You are on page 1of 34

Cinemática

…ou, o estudo do movimento

Cinemática
No final deste capítulo deves ser capaz de:
• explicar o significado das grandezas físicas velocidade e aceleração e
distinguir entre grandezas médias e instantâneas • interpretar gráficos de posição e velocidade de um corpo em função do tempo, classificando o seu movimento • derivar as equações da velocidade e da aceleração de um corpo a partir da sua equação de movimento • decompor movimentos complexos a duas ou três dimensões em movimentos a uma dimensão • distinguir aceleração normal de aceleração tangencial • descrever o movimento circular em termos das suas equações de movimento • calcular a posição, velocidade e aceleração de um corpo em movimento em relação a outro corpo também em movimento

O Movimento
Tudo é movido por algo...

• Foi considerado como princípio fundamental • Será Galileu quem desenvolve equações do movimento... • ...enquanto que Newton descreve as suas causas. • Cinemática só se ocupa das primeiras

O Movimento como alteração da Posição ti o ∆t = tf .xi xf tf ..ti ∆x = xf ..no Tempo x xi ∆x ___ = deslocamento ∆t vmed (m/s) .

.O Movimento como alteração da Posição ti ∆t = tf .no Tempo ri y rf Vector deslocamento x z ..ri tf .ti ∆r = rf .

.no Tempo lim ∆t→0 ∆x dx ___ = ___ = ∆t dt v (m/s) Quanto maior a inclinação mais rápido o corpo se move t ..O Movimento como alteração da Posição x A velocidade instantânea é igual à taxa de variação do deslocamento em relação ao tempo .

dt .O Movimento lim ∆t→0 ∆x dx ___ = ___ = ∆t dt = v (m/s) v ∫ dx no caso da velocidade ser constante no caso da velocidade ser variável ∫ v.t x(t) = xi + ∫v.dt x(t) = xi + v. dt t xf – xi = ∫v.

a voltar ao camião. 2. Qual é o intervalo de tempo decorrido entre o início da viagem e a chegada à estação. Qual o deslocamento total desde o início da condução até chegar à estação. Nos 30 minutos seguintes desloca-se a pé mais 2 km até a estação de serviço mais próxima. 4. . Determine a sua velocidade média bem como a sua celeridade para a totalidade do percurso. Calcule a velocidade média do percurso total numericamente e graficamente. 1.4 km a 70 km/h ao fim dos quais fica sem combustível parando. 3.O Movimento Exemplo: Um motorista conduz um camião ao longo de uma estrada recta durante 8. Imagine que depois de abastecer demorava 45 min.

• Quando é que a sentimos? – Quando alteramos o módulo da velocidade V1=28 m/s V2=50 m/s Vo=0 m/s .Aceleração Quando a velocidade de uma partícula se altera dizemos que sofreu uma aceleração.

• Quando é que a sentimos? – Quando alteramos o módulo da velocidade – Quando alteramos a sua direcção r v .Aceleração Quando a velocidade de uma partícula se altera dizemos que sofreu uma aceleração.

• Em movimento rectilíneo – Aceleração média é dada por: amed ∆v m s 2 = ( =m s ) ∆t s – Aceleração instantânea corresponde a: ∆v dv d dx d 2 x a = lim = = = 2 ( m s2 ) ∆t → 0 ∆t dt dt dt dt .Aceleração Quando a velocidade de uma partícula se altera dizemos que sofreu uma aceleração.

dt vf – vi = ∫a.t v(t) = vi + ∫a.dt .Aceleração A uma dimensão… ∆v dv d 2 x a = lim = = 2 ( m s2 ) ∆t →0 ∆t dt dt ∫ dv = ∫a.dt no caso da aceleração ser constante no caso da aceleração ser variável v(t) = vi + a.

Aceleração A mais dimensões… r r 2r r ∆v dv d r 2 a = lim = = 2 (m s ) ∆t →0 ∆t dt dt .

movimento acelerado v = 0 inversão no sentido do movimento v =dx/dt v<0 0 movimento no sentido negativo t a =dv/dt .Atenção aos sinais v>0 movimento no sentido positivo x v e a com sinais contrários movimento retardado v e a com sinais iguais .

Aceleração Exemplo: Uma partícula desloca-se segundo o eixo dos xx’ de acordo com a equação: x(t) = 4 – 27 t + t3 1. Sabendo que x está em metros e t em segundo verifique se a velocidade se anula em algum instante. Descreva o movimento da partícula para t >=0. . a(t). 3. 2. Determine a função velocidade . e aceleração.v(t). da partícula.

Alguns movimentos especiais… • Movimento rectilíneo uniforme a=0    v = constante  x = x + v (t − t ) 0 0  • Movimento rectilíneo uniformemente acelerado  a = constante   v = v0 + a (t − t0 )   1 2  x = x0 + v0 (t − t0 ) + 2 a (t − t0 )  .

altitude e latitude .8 ms2 g = igual para todos os corpos desprezando atrito do ar.Alguns movimentos especiais… • Movimento rectilíneo uniformemente variado  a = constante   v = v0 + a (t − t0 )   1 2  x = x0 + v0 (t − t0 ) + 2 a (t − t0 )  – Movimento de queda livre y v g a = constante = -g = -9.

Dave Munday navegou ao longo do lado canadiano das cataratas de Niagara numa esfera de aço equipada com um respiradouro caindo de seguida 48 m para a água (e as pedras). 1. 3. 2. Assuma que a sua velocidade inicial era zero e despreze o efeito do ar na esfera durante a queda.Alguns movimentos especiais… Exemplo: em 26 de Setembro de 1993. . Durante quanto tempo caiu Munday até atingir a água? Qual era a velocidade de Munday quando atingiu a água? Se não se soubesse a altura da catarata como é que a podíamos determinar a partir desta loucura.

50 m. Considerando uma aceleração da gravidade de 9. 2.7 ms-1. calcule: 1. Quanto tempo demora a atingir a altura máxima. na vertical. Assumindo que o chapéu é apanhado a uma altura igual à inicial.8 ms-2 e desprezando o efeito do ar. . 3. com uma velocidade inicial de 14. de uma altura de 1. Qual a altura máxima atingida. qual é o tempo total de voo do chapéu.Alguns movimentos especiais… – Lançamento Vertical Exemplo: durante a cerimónia de graduação um aluno atira o seu chapéu ao ar.

Alguns movimentos especiais… – Lançamento de projecteis (movimento a duas dimensões) • Para t = 0 s vx = vocosθ vy = vosenθ • Quando hmáx vx = vocosθ vy = 0 • Para alcance vx = vocosθ vy = -vosenθ y g h máx v0 vy vx alcance θ vy x vx .

t y g h máx vx Para yy’ ay(t) = -g voy = vosenθ vy(t) = voy – g.g.t – ½.u y vy x .u x + y (t ).Alguns movimentos especiais… – Lançamento de projecteis (movimento a duas dimensões) Para xx’ ax(t) = 0 vx(t) = vocosθ = vox x(t) = xo + vx.t 2 vy v0 θ vx alcance r r r r = x (t ).t y(t) = yo + voy.

Alguns movimentos especiais… – Lançamento Horizontal vs Queda Livre .

A ladra. vo . tenta maximizar a sua velocidade saltando horizontalmente com a mesma velocidade de 5 ms-1. calão na escola. que estudou física. salta a uma velocidade de 5 ms-1 com um ângulo de 45° ultrapassando o intervalo. lançamento Oblíquo Exemplo: Um policia persegue uma mestre do roubo de joias ao longo dos telhados quando chegam a um intervalo entre prédios com uma separação de 4 m e um desnível de 3 m. enquanto que o polícia. 1. Será que consegue ultrapassar o intervalo? 2. Em quanto consegue a ladra ultrapassar o intervalo.Alguns movimentos especiais… – Lançamento Horizontal.

Alguns movimentos especiais… – Movimento Circular r v − tangente à trajectó ria ˆ r dv duT ˆ a = uT + v dt dt r ˆ ˆ a = aT uT + a N uN r aT r aN r ˆ v = vuT v R 2 .

Alguns movimentos especiais… – Movimento Circular… r v − tangente à trajectó ria ˆ r dv duT ˆ a = uT + v dt dt r ˆ ˆ a = aT uT + a N uN – …e Uniforme r v = constante aT = 0 r v ˆ ˆ a = a N uN = uN R 2 .

r dt dt dv dω =r ⇒ aT = α .Paralelismos… s = θ .r ds dθ =r ⇒ v = ω.r dt dt   a = constante  v = v0 + at   1 2  x = x0 + v0t + 2 at    α = constante   ω = ϖ 0 + αt  1 2 θ = θ0 + ω0t + 2 αt  .

Calcule: 1. calcule a magnitude da aceleração tangencial da centrifugadora assumindo que esta aceleração é constante Quais são os módulos da velocidade para dois pontos um a 15 e outro a 10 cm do eixo de rotação . 2. Se demorar 1 min e 15 s para a centrifugadora atingir a sua velocidade de rotação máxima a partir do repouso. A aceleração centrípeta de uma amostra num tubo de ensaio suspenso a 15 cm do eixo de rotação.Movimento Circular Exemplo: Uma centrifugadora roda com uma frequência de 15000 rpm. 3.

Alguns movimentos especiais… – Movimento numa rampa yy’  at = g sin θ  an = g cosθ xx’ θ at θ g an an = g cos θ  yy '  v y = 0  y=0  at = g sin θ   xx '  v x = v0 x + at t x = x + v t + 1 a t2 0 0x  2 t .

Movimentos Relativos Todos os movimentos são referidos a um sistema particular de referência • A uma dimensão xLisa − A = xLisa − B + xB − A dx como v = e xLisa − B = constante dt vLisa − A = vB − A y y A z xLisa − A x B z xB − A xLisa − B x .

Movimentos Relativos • A uma dimensão xLisa − A = xLisa − B + xB − A vLisa − A = vLisa − B + vB − A r vLisa − B B x y A z xLisa − A x y xB − A z xLisa − B .

Movimentos Relativos • A várias dimensões r r r rLisa − A = rLisa − B + rB − A r r r vLisa − A = vLisa − B + vB − A r r aLisa − A = aLisa − B Referenciais de inércia r dv B − A quando =0 dt y B y A z r rB − A x r rLisa − B x r rLisa − A z .

t t Lisa-A = t Lisa − B Transformação de Galileu .Movimentos Relativos • A várias dimensões…em referenciais de inércia r r r rLisa − A = rLisa − B + rB − A r r r vLisa − A = vLisa − B + vB − A r r aLisa − A = a Lisa − B t Lisa-A = t Lisa − B r r r rLisa − A = rLisa − B − vB − A .

Qual a velocidade do carro em relação à chuva. horizontalmente e com uma velocidade constante de 50 km/h. 3. Qual é a velocidade relativa da chuva em relação a um carro que se desloque em linha recta. 2. Calcule o ângulo com a vertical que a gota de chuva irá fazer nos vidros laterais do carro. .Movimentos Relativos Exemplo: Uma gota de chuva cai verticalmente com uma velocidade constante de 8 ms-1: 1.

FIM .