You are on page 1of 5
PERFIL SOCIOECONÔMICO DE FEIRANTES DO MUNICÍPIO DE ALTAMIRA-PARÁ Fabíola Andressa Moreira Silva 1 , Roberta
PERFIL SOCIOECONÔMICO DE FEIRANTES DO MUNICÍPIO DE ALTAMIRA-PARÁ Fabíola Andressa Moreira Silva 1 , Roberta
PERFIL SOCIOECONÔMICO DE FEIRANTES DO MUNICÍPIO DE ALTAMIRA-PARÁ Fabíola Andressa Moreira Silva 1 , Roberta
PERFIL SOCIOECONÔMICO DE FEIRANTES DO MUNICÍPIO DE ALTAMIRA-PARÁ Fabíola Andressa Moreira Silva 1 , Roberta

PERFIL SOCIOECONÔMICO DE FEIRANTES DO MUNICÍPIO DE ALTAMIRA-PARÁ

Fabíola Andressa Moreira Silva 1 , Roberta Rowsy Amorim de Castro 1 , Paloma Ioná dos Santos Mesquita 1 , Ricardo Pinto Lima 1 .

1 Discentes do Curso de Engenharia Agronômica da Universidade Federal do Pará, Campus de Altamira. fabandressa@hotmail.com.

RESUMO As feiras livres são importantes organizações de pequenos produtores, constituindo-se em um canal de distribuição mais eficiente dos produtos hortícolas. Neste sentido, o presente trabalho teve como objetivo realizar um diagnóstico socioeconômico dos feirantes do município de Altamira-PA, analisando se o trabalho nas feiras lhes proporciona uma melhor qualidade de vida e conseqüente reprodução. Utilizou-se como metodologia a aplicação de um Diagnóstico Rápido Participativo DRP, executado por meio de entrevistas realizadas junto a 15 feirantes do referido município. Constatou-se que grande parte dos feirantes possui baixa escolaridade em função da falta de oportunidade de estudar. Em relação à renda mensal dos feirantes, constatou-se que 80% dos entrevistados possui rendas entre R$ 300,00 a R$ 600,00 e R$ 600,00 a R$ 900,00. Verificou-se também que 73% dos entrevistados possuem sua própria horta, o que é um fator que pode contribuir para uma maior renda mensal. Os feirantes conseguem se reproduzir ao longo do tempo, fato este proporcionado pela agregação de valores provindos de outras atividades, pois 60% dos mesmos possuem outros empregos, o que pode ser indício de que o ofício como feirante é apenas algo passageiro, para suprir eventuais necessidades financeiras do grupo familiar.

PALAVRAS-CHAVE: Feiras livres, Feirantes, Altamira, Diagnóstico Rápido Participativo, Associação.

ABSTRACT The fairs are important organizations of small producers, thus becoming a more efficient distribution channel vegetables. In this sense, the present study aimed to conduct a socioeconomic diagnosis of stallholders in the city of Altamira-PA, examining whether work at the fair gives them a better quality of life and subsequent reproduction. Was used as a methodology to implement a Participatory Rapid Assessment - PRA, performed through interviews conducted with 15 of the county fairground. It was found that most merchants have little schooling because of their lack of opportunity to study. Regarding the monthly income of the fairground, it was found that 80% of respondents have incomes between R$ 300.00 to R$ 600.00 and R$ 600.00 to R$ 900.00. It was also found that 73% of respondents have their own garden, which is a factor that may contribute to a higher monthly income. The vendors are able to reproduce itself over time, this fact is provided by the aggregation of values coming from other activities, for more than 60% of them have other jobs, which may indicate that the letter as a marketer is just a fleeting thing, to supply possible financial needs of the family group.

KEY-WORDS: Free fairs, Marketers, Altamira, Rapid Rural Appraisal, Association.

Marketers, Altamira, Rapid Rural Appraisal, Association. 10ª Semana de Integração das Ciências Agrárias –
Marketers, Altamira, Rapid Rural Appraisal, Association. 10ª Semana de Integração das Ciências Agrárias –

10ª Semana de Integração das Ciências Agrárias SICA: 15 a 19 de Novembro de 2010

INTRODUÇÃO

As feiras livres constituem-se em canais de distribuição mais eficientes para os produtos hortícolas, porque propiciam uma melhor troca de informações e experiências entre os produtores e os consumidores, proporcionando uma nova percepção da produção e comercialização de produtos. Este canal possibilita, em geral, uma melhor remuneração para os produtores e menores preços para os consumidores (Schultz, Ávila e Nascimento, 2001). A feira livre é um caminho que relaciona diretamente vendedor e consumidor final, permitindo que haja interferência na escolha do produto (que fica exposto ao manuseio ou prova) e barganha de preço, além da oferta de produtos a preços mais acessíveis (COLLA et al., 2007; PINHEIRO; SÁ, 2007). De acordo com Vasques e Soares (2003), essas feiras são uma das formas mais importantes de organização dos pequenos produtores para a venda de seu produto, pois eliminam os intermediários, garantindo um maior lucro ao produtor e preços mais acessíveis aos consumidores. Diante do exposto, este trabalho tem como objetivo caracterizar o perfil socioeconômico de feirantes do município de Altamira-Pará, verificando se o trabalho como feirantes lhes garantem a reprodução ao longo do tempo.

MATERIAL E MÉTODOS

Este trabalho foi realizado no município de Altamira, oeste do Estado do Pará, em junho de 2010, onde utilizou-se como metodologia o Diagnóstico Rápido Participativo DRP, realizado por meio de entrevista e aplicação de questionários, onde foram entrevistados 15 feirantes e a Coordenadoria da Associação de Produtores Feirantes do município, estabelecidos na Feira Municipal de Altamira. As entrevistas foram realizadas através de abordagem direta aos feirantes, que ao autorizarem foram contemplados com questionamentos referentes à: idade e escolaridade dos produtores, renda, origem, principais práticas adotadas, mão-de-obra, principais produtos comercializados, dificuldades, anseios e outros. A abordagem à associação foi por meio de diálogo, para aquisição de informações sobre a mesma.

diálogo, para aquisição de informações sobre a mesma. 10ª Semana de Integração das Ciências Agrárias –
diálogo, para aquisição de informações sobre a mesma. 10ª Semana de Integração das Ciências Agrárias –

10ª Semana de Integração das Ciências Agrárias SICA: 15 a 19 de Novembro de 2010

RESULTADOS E DISCUSSÃO

Através das entrevistas junto aos feirantes e à associação municipal verificou-se importantes características acerca do perfil dos feirantes, da forma como conduzem a feira e a importância da mesma para a manutenção familiar. Verificou-se com as entrevistas que grande parte dos feirantes é natural do município de Altamira e que 67% apresentam faixa etária entre 40 e 60 anos de idade; 33% estão na faixa dos 20-40 anos. Com relação à escolaridade averiguou-se que 87% possuem o Ensino Fundamental incompleto; 6 % são analfabetos e os outros 7% possuem o Ensino Médio completo (Gráfico

01).

os outros 7% possuem o Ensino Médio completo (Gráfico 01). Gráfico 01: Escolaridade dos Feirantes entrevistados

Gráfico 01: Escolaridade dos Feirantes entrevistados no município de Altamira

Estes resultados indicaram que a maioria dos feirantes são pessoas de baixa escolaridade. Este fato é decorrente da falta de oportunidade e incentivo, visto que, os mesmos quando jovens não tiveram condições de estudar, já que tinham que trabalhar para contribuir no orçamento de suas famílias. Em relação à renda mensal dos feirantes, constatou-se que 7% dos entrevistados possuem renda que varia entre R$ 100,00 e R$ 300,00, 7% possuem renda que variam entre R$ 900,00 e R$ 1.200,00 e outros 7%, tem renda entre R$ 1.200,00 e R$ 2.000,00. O restante somado possui uma renda entre R$ 300,00 a R$ 600,00 e R$ 600,00 a R$ 900,00, conforme pode ser visto no Gráfico 02:

600,00 a R$ 900,00, conforme pode ser visto no Gráfico 02: 10ª Semana de Integração das
600,00 a R$ 900,00, conforme pode ser visto no Gráfico 02: 10ª Semana de Integração das

10ª Semana de Integração das Ciências Agrárias SICA: 15 a 19 de Novembro de 2010

Gráfico 02: Renda dos Feirantes entrevistados no município de Altamira Constatou-se que as distribuições de

Gráfico 02: Renda dos Feirantes entrevistados no município de Altamira

Constatou-se que as distribuições de renda mensais acompanham o grau de instrução dos feirantes. Os feirantes enquadrados entre os maiores percentuais de renda, também se encontram entre os mais instruídos, onde os 7% que compreendem os feirantes que possuem uma renda mensal de R$ 1.200 a R$ 2.000 assim detalhado no Gráfico 2, renda máxima alcançada entre os pesquisados, são os mesmos 7% expressos no Gráfico 1 como os feirantes com maior nível escolar. Os 87% demonstrados no Gráfico 1, compreendem os feirantes com o segundo maior grau de instrução e são eles que dividem as últimas três maiores renda que unidas também somam o resultado de 87%. O mais baixo valor de renda mensal constatado pela pesquisa varia entre R$ 100 a R$ 300, valor que representa a renda mensal de 6% dos feirantes entrevistados, os mesmos 6% que integram o percentual de analfabetos apontado no Gráfico 1. Essa constatação possibilita fazer uma co-relação entre o nível de escolaridade e a renda dos feirantes, demonstrando que os feirantes com um volume de vendas e clientes maiores, são os mesmos que investiram mais em seus estudos e em sua educação. No que diz respeito à mão-de-obra, constatou-se que 67% dos feirantes que trabalham no mercado municipal da cidade utilizam principalmente a mão-de-obra familiar no trabalho relativo à feira. Além disso, essa mesma percentagem de entrevistados possui outras atividades além da comercialização de olerícolas na feira, o que demonstra que na maior parte dos casos, o trabalho como feirante é realizado para complementar a renda familiar, não sendo, portanto, a única atividade para manutenção dos mesmos.

portanto, a única atividade para manutenção dos mesmos. 10ª Semana de Integração das Ciências Agrárias –
portanto, a única atividade para manutenção dos mesmos. 10ª Semana de Integração das Ciências Agrárias –

10ª Semana de Integração das Ciências Agrárias SICA: 15 a 19 de Novembro de 2010

Verificou-se também que 73% dos entrevistados possuem sua própria horta, o que

conseqüentemente irá agregar mais lucro, visto que, o produto não passa por atravessadores.

Desse modo, a comercialização é realizada tanto na horta quanto na feira, aproveitando os

dias de pico do comércio que são sexta-feira e sábado.

Em relação à adesão dos feirantes à Associação de Feirantes de Altamira, 73% são

associados. Tal resultado deve-se ao fato de que em alguns casos, a prática de feirante é a

principal atividade, sendo realizada momentaneamente para suprir eventuais necessidades.

CONCLUSÕES

A maioria dos feirantes, no caso do município de Altamira são pessoas que possuem

um baixo grau de escolaridade e utilizam o trabalho como feirante como uma estratégia de

obtenção de lucro, visto que, não têm qualificação profissional para outros trabalhos.

Através da renda proporcionada pelo trabalho na feira, a maioria dos feirantes

consegue manter-se e manter a família, conseguindo se reproduzir ao longo do tempo, fato

este proporcionado pela agregação de valores provindos de outras atividades, pois mais da

metade dos feirantes possuem outros empregos, o que pode ser indício de que o ofício como

feirante é apenas algo passageiro, para suprir eventuais necessidades financeiras do grupo

familiar.

LITERATURA CITADA

SCHULTZ, G.; ÁVILA, E.; NASCIMENTO, L. F. M. do. 2001. As cadeias produtivas de

alimentos orgânicos dos municípios de Porto Alegre/RS frente á evolução das demandas do mercado: lógica de produção com distribuição. Congresso Internacional de Economia e

Ribeirão Preto: Universidade de São

Gestão dos Negócios Agro alimentares, 3. Anais Paulo: (CD-ROM).

COLLA, C.; et al. A escolha da feira livre como canal de distribuição para produtos da agricultura familiar de Cascavel - PR. In: CONGRESSO DE ECONOMIA E

SOCIOLOGIA RURAL SOBER, 45, 2007, Londrina: Anais

Londrina: SOBER, 2007.

SALVADOR: Prefeitura Municipal Diagnóstico sobre a Feira de São Joaquim subsídios para o plano de intervenção Salvador: OCEPLAN, 1979.

VASQUES, F.; SOARES, A. Cinturão verde e preservação ambiental. Revista da Emater, Minas Gerais. v. 78, p. 12-13, 2003.

. Revista da Emater, Minas Gerais. v. 78, p. 12-13, 2003. 10ª Semana de Integração das
. Revista da Emater, Minas Gerais. v. 78, p. 12-13, 2003. 10ª Semana de Integração das

10ª Semana de Integração das Ciências Agrárias SICA: 15 a 19 de Novembro de 2010