SUMÁRIO

SUMÁRIO.........................................................................................................................1 INTRODUÇÃO.................................................................................................................2 3 METODOLOGIA...........................................................................................................5 3.1 Material....................................................................................................................5 3.2 Método.....................................................................................................................5 4 RESULTADOS .............................................................................................................6 CONCLUSÃO...................................................................................................................7 REFERÊNCIAS................................................................................................................8 ANEXO – I.Q.A..............................................................................................................10

pertencentes aos Coliformes totais. dentro dos coliformes totais. principal fonte de coliformes nas águas. São diretamente ligados as fezes humanas. Há sério risco para a saúde se.2 INTRODUÇÃO Um aspecto importante em termos de qualidade da água é seu aspecto biológico e a possibilidade de transmissão de doenças via microrganismos patogênicos. houver a espécie Escherichia coli. que tem características patogênicas. Dastaca-se a importância do teste dos coliformes totais. Daí a denominação coliformes fecais (ou termotolerantes). .

não indica obrigatoriamente contaminação fecal. em águas naturais e solos que foram sujeitos recentemente a contaminação fecal. Coliformes totais são todas as bactérias que possuem a enzima β-galactosidade./ GM n. Coliformes termotolerantes podem ter origem de águas com teor elevado de matéria orgânica de efluentes industriais ou de restos de vegetais. 1999). não hidrolisa a uréia e apresenta atividade das enzimas β galactosidade e β glucorosidade. 2002). E sua presença em águas tratadas indica tratamento inadequado. produz indol a partir do triptofano. Mattos e Silva (2002) afirma que os coliformes fecais estam ralacionados com muitas patologias como meningites. Portanto é encontrada em esgotos. efluente tratado. São utilizados estes indicadores porque geralmente estão presentes nas fezes do homem e de outros animais. bactérias coliformes. e pode ser encontrada em até 109 por grama de fezes.º 1469/2000.Portaria M. desprovida de vida livre no ambiente e quando encontrada na água indica contaminação fecal.S. intoxicações alimentares.(OPAS. 1995). streptococos fecal e esporos de clostrídios redutor de sulfito – clostridium perfringes . sendo considerada o mais específico indicador de contaminação fecal recente e de eventual presença de organismos patogênicos. com produção de ácido e gás a 44. De acordo com a portaria 518. (MATTOS E SILVA. do Ministério da Saúde a Escherichia coli fermenta a lactose e monitol. infecções urinárias e pneumonias nosocomiais. oxidase negativa. Assim. O tempo de sobrevivência dos mesmos é de sessenta dias na água. HORTA.5 ± 0. coliformes termotolerantes.3 2 REFERÊNCIAL TEÓRICO De acordo com Souza (1988) há aproximadamente 70 anos organismos de origem fecal são utilizados para interpretar o grau de poluição. a existência de bactérias não-fecais e lactose negativas nesse grupo limita sua aplicação. Os principais organismos que indicam contaminação fecal são: coliformes totais. o termo coliforme fecal foi abandonado e aparece somente como coliforme termotolerante na leislação . (CERQUEIROA. Na . Escherichia coli. porém.2°C em 24 horas. A mesma é abundante nas fezes tanto de homens como de animais. Sendo que o indicador patogênico de origem fecal mais importante é a Escherichia coli.

LIMA). a ezima que é utilizada nos coliformes totais é a β. E a análise de coliformes pode ser empregada como indicador de eficiência de tratamento da água potável. as maiores concentrações de coliformes termotolerantes estão diretamente relacionadas à presença de Escherichia coli (MATTOS E SILVA.Esse método baseia-se na ativação de enzimas presentes nas bactérias por meio de alguns substratos específicos.4 maioria das vezes (aproximadamente 90%). coli é utilizado β-glucuronidase e metaboliza o indicador MUG (4-metil-umbeliferil-βglucuro-nídeo) e cria fluorescência azul (LONGARAY.galactosidade e o indicador é o ONPG (orto-nitrofenil-β-D-galactopiranosídeo) que gera cor amarela na luz visível. Para a determinação de coliformes utilizam-se algumas práticas como a do substrato cromatogênio. caso seja encontrada. Para a E. contaminação pós-tratamento ou excesso de nutrientes. indica que o tratamento foi inadequado. Em águas tratadas a bactéria coliforme não deve estar presente. 2002). que é um método mais específico. STARUCK. .

3. No final do tempo estimado.V. Para o teste de E. Cor Coliformes Totais E.V. Caneta marcadora. Lâmpadas UV. Misturou-se com o Coli Test pelo método da agitação. . em câmara escura.) (+ ou -) + . Por fim levou-se para i incubador a 37°C e deixou-se em repouso por 48 horas. verificou-se e anotou-se os resultados.1 Material      Coli Test. 50 mL cada um de amostra. utilizando os 2 frascos estéreis. coletou-se 100 mL de uma amostra de água escolhida aleatoriamente. coli utilizou-se a luz U.Os sinais negativos (-) indicam à ausência e os positivos (+) à presença. 2 frascos estéreis de 80 mL com tampa. Incubador.5 3 METODOLOGIA 3.2 Método Primeiramente. Realiza-se o teste apenas no caso de positividade em Coliformes Totais. A analise dos resultados se deu por meio da tabela 1 a seguir: Tabela 1: Auxiliar para análise de resultados. coli Púrpura Amarelo + + Azul (U.

PARÂMETRO Escherichia coli ou coliformes termotolerantes Água na saída do tratamento Ausência em 100 mL Água tratada no sistema de distribuição (reservatórios e rede) Escherichia coli ou coliformes Ausência em 100 mL termotolerantes Sistemas que analisam 40 ou mais amostras por mês: Coliformes totais Ausência em 100ml em 95% das amostras examinadas no mês. Tabela 3: Padrões microbiológicos de potabilidade da água. Laboratório 211 Bar Sala de Chimarrão. bebedouro Bloco Apoio 4. bebedouro Bloco 4. os mesmos seguem abaixo na tabela 2. bebedouro Bloco 1. Sistemas que analisam menos de 40 amostras por mês: Apenas uma amostra poderá apresentar mensalmente resultado positivo em 100ml VOLUME MÁXIMO PERMITIDO Água para consumo humano Ausência em 100 mL Coliformes totais . Tabela 2: Locais de coleta das amostras e respectivos resultados. AMOSTRA Bloco 1.6 4 RESULTADOS Após o período de incubação à 37 ºC foram verificados os resultados das analisas das amostras coletadas. bebedouro Bloco Apoio 5. Bloco 1. Sala 202 Bebedouro. 2º Andar. bebedouro. 2º andar. Tanque. torneira externa Bloco 1. padrões estes descritos na tabela 3 que segue abaixo. Bloco 3 Bloco 4. 2º andar. torneira externa Bloco 4. Osvaldo Cruz Lab. 3º andar. 1º andar. 1º andar. analise da madeira Cozinha bloco I COLIFORMES TOTAIS AUSENTE AUSENTE AUSENTE AUSENTE AUSENTE AUSENTE AUSENTE AUSENTE AUSENTE AUSENTE AUSENTE AUSENTE AUSENTE PRESENTE AUSENTE PRESENTE ESCHERICHIA COLI AUSENTE AUSENTE AUSENTE AUSENTE AUSENTE AUSENTE AUSENTE AUSENTE AUSENTE AUSENTE AUSENTE AUSENTE AUSENTE AUSENTE AUSENTE AUSENTE O Ministério da Saúde regulamenta os padrões microbiológicos de potabilidade da água para consumo humano através da portaria nº 518 de 25 de março de 2004. Laboratório 106 Bloco 4.

com intuito de comprovar se existe mesmo presença de Coliformes Totais ou o resultado é oriundo de contaminação no momento da coleta ou nos procedimentos da análise. se realizada sequencia de analises nas próximas semanas. houver. 2004). Na análise qualitativa foram detectadas 2 amostras com presença de coliformes totais. todas as outras possuem a mesma origem. a água da universidade pode ser classificada como água de qualidade excelente para balneabilidade. com intuito da . CONCLUSÃO No controle da qualidade da água. Inciso 1º. Devem ser coletadas novas amostras em Osvaldo Cruz e na cozinha do Bloco I. quando forem detectadas amostras com resultado positivo para coliformes totais. novas amostras devem ser coletadas em dias imediatamente sucessivos até que as novas amostras revelem resultado satisfatório (Ministério da Saúde. Artigo 2º. 2004. de 29 de novembro de 2000. no máximo. o que torna o resultado da amostra da cozinha do bloco I suspeito.7 Fonte: Portaria nº 518 Ministério da Saúde. colhidas no mesmo local. uma água possui excelentes condições de balneabilidade quando em 80% ou mais de um conjunto de amostras obtidas em cada uma das 5 semanas anteriores. mesmo em ensaios presuntivos. de acordo com a Resolução 274 do Conselho Nacional de Águas. 250 coliformes fecais (termotolerantes) ou 200 Escherichia coli ou 25 enterococos por 100 mililitros. Com exceção da amostra Osvaldo Cruz. Em relação a balneabilidade. Deverá ser realizada nova analise para as 2 amostras com resultado positivo. Como não ocorreu presença de Coliformes Totais em mais de 80% das amostras colhidas na universidade.

Mário Cesar de Sá.1999. Coliformes Fecais não existem. CERQUEIRA.   REFERÊNCIAS CONAMA.1239-1244.HORTA. Resolução nº 274. .8 certificação que o resultado não tenha sofrido influência de possível contaminação em alguma etapa do procedimento de analise. Anais do XX Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental. Rio de Janeiro: ABES. Daniel A ..p. de 29 de Novembro de 2000.

Acesso em: 1 dez.comitepcj. . 2011. 2012.cpact.rs. 2011. portaria n..saude. Pelotas – RS... Disponível em: <http://www. STARUCK..A. 2. LIMA. MINISTÉRIO DA SAÚDE. Pecuária e Abastecimento. IARIA. 2000.scielosp. ORGANIZAÇÃO PANAMERICANA DA SAÚDE.9 LONGARAY.pdf>. M.embrapa. ed. Atenção Primária Ambiental. J. Disponível em:<http://www. LOPES. Acesso em: 3 dez. Disponível em: <http://www.org/pdf/rsp/v17n2/05.br/publicacoes/download/comunicados/comunicado61.. 1983. M.2. de 29 de dezembro de 2000. Acesso em: 2 dez.br/download/Portaria_MS_146900.gov.pdf>. 2011.novo e ágil método de análise. Disponóvel em: <http://www. Revista Saúde Pública. portaria n. 2011.pdf>.gov.gov.htm>.Ginebra: OPAS. 2002. n.C..[OPAS/BRA/HEP/001/99]. MINISTÉRIO DA SAÚDE. S. SILVA.br/sas/PORTARIAS/Port2004/GM/GM518.ed.° 518/GM Em 25 de março de 2004.htm>. M.portoalegre. 60 p.17.. S.org. Ministério da Agricultura. MATTOS. Disponével em: < http://dtr2001.T. SOUZA. Disponível em: <http://www. Acesso em: 1 dez.opas.sp.° 1469. 1995. Brasília: Opas.br/sistema/arquivos/apa.M. Acesso em: 3 dez. Bactérias coliformes totais e coliformes de origem fecal em águas usadas na dessedentação de animais.pdf> . 2. v. Determinação de coliformes totais e fecais em águas . L.br/ecos/revistas/ecos14/tecnicos2. Controle da Qualidade Microbiológica das Águas de Consumo na Microbacia Hidrográfica Arroio Passo do Pilão. C. São Paulo.195 p . Acesso em: 2 dez. 2011.

Qualidade Índice (IQA) Fonte: ANA.10 0.Q. De acordo com o valor obtido na fórmula é possível verificar a qualidade da água em relação aos 9 parâmetros citados anteriormente. O cálculo do I.gov. cada parâmetro possui um valor de qualidade (q). A partir de 1975 começou a ser utilizado pelo Brasil. Além de seu peso (w).Q. 1 Ótima 80 – 100 Boa 52 – 79 Aceitável 37 – 51 Imprópria p/ tratamento 20 – 36 Imprópria p/ consumo 0 . Tabela 5: Qualidade da água em função do valor do I. é feito por meio do produtório ponderado dos nove parâmetros. conforme tabela 4. 2004. O I.) foi criado em 1970. Disponível em: <http://pnqa.17 2 Coliformes Fecais NMP/100ml 0.A.15 3 pH 0. pela National Sanitation Foundation. com a finalidade de classificar a água para consumo humano e tratamento. O índice avalia a qualidade da água bruta.10 ANEXO – I.10 Fonte: ANA .08 0. que segue logo abaixo: Tabela 4: Parâmetros utilizados na determinação do IQA com seus respectivos pesos Nº Parâmetro Unidade Peso (w) 1 Oxigênio Dissolvido % saturação 0. começando pelo estado de São Paulo. nos Estados Unidos.19 Dados da Agência Nacional de Águas.Q.Q.br/IndicadoresQA> Acesso em 5 de dezembro de 2011.10 0.A.A Indíce de Qualidade das Águas O Índice de Qualidade das Águas (I. obtido do respectivo gráfico de qualidade em função de sua concentração ou medida. .Q. é composto por nove parâmetros.12 4 5 6 7 8 9 1 DBO5 Nitrogênio Total Fósforo Total Turbidez Sólidos Totais Temperatura de Desvio mg O2/L mg N/L mg P/L uT mg/L °C 0. 2004.08 0.ana. com seus respectivos pesos (w).10 0.A.A.