You are on page 1of 4

Barroco Literário

Barroco (século XVII)

INÍCIO: Morre Camões; decadência de Portugal com domínio Espanhol.


TÉRMINO: É fundada a arcádia Lusitana em 1756.
PAINEL DE ÉPOCA:
Reforma protestante: Lutero e Calvino
Concílio de Trento
Contra-Reforma
Ocorre a censura eclesiástica às ciências e cultura em geral
Domínio espanhol na Península Ibérica
O Brasil destaca-se como produtor de cana-de-açúcar
Inicia-se no Brasil com o poema épico Prosopopéia, de Bento Teixeira
Desenvolvimento de uma arte de contrastes e oposições (antítese)
Fuga da Racionalidade
Subjetivismo

PRODUÇÃO LITERÁRIA

I) PADRE ANTÔNIO VIEIRA

Defendeu os cristãos - novos e o capitalismo judaico.


Lutou em benefício dos índios e dos negros.
Criou sua obra nos dois países: Portugal e Brasil.
Grande orador sacro de sua época.
Defendia os direitos humanos através de seus Sermões.
Características Conceptistas: sem exageros e rebuscamentos
desnecessários.
Um sermão importante: Sermão da Sexagésima: expõe sua polêmica frente
a arte Cultista, analisa o papel do pregador e do ouvinte que não sabendo
pregar adequadamente (os padres) faziam perecer à palavra de Deus.

II) GREGÓRIO DE MATOS

Primeiro poeta significativo da literatura brasileira.


Autor de sátiras de extrema irreverência o que fez com que fosse degregado
para Angola.
Escreveu poesias líricas, satíricas e religiosas.
Vocabulário forte, não poupava qualquer camada social em suas sátiras.
Seu palavreado chulo intitulou-o de Boca do Inferno.
Desenvolveu o cultismo sem deixar de lado o conceptismo.
Falou do homem brasileiro, do português poderoso, do clero, do rei de
Portugal, da sociedade baiana (sátira).
Contraste entre o pecado e o perdão, o antagonismo que vive o homem
barroco (religioso).
Fala também do amor, filosofia, natureza das coisas.
EXERCÍCIOS:
A) TEXTO
“Esta foi a origem do pecado original, e esta é a causa original das
doenças do Brasil - tomar o alheio, cobiças, interesses, ganhos e
conveniências particulares, por onde a justiça se não guarda e o
Estado se perde. Perde-se o Brasil, Senhor (digamo-lo em uma
palavra), porque alguns ministros de Sua Majestade não vêm cá
buscar o nosso bem, vêm cá buscar nossos bens. Assim como
dissemos que se perdeu o Mundo, porque Adão fez só a metade do
que Deus lhe mandou, em sentido averso - guardar sim, trabalhar
não, assim podemos dizer, que se perde também o Brasil, porque
alguns dos seus ministros não fazem mais que a metade do que El-
rei lhes manda.”
(Fragmento do “Sermão da Visitação de Nossa SenhoraÓ do Pe. Antônio
Vieira)
A partir da leitura do texto acima, responda::
1) Qual o estilo utilizado pelo autor para desenvolver seu tema /
argumentação.
2) Explique a afirmação: (. . .) “alguns ministros não vêm cá buscar o nosso
bem,vêm cá buscar nossos bens.”
3) Analise o tipo de produção literária utilizada por Padre Antônio Vieira
para defender suas idéias.

B) TESTES
1) (FUVEST) “Entre os semeadores do Evangelho há uns que saem a
semear, há outros que semeiam sem sair. Os que saem a semear são os
que vão pregar à Índia, à China, ao Japão; os que semeiam sem sair são
os que se contentam com pregar na pátria. Todos terão sua razão, mas
tudo tem sua conta. Aos que têm a seara em casa, pegar-lhes-ão a
semeadura; aos que vão buscar a seara tão longe, hão-lhes de medir a
semeadura, e hão-lhes de contar os passos. Ah! dia do juízo! Ah!
pregadores! Os de cá, achar-vos-ei com mais Paço; os de lá, com mais
passos ...”
Essa passagem é representativa de uma das tendências típicas da prosa
seiscentista, a saber:
a) o Sebastianismo, isto é, a celebração do mito da volta de D. Sebastião, rei
de Portugal, morto na batalha de Alcácer - Quibir.
a) A busca do exotismo e da aventura ultramarina, presentes nas crônicas e
narrativas de viagem.
c) A exaltação do heróico e do épico, por meio das metáforas
grandiloqüentes da epopéia.
d) O lirismo trovadoresco, caracterizado por figuras de estilo passionais e
místicas.
e) O Conceptismo, caracterizado pela utilização constante dos recursos da
dialética.
2) (UM-SP) Aponte a alternativa correta sobre o “Sermão da Sexagésima.Ó
a) O autor desenvolve dialeticamente a seguinte tese: “A semente é a
palavra de Deus.Ó
b) O estilo é barroco e privilegia a corrente conceptista de composição.
c) O orador discute no sermão cinco causas possíveis que não permitiriam a
entrada da palavra de Deus no coração dos homens.
d) Vieira baseia-se em parábolas bíblicas, e sua linguagem se vale de
estruturas retóricas clássicas.
e) Pela sua capacidade de argumentação, Vieira consegue, neste sermão,
convencer os indígenas a se converterem.
3) (FUVEST) A respeito do Padre Antônio Vieira, pode-se afirmar:
a) Embora vivesse no Brasil, por sua formação lusitana não se ocupou de
problemas locais.
b) Procurava adequar os textos bíblicos às realidades que tratava.
c) Dada sua espiritualidade, demonstrava desinteresse por assuntos
mundanos.
d) Em função de seu zelo para com Deus, utilizava-o para justificar todos os
acontecimentos políticos e sociais.
e) Mostrou-se tímido diante dos interesses dos poderosos.
4)(PUC/SP)

“Que falta nesta cidade? Verdade.


Que mais por sua desonra? Honra
Falta mais que se lhe ponha? Vergonha
O demo a viver se exponha,
Por mais que a fama a exalta,
Numa cidade onde falta
Verdade, honra, vergonha.Ó

Pode-se reconhecer nos versos acima, de Gregório de Matos:

a) O caráter do jogo verbal próprio do estilo barroco, a serviço de uma


crítica, em tom de sátira, do perfil moral da cidade da Bahia.
b) O caráter de jogo verbal próprio da poesia religiosa do século XVI,
sustentando piedosa lamentação pela falta de fé do gentio.
c) O estilo pedagógico da poesia neoclássica, por meio da qual o poeta se
investe das funções de um autêntico mora-lizador.
d) O caráter de jogo verbal próprio do estilo barroco, a serviço da expressão
lírica do arrependimento do poeta pecador.
e) o estilo pedagógico da poesia neoclássica, sustentando em tom lírico as
reflexões do poeta sobre o perfil moral da cidade da Bahia.

5) (USF-SP)
“Que és terra, homem, e em terra hás de tornar-te,
Te lembra hoje Deus por sua Igreja;
De pó te fez espelho, em que se veja
A vil matéria, de que quis formar-te.Ó

Conforme sugere o excerto acima, o poeta barroco não raro expressa:

a) O medo de ser infeliz; uma imensa angústia em face da vida, a que não
consegue dar sentido; a desilusão diante da falência de valores terrenos e
divinos.
b) A consciência de que o mundo terreno é efêmero e vão; o sentimento de
nulidade diante do poder divino.
c) A percepção de que não há saídas para o homem; a certeza de que o
aguardam o inferno e a desgraça espiritual.
d) A necessidade de ser piedoso e criativo, paralela à vontade de fruir até as
últimas conseqüências o lado material da vida.
e) A revolta contra os aspectos fatais que os deuses im-primem a seu
destino e à vida na terra.

6) (VUNESP)
“Ardor em firme coração nascido;
Pranto por belos olhos derramado;
Incêndio em mares de água disfarçado;
Rio de neve em fogo convertido:
Tu, que em um peito abrasas escondido;
Tu, que em um rosto corres desatado;
Quando fogo, em cristais aprisionado;
Quando cristal, em chamas derretido.Ó

O texto pertence a Gregório de Matos e apresenta todas as características


seguintes:

a) Trocadilhos, predomínio de metonímias e de símiles, a dualidade temática


da sensualidade e do refreamento, antíteses claras dispostas em ordem
indireta.
b) Sintaxe, segundo a ordem lógica do Classicismo que o autor buscava
imitar, predomínio das metáforas e das antíteses, temática da fugacidade
do tempo e da vida.
c) Dualidade temática da sensualidade e do refreamento, construção
sintática por simetrias sucessivas, predomínio figurativo das metáforas e
pares antitéticos que tendem para o paradoxo.
d) Temática naturalista, assimetria total de construção, ordem direta
predominando sobre a ordem inversa, imagens que prenunciam o
Romantismo.
e) Versificação clássica, temática neoclássica, sintaxe preciosista evidente
no uso das sínqueses, dos anacolutos e das alegorias, construção
assimétrica.

7) (STA. CASA) A preocupação com a brevidade da vida induz o poeta


barroco a assumir uma atitude de quem:

a) Descrê da misericórdia divina e contesta os valores da religião.


b) Desiste de lutar contra o tempo, menosprezando a mocidade e a beleza.
c) Se deixa subjugar pelo desânimo e pela apatia dos céticos.
d) Se revolta contra os insondáveis desígnios de Deus.
e) quer gozar ao máximo seus dias, enquanto a mocidade dura.

8) Assinale a afirmativa correta:

a) A poesia de Gregório de Matos subdivide-se em três segmentos: o lírico-


amoroso e filosófico; o sacro e o satírico.
b) É comum o uso abusivo de figuras em seus poemas.
c) “Boca do InfernoÓ é um pseudônimo que recebeu, por seus poemas
satíricos.
d) Embora não reconhecesse suas falhas, pediu perdão a Deus pelos
pecados cometidos, em seus poemas sacros.
e) D. Ângela e Anarda são nomes femininos citados em poemas seus.