende colher. aconselha-se que sejam realizados plantios semanais de alface. berinjela. . Isto é diferente para outras culturas que podem permanecer bastante tempo no canteiro com a colheita estendendo-se por mais de um mês. chicória. Se um canteiro for semeado em um único dia.brócolis. no máximo.

salsa. por sua vez. PLANTAS COMPANHEIRAS. batata. As plantas da família COMPANHEIRAS das solanáceas ( tomate. também combinam com umbelíferas (Apiaceae) como cenoura. entre outras) e as da família das compostas (Cichoriaceae). flor. pimentão. A ROTAÇÃO DE CULTURAS reduz a chance de aparecerem doenças e pragas e possibilita um melhor aproveitamento dos nutrientes disponíveis. fruto (exemplo: alface.assim como plantas da mesma família. batata-salsa e com Liliáceas como o alho e a cebola. aipo.Ao planejar um canteiro. raiz. berinjela). Estas famílias.brócolis. Uma boa seqüência a ser utilizada é: folha. . como alfaces e chicórias combinam bem entre si. deve-se evitar o plantio sucessivo de uma mesma cultura. erva-doce. cenoura.

CONSTRUINDO A HORTA MODELOS DE CANTEIROS

CANTEIROS DE ALVENARIA

CANTEIRO REBAIXADO – eliminar ervas invasoras .

CANTEIRO ELEVADO COM PONTALETES DE EUCALIPTO .

PLÁSTICO NA AGRICULTURA FORRAÇÃO TÚNEIS PROTETORES DE FRUTAS CANAIS .

ESTUFAS.Ambiente Protegido .

CONSTRUINDO A HORTA – Preparo do solo .

.

Logo após o plantio faça uma rega generosa. da vagem entre outras. Nos primeiros generosa 5 dias é necessário que se regue duas vezes ao dia. como é o caso da abóbora. . do pepino. pela manhã e no final da tarde.PLANTANDO Plantio Direto nos Sulcos Algumas plantas necessitam de covas para o plantio direto.

PLANTANDO Plantio indireto – mudas produzidas .

.

TRATOS CULTURAIS .

Manejo e Tratos Culturais • • • • • Cuidados com o solo Rega Manejo básicos de condução Adubos e Adubações Identificação e controle de pragas e doenças .

CUIDADOS COM O SOLO INCORPORE AO SOLO DA SUA HORTA. quando os canteiros estarão vazios. Aproveite para fazer a reposição após a colheita. espalhe o composto sobre o solo e incorpore-o com uma enxada. a cada 3 meses. . de 5 a 10 litros de COMPOSTO ORGÂNICO por m2.

Pode ser feita com palha. capim cortado. morto Nos solos argilosos evita formação de crostas duras na superfície. Também evita a presença de ervas invasoras. Em solos arenosos aumenta a retenção de água no solo. .Uma prática muito útil para proteger o solo contra a chuva e o sol é fazer uma cobertura com material vegetal morto. casca de arroz ou outro material disponível.

. sempre. nas horas mais frescas do dia.REGA A irrigação deve ser realizada.

.. Algumas que necessitam de amontoa: couve. brócolis. Amontoa – Para plantas de ciclo médio e longo (acima dos 60 dias) ou perenes deve-se juntar terra ou substrato no pé das plantas a cada 30 ou 40 dias. Normalmente utilizase varetas de bambu para esse fim. dessa forma as raízes nunca ficarão expostas e o rendimento será melhor. beterraba.pepino. tomate. feijão vagem. .Manejos básicos de condução Estaqueamento -suporte para plantas trepadeiras. tomate. usado para ervilha. Pode também utilizar a cerca ou o alambrado da horta.

Combinados ou puros têm o poder de mineralizar Macro e Micronutrientes através de reações químicas que ocorrem no solo. .ADUBAÇÃO Fertilizantes Orgânicos São classificados como FERTILIZANTES ORGÂNICOS as misturas que não contém em sua FORMULAÇÃO materiais sintéticos ou químicos. disponibilizando Macro e Micronutrientes em diferentes concentrações. As misturas utilizam de resíduos vegetais e animais (estercos) que diferem em suas composições.

.

as plantas necessitam mais água e mais Nitrogênio (N). necessitam de mais água e mais nutrientes. • Para a brotação e o crescimento.DICAS IMPORTANTES • Os solos arenosos e aqueles que se regam muito necessitam mais Potássio. • As plantas. comece a fertilizá-las. • Plantas em floração não crescem e portanto deve-se reduzir a adubação durante essa fase. • Adube bem as plantas com fertilizante rico em nitrogênio antes da brotação. • Assim que as plantas comecem a desenvolver-se com maior vigor (primavera). durante o crescimento. • A floração deve ser estimulada com adubos ricos em Potássio (K) e Fósforo (P) • As plantas com flores. árvores frutíferas e ornamentais necessitam adubos ricos em Potássio (K) e Fósforo (P) .

.Como aplicar os adubos • A aplicação pode ser no solo (adubos e composto): – Incorporando o produto ao solo – Espalhando o produto próximo a planta – Fazendo furos ao redor da planta e preenchendo com o produto. • A aplicação pode ser foliar (adubos solúveis em água): – Pulverizando caules e folhas das plantas • A aplicação pode ser na rega (adubos solúveis em água) – Regando a planta com o produto dissolvido na água.

PRAGAS E DOENCAS – Identificação e Controle .

. Identifica-se pelas folhas enrugadas.Pulgões DANO / IDENTIFICAÇÃO: Suga a seiva da planta deformando a planta. CONTROLE: Aplicação de CALDA FUMO. Quando identificado o ataque no início retire a ou as folhas infectadas e queime-as. São muito comuns em todos os tipos de couves. São pequenos insetos de cor cinza esverdeado que formam colônias na parte interna das folhas ou junto aos caules e talos que sugam constantemente a planta podendo levá-la à morte.

Em caso de pequenas quantidades faça a catação manual e elimine-as. É facilmente encontrada nas plantas.Lagartas DANO / IDENTIFICAÇÃO: Folhas e ou brotos furados ou derrubados. CONTROLE: Aplicação de CALDA DE FUMO E ÓLEO DE NEEN. IMPORTANTE: Para fazer a catação utilize luvas. algumas lagartas podem provocar irritações na pele. .

CONTROLE: Aplicação de CALDA DE FUMO.Cochonilhas DANO / IDENTIFICAÇÃO: Suga a seiva da planta. tem forma de pequenas escamas arredondadas de cor marrom ou de flocos brancos (plumagem) e pegajosos. . pois o sabão asfixia o inseto. Formam colônias na parte interior das folhas e nos caules. fora de controle leva a planta à morte. DICA: A aplicação apenas de água com sabão também pode surtir efeito.

Em caso de pequenas quantidades retire as folhas atacadas e elimine-as. Sugadores vorazes enfraquecem a planta e desviam nutrientes. .Ácaros DANO / IDENTIFICAÇÃO: Minúsculos aracnídeos que se alojam na parte interior das folhas formando colônias que a olho nu parecem um pó preto. galhas e diminuição da floração. CONTROLE: Aplicação de CALDA DE FUMO. provocando deformações como: superbrotações.

CONTROLE: Aplicação de ÓLEO DE NEEN . deixando nos locais perfurados manchas escuras. Picam as plantas para a sucção da seiva e injetam substâncias infectantes.Percevejos e Vaquinhas DANO / IDENTIFICAÇÃO: Bonitos e coloridos que parecem besourinhos.

DOENÇAS DANO / IDENTIFICAÇÃO: Mofos e manchas sobre as folhas ou outras partes da planta. portanto quando uma planta for atacada erradique-a ou cure-a imediatamente. entretanto deve-se ter cautela em sua aplicação - . produzida com sulfato de cobre e possui baixa toxidade. ferramentas e pelas suas mãos.causando o apodrecimento. A disseminação dos fungos é feita pelo ar. CONTROLE: A única indicação orgânica para o controle e o combate às doenças fúngicas é a CALDA BORDALESA .Atacam as plantas em todas as suas partes. podendo causar a morte.

mancha Alternariose da couve-chinesa (Alternaria brassicicola) Sintoma .verrugose Verrugose do maracujá (Cladosporium herbarum) .mancha Cercosporiose do caupi (Cercospora cannescens Sintoma .Sintoma .

) .Granulose Melanose dos citros (Phomopsis citri) Plasmólise Podridão mole da batata (Pectobacterium spp.) Plasmólise Podridão mole da alface (Pectobacterium spp.

Mancha Cercosporiose do pimentão (Cercospora capsici) Mancha Alternariose da couve-chinesa (Alternaria brassicicola) Mancha Sigatoka-amarela da bananeira (Pseudocercospora musae) .

sp.Podridão Podridão azul da laranja (Penicillium italicum) Podridão Podridão radicular do feijoeiro (Fusarium solani f. phaseoli Podridão Podridão azeda da cenoura (Geotrichum candidum) .

.

Calda de Sabão .

.

.

.

.

.

.

.

Exemplos representativos de manejo alternativo de pragas. baseados em interações do sistema Praga problema Danos ao brócolis pelo coleóptero Phyllotreta cruciferae Danos às folhas de videira pelo gafanhoto da uva Erythroneura elegantula Danos às folhas de canade-açucar pelo pulgão do milho Rhopalosiphum maidis Prática alternativa Mecanismo(s) de de manejo ação Consorciar com mostarda Planta armadilha atrai a silvestre (Brassica spp) praga para longe da cultura Plantio de amoras pretas Aumenta a abundância de silvestres (Rubus spp.) em hospedeiros alternativos bordadura para a vespa parasítica Anagrus epos Plantio de gramíneas agressivas em bordadura As gramíneas deslocam outras plantas que hospedam o pulgão .

ou mascara a presença do repolho .Exemplos representativos de manejo alternativo de pragas. baseados em interações do sistema Praga problema Danos ao gergelim por Antigrosta sp. Dano em pomares de maça pela traca Cydia pomonella Danos ao repolho pela traça das crucíferas Plutella xylostella Prática alternativa Mecanismo(s) de de manejo ação Consorciar com milho ou sorgo Cultrua de cobertura com espécies de plantas específicas Consorciar com tomates Sombreamento pela planta companheira mais alta repele a praga Fornece alimento e habitat adicional para inimigos naturais da traça Repele quimicamente a mariposa.

Deficiência de Cultura Videira Tomate Tomateiro Morango Feijoeiro Videira Trigo Girassol Couve-flor Milho Batata Melancia Batata doce Doença ou Inseto que aparece Cochonilhas Podridão apical Virose “vira-cabeça” Podridão Mosca Branca Vírus dourado Míldio Ferrugem Míldio Míldio Lagarta do cartucho Podridão seca da espiga Sarna Oídio Sarna CÁLCIO BORO .

Deficiência de Cultura Arroz Trigo Cafeeiro Tomateiro Acácia Aveia Trigo Algodoeiro Doença ou Inseto que aparece Brusone Ferrugem Ferrugem Infecções bacterianas Besouro serrador Infecções bacteriana Ferrugem Lagarta rosa COBRE MAGNÉSIO MANGANÊS MOLIBDÊNIO + FÓSFORO (Ana Primavesi – Cursos de solos/1989 e Manejo Ecológico de Pragas e Doenças) .

Solo muito exausto. pH baixo. com nível de cálcio extremamente baixo CABELO DE PORCO . falta de cálcio e/ou molibdênio AMENDOIM BRABO BELDROEGA Euphorbia heterophylla Desequilíbio de nitrogênio com cobre.PLANTAS INDICADORAS NOME AZEDINHA ESPÉCIE Oxalis oxyptera O QUE INDICAM Solo argiloso. com umidade e matéria orgânica Carex ssp. ausência de molibdênio Portulaca oleracea Solo bem estruturado.

faltando cobre ou outros micronutrientes Solos muito contaminados Excesso de nitrogênio livre. O QUE INDICAM Solos que retêm água estagnada na estação chuvosa. pobres em molibdênio Solos cultivados com nitrogênio suficiente. Rumex spp . terra fresca PICÃO BRANCO Galinsoga parviflora GUANXUMA LÍNGUA DE VACA Sida spp.NOME CARQUEJA ESPÉCIE Baccharis sp.

NOME MARIA MOLE ESPÉCIE Senecio brasiliensis O QUE INDICAM Camada estagnante em 40 a 50 cm de profundidade. mal drenados e possivel deficiência de Excesso de nitrogênio magnésio livre. falta de potássio Solos carente em boro e manganês Solos de média fertilidade Excesso de aluminio tóxico Solos ácidos. Nobel: São Paulo . carência de cobre NABO BRAVO PICÃO PRETO SAMAMBAIA TIRIRICA Raphanusn raphanistrum Bidens pilosa Pteridium aquilinum Cyperus rotundus URTIGA Urtiga urens Adaptado de Ana Primavesi. in Agricultura Sustentável. adensados.1992 .

Obrigado pela atenção Patrocínio: .