 CURSO DE ATUALIZAÇÃO - ELLUSAÚDE

Profa. Dra. Maria de Jesus C. S. Harada jjharada@uol.com.br

Anamnese

IDENTIFICAÇÃO DO RN

RN ( mãe), cor, sexo, procedência, instrução, estado civil, residência

ANTECEDENTES FAMILIARES

Doenças genéticas e infecto-contagiosas ativas. Condições de saúde da mãe (diabetes, doenças infecciosas, hipertensão arterial,

MÃE

nefropatias, cardiopatias, distúrbios metabólicos, neurológicos e uso de droga).

ANTECEDENTES OBSTÉTRICOS

Nº de gestações e abortos, tipo de parto, nº de natimortos e nascidos vivos com peso < 2.500g. Em caso de óbito após o nascimento, quando e o diagnóstico provável.

Anamnese

SALA DE PARTO

   

Recém-nascido
Sexo, Apgar de 1º e 5º minutos. Reanimação

Eliminação de mecônio ou urina
Malformações congênitas


 

Colocação de nitrato de prata 1%: sim ou não.
Cordão Umbilical Ligadura precoce: praticada imediatamente; tardia: após um minuto ou quando cessarem os batimentos.

Número de artérias e anomalias (hemangiomas, nó verdadeiro,

circular).

Líquido Amniótico

Anamnese

Gestação Atual


Duração da gestação em semanas. Início e término de consultas de prénatal Vacina anti-tetânica, Grupo sangüíneo ABO, fator Rh, sensibilização pelo fator Rh, sorologias, fumo e número de cigarros por dia. Ocorrências durante a gestação:

Trabalho de Parto

ASPECTOS GERAIS

Ocorrências
   

Alterações da FC Tipo de medicação administrada;

Eliminação de mecônio,
Tipo de parto: espontâneo, operatório e outros. Apresentação (cefálica, pélvica, pelvipodálica, córmica e face). Data e hora do nascimento. Nível de atenção: primária, secundária e terciária.

gravidez múltipla, hipertensão prévia, pré-eclâmpsia, eclâmpsia, cardiopatia, diabetes, ITU, parasitoses, ameaça de parto prematuro, hemorragia, anemia.

Índice de Apgar
Avaliar o ajuste imediato do recém-nascido à vida extra-uterina.
SINAL
Freqüência cardíaca
Esforço Respiratório Tonus muscular Irritabilidade Reflexa Coloração

0
ausente
ausente

1
Lenta <100
Irregular, lento Alguma flexão dos membros caretas Corpo róseo, membros azulados

2
> 100
Bom, choro forte Bem flexionado Choro, espirro Completamente róseo

flácido Sem resposta Azulada, pálida

Período de Transição

Fase de instabilidade durante as primeiras 6 a 8 horas de vida, pelas quais todos os RN passam a despeito da IG ou tipo de parto. A iniciação imediata da respiração e as alterações nos padrões respiratórios são essenciais para a vida extra-uterina.

Após o nascimento, em torno de 24 horas, os sistemas renal, gastrintestinal, hematológico, metabólico, e neurológico do RN devem funcionar de acordo com as necessidades de crescimento e manutenção da vida extra-uterina.

O 1º período de reatividade  respiração em torno de 80/min  podem ocorrer batimentos da asa do nariz transitório, retrações e chiados  A FC pode chegar 180bpm.

Após estas respostas iniciais o RN se acalma, relaxa, e dorme; este primeiro sono ocorre nas primeiras duas horas pós-nascimento e dura de poucos minutos a várias horas.

Transição à vida extra-uterina

O 2º período de reatividade

começa quando o RN desperta caracterizada pela hiperresponsividade a estímulo, alterações na coloração da pele de rósea a discretamente cianótica, e freqüência cardíaca acelerada.

O muco na cavidade oral pode acarretar agravos.

Sono

Após período de reatividade o bebê pode dormir de 2 a 4 horas; Na primeira semana a expectativa é de 20 horas de sono por dia; Acorda de 2 a 3 vezes por noite.

Efeitos da privação do sono

irritabilidade


 

ansiedade exaustão física e fadiga
interrupção das funções metabólicas

Intervenções

promover pelo menos 2 horas de sono ininterrupto

promover ambiente propício

O que observar, e como realizar?
   

IMPORTANTE

 

Lavar as mãos antes e depois Anotar data e hora do exame Ambiente adequado: local fechado, temperatura ambiental 26o C RN despido

 

Temperatura Despir apenas a área a ser examinada Céfalo-caudal Observe atitude da criança Procedimentos que requerem tranqüilidade (ausculta dos pulmões, coração e abdome) Por último- procedimentos estressantes (reflexos) Medir PC, PT, PA Ser rápido Conforte a criança

Mensurações Gerais

Temperatura axilar –

Tº central corporal geralmente é de 36,5º a 37,5ºC.

Freqüência cardíaca –
 

em torno de 120 a 140 batimentos/min arritmias e sopros podem aparecer nos 1os dias

Pressão arterial –

média de 65/45 com 1 a 3 dias de idade ( MMII e MMSS deverão ser iguais).

Rn a termo: EXAME FÍSICO GERAL

Sinais Vitais

F.R.: 30 a 40 mrm (após transição)
observar dificuldade respiratória, gemido, tiragem esternal ou diafragmática

F.C.: 120 a 140 bpm (após transição)

Rn a termo: EXAME FÍSICO GERAL

Estatura Média
 

50 cm (sexo masculino)
49 cm (sexo feminino)

Peso ao nascer: variável com a idade gestacional
(2.500 - 4000 gramas)
 

3245 gramas meninas 3401 gramas meninos

Rn a termo: CHORO

  

Raro em repouso Choro sonoro, timbre variável
Grito monótono: lesão grave??? Icterícia ???

Rn a termo: POSTURA

Posição Dorsal:
 

Cabeça voltada aos lados MMSS fletidos

 
 

Mãos cerradas MMII semifletidos

Postura normal: 24 a 60 horas do nascimento Hipotonia: lesão neurológica central,

Sindrome Down, Werdnig Hoffmann

Rn a termo: ATIVIDADE ESPONTÂNEA

Variável. Maior atividade quando a termo
   

MMII são irregulares MMSS simétricos Mãos cerradas MMII semifletidos

Sono: 20 horas / dia na 1a semana

Características físicas

AIG
 RN - apropriado p/ a IG

PIG
 RN abaixo do percentil 10cresceu em uma velocidade diminuída durante a vida fetal

GIG
 RN acima do percentil 90- cresceu em uma velocidade aumentada durante a vida fetal.

(entre percentis 10 e 90).

ASPECTO GERAL

Primeira observação: importante
     

cor da pele

postura
atividade espontânea tono muscular

tipo respiratório
fácies

TAMANHO DA CABEÇA

32 a 35 cm ( 2cm maior que tórax) Levemente aumentada em relação ao corpo 2/3 do corpo

 pequena

 microcefalia (congênita)

 pequena ++  grande

 anencefalia  macrocefalia (hidrocefalia)

Cabeça
FONTANELAS – aberta-12-18 m

Anterior Forma diamante
2 X 3 X 5cm  coronal, frontal e sagital

 Posterior
   

aberta até 2-3 m forma triangular 1 X 1 X 1cm sagital e lamdoidal

Cabeça e pescoço
  

Fechamento prematuro Abaulada Deprimida

  

Desenvolvimento cerebral pobre Pressão intracraniana aumentada Desidratação

Moldagem: distorção dura 5 - 7
dias

COURO CABELUDO

 

Ausência de áreas moles

suturas

Herniação prematuridade.
Passagem tecido cerebral fechamento prematuro suturas sobrepostas edema localizado

encefalocele distúrbio genético

  

pelo canal parto
Cefalematoma. Bossa serosangüinolenta

Cabeça e pescoço
INCLINAÇÃO CEFÁLICA
 Até 10 graus

maior que 10 graus

hipotonia, prematuridade

DISTRIBUIÇÃO E TEXTURA CABELO

Distribuído sobre topo da cabeça  Fios de cabelos simples e identificáveis

cabelo fino ou lanugem

prematuridade

Rn a termo: FACE

  

Icterícia: ao 3o dia vida estrabismo: freqüente até 6o mês de vida
olhos fechados maior parte do tempo características anatômicas: IMPORTANTES

OLHOS E PÁLPEBRAS
 

Simétricos: alinhados com orelhas, face e linha média nariz Espaços: ± 2,5 cm


   

Eslcera, conjuntiva e córnea clara
Retina intacta Reação pupilar bilateral

Ducto lacrimal palpável
Sem obliqüidade ocular

Reflexo vermelho
 Sala escurecida  Oftalmoscópio direto a uma distância de 50 cm;  Iluminar os olhos da criança com a luz do oftalmoscópio em direção à pupila;  Olhar pelo orifício existente na cabeça do oftalmoscópio;  Observar um brilho através da pupila, que normalmente é laranja avermelhado;  Encaminhar a um oftalmologista, os casos de reflexo vermelho duvidosos ou ausentes.

NARIZ

Localizado linha média


 

Tamanho adequado face
Narinas patentes Reflexo espirro positivo

NARIZ
     

localização fora da linha média afilado alargado ou bulboso narinas não patentes ponte nasal achatada ausência narinas

    

malformação congênita (sín. Apert) síndrome Treacher Collins trissomia 13 obstrução nasal, atresia coanal síndrome congênita malformação congênita (fissura labial)

 Atresia coanal

 S. APERT

 S. Treach Collins

 Trissomia 13

ORELHAS

Simétricas: (tamanho forma e
colocação). Alinhadas

Pavilhão curvado, cartilagem, rechaço Reflexo susto positivo Exame otoscópico: Luz visível,
membrana timpânica íntegra

 


implante baixo, oblíquas pavilhão dobrado ou achatado reflexo susto mínimo membrana timpanica azul, ou abaulado

   

síndrome congênita (sínd. Down) prematuridade surdez hemorragia ou infecção

BOCA


Simétricas: (tamanho adequado). Linha média rosto
Lábios rosados, úmido



queda lateral ao choro características de pássaro grande +++ pequena fissuras lábio superior



paralisia 7o nervo craniano síndrome alcoólica fetal distúrbio metabólico (hipotireoidismo) síndrome Down lábio leporino

MUCOSA ORAL

Úmidas e róseas

Salivação moderada

 

secas, escuras, cianóticas salivação excessiva

 

desidratação, má oxigenação fístula traqueoesofágica ou atresia de esôfago

PALATO

Intacto, sem arcos ou fissuras

Pérolas de Epstein

arco acentuado  fissura linha média

síndrome Turner  fissura palatina

LÍNGUA
 

Tamanho adequado Localização (linha média)

Projeção externa ao toque



grande (macroglossia) pequena (microglossia) lateralizada não se projeta ao toque



hipotireoidismo síndrome congênita lesão nervo craniano frênulo curto

ÚVULA

 

Localização: linha média
Eleva-se com o choro

não se eleva com o choro

disfunção neurológica

QUEIXO

Tamanho adequado
Retração leve

retração ++ (micrognatia)

síndrome Pierre Robin

Cabeça e pescoço - REFLEXOS ORAIS

Reflexos presente: deglutição, procura e vômitos


Reflexo vômito ausente Reflexo sucção e procura ausente


disfunção neurológica prematuridade, disfunção neurológica

PESCOÇO



Simétrico Curto, sem membranas natatórias Mobilidade ampla. Tonicidade assimétrico e forte Tireóide localizada Pulsos presentes e bilaterais

    

Assimetria Curto Tonicidade assimétrica forte Tireóide aumentada Pulsos fracos

    

posição fetal incomum síndrome Down prematuridade bócio malformação cardíaca

CLAVÍCULAS
 

Simétricas, indolores, sem massas Assimetria, dor

fratura clavicular, distócia ombro, dano plexo braquial

PERÍMETRO TORÁCICO
 

30 a 33 cm menor que 30 cm forma de barril (> 33 cm)

prematuridade, PIG problema respiratório, GIG

Rn a termo: Tórax
EXCURSÃO TORÁCICA
 

Idêntica bilateralmente desigual

lesão nervo frênico

COSTELAS

simétricas, flexíveis, sem massas, sem crepitação


assimetria massas, crepitações


lesão parto, síndrome congênita fratura, enfisema subcutâneo

MAMAS
   

1 cm tecido mamário Aréolas em relevo Alinhamento horizontal Hipertrofia mamária. Secreção branca

  

menor que 1 cm aréolas achatadas mamilos desalinhados secreção purulenta

  

prematuridade prematuridade malformação interna mastite

CARDIOVASCULAR

A FC varia entre 120 a 160 BPM e 100 dormindo. A presença de sopros em recém-nascidos é comum nos primeiros dias e podem desaparecer em alguns dias. Se o sopro persistir por algumas semanas é provável que seja manifestação de malformação congênita cardíaca.

Adaptação Cardiovascular

As falhas de fechamento resultam em defeitos cardíacos congênitos

CIA, CIV, PCA, TF

Em condições como choro ou grandes esforços pode haver inversão de shunt causando cianose transitória. A circulação periférica é lenta, causando acrocianose, e é mais suscetível a alterações ambientais
Volume sangüíneo em torno de 80ml/kg

A palpação dos pulsos femorais é obrigatória.

Adaptação Cardiovascular

Deslocamentos na pressão no coração e nos vasos importantes, e ainda de fechamentos funcionais de shunts fetais (forame oval, canal arterial). O fator mais importante fechamento do canal é aumentada de O2 no sangue. que controla o a concentração

Fatores secundários - queda nas prostaglandinas endógenas e na acidose. O forame oval se fecha funcionalmente logo após ao nascimento. O canal arterial é fechado por volta do 4 dia, o fechamento anatômico requer um tempo maior.

Adaptação Cardiovascular
PREMATURO
• RN com < de 1500g • Situações que aumentam a resistência pulmonar ou diminuem a resistência vascular – promovem shunt através do forame oval e ducto arterioso.

PULMÕES

A respiração é abdominal, quando predominantemente torácica e com retração indica dificuldade respiratória. A FR média é de 40 movimentos no RN de termo e de 60 no pré-termo. Sua persistência obrigará a verificar a ausência de patologias pulmonares, bem como diminuição global e assimetria do murmúrio vesicular.

Adaptação respiratória

Alteração fisiológica importante As primeiras respirações são desencadeadas:

Fatores físicos: o esforço para expandir os pulmões  Fatores sensoriais: temperatura, ruído, luz, som.  Fatores químicos: alterações sangüíneas (redução do

nível de O2, aumento de CO2 e redução do pH) como resultado da asfixia transitória durante o parto.

Adaptação respiratória
RN- NORMAL

A freqüência respiratória varia de 30 a 60 mr/min

O muco na cavidade oral pode acarretar tosse, engasgo especialmente durante as primeiras 12 a 18 horas.
Os RNs respiram pelas narinas

a resposta reflexa à obstrução nasal é abrir a boca para manter a via aérea pérvia;
pode não estar presente em alguns RNs, após 3 semanas nascimento.

Adaptação respiratória
RN- PREMATURO

Funções prejudicadas numa relação direta com a prematuridade

Desenvolvimento incompleto dos alvéolos
Camada muscular das arteríolas se desenvolve tardiamente na gestação

   

Deficiência de surfactante Imaturidade do centro respiratório. Desenvolvimento incompleto espaços aéreos terminais Imaturidade estrutural da caixa torácica


 

Lisa, aveludada.
Descamação superficial de mãos e pés Vérnix caseoso: proteção mecânica contra o liquido amniótico

Manchas:
   

Mongólica petéquias


Eritema
descamação fisiológica

equimoses
milium sebáceo


pele marmórea
lanugem

Pele

Coloração

Os RN de cor branca são rosados e os de cor preta tendem para o avermelhado.

Palidez

Sugere geralmente a existência de anemia e/ou vasoconstrição periférica. O aparecimento de palidez em um hemicorpo e vermelhidão no lado oposto, sugere alteração vasomotora e é conhecido como fenômeno de arlequim.
Generalizada: geralmente causada por problemas cardio-respiratórios. Localizada: acrocianose - pode ser originada por relativa hipotermia; a periumbilical pode ter significado importante, sobretudo associado a uma palidez (por exemplo infecção). A cor amarelada da pele e mucosas pode ser considerada anormal e deverá ser esclarecida a sua causa de acordo com os seguintes fatores:

Cianose

Icterícia

Início antes das 24 horas ou depois de 7 dias; Duração: > que 1 sem em RN de termo e 2 sem. no prematuro.

Pele

Milium Sebáceo

Consiste em pequenos pontos branco-amarelados localizados principalmente em asas de nariz.

Hemangioma Capilar

São freqüentes, principalmente na fronte, nuca e pálpebra superior. Desaparecem em alguns meses.
Descrever a intensidade e a localização. Geralmente desaparece em 24 a 48 horas, podendo ser moderado, mole, localizado em face ao nível dos olhos e no dorso de mãos e membros inferiores.

Edema

Outras Alterações

Hematomas, petéquias e equimoses podem ser encontradas no polo de apresentação. Quando localizadas na face têm aspecto de cianose localizada e é chamada máscara cianótica. Desaparece espontaneamente. Presença de bolhas localizadas em regiões palmo-plantares ou generalizadas devem ser investigadas.

FORMA

simétrico, arredondado

  

assimetria escafóide distendido

  

massa abdominal hernia diafragmática obstrução, distúrbio renal, ascite, edema por malformação congênita renal ou cardíaca, prematuridade estenose pilórica, obstrução duodenal ou jejunal

quadrante superior esquerdo distendido

MÚSCULOS ABDOMINAIS
 

Fortes Sem ondas peristálticas

  

ondas peristálticas visíveis  obstrução intestinal fracos  síndrome prune-belly malformação visível sobre a bexiga extrofia de bexiga 

 síndrome prune-belly

CORDÃO UMBILICAL REMANESCENTE

 

Branco – azulado. Gelatinoso. Queda em 1 a 2 semanas 3 vasos ( 2 artérias e 1 veia)

  


2 vasos grosso pequeno manchado com mecônio massa presente (protusão) hérnia (não localizada)

  


anomalia renal GIG PIG, desnutrição sofrimento fetal onfalocele gastrosquise

PALPAÇÃO ABDOMINAL

abdome flácido pequena separação entre os retos abdominais

  

abdome tenso, rígido, doloroso presença massa separação grande retos abdominais

  

deformidade intestinal, obstrução malformação trato urinário/renal prematuridade

AUSCULTA ABDOMINAL
 

2 a 4 ruídos intestinais / minuto Ausência de sopro

   

ausência de ruídos mais de 5 sons/minuto sopro sobre a aorta sopro sobre os rins

   

obstrução intestinal obstrução ou hipermotilidade malformação arteriovenosa estenose da artéria renal

RINS
 

Em região lombar E mais alto que D

4 a 5 cm de comprimento


aumentados ausência de ambos os rins

 

rim policístico sindrome de Potter

PERCUSSÃO ABDOMINAL
 

Timpania sobre todas as áreas Timpania sobre a bolha gástrica

  

timpania aumentada aumento áreas de macicez ausência de timpania sobre a bolha gástrica

  

aumento de fluído ou ar massa em órgão atresia de esôfago, malformação gástrica

FÍGADO

Firme Borda aguda palpável durante inspiração
 

duro borda palpável mais de 1 cm

 

lesão, distúrbio cardiopulmonar insuficiência cardíaca, SDRA

BAÇO

Palpável 1cm
 

ausente / impalpável aumentado

 

malformação cardíaca eritroblastose fetal (ABO)

BEXIGA

Sem distensão
distendida

obstrução do trato urinário

VIRILHA

Lisa, sem massas

presença de massa

hérnia inguinal

Dorso
COLUNA VERTEBRAL

Reta, sem desvios  Sem aumento ou dor

  

curvada massa, saliência, dor saco hernial

  

desalinhamento vertebral fratura, espinha bífida, meningomielocele

NÁDEGAS

Dobra mediana simétrica

dobra assimétrica

displasia congênita de quadril

Ânus e Genitália
ÂNUS

Patente. Localização linha média Contração anal presente


 

não patente desvio anterior ou posterior ausência contração


 

ânus imperfurado malformação anal lesão neurológica

Liso

PERÍNEO

escavado / abertura extra

malformação genital / urinária / fístula urinária

Ânus e Genitália
GENITÁLIA FEMININA



Feminina. Clitóris aumentado Grandes lábios maiores que pequenos lábios Pequenos lábios formados Meato uretral anterior ao orifício vaginal Vagina patente

  

genitália ambígua vagina coberta por hímen grandes lábios menores que pequenos lábios

  

trissomia 18 malformação vaginal prematuridade

Genitália feminina

Pré-termo
    lábios e clítoris geralmente edemaciados meato ureteral atrás do clítoris vérnix caseoso entre os lábios micção dentro de 24 horas       

Normal
pseudomenstruação lábios infundidos ausência de abertura vaginal saída de mecônio (vaginal) massas nos lábios ausência de micção genitália ambígua

GENITÁLIA MASCULINA


Pênis: reto, 3 a 4,5 cm comprimento Meato urinário: linha média, ponta glande Jato urinário reto ao pênis Testículos: completos, rugoso, pigmentação escura, descidos


   

meato desposicionado jato urinário torto testículos azulado, escavado, escroto aumentado testículos não palpável


   

hipospádia / epispádia fístula urinária torção testicular hidrocele prematuridade

Genitália masculina
Pré-termo
Normal

Genitália masculina: abertura uretral na extremidade do pênis,
testículos palpáveis, escroto usualmente grande, pendente e pregueado, esmégma,micção dentro de 24 horas

Observar: abertura ureteral coberta pelo prepúcio
incapacidade de retrair o prepúcio pérolas epiteliais (lesões pequenas, firmes e esbranquiçadas do prepúcio) hipospadias/epispadias Hérnia inguinal Hidrocele

Braços

Comprimento adequado para o corpo. Iguais. Retos Úmero, rádio, ulna simétricos. Sem massas

  

encurtado, assimétrico ossos assimétricos/ ausente massa em ossos

 

diabetes materno / uso drogas pela mãe / síndrome congênita síndrome da trombocitopenia. Ausência rádio fratura

Braços- AMPLITUDE DE MOVIMENTO

Completa



 

limitada  flexão limitada  flexão ombros limitada  movimento clavicular limitado  motilidade cotovelo limitada 

trauma de parto prematuridade distócia, lesão plexo braquial osteogênese imperfeita, lesão clavicular trauma parto

MÃOS E PUNHOS



Mãos retas, sem pregas simiescas 10 dedos igualmente espaçados Unhas além do leito ungueal. Leito ungueal rosado Ossos iguais bilateralmente Apreensão palmar forte



mão virada para fora / prega simiesca mais de 10 dedos/ dedos colados unhas curtas / ausência unhas ossos desiguais apreensão fraca



ausência rádio / sind. Down trissomia 13 / sind. congênita sind. alcoólica / ausência rádio fratura ou síndrome congênita prematuridade

Braços - PULSOS

 

Pulso braquial e radial fortes e Iguais bilateralmente, iguais aos femorais

pulso braquial ou radial fraco,

má perfusão periférica ou
malformação congênita

ausente ou desigual bilateralmente

Pernas

 

Tamanho adequado corpo, retas Fíbula, tíbia e fêmur simétricos

 

comprimento desproporcional ossos ausentes ou assimétricos

 

displasia congênita do quadril fratura ou ausência osso

movimento limitado quadril

displasia congênita quadril

Pernas - PULSOS FEMORAIS

Fortes e regulares bilateralmente fraco ou ausente (bilateralmente)
saltitante


coarctação de aorta
ducto arterial permanente

Pernas - PÉS
   

Retos Dobras plantares cobrindo planta dos pés Ossos presentes 10 dedos, sem membranas virado para fora / dentro edema podal poucas dobras plantares ossos ausentes
    

    

ausência fíbula / tíbia. Pé chato má perfusão / síndrome Turner prematuridade fratura ou ausência de osso

mais de 10 dedos

trissomia 13

Luxação Congênita do Quadril
Diagnóstico Precoce Manobra de Ortolani
Detecta o quadril luxado

Luxação Congênita do Quadril

Manobra de Barlow
Detecta o quadril luxável (teste provocativo)

Luxação Congênita do Quadril

• Recém-nascido apresenta contratura fisiológica em flexão do quadril de 15o a 20o • O diagnóstico é essencialmente clínico no RN
• A criança deve estar tranqüila no momento do exame

Visão  Audição  Olfato  Paladar  Tato

Visão
  

Ao nascer o olho está estruturalmente incompleto

As pupilas reagem à luz
O reflexo de piscar é responsivo ao estímulo mínimo


As glândulas lacrimais começam a funcionar por volta da 2-4 semana. O RN foca um objeto luminoso ou em movimento a distância focal de 20 cm do campo visual O RN demonstra preferências visuais por coloração mediana (amarelo, verde, rosa), em relação a brilhante (vermelho, laranja, azul)
Objetos grandes de complexidade média

Tato

Ao nascer percebem sensação tátil em qualquer parte do corpo Face (boca), mãos, regiões plantares dos pés são mais sensíveis

O tato e os movimentos são essenciais para o crescimento e desenvolvimento
Massagens (toque) provocam resposta tranqüilizadora no lactente.

Paladar

O RN tem a capacidade de diferenciar paladares Vários tipos de soluções provocam reflexos gusto-faciais

Doce - sucção ávida, satisfação Azeda - fechamento dos lábios

Amargo - expressão raivosa

Olfato

Olfato

Reage a odores fortes (álcool, vinagre) virando cabeça para o lado Os RNs são capazes de diferenciar o leite materno de sua mãe. Acredita-se que os odores influenciam o processo de vínculo e aleitamento materno bem sucedido.

Audição

Audição
 

Provavelmente possui acuidade auditiva = ao adulto Reage a um som alto (90 decibéis) com reflexo de estremecimento Sensibilidade precoce aos sons de voz humana Podem por volta de 2 semanas parar de chorar quando escutam vozes humanas O processo mastóideo e a parte óssea do canal externo ainda não se desenvolveram, acarretando risco de lesão da membrana timpânica e nervo facial.

Não realizar nas 1as horas de vida
Avaliar vitalidade RN

Maturidade

Repercussões tardias de sofrimento perinatal
Realizar exame até 48 horas de vida

Não realizar:
RN com fome Após ter mamado

Relaxamento absoluto

EXAME NEUROLÓGICO

Observar tremores
 

Benignos (metabólicos)
Graves (encefalopatia isquêmica, dependência drogas, problemas metabólicos)

Convulsões

Alterações metabólicas (Ca, Na, glicemia)


Alterações SNC (HIC, hipóxia, infecção)
Dependência Narcóticos

Reações automáticas desencadeadas por estímulos que impressionam receptores, Dependem das necessidades biológicas do momento da vida

 

Característicos nos 1os meses de vida (olhos de boneca, sucção, Persistem por toda a vida (pupilar, piscar, vômitos)

preensão palmo plantar, Babinski, Moro, Marcha, Galant)

Reflexos

Olhos
Reflexo corneal ou piscadela Olhos de boneca

Pisca ao aparecimento de uma luz ou aproximação de um objeto - persiste Contrai-se quando uma luz intensa brilha, à medida que a cabeça é lentamente – persiste
Movimentada da direita para a esquerda, o olho inclina-se para trás e não se ajusta imediatamente à nova posição da cabeça - desaparece

Sucção

Boca e faringe
Sucção Vômito Fortes em resposta a estímulos- 3m
Estimulação da faringe posterior pelo alimento, pela sucção ou pela passagem de um tubo faz com que engasgue – persiste Tocar ou encostar na bochecha, faz com que vire a cabeça – até 12 meses Resposta espontânea ao Oxigênio diminuído pelo aumento da quantidade de ar inspirado- toda a vida. Irritação das mucosas da laringe - persiste

Busca

Bocejo

Tosse

Marcha reflexa

Neonato segurado de modo que a sola dos pés toque uma superfície rígida, ocorre flexão e extensão recíprocas da perna simulando deambulação 3-4 semanas

Moro
 Mudança súbita no equilíbrio provoca extensão e abdução dos membros e abertura dos dedos em leque e o neonato pode chorar 3-4 meses.

Reflexos
• Reflexo de preensão:
tocar as palmas das mãos
ou as regiões plantares dos

pés próximo à base dos
dedos – flexão e preensão.

Reflexos

Reflexo

extensão

cutâneo

plantar.

(Babinski): até 12 meses
risca-se a parte externa da região plantar do pé para cima a partir do calcanhar, atrás

do arco do pé, o primeiro pododáctilo exibe
dorsiflexão e os outros dedos se hiperestendem.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful