Conceitos e fins do direito da concorrência  Economia de mercado estão envolvidos diversos relacionamentos econômicos.

 A concorrência existe para garantir o desenvolvimento dos mercados, e como beneficiados, os consumidores, já que são detentores diretos destes feitos. Conceito de mercado relevante  Mercado revelvante nada mais é que da tradução da língua inglesa relevant market, cujo sentido e determinar o mercado em questão, o lócus pertinente a à analise concorrencial d determinada pratica ou operação. Mercado relevante material  Denomina-se e que incorpora produtos e serviços, compreende todos os produtos e serviços considerados pelos consumidores substituíveis entre si em razão das suas características, preços e utilização. Mercado relevante geográfico  Considera a área , o espaço, onde se embata a competição, que pode ser entendida como anticoncorrencial, ou mesmo a área onde determinada operação econômica poderá produzir seus efeitos, mesmo que potenciais. Mercado relevante temporal  A analise do mercado relevante temporal consiste nas analises geográfica e material. Mercados perfeitamente competitivos  Dizem respeito ao modelo de concorrência perfeita, sendo assim meramente uma explicação teórica de como os mercados funcionariam e como os agentes em regime de concorrência pura nele atuariam. Mercados imperfeitamente competitivos  Em sentido oposto, onde apesar de a concorrência entre produtores e compradores, suas condições não são ideais, pois faltam os pressupostos dos mercados perfeitamente competitivos. Mercado oligopolizados  Identificados pelo pequeno numero de produtores ou prestadores de serviço, ou ainda a existência de grandes agentes econômicos, ainda que em pequena quantidade, concorrendo com agentes de porte bem inferior e sem qualquer condição de alterar a situação do mercado.

Mercados monopolizados  Marcados pela atuação de uma única empresa no mercado para ofertar um produto ou serviço sem ameaça do ingresso de um concorrente Monopsônios e olipsônios  Ocorrem quando consumidos tem apenas como opção de oferta no mercado um agente ou poucos agentes, respectivamente. Conceito de poder econômico e seu abuso  Abuso de poder é o ato ou efeito de impor a vontade de um sobre a de outro, tendo por base o exercício do poder, sem considerar as leis vigentes (importa esclarecer que a noção de abuso de poder carece sempre de normas pre-estabelecidas para que seja possível a sua definição, a noção de abuso de poder econômico presume uma análise de uma situação de mercado e de poder de mercado. Poder econômico (poder de mercado)  Poder econômico pode se traduzir em poder de mercado, ou seja, a empresa detentora de poder econômico teria condições de impor seus anseios ao mercado, já que detentora de poder de mercado. Posição dominante (participação de mercado): distinção  Está aqui à posição dominante que determinada pela empresa tem em certo mercado e em sua abrangência, e esta partição pode ser resultado de sua eficiência concorrencial que lhe garantiu uma posição de destaque em decorrência da opção dos consumidores. O poder econômico de mercado e seus reflexos na concorrência  A auto-regulação do mercado pela Mao invisível da concorrência, regida pela lei da oferta e da procura, segundo Adam Smith. Sistema brasileiro de defesa da concorrência  O Sistema Brasileiro de Defesa da Concorrência (SBDC) é responsável pela promoção de uma economia competitiva, por meio da prevenção e da repressão de ações que possam limitar ou prejudicar a livre concorrência no Brasil, sendo sua atuação orientada pela Lei nº 8.884, de 11 de junho de 1994 .  O SBDC é composto pela Secretaria de Direito Econômico (SDE), órgão do Ministério da Justiça; pela Secretaria de Acompanhamento Econômico (Seae), órgão do Ministério da Fazenda; e pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE), autarquia federal vinculada ao Ministério da Justiça.

 A atuação dos órgãos do SBDC na defesa da concorrência apóia-se em três ações principais:  Ação preventiva: dá-se por meio da análise das operações de concentração (p.ex., fusões, aquisições e incorporações de empresas) e cooperação econômica (p.ex., determinadas jointventures). Tais operações devem ser notificadas ao SBDC em até 15 dias úteis da realização da operação, uma vez preenchidos os requisitos previstos no artigo 54 da Lei nº 8.884/94.  Ação repressiva: dá-se por meio da investigação e punição de condutas anticompetitivas. São exemplos de práticas lesivas à concorrência o cartel e as práticas abusivas de empresas dominantes (acordos de exclusividade, vendas casadas, preços predatórios, etc.).  Ação educativa: dá-se por meio da difusão da cultura da concorrência. O SBDC promove seminários, palestras, cursos e publicações de relatórios e matérias em revistas especializadas para difundir a importância da concorrência para a sociedade. Nesse âmbito, tem sido crescente a interação entre as autoridades de defesa da concorrência e aquelas voltadas para a defesa do consumidor.  Conselho administrativo de defesa econômica  O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE) é uma autarquia federal brasileira que tem como objetivo orientar, fiscalizar, prevenir e apurar abusos do poder econômico, exercendo papel tutelador da prevenção e repressão do mesmo.  O CADE tem o papel de julgar sobre matéria concorrencial os processos encaminhados pela Secretaria de Direito Econômico do Ministério da Justiça e a Secretaria de Acompanhamento Econômico do Ministério da Fazenda. Desempenha os papéis preventivo, repressivo e educativo, dentro do mercado brasileiro.