You are on page 1of 14

A busca de adaptação por parte das empresas manifesta inúmeras relações entre elas e o que ocorre no ambiente em que

atuam. Tal processo atesta sua pertinência quando abordamos a empresa sistemicamente, e não como entidade imune ao que se passa no contexto mais amplo. Essas mudanças configuram uma teia de relacionamentos, dialeticamente cooperativos e conflitivos. Toda a dinamicidade do mundo contemporâneo traz para as empresas novas necessidades no que se refere às formas de organização do trabalho e novas necessidades de aprendizagem... ...não só para lidar com a complexidade do mundo que nos impacta, mas também com o alto grau de incerteza que essas mudanças nos provocam. A competição entre as empresas exige – cada vez mais e o mais rápido possível – a geração de inovação. Inovar é uma forma de a empresa se diferenciar de outras. Para inovar, a empresa precisa... ...ter ética, de modo a poder ser escolhida por clientes, talentos e investidores. ...aprender a lidar com a subjetividade dos clientes e com a participação do consumidor no processo produtivo. ...gerar comprometimento em toda a cadeia de valor – empregados, clientes, fornecedores, acionistas. ...ter profissionais sensíveis às mudanças do ambiente. A visão da empresa deve ser a de processo, não de hierarquia. Nesse processo, faz-se necessário compartilhar o poder porque, contraditoriamente, se dividido, o poder se multiplica. Conseqüentemente, faz-se necessário aprender coletivamente, focar o desempenho nas equipes, adquirir, produzir e compartilhar informações – tanto as operacionais

um grande desafio posto às empresas é. O primeiro aceitou e foi. A motivação nos é absolutamente intrínseca.. no fluxo permanente da vida.. Tudo o que os de fora podem fazer é estimular. a nossa frente. Ninguém motiva ninguém. sem dúvida. Por ser intrínseca. Nem sempre altos executivos compreendem por que os peões não vestem a camisa da empresa. nasce de nossas necessidades interiores. incentivar. não é coerente dizermos que motivamos os outros a isto ou àquilo.. normalmente. têm secretárias. Romário recebeu uma proposta de US$ 1.. não marcam o cartão de ponto. não podem atrasar-se ou faltar sob a pena de perderem parte do salário. mas o que salta aos olhos é o dinheiro.. Motivação não é um produto acabado. abrem espaços em suas agendas de trabalho sem ter de dar satisfações a quem quer que seja.. .... por que faltam tanto ao trabalho. O segundo recusou. Ambos foram estimulados por propostas milionárias de clubes do Qatar – Al-Saad e Al Ettehad. investir no desenvolvimento de competências. mas um processo que se configura a cada momento. Considerando essas premissas. está dentro de nós. e Marcelinho.. Vejamos o caso de Romário e de Marcelinho Carioca no começo de 2003. selecionar e recompensar pessoas por competência. captar.5 milhão por 100 dias no clube. algo a motivar-nos. há estímulos secundários nas propostas.. Ora. É comum não entendermos por que determinada pessoa não se sente motivada para fazer alguma coisa quando nós nos sentimos. Nós é que nos motivamos ou não. é um motivo para a ação.quanto as táticas. A motivação é contínua. bons salários. Os peões também não participam das decisões que os afetam. se precisam ir ao médico. os executivos ganham. além de gerar referências de desempenho. de US$ 650 mil. para o outro. Certamente. por 60 dias. não. o que significa dizer que sempre teremos.. à escola dos filhos ou à academia de ginástica.. uma energia que nos impulsiona na direção de alguma coisa. Mais ainda. É preciso reconhecer em ações a relevância das pessoas no processo produtivo.. provocar a motivação nas pessoas. respectivamente – a se transferirem para lá.. por que bebem e por aí afora.. Para um. isto é. Motivação é uma força. foi motivador. provocar nossa motivação.

A questão básica é. não sendo... desinteressantes. uma históriade vida diferente que condiciona suas motivações. necessidades diferentes. Abraham Maslow. Logo.interesses diferentes. . As necessidades primárias – que formam a base da hierarquia – são. background cultural diferente. Maslow distingue dois tipos de necessidades – primárias e secundárias. necessidades da família. O caráter de interioridade da motivação nos diz que ela é experimentada por cada pessoa. desenvolveu uma teoria tomando como eixo a questão das necessidades humanas. malucas. formação profissional diferente. Não é esse o ponto.Não estamos discutindo aqui o motivo que leva o peão a faltar ao trabalho – doenças do filho. Para ele. generalizável. Por que algumas pessoas se sentem altamente motivadas para realizar determinadas tarefas que a outras parecem enfadonhas. enfim. e a busca para satisfazê-las é o que nos motiva a tomar alguma direção. organização familiar diferente. – nem se o executivo precisa ou não relaxar porque toma decisões que põem em jogo a sobrevivência da empresa. muito certinhas. ilógicas. completamente sem parâmetros ou desprovidas de 'glamour'? Isso ocorre porque as pessoas têm valores diferentes. O que importa é que as situações que motivam os executivos estão ausentes da vida do peão e vice-versa.. Ele nos diria que são nossos conteúdos psicológicos – diferentes de pessoa para pessoa – que nos encaminham em determinada direção. Aqui Freud nos daria uma bela lição. portanto. a energia. embora tais conteúdos possam servir-se de fatores externos.. tais necessidades estão organizadas hierarquicamente. Alocamos mais tempo nas atividades para as quais estamos motivados. na década de 50... a força que impulsiona os executivos não é a mesma que instiga os peões.

seguro-saúde. Algumas culturas. sede. se estamos com muita fome. . digamos. mesmo que isso realize nosso potencial... emprego.necessidades Dizem respeito a nossa sobrevivência.. A teoria de Maslow – ainda que largamente aceita – tem sofrido críticas. por exemplo. as de estima e as de autorealização. aposentadoria. status. de termos de estima prestígio. como a japonesa. sexo. como. elas vão dando lugar às que se encontram nos pontos mais altos da hierarquia. em tarefas de autodesafiadoras. sono. é que a teoria deixa de considerar que as necessidades variam de cultura para cultura e de pessoa para pessoa. isso não é. não queremos saber de ficar fazendo outras coisas. Também é plausível que algumas pessoas tenham fortes sentimentos de insegurança. de pertencermos a um grupo. engessado. por exemplo. colocariam as necessidades afetivosociais na base da hierarquia. por exemplo. sociais necessidades Relacionam-se a nossa auto-estima. necessidades Estão relacionadas a nossa necessidade de proteção contra alguma ameaça real ou de imaginária – salário. casa própria. Uma delas.. a despeito de usufruírem de situação financeira que deixaria outros indivíduos muito confortáveis. necessidades Dizem respeito à realização de nosso próprio potencial. as necessidades secundárias são as afetivo-sociais. realização Para Maslow. necessidades afetivoReferem-se a nosso desejo de amar e de sermos amados. nessa posição. segurança Segundo Maslow. a necessidade de segurança. Também é possível que os cariocas coloquem. ao desejo de sermos reconhecidos. Contudo. São as necessidades mais baixas na hierarquia fisiológicas – fome. na medida em que as necessidades mais baixas da hierarquia vão sendo satisfeitas. estas últimas constituindo o topo da hierarquia. Por exemplo.

. fatores higiênicos Os fatores higiênicos. se ausentes. satisfação ou insatisfação são questões de ego.. mas não chegam a nos causar insatisfação. condições físicas de trabalho. relacionamento com os colegas. na década de 60. tomou como eixo de sua teoria a questão das necessidades... a diferença é que McClelland diz que as necessidades podem ser aprendidas. as posições de influência.. ele argumenta que não nascemos com necessidades – elas são adquiridas socialmente. Ou seja. e os de insatisfação. Diferentemente de Maslow. São extrínsecos a nós. benefícios sociais. Frederick Herzberg. Logo. São intrínsecos..Também é possível que um artista passe horas a fio sem se alimentar. É concernente à auto-estima e à auto-realização. deixam de nos causar insatisfação. se presentes. deixam de causar motivacionais satisfação. Localizam-se no ambiente de trabalho. o status. A teoria de Herzberg também tem sofrido críticas. Nessa categoria. Se ausentes. estão elencados salário. existem dois fatores que explicam o comportamento das pessoas no trabalho. Segundo ele. por exemplo. McClelland identificou três tipos de necessidades. focalizou a questão da satisfação para formular sua teoria. novamente. Contudo. desafiado a completar sua obra. Algumas pessoas atribuem seus sentimentos de satisfação a seus próprios talentos. os fatores higiênicos causam insatisfação. mas não chegam a nos causar também satisfação. Se presentes. Um bom salário pode não ser garantia de satisfação no trabalho. isto é. David McClelland. causam-nos satisfação. às forças ocultas. ao inimigo que está lá fora... . poder afiliação realização Refere-se a nossas relações com as pessoas. dizem respeito a nossos sentimentos de auto-realização e fatores reconhecimento. o prestígio. Diz respeito ao que Maslow chamou de afeto. modelos de gestão.

o vazio. Já a teoria da eqüidade.. quase sempre. de Victor Vroom. Favoritismo seria considerado iníquo. dormiremos. se virarmos a noite na frente de um computador. sociológicos. . nosso chefe nos elogiará – e isso é o que todos queremos –. dos pares. competências. Aí ocorre uma coisa fantástica. desenvolvimento de um modelo de nave espacial –. nossa capacidade motora. do cliente. queremos a recompensa pelo esforço que despendemos. Como não podemos enfrentar o vazio.. já que nele colocamos nosso esforço. Quando o reconhecimento não se dá. da equipe. então viraremos a noite. de J. Se considerarmos que ele não dará a menor bola. enfim. dos amigos. até da humanidade em geral – como no caso dos cientistas. Nesse sentido. nossa emoção. químicos e tecnológicos. Logo. Quando o reconhecimento acontece. do fornecedor. da igualdade nas relações de trabalho.A teoria da expectativa. Racionalização é uma justificativa que damos para o que sentimos ou fazemos. quando percebemos isso. colocamo-nos no trabalho. podemos agrupá-los em quatro ordens – psicológicos. dá-se o contrário da plenitude – a frustração. Stacy Adams. Se é assim. desmotivamo-nos. dá-se a plenitude. somos capazes de liberar potencialidades. Produto e produtor não se separam. buscamos preenchê-lo por meio de mecanismos de defesa. Por outro lado. relaciona desempenho com recompensa. Quando realizamos um trabalho. O reconhecimento pode vir do chefe. de ser reconhecidos. é natural gostarmos de nos sentir importantes. decisão mercadológica. inconscientes. o trabalho nos pertence. considera que nos sentiremos mais ou menos motivados para o trabalho na medida em que percebamos – ou não – a presença da justiça. Embora. no fundo. injusto. colocamos nele nosso raciocínio. características pessoais que nem nos dávamos conta de que possuíamos. Mecanismos de defesa são. Se considerarmos que. seja ele qual for – jardinagem. a base de todos eles seja psicológica.

mas não pode tê-los porque não é casada e está submissa aos valores de uma cidade em que não se pensa em produção independente. Simbolismo é a representação de um fato psicológico por outro equivalente. o que fazemos? Gritamos com nossos parentes. Deslocamento ocorre quando uma emoção associada a uma idéia que é. nos outros. Por exemplo. Projeção é vermos. uma pessoa com um talento incrível para esquecer tarefas e chegar atrasada foi transferida e projetou – Meu chefe me persegue. mas não podia alcançálas. Sublimação é o processo de descarregar a energia em ações socialmente aceitáveis. eu não queria. A pessoa não ganhou e racionalizou – Ser rico é tão chato. Fantasia é um devaneio. certo de que iria ganhar. não podemos. obviamente. sofrendo assédio sexual e sentindo enorme desdém por quem a assedia. até sonhou que estava dirigindo um Mercedes Benz. lá no alto. inaceitável transferese para outra.. aceitável. Aplica-se também ao caso de alguém que comprou um bilhete da loteca. Por exemplo. para nós. O inimigo está sempre lá fora. chutamos o cachorro. é a troca do mundo que temos por aquele com o qual sonhamos. cospe no chão. A raposa queria comer as uvas que estavam na videira. Por exemplo. uma mulher. . Então racionalizou – Também. A solução que ela encontra é criar cães. atiramos pratos na parede. uma mulher que quer ter filhos. Elas estão verdes. Por exemplo.A racionalização se aplica sob medida a esse mecanismo a fábula de La Fontaine A raposa e as uvas. coisas que. em verdade. Afinal.... quando queremos matar nosso chefe e. são nossas.

rasgou a planta. na leitura. O que é particular torna-se universal. por exemplo. o ser humano não presta. Generalização é o ato de atribuir a um grupo maior de pessoas ou à humanidade aquelas verdades desagradáveis a nosso ego. É o caso. rasgou a alma do engenheiro. desdenhosamente. Por exemplo. isola-se do mundo que a cerca. Apatia é o ato de não ser contra nem a favor.. Por exemplo. a quem o chefe mandou que fizesse um projeto de casas populares. Regressão significa não se comportar de acordo com a idade que se tem. Naquele momento.. e disse. Por exemplo. O engenheiro passou dias e noites debruçado sobre pranchetas e concluiu seu trabalho. de um engenheiro. É o caso. nas situações menos propícias a isso. por exemplo. o chefe não rasgou um papel. Compensação é um mecanismo que permite cobrir deficiências pelo desenvolvimento de outras capacidades. É também o caso daquela aluna que vai sempre às aulas de óculos escuros. . e senta-se no fundo da sala – isola-se do grupo. a criança que vai ganhar um irmãozinho e volta a chupar o dedo. pega um livro e. Entregou-o ao chefe em uma manhã. alguém que é ruim em Redação pode compensar isso cultivando uma letra bonita. O resultado é a apatia do engenheiro em relação a outros projetos. muito pelo contrário. O chefe olhou. Está uma droga! Além disso. sem grau. políticos de todo o mundo são falsos. daquela pessoa que. sem estar com conjuntivite. todos os italianos falam demais. altamente motivado.Isolamento se revela no estar só na multidão.

temos forças energéticas de três níveis. Outra desenvolve uma tendinite justo no braço direito. . mecanismos de defesa São concernetes ao uso de fumo. O que motiva uma pessoa pode não motivar outra. o remorso. Por exemplo. a intuição... o desejo de justiça. com o qual digitava sua tese de doutorado. não o amor de uma pessoa por outra. São o ciúme. drogas e álcool. muitos de nossos comportamentos na empresa têm origem em nossas famílias. a esperança. dia e noite. Importante é saber que o comportamento das pessoas é o resultado de diferentes motivações. a generosidade. o sentimento de culpa... por exemplo – destroem a nós mesmos.. E mais. tecnológicos Os mecanismos de defesa não são deliberados. ou seja. estritamente considerado –. de sexo. Quando intencionais.. uma pessoa que toda vez que é contrariada em seus objetivos tem taquicardia... a compaixão. Por isso. podemos ir ao de defesa shopping center comprar roupas novas.. a vaidade. de água. espiritual São o amor – o amor universal. que não via chegar a um fim. Junto com o ódio. pois.. biológico Manifestam-se como desejo de alimento. o que nos motiva em determinado momento pode não motivar em outro. a inveja é o mais destruidor dos sentimentos. químicos mecanismos São aqueles que se valem da tecnologia – por exemplo.Somatização refere-se a algum tipo de doença provocada por conteúdos psicológicos. aquilo que Maslow designou como necessidades fisiológicas. a inveja. pessoas que não conseguem de defesa sair da frente de um computador. mecanismos Dizem respeito ao estar em sociedade. Muitas de nossas forças energéticas são fecundadas em nossa célula familiar. Outros mecanismos de defesa são. Algumas dessas forças – psicológico como a inveja. de movimento.. Se nos sentimos deprimidos. fazem parte de outra esfera conceitual. são quase sempre inconscientes. Consumismo exacerbado é. o orgulho. um sociológicos mecanismo de defesa sociológico. De um modo geral.. o senso moral.

mas na intensidade da percepção.. • a percepção – sensação. Consciência é o complexo de representações percebidas pelo eu como tal. São elas. O pensamento e a sensação são conscientes. A sensação e a intuição são irracionais – não-racionais – porque não se baseiam em juízos racionais. • o pensamento. o que leva o sujeito a utilizar mecanismos psicológicos bem conhecidos.. a idealização. A hereditariedade biológica tem uma influência que deve ser reconhecida em seu justo valor. responsáveis pelo modo de conhecer.Sobre esse processo. educado e civilizado tem uma influência inegável sobre o psiquismo. amantes ou dominadoras. a herança sociocultural dos diferentes meios no seio dos quais o sujeito é criado. As figuras dos pais podem estar interiorizadas como ativamente benevolentes ou perseguidoras. Do mesmo modo. Jung afirma que temos quatro funções psíquicas básicas. Laurent Lapierre esclarece.. como a negação. . e das quais outras derivam. a inveja. O sentimento pode ser consciente ou inconsciente.... • a intuição. • o sentimento. O pensamento e o sentimento são funções racionais porque se caracterizam pela primazia das funções racionais ou de julgamento. Inconscientes são as referências do eu não percebidas por ele como tal. o desprezo. mas a intuição é inconsciente.

é porque nos sentimos motivados para o trabalho. como também pode-nos ajudar a entender o que motiva as outras pessoas. . Uma pessoa. provavelmente.. certamente. Outros como Diane Tracy afirmam que a maioria das pessoas acaba perdendo o interesse pelo trabalho e envereda pelo caminho da mediocridade. Isso se dá porque o processo motivacional é extremamente rico. pode ser motivada para uma tarefa e não para outra. Encontrar um significado no trabalho nos motivaria a crescer junto com a empresa. incluindo necessidades. modelos mentais e. certamente. valores. mas há sempre o predomínio de uma sobre as outras. compatibilizando nossos interesses e nossas competências pessoais com os objetivos e as competências empresariais. expectativas. Um tipo predominantemente racional se sentirá motivado para trabalhos de planejamento. com um certo tipo psicológico predominante. ao tédio. Se não concordamos com esses posicionamentos. ao desespero e ao desconforto existencial. Se concordamos com eles. o significado que atribuímos ao trabalho.. Um tipo predominantemente intuitivo não se sentirá motivado para tarefas rotineiras.Todos possuímos essas quatro funções. é porque nosso trabalho não nos apresenta um significado que o justifique. satisfação. Autores como Christophe Dejours têm afirmado que as organizações são lugares propícios ao sofrimento. O que interessa é perceber a relação entre a função psíquica predominante em uma pessoa e a motivação para a realização de determinada tarefa. A descoberta de nosso tipo psicológico podenos ajudar a entender por que colocamos nossa energia em uma coisa e não em outra.

Por exemplo.oportunidade de produzir bens e serviços desejados pela sociedade. de ser apreciado.. de ser amado. de realizar tarefas intrinsecamente desafiadoras e instigadoras ou outra coisa qualquer. . segundo Willis Harman e John Hormann. Há muitas maneiras de nos conhecermos.. Se o trabalho lhe proporciona benefícios dessa ordem... . . . De um modo geral. Como somos diferentes uns dos outros. e todas as suas possibilidades em termos de aquisição de bens e serviços. Resgatando o filósofo Sócrates e o oráculo de Delfos. É um processo que não termina nunca. mas é compensador. existem elementos que estão presentes em um trabalho significativo. E mais.. . nossas motivações também o são. de ser reconhecido. conhece-te a ti mesmo..oportunidade de proporcionar um papel nas atividades da sociedade. de pertencer...promoção da sensação de estar contribuindo.promoção de satisfação.. Conhecer a si próprio não é tarefa trivial nem produto acabado. o que desenvolve a autoestima. . é possível que nele encontre significado.Descobrir o significado do trabalho que executamos é imprescindível. Alguém pode sentir-se predominantemente motivado por fatores econômico-financeiros.. mas todas elas partem de um ponto – a vontade de fazê-lo.promoção da aprendizagem e do desenvolvimento pessoal... Se o trabalho lhe proporciona benefícios dessa ordem. de sentir-se competente. Essa busca é um processo de aprendizagem que pode ser difícil.. Outro pode sentir-se predominantemente motivado pelo desejo de ser saudável. A humildade de reconhecer que pouco conhecemos de nós mesmos. de participar de decisões. O que vale aí é nossa predisposição para a busca.. é possível que nele encontre significado.

Entretanto. Dito de outra maneira. memorize o nome das pessoas. a subjetividade humana não funciona como engrenagem de máquina. permitirão que entendamos nossas motivações e as dos outros. Lucramos nós e lucra a empresa em um contrato psicológico que. O autoconhecimento é um conhecimento encoberto. Afinal. A literatura é rica em receitas de bolo para provocar a motivação nas pessoas – por exemplo. O autoconhecimento e o autodesenvolvimento. Sabemos que motivação é um processo intrínseco. em essência. Por outro lado. está no interior de cada pessoa. provavelmente. iremo-nos sentir motivados a realizá-lo.Nós somos a régua com a qual avaliamos tudo e todos. Tais técnicas. . O autoconhecimento é um conhecimento sentido. Encontrando significado no trabalho. E essa descoberta. realmente. e. Conhecendo-nos. conduza à ação que a empresa espera. O autoconhecimento é subjetivo. nós a fazemos pela vida afora. dão certo. esperamos da empresa uma série de recompensas que irão satisfazer nossas necessidades. contribuamos para que tal motivação. vivenciado. certamente. é um conjunto de expectativas. Podemos então avaliar se o que o trabalho representa para nós é compatível com essa motivação. nem sempre. somos a referência para avaliar o outro e chegar a conclusões. De um lado. a partir daí. um gestor pode provocar essa motivação por meio de estímulos – que não se confundem com a pura e simples aplicação de técnicas. A busca do autoconhecimento. mas que é possível descobrir. descobriremos o que nos motiva. conduz ao autodesenvolvimento. ou seja. Elas podem ajudar. mas é engano imaginar que sejam suficientes. a empresa espera que nós despendamos nossas energias para satisfazer seus objetivos. diferente daqueles conhecimentos que podem ser avaliados em programas formais.