Receita Para O Amor

Kristi Gold
Executive Seduction

Um noivado terrível rompido... seguido de um romance maravilhoso e apimentado. Eis uma ótima receita para fazer a pele de qualquer mulher brilhar. E a famosa chef Corri Harris acrescentou um ingrediente muito especial: Aidan O'Brien, executivo sexy, sedutor e... dono do estúdio de televisão em que ela grava seu programa de culinária! A atração entre os dois é fatal, e Aidan incentiva a sensualidade de Corri a cada instante. Mas ela sente que ele poderia se entregar mais também... Afinal, ainda que os momentos vividos com Aidan sejam deliciosos como o pecado, Corri logo se vê desejando muito mais. E, como chef de cuisine, ela pretende acrescentar um certo temperinho que falta nessa relação...

Digitalização: Crysty Revisão: Andréa

Tradução Cristina Barbosa PUBLICADO SOB ACORDO COM HARLEQUIN ENTERPRISES II Todos os direitos reservados. Proibidos a reprodução, o armazenamento ou a transmissão, no todo ou em parte. Todos os personagens desta obra são fictícios. Qualquer semelhança com pessoas vivas ou mortas é mera coincidência. Título original: EXECUTIVE SEDUCTION Copyright © 2006 by Kristi Goldberg Originalmente publicado em 2007 por Silhouette Desire Arte-final de capa: Isabelle Paiva Editoração Eletrônica: ABREU'S SYSTEM Tel.: (55 XX 21) 2220-3654 / 2524-8037 Impressão: RR DONNELLEY Tel: (55 XX 11)2148-3500 www.rrdonnelley.com.br Distribuição exclusiva para bancas de jornais e revistas de todo o Brasil: Fernando Chinaglia Distribuidora S/A Rua Teodoro da Silva, 907 Grajaú, Rio de Janeiro, RJ — 20563-900 Para solicitar edições antigas, entre em contato com o DISK BANCAS: (55 XX 11)2195-3186/2195-3185/2195-3182 Editora HRLtda. Rua Argentina, 171,4° andar São Cristóvão, Rio de Janeiro, RJ -20921-380 Correspondência para: Caixa Postal 8516 Rio de Janeiro, RJ — 20220-971 Aos cuidados de Virgínia Rivera virginia.rivera@harlequinbooks.com.br

CAPÍTULO UM

Que maneira covarde de dizer adeus... Sem acreditar, Corinna Harris olhava a carta que punha um fim em seu noivado sobre a penteadeira de mármore rosa do camarim, uma pequena missiva entregue a ela alguns minutos antes. Ela não se surpreendia com o fato de seu ex-noivo escolher aquela maneira para terminar tudo. Afinal, Kevin O'Brien era um jornalista, versado na palavra escrita, embora essa correspondência em particular fosse simples e direta.

Obrigado por tudo, Corri, mas chegou a hora de terminar. Sinta-se à vontade para ficar com o anel. Foi divertido.
Divertido? Depois de oito meses de um noivado vazio, esperava que ele tivesse a delicadeza de lhe dizer pessoalmente que estava tudo acabado. Não que ela estivesse surpresa. Não que ela estivesse com raiva... Corri arrancou do dedo o anel, que ostentava um diamante de um quilate, e o lançou como um míssil pelo camarim, onde se chocou contra a parede e caiu em algum lugar no felpudo carpete azul. Se acontecesse de ele ficar entalado no aspirador de pó do pessoal da limpeza, que pena! Não queria nenhuma lembrança de um relacionamento que fora basicamente uma mentira. A batida na porta assustou Corri e a trouxe de volta à realidade. Tinha algo a fazer: trabalho. — Cinco minutos — disse alguém da equipe. — Certo. Estou pronta. Estava realmente pronta? Poderia enfrentar uma platéia e fingir que nada acontecera? E justamente naquele dia, durante sua primeira apresentação ao vivo, em um programa sobre a preparação do prato perfeito para os apaixonados nas festas de fim de ano. Seis dias antes do Natal. Claro que ela poderia fazê-lo. Kevin poderia ter arruinado a vida dela temporariamente, mas ela se recusava a deixar aquela falta de consideração arruinar-lhe a carreira. Depois de vestir o dólmã branco de chef, aquele ornado de colherinhas de madeira, Corri verificou outra vez a maquiagem e ajeitou o rabo-decavalo. Umas poucas lágrimas ameaçavam irromper dos olhos perfeitamente pintados, mas ela não iria permitir que elas caíssem. Em vez disso, ficou furiosa. Agarrou-se tão fortemente à raiva quanto um náufrago a uma bóia.

Corinna Harris. tentando encontrar consolo nos aplausos. Ela era alta. chorar no ombro largo e xingar Kevin por ter escolhido um péssimo momento para fazer aquilo. servindo de protetor e amigo. até se lembrar de que. Foi quando Corri resolveu que a vingança não era má idéia.90m. Mas sentia apenas a própria apatia. os olhos verdes do pai. Ao menos. Corri pensou rapidamente se Aidan sabia alguma coisa do plano de Kevin. e o primeiro passo incluía sair e dar o melhor de si para seus fãs. Ele tinha o cabelo grosso.. e um ar concreto de auto-confiança que fazia alguns homens se acovardarem.. Fingia que o relacionamento era um paraíso quando. Ele servira de confidente em mais de uma ocasião. Corri sentiu um impulso quase irresistível de correr para Aidan. Aidan sempre estivera lá. havia nele uma inegável aura de mistério que fazia as mulheres desejarem conhecer seus segredos. com pernas compridas. dono da AOB Produções. E com 1. na verdade. Desde o dia em que ela gravara seu primeiro programa. sempre que entrava naquele cenário. ela achava que ele o faria. mesmo que ela sempre falasse mais. sozinha. No momento em que ela entrou no palco.. Corri caminhou para o palco natalinamente decorado. cor de oliva. Claro que não. Por falar em segredos. irlandês. com as pernas firmes como colheres de pau. como o da mãe.Isso bastou para que ela entrasse em cena. — Senhoras e senhores. Nada como uma mulher insultada na cozinha. Mesmo que ela sempre tivesse sido totalmente honesta com ele sobre seu relacionamento com Kevin. nos últimos meses. falava de Kevin. e tinha tanto charme quanto os pratos que preparava para o público. e irmão mais velho de Kevin. com um sorriso falso cuidadosamente forjado. transformara a vida dela num inferno. Além disso. Teria lhe contado. não era fácil passar despercebido. Ela olhou para a cabine de controle e logo viu Aidan O'Brien. dêem as boas-vindas à queridinha dos fornos de Houston. — Trinta segundos — chamou o diretor de palco. armênia. a estrela de Cozinha Quente com Corri. A raiva voltou. No ano . Ao chegar a dez.. mas não era apenas a altura imponente que chamava a atenção. Tinha de sobreviver àquela situação. acompanhando o coração palpitante de Corri. Mas não era a melhor das idéias. uma loura enérgica. e eles haviam tido mais do que umas poucas conversas. Aidan soube que havia algo de errado. Por favor. contou os segundos de trás para a frente.

Ninguém jamais saberia o quanto ele se arrependia por tê-la apresentado a Kevin. Kevin e Corri tinham se tornado um casal sólido. ele já havia aprendido a calcular cada movimento. Cada pequena parte do corpo de Corri. Depois do intervalo. Ela conseguiu passar um terço do programa sem nenhum tropeço. Corri tirou uma panela do forno. Naquele momento. pensava no humor de Corri. em vez de chamar alguém da platéia. com freqüência. virou-a e bateu na bancada de madeira com ela. Quando Corri agarrou duas chapas quentes. não podemos nos esquecer daqueles que não têm companhia nessa época. sabia fazer algumas piadas. naquela época. ele acreditava firmemente que misturar negócios com prazer poderia causar problemas no ambiente de trabalho. Em geral. virando as páginas do script. Corri se limitou a conduzir a sessão de perguntas e respostas de sempre. ele estava em um relacionamento e. — Sugiro que vocês sigam em frente e façam esse suflê de chocolate porque vocês vão querer comer ele todo. Tão sólido que ficaram noivos em questão de semanas. enquanto os fãs dela adoravam. mas está tudo bem. Em especial os desafortunados que foram chutados por algum idiota na pior época possível. Mas. Ainda assim. por sua saúde. também sugiro que façam uma salada antes. disse: — Vamos fazer uma coisa um pouquinho diferente com esse tempo que nos sobra. Aidan percebeu que o diretor de palco estava parado. soava como se quisesse que aquilo acabasse logo. Naquele dia. e parecia muito animada. Ninguém sabia que ele. uma pilha de nervos ao vivo na tevê. parecendo confuso. em particular desde que ela ficara noiva de seu irmão. A assistente de produção sussurrou: — Que diabos ela está fazendo? . Foi para trás de uma bancada e apoiou as mãos na borda. mas não era o caso. Contudo. no entanto. a vida dele girou em torno daquele popular programa semanal. ele. — Agora que discutimos que um prato de festas era garantia de balançar o sininho de seu parceiro.anterior. cada detalhe da linguagem corporal dela. Mas havia dias em que imaginava como seria. Por meses Aidan a observara falar de seu irmão durante o show e. quando terminou. às vezes. tinha empatia com o público. fantasiava com ela. No entanto. odiava. Depois de colocar as chapas quentes de lado. Corri foi até a geladeira. Poderia sentir-se culpado por ter passado tanto tempo estudando os pontos mais interessantes de Corri. Àquela altura.

com o cutelo ainda na mão.— Não entre em pânico. Ela sabe o que faz. não podemos simplesmente deixá-la fazer o que quiser se não soubermos o que está fazendo. Corri? Corri olhou para cima. Não se sabia o que dera nela. — Bom. — Quando estamos ao vivo. Olhou para cima e sorriu de modo levemente psicótico. Com tantos golpes de cutelo. Algo dizia a Aidan que Corri ainda não tinha terminado. — Não vou fazer nada para Kevin nas festas porque o idiota me deixou. e foi então que Aidan viu lágrimas. Depois. ainda que á maioria dos homens tenda a acreditar nisso. e lançou um olhar intimidante para a mulher. — Quando vocês estiverem pensando no idiota que as abandonou. vocês sabem o que eu quero dizer. — Corri é profissional. Então começou a cortar os legumes a golpes impiedosos. Para alguém que se orgulhava da própria compostura.. O diretor já pedia um intervalo. deixando todos no estúdio chocados. Corri havia chegado ao fundo do poço. Parker lançou um olhar desesperado para Aidan. Corri bateu o pepino na tábua de cortar. imaginem isso. — Vamos começar com isto. uma jovem perguntou: — O que você e Kevin vão fazer para as festas. Lembrem-se: não tem nada a ver com a escala real. — Disse sim — confirmou o engenheiro de som. O diretor na sala de controle parecia não se importar com uma resposta. pegou um cutelo que estava próximo. Parker — disse Aidan. Aidan levantou uma das mãos para silenciar todos eles quando Corri voltou para a bancada com um monte de legumes. Após uma chuva de gargalhadas.. Levantou um pepino muito grande. — Ela não disse isso. Contudo. porque talvez tivesse deixado Kevin arruinar o melhor trabalho que já tivera. parecendo não se importar com um tomate que rolou para o chão. antes de o comercial entrar. ela .

temendo ser atacado com uma lixa de metal que estava sobre a penteadeira. realmente.poderia ter feito picadinho de qualquer possibilidade de uma transmissão para além dos canais locais. Ele era o responsável pelo estúdio. — Entre. Aidan — disse. — Aidan pegou o papel e olhou rapidamente antes de sussurrar: — Desgraçado. — Vocês estão com problemas? Ela jogou a escova em uma gaveta. — Fiz um papelão. o que significava que era também responsável por ela. Aidan. Ela arrastou a carta sobre a bancada e a estendeu para ele. estudando-a. Mas. Estou despedida. — Vá em frente. Corri puxou o elástico do rabo-de-cavalo e começou a escovar o cabelo com golpes rápidos. que fechou com um pouco mais de força do que o necessário. Ele entrou no camarim com as mãos no bolso e ficou parado. Ao ouvir as batidas na porta do camarim. — Nosso relacionamento todo foi um grande problema. Ele deu dois passos lentos em direção a ela e parou. Diga alguma coisa. — Primeiro me conte o que Kevin fez com você. em silêncio. — O que está acontecendo com você? Corri não estava surpresa de ver no espelho o reflexo de Aidan. — Diga. Quero falar sobre a repercussão do meu comportamento. não quero falar disso agora. . — Eu sabia que era inevitável. Aidan devolveu a carta e se recostou sobre a penteadeira. parado perto da porta. Só não sabia que ele faria desta maneira. Ela girou o banco e deu de ombros. Diga que vai cancelar o programa. — Isso chegou dez minutos antes do programa. ela esperava encontrar um monte de executivos do estúdio mergulhando sobre ela como um bando de falcões famintos. Pegou um lenço de papel e removeu o que podia do rimel borrado sob os olhos. Diga que a equipe da censura está esperando lá fora para lavar minha boca com sabão.

— O que você vai fazer. Se não. Ela não tinha dúvida quanto a isso. nem se preocupe. no mínimo. — Realmente. O plano não parecia muito bom para Corri. tentaria. — São 16h e Kevin nunca chega na hora.— Não saberemos pelos próximos dias — disse. Aidan. — Se não estou enganada. Poucos homens a faziam sentir-se tão delicada. — Ele ainda é seu irmão. — Se isso a faz sentir-se melhor. Aidan? — Vou falar com ele. — Dobrou a carta e a pôs dentro do bolso interno do paletó. não foi um dos meus melhores momentos. Já estava condenado desde o início. também não estou contente com ele. — Não vou convencê-lo do contrário. Peço desculpas. Sabia que ele. — Se você acha que de alguma maneira vai conseguir mudar a idéia dele sobre o noivado. eu o levo ao aeroporto. Ele ia pegar o vôo de 18h para Baltimore para fazer uma filmagem sobre algum jogador de futebol americano. Aidan olhou o relógio e se levantou da penteadeira. Ela deslizou sobre o banco e percebeu como se sentia frágil parada em frente a Aidan. você está muito melhor sem ele. eu resolvo. Até onde eu saiba. Ele acrescentou um meio sorriso ao comentário. Se eu sair agora. Todos os homens na cabine de controle juntaram as pernas simultaneamente quando você atacou o pepino. — Você sabe onde ele está agora? Corri sabia para onde gostaria de mandá-lo: para algum lugar sem arcondicionado ou quaisquer daqueles produtos caros para cabelo que Kevin adorava usar. deve estar saindo para o aeroporto. — E isso significa determinar que segmento do meu público foi o mais ofendido. Era impossível não amá-lo por tentar suavizar a situação. Os mais conservadores ou os homens. . — Mas o que quer que aconteça. — Eu diria que os homens. posso pegá-lo no apartamento. mas estava furiosa com Kevin e não conseguia pensar direito. Claro que o sangue da família corria-lhe nas veias.

logo depois que ela e Kevin haviam começado a sair. — Vou me assegurar de que todos os objetos perfurantes estejam fora de alcance. e a última coisa de que Corri necessitava era mais confusão. então me prometa que não vai fazer nada estúpido. Corri. — Agora vá para casa. que ele vestira na festa de São Patrício. mas você pode me beijar do mesmo jeito!". De outro beijo. o Patrimônio. Havia começado com algo bobo. Ela acabara ficando com ele na cozinha. Aidan nunca fora o tipo de homem de dar beijos. Impensado. mas o fez naquele momento. sozinha. Corri tocou com as pontas dos dedos o lugar onde os lábios dele estiveram por apenas alguns segundos. Para sorte de Aidan. Ligo para você mais tarde. E então ela se lembrou de um dia de março.. E então acontecera. O beijo. Aidan O'Brien de fato se encaixava nessa categoria. padroeiro da Irlanda. Ainda assim. Não era o tipo de homem que demonstrava abertamente as emoções. — Se não posso convencê-lo a não confrontar seu irmão. De uma coisa ela sabia: homens muito sensuais só queriam saber de confusão.. ela ficara sabendo que Aidan e a namorada de anos haviam terminado. o carro de Kevin ainda estava estacionado na garagem do condomínio. embora nunca os tivesse utilizado com ela. ela o acompanhara à Jamaica e haviam voltado noivos. Era adequado. Infelizmente para Kevin. Corri sentira-se tão culpada que voltara para a sala de estar para ficar com Kevin e depois fingira uma dor de cabeça para que ele pudesse levá-la de volta para casa. nada menos que a cozinha da mãe dele. uma camiseta com os dizeres "Não sou irlandês. Havia meses que não se permitia pensar nele. Ela recebera uns beijinhos fraternos dos irmãos O'Brien. até o momento. menos de Aidan. beijara-lhe o rosto. No fim de semana seguinte. mas não soubera a razão. Era exatamente como ela queria ser vista por Kevin. inesperado e com um quê de inocente. a menos que fossem de insatisfação. Aidan não estava disposto . Não tivera razões. Ainda assim. embora não estivesse segura sobre como sentia-se sendo um patrimônio. totalmente surpresa com o gesto. costumava usar o tom de voz e os olhares cortantes como arma. — Ele se inclinou e lhe deu um suave beijo na face. por motivos desconhecidos por todos.— E o comportamento dele teve impacto no patrimônio mais valorizado desse estúdio. Depois que Aidan saiu. Já fui estúpida o suficiente por nós dois hoje. Corri apreciava tal apoio. Após isso. na casa de Lucine e Dermot O'Brien.

Nunca mereceu. — Não tenho muito tempo para isso. não é da sua conta. Aidan. Aidan caminhou até o sofá e se debruçou sobre ele. era o que provavelmente tinha acontecido. presunçoso. mano. Aidan o empurrou.. Mas agora ela é sua. Você poderia ter sido homem o bastante para pelo menos ter terminado pessoalmente. Bateu na porta três vezes antes que Kevin por fim atendesse. — Não gosto de cenas de despedidas melosas — disse Kevin. Depois de apoiar os pés descalços na mesinha.. descabelado e sem camisa. mas poderia assegurar-se de que não seria agradável. Meu vôo sai em três horas e já tive que mudá-lo por causa de outro compromisso. Isso deixou Aidan com mais raiva. sem ter que encarar ninguém. A julgar pelas roupas espalhadas por todo o quarto. Kevin. Kevin passou a mão rapidamente pelos cabelos: — Ei. — Você é um covarde. — Corri mandou você aqui. Você não merece Corri. Mas estou aqui agora e você me deve algumas explicações. . E é melhor começar. Kevin sorriu. Aidan apostaria que o que seu irmão chamava de compromisso não estava de forma alguma relacionado a trabalho. — Corri não queria que eu viesse. Não me incomodo que fique com minhas sobras. entrou na sala de estar e jogou a carta. Kevin. — Que diabos você estava pensando? — Kevin olhou o papel e desabou no sofá. — É muito mais fácil terminar de maneira limpa. — Acho que você está tentando me dizer que você a merece. — Não sei do que você está falando. como se tivesse acabado de sair da cama. — Claro que sabe. Você sempre a quis e ficou meses na fossa porque eu cheguei lá antes de você. Não tinha muita certeza do que diria ao irmão. o que você está. Além disso.a ser simpático. —Agora é da minha conta. Kevin se reclinou e pôs as mãos na nuca.

Algo que o machucaria mais. observando o escudo de um time profissional de basquete. já estava do lado de fora. resistindo à vontade de dar um gancho de esquerda no queixo do irmão. — Se você fizer mais comentários sobre processar Corri. vou processá-la e ao estúdio por calúnia e difamação. A esposa de meu chefe estava assistindo e me contou. — Vá embora. depressa. e não me importa se você é o dono. — A menos que você esteja tentando conhecer seu lado feminino. Esperava que as ameaças tivessem funcionado. Essa foi a única coisa boa que sobrou daquele dia. Tiveram as rixas normais quando pequenos. e agarrou o suéter.. Porém. Corri não estava mais com Kevin e isso significava que ela era livre e desimpedida e que ele não teria problemas em ajudá-la a esquecer seu irmão. ela poderia fugir novamente. — Não vou ignorar o que Corri disse de mim no programa hoje. do contrário Corri poderia se ver em uma batalha judicial contra o noivo. Se meu cargo estiver em risco. Do contrário. um golpe direto em sua reputação profissional.. para tudo havia uma primeira vez. escolhendo não pegar o elevador e descer os quatro lances de escada para descarregar a tensão. Havia algo que se parecia muito com uma roupa de líder de torcida sobre o encosto de uma das cadeiras da mesa de jantar. Exnoivo. diria que a dona disto provavelmente está do outro lado da porta do seu quarto. mas ele jamais batera em nenhum dos irmãos. . Aidan corrigiu. algo chamou-lhe a atenção. Justo quando Aidan ia começar a dizer que não se podia difamar um homem de pouco caráter. Aidan. por causa de Corri.Aidan se agarrou ao que restava da própria compostura e moderou o tom quando disse: — Isso não merece uma resposta. mesmo que para isso precisasse ir devagar. Acabo de ser promovido a repórter sênior de minha equipe na revista. Ele poderia transformar as velhas fantasias em realidade. — Kevin se levantou. E então considerou algo mais eficiente. Farei com que saiba que você está mais interessado em ir para a cama com uma líder de torcida do que em fazer seu trabalho. antes que ele tivesse uma chance. Atravessou a sala e pegou o suéter. Aidan cerrou os punhos. Kevin foi até ele. Aidan não esperou pela resposta de Kevin. serei forçado a falar com seu chefe pessoalmente.

Aidan jamais a visitara antes. quando fitou pelo olho mágico. não podia agüentá-la. Viu o irmão dele parado à porta. Achei que talvez você precisasse de uma bebida. nas poucas vezes em que Kevin visitara o apartamento dela. — Por favor. Precisava de um pouco de ordem na vida. até que não pudesse agüentá-la mais. — O que você está fazendo aqui? Ele segurava um saco de papel marrom. que gostava da liberdade de fazer uma bagunça sempre que quisesse. E. Sentia-se como se estivesse amarrada a uma montanha-russa. . de certa forma. Por sorte. arrumando a desordem que ignorara por várias semanas. na verdade. Ainda assim. Corri abriu a porta.CAPÍTULO DOIS Por três horas Corri caminhou pelo próprio apartamento. Quando a campainha soou. ela aproveitaria a oportunidade com muito prazer para lhe dar um chute no traseiro. As roupas costumavam ficar onde aterrissavam. Nunca fora uma rainha do lar. — Trouxe vinho. era como se nunca tivesse estado lá. Se por acaso fosse ele. o que era uma surpresa e tanto. como deveria ter feito meses antes. embora a cozinha sempre estivesse organizada. Aidan a seguiu até a sala de estar e tirou o paletó. Era provável que nunca tivesse mesmo. alguns embaixo da cama. até que as juntasse para levar para a lavanderia. se arrependendo imediatamente por estar despenteada. justamente agora. Crescera em um ambiente tão estéril. com cada coisa sempre no devido lugar. De várias. Ou até mesmo na vida dela. não viu Kevin. Corri temeu que pudesse ser Kevin voltando para consertar as coisas por insistência de Aidan. Vários pares de sapatos poderiam ser encontrados jogados em vários lugares. O quarto era outra história. jamais deixara muitas lembranças. Para todos os efeitos. Ela precisava. entre. sem ter como sair dessa viagem caótica.

Podemos pedir comida chinesa. Sente-se. Ou pizza. poderia ir à academia e tentar reverter o prejuízo. ela poderia de fato acreditar nele. nem se lembrara de penteá-los. — Gosto de bairros tranqüilos. Cachorro-quente de microondas. ela passou a mão pelos cabelos. Não se preocupara em secá-los depois do banho.— Lindo apartamento. Estava para começar a fazer algo para o jantar. — Sabe. — Você está ótima. embaraçados. um para ela e dois para Aidan e. — Obrigada. — Acredite. — Acho que estamos empatados. Você já comeu alguma coisa? — Não — disse. No dia seguinte. não é nada sofisticado — disse Corri indo para a minúscula cozinha. enquanto punha o paletó nas costas de uma cadeira. uma tentativa de compensar a ausência no aniversário dela de 29 anos. Ela gostava de como ele estava vestido naquele momento. Considerando a ênfase no tom. Na verdade. Corri colocou três cachorros-quentes no microondas. Um pouco distante do centro. — Estou horrível. — Mas você não deveria se preocupar em preparar nada. então — disse ele. jeans gasto e mocassins. Não que ela já o tivesse visto com qualquer coisa que não o deixasse lindo. estou tão acostumada a ver você de terno que é quase um choque vê-lo de roupa informal. porque era exatamente o que ela havia planejado fazer. seria capaz de atirar um contra a parede. Imediatamente. comida rápida de verdade. como biscoitos com cobertura e soda italiana. A menos que ele considerasse cachorro-quente sofisticado. Sem falar na camiseta e no moletom desbotados demais para ainda serem usados. depois de juntar os acompanhamentos e os talheres. jogado no sofá e pondo a garrafa sobre a mesa. — Raramente vejo você sem toda aquela maquiagem ou sem um penteado qualquer. Abriu o armário e tirou as taças de vinho de borda dourada que Kevin trouxera para ela de Pamplona em julho. com camiseta azul-marinho. . Passara pelo mercado na volta para casa e estocara comida rápida. pôs tudo em uma linda bandeja de madeira. Se eles não fossem lindos como decoração. tal como fizera com o anel.

Ótimo. — Muito engraçado. Mas ela estava mais preocupada em satisfazer Aidan. posso pegar. — Talvez você queira usar isto para extravasar um pouco mais em seu cachorro-quente. Mas estava na casa dela. com mais de uma mulher. — Ela lhe passou o saca-rolha.Depois de tirar um saca-rolhas do bolso e de enfiar um pacote de batata-frita embaixo do queixo.. Aidan olhou os cachorros-quentes por alguns instantes. Ele serviu o merlot e depois lhe deu uma taça. só para serem dispensadas pela assistente de Aidan. . Corri não tinha dúvidas de que ele já fizera isso mais de uma vez. — Para uma boa audiência. Ridículo. não no escritório. — Aí está. Cachorro-quente à la Corri. ele não se envolvera a sério com ninguém nos últimos tempos. Aidan já havia comido dois. Ele pegou a embalagem de picles. Se ele não tivesse dito aquilo com um sorriso sexy. Além de parecerem um tanto esquisitos perto dos pratos de papelão. Ela sentou-se ao lado dele. Não como cachorro-quente desde um jogo de beisebol no último verão. Quando terminou de comer o cachorro-quente. Corri tocou a taça dele com a dela. Mas até onde Corri sabia. Stella. ela teria tomado como um insulto. seu amigo.. Ela abriu o pacote de batatafrita e ofereceu a ele. mas ainda assim sentindo-se estranhamente nervosa. mantendo uma distância segura entre os dois. — Posso fazer uma omelete se isso não estiver bom. — Está ótimo. Ele era seu chefe. — Ele pegou uma faca e passou para ela. Aidan abriu o vinho com toda a habilidade de um homem que já praticou muito. Algumas apareceram no estúdio como tietes de primeira perguntando por ele. — Os guardanapos de pano dão um toque especial. Desde que terminara com a namorada. porque Corri na verdade não queria chegar perto do fogão. ela levou a bandeja para a sala e a pôs sobre a mesinha de centro. — Está ótimo. — concluiu Corri. já havia saído com algumas pretendentes ansiosas. Acho que já dei golpes suficientes para um dia. — Se você quiser queijo ralado. — Você pode fazer as honras. Mas não que isso fosse importante para ela. — Caso você ainda esteja com fome.

Isso deu a Corri uma forte sensação de satisfação. O que combinaria melhor com um cabelo horrível e falta de maquiagem do que um respingo de mostarda? — Mostre onde está que eu me limpo. Aparentemente. Corri recostou-se outra vez no sofá. Corri pegou uma batata e pôs o pacote sobre a mesa. por que ele não tirava a mão do rosto dela? Por que continuava olhando para ela como se quisesse repetir o beijo da cozinha? E por que ela desejava que ele a beijasse? Fácil: não estava em juízo perfeito. e tentou pensar em alguma coisa para dizer e quebrar aquele silêncio incômodo. ele pôs a mão no queixo dela e. No prédio dele. Pensou em uma pergunta que deveria ter feito no minuto em que ele chegara. Ela sentiu um abrupto surto de excitação. — Não deveria estar comendo isso também. não? . E provou isso comendo as batatas em tempo recorde. ela teria de extrair as informações dele. — Porquê? — Porque você está com mostarda na boca. — Você encontrou Kevin? A sutil mudança de posição de Aidan indicou uma quebra em sua compostura normal. Claro. Em vez disso. — Saiu. esfregou-lhe o canto da boca várias vezes. mas depois de hoje estou com vontade de me esbaldar. Aidan levou o olhar aos lábios dela e disse: — Venha aqui. com o polegar. obrigado. — O que ele disse? — Disse que eu deveria cuidar da minha vida. ele afastou a mão e deu um longo gole no vinho.— Não. Ainda não tinha saído para o aeroporto. com a taça na mão. Eu o chamei de covarde. — Você bateu nele. Por fim. Ela esperava que ele pegasse um guardanapo. — Eu limpo. — Encontrei. Pode deixar. Se já havia saído.

Contudo.. até que ele mencionou que vai processar você e o estúdio por causa do programa. Isso pedia um pouco mais de vinho. — Desculpe. por que diabos concordou em se casar com ele? Ela não tinha planejado contar a Aidan ou a ninguém as razões por trás do noivado. ele não parecia lamentar. Ela beliscou o nariz e fechou os olhos. Normalmente. de maneira alguma. E se isso destruísse a amizade. Mas isso explicava o fim do relacionamento: ele não precisava mais — E ele estava com outra mulher. Foi a esposa do chefe dele. — Então ele conseguiu a promoção? — Ele não contou? — Não. Aidan merecia uma explicação. — Não entendo. Francamente. meu relacionamento com Kevin era um desastre anunciado desde o começo. tinha vergonha de toda a história. Se você sabia que não daria certo. então. Mas. — Sim. mas queria. — Não estou chocada. era porque ela provavelmente merecia. Ele a analisava minuciosamente. de modo que você não precisa se preocupar com isso. uma líder de torcida. dela. Como lhe disse. ele não vê o programa. considerando a própria estupidez. que Corri tomou antes de perguntar: — Que tipo de ameaça? — Disse que contaria ao chefe dele que o novo repórter da equipe estava envolvido em atividades não-relacionadas ao trabalho quando deveria estar em Baltimore. — Perfeito. Aidan. —Respondi com algumas ameaças também. . E me desculpe por ser a pessoa a lhe trazer as más notícias. Aidan. Corri chutou os chinelos e sentou-se sobre as pernas. — Algo que não surpreendeu Corri.. — Ele não viu.— Não. já que vinha fazendo o papel de nobre cavaleiro. não contou.

Você e eu sabemos que minha audiência estava abalada antes de eu viajar para a Jamaica. — E toda aquela cena hoje? Também foi um teatro? Ela olhava as mãos. Aidan levantou as mãos. — Kevin queria manter a farsa até ter a promoção assegurada. disse: — Sei que você pensa que sou louca. — A viagem para a Jamaica em março envolvia uma conferência com vários executivos de revistas. acredite. terminou o vinho e pôs a taça vazia na bandeja. Aidan reclinou-se para a frente e pôs a mão no rosto. Ele explicou que Ed e a mulher eram muito conservadores. — Planejava terminar com tudo isso muito antes.Mas por que você não consertou as coisas quando voltaram para casa? Aí é que as coisas se complicavam. Não posso acreditar que seguiu com essa história por nove meses. Fui a várias festas como sua noiva porque ele achava que seria melhor se parecesse que ele tinha uma vida estável..— É uma longa história. E. Em vez disso. já questionei bastante minha sanidade mental nos últimos meses. Quando Corri não podia agüentar mais. preferi manter o teatro. agora sobre o colo. — Espere um minuto. não pude fazê-lo. — Ele ficou calado. — E eu ainda poderia ter perdido o emprego dos meus sonhos. — Pode-se dizer que era. Provavelmente porque era. — Você é uma mulher esperta. Corri. Corri respirou fundo. incluindo o chefe de Kevin. Vamos escutá-la.. e isso levou mais tempo do que ele imaginava. Você deveria ter falado comigo. . —. muito envergonhada de olhar para ele. O noivado era uma farsa? — Soou tão sórdido para Corri. mas depois que Freed se empolgou com a história do noivado e decidiu incorporar todo o iminente cenário de casamento no programa e minha audiência começou a subir. — Freed só está produzindo o programa porque eu o coloquei lá. e então me convenceu de que seria melhor se fôssemos noivos. — Tenho a noite toda.

pelo menos no começo. — Ela respirou fundo e soltou a respiração com um suspiro. — Conte o que ele fez. no sentido sexual. — Ela sempre vê o programa. Kevin sempre foi o gêmeo doente.. — Esqueça. Finalmente cheguei à conclusão de que nunca seria o bastante para ele. — Ele sabe ser muito charmoso. Por isso. Não estarão aqui até a noite de Natal. Kevin interpretou isso como "namorando" não só a mim. Meus pais estão em Wisconsin. ele não fizera nada para ela. Um rompante de raiva cruzou o rosto de Aidan. — Quando concordamos com o noivado. mas muitas outras mulheres pelo país. aprendido da maneira mais difícil. Ela deve pensar que sou terrível. independentemente do que ele tivesse feito. e eles quase o perderam quando ele nasceu. também concordamos em continuar namorando. A raiva era verdadeira. — Meu Deus! Sua mãe! — Corri cobriu o rosto com as mãos. — Você é uma mulher muito bonita. . — Você não tem que se preocupar com isso.. enquanto o restante de nós tinha que seguir as ordens. ele seria capaz de sair impune de um assassinato. — Sabe. Na verdade. — Não teria feito o que fiz por uma pessoa que odiasse. — Kevin nunca teve um relacionamento estável com ninguém — disse Aidan. ou com ela. Ela se importava. Isso não é mais um problema. Corri. Embora tenha que admitir que. — Quando éramos mais novos. Aidan pôs o braço no encosto do sofá e gentilmente tocou o ombro dela para chamar-lhe a atenção. — Não é o que você pensa.— Não. definitivamente. Corri tinha. mesmo que meu irmão seja cego demais para ver. quando ele me fazia coisas. Realmente me machucou muito o que Kevin fez. às vezes. Mas Kevin me fazia duvidar de mim. Isso é culpa de minha mãe. e era isso que eu odiava mais. — Ele é mimado — disse Aidan. visitando o meu tio. — Então você se importava com ele. e isso não é culpa sua. sempre fui uma pessoa autoconfiante e segura. ela sempre fazia de tudo para defendê-lo. — Ele não vai mudar. não foi.

Corri não tinha certeza se poderia receber mais notícias chocantes. — Você não tem que se preocupar com nossa amizade. Considerando que Aidan tinha apenas 35 anos. embora enfrentar os O'Brien fosse inevitável. eu entendo. E estou muito seguro de que Kevin não vai soltar a bomba. — Isso parece sério. Não sabia se poderia pensar com Aidan tão perto dela. fazendo Corri bocejar. Aidan manteve os braços em volta dela. — Duvido que algum de meus irmãos vá lhe dar a notícia. — Espero que ninguém conte nada a ela antes de eu ter a oportunidade de explicar tudo. Corri. — Não o culparia se você decidisse não ser mais meu amigo. E isso fez surgirem várias perguntas na cabeça de Corri. — Até onde você foi pela sua carreira? — Essa é uma nova longa história. pelo menos não por ora. Depois do Natal. Quando ele ofereceu a mão para ajudá-la.Corri sentiu algum alívio. Vocês estão ambos obcecados com a carreira. de alguma forma. — Agora vou dizer uma coisa que nunca lhe disse. — Aidan deu um tapinha na coxa dela e se levantou. O cansaço mental começou a pesar. — É sério. — Surpreendentemente. Quando eles chegaram à porta. Vou guardá-la para uma outra vez. — Entende? — Entendo. ele a . Corri aceitou sem hesitar e se levantou. ele já havia conseguido bastante coisa. — Estou cansada demais para pensar nisso agora. — Pondo as mãos na parte inferior das costas dela. e é de se esperar que os dois possam ir longe. iria até a casa deles para conversar. — Muito obrigada por me escutar. Pelo menos ela teria alguns dias para se preparar. Agora me acompanhe até a porta antes que você caia morta aí mesmo. Corri lhe deu um abraço antes de se afastar. E mesmo que eu ainda tenha alguns problemas para lidar com o que você me contou. — Então deixo você ir para a cama.

Ele precisava parar de encará-la com aqueles olhos verdes cativantes. Mas é claro que. ele lhe deu um beijo cálido e demorado no pescoço. — Não sei o que dizer. bem abaixo da orelha. e não estou falando de trabalho. ela percebera pequenas coisas sobre ele. antes que pudesse responder à proposta. Por esse motivo. Naquela noite. entre outros. como os olhos verdes pareciam mudar de cor. e mais nada. o que não acontecia com freqüência. Afinal. Uma vez que a paixão entre Bridgette e James Harris acabara. basta pedir.. mesmo que Aidan fosse o inverso de Kevin. Mas se precisar de alguém para fazêla esquecer-se dos problemas. mesmo não sendo uma boa idéia. É um dos meus favoritos. se ele sorrisse. a não ser uma adolescente presa na eterna guerra entre os pais. — Você não tem que dizer nada. Certo. — Dos meus também. ela aprendera a evitar químicas avassaladoras em relacionamentos a qualquer custo. Um irmão O'Brien já fora o bastante.puxou para um pouco mais perto. mas. Já cheguei a imaginar você com ele. ficando mais escuros quando ele estava sério e mais claros quando ele sorria. em vez de pressionar os lábios contra os dela. Por exemplo. ela estaria se derretendo como um bom fondue de queijo. Ele também era extremamente sensual. Pelo exemplo dado pelos próprios pais. se a paixão latente finalmente explodisse. ela não tinha certeza de que conseguiria resistir. isso poderia ser demais para ela. Ela precisava parar de pensar naquela covinha no queixo dele e. . E forte. mas sexy. eu estou aqui. cultivar mais do que uma boa amizade com Aidan não era nada aconselhável. Corri. Ela desejou que ele o fizesse. Sabia como eram incríveis e exatamente como seria se ele a beijasse. naqueles lábios incríveis. ele já havia saído. Corri sacudiu a cabeça para espantar a ilusão e se forçou a voltar à realidade. E tentador. Ele pôs os cabelos dela para trás. sobretudo. não sobrara nada. Seja lá do que você precisar. Aidan. — Sabe aquele avental vermelho que você usa de vez em quando no set? — Sei.. Antes que Corri pudesse se recuperar daquele gesto simples. basta pedir. — Lembre-se: se você precisar de qualquer coisa. E ela devia estar fora do juízo perfeito para estar tão incrivelmente atraída por Aidan depois do que passara.

— Eu vi tudo — disse ele. considerando . — Não pense que não acobertei no passado. A parcela mais fisicamente saudável da população de Houston provavelmente estava questionando a capacidade mental dela. Ao longo dos meses. — Aidan já falou com Kevin. Sei que você não acoberta seu irmão. Corri demorou a perceber. mas Kieran era canhoto e mais musculoso. Corri. — Sou. depois de meu pequeno acesso de raiva. — Oi. Ele sorriu. Mas ele me fez coisas imperdoáveis. — Não estou preocupado com isso. Ótimo. Ela deveria ter percebido que era Kieran. — Estou chocado com o fato de que Aidan não bateu nele.. Já estou buscando uma nova desculpa faz algum tempo. e quase caiu da esteira antes de ter a presença de espírito de desligar o aparelho. Corri. incluindo aquela. — Você já soube. — Fiz questão de deixar o programa passando nas academias ontem à tarde.Quando aquele homem deslumbrante entrou na academia lotada. se você quiser que eu bata nele. — Oi. Corri sorriu. Ela acrescentou telepatia à lista de diferenças. considerando que ele era um personal trainer e dono de três academias de sucesso.. mas. Por meio segundo ela pensou estar prestes a confrontar o passado. e não Kevin. mesmo que Kevin não tivesse herdado esse gene. Eles tinham os mesmos cabelos e olhos escuros. — Sentou-se na mesa de supino perto da esteira. a última pessoa que queria ver agora depois do que Kevin fez. Isso seria lógico. provavelmente. — Não é culpa sua. Não que isso tenha ajudado. Quando Kieran se aproximou. mesmo eles sendo gêmeos idênticos. Então. ela tivera de aprender a reconhecer as diferenças físicas. mas. e peço desculpas por Kevin ser tão idiota. — Normalmente eu lhe agradeceria por isso. vindo na direção dela. Kieran. Pelo menos a maioria dos irmãos O'Brien tinha honra. mesmo com a réplica do exnoivo sendo a última coisa que quisesse ver naquele momento. Kieran. acho que você vai querer me banir para poder manter a clientela masculina a salvo. Estou preocupado com você. me avise.

o que ele sente por você. Ela ficou boquiaberta por um momento. Corri achou impossível que Kevin nunca tivesse comentado o ocorrido. incrédulo. grave e sexy. — Aidan sabe que todos sabem? — Disso eu duvido. Na maneira como Aidan dizia seu nome. — Se você está preocupada com mamãe. — Como quiser. tirando Corri do devaneio. Kieran olhou para ela.. não importa. eles haviam estado sempre lá: nos olhares afetuosos que ele lhe lançava. Kevin viu vocês dois juntos. Não era exatamente verdade. esqueça. — De qualquer forma. Perfeito. Kieran parecia não acreditar. no toque leve que a maioria das pessoas poderia ver como inocente. — Defina quase. quando Aidan . Mas todos os garotos. que a fazia saber exatamente como soaria se ele o dissesse enquanto estivessem fazendo amor: suave. — Você sabe disso? — Quase todos sabem. E ela não poderia desconsiderar a noite anterior ou o dia da cozinha. Aidan estaria com você em um instante. Algo que aconteceu meses atrás. — E o beijo no dia de São Patrício? — Kieran perguntou. Não tenho certeza se Mallory ou papai sabem. Eu já havia me esquecido de tudo. Meu Deus. Foi apenas uma dessas coisas da vida. Mas eu lhe digo uma coisa: se houvesse uma chance. — Ele é um bom amigo — disse ela. E Corri pensava que havia passado por todo o choque humanamente possível nos últimos dois dias. — Aidan contou? — Você está brincando? Aidan nunca conta nada a ninguém.. incluindo Kevin. E. Não é da conta de ninguém além de você e Aidan. Corri? — Não tenho razões para acreditar em nada diferente disso. Ela balançou a mão como se rejeitasse tal idéia. ele era vidente. Embora tivesse negado conscientemente os sinais sutis durante meses. conselho de amigo. — Você acha que é só isso que ele quer ser para você. sabem. — Ótimo.

em março. — Eu sei — disse ela. Não a possuí atrás da cristaleira da minha mãe. — Eu me lembro que foi um erro. Isso provavelmente explicaria a insistência de Kevin em perseguir Corri. ele me disse que todos os seus irmãos sabem.quer uma coisa. — Estou falando daquele dia na casa dos seus pais. ele planejava fazê-la se lembrar de como fora bom. Naquele momento. Então. — Realmente não dou a mínima para quem sabe disso. inclusive Kevin. — Não essa cozinha. mesmo desejando observá-la por inteiro. Cada centímetro daquele corpo gritava "sexo". O cabelo estava preso em um coque. definitivamente. com algumas poucas mechas emoldurando o rosto avermelhado. estava escutando. — Aidan tentou evitar as imagens que o comentário evocou. me lembro de cada detalhe. e me lembro de cada momento. se lembra? — Sim. você estava lá. Na festa. — Você sabe que Kieran sabe sobre a cozinha? — Ela perguntou. vestindo calça preta de ioga e casaco azul brilhante. algum dia. — Que bom que você está aqui. ele consegue. Em breve. Aidan não estava preparado para ver Corri entrando no escritório como uma tormenta. ele soube que a coisa era séria. — Pensei que tivesse dito para você ficar em casa por alguns dias. — Imagino que ele tenha visto o programa ontem. Na cozinha da sua mãe. e a libido de Aidan. ela se encostou nela como se as pernas não pudessem agüentá-la. ele precisava se concentrar nos . prepare-se. e falhou miseravelmente. no entanto. Ele poderia dizer o mesmo para Corri. O caçula dos O'Brien era muito competitivo. Na verdade. Corri. Na verdade. lenta e detalhadamente. — Foi apenas um beijo. Quando ela caminhou rapidamente até a mesa e escorou as mãos na beirada. Depois de fechar a porta. Ele fechou o laptop e manteve o olhar treinado no rosto dela. — Eu estava lá. — Ela puxou a cadeira do outro lado da mesa e se jogou nela. — Fui à academia e encontrei Kieran. Ele me disse uma coisa que eu queria compartilhar com você.

. você ainda está agendada para participar de um leilão para levantar fundos para uma instituição de caridade. — Eu já dei uma olhada. — Agora você tem que decidir se quer continuar com a gravação do pré-Ano Novo na próxima quarta ou se deixar substituir por um de seus programas pré-gravados. do qual não gostava nem um pouco. Aidan jamais permitiria que aquilo acontecesse. e de apoio. — Por falar em Ano Novo. Ela ruminou aquilo por um minuto antes de dizer: — Farei a gravação. — Uma Lotus. e talvez não parasse por aí. a coisa poderia ficar feia. — Resolvi esperar um pouco para fazer isso. e não em uma lembrança que revivera em mais de uma ocasião. Você tem certeza de que eles ainda querem leiloar? . — A maioria dos e-mails foi de mulheres.negócios. desde que você o deixasse revistá-la antes de você entrar em sua Lotus. — Tinha me esquecido totalmente disso. Será uma oportunidade para me desculpar com meus fãs. ele daria a volta na mesa e tiraria a porcaria do casaco. A mão dela foi ao zíper do casaco. Ela esfregou a testa. por fim. Aidan se esticou para trás e pegou o tópico de trabalho seguinte. abrindo-o e fechando-o compulsivamente. Um homem mandou uma mensagem com uma única palavra. hein? Deve valer uma revista. Alguns poucos foram de homens se oferecendo para consolá-la. — Qual era? — "Ai. Ela riu. — Muito ruim? Se ela não tivesse interrompido o espetáculo." E algum idiota a convidou especificamente para jantar. dando a Aidan a visão dos seios sob a malha branca apertada. — Já viu seus e-mails hoje? Ela parecia chocada com a brusca mudança de assunto. Em dois minutos..

Estava tão nervosa que me esqueci. Ele apertou o interfone e. Ele não tinha certeza se ela estava emocionalmente preparada para ver a fita.. — Ele gravava todos os programas para analisar. Qual é a pior coisa que pode acontecer? Ela poderia encontrar alguém para tirar-lhe os problemas da cabeça antes de ele ter uma oportunidade. Por enquanto é só.. sobretudo sozinha. Ele se levantou e deu a volta na mesa. mas prefiro testemunhar minha queda em particular. Aidan se negava a deixá-la sozinha na casa dele. os pontos não profissionais dela. — Por quê? — Porque eu não gravei. — Não precisa. — Ah! Outra coisa. A menos que você esteja com medo de que eu possa roubar todos os seus objetos de valor ou deixar um rastro de legumes cortados à minha moda. — Ela se inclinou para a frente e colocou as mãos sobre a mesa de maneira mortal. — Não estou preocupado com nada disso. — Vou com você. Ele esperava que ela recusasse. Se não tiver problema. Mas você pode recusar. Além disso. Prefiro terminar logo com isso. eu devolvo antes de você sair hoje à tardinha. pensei se poderia vê-lo na sua casa à tarde. Poderia ver aqui. é apenas um jantar. Ela ficou olhando para o nada por um minuto e disse: — É por uma boa causa. — Você gravou o programa na sua tevê? — Gravei desta vez porque era ao vivo. Se você puder me dar sua chave agora. disse: — Diga a Freed que surgiu um problema e que preciso reagendar nossa reunião para depois do almoço. Mas ele ainda tinha tempo e paciência. quando Stella atendeu. ligaram hoje pela manhã para confirmar.— De acordo com Stella. Espero que não esteja tão mau quanto penso. Ele não gostava da idéia de algum cara pagando por um encontro com ela. Como você nunca esteve na . — Avisarei a Stella. ele voltou a atenção para Corri. —Você tem certeza de que não quer esperar alguns dias? — Não. Aidan. Sem esperar pela resposta da assistente. Eu vou.

E vira mesmo.. — Você é praticamente da família. até que ele encontrasse o momento exato e a maneira certa para convencê-la a abrir mão de um pouco do controle. — Eu dirijo. — Ela teve vontade de derrubá-lo do braço do sofá caro de camurça bege. Aidan apontou o controle para o vídeo. — Você parecia moderadamente irritada. — Ela tirou um chaveiro do bolso. . — Você tem certeza? Posso passar em câmera lenta para você ter uma noção completa da parte do cutelo. Moderadamente era. — Não consigo suportar a idéia de sua mãe e seu pai vendo isso. Ele deixaria que ela desse as cartas. — disse. Corri passou o controle remoto para Aidan e abaixou a cabeça. E já que eles não têm "a mais alta tecnologia".. fita. CAPÍTULO TRÊS Envergonhada. — Tenho medo de vê-los novamente. — Fico feliz que você veja graça nisso. E isso em si representava um grande problema. Isso se eles quiserem me ver de Mais uma coisa que Kevin havia tirado dela. simplesmente não sabe onde é. Contudo. Aidan não ia discutir esse tópico. Eu parecia uma lunática. também mentira sobre Kevin. — Minha mãe a considera uma segunda filha. por ora. Corri. até o olhar de louca que dera ao sair para pegar o pepino.minha casa. porque eu não vejo. novo. — Já vi o suficiente. e isso a fazia sentir-se mais envergonhada. — Bem. selecionou "Apagar" e limpou a — Agora você não tem que se preocupar com você mesma vendo também. quando você põe as coisas dessa maneira. em definitivo um eufemismo. Corri odiava enganar pessoas tão boas como Dermot e Lucine O'Brien. duvido que tenham gravado.

O mesmo que ele lhe dera no dia de São Patrício. Sentindo-se inquieta. ela se voltou e quase perdeu o equilíbrio. Ela se virou e se reclinou. — Não estou com pressa para voltar para lá. Os utensílios eram de aço inoxidável. A casa ficava num bairro fechado. considerando que teria de voltar para uma casa vazia e. Ela estava surpresa com a localização e os arredores.. — Você poderia me levar para conhecer sua casa. — Acompanhe-me. e não ir em direção a ele. Mas precisava sair de perto dele. O engraçado era que ela não tinha vontade de se mover. Ele parecia tão apetitoso que ela poderia muito bem se esquecer da cozinha de novo. sem dúvida. parando à janela que ia do chão ao teto para observar a impressionante vista. Corri seguia Aidan pela sala de jantar formal até a enorme cozinha. — É impressionante. ela não teria para onde correr mesmo que quisesse. ficar obcecada com seu programa. Ela passou a mão sobre a bancada de granito negro e sussurrou: — Incrível. — Algo em particular que você queira saber. — Freed pode esperar.. — Vá na frente. salvando-se apenas por ter agarrado rapidamente a lapela de Aidan. Você já usou isso? . Ele lhe lançou aquele olhar de antes. Corri? Assustada. ficar um pouco mais com Aidan seria uma boa distração.. do contrário. Corri saiu do sofá e caminhou pela grande sala.— Era da família. — Creio que você tenha aprovado. Provavelmente era uma boa idéia. Corri também não estava. aquele da vez em que ela pensara que ele realmente fosse beijá-la. de primeira linha. — Ele apoiou a mão acima da cabeça dela. em um estilo contemporâneo que combinava com Aidan. Como a janela estava atrás dela. digna de sonho. embora provavelmente devesse. A decoração interior era notoriamente masculina. a quilômetros do centro.. Aidan. poderia estar cometendo um erro estúpido. Mas agora não mais. assim como o forno duplo e a geladeira de última geração. vendo que Aidan tinha posto a bancada central entre eles. A menos que tenha de voltar para o estúdio. incluindo um lago novo e várias fontes... Mas.

.. aquele calor. feliz. Mas? Mas o quê? Não era hora para "mas". na verdade. As sensações empolgantes traziam aqueles arrepios. Se Corri tivesse sido capaz de oferecer qualquer resistência até ali. por horas. quase uma provocação. tão logo quebrou sua resistência. Dessa vez. bem devagar.. vestido em um terno azul de grife e exibindo um brilho cálido nos olhos verdes. E quando Aidan finalmente a beijou. os polegares acariciando de leve a cintura. Começava lento.. talvez possa começar logo. não quando Corri desejava tanto permitir que ele lhe mostrasse o lado tentador antes de o bom senso voltar. sair do caminho. antes de avançar com a língua para lhe explorar docemente a boca. Na verdade. a sensação de que ficaria ali. Mas você está mais do que convidada a usá-la quando quiser. e pôs as mãos à volta dela. Ele abaixou a cabeça e olhou o próprio corpo. teria se desintegrado no momento em que Aidan tocou-lhe os seios. Corri poderia facilmente ir para o lado. Sem aviso. devagar. ele a levantou e a pôs sobre a bancada. a imagem de uma autoconfiança absoluta.. Ela viu o desejo nos olhos dele. — Tenho uma reunião em menos de uma hora para discutir seu programa. — Esta não é a cozinha da minha mãe. acariciou-lhe os mamilos por sobre a blusa e fez com que ela soubesse como era sentir aquelas mãos habilidosas sobre a pele nua. — Mas. .— Só o microondas. neste momento. não tentou fazê-lo. ela percebeu que não tinha se esquecido de nenhum detalhe.. suave. abriu o zíper do casaco dela. ele lhe deu um beijo e desceu as mãos até os quadris. Corri sentiu como se tivessem lhe jogado um balde de água gelada. nos braços dele. Aidan O'Brien levava a arte do beijo ao sublime. encantada. mesmo sabendo que não deveria. Naquele momento. depois de meses tentando apagar as lembranças. Contudo. pondose entre as pernas abertas de Corri. É. sentiu no tom de voz quando ele disse: — Eu poderia abrir minha braguilha em dois segundos e fazer amor com você aqui. Ele contornou a banca e andou na direção dela. Com uma das mãos. outra vez. Corri esperava ansiosamente por repetir aquele dia de março.. a realidade era muito melhor do que as lembranças. mas vai servir. Mas.. nem mesmo quando ele pôs as mãos sobre a bancada e se reclinou em direção a ela. — Subiu o zíper do casaco dela para a posição apropriada.

— Eu não deveria participar dessa reunião? — Aidan levantou a mão e a ajudou a descer da bancada. Aidan. — O negócio ainda não foi fechado. Por mais que Aidan desprezasse a idéia de vê-la sair da produtora. aquela era uma oportunidade rara no ramo. O agente dela lhe dissera no coquetel na semana anterior. qualquer dia desses. Corri. — O canal a cabo viu o último programa dela? — Perguntou Freed. Ele a envolveu com os braços e deslizou uma das mãos sobre o quadril dela antes de sutilmente roçar-lhe as pontas dos dedos pela barriga.. — Temos que dar uma olhada nisso. planejo cuidar de suas outras necessidades também. provavelmente sairá dessa mais popular do que antes. — Deixe-me cuidar disso. apesar de suas tentativas de evitá-lo. O humor de Aidan estava se deteriorando rapidamente. Nada que Aidan ainda não soubesse.. Se é controverso. — Viram e. Há um rumor de que eles vão fazer uma proposta a ela depois de 1o de janeiro. — Mas esse é o mantra da tevê a cabo. — Não vamos fazer nada ainda. Parker levantou as mãos. — Suponho que isso possa ser pior. então vá em frente. O interesse pessoal de Aidan continuava se intrometendo. A voz monótona de Freed Allen estava começando a irritar Aidan. significa que teremos que liberá-la do contrato — disse Freed. mesmo que um acordo formal não tivesse sido oferecido e Corri ainda não tivesse sido informada da possibilidade. pelo que entendi. — Sim. e seria errado impedir que ela desenvolvesse seu potencial. . Vamos continuar. — Corri vai sobreviver a isso. E o que foi dito não sai daqui até termos a confirmação. — Em breve. O calor ainda não se dissipara.Bem. água ligeiramente fria. Na verdade. mas se isso não der certo. — Pode ter certeza disso — acrescentou Parker Hampton. — Recebi uma ligação de uma amiga de um canal a cabo. não se importam — disse Parker. ainda que o trabalho o estivesse chamando naquele momento.

mesmo que isso significasse evitá-la até que as coisas se . — Ele se pôs de pé. Infelizmente. — Tenho apenas uma coisa a dizer: estamos deixando Corinna se safar desta vez. Hampton? — Uma rápida pergunta: está havendo algo entre você e Corri? Ele queria dizer ao assistente de produção que não era da conta dele. Por que todo mundo parecia inclinado a se meter na vida dele? Dali em diante. esta reunião está encerrada.— Não vou dizer nada. ele se certificaria de que ninguém soubesse que ele desejava Corri. mas isso só poria lenha na fogueira. Certo. A última coisa de que Corri precisava era se tornar alvo de fofoca no estúdio. Aidan lançou um olhar reprovador para ele. jogou-a na parede e observou-a fazer um pouso perfeito em um vaso de plantas. antes que todos soubessem que eram um casal. Ele pegou a caneta. Especialmente se alguém fizesse algo para irritá-la. — Amigos. Aidan jogou a caneta e se reclinou na cadeira. mesmo na época em que trabalhara com Tamara e estavam dormindo juntos. Não entendia por que estava tendo dificuldade para esconder a atração por Corri. não poderia garantir que Corri não teria um novo acesso como o último. — Deixe-me fazer uma sugestão: pare de olhá-la como se ela fosse o almoço de domingo e você tivesse ficado a semana toda sem comer. — Qual o problema.. — Nem eu — acrescentou Freed. não sua. — Conto com você para garantir que ela se comporte de agora em diante. — Ela era noiva de meu irmão. vai embora. Freed se levantou primeiro. — Essa decisão é minha. somos amigos. Sempre fora bom em esconder assuntos pessoais. Freed deu meia-volta e saiu da sala. O que significava que precisava prosseguir com cautela. — A menos que alguém tenha algo mais a dizer. o que deixou Aidan ainda mais irritado. mas se ela aprontar novamente.. Além disso. Parker saiu da sala sem dar oportunidade para que Aidan negasse. Com isso. Parker não se moveu um centímetro.

não ousaria considerar algo tão tradicional quanto um presunto. para variar? — Primeiro. Em geral. Ou fazer a receita de marreco de novo. ficara olhando para o laptop sem objetivo. Quinze minutos antes. dissera a Stella para pedir que Aidan a encontrasse no camarim. mas planejava descobrir. mas infelizmente o espelho oferecia uma visão privilegiada. — Você se importaria de dizer quais são. Quando ouviu a porta se abrir. Ele se aproximou e apoiou as mãos no encosto do banco da penteadeira. — Claro que não. Não queria parecer ansiosa. e as coisas parecem bastante boas quanto à reação do público. queria lhe dar algum tempo para pensar sobre o que aconteceu entre nós. tenho minhas razões. Ela conseguiu. mas algo simples poderia funcionar melhor do que tentar cozinhar um pato sem fazer uma bagunça total. mesmo que quisesse exigir respostas. já que meu chefe não fala comigo há dois dias? Ele girou o banco. se lamentando por concordar em continuar com o programa de Ano Novo.acalmassem. com dificuldade.. Por que eu deveria estar irritada quando não faço a menor idéia se tenho um emprego.. Segundo. . Corri não tinha certeza do que tinha feito para provocar o distanciamento de Aidan nos últimos dois dias. Corri? Ela olhou o espelho para ver se ele estava parado atrás dela antes de focar na tela de novo. o lugar onde sempre se escondia para planejar os novos cardápios. Corri se concentrou no menu semipronto. — Se você está pensando em por que não liguei para você. — Estou tentando decidir se faço vichyssoise ou um creme de milho com pimenta verde picante. não havia muito para dizer sobre a reunião. — Do que você precisa. girar o banco para dar as costas a ele e poder pensar sem olhar para aquele rosto incrível. e logo. Nos últimos cinco minutos. — Você está irritada com alguma coisa? — Ela fechou o laptop. Frio versus quente. como o ambiente aqui ultimamente.

Aidan fez contato visual pelo espelho. E de alguma forma ela conseguiu retomar alguma consciência. — Não tive espaço suficiente.. detendo-se por um momento sobre os seios antes de voltar aos ombros. aquilo pelo que ansiava e no que pensava com freqüência nos últimos dois dias: outro beijo fatal de Aidan. tinha uma opinião diferente. Estou saindo de uma relação ruim e você está me oferecendo uma forma de superar isso. não é isso que eu quero lhe dar.. claro. Mas esse pensamento desapareceu quando Aidan abriu-lhe os botões da blusa e ela afrouxou a gravata dele e desabotoou a camisa que o separava dela. Para sua proteção. Aidan. De alguma forma. Mas tivera. Ela fechou os olhos e tentou se forçar a mandá-lo parar. mas ela queria prová-lo nos lábios. e Aidan acabou sentado no banco. eles inverteram os papéis. Por um instante Corri pensou que ele tivesse planejado aquele momento de insanidade. — Está trancada.. Cobriu-lhe o pescoço de beijos. . Se quiser que eu pare de insistir. finalmente. estaria mentindo para nós dois. me diga agora. — Se eu dissesse que não queria estar com você. embora se perguntasse se não precisaria ser protegida agora para evitar que fizesse algo totalmente impensado.— Não sei se há muito no que pensar. Ele respondeu descendo as mãos pela parte da frente da blusa de Corri.. mas lembrou-se de que a porta trancava automaticamente e exigia um código para quem quisesse entrar. Quando ele pôs as mãos nos ombros dela. a mente de Corri gritou "Não me toque ou estará tudo acabado!". Ela mal percebia o perigo de se comportar de maneira tão imprudente no escritório. Sendo isso sensato ou não. puxando-a para seus braços. — Não quero pressioná-la. Só lhe importava ter. — Você não sabe como tem sido difícil para mim lhe dar espaço quando. Corri girou o banco e ele entendeu o sinal. Ele se inclinou e beijou na orelha. na verdade. o suficiente para dizer: — A porta. mas não se importava. queria estar com ele. Entre as coxas dele. entre os beijos mais apimentados. E exatamente por isso queria dar algum tempo para você. e lhe presenteou com um calor que a invadiu lentamente. De alguma forma. Não sei se preciso pensar nisso agora. contudo. O corpo dela. sem sucesso. ela acabou no colo dele.

Podemos tentar lutar contra isso. Corri. — Você não parecia se importar com isso há alguns minutos. Era a combustão espontânea que fazia uma menina sensata do Novo México esquecer o bom senso. Ela sabia que era exatamente isso. É certo. — Não. no estúdio. e se perguntava se estava muito perto do fogo. O peito subia e descia com a respiração entrecortada. Corri. Jura? — Isso é loucura. Mas fazer o que estamos fazendo aqui. Corri atravessou a sala. Quando ele soltou o botão da calça dela. Precisava sair dali para pensar. não sabia como lidar com aquilo. — Ele .Ele levou as mãos aos seios dela por sob o sutiã de seda e ela correu os dedos de alto a baixo no peito dele. — Não podemos fazer isso aqui e arriscar que alguém nos descubra. Aidan. Corri. pondo o espaço tão necessário entre eles e encarando-o outra vez. — Isso é errado. Ou será. e não queria descer antes da próxima estação. encostando-a contra a parede. Simplesmente. Corri limpou a mente antes de pigarrear e dizer: — Um minuto! As mãos de Aidan desceram até os quadris dela. mas esse tipo de coisa vai continuar acontecendo até que. aquela paixão avassaladora que fazia com que mulheres sensatas se envolvessem em preliminares em lugares inadequados. Sair do colo de Aidan era o primeiro passo. Mas ela estava a bordo do trem de Aidan. Então era isso. você aceite e se renda. — É porque eu perco a cabeça quando estou perto de você. — É química. por fim. perder a cabeça! Exatamente aquilo sobre o que a mãe havia lhe avisado. Depois de se afastar. Mas haveria maneira melhor de se queimar? Alguém bateu na porta e logo em seguida veio o chamado de Julie: — Freed quer ver você. não vai funcionar. Ele deslizou do banco e caminhou para ela. os olhares se encontraram e ela viu o calor. os olhos fechados momentaneamente como se ele precisasse se estabilizar antes de imobilizá-la com aqueles fabulosos olhos verdes. assim que eu acertar as coisas.

Quando Aidan entrou na cozinha. Claro que este pequeno encontro não tinha nada a ver com comida. embora isso pudesse ser uma maneira garantida de chamar a atenção. — Caso. — E ela parecia muito entusiasmada. — Você tem um cheiro maravilhoso.. e ela também. Pior. e correu o rosto pelo pescoço dela. definitivamente. Ela revirou os olhos. Corri mal vira Aidan. . Ele sabia. Enquanto isso. Ela. — Quis dizer que posso fazer o jantar para você! Algo especial. — Imagino que possa fazer um bom uso da sua cozinha. — Posso ir no meu carro. — Certo. ela preparava o jantar.. Saio do trabalho mais cedo. então. ela decidisse pôr um final a essa tolice e fazer uma retirada estratégica. Corri não podia acreditar que havia de fato levado o avental. — Que cheiro bom! — disse. além de aspargos semiprontos. Ele beijara-lhe a face rapidamente e fizera uma referência picante ao avental antes de desaparecer. Leve o avental vermelho. Completamente vestida por baixo. não tinha a intenção de vestir apenas um pedaço de algodão vermelho só para atender aos caprichos dele. — Venha à minha casa hoje à noite.segurou-lhe o queixo e a beijou gentilmente. Eu posso buscá-la. é claro. Você gostaria de algo em especial? —A deixa perfeita para o sorriso fatal. E está linda também. — Quero. estava vestindo-o. — Parece um bom plano.. Seu fogo interno estava ligado em ponto alto depois das preliminares daquela tarde. Às 19h. — É muito tarde. — Passo na sua casa às 20h — Aidan disse. Ele servira uma taça de cabernet para cada um e desde então o telefone não parará de tocar. havia uma hora. — Vou passar no mercado e comprar umas coisas. Preparou um filé recheado com queijo roquefort e batata assada. mas não que sua temperatura fosse algo que preocupasse o anfitrião. Posso pensar em diversas maneiras de usar a cozinha. Desde que chegara. veio por trás dela e envolveu-lhe a cintura com os braços..

Ela não queria um pedido de desculpas. Apertou o botão. você manda. ainda estou pensando relacionamento foi uma boa idéia. — Falamos disso depois do jantar. e ela definitivamente precisava de tempo. Mas sentiu que precisava freá-lo por enquanto. Ele recuou alguns passos. Vira aqueles olhos verdes inúmeras vezes. era um homem de poucas palavras. Ainda assim. — Isso lhe daria mais tempo. E aquilo podia ser perigoso. Em geral. De agora em diante. a única coisa que ouvia era o alarme na cabeça. mas suspeitava que muitas já tivessem visto. Queria que os próprios instintos. mas da forma como ele a fazia sentir-se. — Tem certeza de que quer que eu pare? Corri nunca tinha visto esse lado dele. Ele abaixou os braços. Corri? Dele. Quando falava. fazendo o triturador funcionar. ou pelo menos o corpo dela estava. — Certo. mais uma razão para sua popularidade surpreendente com as moças. — De cordinha.Ela abriu a torneira e começou a jogar os pedaços de legumes na pia. Fechou o aparelho e cometeu o grande erro de encará-lo. Ele deslizou a mão por dentro do avental para tocar a barriga dela. — Não vou me desculpar por desejar você. Estarei na sala se se essa mudança no nosso Ele deslizou a ponta do dedo pelo queixo delicado. — Claro. Não exatamente dele.. — Pare. as pessoas o ouviam. — Olha. — Tenho medo de arruinar nossa amizade. Ela estava ouvindo. Este avental realmente combina com a calça de cordinha. lhe dissessem o que fazer. Corri.. é? Corri deveria saber que não era uma boa idéia ficar à mercê de uma cordinha na frente de um homem. Ele brincou com o cordão. Mas começava a enxergá-lo de um modo totalmente novo. . — Do que você tem medo. O'Brien. a frustração estampada no seu rosto. Aidan. em geral bons. Via aquele rosto quase todos os dias.

alimentado por necessidades sexuais. . mesmo que esse não fosse seu plano de ação normal quando tinha uma mulher linda em casa. Ela lhe lançou um olhar triste por cima do ombro. Não tinha de tentar encontrar algum sentido. Se ela decidisse que não queria ir adiante. Mas também não queria resolver tudo à revelia.precisar de alguma coisa. Naquele momento. — Venha comigo para a sala. por isso mesmo. Pelo menos por ora. mesmo que no fundo ele já soubesse que a resposta era positiva. razão pela qual decidira permitir que ela desse as cartas. Parecia tão lógico que. Não tinha de tentar descobrir qualquer explicação. Durante a maior parte do jantar. ele a agarrou pelo punho. pesando os prós e contras de levar à frente o que havia entre eles. queria ter uma conversa com ela. mas teria de lidar com isso. Não precisava dar em nada. Não gostaria. Quando ela ia pegar outro prato. ele precisaria aceitar. Ela enxaguou o primeiro prato e o colocou na lava-louça. Aidan a seguiu até a cozinha. — Faço isso depois — ele disse. ele partiria para a próxima conquista e ela se concentraria na carreira. Ah. Mas ele tinha certeza de que a cabeça dela estava a mil. O desejo por Aidan era selvagem. Aidan queria provar que ela era uma mulher atraente. Corri. Quando Corri se levantou e retirou os pratos. Mas nada nessa situação era normal. tirou o avental e o deixou sobre a bancada antes de encará-lo. — Não me importo de lavar. não conseguia explicar aquela pontinha de dor no coração. Queria desfazer todo o estrago que o irmão causara ao levá-la a pensar o contrário. O relacionamento não precisava ir além de duas pessoas curtindo uma à outra intimamente. Corri permaneceu calada. No fim. de uma coisa ela precisava: precisava parar de analisar exaustivamente. Aidan fez alguns elogios à comida e ela agradeceu. Queria saber se a realidade superaria a fantasia. não daria em nada mesmo. — O que você pretende fazer lá? — Apenas conversar. Ela secou as mãos em uma folha de papel-toalha. Provavelmente.

— O que você pretende fazer no Natal? — Ela tirou os tênis e cruzou as pernas.. devo contar a eles quando voltarem no domingo. — Os olhos escuros se arregalaram. Você pode falar com eles no Natal. Uma vez acomodados lado a lado no sofá. Meu pai está indo para Delaware com a nova esposa. — O trabalho sujo por Kevin — corrigiu ele. não quero encarar Kevin. — Não posso deixar que você faça o trabalho sujo por mim. Na verdade. . não vejo razão para que você não esteja lá. quando eu era adolescente. — Já que ele não vai estar em casa. — Claro que ele vai — disse Corri. — Ele não vai.. — E você não vai ficar com nenhum deles? — Ela deu de ombros. — Você pode vir como minha convidada. — Falarei com eles sobre isso — disse Aidan. Kieran me disse que ele vai viajar para Aspen. Vamos conversar. E não conseguia tolerar o pensamento de vê-la passar o Natal sozinha. — Eu me responsabilizo por contar seu lado da história antes que Kevin dê a versão dele. — Ele tinha me prometido essa viagem em maio. já que Kevin. tenho sido um peão na eterna batalha dos dois. Sem Kevin. estou cansada disso. sem jantares familiares com os O'Brien. Não faço mais parte de sua família. — Se eu passar o Natal com um. Meus pais esperam que você vá. Aidan optou por começar por algo que vinha lhe incomodando a noite toda. depois nunca vou ouvir a versão da outra parte. — Isso porque eles não sabem sobre o fim do noivado. tenho certeza de que mudarão de idéia. Sinceramente.. Ela balançou a cabeça. — Não posso fazer isso. Aidan a entendia. Aidan suspeitava que o infeliz tivesse prometido muitas coisas e não tivesse cumprido nenhuma delas. — Não tenho planos. Na verdade.. Minha mãe está indo para as Bermudas com o novo namorado. Desde que meus pais se divorciaram. Assim que eles descobrirem. claro. Aidan. — Não seja estúpido.— Certo. não o fará. — Você pode ir à casa de meus pais comigo.

Ela franziu a testa. — Você tem mesmo essa necessidade de cuidar de todos os meus problemas? Ele pôs a mão sobre a coxa de Corri, um pouco antes do joelho. — Vou cuidar de qualquer coisa que você queira. Muito adequado depois da promessa de desacelerar... Mas ela era tentadora demais para ser ignorada, com a blusa justa de tricô cinza e aquela maldita calça de cordinha... Porém, uma coisa de cada vez. Ele se inclinou sobre ela e a beijou suavemente, e de novo, até que, com as mãos em volta do pescoço dele, ela o puxou para o bote. Corri estava definitivamente matando-o com cada investida da língua contra a dele. Ela assumia o controle... e Aidan perdia o dele. Quando ele deslizou a mão para baixo da blusa e contornou-lhe a curva do seio com a ponta do dedo, Corri o empurrou e gritou. — Você está tornando difícil demais me lembrar do motivo pelo qual não deveríamos estar fazendo isso. — E você tornando difícil manter o controle, Corri. Ele viu um traço de indecisão nos olhos castanhos, que logo se tornaram provocantes. — Então prove. Ele não tinha qualquer problema com isso. Como fizera no estúdio, a levantou e a pôs no colo, posicionando as pernas entre as coxas dele, mostrando-lhe o total efeito de sua ereção. — Isso é prova suficiente? — Ela lhe deu um sorriso trêmulo. — Por que não vamos para seu quarto e você me prova um pouco mais? — Você tem certeza disso, Corri? — Isso era definitivamente inédito para ele. No passado, se uma mulher quisesse um passeio até o quarto, ele não questionaria. Quando ela desceu do colo dele e ficou de pé, Aidan temeu que ela tivesse mudado de idéia. Quando ela tirou a blusa e a atirou sobre a mesa ao lado, ele percebeu que havia temido à toa. E quando ela puxou aquela cordinha devagar e moveu os quadris para se livrar da calça, ele quase saltou do sofá. Apelando para toda a força de vontade que tinha, ele esperou para ver o que ela faria em seguida. — Está convencido agora? — perguntou, com voz baixa, mas firme. Aidan dedicou um minuto a estudá-la, admirando aquele corpo, agora coberto apenas com um sutiã branco de renda combinando com a calcinha.

Ele fez uma pausa em um pequeno anel de prata no umbigo dela, surpreso porque ela não parecia o tipo de mulher que teria um piercing. Não era uma reclamação. Era muito sexy. Ela era muito sexy, das pernas longas até a curva das coxas e quadris. A realidade era, de longe, melhor do que a fantasia. Ela o fitou diretamente. — Você vai ficar me olhando assim a noite toda ou vai me tocar também? Era o que faltava para ele se atirar sobre ela. Ela agarrou a camisa dele e a tirou, largando-a perto da blusa na mesa. Ele a trouxe para si, as mãos percorreram as costas e as nádegas de Corri, aproveitando para explorá-la antes de ir direto ao assunto. Quando começou a levá-la pelo corredor, o telefone tocou. Quando ele a pôs contra a parede e a beijou, a secretária eletrônica foi acionada. A voz de Parker anunciou: — O estúdio está molhado, Aidan. Você tem que vir aqui. Corri o afastou e franziu a testa. — O que ele disse? — Algo sobre o estúdio estar molhado. — Ele pôs a mão entre as coxas dela. — E você também. — Com certeza o estúdio está inundando. Isso não o incomoda? — Ela parecia incrédula, mas estava sem fôlego. Aidan reconheceu que uma enchente no estúdio o incomodaria. Mas havia outra questão pressionando-lhe o zíper... Finalmente, Aidan pôs as mãos contra a parede e abaixou a cabeça. — Acho que se deixar você ir, você vai começar a pensar de novo. E reconsiderar. — Você tem que ir ver o que está acontecendo, Aidan. E eu tenho que ver. E se a cozinha estiver arruinada? Aparentemente, ela encarava isso como uma boa desculpa para adiar o passeio ao quarto. Por mais que odiasse, ela estava certa. O estúdio era o sustento dele e precisava de atenção imediata, ainda que ela também precisasse. Corri passou por baixo do braço dele, e quando Aidan se voltou, viu-a recolhendo as roupas. — Lamento muito não termos a oportunidade de terminar isso — disse. Não tanto quanto ele. Aidan voltou para a sala de estar, pegou a camisa

na mesa e se jogou de volta no sofá. — Vamos terminar isso, Corri. Mais cedo ou mais tarde. A menos que você me diga que mudou de idéia. Ela vestiu a calça e amarrou a cordinha apertada. — O telefonema me fez mudar de idéia. Do contrário, eu estava mais do que a fim, no caso de você não ter percebido. — O grito foi uma revelação. — Eu não gritei. — Ele sorriu. — Talvez não, mas queria. Você ia gritar antes de a noite terminar. Ela acertou a cabeça dele com a blusa. — Você está me provocando. Ele agarrou a mão dela e a trouxe para o seu lado no sofá. — Vou conseguir, Corri. Sempre consigo o que quero. Pelo menos era o que planejava, neste caso. Mas os melhores planos às vezes não dão certo. Ele a beijou até ela se afastar e se levantar, deixandoo sozinho com uma ereção que não dava sinais de que cederia em qualquer futuro próximo. — Você tem que se vestir, Aidan. Ele precisava lutar contra si, porque, naquele momento, com ela à frente, sem blusa, com o cabelo totalmente desalinhado, estava a ponto de dizer a Parker que resolvesse os problemas no estúdio. Aidan preferia mantê-la ocupada a noite toda na cama. Talvez pelos próximos dias. Talvez pelos próximos anos... Ei, O'Brien! Ele não sabia de onde saíra esse pensamento. E não tinha tempo de investigar. Sequer tinha certeza de que deveria fazê-lo.

CAPÍTULO QUATRO

Parada no estúdio, com os pés mergulhados em uns cinco centímetros de água, Corri estava começando a acreditar que em algum lugar do cosmos um mago malvado estava tentando lhe dizer que ficasse longe de Aidan... E possivelmente avisando para não fazer o próximo programa. Sua vida ultimamente fora toda de maus momentos e más decisões. Por isso precisava pesar bem essa história com Aidan, antes de cometer outro erro. Mas tinha

como se tivesse acabado de sair da cama. — Está ao telefone ligando para a firma de restauração para que venham e comecem a limpar tudo. mesmo se ele estivesse com o orçamento apertado.de admitir que aquele era um erro que ela não se incomodaria de cometer. Como viera com ele. — Acho que vou descobrir se ele conseguiu alguma coisa — disse ela .. Ela olhou para a direita e viu Parker parado ao lado. alguns em cadeia nacional e outros. não poderia deixar a água ficar lá criando mofo durante as festas. tenho algo que pertence a você.. desejava que tivesse acabado de sair da cama. Ela não o vira desde então. tinha. aparentemente. — Aliás. — Vai ficar muito caro trazer a equipe toda em um sábado. — Poderia ter sido pior. A casa de Aidan já indicava que ele estava crescendo financeiramente. O estúdio produzia vários programas de sucesso. o cabelo ruivo espetado como um cacto. negociados com as afiliadas regionais. — Onde está o chefe? Parker apontou com o polegar por cima do ombro. Corri pegou o anel e o pôs no bolso. — Mesmo que não tivéssemos seguro. Corri. Doá-lo parecia uma boa idéia. e não é o caso. Pensou se existia alguma organização sem fins lucrativos para vítimas de idiotas. O encanador veio aqui hoje e. embora Corri não tivesse idéia do quanto ele ganhava. Decidiria depois como iria se livrar dele. Provavelmente. a não ser chamando um táxi. Aidan pode pagar. — A equipe de limpeza da noite encontrou isso no seu camarim e devolveu. Corri não tinha outra maneira de ir embora. o transformou em um grande vazamento. Aidan ficara apenas o suficiente para analisar tudo e depois desaparecera. Parker procurou algo no bolso e tirou o anel. Ela. — Aparentemente. por sua vez. Ótimo. O diamante havia evitado o aspirador de pó e chegado às mãos de uma alma honesta. como o dela. Da cama de Aidan! — Havia um pequeno vazamento debaixo da pia. Corri analisou a área: a água cobria o piso de azulejo e havia se espalhado para a parte acarpetada na galeria que abrigava o público. Independentemente disso. E ainda por cima dois dias antes do Natal.

você já deveria saber. Podemos fazer o que quisermos. Acho que ele pensa que temos um tórrido romance. Até lá. Péssimo para a digestão. Ele deu uma rápida olhada no relógio. — Talvez eu devesse conseguir um sofá e tirar uma soneca. — Talvez uma hora ou duas. Realmente foi até tarde. — É quase meia-noite. Sem responder. tentador que parecesse. Seu assistente de produção já está questionando as razões de estarmos juntos até tão tarde da noite. para o escritório de Aidan. Era bom demais tê-lo perto de si. puxando-a para a sala do café. — Talvez eu devesse me juntar a você no sofá. Ele pôs uma mecha de cabelo rebelde atrás da orelha de Corri. Aidan O'Brien! — Ele teve a coragem de deslizar as mãos pelas costas dela até as nádegas.antes de recuar alguns passos. — Liguei para o celular dele e mandei que fosse para casa.. — Você quase me mata do coração. a equipe de limpeza deverá estar no meio do trabalho. Por mais preocupações. Corri se virou e foi caminhando pelo corredor. tentando empurrá-lo. e a assustou tanto que Corri teve dificuldade para recuperar a voz. — Defina "algum tempo". O'Brien. sr. algo a alcançou e agarrou-lhe o braço. — Você e Aidan tiveram alguma reunião até tarde? — Corri não gostava do sorriso nem da pergunta de Parker. Corri ainda tinha algumas — Você tem certeza de que Parker já saiu? . mas não quero dormir. Como chef. que parecia um caminho de rato. Pensei que você quisesse um pouco de café. — Tivemos um jantar até tarde para discutir o próximo programa. — Desculpe. — É melhor se comportar. Na metade do caminho. Ela pôs as mãos sobre o peito dele. onde quisermos. já que vamos ficar aqui algum tempo. quentinho e sexy. muito aconchegante.. Corri escondeu um bocejo por trás da mão. Isso significa que estaremos a sós até a equipe de limpeza chegar. mas sem sucesso.

Corri tinha muito o que considerar. Ou poderíamos sair para jantar em algum lugar. — Você vai comigo.— Não. eu ficaria feliz de cozinhar para você de novo. — Como?! — Você me escutou. ao jantar de Natal na casa dos meus — Voltamos a isso? — Não vou discutir com você agora. Hotel cinco estrelas. Por mais tentadora que fosse a oferta. — Até conseguirmos sair daqui. Corri ficou totalmente arrepiada. Vôo na primeira classe.. — Acho que eu deveria dizer "Se você estiver livre hoje à noitinha". — Você vem comigo. até Corri sentir como se fosse se dissolver e se espalhar no carpete. notando que já passava da meia-noite. direto nos lábios. — Você está certa. tal qual a enchente no set. — Então você acha que seria sábio nos envolvermos em atitudes questionáveis correndo o risco de sermos descobertos? Ele ainda pensou um minuto antes de soltá-la. E o fez. já será muito tarde. — Você terá quase todo o domingo e toda a terça. Tenho que fazer as malas.. Aidan a envolveu nos braços e a puxou para perto. — Você só precisa de um vestido de noite e algo para vestir na volta. — Mas se você estiver livre amanhã à noitinha. — Vou ao meio-dia para Nova York e não volto antes de domingo. Jantar com pessoas que conheço do meio. — Ainda preciso terminar de planejar o menu para o programa. Bons contatos. Devia ser o mago outra vez ditando o destino dela. Não precisa de roupa de dormir. na segunda. Mas vou beijá-la. sem reservas. Ao se . — Corri olhou o relógio na parede. — Você pulou a segunda. pais. — Talvez um outro dia. É muito arriscado.

Corri pensou um minuto e um forte déjà vu a atingiu em cheio. E ali estava ele. mas algo lhe dizia que sim. — Com benefícios. Vou com você.separarem. — Certo. não teria perguntado. — Não sou Kevin. O que fazemos na intimidade do nosso quarto de hotel é problema nosso. — Você não está preocupado com o que seus amigos poderiam pensar? A compreensão transpareceu na expressão dele. E tenho certeza de que não vou pedir que finja que estamos noivos. — Você não se arrependerá. um termo que rapidamente se tornara um clichê. Ela poderia. Apenas uma boa diversão nas mãos de um homem que levava a sério a sedução. Corri. Corri. com uma cama king-size à disposição e uma mulher nua no banheiro. — Claro. ele a olhou e disse: — Então. mais rápido desta vez. jantar com colegas e outro possível fingimento. por ora. viver com isso. Ele tinha uma suíte equipada. — Ele sorriu. Isso definiu tudo. Claro. mas o impacto sobre Corri ainda foi forte. Amigos com benefícios.. — É "Então vou acompanhá-lo no jantar de Natal" ou "Então vou com você para Nova York"? — Comecemos com Nova York.. — Você tem certeza absoluta de que me quer lá? — Se não tivesse. sozinho no sofá da sala de . devagar.. — Ficaremos no mesmo quarto? Aidan olhou para Corri como se ela tivesse dado férias ao bom senso. Podemos ficar juntos sem interrupções. Ele a beijou de novo. Uma escapada de fim de semana com um dos irmãos O'Brien. Não esperava um compromisso duradouro. — Então você vai me apresentar aos seus colegas como sua amiga? — Vou. não desejava nada mais dele.. definitivamente. Ela esperava que não.

Mas já havia concordado com o jantar. justo. ele ligaria e cancelaria o jantar. Ou talvez não. Ele estava quase convencido a ligar para Farino. mesmo que ele não estivesse. Se ficasse melhor. — Você está linda. — O vermelho é. Ela caminhou para o sofá e perguntou: —Aprovada? Aidan inclinou a cabeça e fez uma longa inspeção visual. Aidan não gostava muito da idéia de andar com ela pela cidade de um jeito que cada homem que encontrassem pudesse cobiçá-la. Aidan viu as costas nuas. elegante. Os cabelos sedosos. revelando pouco a pouco exatamente o que ela escondia sob o tecido. indo até a cintura. vermelho. incapaz de apreciar a vista da cidade de Nova York. Sim. definitivamente. Ela se jogou no sofá ao lado dele. Conseguiria esperar mais algumas horas. Linda demais. cancelar o jantar e se juntar a Corri no chuveiro. foi o pensamento seguinte de Aidan quando Corri entrou no quarto em um vestido sem mangas. Enquanto ele continuava analisando. Dois segundos a mais e ele a teria aliviado do inconveniente das roupas. — Não sabia se o vermelho era exagerado. — Não tinha percebido que faria tanto frio. e poderia muito bem suportá-lo.estar. começando onde terminava o cabelo. — Onde está o resto do vestido? — Ela se endireitou e franziu a testa. a sua cor. Quando ela se inclinou para pôr o outro sapato. Corri se equilibrava em uma perna só e calçava um sapato. olhando pela janela. O vestido cobria completamente o colo. Se soubesse. Mas pelo menos trouxe um casaco. — Você ainda não me disse se está bom. mas o comprimento deixava muito das pernas à mostra Aidan imaginava com detalhes o momento em que tiraria aquele vestido. uma vez que ela dormira durante quase toda a viagem. incluindo seus amigos. . sapatos de salto agulha balançando em uma das mãos. lisos e dourados caíam-lhe sobre os ombros e emolduravam o colar que envolvia o pescoço esbelto. abaixo dos ombros. teria trazido algo com mangas. Poderia esperar algumas horas até estar com Corri a sós esta noite e. devia estar bem descansada.

— Você está cheiroso. — Endireitou a gravata e se inclinou para cheirar o pescoço dele. Tanto os homens quanto as mulheres a considerariam uma verdadeira beleza clássica. Corri presumira que seriam quatro homens.. — Você poderia. lábios pintados de coral e olhos turquesa em formato amendoado que quase combinavam com o vestido de seda decotado. O tipo de mulher que faz com que todos a observem em qualquer lugar que vá. Mas. — Você também. emolduravam um rosto que exibia mandíbulas proeminentes. sem dúvida. E quando as mãos dele automaticamente repousaram sobre a parte inferior das costas dela. Os cabelos quase negros.. antes disso. com uma voz rouca: — Desculpem o atraso. de quarenta e poucos anos. interessantes e se desculpavam pelo último convidado ainda não ter chegado. que tivera a atenção dele por quase . E teriam a sobremesa na cama. Ben Farino. — E se inclinou e tascou um beijo na boca de Aidan.. Corri teria escolhido uma palavra muito menos elogiosa para descrever a mulher misteriosa quando ela se aproximou da mesa e disse. Até onde Aidan sabia. Nos primeiros 15 minutos no restaurante de alta classe. tocando a pele suave. ele percebeu que tocá-la era ainda melhor que sentir seu aroma. meninos. — Praticamente ronronou. — Pronta? Corri se pôs de pé e foi na direção dele. — É ótimo vê-lo. com franja.Dela e dele. Hal Shapiro. e o cinqüentão de cabelo crespo. Ex-namorada de Aidan. embora não tivessem dito de quem se tratava. Apenas uma reunião de velhos amigos. Aidan. em Manhattan. se levantou e a fitou. fazendo com que Corri quisesse usar as garras. Aidan simplesmente balançou a cabeça e murmurou: — Tamara. — Quanto tempo temos que ficar no jantar? — perguntou ela. Corri tinha gostado de conhecer dois antigos colegas de televisão de Aidan: o que começava a ficar calvo. a mulher de quem Kevin lhe falara. eles sairiam imediatamente depois da refeição principal. Então essa era a famigerada Tamara Layton. dizer que estou pronta. até que percebeu uma mulher vindo na direção deles. — Não muito. Eles eram muito atenciosos.. Não são negócios oficiais.

Apresento um programa semanal de gastronomia para os apaixonados. — É um mundo de distância de Nova York. mas ouvi dizer que é uma boa série. Essa foi a única coisa que ocorreu a Corri dizer no momento. Tamara repousou a mão sobre o braço de Aidan com uma intimidade que fez o sangue de Corri ferver como boeuf bourguignon. — Quem temos aqui? Uma mulher que não gosta de você. — Aidan pigarreou e ajeitou a gravata. — Sou o produtor. Uma das cinco maiores cidades do país. Não estava sentindo-se particularmente gentil. — Aidan sempre foi amigável com as mulheres. — Poderíamos pedir uma garrafa de vinho agora. — Na verdade. Antes de ele decidir brincar de caubói e se mudar para o Texas. Aidan a olhou com uma cara feia que agradou a Corri. — Você é atriz? — perguntou. — O tom exalava sarcasmo. Não é o fim do mundo. . Tamara deu um gole na água. — Na verdade não. mas não a cumprimentou. Corri tinha toda a intenção de colocá-la em seu lugar. Tamara lançou um olhar abertamente sugestivo para Aidan. você sente falta daqui. — Tamara é a roteirista principal de Justiça Implacável — disse Hal. Tamara entrelaçou as mãos sobre a mesa e olhou para Corri. — Sou chef.quatro anos. — Tem muitos fãs. — Que interessante. — Corinna Harris. — Corri é a estrela de um de meus programas — disse Aidan. — Aidan foi meu produtor. Tamara arqueou uma sobrancelha fina. Sou amiga de Aidan. Corri tentou esconder o repentino ataque de ciúme. Aidan. — É Houston.. Corri lhe ofereceu um sorriso falso. como se fosse uma profissão inferior.. Tamara. Nem bem sentou-se entre Ben e Aidan. nunca vi. Sem sucesso. Com certeza.

— Precisava era fugir daquela mulher! Quando Tamara tirou uma escova de dentro de sua bolsa de seda negra e escovou o cabelo. Saiu sem dar muitas explicações ou olhar novamente para Aidan. — Ben levantou a mão e fez sinal para o garçom.. E no banheiro. Perfeita. e ela também não estava particularmente interessada em ouvi-los.. Corri tirou o excesso de batom dos lábios e checou os dentes em busca de quaisquer eventuais e incômodas manchas. Corri pensou quando Tamara entrou pelas portas duplas em uma lufada de perfume exótico. — Precisava retocar a maquiagem.. com um pouco mais de sofisticação. Depois disso. Corri já não tinha mais apetite. Ela também odiava o fato de Tamara continuar tocando Aidan. Ela odiava desperdiçar uma boa refeição. — Imaginei que fosse encontrá-la aqui — disse enquanto sentava na cadeira ao lado de Corri. em frente a uma penteadeira de mármore branco. Mas ele poderia ter ao menos avisado que haveria uma ex-namorada no jantar. Odiava a maneira como ela continuava se inclinando para falar com ele. Sua única colaboração foi quando Hal lhe pediu indicações para o jantar. Pelo menos sentia-se mais confortável em um lugar que lembrava seu camarim. — Volto logo. passou pelas portas duplas. .. Como se tivesse o direito! Corri se deu conta de que Tamara de fato já tivera esse direito. Corri sentiu-se deslocada enquanto eles falavam sobre os velhos tempos. claro. Corri revirou a bolsa. entrou em uma sala decorada e sentou-se em uma cadeira de plush listrado de malva e dourado. Corri teve uma satisfação mínima à medida que a eletricidade estática deixava alguns fios arrepiados no penteado certinho. ele teria algumas explicações a dar.— Concordo. mas odiava mais ainda sentir que havia entrado em uma galáxia na qual não era bem-vinda. ele não era obrigado a contar todos os detalhes sórdidos de seu relacionamento com a sra. Assim que ela e Aidan retornassem ao hotel. Puxando um lenço do suporte preso na parede. e não muito depois pôs de lado o chateaubriand que mal havia tocado. Corri agarrou a bolsa e se levantou.. Claro.. Quando o prato principal chegou. tirou um batom vermelho berrante e passou uma fina camada. Precisando de alguns minutos para se recompor. Depois de finalmente encontrar o banheiro. e isso só a deixou mais irritada.

em vários sentidos. — Bem. O melhor que eu tive até hoje. — Estou com o programa há pouco mais de um ano. — Por alguns meses. — E Aidan apareceu para juntar os pedaços de seu coração? — Meu coração está bem — disse Corri. considerando a maneira como Aidan olha para você. Certo. — É melhor eu voltar agora. um conselho: Aidan é um homem extraordinário. Fui noiva do irmão dele. — Antes de você ir. e resolveu isso imediatamente. — Investindo? — É. Rompemos recentemente. — Foi noiva? Corri resistiu à vontade de jogar o lenço amassado na testa de Tamara e optou por descartá-lo em uma lixeira embutida.Mas é claro que a sra. Corri afastou a cadeira e se levantou. Esse era o limite. somos amigos. Tamara fez uma expressão cética. — Quis dizer há quanto tempo você está com Aidan! Há quanto tempo você se mete na vida dos outros? — Somos amigos. — Tamara se virou para encará-la. — Há quanto tempo você é o projeto especial de Aidan? — disse Tamara. Você nunca sabe onde está pisando. Perfeita tinha um minispray para cabelo. Corri se inclinou e passou a ponta do dedo debaixo da pálpebra inferior para remover um pouco do rimel borrado inexistente. se você ainda não sabe disso. Mantendo o olhar no espelho. e é um exímio amante. meu palpite é que ele preferiria ser mais do que seu amigo. — Tamara fechou a bolsa rapidamente e deu um sorriso sem graça para Corri. Mas ele não é muito bom em demonstrar os sentimentos. pelo menos atualmente. Corri se recusava a ouvir qualquer outra coisa vinda de uma mulher tão . Ou talvez deva dizer que ele facilitará para que você mesma se retire da vida dele. ele vai sair de sua vida e escolher outra para transformar em uma nova história de sucesso. depois de jogar a latinha dentro da bolsa. — Como eu disse. — Ele está investindo em você — disse Tamara. — Foi uma decisão dos dois. E quando você chegar ao topo.

amarga. mas aqui vai um outro aviso: quando Aidan a prender na teia dele. Ele sabia por que ela estava irritada. como se ele fosse radioativo. precisava lidar com a irritação de Corri. Ela sentou-se na ponta da cama. ele planejava ligar para os amigos e dizer o que pensava daquilo. tirou os sapatos e os jogou em um canto. — O que ela lhe falou exatamente? — Ela se virou e encostou-se na cômoda. Assim que tivesse a chance. Ele podia imaginar a conversa entre ela e Tamara. — Não precisava dizer nada. Depois de sair da cama. E se cometer o erro de se apaixonar por ele. Foi uma surpresa para mim também. O fato de vocês se conhecerem tão bem . e duvidava que tivesse sido amigável. Aidan seguiu Corri enquanto ela corria para a suíte e jogava o casaco e a bolsa na ponta do sofá. Ela ficara tão surpresa com a aparição de Tamara quanto ele. Mas o meu relacionamento com Aidan é diferente. Ela havia permanecido colada à porta do táxi. — Não fazia idéia de que ela ia aparecer. — Vocês pareciam muito felizes em se ver. Era a primeira coisa significativa que dizia desde que haviam saído do restaurante. vai terminar. cedo ou tarde. vai se arrepender antes de terminar. Naquele momento. mantendo-se de costas para ele. Corri foi até a escrivaninha para tirar os brincos. Aidan atravessou o quarto e se pôs atrás de Corri. Ele se recusava a deixar que a noite terminasse mal devido à inesperada aparição de uma mulher que não significava mais nada para ele. — Ex-namorada. pelo menos até ela se acalmar. mas não tinha certeza do que poderia dizer para remediar a situação. você vai ver que é difícil escapar. Corri entrou no quarto enquanto Aidan parava à porta e encostava um ombro no portal. Tive a sensação de que ela queria ver você muito mais de perto. — Você poderia ter me avisado sobre sua namorada — disse ela. Aproveitando a oportunidade. Decidira manter certa distância. E. — Lamento que as coisas não tenham funcionado entre vocês. Tamara. — Ele tirou o paletó e pôs sobre uma cadeira próxima. Tamara lhe deu um sorriso um tanto cínico. — Você diz isso agora.

O peito de Corri subia e descia rapidamente quando ele se afastou para desabotoar às pressas a camisa. Pondo as mãos em volta dela. Ele a levantou e a pôs sobre a escrivaninha.era muito óbvio. Beijou-o sem hesitar. — Da maneira como eu queria tocá-la. até que ela liberou um ruído impaciente. tive de lidar com o fato de que ele a tocava. ele se aproximou. e ele estava pronto e ansioso para cair na armadilha. Ela se aproximou. Ela respondeu envolvendo o pescoço dele com o braço e puxando a boca para junto da dela. Mas. afrouxando aos poucos até finalmente tirála. Ela ficou tocando você o jantar inteiro e você não parecia se importar. Quando ele abaixou a cabeça e tomou um mamilo na boca. — Corri estava jogando a isca. acompanhando os movimentos. — Ele tirou o cabelo dela do ombro. — Ela me disse que você era um exímio amante. E por todo esse tempo. Da maneira como quero tocá-la agora. Pelos últimos nove meses tive que escutar você no programa insinuando que tinha uma ótima vida sexual com meu irmão. Então Aidan se aproximou e roçou o peito contra os seios dela. sem se conter. Ele se lembrava vagamente de que deveriam seguir para a cama. exatamente como ele previra. para a frente e para trás. Aidan percebeu o fogo nos olhos castanhos dela. mesmo que ela não tivesse motivos para invejar Tamara. um suave arrepio ao sentir a mão máscula correr de cima a baixo no braço nu. Aidan sabia o que ela . uma coisa de cada vez. — Então está tudo terminado entre você e Tamara? — perguntou ela. Ele a queria assim. — Agora estamos quites. abriu o fecho que ornava a nuca e abaixou a parte superior do vestido. e é onde pretendo mantê-la. Corri estava com ciúmes. Só então interrompeu o beijo para dar uma boa olhada e descobrir que ela não estava usando sutiã. levando-o à loucura ao pegar-lhe a mão e levá-la à sua coxa. Ela estava linda demais para não ser tocada. — Basta pedir e eu deixo você julgar. — É tudo passado. mas o calor avassalador entre os dois não permitiu. independentemente do que ela tenha lhe dito. afrouxou a gravata dele e a tirou lentamente. com um tom que indicava que ainda não estava convencida. e ele tinha de admitir que gostava daquele jeito. ela entrelaçou os dedos no cabelo dele.

e observou a surpresa cruzar o rosto de Aidan. ela disse para si ao abrir as pernas. CAPÍTULO CINCO Corri poderia pensar em uma boa razão para não se mover: poderia recobrar o bom senso. não uma pergunta. exatamente antes de pôr as mãos por dentro do vestido de Corri e livrá-la da calcinha. Deslizou a mão imediatamente por sob a saia e acariciou a parte interna de uma das coxas. Agora Corri estava completamente exposta. como ela era sensual. uma experiência para ser saboreada até ela não conseguir mais raciocinar. Em vez disso. embriagante: — Vou lhe dar aquilo de que você precisa. A cena era altamente erótica. Pura tortura. a julgar pelo som da respiração acelerada. vou levar você para a cama. para dentro e para fora. Ela apoiava a testa no peito dele e observava enquanto ele movia a mão entre as coxas. — Você quer fazer aqui. e continuou a acariciá-la enquanto lhe dizia como aquilo era bom. enquanto ele seguia em um ritmo tão lento que a deixava louca. Ele mal podia se conter. — A menos que me dê uma boa razão para não fazer isso. — Não precisamos da cama — disse. assim como ela.queria. vulnerável e mais excitada do que jamais estivera. Ele disse isso como uma afirmação. obrigando Aidan a levantar-lhe o vestido até que não houvesse nada mais do que um pedaço de tecido em volta da cintura. Corri percebeu que Aidan também não estava imune a ela. . e pela transpiração. ele deslizava os dedos na parte interna das coxas dela enquanto brincava com os seios com a outra mão. ela pensou. e ninguém poderia acusá-lo de não dar a uma dama o que ela desejava. Ele ergueu o braço dela para envolver-lhe o pescoço e disse com uma voz profunda. Aidan começou a explorá-la com um dedo. Que loucura. Ela esperava que ele fizesse o que dissera que queria alguns dias antes em sua casa: abrir a braguilha e possuí-la ali mesmo. quase surreal. roçando suavemente.

em um quarto de um hotel de luxo. Agarrando os quadris dela. Ela o sentiu pender ligeiramente e pensou se ele poderia cair. mesmo nas situações de extrema tensão. sobre uma escrivaninha de mármore. tremendo e parando. parecendo ter absoluto controle. mais um sinal do controle vacilante. Ele manteve os olhos verdes na mesma altura dos dela enquanto aquelas mãos fortes faziam maravilhas com o resto do corpo. lhe tirando o fôlego e alimentando o desejo. Tirou um preservativo do bolso e com a outra mão livrou-se das próprias roupas. Ela queria isso. Também a excitava saber que em questão de minutos ele poria um fim à dor e traria de volta a paixão. Mas não assim. quando estava sozinha na cama. a determinação do lindo rosto. os músculos tensos sob as mãos. Corri notou quando esse controle começou a se esvair: o enrijecimento do rosto. Ela estava vagamente ciente do som do espelho atrás dela batendo na parede.como ele havia imaginado aquilo por meses. depois outro. que a excitava ainda mais. a promessa que saía da boca quando a fez ter outro orgasmo. Ele reduziu o ritmo por um momento. bastante ciente de que estava fazendo amor com um homem incrivelmente sexy. Aidan a beijou com força e rapidez. era tabu. e apoiou o peso nela. repousando os lábios sobre a orelha dela e dizendo: — Você é demais! E Aidan também. com a calça ainda envolvendo-lhe os tornozelos. de novo. Queria apenas observar Aidan em ação. a sensação de tê-lo dentro de si. mas Corri não tinha voz para lhe dizê-lo quando ele a preencheu tão completamente. Ela obedeceu. ele a levantou e. De muitas maneiras. E jamais experimentara o clímax com tanta intensidade que a fizesse querer gritar. Ela viu algo quase selvagem nele: era um homem que se orgulhava de permanecer frio e contido. Nunca assim. Corri se permitia fantasiar também. ela não se importava. Queria Aidan. ele a puxou para a beirada da escrivaninha enquanto ela se pendurava nos ombros dele. francamente. Nos últimos dias. Em vez disso. ele a tomou com um movimento vigoroso. Rasgou o pacote com os dentes e pôs o preservativo. e mais um. foi . de novo e de novo. e se afastou. Jamais se entregara a esse ponto com qualquer outro homem. Não importava se poderia ser perigoso. Mas. As mãos dele pareciam estar tremendo um pouco. Ele a penetrou uma vez mais. pelo menos para Corri. Jamais sentira-se tão louca de desejo. — Agarre minha cintura com as pernas.

O'Brien? — De forma alguma. — Caso você não tenha percebido. — Honestamente. — Quis dizer que normalmente não sou tão solta assim. Ela teria sorte se algum dia se recuperasse. Ele foi até abeira do colchão. Pior: ela não conseguia sequer imaginar que isso não fosse acontecer de novo. — Desde que volte completamente nu. Corri não poderia pensar em outro lugar para estar naquele momento. Corri o viu atravessar o quarto. não sei o que me aconteceu. fui eu. jogou mais dois preservativos na mesa-decabeceira. ela havia notado. — Você está reclamando. Meus planos foram destruídos graças a você. Para decepção de Corri. E de novo. Corri deslizou as mãos sobre as nádegas incríveis. agarrou o cobertor e puxou. — Pode apostar. Corri imediatamente cobriu os seios com um braço e levou o outro ao baixo-ventre. Você teve a sorte de eu me lembrar do preservativo. — Ele pressionou os quadris contra ela. — Por um segundo pensei que você fosse me deixar cair. — Pensei que você fosse me matar. — O que você está fazendo? Ela parecia assustada. Aidan saiu do banheiro para encontrar Corri coberta até o queixo. ele se afastou dela e disse: — Volto em um minuto e quero você me esperando completamente nua e nesta cama. terminou de tirar a calça e a jogou para o lado. Quando ele chegou à cama. Ele beijou a ponta do nariz dela. — Sim. Mas também parecia muito linda. mesmo que eu tenha planejado que durasse mais. Corri não conseguia conter a risada. desde a cabeça .para a cama e levou os dois ao colchão de uma vez. — Gosto de seu desprendimento. observando as costas e nádegas nuas e pensando o tempo todo que não podia acreditar que aquilo tivesse acontecido entre eles depois de todos aqueles meses de "nada além de amizade".

— Estou me certificando de que seguiu minhas ordens — disse. — Quando nos conhecemos. mas odiava não ter tido a oportunidade de intervir. — Tamara não está mais em cena. Aidan não estava surpreso com o fato de Tamara ter confrontado Corri e revelado aquela informação. Quero apenar dar uma olhada. — Tire esse braço e essa mão daí.. Aidan se espreguiçou na cama e pôs o braço por baixo de Corri. ele conversaria com satisfação. Uma conversa que tranqüilizasse Corri em relação à ex seria um bom começo. Até ontem. Se envolvesse negócios. — Então você está confirmando que foi você quem terminou? Aidan não estava a fim de entrar no assunto.. Não falava com ela havia meses. — Nosso relacionamento não estava indo a lugar algum e ela sabia disso. — Relaxe. conversar não era seu forte. Droga. Era uma situação nova para ele. E quando ele seguiu para baixo. Planejava cuidar disso depois. Mas por que ele sentia a necessidade de ser mais aberto com Corri. trazendo-a para junto do peito. Não era homem de conversar depois do sexo. não sabia dizer. Tamara o fizera lembrar-se disso várias vezes. Ou ela estava envergonhada ou novamente excitada. para a sombra entre as coxas. não pretendia pensar sobre isso tão cedo. Ele apostou tudo na segunda alternativa. Certamente. Porém. Corri. Uma longa olhada. praticamente perderia a chance de terminar bem a noite. ela se mexeu ligeiramente. Sempre quis vê-la nua. mas quando o assunto era emocional. Tinha a impressão de que tinha sido o contrário. se não se explicasse. mas primeiro sentia que precisava conversar com ela sobre algumas coisas. nem penso mais nela! — Ela me disse que foi você quem terminou o relacionamento. Corri. Os mamilos pálidos endureceram quando Aidan se concentrou nos seios. duros como uma barreira de concreto.loura até a ponta dos pés finos. Aidan observou uma leve hesitação na expressão de Corri antes de ela finalmente afastar os braços para o lado. analisando o corpo por um pouco mais de tempo antes de se juntar a ela de novo. e todos os pontos no meio do caminho. Tamara era uma roteirista da equipe da . Ele rolou para o lado para poder avaliar melhor a reação dela. E deu.

rede. — Era aí que a situação ficava espinhosa. — Ela tentou me convencer a voltar para Nova York. Depois que começamos a sair. mesmo que estivessem próximos. Foi quando resolvi seguir por conta própria. Não levamos muito tempo para perceber que sexo e politicagem de trabalho não se misturam. — Deixe-me adivinhar. —Achei que você tinha se mudado de volta para lá para ficar perto de seus pais. Alguém mais chamou minha atenção na época em que terminei com Tamara. — Ser seu próprio patrão. uma vez que tivesse me estabelecido. Relacionamentos a distância não funcionam. — Aposto que sim. Janine. Mais uma vez ele se via em terreno instável. Reconheci que tinha talento. — Você se deu ao trabalho de explicar isso a ela? — De certa forma. poderia terminar parecendo um patife.. Ou era Joyce? . quando não havia bastante motivação para fazer funcionar um relacionamento que não tinha a menor chance de sobreviver. — E Tamara decidiu que não queria acompanhá-lo. seu irmão. Parecendo. sentia a necessidade de jogar limpo depois de meses em seu silêncio habitual. — Disse a ela que. Se ele não fosse com cautela. mesmo que preferisse fazer outras coisas em vez de falar. Corri franziu a testa. — E havia falhado muitas vezes em expor tais motivos. Foi aquela mulher insistente. mas. por alguma razão. Corri.. — Reconheci seu talento como escritora e mexi uns pauzinhos para que ela fosse a primeira opção para substituir o roteirista principal quando ele deixou a empresa. Depois comecei a perceber que as coisas não iriam dar certo entre nós. — Não foi só a liberdade que o estúdio me deu.. — Tenho certeza de que ter seu próprio estúdio dá uma sensação de liberdade — disse. e a essa altura eu já sabia que não queria deixar o Texas. Ele ignorou o cinismo de Corri e se preparou para contar tudo. sim. — Isso teve relevância na decisão de abrir o estúdio em Houston.. encontraria um lugar para ela no estúdio. a situação não estava boa. Em particular.

— Na verdade. . — Ou pelo menos havia tentado. não. — Estava arrependido de tê-la apresentado a Kevin. — E depois Kevin e eu voltamos para a cidade noivos. mesmo sem saber que resposta queria escutar. se estivesse atraído por você. sabendo que eles haviam de fato dividido a cama. E agora ela teria de abrir mão disso. presumi que era mais uma daquelas coisas. Odiava com todas as forças saber que ele estava na sua cama. Ela não tinha se permitido acreditar naquilo por culpa. Mas Aidan ainda não sabia da verdade. Corri. a maneira como as coisas pareciam acontecer com ela e com Aidan. se um "sim" ou um "não". — Não fique tão surpresa. Se ela não fosse tão apegada aos pais de Kevin e a Aidan. Isso não poderia ser tão difícil quanto ver Aidan com sua ex-namorada na noite anterior. — Outro grande exemplo de falta de sincronia. enquanto ela e Kevin. Corri se preparou para perguntar a Aidan algo que lhe atormentara a noite toda. você e Tamara estavam praticamente casados naquela época. Enquanto na família dele havia irmãos muito unidos. até que Aidan conseguira trazer o momento de volta à memória. Jamais sequer conversamos sobre casamento. — Isso ficava óbvio quando você chegava nas reuniões de família sem ele. A sólida unidade familiar fazia dos O'Brien uma família muito atraente.Hora de pôr as cartas na mesa. — Kevin está errado. Corri só conseguia se lembrar de duas vezes na vida em que ficara sem palavras: quando os pais lhe contaram sobre o divórcio e naquele momento. Havíamos terminado dias antes da festa. Com esse pensamento. Ele se virou de barriga para cima e ficou olhando para o teto. não poderia me comprometer com ela. Depois me senti tão mal que tirei isso da cabeça. na dela havia amargas batalhas de divórcio. Percebi que. jamais teria ido àquelas reuniões. e ela não tinha certeza de quando ou mesmo se poderia lhe contar. Você tinha que saber que aquele beijo em março não foi por acidente. — Ele nunca a tratou bem — continuou ele. — De acordo com Kevin. — Foi você. mesmo que isso pudesse tornar as coisas mais difíceis depois. Por medo. tudo por causa do grave erro que cometera ao se envolver com um homem que não amava.

Aidan O'Brien a havia transformado em uma máquina de sexo. e ela percebeu muito bem qual seria o próximo passo. não precisaria fazer muito para convencê-lo. — Um passo de cada vez. Voltou ao quarto e viu a porta do banheiro entreaberta. Com isso em mente. enquanto outras queriam mais e mais. Mas. Mas agora cabe a você decidir se quer que isso vá mais adiante. Aí estava o dilema de Corri. Provavelmente. Corri acordou na manhã seguinte e viu que Aidan havia saído da cama. uma diversão sexual? Uma grande fuga. Nesse momento. as defesas de Corri derreteram. . — O que faremos agora? Ele traçou o contorno de seus seios. o que significava que havia tempo para um pouco mais de ação. Ela sentou-se na beira da cama e revirou os olhos. foi até a sala de estar para procurar o incomparável amante de fim de semana. ao mesmo tempo. Arriscaria continuar esse relacionamento e possivelmente se lamentar depois? Ou terminaria tudo agora. ela esperava que voltasse logo. — Sem expectativas depois deste fim de semana? Ele lhe levantou a mão e a beijou. poderia vir a descobrir se continuasse com Aidan. ela atravessou o quarto e remexeu na bolsa para buscar a blusa larga que trouxera. torcer para que Aidan quisesse se juntar a ela para alguns joguinhos aquáticos. — Não sei exatamente o que isso significa. — A única coisa que sei é que esperei meses para estar com você. Eram quase 8h e eles ainda tinham algumas horas antes que o avião partisse. Em uma noite. — Ela estava certa de uma coisa: se não fosse cuidadosa. Em pouco tempo as mãos de Aidan passavam novamente pelo corpo de Corri. Onde quer que ele tivesse ido. Pretendia começar com o pé direito. sabendo que Aidan poderia lhe oferecer apenas um caso. Ela repousou a mão sobre o queixo dele. mas nem sinal de Aidan.— Você amava Tamara. quando ele a olhou. mas ele não estava à vista. Aidan? Ele suspirou. ela poderia cuidar dos pontos doloridos com um bom banho quente e. parecendo tão sério e sincero. Algumas partes do corpo doíam por tanta atividade. Depois de vesti-la. — Também não sei.

— Quando a garçonete chegou com o café. Lembro-me das inúmeras vezes em que passamos o domingo na cama. A única mulher que prendia-lhe a atenção estava agora lá em cima. um pouquinho que fosse de ciúme. Aidan não se importava muito com essa reunião matinal. Ela estendeu a mão. — E bom dia para você também. perto da janela. apesar do tom impaciente dele. — Parabéns.. se quisesse ter um pouco de paz. viu Tamara em uma mesa de canto. mas. assim que a garçonete se afastou. mostrando um diamante do tamanho de Manhatan.Nesse meio tempo. o cabelo. — Foram até tarde. Foi até o café e. Aidan disse: — Quero dois para viagem. Mas não sentiu nenhum dos dois. não mais.. Apesar da relação pouco amistosa entre eles ele reconhecia que ela era uma mulher bonita e que em algum momento. Não tenho muito tempo. Como sempre. Porém. — Com muita ênfase no "para viagem". — Corri continua dormindo. — O que você queria me dizer? — Na verdade. presumo. até que ele voltasse. negro estava impecável e o terninho azul de grife exalava dinheiro. Ela sorriu. tinha de encerrar logo o assunto. tê-la em sua vida significara algo. Aidan esperava uma ponta de decepção. Alguém que conheço? . — Torri. não é? — Ela sabia muito bem que não era. queria lhe contar isso antes que você ouvisse de terceiros. — Estou noiva. Tamara.. Quando chegou à mesa. depois de passar por entre clientes e garçons. — Sejamos rápidos. planejava fazer bom uso da gigantesca banheira de hidromassagem. Ele não estava a fim de ficar relembrando. dormindo na cama para a qual ele planejava voltar. — Onde está sua amiga agora pela manhã? — perguntou Tamara... Mas não poderia esperar menos de você. assim que tivesse esse assunto inacabado fora do caminho. Aidan puxou uma cadeira em frente a ela e sentou-se. todo o dia.. Aidan.

mas não podia me forçar a sentir coisas que não sentia. Boa sorte. — Preciso ir. — Nunca tive a intenção de magoá-la. — Eu sei. Ela suspirou. . Tamara. — Estou feliz por você. Não seria justo com você. não? Ele não sabia. que tinha reputação de conquistador. Mais do que a própria Corri imaginava. Quando a garçonete chegou com o café. As histórias corriam rápido na indústria televisiva.. — Estamos namorando há seis meses. porque agora se dava conta de que nunca estivera apaixonado por ela. Alguém sempre parece amar um pouquinho mais. Não poderia esperar você para sempre. Aidan. especialmente quando os próprios diretores espalhavam algum rumor. parabéns. Mais uma vez. Algo mais? — Por acaso. — Essa Corri. Alguma razão em especial para o interrogatório? — Sim. Tamara. Talvez seja melhor você terminar isso agora. mais pelo desejo de voltar para Corri do que pela falta de tempo.. Um dos diretores do estúdio. Ela se recostou e cruzou os braços. Tamara. Hal me falou que ela tem muito potencial e que um dos canais de televisão a cabo está muito interessado nela. — Ela é uma mulher maravilhosa. — O que você quer.— Cameron Farr. — Não sabia que vocês estavam saindo. antes de partir o coração dela como fez com o meu. Não por Tamara. ele deu uma rápida olhada no relógio. Tamara? — Apenas alguns conselhos. — Isso é sério? — Somos amigos. Nem por qualquer mulher. Aidan não estava surpreso com o fato de seus ex-colegas terem acesso a essa informação. sim. Ela é especial? Mais do que ela imaginava. Era exatamente o tempo que ela teria de esperar. Ela pôs o cotovelo na mesa e segurou o queixo com a mão.

Uma mulher que vai deixá-lo por uma oportunidade melhor na carreira. Apaixonar-se por ela seria realmente o cúmulo da ironia. mesmo que ele não tivesse a intenção. Ele jogou uma nota de dez sobre a mesa.Tamara continuou estudando-o como se tentasse descobrir algum segredo. Corri viu que ele estava parado à porta. Parecia a personificação de todas as fantasias femininas: barbeado. Ele tinha descoberto Corri e ela seria conhecida como mais uma das histórias de sucesso em um futuro próximo. levantou a perna e banhou a coxa. — Sabe de uma coisa. Você parece diferente. encostado no batente. um copo descartável na mão. Mas. e precisava parar com aquilo agora mesmo. sentia que não podia esperar nem mais um segundo para voltar para ela. inclusive. — Vou embora. ela estava se tornando uma causa perdida. Poderia. Talvez Corri seja boa pra você. Tamara estivera certa em várias oportunidades. De forma alguma. entrar na banheira com ela. e ele não tinha o direito de impedi-la de alcançar seu potencial. Afinal de contas. Quando se levantou. indo para o elevador cheio. Corri estava no auge. Mas ficou pensando no que ela dissera. — Antes de ter de ouvir sobre sua falta de habilidade em expressar sentimentos. Aidan. Ou nas próximas horas. seria irônico: você se apaixonando por seu próprio projeto especial. CAPÍTULO SEIS — Você usou toda a espuma de banho? Arrancada de sua meditação na banheira pela profunda voz de tenor de Aidan. Aparentemente. Tamara lhe disse: — Isso sim. camisa pólo de manga longa para fora da calça jeans. e o estúdio tinha de ser o foco principal. que não se incomodaria nem um pouco. Ele poderia entrar em uma sessão de fotos de modelos em Nova York sem que ninguém questionasse. Talvez ela seja a primeira a finalmente penetrar nessa fortaleza emocional da qual você tanto se orgulha. Mais relaxado. cabelo perfeitamente penteado. Trabalhara muito para superar os obstáculos e chegar onde chegara. pegou os copos descartáveis e saiu do restaurante sem responder a Tamara ou sequer olhá-la. . Corri se esticou para pegar a toalha.

— Oh! — Esta única palavra evocava um mundo de decepção que Corri não conseguia esconder. Corri. no máximo. — O que ela queria? — Como se já não soubesse. — Você ficou decepcionado? — Ele balançou a cabeça. Tinha que falar com uma pessoa. — Ela queria me contar que está noiva. — Onde você foi? — Fui buscar isto. — Você saiu por muito tempo. percebeu que seus olhos. Uma pessoa era muito vago. Ele poderia . Corri sentiu grande alívio e também um pouco de incerteza. — Eu sei do que mais você gosta. Muito provavelmente. — Café. Quando o encarou. Aidan sentou-se no segundo degrau da banheira de hidromassagem e empurrou uma mecha de cabelo que tinha caído do prendedor. o corpo ainda mergulhado na espuma. Tamara merece um homem que possa lhe dar o que ela precisa. As coisas estavam melhorando! — Por que ela não mencionou isso ontem à noite? — Porque não perguntei. Quantos quarteirões teve que andar para conseguir um copo de café? — Fui ao restaurante aqui embaixo.. Não pergunte. Ele havia provado aquilo duas vezes na noite anterior. Ela se reclinou e dobrou os joelhos contra o peito. definitivamente. Eu lhe dei os parabéns e depois saí. Não sou esse homem. tinham escurecido.. Ele entrou no quarto e pôs o copo sobre a penteadeira. — Amigo ou ex-colega? — Tamara. — Exatamente como eu gosto. duas colheres de açúcar e muito creme. Por essa ela não esperava. Isso levou uns dez minutos. — De forma alguma. ela fora suplicar uma reconciliação com Aidan.— Usei apenas metade do frasco.

— Vou convencê-lo de que grandes banheiras proporcionam grandes benefícios. — Ele acariciou a parte de dentro da coxa dela. quando Aidan a pegou pelo punho e a trouxe para junto do peito. chamando completamente a atenção dela. Mas não conseguia se preocupar com isso agora. — Não sou. Ele desenhou. — Arrume espaço para mim. — É o suficiente. Ela afundou na banheira e suspirou. Ela roçou. — De repente fiquei com vontade de tomar um banho. — Realmente queria muito ter uma dessas banheiras. — Parece que alguém trouxe um brinquedo para a banheira.também não ser o homem de que ela necessitava. — Tenho uma em casa. permitindo que ele ficasse atrás dela. — E você? — Ela estava verdadeiramente quente. A água ainda está morna? — Um pouco. um círculo ao redor do joelho dela. . ela sentiu algo sólido e potente contra as costas. Ele pôs a mão na braguilha. ele já havia tirado a roupa e estava com um pé na borda da banheira. explorou e acariciou até o limite. o próprio âmago começou a se dissolver junto às bolhas de sabão. Alivia o estresse. Ela cruzou os braços na borda e os usou para repousar o queixo. — Estou esquentando. Quando ela percebeu a excitação dele. dando a ela uma visão privilegiada daquele físico escultural. — E estou com muita vontade de compartilhar com você. devagar. Ela se inclinou para a frente. Quando ele puxou as costas dela contra si. — Sério? Não o vejo como um tipo que goste de hidromassagem. — Então por que você não sai daí e me deixa medir essa temperatura? — Por que você não entra? — Já tomei uma ducha. Antes que ela pudesse dizer "Bolo de chocolate e framboesa de três camadas". Ela se virou para ele e moveu o corpo suavemente. Corri deslizou os dedos pelo abdome firme e agarrou o "brinquedo" com as mãos.

Sem avisar. Ela concordou que as duas vezes em que fizeram amor haviam sido rápidas e quentes. Corri se levantou primeiro e tentou descer os degraus o mais graciosamente possível. nada fácil em uma superfície escorregadia. ninguém faz amor por duas horas seguidas. — E isso era uma coisa da qual Corri não ousava se esquecer: prevenção. Aidan — reclamou. — Gosto de você molhada. Corri se perguntava por que ainda fazia esses comentários tolos. perto do preservativo. ele agarrou-lhe os braços sem permitir que ela se secasse. Ele a deixou na beira da cama. — Você não acha que podemos improvisar? — O sorriso voltou. para a cama. — Melhor. deu um passo para trás e disse: — Solte o cabelo. irresistível. deixou-o na mesa-de-cabeceira. Vamos sair daqui agora e voltar para a cama. — Estamos molhando tudo. — Temos que entregar a chave em poucas horas. Ela o beijou pouco acima do umbigo. temos que estar preparados. Ao menos seus pés não a decepcionaram. mas o preservativo está no quarto. embora tenham vacilado quando Aidan saiu da banheira em toda a glória masculina. — Da próxima vez. mas ela não se importava. Esta manhã vou fazer no meu ritmo. Corri se esticou sobre os lençóis amarfanhados e repousou a cabeça sobre um travesseiro enquanto Aidan permanecia sentado ao lado dela. enquanto eles deixavam um rastro. Ela tirou o prendedor. Agora. — A noite passada foi ótima — disse ele. — Poderíamos. certo? Ele traçou com o . — Não foi o que você disse ontem à noite.— Você não tem graça. e sacudiu o cabelo. de forma alguma. — Mas apressei muitas coisas. onde temos mais espaço para fazer isso direito. Afinal. Engraçado como o "da próxima vez" saiu tão facilmente. encharcando o carpete a caminho da cama. — Melhor assim? Ele lhe lançou um olhar com um brilho de apreciação.

iria? Sim. mas sempre pensara que seus quadris eram um tanto largos demais. ainda assim. Aidan a beijou antes de sentar-se à beira da cama para pôr o preservativo. — Corri foi engatinhando e pôs os braços em volta de seu pescoço. Corri respirava ofegante. A maioria muito sugestiva. por bastante tempo. Aidan parecia não se importar. Nunca tinha gritado. Com todas as forças que tinha. pôs a mão sobre a boca e fechou os olhos. ela pensou em pedir uma respiração boca a boca.dedo uma linha que ia dos seios ao umbigo. Por sorte. um pequeno sinal abaixo da pélvis. sob a luz clara do dia. Ela fora abençoada com cintura fina e pernas alongadas. Ela nunca havia feito amor por duas horas. iria. Agora . Ele seguiu para baixo. pelo menos. e depois sobre o aro prateado no umbigo. E acho que vai ser. Aidan continuou a maravilhosa tortura até as últimas contrações se extinguirem. E continuou. Ele se movia entre as pernas dela e. se for o caso. Tocoulhe os seios e abaixou a cabeça para passar a língua sobre o mamilo. quando Aidan se afastou e sussurrou "Espero que você tenha gostado disso tanto quanto eu". Ele a olhava com carinho por sobre o ombro. Certo. Disse coisas que nenhum homem jamais dissera. quando a pressão começou a aumentar. Quando ele levantou a cabeça e deu uma olhada íntima e mais de perto em Corri. o som saiu como um gemido abafado quando o orgasmo chegou. Você gosta de dizer o que as pessoas têm que fazer. Mas tinha a impressão de que Aidan já. por trás dele. abaixou a cabeça. e como usar os lábios e brincar com os dedos dentro dela. mas. E não parou por aí. Não iria gritar agora. Ele começou tocando-a. Ela não gritava durante o sexo. e mordeu o lábio para conter um grito. A respiração de Corri estava tão alterada que ela parecia precisar de um tanque de oxigênio. algumas surpreendentemente elogiosas. — Sei por que você gosta tanto do seu trabalho. Ele variava entre terrivelmente provocante e delicadamente carinhoso. Beijou lugares que nunca tinham sido beijados: a dobra do joelho. a ponta dos dedos dos pés. — Sou bom no que faço porque reconheço um talento natural. ela lutou para não sentir-se envergonhada. dizendo o quanto admirava seu corpo. Sabia até onde poderia ir e quando diminuir a intensidade. — Venha aqui e fique parada de frente para mim. depois de um sorriso sexy e malicioso. As costas se arquearam involuntariamente. — Vou ligar e pedir um tempo extra. deslizando as mãos pelas pernas e os lábios pelo corpo. E.

Quando ele recuou um pouco. Era exatamente o que ela pretendia fazer. Repetiu o movimento várias vezes. Fazia por merecer um "agradecimento". Observar a transformação de um homem habituado ao comando em um homem próximo de perder o controle era maravilhoso e excitante. ela o empurrou para forçá-lo a deitar-se. As sensações eram maravilhosas. Corri — disse enquanto acariciava suavemente os cabelos dela.venha aqui e me mostre o seu. Só de pensar nisso ela já estava fora de órbita. Corri. . — Desta vez quero você por cima. Uma vez parada em frente a Aidan. Ela podia ouvir o som do coração dele. jogou os quadris para cima e soltou a respiração irregular. enquanto as mãos dele continuavam firmes nos quadris dela e os corpos permaneciam profundamente unidos. qualquer coisa que parecesse lenta desapareceu sem deixar vestígios. Como se tivesse se transformado em uma pantera. — Somos muito bons juntos. desfrutando da pegada de Aidan em seus quadris. ele agarrou-lhe os quadris e a puxou. fechou os olhos. Ela desfrutava daquele poder recém-descoberto e da forma como ele respondia a isso. Depois disso. Corri saiu da cama engatinhando. ele já a tinha feito jogar o controle pela janela algumas vezes. Com as mãos agarradas com firmeza nos ombros dele. e se abaixou mais lentamente ainda. Por ela. e Aidan aproveitou para emaranhar as mãos nos cabelos dela e descer a boca até os seios. tudo bem. não? Ela aumentou o ritmo. Mal podendo conter a excitação. O suor corria pela testa dele enquanto o peito subia e descia a cada movimento de Corri. O'Brien? — Dou conta de tudo que você tiver. Ele agarrou a nuca de Corri e a trouxe para junto do peito. assim como os olhos de Aidan vidrados nos dela. — Você acha que dá conta. Ele a agarrou e a possuiu. Aidan trincou os dentes. a mandíbula firme indicando que ele estava perto de perder o controle. as coxas dele entre os joelhos dela. — Faça o melhor que puder. e sentiu o corpo de Aidan finalmente relaxar. fazendo-a chegar ao clímax. ela subiu na cama. Corri levantou a cabeça e sorriu. Afinal. ela levantou o corpo devagar.

— Ela sacudiu a cabeça. que sabia tudo sobre ela. erroneamente. — Não sabia que você tinha experiência com crianças. Corri deixou a bolsa perto da porta e o envolveu nos braços. E ele gostava do que tinha descoberto. — Provavelmente está encantado com todos os lindos papéis de embrulho.— Você acha? — Você não? Sem dúvida. ele poderia dá-las pessoalmente. Mas só se a conversa for positiva. que o irmão era um idiota por deixá-la. Assim posso estar preparada quando. — Comprei meu vestido de formatura trabalhando como babá. Quando liguei do aeroporto para minha mãe. provando. E pela primeira vez ela se permitiu desejar mais. — Ligo para você hoje à noite. depois de falar com meus pais. Sexo cru e desinibido. Isso é normal para os bebês. Poderia sugerir isso de qualquer maneira. mais uma vez. mas não o faria. Ele desejava passar mais tempo com ela. por fim. Mais do que ele poderia sequer começar a imaginar. — Você quer entrar um minuto? Ele queria. Mas eram apenas corpos em ação. mas as obrigações familiares o forçavam a deixá-la em casa e seguir para encontrar os pais. Considerando as vezes em que conversaram. — Eu também. não sei como ela pode saber. Não se não quisesse precisar explicar por que não apareceu para o jantar da noite de Natal: porque não conseguia ficar longe da ex-noiva do irmão. tiver que falar com eles. — Eu me diverti muito. Definitivamente. — Já estou uma hora atrasado. Outra surpresa dentre tantas de Corri. Como ele tem apenas 10 meses. Se as notícias fossem ruins. Ligue para mim mesmo se as notícias não forem boas. — Ela sorriu. — Esqueça. ele vira um lado dela que não sabia que existia. na noite anterior e naquela manhã. Ele a trouxe para mais perto. mas chegou à conclusão de que deveria . Aidan. — Certo. ela disse que meu sobrinho já está pronto para abrir os presentes. ele pensava. Ela parecia um tanto cautelosa.

— Não vou falar para ela. em direção ao oeste. Sem esperar por um protesto. lutou várias vezes contra a vontade de voltar para os braços de Corri. Do contrário. tomou o rosto de Corri nas mãos e levou os lábios aos dela. ela parecia tentadora demais para ele ignorá-la. de qualquer maneira. Vestida com suéter e jeans. Aidan desceu as escadas e entrou no carro antes de pensar em segui-la até em casa. Aidan precisava certificar-se de que ela iria. que a família dele não havia virado um inferno. assim esperava. Agora ele só queria passar o mais rápido possível pelos festeiros. — Mas vai ser muito difícil não poder tocá-la amanhã. Ele saiu do condomínio um pouco mais rápido do que deveria e. Quando ligou o motor.tentar manter o desejo sob controle até que pudesse saber para onde o relacionamento estava indo. nem da decepção no tom de voz dela. Aidan não gostava de esconder a relação. — Ainda não concordei em ir. quando pegou a interestadual. Quando finalmente interromperam o beijo. E melhor que ela não saiba sobre nós. . jamais sairia sem um beijo. sobretudo ao ficar preso em um engarrafamento graças aos compradores de presentes de última hora. — Você pode fazer isso amanhã. olhou para cima para ver Corri parada junto ao parapeito. para lhe contar. Ela deu-lhe um tapinha no peito e se afastou de seus braços. Isso não aconteceu. observando-o. nunca chegaria à festa. Ela franziu a testa. — Discutimos isso depois. — Divirta-se e mande meus cumprimentos a sua família. ele estava pronto para mandar o compromisso para o inferno e entrar com ela no quarto. Mas precisava. E tenho certeza de que ela não ficaria contente em saber que você está comigo. — É melhor você ir antes que Lucy mande uma equipe de resgate para procurá-lo. com a intenção de lhe dar algo rápido e simples. Ela tirou as chaves do bolso e sorriu. Não queria que ela passasse o Natal sozinha. o cabelo louro tocando o rosto. — Você tem razão. chegar em casa e ligar para Corri. quando eu ligar a noite. Porém. Gentilmente.

— Eu sei. O ressentimento já se reacendia de maneira alarmante e Kevin ainda tentou parecer sentir-se culpado. ela saiu do caminho. Quando ela tentou fechar a porta. — Em consideração ao espírito natalino. ela sentiu-se cansada e sem as forças necessárias para xingá-lo como ele merecia. Kevin. Ela cruzou os braços. — Oi. Corri chegou a esperar que o teto desabasse naquele momento. — Está na casa de seus pais. ele a impediu. o que definitivamente não funcionaria com ela.— O que você está fazendo aqui? — Corri estava orgulhosa por parecer tão calma ao abrir a porta e dar de cara com o ex-noivo. Tchau. por que não está lá? Ele deu de ombros. parou no meio da sala e deu uma olhada. Já que você. — Mas teve tempo de vir aqui. Ele não lamentava nem um pouco. Só queria uns minutos de seu tempo antes de pegar o avião. — Puxa. — Você tem razão. . — Ela lhe indicou a porta. obviamente. Corri. Kevin. — Você deveria ir pegar seu avião. De repente. — Pensei em passar para dizer "oi". — Estou surpreso de não ver Aidan por aqui. — Certo. Kevin. Isso foi mesquinho. não está em Aspen. Desculpas aceitas. por isso não tenho muito tempo. achei que lhe devia um pedido de desculpas. Ele entrou no apartamento. — Estou indo. — Você tem dois minutos. me mandar um bilhete depois de eu ter passado meses jogando de acordo com suas regras. Vendo uma oportunidade de ouro de lhe dizer umas verdades. Mas queria lhe dizer que dou muito valor a tudo que você fez por mim e que lamento que as coisas não tenham dado certo entre nós. Disso Corri sabia. E uma explicação também.

— Você tem razão. Corri o acompanhou até a porta e, aproveitando que ela havia baixado a guarda, lhe deu um abraço rápido, mas estranho. — Feliz Natal. Espero que seja feliz. Corri não sentiu uma ponta de desejo, nem um pingo de arrependimento. Sentiu, sim, uma estranha ponta de carinho por Kevin, já que parecia que ele estava finalmente desenvolvendo algum caráter. — Também lhe quero bem, Kevin. Também espero que você encontre alguém com quem possa sossegar e construir uma família. — Alguém que pudesse sossegá-lo, na verdade, embora isso parecesse altamente improvável, ao menos em qualquer futuro próximo. Ele lhe deu um sorriso que um dia a encantara, mas que agora não surtia mais qualquer efeito. — Você me conhece, Corri — disse. — Livre, leve e solto é mais o meu estilo. Sim, ela o conhecia. E também sabia que algum dia ele encontraria uma mulher que o derrubaria. Só esperava estar por perto para ver, ainda que parecesse improvável. — Tenha uma boa viagem, Kevin. — Obrigado. Com as mãos no bolso, ele se virou para a escada e deu um passo antes de olhá-la novamente. — Uma outra coisa. Sei que lhe disse que você poderia ficar com ele, mas... Você poderia me devolver o anel? Ainda não paguei por ele. E lá se ia a recentemente elevada opinião sobre ele. — Certo. Vou buscá-lo. Em seu caminho para o quarto, Corri conteve todo um dicionário de palavrões, incluindo algumas sugestões de onde ele poderia enfiar aquela jóia. Ela tirou a caixa de veludo azul da gaveta da cômoda e imediatamente se lembrou da forma ignóbil como ele lhe pedira em noivado naquela noite de abril. Aqui, Corri. Ponha isto. Vai fazer o compromisso parecer mais oficial. Corri pegou o anel, deixou a caixa sobre a cômoda e voltou à porta. — Aqui está, Kevin. Um diamante emprestado. — Quando ela esticou a mão para lhe dar o anel, propositalmente deixou-o cair no chão, vendo-o rolar por uma brecha no parapeito e cair dois andares. Por um momento, ela pôs a mão na boca e fingiu surpresa. — Ai! Como sou desastrada! Quer uma lanterna emprestada?

Kevin estreitou os olhos escuros e a olhou. — Muito obrigado, Corri. Espero que esteja sentindo-se melhor agora. Na verdade, sim, ainda que também parecesse um tanto infantil. Mas quando ele se foi, escada abaixo, ela também sentiu-se vingada de certa forma. E pensar que, por alguns momentos, quase tivera pena dele. Corri voltou ao apartamento, se esticou no sofá e percebeu como estava feliz por ter se livrado de Kevin. E esperaria pacientemente pela ligação do irmão dele: o homem que ela estava aprendendo a apreciar mais e mais a cada dia. O homem que ela poderia facilmente vir a amar. Por quase quatro horas Aidan aguardou uma oportunidade de falar a sós com os pais. Quando os irmãos e outros parentes próximos já haviam finalmente ido embora, ele foi procurar a mãe no lugar de sempre, a cozinha. Contudo, encontrou apenas o pai sentado à mesa redonda, o colossal físico fazendo a cadeira de encosto ripado parecer bem menor, enquanto comia um pedaço da célebre baklava de Lucine Kabakian O'Brien. Lembrou-se de que Corri havia conseguido, de alguma forma, convencer Lucy a lhe dar o segredo da receita, algo que ninguém de fora da família jamais fora capaz de fazer. Aidan contava que a relação estreita das duas fosse suavizar as coisas, se necessário. Ele torcia para que tudo desse certo. Puxou uma cadeira oposta à do pai e o observou comer o doce com prazer. — Sua esposa sabe que você está comendo outro pedaço? — Não, e não tenho a menor intenção de lhe contar. — Dermot cutucou-o com o prato. — Coma um pouco. — Era a última coisa que ele queria: mais comida. — Não, obrigado. De qualquer maneira, onde está mamãe? — Foi para a cama mais cedo, com uma daquelas dores de cabeça. Droga! Obviamente, ele havia esperado demais para conversar. — Preciso falar com ela amanhã de manhã. O pai limpou a boca suja de calda com um guardanapo, juntou tudo e jogou na lixeira do outro lado da cozinha. — Não comece a falar que não vai ficar aqui. Sua mãe já está bastante aborrecida porque Devin tem que trabalhar no hospital e Stacy vai levar o pequeno Sean para a casa dos pais dela. E Kevin ter que fazer aquela entrevista no Colorado logo no Natal, além de Corri ter terminado com ele. B... Bem... É muito estresse para minha Lucine. Que se danassem as mentiras de Kevin.

— Em primeiro lugar: Kevin não está trabalhando. Está em Aspen brincando com suas bonecas de neve. Segundo: Kevin terminou o noivado, não Corri. Por último, estarei de volta pela manhã. — Com Corri a tiracolo, algo a que se dedicaria em breve. Dermot virou a cabeça para o lado e olhou para Aidan com olhar confuso. — Você está dizendo que foi Kevin quem terminou com nossa Corri?

Nossa Corri. Pelo menos era um bom sinal.
— Foi, pai. Ele terminou com ela e nem foi homem o suficiente para encará-la. Ele escreveu uma carta para ela. Dermot bateu as mãos na mesa, fazendo o prato tremer. O rosto já estava vermelho. — Estou começando a pensar que esse rapaz é um imbecil. Ele disse por que faria tamanha besteira? Aidan sabia o porquê, e era algo que não agradaria ao pai. No entanto, naquele momento, isso não lhe importava nem um pouco. — Kevin gostava de tê-la por perto para impressionar. Agora que ele foi promovido, não precisa mais dela. — Isso deve ter partido o coração da moça. Ele preferiu deixar de fora a parte de Corri concordar com o arranjo. — Ela não ficou tão surpresa. Ficou muito mais chateada porque ele não comunicou pessoalmente. Ela merecia pelo menos isso, depois do inferno que ele a fez passar. — Imagino que você a esteve consolando. — Estou fazendo o que posso para ajudá-la a superar. — Mais do que ele gostaria de admitir para a família ou para qualquer outra pessoa. Quando Dermot abriu um largo sorriso, Aidan percebeu que falara demais. — Está parecendo que você gostaria de entrar nesse jogo e ser o namorado dela, meu filho. Ele já deveria saber que não conseguiria esconder nada de Dermot O'Brien. — Estou sendo amigo, pai. É do que ela precisa agora, não de um namorado. Quero trazê-la amanhã para o almoço de Natal. Dermot esfregou a mão contra o pescoço grosso. — Você acha que isso seria inteligente, filho? Não quero que ela se

Kevin é seu sangue e. definitivamente. Não queria que ela pensasse mal de Corri porque um de seus meninos roubou um beijo da namorada do irmão. É só isso. E meu traseiro é de ouro. CAPÍTULO SETE Quando o telefone tocou. . — Certo. Terei uma conversa com sua mãe. filho. Dermot estreitou os olhos. menos sua mãe. não vou trazê-la. a despertou. todos sabiam de sua vida. Por mais que ela goste de Corri. filho. Quando. Você já estava interessado nela desde a última festa de São Patrício. — Olhe. Aparentemente. quando vocês se encontraram na cozinha. Corri deu um pulo e quase caiu de seus chinelos de zebra. Ainda sonolenta. — Você não consegue enganar seu velho pai. — Como você sabe disso? — Todos sabem. — Você sabe como ela gosta de Kevin. Aidan. Kevin já nadava havia tempo em um mar de desonestidade. Dermot sorriu de novo. — Como eu disse. Pode ser que venha aqui. — Acordei você? O som da voz de Aidan. mas planejo passar o dia com Corri. pulou do sofá e bateu a canela na mesinha de centro.sinta deslocada. pai. Ligue para mim se mudar de idéia. — Traga. depois atendeu: — Alô — falou por entre os dentes. — Claro. Por inteiro. Mais uma razão para não pôr mais lenha na fogueira. segundo ele. e ele não gostava nem um pouco daquilo. se você acha que vai chatear mamãe. na verdade. Corri e eu somos amigos. ela é que foi desonesta. Ela acha que aquele menino nunca erra. — Você está preocupado com a reação da mamãe.

. — Eles sabem do rompimento? — Sabem a versão de Kevin. — Sério? Estava pensando em comer um pote de sorvete de menta com pedaços de chocolate. Minha mãe foi para a cama mais cedo. homem frustrante. — Ela olhou para o relógio na parede. — Acabei de passar pela saída que deveria pegar para ir ao seu apartamento. embora suspeitasse que ele a tivesse pintado como uma filha-da-mãe destruidora de corações. Estava rodando de carro. Aidan? . saí há meia hora. Ela não tinha lá muita certeza de que conseguiria dormir muito naquela noite. — E. Corri não sabia se queria escutar a versão de Kevin. Quase fui aí. — Tem certeza.? — E o quê? Oh. — Eles me odeiam agora? — De jeito nenhum.. Parece que os O'Brien tiveram uma festa e tanto...— Acho que apaguei durante um daqueles filmes água-com-açúcar que estava tentando ver. — Estava procurando coisas para a decoração natalina? — Estava pensando em você. A voz dele era baixa e sensual. — E por que não veio? — Achei que você precisava descansar. — Na verdade. Ela arregaçou o pijama de flanela e viu uma bela mancha roxa na perna. Ela endireitou o pijama e quase deixou o telefone cair. — É quase meianoite. — Falou com seus pais? — Falei com meu pai. — Mentirosa. Querem que você venha amanhã. Expliquei a verdadeira para eles. — Foi boa a noite com a família? — Foi. com dor de cabeça. se é que dormiria.

ele queria o anel de volta. —Aidan. A expressão sombria dizia que ele não acreditava. O celular já estava desligado antes que Corri tivesse a oportunidade de terminar de protestar. adoraria. então o traseiro dele é feito de ouro ou alguma coisa assim. — Ela hesitou um pouco antes de deixar escapar: -— Por falar em "aqui". se você não for bem-vinda. — Por que Kevin veio aqui? — Ele queria pedir desculpas. Ao abrir a porta. viu Aidan encostado no mesmo lugar onde Kevin estivera algumas horas antes. a preocupação dele era sem motivo.. Ele não deveria sentir como se tivesse de voltar para resgatá-la todas as vezes que ela mencionasse o nome do infeliz.. Um instante de silêncio mortal se passou antes que Aidan dissesse: — Estou voltando. Quando ele chegasse. — Era tudo que ele queria? Nunca em um milhão de anos Corri pensaria que Aidan pudesse ser tão . Eu lhe devolvi o anel e ele foi embora. Corri riu. — Ainda que seja a última vez que os veja. Alguns minutos depois. — Não vejo a hora de vê-los. — Então não terei que passar para buscá-la e jogá-la sobre meu ombro para conseguir tirá-la daí? — Embora isso pareça muito interessante. — Só quero saber uma coisa—disse ele com voz de "Estou falando sério".— Tenho Meu pai disse que. ela planejava explicar tudo e lhe contar que. embora a deixasse feliz. — Certo. se é que você acredita nisso. tanto quanto ria quando Dermot lhes oferecia generosamente suas palavras de sabedoria irlandesa. prometo ir espontaneamente. adivinhe quem apareceu essa noite? — Não faço a menor idéia. Você não precisa. ao menos naquelas circunstâncias. a campainha soou e o nervosismo fez com que Corri pulasse do sofá para atender. Na verdade. não se importaria em ver Aidan. vestindo o robe a meio caminho. Mas não queria que ele presumisse que ela estava arrasada com a visita inesperada de Kevin. o mesmo que ele disse que poderia ficar comigo. estou bem. — Kevin. — Kevin nunca se desculpa por nada. Certo. Na verdade.

— Por quê? Você acha que fizemos alguma coisa "pelos velhos tempos"? — Fizeram? Era a última coisa que poderia ter passado pela cabeça dela. antes que qualquer coisa acontecesse. ele foi ao meu quarto uma noite e deitou na minha cama. Aidan. — Em um instante ele estava sobre ela. A surpresa se misturava à descrença... — Você está dizendo que durante nove meses você e Kevin não fizeram sexo nem uma única vez? Corri se encolheu dentro do robe para se proteger do frio. — Bem. agora você já sabe. Ela sabia que era o momento perfeito para contar a verdade. trazendo-a para si. — Não. beijando-a profundamente. Corri. — Diga-me uma coisa: você me comparou a Kevin quando estávamos na cama? — Ela sequer conseguiu responder. fazer com que ele soubesse que o relacionamento dela com o irmão dele jamais chegara a esse ponto. mas aí eu não poderia fazer isso. — Na Jamaica. Depois disso. Corri fez um gesto indicando a sala e perguntou: . uma vez que Kevin e eu nunca fizemos amor. não fizemos. Quando recuperou a lucidez.ciumento. Mas não demorou para que ele interrompesse tudo e se afastasse. e da amargura trazida pelas lembranças. Mais alguma coisa sobre a qual queira me interrogar? — Era isso. — É verdade. Para finalmente explicar tudo. Mas nunca pensei que ele fosse tão estúpido. Tinha saído para beber e. — Um tanto difícil de comparar. Ele pensou por um minuto antes de dizer: — Sempre soube que às vezes faltava juízo ao meu irmão. Ele se afastou do lugar onde estava e deu dois passos em direção a ela antes de parar abruptamente. Fim da história. — Podíamos ter tido essa conversa por telefone. desmaiou. as coisas ficaram esquisitas entre nós e Kevin descobriu que o que ele precisava era de outras mulheres. Aidan se aproximou: — Responda. Aidan pareceu chocado.

Ele inclinou a cabeça e estreitou os olhos. tudo que ela jamais tivera quando pequena. Ainda assim. sobre um fino suéter preto que cobria os seios. Já passou. vou lhe dar um Natal do qual você jamais se esquecerá.— Você quer entrar? — Quero. — Sinto muito pela mancada de Kevin. Do jeito que estou me sentindo agora eu a deixaria acordada a noite toda e você precisa dormir. Quando Corri entrou na sala. ele parecia não se importar. mas não vou. Aidan não conseguia deixar de tocar Corri: carícias sutis na coxa. da linda árvore de Natal no canto até o aroma de pão fresco que vinha da cozinha. na manhã seguinte. — Estou tão feliz por você ter vindo. e isso ficou bem claro quando ele parou no final do quarteirão e a beijou de modo cinematográfico. Enquanto isso. De novo. Logan e Kieran. mas continuou agarrada ao pote plástico com a sobremesa que havia preparado. Corri entregou a bolsa de presentes a Aidan. dando falta do mais velho dos seis. Mallory O'Brien Manning a cumprimentou primeiro. O fingimento havia começado. abraçando-a em seguida. foi contagiada pelo aconchego do ambiente. ela tentava convencê-lo de que.. A caminho da casa dos O'Brien. Corri. perto do queixo. poderia valer a pena um pouco de atraso. logo ela não teria mais qualquer condição de agir normalmente perto da família. Depois Corri cumprimentou os dois irmãos mais novos de Aidan. Até onde ela sabia. se não parasse. Você deveria ter vindo ontem . — Um prelúdio para hoje à noite — disse ele antes de estacionar atrás do velho caminhão de Dermot. — Você poderia dizer que o pneu furou. com Aidan mantendo boa distância dela. Corri entrou primeiro. — É uma sugestão tentadora. E. Logan disse: — Ele ficou de plantão no hospital. chegaremos tarde ao almoço de Natal. mas vou esperar até amanhã à noite. Stacy levou Sean para a casa dos pais dela.. descendo pelo pescoço. Quando ela perguntou por Devin. acredite. Mallory. Do contrário. Corri! — disse. — Não se desculpe. por isso viemos aqui ontem à noite. Depois de pegar os presentes na mala.

Sei o quanto Lucy gosta deles. Aproveito e vejo se ela precisa de ajuda na cozinha. Poderia muito bem resolver isso de uma vez. sabendo que a ajuda que ele oferecia não era no preparo da comida. e foi em direção ao santuário de Lucy O'Brien. — Você quer levá-los para ela? Ela balançou a cabeça. gemeu. mas dois bebês para cuidar. Tendo a ficar enrolando e deixo para a última hora.. Corri.. moça? — Meus biscoitos especiais de noz-pecã. descascando batatas-doces para a tradicional torta de forno. — O que você trouxe para comermos. — Volto daqui a pouco — disse. Se o tivesse feito poderia ter conseguido evitar a pequena visita de Kevin. onde a venerada matriarca preparara inúmeros jantares para a família nos últimos 40 anos. Dermot entrou rapidamente na sala. ainda precisava embrulhar os presentes. Virou-se e viu Aidan parado perto dela. O marido de Mallory. Mallory levantou-se e perguntou: — Tem certeza de que não quer que eu ajude em nada? — Você precisa sentar-se e descansar enquanto pode. Mais cedo ou mais tarde. deu um abraço apertado em Corri e um forte tapa nas costas de Aidan. A mulher que defendia seu então noivo. — Que bom que vocês puderam vir! — Ele olhou para a travessa. Ela viu Lucy de pé perto da pia. — Vou levá-los. Onde Corri a ajudara com satisfação nos últimos meses. Mallory. Whit. Ela havia prendido os cabelos grisalhos em um . fazendo com que todo o grupo risse. Ela não se sentia tão descontraída. — Avise se precisar de ajuda. Corri queria ter ido. — Sinceramente. ela teria de enfrentar a mulher que um dia fora sua futura sogra. considerando o que teria que fazer nos próximos minutos. Pense que daqui a um ano você não terá um. menos Corri.também. Ela está na cozinha? — Onde mais poderia estar? — disse Dermot. — Tenho certeza de que nós duas conseguiremos dar conta.

Corri pôs a mão sobre seu ombro. E agora isso. sem dúvida. me fazendo sentir parte de uma verdadeira família. Está tudo sob controle. Lucy suspirou. passara a beleza aos filhos. — Os jovens de hoje não levam seus compromissos a sério. Isso significa muito mais do que você imagina. Lucy. jogou o descascador na pia. Os olhos de Lucy se encheram de lágrimas. Ela. — Quero que saiba que. mas Corri achou melhor não entrar nesse mérito. Lucy jamais recusara ajuda. então.. — Como Lucy não respondeu. Corri pôs a travessa sobre a bancada e disse: — Que cheiro bom! Lucy não lhe deu mais do que uma olhada antes de voltar para as tarefas. — Oi. você sempre terá o meu respeito. Isso parecia uma acusação. é melhor descobrir a incompatibilidade antes do "sim". Mas. — Sobre o quê? — Sobre o término do meu relacionamento com Kevin. Agora Corri sentia-se totalmente rejeitada. secou as mãos em um pano de prato e saiu correndo da . — Suponho que seja verdade em alguns casos. me recebendo em sua casa. Aprecio tudo que você fez por mim. Já está feito. Ainda era uma mulher linda e. provavelmente. — Precisamos conversar. Corinna.. mesmo que por alguns momentos. — Não há nada a dizer.coque baixo e usava um festivo suéter vermelho e verde e uma calça preta. — O que posso fazer para ajudá-la? Lucy parou de usar o descascador de legumes. Não era um bom sinal. — Nada. — Só quero dizer que lamento que as coisas não tenham dado certo. — Corri aproveitou a oportunidade e se aproximou dela. Corinna. Lucy nunca a chamara de "Corinna". Sei como foi duro para você quando Logan e Helena cancelaram o casamento no último minuto. Nunca antes. independentemente do que tenha acontecido entre mim e Kevin.

— É culpa minha. mas reconsiderou e olhou de novo para a irmã. Seguiu pelo corredor até o quarto dos pais. — Não espere muito para ver como Corri está. senhor. — Ela bateu continência. mas também não estava em condições de negar. onde viu Dermot sentado na beira do colchão. querendo ela ou não. — Você deve a Corri uma tentativa. Aidan não queria entrar nesse assunto com Mallory. mas sabia de uma coisa: jamais deveria ter ido lá.cozinha. — Vou falar com Corri e você vai falar com mamãe — disse Mallory. Aidan percebeu que deveria tê-la acompanhado no confronto com Lucy. Aidan. — Aidan correu a mão pela nuca. Ela estava tão envolvida com Kevin que não percebia que tinha criado um filho que não dava a mínima para nada nem ninguém que não tivesse a ver com seu trabalho. Se isso não desse certo. Quando se levantou e caminhou pela entrada para ir atrás dela. do contrário este Natal estará arruinado para ambas. — Não a respeito de Kevin. Para ela e para si mesmo. Aidan teve de concordar. — Ele se virou para sair. Só esperava que não fosse tarde demais para salvar a situação. ele levaria Corri dali e passaria o feriado com ela em casa. Deveria saber que mamãe teria problemas com a vinda de Corri. Não encontrou Lucy na cozinha. — Pode nos dar um minuto. — Não sei se chegarei a algum lugar. Mallory bloqueou a passagem. — Ela vai escutá-lo. por pior que isso o fizesse sentir-se. incluindo Corri. Quando Corri passou pela sala em direção à saída. — O melhor que você pode fazer é tentar. ele não conseguia ignorar a ponta de raiva. Precisava amenizar as coisas com a mãe. Aidan podia ver que a mãe estava chorando e. pai? — disse Aidan. com o braço em volta de Lucy. — Sim. Corri não tentou impedi-la. Precisava ir embora. conseguindo a total . — Vamos lhe dar uns minutos a sós. E você não espere muito para reconhecer o fato de que se importa com Corri mais do que quer admitir. capitão O'Brien.

sei que você tinha esperança de que Corri e Kevin ficassem juntos. Lucy abaixou a cabeça e mexeu na barra do avental. É por isso que ela está aqui hoje. Espero que você supere isso para que todos possamos seguir adiante. — Corri é uma mulher notável e Kevin é egoísta demais para ver isso. continuava a persegui-lo. — O que isso tem a ver? Lucy fez sua cara de mãe séria.. Pode apostar que vai. — Certo.atenção deles. Ela vem sendo uma boa amiga de todos desta família. — Seja lá o que você quer dizer para a minha mulher. — Não vou ficar ouvindo você criticar seu irmão. — Olhe. — Não tem "mas" nessa situação. Ele terminou com ela e ela está aqui comigo porque é uma boa amiga. Aidan? Você a beijou em março? Aquele beijo. é só dizer. inclusive de vocês dois. a que costumava calar a todos quando eram crianças. Depois de afastar as imagens da cabeça. — É por isso que você está defendendo-a. Kevin a tratou como um capacho por nove meses. meses atrás. — Sim. mãe. Eu a levo embora. Dermot franziu as sobrancelhas. Aidan. Os olhos castanho-avermelhados de Lucy endureceram de raiva. mas não volto hoje. mãe. filho. mas. Aidan. ele pigarreou e recuperou o autocontrole. Seus pais trocaram olhares antes de Lucy dizer: — Então é verdade. E se você não puder ser gentil com ela. mas não foi o que aconteceu. A escrivaninha. Aidan levantou a mão para silenciá-lo. — Vai. tenho o direito de escutar também. Aidan foi para frente deles.. Não posso evitar de pensar que existe algo mais na relação . Pensar nisso enquanto falava os seus pais sobre Corri não era uma boa idéia. deixando pouquíssimo espaço entre si e a escrivaninha às costas dele. Quando Dermot começou a falar.

Em vez disso. — Não estou com raiva de Corri. — Mamãe lhe deu uma bronca? — perguntou. — Não é culpa dela. com as mãos sobre a enorme barriga. — Diga a Corri que ela é bem-vinda. — Eu me sinto péssima. mas por pouco. Por isso e porque o filho preferido não apareceu para o Natal. Queria muito que ela fosse minha nora e agora isso não vai mais acontecer. Ela andou pesadamente na direção de Corri e se abaixou ao lado. Ela a ama. Quando ouviu a porta se abrir. — Se ela já não estiver a caminho de casa à essa altura. — Não se preocupe. — Eu digo. Corri achou que olharia para trás e veria Aidan. Lucy levantou a cabeça e os encarou: — Vocês homens. Corri pensou se Lucy não teria pressuposto que ela tivesse algo a ver com isso. — Não tenho nada a ver com o fato de Kevin ter terminado com Corri. Essas coisas se ajeitam. Outra vez. Embora a temperatura estivesse por volta dos 18 graus. Corri é bem-vinda e fica ou não é e nós dois vamos embora. você ainda é amiga da família. Mamãe precisa de um tempo para se adaptar. Corri sentia um frio na espinha só de pensar. Corri. Aidan controlou a raiva. — Não foi. Não importa o que tenha acontecido entre você e Kevin. Ela tem dom para a cozinha. Lucy passou a mão pelas bochechas úmidas. viu Mallory passando pela varanda. Corri tinha muitos dons que os pais dele não conheciam. Agora você vai me dar sua resposta. — Ela olhou carinhosamente para Aidan de novo. Não sei como explicar para sua mãe o . — E piscou um olho para Aidan. Dermot apoiou a cabeça de Lucy no ombro e acariciou a bochecha dela. E que também posso precisar de ajuda na cozinha. meu amor. Mallory. e Aidan não tinha certeza de que podia revelar mais. por isso está tão chateada. — Porque foi só ontem à noite que contei a este rapaz aqui que. se alguém procurar bem.de vocês. Talvez você tenha sido parte do problema entre ela e Kevin. poderá encontrar ouro debaixo do nariz. falando em enigmas. Estou decepcionada. Minha vinda para cá foi uma péssima idéia.

— Obrigada por me escutar. — Aparentemente.. — Ele não está apaixonado por mim. Também sei que outro irmão O'Brien estaria mais do que interessado em assumir o lugar de Kevin. — De nada. mas não é paixão. O calor subialhe pelo pescoço e o rubor do rosto a entregava. — Estamos.que aconteceu com Kevin. Mas não se preocupe. — Aidan não fez nada enquanto Kevin e eu estávamos juntos. — Entendo. Quase uma repetição exata da conversa que tivera com Kieran. — Sei disso há meses. — Só dois dias atrás.. Ela não tinha mais energia para entrar nesse assunto agora. O noivado todo foi uma. talvez. Tenho que entrar agora. —Aidan mencionou algo sobre nós? — Não disse uma palavra.. Uma dessas meninas está jogando futebol com minha bexiga. — Mentira. Corri franziu a testa. Mas vi a maneira como ele olha para você. — Nunca deveria ter acontecido. mas é muito recente. embora ele jamais fosse lhe contar. se é que já não o fez. A maneira como sempre olhou. Não vou anunciar nada. — Salvo o beijo na cozinha. a notícia tinha corrido pela família sem que Corri soubesse. Ele está totalmente apaixonado por você. Corri apertou a mão de Mallory. E se você não se importa. — Então vocês estão dormindo juntos? Corri viu que não valeria a pena negar isso para Mallory. Ela olhou para Mallory e a viu sorrir.. . E agora você me escute: Aidan tem muita dificuldade para expressar sentimentos e. Corri. poderia pedir a Aidan que venha aqui fora um minuto? — Praticamente tive que brigar para ele me deixar falar com você primeiro. que me contou. — Você também sabe disso? — Logan contou para Whit. Química. esse jeito reservado se deve ao fato de ter sido uma criança quieta demais. Mallory.

É pelo companheirismo e pela amizade.— Estamos falando do mesmo Aidan? O homem que atrai a atenção de qualquer um sempre que fala? Mallory balançou o cabelo castanho-avermelhado. As duas riram juntas antes de Mallory ficar mais séria. com essa família falante e o fato de ele ser um negociador e tanto agora. me sinto mais feliz do que jamais estive com outro homem. Sempre pensei nele como um observador. Eu sou prova disso. Ainda era meio distante. Mas Corri não conseguia ver nada de inteligente em se apaixonar por alguém que evitava compromissos. . Mallory se levantou do degrau e pôs a mão na parte inferior das costas. As garotas ligavam a qualquer hora da noite. Mallory tinha se apaixonado por um colega de quarto. ele. de repente. Era esperto. certo? — Não precisava fazer nada. — Tudo que ele precisava fazer era estalar os dedos e elas vinham correndo. mas as garotas consideravam aquele ar de mistério muito atraente. Algo como "Me encontre na sexta depois do jogo no estacionamento". Corri sabia disso muito bem. Bastava ficar parado. atlético e um dos garotos mais populares da escola. como Aidan. afastando-o do rosto. No ensino médio. — Estou lhe falando isso. Não há nada de mal em se apaixonar por um amigo. E Aidan rapidamente aprendeu a usá-lo a seu favor. E não é pelo sexo. — Sei que é difícil de acreditar. Mas Aidan era muito introvertido. para que você saiba que. Ela se reclinou e deu um rápido e caloroso abraço em Mallory. — Fico muito grata pelo conselho. as conversas eram curtas. Eu me lembro quando estava entrando no ensino médio e Aidan já era veterano. — Escute o que estou lhe dizendo. — Não sei como me sinto. se ele ainda não tiver lhe contado o que sente. A menos que você não sinta nada por ele. se transformou nesse lindo pedaço de mau caminho. A única coisa que sei é que. e agora estavam casados e felizes. quando estou com ele. isso não significa que não esteja sentindo. Corri. Corri repousou o queixo sobre os joelhos dobrados. Corri. Posso apostar que ele vai esclarecer tudo se você lhe der tempo. um ouvinte intuitivo. O comentário não foi nenhuma surpresa para Corri. Claro.

Ela está bem. Você vem tentando fazer isso nos últimos dias. Muitas vezes. — Bem. Mas você ainda é bem-vinda. — Essa é uma mudança e tanto! — Ela está decepcionada porque você não vai mais se tornar um membro permanente da família. — Tem certeza? — Eu lhe apontaria o caminho errado? — Ela não conseguiu esconder o sorriso. Ainda tenho que lhe dar meu presente e não posso fazê-lo com a família olhando.— E eu ficaria muito grata se fevereiro chegasse rápido para eu ter logo esses bebês. Voltando para a sala. Ela sentia-se . — Tive uma conversa com dona Lucy. Ele pôs um braço em volta dela. A porta se abriu de novo e. não. A voz profunda e persuasiva de Aidan e o fogo em seus olhos envolveram Corri em um manto de calor. já que é assim. — Na verdade. — Sim.. lhe dava adeus. — E você me acompanhou espontaneamente. Aidan se juntou a Corri no degrau. Aidan parou na varanda. Mallory parou e deu um tapinha na bochecha do irmão: — Cuide bem dela.. Aidan. na verdade. — Você está bem? — Ela deu de ombros. Quando Mallory desapareceu. Corri arregalou os olhos. Acho que você deveria me levar para casa antes de chatear ainda mais sua mãe. desta vez. e me perguntou se você poderia ajudá-la com a comida. — Ele se inclinou e sussurrou: —Agora vamos entrar para que possamos terminar logo com isso. CAPÍTULO OITO Enquanto Aidan saía com o carro. reunida na varanda. Corri olhava longa e melancolicamente para a família O'Brien que. — Depende.

não continuaria para Corri também? Uma vez dentro da sala.. que não se importava com o que os outros pensavam. mas isso poderia causar mais especulação. Ele pegou a mão dela e a pôs sobre a própria coxa. Antes de ter de passar por um último adeus. Depois de perceber que estavam indo pelo caminho errado. Deixo você em casa em algumas horas. — Eu sei. Justo quando Corri concluíra que precisaria ir ver o que ele estava . Ela realmente não via por quê comprar uma árvore. Corri lançou um olhar para Aidan. Aidan pôs as bolsas cheias de presentes sobre o sofá e disse: — Espere aqui. mais uma vez. não era exatamente verdade. Não poderiam contar à família de Aidan. antes de ter se envolvido emocionalmente com a família. Mas a verdade era que estar com Aidan significava mais para ela do que jamais pudera esperar. Havia vários carros estacionados nas ruas. já que seguir as tradições só aumentaria sua solidão por não ter com quem compartilhar a festa. E o que Aidan lhe dissera em Nova York. Ainda tinha o trabalho para confortá-la. E aí estava ela..como se fosse a última vez que veria aquela cena em particular. Depois desapareceu em um longo corredor que Corri ainda não havia explorado. Ela e Lucy haviam trocado pedidos de desculpa e abraços. quem sabe. Pensou em tudo o que havia acontecido naquele dia enquanto Aidan dirigia pelas estradas vicinais. Ela andou pela sala. Se tivesse podido simplesmente pôr um ponto final nas mentiras mais cedo. um excelente refúgio caso chegasse à conclusão de que um relacionamento mais longo com Aidan poderia ser nocivo ao emocional. indicando que a celebração continuava para alguns. mentindo sobre outro relacionamento. O que basicamente significava que estavam tendo um típico caso clandestino. pensando que era estranho que nenhum dos dois tivesse se importado com a decoração natalina. em vários sentidos. Vamos para a minha casa. Quando chegaram na casa dele. E por isso ela aproveitaria o tempo que tivessem naquela noite. — Este não é o caminho para a minha casa. o sol tinha começado a se pôr e as ruas estavam pontilhadas por luzes de Natal. Eu a convidaria para passar a noite e a levaria para o trabalho amanhã cedo. estava certa. Decidiria o que fazer em relação a tudo aquilo no dia seguinte. E. Não poderiam deixar transparecer no trabalho. mas ela ainda tinha uma forte sensação de que Lucy a culpava pelo fim do noivado e.

No entanto. avaliou Corri.fazendo. dobraram imediatamente à direita e depararam com uma porta dupla que. para que Corri desejasse agarrá-lo. a barriga notoriamente definida e o cabelo sensualmente desalinhado. — O arquiteto era brilhante. Ele não precisava fazer nada. ao ser aberta. que davam ao cômodo um brilho dourado e o enchiam com perfumes exóticos. Quando Aidan se afastou. — A risada dele foi grave e profunda. um boxe transparente. quando Aidan a levou para dentro. A cama king-size com lençóis pretos estava contra uma ampla parede que ia até o teto em arco. Se ela tivesse qualquer dúvida de que aquilo havia sido planejado. revelou um quarto enorme. enorme. rodeada por degraus de mármore preto e coberta de velas. Depois disso. — Você ainda não viu a melhor parte — disse ele enquanto soltava a mão dela e abria outras duas portas enormes. Aidan reapareceu. no canto. É uma piscina. Corri sentiu como se estivesse entrando em um mundo além da imaginação. Corri entrou em um banheiro opulento. Corri segurou a mão que ele lhe estendia e o acompanhou pelo corredor. com inúmeras torneiras. passando por três portas fechadas e um cômodo que parecia ser um escritório. Ela cruzou os braços na altura do peito e o examinou com cuidado. — Isso não é uma banheira. apenas ficar parado. Muitas e muitas velas. — Parece que alguém saiu na minha frente. Havia obras de arte contemporâneas por todo lado e. esta teria desaparecido no instante em que o viu: de jeans de cintura baixa e nada mais. Corri percebeu que ele não havia se esquecido de nenhum detalhe. — O que você acha da minha banheira de hidromassagem? — perguntou ele. O peito lindamente nu. Aidan. O próprio corpo a lembrou do pouco que precisava para responder a Aidan quando ele se aproximou por trás e a envolveu pela cintura. Paredes espelhadas completavam o espaço. — Não por muito tempo. o mais impressionante estava no centro do banheiro: uma banheira fenomenal. — Nossa! Foi tudo que conseguiu dizer naquele momento. que não se parecia com nada que já tivesse visto. Quando viu dois preservativos sobre a borda. . Mallory tinha razão sobre o efeito que ele causava nas mulheres. — O arquiteto gostava de termas romanas. Havia penteadeiras pretas de portas duplas de um lado e.

— E agora? — Você vai tomar um banho e eu vou retornar algumas ligações. Corri tirou o suéter e o jogou no carpete. Não por enquanto. Mas não queria dizer que ela teria de ceder. Ele lhe deu um beijo no rosto. — Tentarei não demorar muito. — Tirou os sapatos. dele. independentemente do que o futuro lhes reservava. —Vá em frente e cuide de seus negócios. — O que você acha? — Eu acho que é melhor você se apressar. Não o via como um tipo romântico. Ela não tinha dúvida de que jamais se esqueceria do Natal ou de Aidan. Ela esboçou um beicinho. — Você não tem defeitos. embora não saiba ao certo se gosto muito desses espelhos todos. — Eu lhe prometi um Natal inesquecível. — Vou tomar um longo banho enquanto você estiver fazendo isso. mas reconsiderou e foi para os braços — Você realmente me surpreendeu com as velas. Corri começou a apontá-los. — De trabalho? — Sim.— É um banheiro lindo. Ela abriu o sutiã e o jogou sobre a pilha de roupas. — Por quê? Você tem algo em mente? Ele passou a mão sobre o abdome. chamando a atenção dela para o volume sob a braguilha. abaixou o jeans e depois o tirou. — E você vai me deixar aqui sozinha? — Você tinha algo mais em mente? Ele a estava provocando. Ele a olhou de cima a baixo. Parece que destacam os defeitos do corpo quando você sai do banho. — Ela tirou a calcinha e ficou .

era apenas um descanso temporário.parada. Enquanto a hidromassagem relaxava-lhe o corpo. Ele interrompeu a reclamação comum longo beijo. Então. sorrindo. que invadiu o ambiente. Também considerou a hipótese de se acostumar a visitas freqüentes àquela casa luxuosa e ao dono dela. realmente pensou que estivesse tendo um sonho incrível.. Ainda havia muita incerteza naquele relacionamento. Como eu já disse. demonstrando força de vontade. ela pensava em todo o dinheiro que já havia gasto em spas.. fazendo tocar um jazz suave. Ele deu alguns passos para trás.. Ela sentou-se no segundo degrau da escada da banheira. Ele ligou um interruptor perto da porta. e ela se recusava a dar corda para se enforcar outra vez. saiu. ao ver que ele não conseguia se mover. Feliz Natal! Inacreditável! — Mas eu lhe dei apenas uma gravata! E nem era uma gravata séria. Não. — Você está tentando me distrair. olhou para trás e viu Aidan sentado na borda. A sensação de algo deslizando contra a pele a forçou a abrir os olhos. Queria se concentrar apenas em desfrutar do banho até Aidan voltar. definitivamente. A água e o som da música suave a levaram a um extremo relaxamento. — Estou tentando tomar banho. quando poderia ter usado a banheira de Aidan. se esticou e pressionou o botão que acionava os jatos de hidromassagem. sem desviar o olhar do corpo de Corri. Corri fechou os olhos e limpou a mente. Um rubi de corte marquise rodeado por diamantes balançava em uma corrente de ouro entre seus seios. completamente nua. enquanto Aidan continuava no mesmo lugar. . breves férias da realidade. Precisava manter na cabeça que aquele feriado prolongado. — Para quê isso? — É para você. Tinha tacos e bolas de beisebol e. — Fica lindo em você. levantou os cabelos e se reclinou contra a toalha estrategicamente posicionada na borda. e ela começou a adormecer. Corri se endireitou. não funcionaria. o vermelho é. Ao olhar para baixo.. — Suas ligações estão esperando — disse. ao fim do qual percorreu suavemente a corrente com a ponta do dedo. Corri entrou na banheira. — Divirta-se.

A toalha caiu. Mas realmente é exagero. Aidan segurava-lhe o rosto com as mãos. enquanto ele levava os seios à boca. Por que você não entra aqui e me deixa agradecer de verdade? Ele avaliou a temperatura da água com a mão. Por que você não sai daí e me agradece de verdade? — Acho que posso fazer isso. Por um milésimo de segundo ela pensou que fosse dizer alguma .. —Aliás. dava beijos suaves. dessa vez. Aidan. E. que a beijou profundamente em uma investida provocante com a língua. — Eu quis fazer isso. — Está quase fria. e a fazia chegar a um clímax ardente. Quando ele começou a se dedicar ao pescoço de Corri. Por um momento ela pensou que ele diria alguma coisa. — Mas a necessidade que tinha dele era real. mantinha o olhar conectado ao dela. que usou para envolvê-la. assim como as defesas de Aidan. as mãos de Aidan deslizando sobre a pele enquanto sentia o calor do toque. deixando-a fraca e sem fôlego.. assim como o calor absoluto que a incendiou quando ele a levou para o felpudo tapete preto aos pés da banheira. Ela olhou para o espelho atrás dele e só então percebeu que Aidan estava desembaraçadamente nu. Mais uma vez. a beijava em uma trilha sensual rumo a parte de baixo do corpo. — É lindo.. Mas.sua cor. Talvez fosse tudo ilusão: o cordão extravagante pendurado no pescoço. ela correu as mãos pelas costas de Aidan e desceu até as nádegas. — Estou muito feliz que tenha feito. ele segurava uma toalha. Tão excitada que simplesmente precisava tocá-las. e ficou completamente excitada com a visão das fabulosas nádegas e da parte de trás das coxas torneadas. — Ela lhe deu um sorriso modesto. E o som grave da voz máscula junto sua à orelha dizendo: — Não consigo ficar sem você. ela pôde ver o próprio reflexo no espelho. mas então ele acelerou a cadência dos movimentos. Cortesia dos espelhos. Enquanto Corri saía da banheira. Ela notou vagamente que ele havia se afastado para pegar o preservativo. foi diferente.. ela pôde ver todos os detalhes do corpo dele e do próprio em diferentes ângulos. cada vez mais. Corri pôde senti-lo completamente e percebeu cada pequeno movimento. que davam a ilusão de que o banheiro era muito maior. Passando os braços por baixo da toalha. quando ele a penetrou. A maneira de fazer amor foi mais lenta e surpreendentemente terna.

— Você sabe. enfim. como o seu maior medo. o som das respirações ofegantes ecoando no cômodo ao mesmo tempo em que um pensamento perturbador ecoava na cabeça de Corri. ele estaria perdido se deixasse as emoções comandarem. se não antes. Revelar sentimentos que mal podia compreender. menos ainda expressar. com mais uma investida. e aquele sentimento crescia tão rapidamente que fazia a cabeça de Corri girar. lutando contra sentimentos que jamais planejara ter. reconhecer o que vinha negando nos últimos meses: que estava apaixonada por Aidan desde o beijo na cozinha. Corri estava à beira do estrelato e em algumas semanas. com as costas de Corri perfeitamente encaixadas no peito e as mãos entrelaçadas abaixo dos seios dela. Querer o corpo dela era uma coisa. Eu me importo com você mais do que você pensa. nem depois. nem o seguinte.coisa também. pois sentia o começo de um novo clímax sabendo que Aidan também estava a ponto de chegar ao dele. Estava perdidamente apaixonada por ele. tenho medo. estaria partindo em busca de uma oportunidade melhor. foi o que veio à mente — O que você quer dizer com isso? Ela sorriu.banheiro. . — Diga-me algo que eu não saiba sobre você. — Mesmo que naquele momento Aidan temesse que ela estivesse prestes a derrubar algumas barreiras que ele preferia manter intactas. — Todo mundo tem medo de alguma coisa — disse. Aidan. e não podia fazer nada. levou-os juntos ao limite. — O medo é uma emoção contraproducente. dele. Por alguma razão. Estava a um passo de se apaixonar por ele. querer mais do que um caso era outra bem diferente. Ela mal conseguia pensar nisso naquele momento. E jamais estivera nessa situação também. pessoalmente. Ele não conseguia se lembrar de nenhuma vez no ano anterior em que tivesse passado duas noites com uma mesma mulher. Pela segunda vez em dois dias Aidan tinha Corri na cama. Mas agora. De escadas rolantes. ele não se importava com o dia de amanhã. Permitia que as preocupações desaparecessem quando ele a levantou com os braços e. — Eu. Mas podia. Aquela noite era todo o futuro com o qual ele poderia lidar. Já estava perdida. coisas sobre as quais nunca falamos. Eles permaneceram enroscados no chão do .

como gosto de fazer exercício. ou evitava os tênis. Desse dia em diante ou eu evitava as escadas rolantes. — Ela se virou para encará-lo.. — É sério. dela. Você perdeu o controle uma vez.— Escadas rolantes? — Minha querida mamãe. — Por que você fez gastronomia? — Gosto de esquentar as coisas. escolhi as escadas. E. . — Eu também. — Eu era do tipo que pensava mais e falava menos. e não lamento por isso. Todas as vezes em que estou com você parece que perco o controle. — Maldito costume de Mallory de fazer da vida da família um livro aberto. Ele tocou-lhe o queixo e a fez olhar para ele. e por um bom motivo. Ele tocou um dos seios com a mão. Corri repousou a testa sobre o peito forte. Quando eu tinha uns 5 anos. ela me contou a história de uma criança que tinha sido mastigada por uma escada rolante porque os cadarços dos sapatos estavam desamarrados.. mas percebi que havia um trabalho melhor nos bastidores.. — Via muitos telejornais quando era criança. — Por que você escolheu o ramo da televisão? Era um território que não incomodava Aidan. não foi apenas uma vez. — O sorriso dela foi hesitante. — Fala sério. — Acredite. — Tem certeza? Ele precisava encontrar algo a dizer para assegurá-la que sim. — Eu também. Cheguei a pensar em ser âncora. odiando a mágoa nos olhos — Aquilo foi um incidente isolado. Corri. — Mallory me disse que você era tímido. Ela passou o dedo pelo ombro dele. — Você acabou de me descrever.. — Não brinca. Costumava me admirar quando as pessoas abriam a boca sem dar tempo para o cérebro trabalhar.

— Encontrei naquele closet gigante. — E o trabalho amanhã? — Eu levo você para casa. Ela fez café e levou um bule e duas canecas para o quarto. Aidan ainda estava dormindo. ela fizera com Aidan muitas coisas que nunca tinha feito. e uma mecha de cabelo caía sobre a sobrancelha. era. Havia pêlos escuros no queixo de Aidan. Ele esfregou a mão sobre o peito. Mas também podemos ficar acordados a noite toda. os lábios juntos. — Quase 7h. e continuava assim até aquele momento. — Você está vestindo uma camisa minha. Mas Aidan não emitia um som sequer enquanto o peito subia e descia em um ritmo estável. Ela deu um tapinha na mão dele. Ele se esticou e deslizou os dedos sobre a coxa de Corri. Você ainda tem que me levar para casa. Durante a noite. o que significa que teremos que acordar mais cedo do que eu havia planejado. Ele não deveria ser tão sexy! No entanto. A noite toda.— Quero que você fique comigo esta noite. Justamente quando ela estava pensando em voltar para a cama e usar algum meio criativo e questionável de acordá-lo. Ele pôs as mãos atrás da cabeça. Qualquer coisa que a desencorajasse. Espero que você não se importe. Ela franziu a testa. — Se você começar alguma coisa agora. Depois de ficar acordada boa parte da noite. Algo que sempre se imaginara fazendo. Corri pôs a caneca dele na mesa-de-cabeceira e sentou-se na beira da cama. Bem. para cima e para baixo. — Que horas são? Hora de recuperar o juízo antes que se livrasse do café e pulasse nele. os traços relaxados. mas nunca fizera. Corri saiu da cama bem cedo e foi em direção à salvação: cafeína. vamos nos atrasar. . com as mãos repousadas soltas na parte inferior do abdome. a partir de onde o lençol o cobria. Ele poderia pelo menos roncar. — Prefiro você sem ela. ele se virará de bruços. Os olhos estavam bem fechados. os olhos dele se abriram. sobre uma perna.

mas não conseguiria resistir se ele o fizesse. o chefe. — Como eu disse. Corri. — Porque todos sentirão os efeitos. Aidan. Isso fazia sentido. pensando que você tem alguma influência sobre mim. sentindo uma ânsia repentina de fugir. ele perguntou: — Você está bem? — Estou.. Café na mão. — Até quando teremos que fingir? Ele sentou-se e se recostou na cabeceira. — Vou buscar minhas roupas e me vestir. — Hein? — Ele levou o olhar a encontrar o dela. Agora parecia uma boa hora para perguntar algo que viera ruminando a noite toda. — Já que você é o dono do estúdio.— Você tem razão. — E tudo isso é verdade. nos momentos em que ele não a estava tocando.. Tão bem quanto qualquer pessoa que percebesse que o homem de quem gostava tanto estava contando que o fogo que havia entre eles estivesse . Ela queria que ele tivesse protestado um pouquinho mais. — Sei lá Algo como "o que existe entre nós não é uma questão de lógica" ou que você não conseguia se controlar. As pessoas virão até você se queixar de diversos problemas. Ela foi do quarto para o banheiro. Quando ela o olhou. — Você quer que eu diga? Ela deu de ombros. Mas nem tudo no relacionamento deles fazia. da equipe de produção até os executivos. ela se levantou da cama. vamos dar um passo de cada vez. me explique exatamente por que seria tão ruim que as pessoas soubessem que estamos saindo juntos? E a atenção dele subitamente se voltou para o teto. Ou a tratarão como uma pária por medo de que você venha correndo me contar quando eles tiverem alguma reclamação. ele a chamou pelo nome. — Então por que se dar ao trabalho de se envolver comigo? — Ele não respondeu.

Ele a queria. Aidan se dera conta de que ela poderia tomar uma decisão que terminaria tudo entre eles de uma vez por todas. — Um slogan que se tornaria marca registrada. o favorito dele. Algo que ela levaria por toda a carreira. terminaria aquilo naquele momento. se soubesse o que era bom para si. . e seguiu com um pedido de desculpas com o qual obteve mais aplausos. no entanto. ao menos para ele. no fim das contas. deixando apenas um bilhete de agradecimento Ela se isolara no camarim para se preparar para a gravação. Corri fora para casa de táxi na manhã do dia anterior. com a platéia aplaudindo de pé. E agora ele estava na cabine de controle. vendo-a entrar no palco. na altura dos ombros. e Aidan não a tinha visto o dia todo. sentira falta dela no dia e na noite anteriores. Mas não estava. em vez de no rabo-de-cavalo de sempre.para se apagar como quase certamente iria. ela vacilou sutilmente. E naquela manhã. Ela deu um outro sorriso brilhante e terminou o programa dizendo: — Se você não pode estar com quem ama. Corri se recuperou rapidamente. Ele havia escolhido um caminho perigoso e. durante a sessão de perguntas e respostas. até que as circunstâncias os levassem a trilhar caminhos diferentes. sem dúvida seria ela quem se queimaria. Corri começou a gravação fazendo um discurso de autocrítica sobre o comportamento no programa anterior.. Ela também não fizera questão de atender quando ele ligara à noite. e dava um sorriso feito especialmente para que todos percebessem. estava funcionando. Como era uma profissional. algo que Aidan nunca vira ocorrer. então ame a comida com a qual você está. E. Quando o olhar dela encontrou o de Aidan. E depois da ligação que recebera naquela manhã.. Ele percebeu que ela estava pondo uma certa distância entre os dois. Se sim. Aidan percebia isso e tudo mais nela. Usava o avental vermelho. em particular. Ele imaginou rapidamente se ela não estaria tentando fazê-lo sofrer. Pela primeira vez ele não conseguia pensar no trabalho. os homens. mas apenas nos interesses pessoais. como ele sabia que iria acontecer. Por mais que odiasse admitir. naturalmente graciosa. Ela seguiu o script sem nenhuma dica e conduziu o preparo de um prato sensual para brilhar no Ano Novo. De forma alguma. O cabelo louro fora deixado solto. antes que alguém do estúdio notasse e a confusão começasse. e deveria estar satisfeito.

Corri fechara o celular um segundo antes de ouvir as batidas na porta. Ela passou o lenço coberto de creme frio pelas bochechas e pela testa. — Olhe. — E você não pensou que seria importante ao menos comentar? Ele pôs as mãos nos bolsos. Acho que correu tudo bem. Ainda assim. E fez. — Acabo de receber uma ligação do meu agente. no cômputo geral. Quando se tratava de expressar os próprios sentimentos. . Também parece que ele tinha lhe contactado algumas semanas antes de sair de férias. Estava surpreso que você não tivesse mencionado nada para mim e. a maioria das pessoas poderia considerá-lo bastante incompetente. Corri? Depois de jogar o lenço fora. ela não estava a fim de ser simpática. antes que ela o deixasse de vez. Isso não ajudou a suavizar sua raiva em nada.— Perfeito! — disse Parker. — Obrigada. o que quer que acontecesse com Corri. — Onde você estava na noite passada? — ele perguntou. — O que está acontecendo. pensando o tempo todo nele e resistindo à tentação de ligar de volta. Com um terno preto imaculado e a gravata vermelha de beisebol que ela lhe dera de Natal. Ela fora ver um filme bobo sozinha. ouviu o clique do código e pressentiu que Aidan estava por fazer uma grande aparição. e precisava falar com ela naquele momento. no entanto. — Não lhe disse nada porque a negociação não estava confirmada. Não até reunir um sólido autocontrole. daquele ponto em diante. também estou. as questões de negócios entre você e seu agente dizem respeito apenas a você. Nos negócios. embora o tom de voz não fosse de forma alguma severo. depois balançou a cabeça. Por mais que estivesse lindo. se aproximando. ela girou o banco para confrontá-lo. ele teria de acertar as coisas. — Saí. honestamente. Parece que recebi uma oferta de um canal a cabo. ele era um especialista em mediações. — Bom programa — disse ele. Não estava inclinada a parar de olhar o espelho e tirar a maquiagem. embora suspeitasse ser ele mesmo a maior parte do problema. Precisava saber o que havia de errado. Corri. Você viu como a platéia ficou vidrada em cada palavra? Aidan vira. Disse "Entre". — Ela é absolutamente maravilhosa.

E os negócios. Corri. O conselho de Tamara lhe veio à mente. Corri. provavelmente. — É uma oportunidade única. se não mais. Não daria certo com mais ninguém. Ou sabe? — Não. — Agora entendo. como se algum dia o tivesse possuído. — Quando ela aceitasse. — E o meu contrato? — Será rescindido quando você aceitar. — Você nem sabe qual é a proposta. afiado como uma faca. Você não hesitou em dormir comigo porque sabia todo o tempo que eu seria temporária. Mas estou no ramo há tempo suficiente para saber o que vem com a proposta. — E você não pode me dar nenhuma outra razão para ficar? Ele hesitou um instante antes de dizer: — Eu sabia. Ela tirou o pingente de diamante e rubi de dentro da blusa.. com outra pessoa. Mas ela não teria Aidan. — Então você não vai fazer uma contraproposta? — Não posso cobrir. que isso era apenas um trampolim. E agora a enrolação. — Tenho até a segunda semana de janeiro para dar a resposta. como sempre. — Isso eles não podem ter. Seria uma questão de tempo até você alcançar o estrelato. vai receber duas vezes mais do que agora. Você sabia que eu sairia da sua vida e que não teria de lidar com as possíveis repercussões no escritório e em família. Você terá sua própria equipe e. ... já que parece que eles não gostam do meu atual. — E um novo formato de programa. porque pertence a mim. Ela agarrou os braços do banco com a força da raiva e da descoberta de que havia sido feita de boba de novo. Aparentemente. quando você assumiu o programa.. Quando você tiver alcançado o auge. ele vai se retirar de sua vida e seguir adiante. — Provavelmente não. — E tenho certeza de que você encontrará uma substituta em pouco tempo. ele estava contando com isso. se eu for. eram a prioridade dele.

.. mesmo que não gostasse muito da idéia de um leilão de caridade. Ou do que estava prestes a fazer.. ela só vira Aidan de passagem e. sua sorte tinha terminado. haviam trocado apenas cumprimentos educados. não mais do que alguns "Como vai?". Obviamente. nem tudo. Ela se perguntava se faria tudo de novo. Mesmo antes de o relacionamento deles passar da amizade à intimidade. Ao pôr a caixa na penteadeira. — Avise quando fechar o negócio. Achou o artigo de jornal que anunciava o lançamento do programa. CAPITULO NOVE Corri não via nada de feliz no horizonte para o já tão próximo Ano Novo. Se ela soubesse o que aconteceria. e se virou para a porta. com uma foto dela entre Aidan e Freed. um pequeno símbolo de sua estima que poderia amenizar o golpe quando eu percebesse que tinha sido usada. Mas não com Aidan. porque ela não estava apaixonada por Kevin. Desde a última gravação. quando você não diz nada que me leve a pensar o contrário? — Lamento que você se sinta assim — disse. no sentido literal e no figurado. Saiu sem fazer qualquer outro comentário. Apagaria a história com Kevin. Não. pelo menos no que se referia à vida pessoal. — E isso mesmo que você pensa? — O que deveria pensar. que sofreria com um amor não-correspondido pelo dono do estúdio. Sem nem mesmo dizer que ela era mais do que um caso para ele. O rosto de Aidan parecia uma pedra. Ao contrário de Kevin. doera dez vezes mais. Ela olhou a moeda da sorte que encontrara no estacionamento no dia em que fizera o teste para apresentar o programa e pôs na caixa.. nessas vezes. mas pelo menos tinha planos para a noite.. onde guardava algumas poucas lembranças do ano anterior. mas não doera menos.— E suponho que isto seja algum tipo de prêmio de consolação. Agora.. Aidan.. ele terminara em pessoa. eles sempre paravam algum tempo para conversar. Na verdade. mesmo que o coração estivesse se partindo lenta e dolorosamente. ela abriu a gaveta do camarim. eram praticamente estranhos. contudo.

Corri forçou um sorriso. — Você perguntou a ele? . O que Aidan e eu tivemos terminou. Com se virou e viu Mallory. — Na verdade. estou me mudando para a Califórnia em algumas semanas. — E esse foi o problema. que deixara aberta. parada à porta. — Vou para um canal a cabo. — Como me sinto não importa. apesar de toda a dor no coração. embora não visse razão para esperar mais uma semana sequer. Decidi começar a empacotar as coisas. porque ele não sente o mesmo. — Mas você ainda está apaixonada por ele — disse Mallory. — Ele não a convenceu a ficar? Corri deu de ombros. Ao ouvir aquela voz familiar. Eu sabia desde o começo que seria apenas temporário. — Ele sabe que é uma boa oportunidade para mim e que o estúdio não pode cobrir a oferta. Aidan pediu que ele viesse dar uma olhada. — O que ainda não fizera. mesmo que não pudesse lhe dar mais. — O que a traz ao estúdio logo no Ano Novo? — Whit está se reunindo com um homem que vai redecorar o saguão de espera. — E o relacionamento de vocês? Você está disposta a deixar tudo para trás também? — Não tenho escolha.— Não acredito que você está trabalhando no feriado. Mas havia decidido seguir a vida. Corri. — Por que diabos você vai para a Califórnia? — Para meu novo trabalho. Mallory parecia chocada. — O que Aidan disse a respeito disso? — Nada. Mallory. Corri remexeu objetos na caixa para evitar encará-la. tão logo o aceite oficialmente. — Mallory se reclinou contra a penteadeira. — E saber disso não tornava o final menos doloroso. — Ela entrou e reparou na caixa — Fez alguma resolução de Ano Novo? Corri não fazia promessas porque não acreditava nelas. Tivera esperanças de que Aidan fosse considerar a porta aberta um convite e pelo menos se despedir adequadamente.

— É uma oportunidade única. Quando Mallory se virou e foi em direção à porta. ele é que tem de falar. Não se falavam desde antes do confronto no camarim. — Não sou o único na cidade que trabalha no Ano Novo. Não que ele esperasse outra coisa. — E você vai deixá-la ir. Aidan olhou por cima do laptop e viu que a irmã estava parada de cara feia na entrada do escritório. — Não é a isso que me refiro. puxou a cadeira do outro lado da mesa e sentou.. Não vou obrigá-lo a confessar.. — Nunca sonhei que tamanha estupidez fosse contaminar tantos homens de nossa família. Eu os conheço e. — Cresci com cinco irmãos.. como você pediu. Corri tinha tomado a decisão de aceitar o trabalho sem falar com ele.. Corri pegou a caixa e decidiu ir embora para preparar tudo até a noite.. — Estalou os dedos. E ele não passara um minuto sequer sem se condenar por não ter falado mais. — Onde está seu marido? — Falando com o empreiteiro. —. Mallory. Aparentemente. — Não tenho que perguntar nada. Corri perguntou: — Aonde você vai? Ela se virou e sorriu.. ela já havia desaparecido. Resolvi tirar uns minutos e falar com você sobre Corri.. Antes que pudesse protestar ou dizer a Mallory que as tentativas seriam inúteis. acredite. . Se ele se importa comigo. há quatro dias. assim? Até onde ele podia analisar.. — Ela não queria ouvi-lo dizer que ambos viveram apenas uns poucos encontros frenéticos debaixo dos lençóis. para mim não é problema fazer esse papel. não tinha escolha. Mallory. Por não ter tentado resolver as coisas. Antes de as explosões começarem no escritório ao final do corredor. Ele tinha um pressentimento cada vez mais forte de que ela não estava ali para lhe fazer uma visita cordial. Ela entrou. Ela acabou de me dizer que vai se mudar para a Califórnia em algumas semanas.O olhar de Corri se voltou para Mallory.

— Quando ele deixou que a falta de uma negação dissesse tudo. antes de bater coma mão espalmada na madeira. não minha. perceberia o quanto Corri está apaixonada por você. — Não será justo para nenhum dos dois se não lhe der uma escolha. a menos que prefira ficar ai parado alegando que não sente nada por ela. embora Aidan tivesse a sensação de que ela talvez preferisse esmurrá-lo. — Você é um homem esperto. mano. . — Pode ser que ela não tenha tanto sucesso se ficar no estúdio. Mallory pôs os cotovelos na beira da mesa e agarrou os cabelos castanho-avermelhados pela raiz. Ele ainda tinha alguma dificuldade para lidar com esse conceito. Mallory. Ele odiava a verdade inegável daquelas palavras. uma casa bem grande e está assustado demais com a idéia de se estabelecer com a mulher mais maravilhosa que já teve na vida. ela lhe lançou um olhar suplicante. Aidan reconheceu que a irmã estava certa. — É difícil ter uma conversa séria com alguém que não fala com você. mas já imaginava. E sabe o que mais é óbvio. como se quisesse arrancá-los. menos para você. — Você pode oferecer mais do que uma carreira. Mallory se esticou e pôs a mão em seu braço. Você tem 35 anos. pelo menos na maioria das vezes. mas ele ainda via um problema maior. É óbvio para todos. Não seria justo nem mesmo tentar. Pode oferecer um futuro com você. Aidan? Não. tem seu próprio negócio.— A decisão é dela. — Ela falou isso? — Não precisava. Aidan. Se você conseguisse ao menos tentar fazer isso para variar. E já está na hora de você encarar isso. — Não tenho o direito de ficar no caminho dela. tem dinheiro. Diga o que ela precisa ouvir e o que você realmente quer dizer. — Pelo menos uma vez você poderia deixar de pensar como um empresário e pensar como um homem. Odiava a si por não ser capaz de controlar a situação. — O quê? — Você também está apaixonado por ela. Não é tão difícil quando se tem tanto a perder. — Diga a ela.

E só então se deu conta: e se não recebesse nenhum lance? A julgar como andava sua sorte. ela começou a sentir-se confiante e ansiosa.. Começamos o lance com 500 dólares. Mas. Eu lhes apresento Corinna Harris! Corri não era particularmente fã do termo notória ou do holofote que a cegava. com mangas longas. nossa próxima generosa voluntária é a notória apresentadora do programa Cozinha Quente com Corri. — Tenho 500. E o nervosismo se tornou ainda mais intenso quando algum desconhecido gritou: — Dez mil dólares! Houve um silêncio mortal na multidão. mesmo que não pudesse ver quem eram as pessoas. gola alta e um pouco de brilho. Infelizmente. Tinha algumas idéias e alguns contatos. pela manhã. tinha apenas quatro horas. enquanto esperava a vez no bloco. abaixo das notícias de Ano Novo. bem como uma grande oportunidade naquela mesma noite para pôr tudo para fora. É por uma boa causa. Enfiada em um vestido preto até o chão. Corri estava parada perto do tablado no palco decorado de dourado e era a última da fila a ser leiloada. Mallory se levantou da cadeira tão depressa quanto a gravidez permitia e foi em direção à porta. Pela primeira vez Aidan precisava tomar uma decisão monumental que não envolvia trabalho. dando prioridade à pobre e azarada chef que não conseguira nem mesmo um acompanhante por caridade. encontraria um artigo sobre a cobertura do evento. ouvi 600? Corri começou a relaxar ao saber que pelo menos alguém achava que ela valia algumas centenas de dólares. — Só não demore muito. Do contrário. — O leiloeiro fez um gesto com o martelo. tal qual um pedaço de carne... e não conseguia evitar a avassaladora sensação de que estava ficando sem opções. Corri teve de se lembrar de . nada mais do que um pedaço de carne. ela irá embora. No dia seguinte.. subindo cada vez mais.Tenho certeza de que vai dar um jeito. Durante a última hora vinha repetindo isso para si. mas. quando as apostas começaram a tomar um ritmo frenético. ainda assim. Sua obrigação envolvia apenas servir de companhia para um jantar a quem desse o lance mais alto. E você vai passar o resto da vida pensando em como poderia ter sido. Aidan.. mas parou antes de sair. e tempo. — Bem.. mas pelo menos recebera uma boa salva de palmas. abriria a página da coluna social e. — Senhoras e senhores.

D. Se ele passaria no Ano Novo com outra mulher em casa. assustando Corri. D. que estabeleceu um recorde com sua generosidade. ela viu um garçom circulando com uma bandeja repleta de taças de champanhe. — Obrigada — ela respondeu. Os olhos de Corri se arregalaram. Enquanto bebericava o champanhe. — Vendida para o cavalheiro no canto. Harris. — Srta. e fora apresentada a ele em um coquetel ao qual comparecera com Kevin. se perguntava onde Aidan estaria naquela noite. . Mesmo que não estivesse tão entusiasmada com seu acompanhante. O leiloeiro bateu o martelo. Foi então cumprimentada por um homem careca e esquisito.. — Irei em alguns minutos. Corri não fazia idéia de quem poderia ser o doador anônimo. apesar de seus esforços para se manter calma. que respondeu: — Parabéns para nosso arrematante. ao menos por aquela noite. de ombros largos. senão anos. Ela pegou uma taça e encontrou um banco para sentar-se e retocar a maquiagem. Breckenridge.. Quando as luzes se acenderam no salão de baile do hotel e a visão se ajustou. que quase caiu dos saltos finos. Breckenridge III.. Até onde sabia. até que um outro homem bem-vestido subiu no palco e sussurrou algo no ouvido do leiloeiro. Resolveu se esquecer de Aidan e tentar se divertir.. — Logo depois de pegar uma taça de vinho para acalmar os nervos. dou-lhe duas. Era conhecido como um playboy extraordinário. poderia até vir a gostar dele. Corri desceu a escada. Na verdade. uma salva de palmas para o sr. e as feridas ainda estavam abertas. Ela conhecia a reputação de J. se levantou e foi para o saguão. Breckenridge. para curálas. Por favor.. na banheira. ainda queria parecer apresentável... ela pôs de lado a taça vazia. — Dez mil dólares! Dou-lhe uma. com uma quantia obscena de dinheiro herdada de uma família que parecia ser dona de metade de Houston. J. Se ele já a teria substituído àquela altura. me pediram para lhe transmitir um recado do sr.fechar a boca. Após passar pela multidão. Sem chance! Os pensamentos ainda estavam centrados em Aidan. Mais especificamente. Afastando tais pensamentos. Ele a espera no saguão. Que não.. Provavelmente levaria meses.

Kyle. ela continuaria com os sapatos e todas as peças de roupa nos devidos lugares naquela noite. — No entanto. — Bem.Embora o saguão estivesse repleto de pessoas. Quando ele a viu. em vez de 10 mil. com o salto. — Kevin e eu não estamos mais noivos. D. Ele ergueu uma sobrancelha fina e nada natural. — Imediatamente. ela poderia estar uns três centímetros mais alta do que ele. lhe lançou um olhar picante. Ao se aproximar de Breckenridge. seus dentes eram perfeitos até demais. que fora leiloada antes dela. Ela parou imediatamente. lançou um sorriso vencedor que com certeza encantaria muitas mulheres. — Claro. conhecido por se casar e se divorciar de jovens troféus em um ritmo alarmante. Ele pôs a mão na parte inferior das costas dela e começou a ir na direção das portas giratórias que davam para a rua. Apesar disso. lhe dava a impressão de ser tingido. Pelo menos sabia que seu acompanhante não precisaria de balões de oxigênio. Breckenridge. não era isso? — Ela puxou a mão. A pobre âncora do telejornal. — Nunca me esqueci daquele dia. ou de você. você quer comer essa comida industrial ou prefere um jantar francês em um lugar mais reservado? . Não poderia estar mais pronta. percebeu que. ela não planejava inspecioná-los naquela noite. mesmo que ele tivesse pago 200 mil dólares pela companhia. — Pronta para nosso encontro? — perguntou ele. Corri não viu nada de charmoso naquilo. Harris. ou mais. Poderia ter sido pior. Mas me lembro que você estava noiva de um escritor. ele pegou-lhe a mão e a beijou. srta. Ele estava sempre bronzeado. — Então o senhor se lembra de ter me conhecido. — Que bom revê-la. fora comprada por um multimilionário de 80 anos. e o cabelo. ela se questionou se a revelação fora inteligente. quanto J. — O salão do banquete é para o outro lado. Até onde Corri sabia. De qualquer modo. quase do mesmo tom que o dela. embora suspeitasse que ele tivesse visto. provavelmente melhorados em algum caro tratamento dentário. Corri não teve dificuldade para localizar o sr.

— Agora ela entendia o que significavam aquelas iniciais. sr. Ele teve a audácia de passar um braço pela cintura dela. Jeca Doentio.. — Mas é perto? bom. já que não o conheço. não parecia nada convidativo. paguei uma boa quantia por sua companhia e isso não incluía tantas perguntas. — Não se preocupe. mas o jantar está incluído em sua doação. mas posso prometer que vai lhe agradar. — Pelo menos me dê uma pista de para onde vamos. — Acho que tenho o direito de saber para onde estou indo antes de ser levada por um estranho. Breckenridge. mas. faríamos lindos bebês. — É J.. Acho que já podemos nos chamar pelo primeiro nome. com um grande brutamontes careca segurando a porta. — Posso perder um jantar grátis. A uma distância que ela pudesse voltar correndo para o hotel seria — Não muito longe.. mas algo naquele homem a deixava desconfiada. D. Vou lhe dar um feriado inesquecível. onde uma limusine preta os esperava junto ao meio-fio. Mas poderia ela deixar tudo nas mãos dele? — Onde exatamente é o restaurante? — É uma surpresa. — Ele piscou. Ele pegou a mão dela de novo e a conduziu para fora. Exatamente o que Aidan dissera no Natal. Uma inconfundível frustração transformou a expressão dele. — Sabe de uma coisa? Acho que. Corri. ela optaria pela segunda alternativa. Corri trincou os dentes e falou por entre eles: . Não vou fazer mal a você. — Respeito seu ponto de vista. D. o mais educadamente possível. — Só jantar. dessa vez. — Olhe.Normalmente. Ela se desvencilhou de J. juntos.

— Você estava lá? — Cheguei depois do acontecido.. O'Brien. — Tem algumas coisas que quero lhe falar. era ele quem tinha um guarda-costas a postos. — Mas não chegou a tempo. seguido de um: — Tire suas mãos dela. os punhos cerrados preparados para dar-lhe um soco. Aidan se virou para Corri. Você tem personalidade.— Ou você tira sua mão de mim ou vou garantir que nunca tenha filhos. Ele teve a cara-de-pau de rir. Breckenridge parecia muito menos confiante do que antes. provando mais uma vez que os últimos.. — Onde. seu filho-da-mãe! CAPÍTULO DEZ Quando Breckenridge tirou o braço da cintura de Corri. poderia estar em meu lugar. — No momento em que ela estava pensando em lhe dar uma joelhada. incrédula. — Cheguei tarde demais? — Ela o olhava nos olhos. mas não aqui. Corri o encarou. — Se você tivesse chegado a tempo para o leilão. . então? — No hotel. — Espere um minuto — disse Breckenridge. — Depende do que você tem em mente. — Gosto de você. bem. — Breckenridge parecia muito à vontade para alguém dez centímetros mais baixo do que seu iminente adversário. Mas. Aidan se pôs entre os dois. ouviu o som de passos rápidos atrás de si. parando para pensar. — Você não pode ir com ele se já paguei por você. do contrário teria coberto a oferta desse desgraçado. — A moça não vai a lugar algum com você. serão os últimos. Corri.

Corri se encostou na parede. não com o cérebro. Depois de afrouxar a gravata. Corri. Mas. sentou na cadeira em frente a ela. foi até a limusine e usou a capota como apoio. mesmo que aqueles fossem seus últimos minutos juntos. Aidan pegou a mão de Corri. D. antes de se recostar em uma almofada. esperava que Aidan se acomodasse também. ainda não estava pronta para ceder à esperança que tentava derrubar as barreiras em volta de seu coração. — Acredite. você vale o esforço. — Tenho muita coisa para falar. Apenas permitiu que ele a levasse de volta ao hotel. indicando o sofá de brocado dourado no centro do quarto. — Não acredito que você tenha feito um cheque de 15 mil dólares. precisava de toda a ajuda possível ao se preparar para falar com o coração. Em vez disso. Não estava chocada por ele ter aparecido para salvá-la de novo. quando tinha um dia ruim no trabalho ou uma discussão com Kevin. — Aqui está seu reembolso e mais cinco mil pelo inconveniente. certeza de que encontrará alguém para jantar com você de graça. Ela não protestou. — Para o último andar. Ainda assim. Arrancou a folha e a estendeu para J. ela sentia que a noite poderia ainda reservar algumas surpresas. ela lhe lançou um olhar questionador. Contudo. Antes de falar. Ela não se admirava com o fato de ele estar lindo naquele smoking preto de seda.Aidan tirou o talão de cheques e uma caneta do bolso interno do smoking. Afinal. — Sente-se — disse Aidan. Corri. ele caminhou um pouco. Não estava impressionada por ele haver reservado a suíte da cobertura. mantendo certa distância entre eles. inclinou-se para frente e esfregou as mãos no rosto. onde Aidan havia reservado a melhor suíte. Corri pôs a bolsa no bar e atravessou o quarto. — Vamos. e você vai precisar ter muita . — Até esse alguém se dar conta de que está diante de um imbecil com um ego inflado. quando chegaram ao elevador. como fizera muitas vezes. E valia. Depois que entraram no elevador. — Aonde vamos? — Vamos subir. Se voltar lá para dentro tenho. Após sentar-se. Ele aproveitou a oportunidade e deslizou o dedo sob o queixo dela.

Algum extraterrestre havia seqüestrado Aidan. Porque sinto. não quero que você deixe o estúdio — começou. antes que as lágrimas que ameaçavam cair surgissem de fato. eu ficava ansioso para vê-la quase todos os dias. . — Se você quiser ir para a Califórnia. Estou cansado de fingir que não sinto nada por você. — Não estou falando apenas de trabalho. — Em primeiro lugar. Estou cansado de fingir. Pelo menos ainda não. sentou-se ao lado dela e pegou sua mão.paciência. Se fosse o caso. ele rodeou a mesa de centro. simplesmente pela maneira como ele ficava puxando o colarinho. Aidan. — Sempre posso visitá-lo. — Quem sabe ele a tivesse levado lá para se desculpar e se despedir de maneira carinhosa. Talvez até mesmo lhe oferecer uma última rodada de sexo quente como despedida. Aidan. Não quero que você me deixe. sinceramente. — Deixe-me dizer com outras palavras. Aidan. sou péssimo nisso. Estou falando de tê-la em minha vida para sempre. E não sei como conseguirei ficar sem vê-la de novo. na qual o forte e estóico Aidan tivesse sido substituído por um homem passional. — Diga-me por que você não quer que eu vá. Corri podia ver o quanto admitir aquilo lhe custava. Certo. — Deixe-me tirar isso de dentro de mim enquanto posso. então talvez ela não tivesse de correr ou chorar. — Foi você quem decidiu não me fazer uma contraproposta. — Depois de empurrar a cadeira. — Leve o tempo que precisar. mesmo quando você estava com Kevin. — Porque. Corri. — Estou cansada de fingir também. porque. estou disposto a realocar o estúdio e ir com você.. Ela sentia como se tivesse sido jogada em alguma dimensão surreal. Era isso. durante o ano passado. — Ele ergueu a mão para fazê-la parar.. ela sairia dali o mais rápido que seus saltos permitissem. ponto. e. Ela deveria saber que era sobre negócios. — Faço qualquer coisa para que mude de idéia. — Por que você faria isso? — Porque não quero vê-la ir embora.

mas agora estou pronto para admitir. Ela sentiu-se zonza. Não posso. iluminada. — E eu posso dizer o mesmo de você. E. — E foi por isso que as coisas não deram certo entre mim e Tamara.. Ele coroou a declaração com um beijo apaixonado. eu posso. — Amo você. — Não quero ir para a Califórnia. E sabe do quê mais? Acho que a paixão e a amizade podem andar juntas. novo. — Ele suspirou.. Não como nós. prestes a chorar e surpreendentemente decidida. é claro. Ele a puxou para si. Não éramos amigos. Corri. Ele desviou o olhar por um momento antes de fixar os olhos nos dela de — Não quero ser apenas seu amigo. porque estou apaixonado por você. — Nem a química. Ela o perdoaria por ser tão convencido. Desde o dia em que você entrou no estúdio e fez o teste para o programa. que a fez sentir um frio na barriga. e vou. para que saiba. E isso nunca vai mudar. — Sei que podem. nesse momento. Se pudesse ao menos pôr a cabeça no lugar. Perdoaria qualquer coisa naquele momento. Não enquanto eu puder fazer algo a respeito. e dessa vez Corri . nem que sua vida dependesse disso. — Você ainda se excita comigo. me apaixonei por você no dia em que deixou o primeiro pacote das minhas balas de caramelo preferidas no camarim. aquele foi o momento em que eu me excitei com você. Também não conseguia evitar o nó que se formava na garganta.. de mãos dadas.Ela não conseguiria dar um passo sequer. Não quero deixá-lo. — Não foi quando a beijei na cozinha? — Na verdade. Ela pigarreou. com toda a certeza que sentia naquele momento. — Você poderia repetir isso? — Dessa vez o olhar dele não desviou. — Não. E. Ele soltou uma gargalhada profunda e sexy.. — Ele parecia quase ofendido. Corri. não vai — disse ela. Levei algum tempo para perceber isso. impedindo-a de falar.

sabendo que aquele estava em seu legítimo lugar. Agora era. Aidan jogou a caixa na cama. antes de desperdiçarem tanto tempo. Ele a virou e baixou o zíper do vestido. Ele sorriu enquanto a levava para o quarto ao lado. rodeado de pequenos rubis. depois beijou Corri com a ternura que selava os sentimentos dos quais deveriam ter se dado conta meses antes. — Teremos que comer todas estas balas antes de podermos usar a cama? — Isso levaria muito tempo. de fato. — Se eu lhe der isso. Sem a menor hesitação. e ainda relutava em acreditar que aquela jóia significava o que ela imaginava. Ele abriu a caixa para revelar um anel com um enorme diamante. Talvez devamos encontrar alguém com quem dividir isso. — Tenho algo para lhe dar no quarto. Talvez simplesmente não fosse o momento certo. que pegou uma caixa de veludo preto e pôs na palma da mão dela. — Ainda tenho isso. — Ainda não terminei. Corri. — Estava esperando que você dissesse isso. — Embora tivesse considerado despachá-lo de volta pelo correio quando chegasse à Califórnia. diferentemente do de Kevin. Ela puxou a gravata de Aidan e abriu o botão do colarinho. — Não acredito que você fez isso. onde descobriu que a cama king-size estava coberta de balas de caramelo com papel dourado. — Você já faz. Ela e Aidan. pertenciam um ao outro. era muito mais adequado do que pétalas de rosa. — Você tem razão. até ele dizer: — Case-se comigo. Aidan. e farei tudo ao meu alcance para fazê-la feliz.recebeu bem o calor. Corri não conseguia tirar os olhos dele. . você promete que não vai atirar do outro lado do quarto? — Ela tirou o colar que ele lhe dera de dentro do corpete do vestido. Mas justamente quando as coisas estavam começando a ficar interessantes Aidan interrompeu o beijo e a levantou. — Corri se virou para Aidan. Para ela. Ela se jogou para trás e sorriu. ela pegou o anel e o pôs no dedo.

ela olhou para a porta. e não seria capaz de desejar estar em nenhum outro lugar no mundo. Aidan. — Imagino que ainda tenhamos de fazer o joguinho de apenas amigos por algum tempo.. Aidan jogou as balas no chão. sem nem se preocupar em tirar as cobertas. Não vou esconder mais meus sentimentos. Ele não precisava. Mallory e Whit fossem os únicos da família a comparecer. com os braços de Whit à volta dela. — Não precisa pedir duas vezes. — Prometo. que não deixou brecha para qualquer debate sobre os planos de casamento dos dois. Corri tinha certeza de que queria estar na sala dos O'Brien. Quando Aidan deu sua explicação em um tom assertivo. completamente apaixonada e comprometida para se casar. espalhando-as como pepitas de ouro sobre o carpete. mesmo que os pais de Aidan. — Amo você. Lucy trocou um olhar de quem já sabia com Dermot antes de sair do sofá e sacudir a cabeça. Mas era exatamente onde estava. Em poucos movimentos. que encarou Aidan com a testa franzida. em uma extravagante suíte de hotel com Aidan O'Brien. — E eu a amo o bastante para agüentar seu hábito de deixar os sapatos espalhados. como se ele precisasse mantê-la de pé. ele arrancou as próprias roupas e as dela. Mallory simplesmente ficou parada. O vestido de Corri caiu no chão. Mas me prometa que vai manter a faca longe dos legumes inocentes. . Rapidamente. querida. Ninguém disse uma palavra. ele fez Corri praticamente implorar para que parasse com aquela tortura sensual. Mais do que minha faca preferida.— Podemos levar conosco para a casa de meus pais amanhã para a comemoração do Ano Novo. junto aos sentimentos dela. e logo estavam na cama. pela segunda vez em uma semana. Agora me prometa que você vai tirar essas roupas e me levar para a cama. E ela não pediu. O'Brien. ela lhe teria recomendado uma avaliação psiquiátrica. Com alguns beijos e carícias muito criativos.. E de mim. Se alguém tivesse lhe dito alguns meses antes que ela estaria fazendo amor. — Dessa vez não. Vou contar tudo para eles. Ela podia vê-los em seus olhos.

Corri sairia antes que Lucy sofresse um ataque. Corri. — Por que é onde preciso estar para vender o programa de Corri. Não quero meu filho e minha futura nora se casando em uma capela em Las Vegas. Se um pouco de persuasão gentil não funcionasse. — Não estou triste pelo casamento. Corri respirou aliviada e segurou a mão de Aidan para se apoiar. Mallory deu um tapinha em sua bochecha. — A viagem de todos será por minha conta — Aidan confinou. — E decidimos que.. Aidan. Lucy não estava nada satisfeita. mamãe. Estou triste pelo lugar onde será realizado. ela estaria feliz. — Reservei metade de um hotel. Essa era uma ocasião em que ela esperava que ele não aparecesse. nos casamos e saímos em lua-de-mel. — O congresso vai durar apenas três dias.. — Mesmo Kevin. realizá-lo na mesma época que o congresso de abril faria sentido. Se eu fizer tudo certo. Lucy — disse. — Os bebês já vão ter nascido — disse Mallory. — Por que você acha que precisa participar desse congresso? Ele apertou a mão de Corri. Desde que incluíssem uma banheira de hidromassagem e Aidan. Depois disso. a partir de nossas agendas. mas não que Corri se importasse. Esse pensamento não ajudou em nada a acalmar a hesitação de Corri. — Uma babá vai cuidar de meus netos? — Só meio período. embora duvide que ele vá. Lucy — disse Whit. E ela mesma tivesse outro. — Sei que parece muito repentino. Isso seria indescritivelmente estranho. Lucy parecia chocada. — Mallory está com medo de não conseguir lidar com todo o trabalho com as fraldas. Esses planos ainda seriam definidos. . suas primeiras palavras após o choque. isso pode significar colocá-la em rede nacional. — Mas estamos contando com seu consentimento. —Vamos precisar de uma babá até lá. não uma capela — disse.— Assim não vai dar.

que se satisfez com um copo d'água. — Ande. amor. Mas agora vocês estão na estrada certa. — E. Um pedido justo. Mas você vai ter que esperar um ano ou Corri concordava plenamente. Dermot saiu da sala e voltou com a garrafa de champanhe aberta e vários copos plásticos vermelhos. Dermot envolveu a mulher com os braços e soltou uma gargalhada alta. Porém. — Seria uma honra ser sua madrinha. pai — disse Aidan. menos para Mallory. vá buscar o champanhe. Mallory deixou o marido de lado para dar um abraço em Corri. às vezes. — Gostaria que você abençoasse o casamento e fosse meu padrinho. filho. sobras do Natal. —Virou-se para Lucy. homem. você tem que cuidar bem de Corri. Aidan envolveu Corri com o braço e a beijou gentilmente. a trilha que escolhemos nos leva para o caminho errado. Corri preferiu voltar ao tópico principal. dois. Vocês devem discutir de vez em quando para mostrar um ao outro que se importam. — Levei muito tempo para encontrá-la e não vou perdê-la de novo. lembrem-se disso. e ergueu o copo para um brinde. — Não vou lhes dizer nenhuma das minhas sábias palavras irlandesas. — Queria que você fosse minha madrinha. Seguindo as ordens da mulher. — Claro que seria. filho. Vocês dois receberam um presente do qual deverão cuidar a cada dia de suas vidas. e devem fazer sempre as pazes para manter o amor vivo. — Quando vocês não estiverem produzindo esses programas. — E mais uma coisa — disse Dermot.— Sua aversão a fraldas sujas não inspira confiança. Antes que a conversa se desviasse para um debate sobre babás e fraldas. espero que estejam produzindo um outro neto para mim. Pergunte à sua mãe. Serviu um pouco para cada um. Corri e Aidan. considerando que ela representara importante papel ao dar um jeito no irmão. Lucy lhe deu um beliscão carinhoso na barriga. — Manteremos isso em mente. Aidan piscou para Corri. Mallory. porque não vamos aceitar perdê-la pela segunda vez. vou lhes dizer que. de acordo com Aidan. Não havia nada que ela quisesse mais do . Nessa família sempre abençôo tudo.

Serviria para ela correr os dedos mais tarde. Quando seu pai a lembrou de andar. E alguns poucos colegas atuais e antigos de Aidan. Quando Dermot ergueu a taça. — Lembre-se de respirar — murmurou. Passou pelas fileiras de cadeiras brancas com a maioria da família O'Brien. todos o seguiram.que ter um bebê. em Vegas. que poderia ser considerado provocante. Deixara o cabelo crescer um pouquinho. Bridgette e James Harris no mesmo ambiente podia ser a receita para um desastre. Felizmente. mesmo sabendo que a mãe também concordara em participar. deu um abraço em Corri. Ela vestia um vestido feito sob medida. ainda impressionada por ele ter comparecido. combinando com a gravata. Corri estava de pé do lado de fora do salão de jantar de um hotel cinco estrelas. Sem tirar os olhos um do outro. sob os acordes de uma suave música clássica de um quarteto de cordas contratado por Aidan. Lucy e Madison. o casal trocou os . não se encontrava Tamara. Quando ele assumiu o lugar na entrada do salão. e nenhuma gota de sangue fora derramada na preparação do casamento. felizmente. Chegando ao noivo. e começou a atravessar a nave decorada com rosas. mas Corri não se incomodava. com uma pequena rosa na lapela. Um faturo que parecia tão luminoso quanto as velas que enfeitavam o salão. James deu um beijo na face de Corri e ela entregou o buquê a Mallory. — Ao casamento em abril. — Ela pôs a mão na dobra do braço do pai. Corinna? — Estou. entre os quais. Corri calculou a distância até Aidan. Ele pôs a mão dela sobre a de Aidan. Mallory. com exceção de Kevin. definitivamente não estava decepcionado. — Você está pronta. e ela não iria decepcioná-lo. Dermot ao lado. que vestia um vestido justo de seda vermelha que demonstrava como ela havia recuperado a forma depois do nascimento das gêmeas. Escolhera um smoking cinza-aço. O passado era passado e apenas o faturo esperava Corri. O pingente de rubi e diamantes estava à mostra em um colar. mas não estava pronta para dividir seu futuro marido por enquanto. eles haviam concordado em serem cordiais um com o outro. com o corpete tomara-que-caia vermelho e branco e a saia de seda até o chão. Aidan sempre dissera que ela ficava bem de vermelho. que tinha sido transformado no lugar perfeito para um casamento perfeito.

Corri. Lucy lhe mandou um beijo. Mas você me surpreendeu desde o primeiro dia. — Eu só fiquei repetindo o que me diziam. e por isso quero que todos saibam que a amo e sempre amarei. — Você poderia ter me avisado que ia dizer aquelas coisas maravilhosas — disse Corri. mas sabia que as próprias lágrimas começavam a cair. Para Corri. Ele pigarreou. a mãe e o pai sorriram. o esperado beijo. — Amo você também. . que parecia tão impressionada quanto a noiva. Corri com um cravejado de diamantes e. mais do que poderia expressar. — Não posso acreditar. Corri estava adorando cada palavra que saía daquela boca maravilhosa. Não esperava estar aqui ao seu lado agora. Aidan com um anel de ouro simples. Estava apenas vagamente ciente do som do choro de Mallory. — Boa notícia? — Pode-se dizer que sim. Isso significa que você será uma referencia para as donas-de-casa. Recebi cinco propostas para exibir os programas em rede nacional. e com Dermot gritando: — E vamos para a comemoração! Enquanto o casal voltava pela nave. — Eu queria dizer. Sem mais esperar. — E amava. Aidan. E tenho algo mais para lhe dizer também. — Houve apenas alguns poucos momentos em minha vida nos quais me senti realmente surpreso. Aidan levou Corri para um lugar escondido perto do elevador e a beijou de novo. — Ele parou e tocou-lhe o rosto com reverência. e Logan e Kieran levantaram os polegares. — Percebi que não sou bom expressando meus sentimentos. Mas quando Aidan apertou a mão de Corri. Corri. ela voltou toda a atenção para ele. dessa vez com intensidade o bastante para derreter as paredes. Corri não sabia se poderia agüentar outro choque. sem desviar os olhos dos dela. ante uma salva de palmas. isso dizia tudo. mas estou feliz por estar. é claro. no que depender de mim. Aidan a beijou. Isso é tudo que tenho a dizer.tradicionais votos e alianças. rubis. Mas quando ela se preparava para a melhor parte. o juiz de paz disse: — Aidan gostaria de aproveitar o momento para lhe falar algumas palavras. Quando chegaram ao vestíbulo. Ele olhou para Mallory.

Ela não o havia decepcionado.— Acredite. assim como por uma vida inteira com Aidan.. um lugar que Corri não conseguira persuadir Aidan a revelar. Até o momento. — Já ouvimos isso antes — o engenheiro de som sussurrou. ela não decepcionou os fãs. — Certo. Ele notou quando ela esfregou as mãos ao dizer: — Senhoras e senhores. E. Para alguém que não recebia bem surpresas. desde que tenhamos algumas horas a sós antes de nosso vôo à noite. vamos fazer algo um pouco diferente hoje no tempo que nos resta. — Você tem certeza de que temos que comparecer? Ela não tinha certeza de nada naquele momento. não importando que meios tivesse usado. — Sim. — Você ainda não vai me dizer para onde estamos indo. o casamento com certeza agradava aos dois. É outra surpresa. Com parecia ansiosa por essa. também. Ele levantou a cabeça e sorriu. e usara vários. e isso ficava evidente no sorriso de Corri quando olhava para ele enquanto ia à frente do palco para ouvir as perguntas. — O que você está vestindo por baixo do vestido? Uma cinta-liga vermelha. pode me levar lá para cima e constatar você mesmo. exceto de que as outras pessoas estavam começando a olhar. Ele deu um beijo sensual no pescoço dela. como sempre. temos que ir. . antes de subir para a parte inferior das costas.. — Um vôo para um destino desconhecido. — Assim que a recepção acabar. Aidan passou a mão nas nádegas de Corri. vai? — Não. EPÍLOGO Aidan chegou à sala de controle no instante em que a esposa entrava em ação. Não podemos perder o brinde de seu pai. e só.

Aidan O'Brien. é importante incluí-los em sua dieta. Parker deixou escapar um gemido alto: — Vocês estão casados há dois meses. — Dê um minuto a ela. a levara para um cruzeiro de duas semanas no Mediterrâneo na lua-de-mel e dizia todos os dias que a amava. — Ela levantou o olhar para Aidan. Parker. ainda que tivesse sido bem quente. Aidan. . indo para a galeria. — Você está grávida. Não dava a mínima para a equipe completamente surpresa.Depois que Corri foi à geladeira. de repente. — Para todas as mulheres. Ele proporcionara uma festa de casamento elaborada para ela. se deu conta do que fizera. — Dito isso — Corri continuou —. se estivesse de fato entendendo o que Corri queria dizer. não tinha nada a ver com a cozinha. vou dedicar um programa a refeições para futuras mamães. Aidan já estava do lado de fora da porta. Uma repentina sensação de déjà vu quase fez Aidan pedir para que parassem a gravação. O que você fez? Não conseguia se lembrar de nada ruim. uma vez por mês. No entanto. Uma varanda ao luar. Aidan terminou o beijo e manteve os braços em volta dela. mesmo não acreditando que ela estivesse repetindo o erro de dezembro. pelas próximas 30 semanas ou mais. Corri alinhou os tomates. lá embaixo. Ele não hesitou em ir na direção dela. quando Corri acrescentou: — E agora quero que vocês conheçam a mente por trás da nossa mais nova produção: meu marido e dono da AOB. De novo. A única coisa que poderia remotamente se parecer com uma discussão entre eles foi quando ele quase tropeçara em alguns sapatos dela. — Quero falar sobre legumes frescos agora que o verão está se aproximando. Sob os aplausos da platéia no estúdio. vinho um pouco além da conta e um preservativo esquecido.. ele não fazia a menor idéia. Aidan. vista para o mar. — Isso foi o que você disse da última vez — ele sussurrou. um erro primário. especialmente se as coisas ficaram muito quentes na cozinha e você descobrir que tem aquele pãozinho no forno. Mas era um erro que não se importaria de aceitar.. Corri é uma profissional. ela voltou com uma braçada de legumes. Além disso. Não dava a mínima para o público que testemunhou o beijo nada inocente que deram no palco. o alface e o pepino.

Enquanto o público começava a sair. — Corta! É isso — disse o diretor em meio às risadas de todos. isso sim poderia afetar a audiência. — Você deveria saber a essa altura. até ela surgir na vida dele. mas você chegou em casa muito tarde e teve duas reuniões hoje cedo.. — Ela deu um tapinha na bochecha dele. Um amor que jamais quisera ver. Com a confirmação. Depois fiz dois testes de gravidez. então ame a comida com a qual você está. Mas eu queria ouvir de um médico. veio à mente uma importante pergunta: — Por que não me disse antes? — Nas primeiras semanas eu suspeitava. — Ela deu um grande sorriso. — Mas recomendo fortemente que vocês consigam um desses.. Quando os aplausos cessaram. Corri se voltou para a platéia. não. Preocupado. também. — Considere-se com sorte. Talvez o anúncio em público tenha sido pouco ortodoxo. mas isso não vai afetar a audiência. preocupado com a possibilidade de ela não considerar essa uma boa surpresa.— Estou. — Você não está aborrecido. Cheguei a cogitar envolver o pepino em um plástico e falar sobre a importância de protegê-lo contra crescimentos imprevistos. saudável. — Não poderia estar mais suscetível aos hormônios. — Ela se afastou apenas o suficiente para buscar um lenço na penteadeira e limpar os olhos. — Estou bem. — Para quem queria esperar um ano ou dois. — Por hoje é só. Ela sorriu. assim vão aproveitar os dois. está? —Aborrecido. Corri levou Aidan para o camarim. Corri? — Não poderia estar mais empolgada. que nem sempre temos . ele a abraçou e limpou uma lágrima inesperada da face dela. Planejava contar ontem à noite. mas não estava muito pronta para aceitar. — Se você tivesse levado o cutelo ao pepino por causa do meu descuido no cruzeiro. mantendo o braço ao redor da cintura de Aidan. E lembre-se: se você não pode estar com quem você ama. Aidan. Lá. e não consegui um horário até ontem. — Ela deu um tapinha no peito dele. Corri olhou para Aidan com um amor que ele jamais pensara que veria ou aceitaria. — Você está bem.

controle sobre o momento em que as coisas acontecem em nossas vidas. — Não abuse da sorte. — Talvez devêssemos tirar um dia de folga e ir para casa celebrar. podia se comprometer com algo além do trabalho. Sempre conseguira o que queria. Fim . Quando dizer o que pensava e quando se calar. Nem ele. Havia aprendido muito sobre si: podia passar horas observando-a dormir e não se cansar do que via. aprendera muito mais com ela. Aidan O'Brien sempre fora um homem de ação e poucas palavras. para persuadi-lo. amor. e jamais quisera nada com tanta intensidade quanto agora que a tinha. Já conseguiu me fazer aprender a gostar de banhos e dos malditos caramelos. Na verdade. Ela lançou um olhar travesso para ele. — Você poderia me dar uvas para comer e pintar minhas unhas dos pés. Mas não acho que isso seja necessariamente ruim. que nunca falhava. e ele estava definitivamente comprometido com ela. Jamais a deixaria.

Related Interests