João 8:12 Mt 5:14 Ex 34:29-30 Livraria SARAIVA, CULTURA e SICILIANO.

RESENHA DO LIVRO: POR QUE TENHO MEDO DE LHE DIZER QUEM SOU?
Autor: John Powell página 9 – Autenticidade Pessoal – pessoa real: retirando a máscara. página 10 – Não há uma pessoa fixa/estática pois somos pessoas que estamos em um processo. Ser uma pessoa é o que : penso, julgo, sinto, valorizo, honro, estimo, amo, detesto, temo, desejo, espero, acredito e me comprometo com. E TUDO ISSO ESTÁ EM MOVIMENTO, MUDANDO. Sou diferente de quem fui ontem, pois: encontrei novos sentimentos, sofri, orei.
Não me atribua um valor médio, fixo ou irrevogável. Pois estou sempre em alerta, aproveitando as oportunidades do dia-a-dia.

Reconhecer o outro: leitura facial, mãos, voz (certamente encontrará mudanças). Tenho medo de lhe dizer quem sou porque, se eu lhe disser, você pode não gostar, e isso é tudo que tenho.
ESSE TIPO DE PENSAMENTO ME IMPEDIRÁ DE CAMINHAR PARA FRENTE, EM DIREÇÃO À MATURIDADE, À FELICIDADE E AO VERDADEIRO AMOR.

A construção do AMOR: verdadeira comunicação (o “eu real”) De onde vêm as máscaras e jogos: são padrões de ação e reação desenvolvidos (cicatrizes e defesas). (Depois de um certo tempo fica difícil distinguir o que SOMOS REALMENTE do que MOSTRAMOS SER). ►esse é o ponto de partida em direção ao crescimento, integridade e amor. ESTADOS DO EGO: • Pai: é superior, protetor, supre a inadequação de outrem. • Adulto: é adequado em si mesmo e se relaciona com outro adulto de igual para igual. • Criança: é inadequada e necessita de algum tipo de suporte e ajuda. Pág. 18 Somos programados (histórias psicológicas/ individuais) para reagirmos em qualquer dos estados de ego descritos acima. Essa programação resulta da associação de influências anteriores em nossa vida (programação social). Os estímulos dessa influências anteriores e de nossas reações estão registrados para sempre dentro de nós.

A vida tem que ser algo mais além de um simples cumprir de programas do passado, e pode vir a sê-lo se o Adulto em nós intervier. O ser humano pleno liberta-se pouco a pouco de seu programa e deixa de ser um “reator” para ser um “ator”. Ele torna-se “seu próprio homem (mulher)”. É de um momento de verdade de que eu preciso. Devo perguntar-me, na quietude da minha mente e coração: Que jogos eu uso? O que estou tentando esconder? O que quero ganhar? Será que me mostro delicado para assegurar um tratamento amável dos outros? Meu empenho em ser honesto comigo mesmo diante destas questões é o fator decisivo e a condição essencial para meu crescimento como pessoa.

EXTERIORIDADE – A pessoa inteira é aquela que estabelece um contato significativo e profundo com o mundo à sua volta. AMOR – DESPOJAMENTO 1 – A pessoa que ama. SE EXPLORA E AMA O QUE REALMENTE É. NÃO trata aquilo que ama como POSSE. É uma pessoa inteiramente humana que sente-se à vontade com: seu corpo. não por causa de um tipo de neurose obsessivocompulsiva. pensamentos e desejos. sofrimento e morte. DUAS ARMADILHAS: podem abafar o crescimento humano – AUTO-ALIENAÇÃO. Renasce a cada primavera e sente o impacto dos grandes mistérios da vida: nascimento. não estando à mercê do mau humor.CRESCER COMO PESSOA – necessário auto-comunicação e encontro interpessoal. (pág. então há pouco aprofundamento interior. torna-se desatenta em relação ao vasto mundo à sua volta. simplesmente porque escolheu fazer isso. No entanto é realista quanto a suas limitações. movendo-se de uma distração externa para outra. A EXTERIORIDADE atinge seu ápice na habilidade de “dar amor livremente”. na verdade. Seu coração bate com os enamorados e conhece a alegria que está com eles. O OPOSTO dessa abertura é um tipo DEFENSIVO em que a pessoa só escuta o que quer escutar. amor.A introvertida está quase que exclusivamente preocupada consigo mesma. Por causa de sua preocupação consigo mesma. Não escuta a si mesmo.satisfação complacente que mantém uma situação estabelecida. Conhece a dimensão do desespero. . A pessoa inteiramente humana mantém um equilíbrio entre interioridade e exterioridade. porque seu mundo não é maior do que ela própria e o círculo de seus horizontes está fechado. A pessoa inteira é um ATOR. 1. NÃO AMBICIONA TRANSFORMAR-SE EM QUALQUER OUTRA PESSOA. da mesquinharia. não é um REATOR Saudável – não deixa que o outro decida como devo reagir (agir a um estímulo). 29) SE ESCUTA. 2. mas ela é que transforma os ambientes. A pessoa inteira é seu próprio dono que não se curva diante de qualquer vento que sopra. Lamentavelmente. Não são os ambientes que a transformam. a solidão dos que sofrem sem alívio. A pessoa inteira sai de si mesma em direção aos outros e a Deus. MATURIDADE – prontidão integral para dar amor. quando.A pessoa muito extrovertida lança-se para fora. torna-se o centro de gravidade em seu próprio universo. Sua vida nada tem de reflexiva. reações e à mudança de pensamentos e desejos. de acordo com sua estruturas pré-concebidas e sua tendências. e só vê o que quer ver. Sei que aquilo que conheço a meu respeito é bom e que meu potencial é ainda maior. SAUDÁVEL – o objeto do amor é um mero acréscimo a sua pessoa. mas de maneira livre e produtiva. da impaciência e da raiva dos outros. A extensão de sua própria experiência individual é infinitamente multiplicada por uma empatia sensitiva que experimenta em relação aos outros. crescimento. . nossa civilização nos ensina a tomar posse das coisas. . NÃO FICA SONHANDO COM A PESSOA QUE QUER SER. deveríamos exercitar o “abrir mão”. como também às vozes de seu mundo.Noutro extremo: atividade inquieta que pula de uma de uma distração para outra à procura de algo mais. tanto ternas quanto hostis. pois não há liberdade nem vida verdadeira sem a aprendizagem do DESPOJAMENTO. INFÂNCIA – necessidade de absoluta de ser amado. É alguém à vontade com o que já experimentou e também está aberta a novas sensações. Interioridade – implica em auto-aceitação. com seus impulsos. Meu destino final como ser humano é agradavelmente desconhecido. A pessoa defensiva não consegue crescer. Sofre com a dor e se alegra com a felicidade. não podendo predeterminar padrões para meu crescimento. emoções. NÃO se identifica com aquilo que ama.

a qualquer momento da minha vida. Estou disposto a dar um passo fora do confinamento solitário. Na verdade. ___________________________ Sujeito-objeto x “Encontro” Encontro é uma relação entre duas pessoas. aperte os olhos. sim uma comunhão verdadeira (a comunicação honesta é a substância de que é feito esse encontro). Nível 1 – A Comunicação Culminante. Ela é livre para agir. com aqueles a quem amo e a quem me recuso a amar. Há uma espécie de fusão. Encontro interpessoal: Situação: imaginar um ser humano numa prisão (interior) e receoso de sair desse “esconderijo” para encontrar outras pessoas. enquanto outros encontram. a coragem para percorrer todo o caminho até a liberdade. Entro no mundo de sua realidade e ela entra no mundo da minha. levante a sombrancelha) eu me retirarei: estarei no abrigo do silêncio. Nível 2 – Meus Sentimentos (Emoções). e essa pessoa estará sozinha (não terá vida. são meus sentimentos (emoções). Quero testar a temperatura da água antes de mergulhar. A outra pessoa se torna. (2) Meus Sentimentos: Mesmo revelando nossas idéias. Porém. Essa pessoa se compromete com uma causa e o faz livremente. Lhe contando quem sou. de alguma forma. Nível 3 – Minhas idéias e Julgamentos. parte do meu mundo e parte do meu eu. Nível 5 – Conversa Clichê. relativos a minhas escolhas. Nível 4 – Relatando fatos sobre os outros. Alguns apenas desejam fazer essa viagem. olhe para o relógio. fontes de distração e prazer. Pode ser que eu já tenha feito isso antes. (5) Conversa Clichê: Não há um compartilhar verdadeiro entre as pessoas. Relação sujeito-objeto (uma pessoa que ama coisas e não ama pessoas): as pessoas passam a ser coisas a serem manipuladas. pois quase nada é exposto da própria pessoa que se comunica. julgamentos e decisões ainda tenho muito a compartilhar. Não possui amigos de verdade. Quero ter certeza de que irá aceitar minhas idéias e julgamentos. lhe mostro meu estômago e minha cabeça. Ocorre quando essas duas pessoas atingem uma verdadeira comunhão ou comunicação. ou pior: vou tentar dizer coisas que lhe agrade. o que mais me diferencia dos outros. . As posses serão valiosas e bonitas ou comuns e baratas. Existem 5 níveis de comunicação de uma pessoa que sai ao encontro de outra pessoa.A pessoa inteira sai de si mesma. é isso que torna a minha comunicação única. (4) Relatando fatos sobre os outros: Ainda é uma prisão solitária. mas você só conhece um pouco a meu respeito. a comunicação fica sob estrita censura (à medida que comunico minhas idéias verifico cuidadosamente suas reações). experiência). Coragem e desejo de crescer: despejar o conteúdo da minha mente e do meu coração diante de você. de uma maneira misteriosa e quase indefinível. Essa não é uma relação sujeito-objeto. Sentimo-nos desconfortáveis quando expomos nossa nudez como pessoa. (3) Minhas idéias e Julgamentos: Nesse nível há alguma comunicação sobre a minha pessoa. Devemos usar as coisas e amar as pessoas. de fato. será determinado por meus relacionamentos com aqueles que me amam ou se recusam a me amar. talvez mude o tema da conversa. Caso eu perceba que você não me aceite (boceje. Aquilo que sou. Os meus sentimentos são únicos. um ser especial diante dos meus olhos.

Exemplo: acho você inteligente e sinto ciúmes. caso contrário posso permanecer morto como pessoa. transformando a falsidade em nobreza. Enquanto isso vivemos com emoções reprimidas – um caminho perigoso e auto-destrutivo. Qualquer encontro que seja verdadeiro e pessoal deve ser baseado na comunicação honesta. vivendo numa prisão. Nível 3 – Julgo : “Acho você inteligente. . Conseqüência: não crescemos e impedimos que os outros cresçam. iniciando relacionamentos superficiais. Preferimos defender a desonestidade alegando que poderíamos magoar o outro. E isso chega a destruir até casamentos.” Nível 2 – Sentimentos (minha reação emocional de acordo com aquilo que julguei). A maior parte das pessoa pensa que o outro não toleraria a honestidade emocional na comunicação.Exemplo: ninguém sente o meu entusiasmo quando me decidi por tal partido ou religião. Ninguém se opõe à guerra com a minha indignação. aberta e visceral.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful