PODER JUDICIÁRIO FEDERAL

JUSTIÇA DO TRABALHO

TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 1ª REGIÃO
Gab Des Evandro Pereira Valadao Lopes Av. Presidente Antonio Carlos,251 6o andar - Gab.54 Castelo Rio de Janeiro 20020-010 RJ

PROCESSO: 0208800-79.2009.5.01.0223 - RTOrd Acórdão - 7a Turma

DECISÃO FUNDAMENTADA EM DEPOIMENTO PESSOAL INEXISTENTE RETORNO DOS AUTOS AO JUÍZO DE ORIGEM PARA PROFERIR UMA NOVA DECISÃO Sentença proferida com base em fundamentos inexistentes nos autos revelase contrária ao preceito estabelecido pelo artigo 458, II do Código de Processo Civil, aplicável subsidiariamente ao processo do trabalho por autorização do artigo 769 da Consolidação das Leis do Trabalho, resultando em nulidade absoluta. Por conseguinte, os autos devem retornar ao Juízo de origem, a fim de que profira nova decisão. Vistos estes autos de Recurso Ordinário em que figuram como recorrente, JÚLIO CESAR DOS SANTOS ALVES e, como recorridos, MULTIPROF – COOPERATIVA MULTIPROFISSIONAL DE SERVIÇOS e MUNICÍPIO DE NOVA IGUAÇU. RELATÓRIO Em 08.04.2010, o MM. Juízo da 3ª Vara do Trabalho de Nova Iguaçu, por meio da r. sentença de fls. 149/150, da lavra da Exma. Juíza Adriana Freitas de Aguiar, julgou improcedentes os pedidos formulados por Julio Cesar dos Santos Alves em face de Multiprof – Cooperativa Multiprofissional de Serviços e Município de Mesquita. Inconformada, a parte autora interpôs recurso ordinário, às fls. 151/153. Pretende, em síntese, o reconhecimento da nulidade da r. Sentença, alegando que a decisão “não fez conhecer às partes a sua fundamentação, ou seja, suas razões de decidir, tornando-a nula de pleno direito, haja vista que impede ao reclamante o direito de impugná-la”. Requer a declaração de nulidade da r. sentença, determinando-se ao juízo a quo, que profira outra devidamente fundamentada.

6323

PROCESSO: 0208800-79.2009.5.01.0223 - RTOrd

1

RTOrd Contrarrazões oferecidas pelo primeiro réu (Multiprof – Cooperativa Multiprofissional de Serviços). revelando-se contrária aos preceitos contidos nos artigos 131 e 6323 PROCESSO: 0208800-79. tornando inválida a sentença.2009. VOTO Pronunciamento de nulidade do julgado. Ltr. uma vez que baseada em fato inexistente. da decisão guerreada. consta a menção ao depoimento pessoal do reclamante como uma das provas que embasam o convencimento do i. II. no mérito. sentença por entender que a mesma encontra-se desprovida de fundamentação. portanto. nos presentes autos. Deste modo.RTOrd 2 .(In Curso de Direito Processual do Trabalho. IX do Código de Processo Civil. que. da lavra do i. Julgador de primeiro grau.162/164. data venia. por meio do parecer de fl. às fls. desde que o faça com base na prova existente nos autos”. o magistrado tem ampla liberdade na formação do seu convencimento jurídico acerca dos fatos da causa. O d. a r.01. Presidente Antonio Carlos.0223 .5. Com efeito. entretanto. Ministério Público do Trabalho. ressaltou que “Com efeito. decisão entendeu que ao reclamante incumbia o ônus de “comprovar a existência de vínculo de trabalho subordinado. opina-se pela anulação da r. Ao discorrer sobre a necessidade da fundamentação da sentença. Sentença e retorno dos autos à vara de origem.251 6o andar . que a prestação jurisdicional encontra-se eivada de vício. com reabertura de instrução. Ocorre. às fls. opinou pelo conhecimento do recurso e.54 Castelo Rio de Janeiro 20020-010 RJ PROCESSO: 0208800-79. conforme dispositivo no artigo 485. por inobservância de requisito essencial da sentença A parte autora pretende o reconhecimento da nulidade da r.5.2009). Procurador Eduardo Andrea. Vol. o que a torna passível de ação rescisória. o processualista Manoel Antonio Teixeira Filho elucida que: “Hoje.167. não logrou êxito. mormente a se considerar os dados do depoimento pessoal”. não há depoimento pessoal.PODER JUDICIÁRIO FEDERAL JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 1ª REGIÃO Gab Des Evandro Pereira Valadao Lopes Av.Gab. Evidencia-se. e edição de novo julgamento”.0223 . sem arguições preliminares. a meu ver.01. Ora.155/157 e pelo segundo réu (Município de Mesquita). um exame dos autos do processo permite a constatação de que a parte autora não prestou depoimento pessoal na presente demanda. tarefa em que.2009.

razão pela qual impõe-se o reconhecimento de sua nulidade. para que outra decisão seja prolatada. II do Código de Processo Civil. importaria inevitavelmente na conhecida supressão de instância.PODER JUDICIÁRIO FEDERAL JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 1ª REGIÃO Gab Des Evandro Pereira Valadao Lopes Av. contudo. o caso dos autos. em decorrência da nulidade da sentença em exame.2009. sentença.01. em obediência aos preceitos legais ora ofendidos. alínea "a" da Consolidação das Leis do Trabalho).5. Vara de origem. Não é esse. Juiz EVANDRO PEREIRA VALADÃO LOPES Relator avpb 6323 PROCESSO: 0208800-79. Presidente Antonio Carlos. porquanto o julgamento da questão meritória – tal qual como apresentada em juízo -.Gab. sentença. conhecer do recurso ordinário interposto pela parte autora e anular a r. devidamente fundamentada. por unanimidade. sentença e determino o retorno dos autos à MM. A nulidade não deve ser pronunciada quando “for possível suprir-se a falta ou repetir-se o ato” (artigo 796. conheço do recurso ordinário interposto pela parte autora e anulo a r. II do Código de Processo Civil.0223 . além de não ser da competência originária deste órgão colegiado.RTOrd 3 . a fim de que outra seja proferida.RTOrd 458. Vara de origem.01.0223 . impõe-se a declaração de sua nulidade.54 Castelo Rio de Janeiro 20020-010 RJ PROCESSO: 0208800-79. Rio de Janeiro. Vara de origem.251 6o andar . em obediência aos preceitos estabelecidos nos artigos 131 e 458. Relatados e discutidos.5. anulo a r. a fim de determinar o retorno dos autos à MM. Verificada a existência de prejuízo à parte autora. 29 de junho de 2011. a fim de determinar o retorno dos autos à MM. para que outra decisão seja prolatada. em obediência aos preceitos estabelecidos nos artigos 131 e 458. A C O R D A M os Desembargadores da 7ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho da Primeira Região. II do Código de Processo Civil. para que outra decisão seja prolatada. Por todas essas razões.2009. Pelo exposto.