MODALIDADES DE AVALIAÇÃO

A avaliação da aprendizagem como um processo contínuo, sistemático e integral de acompanhamento e julgamento do nível em que alunos e professores se encontram deve contemplar as seguintes modalidades:

Avaliação Diagnóstica:
É realizada normalmente no início do processo de ensino e aprendizagem, para verificar a ausência ou presença de pré-requistos (conhecimentos e habilidades) necessários para aprender o novo. Tem como objetivo fundamental analisar a situação de cada aluno antes de iniciar um determinado processo de ensino aprendizagem, para tomar consciência (professores e alunos) dos pontos de partida, e assim poder adaptar tal processo às necessidades detectadas. Possibilita também, ao detectarem-se dificuldades ou limites, que o professor planeje suas ações de maneira a preparar os alunos para o estudo da matéria nova. "É a sondagem de conhecimentos e de experiências já disponíveis bem como de provimento dos pré-requisitos para a seqüência da unidade didática" (LIBÂNEO, 1992). Também pode ocorrer durante o processo de acompanhamento dos resultados, correção de falhas, esclarecimentos de dúvidas, estímulo à consecução de resultados positivos, andamento da matéria, adequação de metodologias, comunicação, etc., quando ocorre no final do processo, tem função de realimentação.

Avaliação Formativa
Feita ao longo do processo de ensino e aprendizagem, pretende informar se os objetivos foram alcançados, fornecendo dados para o aperfeiçoamento do mesmo, possibilitando criar condições para que o aluno retome os aspectos ainda não aprendidos, e localizando as dificuldades deste para auxiliá-lo a encontrar processos que lhe permitam crescer na aprendizagem. Busca a compreensão do funcionamento cognitivo por parte do aluno diante das atividades propostas, busca também verificar se as relações entre professor e aluno estão ocorrendo de forma a favorecer a aprendizagem ou se necessitam de adaptações/modificações. Pode-se afirmar que essa modalidade de avaliação é importantíssima para os resultados da aprendizagem. A qualidade de um processo de ensino depende, em boa parte, de se conseguir ajudar os alunos a superarem os obstáculos em espaços de tempo pequenos no momento em que são detectados. Além disso, o fundamental para aprender é que o próprio aluno seja capaz de detectar suas dificuldades, compreendê-las e autorregulá-las. A avaliação formativa não tem como objetivo classificar ou selecionar. Fundamenta-se nos processos de aprendizagem, em seus aspectos cognitivos, afetivos e relacionais; fundamenta-se em aprendizagens significativas e funcionais que se aplicam em diversos contextos e se atualizam o quanto for preciso para que se continue a aprender. Este enfoque tem um princípio fundamental: deve-se avaliar o que se ensina, encadeando a avaliação no mesmo processo de ensinoaprendizagem. Somente neste contexto é possível falar em avaliação inicial (avaliar para conhecer melhor o aluno e ensinar melhor) e avaliação final (avaliar ao finalizar um determinado processo didático).

podendo representar um obstáculo para aprendizagens posteriores. já que. tendo em vista os níveis preestabelecidos e. Avaliação Somativa: É realizada no final do processo de ensino e aprendizagem. Mesmo assim é muito mais importante prever do que remediar. estimular e dedicar tempo para identificar e regular as dificuldades dos alunos antes da avaliação final é muito mais rentável para o reforço da autoestima dos alunos e para a aprendizagem. tem como função principal classificar os alunos conforme os resultados de aproveitamento demonstrados. que é realizada quando se termina o período de tempo dedicado ao ensino de um determinado conteúdo. do que fazê-lo a posteriori. também pode ter uma função formativo-reguladora. as “recuperações” são pouco eficazes. A avaliação final também é útil para verificar aqueles aspectos que deverão ser reforçados nos processos de ensino de sucessivos temas. identificar em que grau os objetivos propostos foram alcançados. em função dos resultados apresentados. Em função da informação que se obtém. a avaliação deveria orientar-se a ajudar os alunos a reconhecer o que aprenderam e a se conscientizarem das diferenças entre o ponto de partida e o de chegada. Em geral. Além de sua função normalmente qualificadora já que são feitas verificações de controle sistemático e contínuo para atribuição de notas. orienta-se tanto a verificar o que o aluno não conseguiu interiorizar. Portanto. em um elemento que melhora a aprendizagem do aluno e a qualidade do ensino. quanto a determinar aqueles aspectos da sequência de ensino que deveriam ser modificados.Se a avaliação contribuir para o desenvolvimento das capacidades dos alunos. ao fracassar. em alguns casos pode ser importante propor aos alunos tarefas que lhes ajudem a revisar alguns dos aspectos que devem melhorar. A avaliação final. . pode-se dizer que ela se converte em uma ferramenta pedagógica. já que não há sentido propor tal avaliação se não há um mínimo de possibilidades que os alunos obtenham algum êxito. Porque novos temas não podem ser ensinados se não se considerar os resultados de processos de ensino anteriores. muitos alunos perdem o interesse por continuar se esforçando. Quer dizer. Um bom resultado final é o melhor incentivo para continuar esforçando – se.

Para ser indissociável da dinâmica de ensino e aprendizagem. habilidades e atitudes) desejado no graduando. o o Para estar voltada ao alcance dos objetivos. auxiliando na tomada de decisões sobre o projeto pedagógico. mas também fornecer subsídios para avaliar o desempenho do professor e de outros profissionais envolvidos na formação acadêmica.AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM A avaliação da aprendizagem é entendida como um processo contínuo. bem como quanto à utilização de instrumentos e medidas adequadas. o o o o . a avaliação deve estender-se a todos os domínios do comportamento: cognitivo. requer-se que seja pensada como uma atividade permanente. Para ser abrangente. a avaliação deve facilitar ao professor. Não pode se limitar a um momento separado ou independente do processo de ensino. Para ser inclusiva. Para que seja viabilizada dentro desta concepção. sistemático e integral de acompanhamento e julgamento do nível da construção da aprendizagem no qual alunos e professores se encontram em relação ao alcance dos objetivos desejados na formação educacional. Requer-se clareza quanto às suas finalidades. a avaliação deve ser planejada de acordo com o perfil delineado no projeto curricular e explicitado na forma de desempenho (conhecimentos. consciente e planejado como parte integrante do processo de ensino e aprendizagem. Para ser cooperativa. deve ser um ato intencional. afetivo e psicomotor. integrando o aluno na busca persistente do alcance dos objetivos desejados. Para ser integral. realizada em diferentes momentos. a avaliação deve ser coerente com o projeto pedagógico. a avaliação não pode ser improvisada. quando detectar problemas e/ou dificuldades de aprendizagem. é importante que haja clareza quanto às características que nortearão a sua operacionalização: o Para ser contínua. Para ser sistemática. a avaliação deve ter atuação ativa de todos os participantes do processo de ensino e aprendizagem. permitindo acompanhar passo a passo a evolução do aluno na assimilação. propor alternativas de recuperação desta. proporcionando feedback mútuo e reflexão sobre o próprio desempenho (auto-avaliação). a avaliação deve acontecer ao longo de todo o processo de ensino e aprendizagem. a avaliação não deve se restringir ao desempenho do aluno. não sendo pontual (isolada) nem um momento terminal do processo educativo. construção e produção do seu conhecimento. no sentido de refletir os princípios que o norteiam.