You are on page 1of 2

Natal - Fé - Esperança -Amor Abrem-se as Cortinas, falam os dois arautos de dentro do palco 1º ARAUTO – Despertai, despertai!

O Natal chegou! Que cada coração se regozije! 2º ARAUTO – Ouvi! Ouvi! O Natal chegou! Alegrem-se as nações! (No centro do palco, coloca-se uma cadeira baixa, ou uma caixa coberta com tapete em forma de TRONO, onde subirá e se sentará a menina que falará do amor.) “natal”, “fé”, “esperança” e “amor” deverão ser meninas que saibam falar bem (Voltam os dois arautos e trazem a menina toda trajada de branco, com uma faixa no peito com a palavra “NATAL”. Oferecem a ela o trono, mas ela recusa fazendo um “NÃO” com a cabeça. Arautos ficam parados do lado do palco) Ø NATAL – Novamente os povos se regozijam pelo transcorrer de mais um Natal. Quase dois mil anos se passaram desde que a manjedoura de Belém foi transformada em berço. Gerações e gerações têm passado, deixando um rastro de lágrimas e um caminho de esperanças. Mesmo assim, a glória e o gozo do Natal tem permanecido inalteráveis. Vamos trazer nesta noite três convidados que são a verdadeira essência do Natal. – E vamos convidá-los para que habitem sempre em nossos corações, e depois, levemo-los aos corações daqueles que ainda não o conhecem. Esta é a maior bênção do Natal, o mais grandioso trabalho que se pode fazer para o Rei dos Reis, o redentor da humanidade. “natal” volta-se para os arautos NATAL – Apressai-vos, arautos meus, e fazei entrar o primeiro convidado. (“ARAUTOS” trazem a menina trajada de vermelho, com a faixa “FÉ”. Então “NATAL” lhe oferece o lugar de honra no trono mas ela recusa. "FÉ" para-se na ponta do palco) NATAL – “Ora a fé é a firme fundamento das coisas que se esperam, e a certeza das coisas que não se veem. FÉ – Havia fé no mundo quando Jesus nasceu. Muito antes daquela grandiosa estrela brilhar sobre a pequenina Belém; mesmo quando os pastores ainda não vigiavam os seus rebanhos durante a noite nos campos, os profetas antigos, cheios de fé, já anunciavam que Jesus iria vir. É o profeta Isaías que disse no Antigo Testamento: portanto o Senhor vos dará um sinal: Eis que a virgem conceberá, e terá um Filho, e chamará o seu nome “EMANUEL”. A profecia se cumpriu e tornou possível e mais fácil ao homem acreditar na verdade ela contém, crendo firmemente no poder de Deus. A salvação desceu ao berço da manjedoura de Belém. A vida eterna se achava envolta nas vestimentas do Filho de Maria. NATAL – Arautos, fazei entrar o segundo convidado. (“ARAUTOS” trazem a menina trajada de verde, com a faixa "ESPERANÇA". Então “NATAL” lhe oferece o lugar de honra no trono mas ela também recusa. E para-se ao lado de "FÉ" ) NATAL – E a esperança não confunde, porque o amor de Deus está derramado em nosso coração pelo Espírito Santo que nos foi dado” ESPERANÇA – Havia esperança no mundo, quando Jesus Cristo nasceu. A estrela de Belém, no entanto iluminou uma nova esperança, para uma nova vida de honra, liberdade. Os casados, aflitos, e sobrecarregados, encontraram esperança na manjedoura de Belém. A esperança é uma valiosa amiga, possuidora de grande poder, porém sua maior característica é purificar as mentes. O apóstolo João diz: E qualquer que em Jesus tem esperança, purifica-se e a si mesmo, como também Ele é puro. Esta é a grande esperança que purifica a mente, o caráter. Porque em esperança somos salvos. Ora a esperança que se vê não é esperança, porque o que alguém vê como o esperará? Mas, se esperarmos o que não vemos, esperamos com paciência. NATAL – o lugar de honra continua vazio. "FÉ" e "ESPERANÇA" acham que não devam ocupar este lugar. Saí, arautos meus, e trazei o nosso próximo convidado de honra. enquanto os arautos saem, falam "NATAL" "FÉ" e "ESPERANÇA" juntos: “Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.” Ø NATAL – agora permanecem estes três: a "FÉ", a "ESPERANÇA" e o AMOR. Mas o maior deste é o amor. Sem imenso imensurável amor de Deus, não haveria Natal. entra o "amor" e sobe ao trono: menina trajada de branco, com a faixa "amor" AMOR – eu sou o amor. Havia amor no mundo quando Jesus nasceu. Mas foi na pobre manjedoura de Belém, tendo por berço uma caminha de feno, que o amor se concretizou e veio habitar entre o povo. Foi o amor que abriu os portões

Ø

Ø Ø

Ø

Ø

Ø

Ø

Ø

trazendo-o ao mundo. mas salvo e redimido. e fez baixar o Cristo em forma de homem. porém sua maior característica é purificar as mentes. Porque em esperança somos salvos. "amor" e "natal" ficam parados no palco de frente para a plateia FÉ – o Natal nos trouxe amor! Foi Jesus quem nos trouxe o amor. mas salvo e redimido. e fez baixar o Cristo em forma de homem. Ora a esperança que se vê não é esperança. . no entanto iluminou uma nova esperança. que a promessa da vinda do Messias se tornou um raio de esperança. É Ele o presente do amor de Deus. A salvação desceu ao berço da manjedoura de Belém. que intercede e que se submete e torna todas as coisas possíveis. "fé". E este seu amor espalha os seus raios benignos sobre toda a terra até hoje. purifica-se e a si mesmo. se esperarmos o que não vemos. Amor! Amor! O Sempre Eterno amor de Deus! Amor essência de Deus o próprio Deus enviado aos homens na pessoa de Jesus menino. A estrela de Belém. Alguém chamou o Natal de “o aniversário da esperança”. trazendo-o ao mundo. e sobrecarregados. E este seu amor espalha os seus raios benignos sobre toda a terra até hoje. crendo firmemente no poder de Deus. Ele era o Rei que se assentaria no trono e governaria o mundo com justiça para todo o sempre. A profecia se cumpriu e tornou possível e mais fácil ao homem acreditar na verdade ela contém. A vida eterna se achava envolta nas vestimentas do Filho de Maria. já anunciavam que Jesus iria vir. O apóstolo João diz: E qualquer que em Jesus tem esperança. a fim de o homem subir até o pai celestial no céu. para uma nova vida de honra. e chamará o seu nome “EMANUEL”. A esperança é uma valiosa amiga. os profetas antigos.do céu. Foi ainda o amor que o guiou até Belém. Ø Ø Ø Ø FÉ – Havia fé no mundo quando Jesus nasceu. o Redentor que sendo Deus é o amor. e terá um Filho. Foi o amor que abriu os portões do céu. Vamos falar a eles sobre a vida eterna. liberdade. aflitos. Sua morte tornou-se a expressão suprema do seu amor ao mundo perdido. NATAL – o Natal nos trouxe fé. Entre os quase 5 bilhões de pessoas que povoam o mundo. tendo por berço uma caminha de feno. há milhares de milhares ainda no vale da sombra da morte. que o amor se concretizou e veio habitar entre o povo. ESPERANÇA – o Natal nos trouxe esperança. transformado em filho querido. encontraram esperança na manjedoura de Belém. Jesus mesmo diz: eu vim pra que tenham vida e vida em abundância. que renuncia. AMOR – eu sou o amor. transformado em filho querido. porque o que alguém vê como o esperará? Mas. esperamos com paciência. Muito antes daquela grandiosa estrela brilhar sobre a pequenina Belém. Foi ainda o amor que o guiou até Belém. como também Ele é puro. Amor! Amor! O Sempre Eterno amor de Deus! Amor essência de Deus o próprio Deus enviado aos homens na pessoa de Jesus menino. e com ele. que Deus’. Desde quando Adão e Eva foram expulsos do Jardim do Éden. Mas foi na pobre manjedoura de Belém. a fim de o homem subir até o pai celestial no céu. Que infinito amor! Fazendo Deus baixar até a terra. quando Jesus Cristo nasceu. prontidão em fazer Cristo conhecido. Que infinito amor! Fazendo Deus baixar até a terra. o caráter. da vida abundante que Jesus nos veio dar. Esta é a grande esperança que purifica a mente. Havia amor no mundo quando Jesus nasceu. Os casados. Sua vida foi um hino de amor. "esperança". Mas como conseguir isso? Perguntaram muitos – Como? Anunciando o Evangelho! Se não podemos ir. o Redentor que sendo Deus é o amor. não como condenado. Foi Jesus quem colocou no coração de seus seguidores o amor que serve. Ø ESPERANÇA – Havia esperança no mundo. É o profeta Isaías que disse no Antigo Testamento: portanto o Senhor vos dará um sinal: Eis que a virgem conceberá. cheios de fé. oramos! Sustentemos os que vão e os que mandamos com as nossas ofertas e as nossas orações e cantaremos com alegria. não como condenado. nova oportunidade de reconsagração de vida. mesmo quando os pastores ainda não vigiavam os seus rebanhos durante a noite nos campos. AMOR – eis o verdadeiro Natal. possuidora de grande poder.