Conjunto do Números Racionais ( Q

)
Os números decimais são aqueles números que podem ser escritos na forma de fração. Podemos escrevê-los de algumas formas diferentes:

Por ♦ Em forma de fração ordinária: têm a forma extensão com a , b ; ;

exemplo: e todos os seus opostos. Esses números

Z e b ≠ 0. Números decimais com finitas ordens decimais ou finita:

Esses números têm a forma com a , b Z e b ≠ 0. Número decimal com infinitas ordens decimais ou de extensão infinita periódica. São dízimas periódicas simples ou compostas:

As dízimas periódicas de expansão infinita podem ser escritas na forma : com a, b Z e b ≠ 0. - O conjunto dos números racionais é representado pela letra Qmaiúscula.

Q = {x =

, com a Z e b Z*}

É o conjunto dos números racionais positivos e o zero. usa-se uma vírgula. Os números decimais têm origem nas frações decimais. Q* ---------. indicando que o algarismo a seguir pertence à ordem das décimas.É o conjunto dos números racionais diferentes de zero. Stevin. em 1585 elaborou um método para efetuar operações por meio de números inteiros.----------. no qual ordenava os números naturais sobre os algarismos do numerador. por exemplo. porém. Por exemplo. Números Decimais Números decimais são numerais que indicam um número que não é inteiro. como o pi. Em 1617 a notação introduzida por Stevin foi adaptada por John Napier. Q*. Q+ ---------. Geralmente após o algarismo das unidades. basta que realizemos a soma de todos os numeradores e mantenhamos este denominador comum.É o conjunto dos números racionais negativos e o zero. Q*+ ---------É o conjunto dos números racionais positivos. existem outros subconjuntos de Q. Operações com Frações Adição A soma ou adição de frações requer que todas as frações envolvidas possuam o mesmo denominador. Q.----------. Todos os números decimais finitos ou infinitos e periódicos podem ser escritos na forma de fração. Se inicialmente todas as frações já possuírem um denominador comum. Vejamos o seguinte exemplo: . não podem ser escritos na forma de fração pois são infinitos e não têm período. A representação proveniente de frações decimais recebia um traço no numerador indicando o número de zeros existentes no denominador. o que indicava a posição a ser ocupada pela vírgula no numeral decimal.É o conjunto dos números racionais negativos. sem o uso de frações. ou casas decimais. os números decimais irracionais.- Outros subconjuntos de Q: Além de N e Z. que sugeriu o uso de um ponto ou de uma vírgula para separar a parte inteira da parte decimal. engenheiro e matemático holandês. matemático escocês. a fração equivale à fração que equivale ao número decimal .

O novo numerador de cada uma delas será apurado. 2 e 3. mantendo-se este denominador comum. assim como terá o mesmo denominador 7: Vejamos agora este outro exemplo: Neste caso não podemos simplesmente realizar a soma dos numeradores. Neste caso a fração final terá como numerador a diferença dos numeradores. 1 = 65. 2 = 18. assim como a adição. logo: /3 = /195 2 2 78 Para /5 temos que: 195 : 5 . logo: /3 = /63 2 2 18 Para /7 temos que: 63 : 7 . para cada uma delas iremos dividir 63 pelo seu denominador e em seguida multiplicaremos o resultado pelo seu numerador:    Para /9 temos que: 63 : 9 . Logo utilizaremos 63 como o denominador comum. 5. assim como irá manter o denominador 9: Observemos este outro exemplo: Como as frações não possuem todas o mesmo denominador. 3. 8 = 56. Agora resta-nos proceder como no primeiro exemplo: 1 1 65 Subtração A diferença ou subtração de frações. o MMC(3. 7) = 63. logo: /13 = /195 Obtemos assim. Será o MMC(3. Vejamos o exemplo: Observamos que todas as frações possuem o denominador 9. 13): Como sabemos. 3. primeiramente devemos a apurar o MMC(9. Primeiramente devemos converter todas as frações ao mesmo denominador. que possuam o denominador igual a 63. Neste caso a fração final terá como numerador a soma dos números 1. simplesmente dividindo-se 195 pelo seu denominador atual e em seguida multiplicando-se o produto encontrado pelo numerador original:    Para /3 temos que: 195 : 3 .Podemos observar que todas elas possuem o denominador 7. Como já visto. 7)para utilizá-lo como denominador comum. Quando as frações possuírem um mesmo denominador. temos apenas que subtrair um numerador do outro. 13) = 195. Logo todas as frações terão o denominador comum 195. para encontrarmos as frações equivalentes às do exemplo. logo: /5 = /195 3 3 45 Para /13 temos que: 195 : 13 . 2 = 78. 5. também requer que todas as frações contenham um denominador comum. logo: /9 = /63 1 1 21 Para /3 temos que: 63 : 3 . 3 = 45. O denominador escolhido será o mínimo múltiplo comum dos denominadores. logo: /7 = /63 Finalmente podemos realizar a subtração: 8 8 56 Expressões numéricas Uma expressão numérica é uma seqüência de números associados por operações. Sabemos que o MMC(9. 1 = 21. três frações equivalentes às frações originais sendo que todas contendo o denominador 195. Essas operações devem ser efetuadas respeitando-se a seguinte ordem: .

etc. . Exemplo: 36 + 2. a Zoologia descreve e classifica os animais. 2) Multiplicações e divisões. com uma balança mede a quantidade de farinha ou de feijão pedida.{25 + [18 – 9]} = = 36 + 2. colchetes e chaves) efetuam-se. Em uma fábrica mede-se com o relógio.6.4). a Química. depois as que estão dentro dos colchetes e.2²). ao contrário. Assim.34 = = 36 + 68 = 104 Outro exemplo: [(5² .) baseiam-se na "medição". Um lojista.{25 + [ 18 – (5 – 2).{ 25 + [18 – 3.3 + 6² : 3] : 5 = =[(25 – 24). O dono de uma quitanda não pode realizar seus negócios se não mede.3]} = = 36 + 2. a Astronomia. se houver. por último. 3) Adições e subtrações Exemplo: Em expressões numéricas com sinais de associação ( parênteses. Todos temos uma certa noção do que é medir e o que é uma medida.3]} = = 36 + 2. Em outras Ciências. a prioridade das operações. as interiores as chaves. respeitando-se ainda. o principal é a descrição e a classificação.{25 + 9} = = 36 +2.3 + 12] : 5 = = [3 + 12 ] : 5 = = 15 : 5 = 3 Medidas e Grandezas As Ciências chamadas Exatas (a Física. se houver. o tempo que os operários trabalham. com o metro.3 + 36 : 3 ] : 5 = = [1.3 + (13 – 7)² : 3] : 5 = = [(25 – 6. sendo esta sua característica fundamental. estabelecendo categorias de separação entre os seres vivos existentes. primeiro as operações dentro dos parênteses. mede a quantidade de fazenda que lhe solicitaram.1) Potenciações e radiciações.

O múltiplo mais usual do quilograma é a tonelada (t). não são grandezas a Verdade ou a Alegria. fêz-se que a massa deste padrão fosse igual à massa de 1 litro de água destilada a 0 15 C. temperaturas. o volume. a adotar como padrão de massa um certo objeto chamado "padrão internacional de massa". pretenderá medir a extensão de um terreno em quilogramas.Há diferentes coisas que podem ser medidas. sendo 1 kg = 1000 g e 1g = 1000 mg. o dono da quitanda mede "pesos". 33). em Sèvres. Essa massa foi chamada de um quilograma (1 kg). Opera-se com as unidades como se fossem números. Tudo aquilo que pode ser medido chama-se "grandeza". cada quantidade fica expressa por uma parte numérica e outra literal. A massa deste objeto é de 1 kg. Exemplos: 10 km. ou o comprimento de uma rua em litros. mas também nas Ciências. Ao contrário. o tempo. assim: A Grandeza Massa O sistema métrico decimal foi criado pela Revolução Francesa. O fundamental é medir e o resultado da medição é um número e o nome da unidade que se empregou. visto que não podem ser medidas. que com isso tentou uma renovação não apenas na vida social. 8h. Também podem ser medidos volumes. Ninguém. Tal padrão é conservado no Museu Internacional de Pesos e Medidas. Mais tarde percebeu-se o inconveniente desta definição. Dentro do possível. A Física não trabalha com números abstratos. são "grandezas". etc. assim. Originalmente se definiu como unidade de massa. áreas. Os submúltiplos mais comuns do quilograma são o grama (g) e o miligrama (mg). De forma análoga à área. pois o volume da água varia com a pureza da mesma. a fábrica "tempos". Medir é comparar uma quantidade de uma grandeza qualquer com outra quantidade da mesma grandeza que se escolhe como "unidade". Paris. mesmo que esteja louco. Passou-se. Careceria de sentido tentar medir uma quantidade de uma grandeza com uma unidade de outra grandeza. podemos provar que um cubo com 10 unidades de comprimento contém 10 x 10 x 10 = 1000 unidades de volume (Fig. 0 Volume A unidade é o metro cúbico (m3). então. Assim. 30 km/h. . a massa de um litro de água a 15 C. pois. a área. o lojista "comprimentos". a temperatura. o comprimento. o peso. sendo 1 t = 1000 kg.

frascos de soro hospitalar. o qual pode ser dividido em 100 centímetros (cm) ou 1000 milímetros (mm). O múltiplo do metro mais usado é o quilômetro (km). Também estão expressos em ml os volumes de vidros de remédios. 3 Comprimento: A unidade de comprimento é o metro (m). que vale 1000 m. definido como o volume de um cubo com 10 cm de lado. Uma unidade muito usual de volume é o litro (l).000 cm . Figura 32 . escrito no rótulo. e gravado no fundo das garrafas. expresso em mililitros (ml). a maioria das garrafas tem seu volume.Figura 33 Obtém-se assim que: 1m3 = 1m X 1m X 1m = 100cm X 100cm X 100cm = 1. etc.000. mamadeiras. A milésima parte de um litro é o mililitro (ml).

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful