You are on page 1of 8

Maioridade civil e exoneração de alimentos no novo Código Civil - Revista Jus Nav...

Página 1 de 8

ASSINE 0800 703 3000

BATE-PAPO

E-MAIL

SAC

Voip

E-Mail Grátis

Shopping

ÍNDICE PRINCIPAL

Ir direto ao conteúdo

Cadastre-se | Entrar Revista Doutrina + Peças | Fórum | Blogs | Especialistas

Blog da Equipe | Siga-nos no Twitter

Advocacia Especializada Separação, Inventário, Alimentos (11) 3862-2496
www.candeiasebajjani.com.br

Guarda Compartilhada História real relatada por um Pai. Receba o Livro pelo custo de 10,00
www.guardacompartilhada.com.br

Parte Geral Direito Civil Estude Direito Civil com as nossas Videoaulas e passe no exame da OAB!
passenoexamedeordem.com.br/Direito

Revista Artigo

Maioridade civil e exoneração de alimentos no novo Código Civil
«Página 1 de 1» Almir Ismael Barbosa

a A Versão para impressão Recomende esse texto Nota do artigo: Vote
Curtir 4

http://jus.uol.com.br/revista/texto/3846/maioridade-civil-e-exoneracao-de-alimentos-n... 15/03/2011

pela sua idade. mesmo que já estando o filho. ainda. quando mesmo assim convivendo um se negue a contribuir com o necessário para a sobrevivência do filho(a).924/2009 e seus reflexos na árvore genealógica familiar A instituição do parto anônimo A dissolução da sociedade conjugal e a psicanálise Uma defesa garantista da adoção homoafetiva Análise do discurso jurídico acerca da infidelidade conjugal feminina em interface com a literatura http://jus. art. por outro lado. certamente este tema será amplamente debatido em nossos Tribunais. apto para o trabalho em face da legislação específica"1. mas sim o cumprimento da obrigação genérica de alimentar os filhos.. sendo que uma delas diz respeito aos efeitos que tal medida terá em virtude da antecipação da extinção do poder familiar e conseqüente cessação do dever de sustento que gera a obrigação alimentar decorrente do poder familiar. arts. neste trabalho será rapidamente analisada a diferença entre pensão alimentícia decorrente do poder familiar e aquela proveniente da relação de parentesco.. que subsiste sempre enquanto perdurar o pátrio poder. para depois ser estudado aquilo que pode mudar em relação à exoneração de alimentos pela extinção do poder familiar.com. faz com que os pais tenham diversos deveres. o dever de sustento não requer uma prestação em dinheiro. De se notar que o dever de sustento não deve ser confundido com a obrigação alimentar decorrente do parentesco (novo Código Civil.Maioridade civil e exoneração de alimentos no novo Código Civil . entre os quais está o dever de sustento. 15/03/2011 . 1630 a 1638) dá aos pais diversos direitos para que possam criar seus filhos sob proteção do Estado. Página 2 de 8 INTRODUÇÃO Com a mudança da maioridade civil trazida pelo novo Código Civil surgiram diversas dúvidas em relação ao alcance de tal alteração.uol. 1 – PENSÃO ALIMENTÍCIA EM DECORRÊNCIA DO PODER FAMILIAR O poder familiar (novo Código Civil. transformando-se em prestação pecuniária somente quando não há possibilidade de ambos os pais conviverem sob o mesmo teto ou.Revista Jus Nav. Iniciada a vigência do novo Código Civil. mas. Destarte. posto que a nova lei não trouxe em seu contexto qualquer menção acerca do alcance de tal mudança no que concerne aos alimentados que têm entre 18 e 21 anos na data do início da vigência da nova Lei Civil. Textos relacionados A Lei nº 11. Destarte. posto que naquele "a precariedade da condição econômica do genitor não tem o condão de exonerá-lo dessa obrigação.. 1694)..br/revista/texto/3846/maioridade-civil-e-exoneracao-de-alimentos-n.

inclusive para atender as necessidades de sua educação".3 Por fim. descendentes maiores.. inciso IV e 1724. ritalauria. Destarte. guarda e educação dos filhos menores. Ações no RJ .com Legislação Imobiliária Tudo Sobre Leis. Além disso. III). Consulte! DiarioDasLeis. Pagamento parcelado.Revista Jus Nav. de tal sorte que a única diferença que realmente traz é a mudança da maioridade civil para 18 anos (novo Código Civil. posto que não se pode onerar o parente obrigado de modo que este não possa suportar o encargo sem prejuízo de sua própria subsistência. sendo o concubinato puro. sendo que este último. 229. 2 – PENSÃO ALIMENTÍCIA EM DECORRÊNCIA DO PARENTESCO O Código Civil anterior (de 1916) trazia em seus artigos 396 a 405 regra concernente à obrigação de prestação alimentícia decorrente da relação de parentesco.. desde que com ele tenha vivido ou dele tenha prole.com. a qual gera como conseqüência a antecipação da extinção do poder familiar (novo Código Civil.br/LeiImobiliaria Divórcio Rápido em Cartório. Ligue (21) 3473-5734. 1635. no interesse destes.br Em nossa codificação civil anterior (Código Civil de 1916).com Divórcios e Separações Advogados Especializados. a obrigação de cumprir e fazer cumprir as determinações judiciais". sendo que a pensão alimentícia entre cônjuges ou companheiros era tratada em leis extravagantes.com.blogspot. inc.somaconcursos. Jurisprudências. posto que ao tratar do tema nos artigos 1694 a 1710 estabeleceu no caput do artigo 1694 que "Podem os parentes.35218351 / 3208-1999 www. Diverso foi o entendimento do legislador ao estabelecer regras referentes à pensão alimentícia no Código Civil vigente. guarda e educação dos filhos" (inciso IV). § 1º). quer tenham eles origem na relação de parentesco. mas apenas os "ascendentes. 1ª parte).com. cabendo-lhes ainda. Já o novo Código Civil determina o dever de sustento nos artigos 1566. No mais.uol. art. irmãos germanos ou unilaterais e o ex-cônjuge. No mais. Página 3 de 8 Video Aula de Direito Video Aula de Direito . provando sua necessidade por não poder prover sua subsistência". a qual será logo mais estudada. art.Maioridade civil e exoneração de alimentos no novo Código Civil .br/revista/texto/3846/maioridade-civil-e-exoneracao-de-alimentos-n. o dever de sustento dos pais em relação aos filhos menores consta expressamente na Constituição Federal (art. o dever de sustento decorrente do exercício do poder familiar (naquele Código denominado pátrio poder) era encontrado na disposição do artigo 231 que trazia entre os deveres de ambos os cônjuges o de "sustento. ou adultos.. deve ser observado que não são todos os parentes que estão ligados pela obrigação alimentar.25 DVDs 107 Horas De Video Pague Ao Receber www. 1708 e parágrafo único). não podemos olvidar que os alimentos deverão sempre ser fixados com observância do binômio necessidadepossibilidade (novo Código Civil. sendo o primeiro referente aos deveres dos cônjuges no casamento e o segundo referente aos deveres dos companheiros na União Estável. os cônjuges ou companheiros pedir uns aos outros os alimentos de que necessitem para viver de modo compatível com a sua condição social. o ex-companheiro. art.. dissolvida a união estável por rescisão. trata-se promiscuamente dos alimentos. poderá pleitear alimentos ao outro. enquanto tiver procedimento digno e não vier a constituir nova união (CC. 5º). Contratos E Muito Mais. art. bem como no artigo 22 do Estatuto da Criança e do Adolescente (Lei nº 8069/90) que assim dispõe: "Aos pais incumbe o dever de sustento. de tal modo que subsiste como direito alimentar especial apenas aquele decorrente do poder familiar. apesar de não ser parente. quer sejam conseqüentes do rompimento do casamento ou da convivência"2. http://jus. 1694.lundgrenkroker. deve ser observado que "na sistemática proposta. em um só subtítulo. entre os artigos 1694 a 1710. é devedor de alimentos ante o dever legal de assistência em razão do vínculo matrimonial. 15/03/2011 .

PENSÃO ALIMENTÍCIA. independentemente da Sentença ser anterior ou posterior à entrada em vigor da lei nova. art. III).. salvo se este comprovar que é estudante e necessita dos alimentos para adimplir suas despesas escolares. no mais. determinado pelo artigo 3978. há que se observar que a pensão devida ao filho estudante após completar a maioridade civil fica sujeita à exoneração caso o pai ou mãe tenham sua condição econômica diminuída. art. MAIORIDADE CIVIL DA ALIMENTADA.7 Deve. No entanto.br/revista/texto/3846/maioridade-civil-e-exoneracao-de-alimentos-n.. neste particular o novo Código Civil não traz qualquer alteração. o dever de prestar aquela também cessa com a maioridade civil.5 Veja-se o exemplo de André Franco Montoro diferenciando direito adquirido de expectativa de direito: "diante de uma lei que exclui da sucessão os colaterais a partir do 4º grau. não tem garantia contra a lei nova". fácil será sustentar a subsistência da obrigação mesmo após alcançada a capacidade civil aos 18 anos. 1694). datado de 24/10/2002: "EMBARGOS À EXECUÇÃO. deve ser lembrado o que diz a respeito o artigo 6º da Lei de Introdução ao Código Civil (Decreto-lei nº 4. bem como o artigo 5º. por mais legítima que possa ser. logo. persiste o direito à prestação de alimentos. ou seja.Maioridade civil e exoneração de alimentos no novo Código Civil . são por isso alcançados pela nova lei e excluídos da sucessão. respeitados o ato jurídico perfeito. inc. mas sim do parentesco. assim dever ser observado que entre nós a lei é retroativa. o direito adquirido e a coisa julgada4. que já herdou porque a sucessão abriu-se antes da nova lei. anteriormente a esta o filho(a) menor tinha apenas uma expectativa de direito de receber a pensão até os 21 anos e como é cediço no mundo jurídico "a expectativa. sendo que qualquer mudança nesta alcançará a todos. ficando neste caso o alimentante obrigado a prestar alimentos até que o filho complete 24 anos. a obrigação se extingue com a maioridade civil do alimentado. o ato jurídico perfeito e a coisa julgada". ESTUDANTE. os colaterais do 4º grau têm apenas ‘expectativa de direito’. posto que mesmo que a Sentença tenha sido prolatada na vigência do Código Civil anterior (de 1916) não há que se falar em direito adquirido de receber pensão alimentícia até os 21 anos. salvo se da sentença constou expressamente que os alimentos seriam prestados até referida idade. de modo que impossibilite a prestação alimentícia sem prejuízo de sua própria subsistência. do Código Civil brasileiro. há possibilidade de exoneração do encargo alimentar quando o alimentado deles não mais necessita ou o alimentante não mais os pode prover por alterações em suas possibilidades supervenientes à Sentença que fixou os alimentos. um parente nessas condições. quando a pensão é decorrente do poder familiar. e não tiver condições de arcar sozinha com seus custos.. posto que alcançada esta se extingue automaticamente o poder familiar (novo Código Civil. inciso XXXVI. há que se observar os casos em que mesmo com o advento da maioridade civil a pensão deve ser prestada em virtude do filho continuar a estudar. no mais das vezes. VÍNCULO DE PARENTESCO. da Constituição Federal: "a lei não prejudicará o direito adquirido. se este se extingue com a maioridade civil. E mais. de tal sorte que a disposição contida no artigo 5º do novo Código Civil deve ser aplicada imediatamente. a obrigação alimentar decorrente do poder familiar cessa automaticamente com a maioridade civil do alimentado. por força do vínculo de parentesco.uol.com.9 Por fim.Revista Jus Nav. 15/03/2011 . posto que a possibilidade de exoneração após os 18 anos surgiu com o início da vigência da nova lei. Ainda que se reconheça que a obrigação decorrente do pátrio poder tenha se encerrado com a emancipação da filha. Página 4 de 8 3 – POSSIBILIDADES DE EXONERAÇÃO Em regra. http://jus."6 Destarte. ao se estabelecer expressamente que a pensão deve ser fixada ‘inclusive para atender às necessidades de sua educação’ (art. "aliás. este é o tema central deste trabalho. Por outro lado. e a nova lei não o atinge. art. pois com a entrada em vigor do novo Código Civil a maioridade civil que era alcançada aos 21 anos (Código Civil de 1916. 9º) passou a ocorrer aos 18 anos (novo Código Civil. 5º). Enquanto no caso de não ter havido ainda a sucessão. o mesmo ocorre com a pensão alimentícia decorrente do poder familiar. assim. ou seja. Aliás. o direito adquirido e a coisa julgada". ser observado que o reconhecimento do direito à pensão alimentícia ao filho estudante maior de 18 anos e menor de 24 anos não decorre do poder familiar. sendo respeitados apenas o ato jurídico perfeito. devemos observar que não se trata propriamente da lei retroagir." Assim. mormente se a alimentada estiver cursando faculdade. quando destinado o valor para mantença do filho estudante". Acerca do tema oportuno transcrever ementa do acórdão do processo nº 000273857-3/00 (1) do Tribunal de Justiça de Minas Gerais. Neste esteira. possibilitando a exoneração da pensão alimentícia do pai ou mãe que preste alimentos a filho(a) maior de 18 anos. 1635. dando ensejo a diversas discussões acerca do alcance de tal mudança.. tem um ‘direito adquirido’.657/42): "A lei em vigor terá efeito imediato e geral.

não há como aceitar que após a entrada em vigor do novo Código Civil alguém com mais de 18 anos continue recebendo pensão em virtude do poder familiar. Manual de Introdução ao Estudo do Direito. o inciso III do artigo 1635 do mesmo diploma legal dispõe que o poder familiar se extingue "pela maioridade".. Página 5 de 8 4 – CONCLUSÃO Para encetar devemos observar que o principal traço diferencial entre a pensão alimentícia decorrente do poder familiar e a decorrente do parentesco é que naquela... apesar do alimentante pagar de acordo com suas possibilidades. 1. mesmo nos casos em que na Sentença constou que a pensão seria paga até que o filho(a) completasse 21 anos. o pai ou a mãe têm a obrigação de prestar alimentos independentemente do filho (a) deles necessitar. p. 3 – DINIZ. Maria Helena. (citando lição do grande mestre Yussef Said Cahali) 2 – Extraído do texto de Francisco José Cahali in Direito de Família e o Novo Código Civil. na qual poderá ser requerida a tutela antecipada nos termos do artigo 273. http://jus. mesmo que seja apenas parcial para efeito de que as pensões sejam depositadas judicialmente até final decisão do processo. Da mesma forma. 9 – DINIZ. Assim. 2ª ed.com. Do Pátrio Poder. Curso de Direito Civil Brasileiro. p. sendo que o artigo 5º do novo Código Civil diz que "a menoridade cessa aos 18 anos completos". José Antonio de Paula. 8 – No novo Código Civil artigo 1696. André Franco. p. 6 – MONTORO.. Silvio. conquanto o alimentado(a) tenha direito a receber a pensão até referida idade em virtude da coisa julgada. 3ª ed. 2000. Introdução à Ciência do Direito. entendo que. v. p..Maioridade civil e exoneração de alimentos no novo Código Civil . 7 – Extraído do texto de Francisco José Cahali in Direito de Família e o Novo Código Civil. p. 2001.. 18ª ed. 1999. e ainda.. do Código de Processo Civil.. No que tange ao direito de receber pensão até os 21 anos ser direito adquirido para os casos que tiveram sentença proferida antes do início da vigência do novo Código Civil. p. p. 469. Cit. 15/03/2011 . uma expectativa de direito. obra coordenada por Maria Berenice Dias e Rodrigo da Cunha Pereira. São Paulo: Saraiva. 194. 110. é aconselhável que o pai ou mãe que desejar se ver livre do encargo alimentar após o filho completar a maioridade civil interponha ação de exoneração de alimentos (Note-se que há quem admita que tal pedido seja feito nos autos do processo em que foram fixados os alimentos). entendo que não é o caso. São Paulo: Saraiva. 395. há que se observar que a pensão paga ao filho estudante até 24 anos.. Op. 2002. desta forma. 2001.br/revista/texto/3846/maioridade-civil-e-exoneracao-de-alimentos-n. Belo Horizonte: Editora Editora Del Rey. 1994. sendo.. 4 – RODRIGUES. considerando-se que o dever de sustento se funda no poder familiar.205.Revista Jus Nav. São Paulo: Editora Revista dos Tribunais. no máximo. Belo Horizonte: Editora Editora Del Rey. São Paulo: Saraiva. não se verifica a necessidade do alimentado. Notas 1 – SANTOS NETO. Senão vejamos: tanto o artigo 229 da Constituição Federal como o artigo 22 do Estatuto da Criança e do Adolescente tratam de "filhos menores". Por fim. o filho(a) deverá provar sua necessidade. São Paulo: Editora Revista dos Tribunais. 468/469. obra coordenada por Maria Berenice Dias e Rodrigo da Cunha Pereira. 2ª ed. 2000. 5 – NUNES. v. 5 : direito de família. E mais. Direito Civil. 25ª ed.. 196/197. Maria Helena. completada a nova maioridade civil (18 anos) a pensão deixa de ser decorrente do poder familiar e passa a ser decorrente do parentesco. p. após este completar 18 anos é decorrente da relação de parentesco e. 30ª ed. apesar da extinção do poder familiar pela maioridade ocorrer independentemente de declaração judicial.uol. ou seja. inciso I. Luiz Antonio Rizzatto. 31.

. Civil.com.com... 15/03/2011 .. feed.fooddesign.br/processualcivil Livros Práticos Jurídicos Áreas Penal. www.uol.Revista Jus Nav.shoppingdoadvogado. Página 6 de 8 Versão para impressão Recomende esse texto Nota do artigo: Vote Curtir 4 0 E-mails dos Destinatários (Separados por vírgula) Seu nome Seu e-mail Comentário Enviar Pós Graduação em SGI Food.wdireito. bebidas e embalagens Food Design & Universidade Positivo www.br/revista/texto/3846/maioridade-civil-e-exoneracao-de-alimentos-n. acadêmico de Direito na Universidade Camilo Castelo Branco Veja todos os artigos publicados pelo autorFale com o autor Seu nome Seu e-mail Assunto Mensagem Enviar http://jus. etc Lançamentos 2011 a preços de Custo www.Maioridade civil e exoneração de alimentos no novo Código Civil . Tributária.br Direito Processual Civil Pós em Direito Processual Civil você encontra no WDireito.com.com Almir Ismael Barbosa escrevente técnico judiciário do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo.

com.br http://jus..Maioridade civil e exoneração de alimentos no novo Código Civil . n. 1 mar. 15/03/2011 .cnt. Disponível em: <http://jus.com.uol..nivaldocleto. Jus Navigandi. Maioridade civil e exoneração de alimentos no novo Código Civil. 2011.br/revista/texto/3846>.Revista Jus Nav. ano 8. 2003.. Almir Ismael..uol. Assuntos relacionados: Alimentos | Direito de Família Holding Familiar Sucessão Familiar Proteção Patrimonial www. 63. Página 7 de 8 Como citar este texto: NBR 6023:2002 ABNT BARBOSA. Teresina.br/revista/texto/3846/maioridade-civil-e-exoneracao-de-alimentos-n. Acesso em: 15 mar.

Revista Jus Nav.. Página 8 de 8 Jus Navigandi Fale Conosco Anuncie no Jus Ajuda Privacidade Quem Somos Blog da Equipe Livraria Jus Navigandi... 15/03/2011 .com. Todos os direitos reservados..uol. http://jus.br/revista/texto/3846/maioridade-civil-e-exoneracao-de-alimentos-n. Proibida a reprodução total ou parcial sem autorização.Maioridade civil e exoneração de alimentos no novo Código Civil .