You are on page 1of 12
PROVA 119/6 Pags. EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDARIO 10.9/11.° Anos de Escolaridade (Decreto-Lei n.° 286/89, de 29 de Agosto) Cursos Gerais e Cursos Tecnolégicos — Agrupamentos 3 e 4 Duragdo da prova: 120 minutos 1 FASE 2002 1" CHAMADA PROVA ESCRITA DE GEOGRAFIA A prova & constituida por quatro grupos de itens. Todos os itens sao de resposta obrigatéria V.S.FF. 19/1 (Os dados do grafico da figura 1 mostram e percentagam de activos empregados no sector secundério, relativamente ao total de actives de cada NUT Ile das Regi6es Auténomas dos Agores e da Madeira media nacional Norta Centro. Lisboae Alentejo Algarve Agores Madeira Vale do Tojo Figura 1 ~ Popuiagao activa no sector secundario (em percentage), em 1998 Fonte: INE, Arusria Estatistica de Ports 1999, 2000, 1. Diga 0 que se entende por populagao activa. 2. Refira, com base no grafico da figura 1, a regiéo em que a populagao activa no sector secundario mais se afasta da média nacional e a regio em que mais se aproxima dessa media, 3. Formule uma explicacao para o valor da populagao activa do sector secundiario na Regiao Norte 4, Explique o facto de 0 nivel de qualificagao profissional ser um dos grandes problemas que afecta (© desempenno da populagao activa portuguesa. 11972 © texto seguinte revela alguns problemas ligados ao consumo de energia eléctrica, em Portugal. «As cémaras municipais e os hotéis algarvios pagam, inutilmente, mais de 250 mil contos & EDP por electricidade consumida, mas nao aproveitada, ao longo do ano. Esta 6 a conclusao de um estudo elaborado pela Agéncia Regional de Energia e Ambiente do Algarve. © presidente da Associagéo dos Hotéis de Empreendimentos Turisticos do Algarve subscreve as posigdes desta agéncia, lembrando que a despesa com electricidade, na hotelaria, representa 0 segundo maior custo de exploracao, imediatamente a seguir aos gastos com o pessoal. Assinala ainda que, em termos comparativos com outros sectores de actividade, a hotelaria é penalizada pelos pregos praticados durante as chamadas horas de ponta (...). Sobre fontes de energia alternativas diz que, apesar dos avangos técnicos alcangados nos Ultimos tempos, em rigor, ainda nao se pode avaliar a sua eficacia, no que diz respeito aos niveis de poupanga, custo e conservagao.» Ciéncio & Ambient, Jomal Pablico, 2000.11.12 (adaptado) 1. Refira a principal origem da electricidade utilizada para consumo doméstico, em Portugal 2. Mencione dois conselhos a dar 4 populagao com vista a diminuigéio do consumo de electricidade, nas chamadas horas de ponta. 3. Explique o baixo recurso as energias alternativas registado no nosso Pais. 4. Apresente trés argumentos que justiiquem a recente importagao de gas natural, V.S.FLF. 19/3