You are on page 1of 5

AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DE VILA FLOR

AVALIAÇÃO EFECTUADA PELO COORDENADOR DE DEPARTAMENTO DE _______________ A _____________

AVALIADOR: ____________________________________________________________________
AVALIADO: _____________________________________________________________________ GRUPO DE RECRUTAMENTO ____

PRÉ-ESCOLAR
2008/2009

A – Preparação e organização das actividades lectivas N


A.1 Correcção científico-pedagógica e didáctica da planificação das actividades educativas
Planificou sempre tendo em conta as áreas de conteúdo das orientações curriculares, atendendo aos objectivos gerais, competências e
interesses das crianças. Verificou-se de forma clara e objectiva que a planificação se enquadrou e articulou com o PE, PAA e o PCT a curto 10
médio e longo prazo.
Planificou com frequência tendo em conta as áreas de conteúdo das orientações curriculares, atendendo aos objectivos gerais, competências
e interesses das crianças. Verificou-se que a planificação se articulou com o PE, o PAA e o PCT a curto, médio e longo prazo.
8
Planificou com correcção e numa perspectiva interdisciplinar articulando com o PE, PAA e PCT. Estavam implícitos os conteúdos
7
programáticos e verificou-se um bom domínio de conhecimentos.
Planificou as actividades um pouco desordenadamente. 6
Não planificou as actividades educativas que realiza. 3
A.2 Adequação do processo educativo às necessidades de cada criança e do grupo, tendo em conta o seu nível etário e
desenvolvimento.
Para além de diversificar adequou sempre e com muito rigor as estratégias de ensino e aprendizagem às áreas de conteúdo, às necessidades
das crianças atendendo à sua faixa etária e seu desenvolvimento.
10
Adequou frequentemente e com rigor as estratégias de ensino e aprendizagem às áreas de conteúdo, às necessidades das crianças, atendendo
à sua faixa etária e seu desenvolvimento.
8
Adequou correctamente as estratégias de ensino e de aprendizagem às áreas de conteúdo, às necessidades das crianças atendendo à sua faixa
7
etária e seu desenvolvimento.
Arranjou estratégias de ensino e de aprendizagem, mas nem sempre as adequou às áreas de conteúdo, às necessidades das crianças, à sua
faixa etária e seu desenvolvimento.
6
Não ajustou estratégias do processo educativo nem as adequou às áreas de conteúdo, às necessidades das crianças e seu desenvolvimento. 3
A.3 Criação de condições para a participação das crianças no planeamento das actividades educativas.
Criou sempre todas as condições para a participação das crianças no planeamento das actividades educativas, atendendo sempre às suas
sugestões e promoveu um ambiente democrático e de diálogo na sua prática educativa.
10
Criou com frequência condições para as crianças participarem no planeamento das actividades educativas, tendo em conta as sugestões das
mesmas e promoveu um clima de diálogo na sua prática educativa.
8
Criou condições para as crianças poderem participar no planeamento das actividades educativas e muitas vezes teve em consideração as suas
7
sugestões.
Só às vezes atendeu às sugestões das crianças para planear as actividades educativas. 6
Nunca teve em conta a participação das crianças no planeamento das actividades educativas nem atendeu às suas sugestões. 3

1
A.4 Diversidade, adequação e correcção das metodologias e recursos didáctico-pedagógicos utilizados para o
desenvolvimento de um currículo integrado.
Utilizou muita diversidade e de forma inovadora, adequou estratégias, melhorou metodologias e recursos didáctico-pedagógicos,
10
sistematicamente para desenvolvimento de um currículo integrado.
Diversificou, inovou e adequou com frequência estratégias, corrigiu metodologias e recursos didático-pedagógicos para concretização de um
currículo integrado.
8
Diversificou e adequou estratégias e metodologias quando necessário, com vista a concretização de um currículo integrado. 7
Diversificou pouco e usou metodologias adequadas e recursos didáctico-pedagógicos visando um currículo integrado. 6
Não diversificou nem adequou metodologias e recursos didático-pedagógicos visando um currículo integrado. 3

B – Realização das actividades educativas


B.1 Cumprimento dos objectivos e das actividades educativas nas diferentes áreas de conteúdo tendo em conta as
orientações curriculares.
Atingiu sempre os objectivos a que se propôs, cumpriu na íntegra o desenvolvimento das actividades educativas das diferentes áreas de
10
conteúdo de uma forma abrangente e transversal proporcionando aprendizagens significativas de acordo com as orientações curriculares.
Atingiu com frequência os objectivos a que se propôs, cumpriu o desenvolvimento das actividades educativas das diferentes áreas de
8
conteúdo de uma forma abrangente e transversal proporcionando aprendizagens significativas de acordo com as orientações curriculares.
Atingiu os objectivos a que se propôs e desenvolveu actividades educativas das diferentes áreas de conteúdos de forma abrangente
7
proporcionando aprendizagens significativas de acordo com as orientações curriculares.
Raramente atingiu os objectivos a que se propôs e desenvolveu actividades educativas das diferentes áreas de conteúdos de forma
6
abrangente proporcionando aprendizagens significativas de acordo com as orientações curriculares.
Não atingiu os objectivos e nem sempre cumpriu o desenvolvimento das actividades relativas às diferentes áreas de conteúdos propostas nas
3
orientações curriculares.
B.2 Utilização de metodologias e recursos didáctico-pedagógico adequados ao desenvolvimento da linguagem oral, da
abordagem à escrita e à matemática.
Utilizou sempre metodologias inovadoras, estratégias diversificadas e, muito estimulantes bem como recursos perfeitamente adequados ao
desenvolvimento da linguagem oral, abordagem à escrita e à matemática que vão de encontro aos interesses e propostas das crianças.
10
Utilizou frequentemente metodologias inovadoras, estratégias diversificadas que vão de encontro aos interesses e propostas das crianças,
8
bem como recursos didácticos bastante adequados ao desenvolvimento da linguagem oral, abordagem à escrita e à matemática.
Utilizou metodologias, estratégias e recursos didácticos diversificados e adequados ao desenvolvimento da linguagem oral, abordagem à
7
escrita e á matemática que vão de encontro aos interesses e propostas das crianças.
Utilizou poucas vezes metodologias, e recurso didáctico-pedagógicos adequados que estimulem nas crianças a aquisição de competências
que facilitem o desenvolvimento da linguagem oral abordagem à escrita e à matemática que vão de encontro aos interesses e propostas das 6
crianças.
Não utilizou metodologias nem recursos didáctico-pedagógicos adequados que estimulem nas crianças a aquisição de competências que
facilitem o desenvolvimento da linguagem oral abordagem à escrita e à matemática que vão de encontro aos interesses e propostas das 3
crianças.

2
B.3 Criação de situações e de experiências de aprendizagem no domínio das expressões motora, dramática, plástica e
musical.
Criou sempre situações enriquecedoras e excelentes experiências que levaram a novas vivências e aprendizagens significativas nos domínios
10
das expressões motora, dramática, plástica e musical.
Criou frequentemente situações enriquecedoras e experiências muito boas que levaram a novas vivências e aprendizagens significativas nos
domínios das expressões motora, dramática, plástica e musical.
8
Criou situações enriquecedoras e boas experiências que levaram a novas vivências e aprendizagens significativas nos domínios das
expressões motora, dramática, plástica e musical.
7
Por vezes criou situações e experiências que levaram a novas vivências e aprendizagens significativas nos domínios das expressões motora,
6
dramática, plástica e musical.
Não criou situações nem experiências que levaram a novas vivências e aprendizagens significativas nos domínios das expressões motora,
dramática, plástica e musical.
3
B.4 Capacidade de comunicação e animação no desenvolvimento das actividades educativas.
Demonstrou excelente capacidade de comunicação de animação, sensibilidade, de bom tacto e encaminhamento no desenvolvimento das
10
actividades educativas.
Demonstrou grandes capacidades de comunicação, de animação, e bom encaminhamento no desenrolar das actividades educativas. 8
Demonstrou facilidade de comunicação, de animação, improviso e bom encaminhamento no desenrolar das actividades educativas. 7
Demonstrou alguma capacidade de comunicação, animação, improviso e encaminhamento no desenrolar das actividades educativas. 6
Demonstrou falta de capacidade de comunicação e animação no desenvolvimento das actividades educativas. 3

C – Relação pedagógica com os alunos


C.1 Promoção de um clima favorável à aprendizagem, ao bem-estar e ao desenvolvimento afectivo, emocional e social
dos alunos
Promoveu sempre um clima harmonioso, muito favorável à aprendizagem, à autonomia, ao desenvolvimento afectivo, emocional e social
10
das crianças, notando-se um ambiente muito saudável, tranquilo, compreensivo e de grande cumplicidade.
Promoveu frequentemente um clima harmonioso, favorável à aprendizagem, à autonomia, ao desenvolvimento afectivo, emocional e social
das crianças, notando-se um ambiente saudável, tranquilo, compreensivo e de grande cumplicidade.
8
Promoveu um clima, favorável à aprendizagem, à autonomia, ao desenvolvimento afectivo, emocional e social das crianças, notando-se um
7
ambiente saudável, tranquilo, compreensivo e de cumplicidade.
Promoveu poucas vezes um clima favorável à aprendizagem, à autonomia, ao desenvolvimento emocional e social das crianças, notando-se
um clima tranquilo compreensivo e de alguma cumplicidade.
6
Não promoveu um clima favorável à aprendizagem, à autonomia, ao desenvolvimento afectivo, emocional e social das crianças. 3
C.2 Criação de um ambiente educativo favorável ao desenvolvimento das aprendizagens e ao interesse das crianças
pelas actividades educativas.
Criou, organizou e dinamizou sempre um ambiente educativo favorável ao desenvolvimento das aprendizagens e promoveu sempre e
activamente o interesse das crianças pelas actividades educativas.
10
Criou e organizou com frequência um ambiente educativo favorável ao desenvolvimento das aprendizagens e promoveu com bastante
frequência o interesse das crianças pelas actividades educativas.
8
Criou e organizou um ambiente educativo favorável ao desenvolvimento das aprendizagens e promoveu o interesse das crianças pelas
7
actividades educativas.
Criou um ambiente educativo favorável ao desenvolvimento das aprendizagens mas nem sempre promoveu o interesse das crianças pelas
actividades educativas.
6
Não criou um ambiente educativo favorável ao desenvolvimento das aprendizagens nem motivou as crianças para as actividades educativas. 3
3
C.3 Concessão de iguais oportunidades de participação, promoção da integração das crianças e da adopção de regras de
convivência, colaboração e respeito.
Proporcionou sempre iguais oportunidades de participação, promoveu de uma forma muito agradável a integração das crianças e adoptou
10
regras de convivência de muita empatia, bem como o espírito de grupo e respeito mútuo.
Proporcionou frequentemente iguais oportunidades de participação, promoveu de uma forma agradável a integração das crianças e adoptou
regras de convivência de muita empatia, bem como o espírito de grupo e de respeito mútuo.
8
Proporcionou iguais oportunidades de participação, promoveu de uma forma agradável a integração das crianças e adoptou regras de
convivência de empatia, bem como o espírito de grupo e de respeito mútuo.
7
Proporcionou poucas oportunidades de participação, promoveu a integração das crianças e adoptou regras de convivência, colaboração e
6
respeito.
Não proporcionou iguais oportunidades de participação nem promoveu a integração e não adopta regras de convivência, colaboração e
respeito
3
C.4 Equilíbrio no exercício da autoridade e adequação das acções desenvolvidas para a manutenção da disciplina na sala
de aula
Exerceu sempre com muito equilíbrio e eficácia a autoridade e adequou com muito sucesso as estratégias necessárias para um excelente
10
funcionamento da disciplina na sala de aula.
Exerceu com equilíbrio, eficácia a autoridade e adequou com muito sucesso as estratégias necessárias para um bom funcionamento da
disciplina na sala de aula.
8
Exerceu com equilíbrio a autoridade e adequou com sucesso as estratégias necessárias para um bom funcionamento da disciplina na sala de
7
aula.
Exerceu a autoridade mas nem sempre adequou as estratégias necessárias para o funcionamento da disciplina na sala de aula. 6
Não exerceu a autoridade nem adequou as estratégias necessárias para o funcionamento da disciplina na sala de aula. 3

D– Avaliação das aprendizagens dos alunos


D.1 Diversidade e adequação das técnicas e instrumentos de avaliação e registo da avaliação diagnostica e formativa das
aprendizagens de cada criança e do grupo.
Diversificou e adequou sempre de forma intencional técnicas, instrumentos de observação e registos de avaliação das aprendizagens de cada
criança e do grupo, obtendo assim as informações necessárias.
10
Diversificou e adequou frequentemente técnicas, instrumentos de observação e registos de avaliação das aprendizagens de cada criança e do
grupo, obtendo assim as informações necessárias.
8
Diversificou técnicas, instrumentos de observação e registos de avaliação das aprendizagens de cada criança e do grupo obtendo, assim as
7
informações necessárias.
Raramente diversificou e adequou técnicas, instrumentos de observação e registos de avaliação das aprendizagens de cada criança e do
6
grupo obtendo, assim as informações necessárias.
Não diversificou nem adequou técnicas, instrumentos de observação e registos de avaliação das aprendizagens de cada criança e do grupo. 3
D.2 Regularidade da avaliação e da informação aos pais e encarregados de educação sobre as capacidades e
competências das crianças e sobre o respectivo desenvolvimento.
Organizou e procedeu sempre à avaliação e informação sobre as capacidades e as competências das crianças e respectivo desenvolvimento,
aos pais e encarregados de educação.
10
Organizou e procedeu frequentemente à avaliação e informação aos pais e encarregados de educação sobre as capacidades e competências
8
das crianças e sobre o respectivo desenvolvimento.
Organizou e procedeu à avaliação e informação aos pais e encarregados de educação sobre as capacidades e competências das crianças e
sobre o respectivo desenvolvimento.
7

4
Procedeu sem regularidade à avaliação e informação aos pais e encarregados de educação sobre as capacidades e competências das crianças
e sobre o respectivo desenvolvimento.
6
Não procedeu à avaliação e informação aos pais e encarregados de educação sobre as capacidades e competências das crianças e respectivo
3
desenvolvimento.
D.3 Utilização da avaliação formativa das crianças na preparação, organização e na realização das actividades
educativas.
Teve sempre em conta as competências adquiridas pelas crianças, identificou com rigor o percurso das aprendizagens e as dificuldades das
10
mesmas, para planificação e realização das actividades educativas.
Teve frequentemente em conta as competências adquiridas, pelas crianças, identificou frequentemente o percurso das aprendizagens e as
8
dificuldades das mesmas, para planificação e realização das actividades educativas.
Teve em conta as competências adquiridas pelas crianças, identificou as necessidades e dificuldades das mesmas para a planificação e
realização das actividades educativas.
7
Raramente teve em conta as competências, o percurso das aprendizagens e as dificuldades das crianças de modo a planificar e a realizar as
6
actividades educativas.
Não teve em conta a avaliação formativa das crianças de modo a planificar e realizar as actividades educativas. 3
D.4 Participação das crianças na avaliação das actividades educativas realizadas.
Promoveu sempre de forma organizada o incentivo à participação de todas as crianças na avaliação das actividades educativas realizadas,
10
integrando-a como forma reguladora da aprendizagem das mesmas.
Promoveu sempre e incentiva a participação das crianças na avaliação das actividades educativas realizadas, integrando-a como forma
reguladora da aprendizagem das mesmas.
8
Promoveu o incentivo à participação das crianças na avaliação das actividades educativas realizadas, integrando-as como forma reguladora
7
da aprendizagem das mesmas.
Raramente promoveu a participação das crianças na avaliação das actividades educativas realizadas. 6
Não promoveu a participação das crianças na avaliação das actividades educativas realizadas. 3

O avaliador _______________________________, em ____/____/______