Escola Superior de Educação de Santarém Instituto Politécnico de Santarém

Unidade Curricular Organização e Gestão Curricular

Alimentação
Discentes: Sofia Cordeiro n.º 090234038 Vanessa Marques n.º 090234045 Educação Básica 3.º Ano turma B (Diurno)

Escola Superior de Educação de Santarém Curso de Licenciatura em Educação Básica

Índice
Introdução......................................................................................3 A Importância da Alimentação.......................................................4 Planificação Semanal....................................................................5 Docente: Ramiro Marques

Segunda-feira.............................................................................................................6 Ano Letivo: 2011/2012 Terça-feira..................................................................................................................7 Data: 17/01/2012 Quarta-feira................................................................................................................8 Quinta-feira................................................................................................................9 Sexta-feira................................................................................................................11 Conclusão....................................................................................................................13 Referências Bibliográficas............................................................................................15 Anexos.........................................................................................................................16 Anexos

2

Escola Superior de Educação de Santarém Curso de Licenciatura em Educação Básica

Introdução
O presente trabalho insere-se na unidade curricular de Organização e Gestão Curricular e foi solicitado pelo docente Ramiro Marques. Este trabalho tem como objetivo principal elaborar uma planificação para um grupo de crianças com faixa etária à nossa escolha. Optamos por elaborar uma planificação para Jardim de Infância, visto ser a nossa preferência enquanto futuras profissionais. Realizámos uma planificação semanal, sobre o tema Alimentação, esta poderá ser posta em prática durante a terceira semana do mês de novembro, visto que o Dia da Alimentação comemora-se no dia 16 deste mês. É importante trabalhar este tema com as crianças pois, nesta fase da educação infantil existe uma maior importância na aquisição de bons hábitos de alimentação. Estes hábitos contribuem para garantir o cuidado com o próprio corpo e os seus aspetos envolventes e são fundamentais no processo de autonomia das crianças. As atividades propostas na planificação procuram abordar as diferentes áreas de conteúdos e ao mesmo tempo ir ao encontro das necessidades da faixa etária do grupo de crianças. Para uma melhor elaboração da planificação tivemos em conta as orientações curriculares para a educação pré-escolar, visto que estas constituem um conjunto de princípios para apoiar o educador nas decisões sobre a sua prática, ou seja, para conduzir o processo educativo a desenvolver com as crianças. Estas constituem uma referência comum para todos os educadores e destina-se à organização da componente educativa. É importante que o Educador planifique o trabalho que pretende desenvolver. A planificação do trabalho deve ser entendida como uma atividade conjunta entre o Educador responsável pelo grupo de crianças, com a participação das crianças, dos pais e da comunidade envolvente. O educador deverá ter em consideração o resultado da observação de cada criança e do grupo, no sentido de permitir uma diferenciação pedagógica e de garantir a adequação do trabalho a realizar ao grupo de crianças envolvidas.

3

Escola Superior de Educação de Santarém Curso de Licenciatura em Educação Básica

A Importância da Alimentação
Para conseguirmos viver e sobreviver necessitamos de nos alimentar de forma saudável. A alimentação, para além de ser uma necessidade básica, é um dos fatores que mais influência a saúde e a duração de vida de um indivíduo. Através dos alimentos proporcionámos ao nosso corpo os nutrientes necessários para o seu bom funcionamento. Deve-se fazer pelo menos cinco refeições por dia, realizando um intervalo de pelo menos três horas entre cada uma. As refeições são muito importantes e devem ser feitas nos horários certos e de preferência com a família reunida, principalmente se esta está muito tempo fora de casa. As refeições servem para aproximá-los e para partilharem as suas vivências e experiências. A refeição mais importante do dia é o pequeno-almoço, visto que estamos muitas horas sem nos alimentarmos. O nosso corpo quando acordamos necessita de nutrientes para conseguirmos ultrapassar todos os desafios que iremos ter no decorrer do dia. A alimentação para as crianças é fundamental, e estas devem desde início habituarem-se a comer de tudo nas quantidades certas para que possam ter uma alimentação equilibrada, ou seja, sem excesso nem carências de todos os nutrientes. Para isso, podemos ter como base a Roda dos Alimentos, que nos ajuda a perceber a quantidade diária de alimentos que devemos ingerir, por exemplo, devemos consumir mais frutas e legumes do que gorduras.

4

Escola Superior de Educação de Santarém Curso de Licenciatura em Educação Básica

Planificação Semanal

5

Escola Superior de Educação de Santarém Curso de Licenciatura em Educação Básica

Data da Realização: Segunda-feira

Conteúdos Conhecimento Mundo do

Objetivos
• er s que Perceb os as têm da sua

Estratégias

Atividades
• ento crianças alimentação saudável. Anexo I) (Ver

Recursos
Humanos: • • dulto. Materiais: • I C A

Avaliação

conhecimento crianças acerca da

• ar uma a

Apresent atividade a imagem

Envolvim das num

rianças; r

Regista as

recorrendo

debate sobre a

conceções das crianças.

alimentação e importância. • cionar aprendizagen s e para crianças. • Conhe cer a história pertinentes com as Propor

relacionada com o tema.

magem. • Contar a de • Ouvir a Humanos: e (Ver • • dulto. Materiais: • vro. Li C A rianças; • ulação história. • ção Realiza de um Recapit da

história sobre os alimentos forma • livro tema. e expressiva. Ler e o para apresentar interativa

história educador. Anexo II)

interagir com o

significado

desenho sobre a história.

interiorização do

6

Escola Superior de Educação de Santarém Curso de Licenciatura em Educação Básica

e importância da alimentação.

a

7

Escola Superior de Educação de Santarém Curso de Licenciatura em Educação Básica

Conteúdos

Objetivos

Estratégias

Atividades
• cantar, “A Roda Ouvir e em dos

Recursos

Avaliação

Expressão Comunicação (Musical)

e
e

Enriquecer a

Apresent

Humanos: • • dulto. C A rianças;

diversificar

ar a canção de forma a incutir os bons hábitos de alimentação.

Observação e registo participação das crianças. da

grupo, a canção Alimentos”. (Ver Anexo III)

expressão musical.

Humanos:

Expressão Comunicação (Dramática Motora)

e

Criar de

Explicar • “A Dramatiz Roda dos ação da canção Alimentos”. Materiais:

• • dulto. •

C A

Observação e registo iniciativa da e capacidade de expressividade

situações

às crianças os vários gestos a realizar para a dramatização da canção.

rianças;

comunicação

e

verbal e nãoverbal.

A

das crianças.

dereços. Data da Realização: Terça-feira

8

Escola Superior de Educação de Santarém Curso de Licenciatura em Educação Básica

Data da Realização: Quarta-feira

9

Escola Superior de Educação de Santarém Curso de Licenciatura em Educação Básica

Conteúdos

Objetivos

Estratégias

Atividades

Recursos

Avaliação
• com Diálogo as Observ Registo

• • Proporcion ar aprendizagens pertinentes e com significado as crianças. para que

Organizar as

a loja

Visitar de

uma para os • • dulto. C A

crianças. • • de participação dos alunos. • o Desenh do que ação direta.

visita de estudo para crianças como possam observar e perceber estão dispostos os alimentos numa loja.

produtos Humanos: rianças;

Conhecimento Mundo

do

alimentares observar

alimentos que esta contém. (Ver Anexo IV)

observaram. Humanos: • • tar diversidade Aumen a • o Recolher de algumas embalagens produtos vazios. ão • Realizaç de um da • dulto. Materiais: • ns E de C A • • Observação direta. Registo o crianças. do das comportament rianças;

“cantinho”

Formação Pessoal e Social

de áreas para promover desenvolvime nto do Jogo

loja de produtos alimentares com o que observaram na

mbalage

10

Escola Superior de Educação de Santarém Curso de Licenciatura em Educação Básica

Data da Realização: Quinta-feira

11

Escola Superior de Educação de Santarém Curso de Licenciatura em Educação Básica

Conteúdos

Objetivos

Estratégias

Atividades
• Agrupar

Recursos

Avaliação

• nvolver

Dese o do • Solicitar

alimentos por um Humanos: determinado atributo. • • Efetuar Estabelecer • o lguns aliment os. A contagens. as crianças para contar alimentos. • Propor o agrupamento de alimentos por padrões. • • dultos. C A rianças; • das Registo noções

sentido

Expressão Comunicação

e

número. • ruir Const noções

(Matemática)

matemáticas a partir das convivências do dia-a-dia.

relações de ordem Materiais: entre os números. • Praticar cálculo mental com quantidades pequenas. Humanos: • • dultos. Materiais: • apel cenário; P C A rianças;

matemáticas consolidadas.

12

Escola Superior de Educação de Santarém Curso de Licenciatura em Educação Básica

13

Escola Superior de Educação de Santarém Curso de Licenciatura em Educação Básica

Data da Realização: Sexta-feira

14

Escola Superior de Educação de Santarém Curso de Licenciatura em Educação Básica

Conteúdos

Objetivos

Estratégias

Atividades

Recursos
Humanos: • • dultos. Materiais: • C C A rianças;

Avaliação

Explicar • ção Realiza do jogo e

artões com • ádio; • d’s • ários instrume ntos metal de de e C de V as R imagens; rsa

• •

Obser Conve com as do

Expressão Comunicação (Musical e Motora)

e
e

Enriquecer a

o jogo de forma clara esclarecer eventuais dúvidas.

vação direta.

diversificar

expressão musical.

dos alimentos. (Ver Anexo VII)

crianças acerca jogo.

música;

15

Escola Superior de Educação de Santarém Curso de Licenciatura em Educação Básica

Conclusão
O presente trabalho, que se refere a uma planificação semanal para o préescolar, cujo tema aborda a “alimentação” foi uma mais-valia para a nossa formação, enquanto futuras profissionais na área da educação. Um dos aspetos mais benéficos a destacar foi o facto de percebermos o quão importante é a elaboração de uma planificação. É um instrumento de trabalho necessário para qualquer educador, através dela o educador/professor traça a sua perspetiva sobre o processo de ensino-aprendizagem a desenvolver durante o período estipulado. A elaboração de uma planificação só traz benefícios, quer para o educador/professor, (que pode estruturar de forma organizada o trabalho que quer colocar em prática e quais os objetivos que pretende adquirir com a sua realização) quer para as crianças/alunos (que adquirem os conhecimentos de forma organizada que facilite a aprendizagem). No que diz respeito à planificação na educação pré-escolar, esta rege-se muito pelas orientações curriculares e pelas metas de aprendizagem, pois estas constroem um instrumento facilitador que proporciona à criança momentos de prazer que ao mesmo tempo vão ao encontro das sua necessidades, ou seja, procuram estimular e desenvolver algumas áreas nas crianças para que se tornarem mais autónomas e responsáveis a todos os níveis. Uma planificação em contexto de Jardim de Infância é bastante importante, mas também é de frisar que esta deve ser flexível para que em qualquer momento se possa moldar a uma determinada situação, para satisfazer as necessidades das crianças. No desenrolar deste trabalho aprendemos um dos modos de estruturar uma planificação semanal e quais os itens que a compõem para esta se tornar o mais completa possível. Adquirimos várias competências, conteúdos, temáticas e conhecimentos, o que é bastante gratificante, uma vez que vamos ser as principais responsáveis e intervenientes na transmissão de conhecimentos às gerações futuras, bem como na formação e educação de cidadãos, o que nos obriga a ter um conhecimento sobre “Como planificar?”. Todas as atividades enumeradas ao longo do trabalho foram escolhidas por nós, tendo sempre em atenção os objetivos que pertendiamos que as crianças adquirissem,

16

Escola Superior de Educação de Santarém Curso de Licenciatura em Educação Básica

Cocluíndo, este trabalho foi muito gratificante para a ampliação do nosso conhecimento ao nível pedagógico, progredindo para o bom desenvolvimento das competências relativas ao tema da alimentação.

17

Escola Superior de Educação de Santarém Curso de Licenciatura em Educação Básica

Referências Bibliográficas
Afonso. N (Coord.). (2010). Metas de Aprendizagem no pré-escolar. Ministério da Educação (ME): Direção Geral de Inovação e de Desenvolvimento Curricular (DGIDC). Brazelton, T. B. & Sparrow, J. D. (2004). A Criança e a Alimentação. Lisboa: Editorial Presença. Brazelton, T. B. & Sparrow, J. D. (2010). A Criança dos três aos seis anos. Lisboa: Editorial Presença. Figueiredo, M. A. R. (2007). Programação e Planificação na Educação Préescolar. (Série B). Lisboa: Bola de Neve. Figueiredo, M. A. R. (2009). Programação e Planificação na Educação Préescolar. (Série A). Lisboa: Bola de Neve. Figueiredo, M. A. R. (2010). Projeto Curricular no Jardim de Infância. Lisboa: Bola de Neve. ME/DEB. (1997) Orientações Curriculares para a Educação Pré-Escolar. Lisboa: M.E./DEB – NEPE. Santos, A. (1997). Enciclopédia de Educação Infantil. (I Volume). Rio de Mouro: Nova Presença.

18

Escola Superior de Educação de Santarém Curso de Licenciatura em Educação Básica

Anexos
Anexo I – Imagem para iniciar o diálogo com as crianças sobre o tema da alimentação Anexo II – História “A Sr.ª Roda dos Alimentos” Anexo III – Canção “A Roda dos Alimentos” Anexo IV – Visita à loja de produtos alimentares Anexo V – Construção da Roda dos Alimentos Anexo VI – Construção de um Dominó Anexo VII – Jogo dos Alimentos Anexo VIII – Á Mesa Anexo IX – Ficha de avaliação do tema

19

Escola Superior de Educação de Santarém Curso de Licenciatura em Educação Básica

Anexo I
Mostrar uma imagem motivadora como a seguinte figura:

Estabelecer um diálogo com as crianças sobre a figura, utilizando perguntas – estimulo: • • • • • • • O que está a fazer esta família? O que estão a comer? É importante beber água? Que alimentos se devem comer para ter uma alimentação saudável? O que nos aconteceria se não comêssemos? Quantas refeições devemos fazer durante o dia? Qual é a refeição mais importante do dia?

20

Escola Superior de Educação de Santarém Curso de Licenciatura em Educação Básica

Anexo II História “A Sr.ª Roda dos Alimentos”
Era uma vez uma senhora muito redondinha…esta senhora era muito redondinha e muito brincalhona. E sabem qual era a sua brincadeira preferida? Ela adorava brincar com todos os alimentos: com as cenouras, com a maçã, com a cebola, com o nabo, com a abóbora, com o morango, com a couve-flor, com a alface, com a água… com as cerejas, com o ananás, com o pepino, com o pão, com o leite, com o iogurte, com o queijo, com os ovos, com o azeite, e com a manteiga. Certo dia, andava a senhora muito redondinha na sua brincadeira quando decidiu fazer um jogo com todos os alimentos. Os alimentos gostaram muito da ideia, porque também adoravam brincar. Então, a senhora muito redondinha pediu a todos os alimentos que estivessem com muita atenção para explicar o jogo: - Todos os alimentos do mesmo grupo ou família vão juntar-se para formar um grupo – explicou a senhora muito redondinha. - Vamos jogar? – Perguntou a senhora roda. - Sim – responderam todos os alimentos em coro. De repente, gerou-se uma grande confusão, porque uns alimentos queriam ficar no mesmo grupo e outros não sabiam para onde haviam de ir… A senhora roda voltou a explicar que só podiam ficar no mesmo grupo, os alimentos parecidos, por exemplo, a maçã, a pera e outras frutas formavam um grupo… As cenouras, as couves e outros legumes formavam outro grupo… A massa, o arroz, o pão, outro grupo… O leite, o queijo, os iogurtes, outro grupo… O feijão, o grão, as ervilhas formavam outro grupo… Os ovos, a carne, o peixe juntos formavam outro grupo... O azeite, a manteiga, o óleo, outro grupo… Depois desta explicação, os alimentos começaram a juntar-se em grupos… Assim, a maça, o morango, a pera, o ananás e as cerejas juntaram-se e formaram o grupo das frutas. A seguir, o tomate, a cenoura, o pimento, a couve-flor, a alface, a cebola, a abóbora, o nabo, o pepino juntaram-se e formaram o grupo dos legumes.

21

Escola Superior de Educação de Santarém Curso de Licenciatura em Educação Básica

Depois, a massa, o arroz, as batatas e o pão formaram o grupo dos hidratos de carbono. O feijão, o grão, as ervilhas formaram o grupo das leguminosas. O leite, o queijo e o iogurte formaram o grupo dos lacticínios. Os ovos, a carne e o peixe formaram outro grupo, o das proteínas. O azeite, a manteiga e o óleo formaram o grupo das gorduras. Mas sobrava um alimento…a água. A senhora roda explicou que a água era muito importante e ficava no meio de todos os outros grupos, porque todos os alimentos são constituídos por água. Quando todos os alimentos estavam juntos em grupos, a senhora roda dos alimentos explicou que cada grupo era muito importante e que se devia comer um pouco de todos os grupos, comendo mais dos grupos maiores e menos dos grupos mais pequenos.

22

Escola Superior de Educação de Santarém Curso de Licenciatura em Educação Básica

Anexo III Canção “A Roda dos Alimentos”

Da roda dos alimentos De tudo devo comer! E antes da refeição, Boa água vou beber! Gosto muito de legumes De arroz, massa e feijão. Das gorduras e do açúcar, Não abuso, isso não! Eu como frutos maduros Leite, carne, peixe e pão. Como bem, não como muito, Vario a alimentação.

(Música: “Ó Rama, ó que linda rama”)

23

Escola Superior de Educação de Santarém Curso de Licenciatura em Educação Básica

Anexo IV
Organizar uma visita a uma loja de produtos alimentares (supermercado ou mercado), situada perto do Jardim de Infância. Dirigir a observação para os diferentes alimentos que estão postos à venda. Fazer notar algumas características da comercialização dos produtos. Por exemplo: - As frutas apresentam-se classificadas pelo seu tamanho; - O peixe vende-se fresco ou congelado; - As verduras vendem-se frescas, de conservas ou congeladas; - Os refrescos vendem-se em garrafas de vidro, de plástico ou em latas; - Os queijos vendem-se por unidades ou em pedaços; - Etc.. Explicar que os alimentos que se vendem embalados levam sempre a data de caducidade, após a qual não devem ser consumidos e devem ser retirados.

24

Escola Superior de Educação de Santarém Curso de Licenciatura em Educação Básica

Anexo V Construção da Roda dos Alimentos
- Preparar um painel de forma circular, com um metro de diâmetro, aproximadamente. Traçar linhas no interior do círculo, de modo que fiquem determinadas sete segmentos circulares com diferentes dimensões, os quais indicam a proporção de peso com que cada um deles deve estar presente na alimentação diária. - Distribuir revistas às crianças e pedir-lhes que recortem imagens de alguns alimentos. - Juntar vários alimentos e classifica-los nos sete grupos que, abaixo, se pormenorizam, cada um no segmento correspondente da roda. Grupo I (18%): Leite e seus derivados (Leite; leite condensado, iogurte, queijo, etc.). Grupo II (5%): Carnes, peixes e ovos (Carne de vaca; carne de porco; galinhas; salsichas; pato; frango; coelho; enchidos; ovos, presunto; salgados, etc.). Grupo III (4%): Legumes, tubérculos e frutos secos (Grão de bico; ervilhas; feijão verde; lentilhas; nozes; amêndoas; avelãs; amendoins; pevides; castanhas; pinhões; etc.). Grupo IV (23%): Verduras e hortaliças (Alhos; cebolas; alfaces; couve-flor; espinafres; pepinos; tomates, cenouras; etc.). Grupo V (20%): Frutas (Nêsperas; cerejas; alperches; morangos; figos; limões; tangerinas; maças; pêssego; melão; laranja; banana; pera; melancia; uvas; etc.). Grupo VI (28%):

25

Escola Superior de Educação de Santarém Curso de Licenciatura em Educação Básica

Cereais, açúcar e bebidas (Arroz; milho; farinha; biscoitos; bolos; chocolate; mel; pão de trigo; geleias; massas; cerveja; vinho; licores; refrescos; etc.). Grupo VII (2%): Óleos e gorduras (Azeite; cacau; banha; margarina; toucinho; manteiga; etc.). No centro: Água.

26

Escola Superior de Educação de Santarém Curso de Licenciatura em Educação Básica

Anexo

VI

Construção de um Dominó
- Recorte, em panfletos de supermercado, de imagens de diferentes alimentos; - Recorte de 15 cartões (15cm x 5cm); - Colagem das diferentes imagens nos diversos cartões; - Explicar às crianças as regras do dominó e selecionar duas crianças para irem realizar o jogo; - Quando todas as crianças perceberem as regras de funcionamento do jogo, coloca-lo no “cantinho” dos jogos de mesa, para que as crianças possam brincar.

27

Escola Superior de Educação de Santarém Curso de Licenciatura em Educação Básica

Anexo VII Jogo dos Alimentos
Cada criança coloca ao peito um cartão que o identifique com um alimento: fruta ou legume. Num canto da sala coloca-se a imagem de uma panela e no outro canto a de uma fruteira e atribui-se o som a cada um dos conjuntos (Frutas – instrumentos de metal; legumes – instrumentos de madeira). Ao som de uma música, as crianças movimentam-se pela sala. Quando ouvem o som de um instrumento musical de metal, as frutas correm para o canto, junto da imagem da fruteira; quando ouvem um instrumento de madeira, correm os legumes para o canto junto da imagem da panela.

28

Escola Superior de Educação de Santarém Curso de Licenciatura em Educação Básica

Anexo VIII Á Mesa
Talheres de Mesa: Em conversa com as crianças questioná-las sobre quais os utensílios que podem estar sobre a mesa. Em seguida mostrar às crianças imagens dos objetos mencionados anteriormente fazendo com que as crianças os identifiquem pelo seu nome e perguntando-lhes, depois, de que objetos se serviram para comer determinados alimentos. Uso dos Utensílios: Dividir as crianças em dois grupos e, logo que o Educador indicar o utensilio, ambos os grupos, alternadamente, explicarão o seu uso habitual, para além da comodidade e da limpeza que resultam da sua utilização. Preparar a Mesa: Mostrar às crianças pratos, copos, talhares, guardanapos… Pedir-lhes que os nomeiem e que digam para que servem. Em seguida, dar instruções às crianças para que coloquem na mesa cada coisa no seu lugar. Por exemplo, a faca à direita do prato, o grafo à esquerda, etc.. Depois, as crianças sentar-se-ão à mesa e seguirão as instruções do Educador, supondo que em frente está a comida. Dar algumas instruções às crianças, tais como: - Vamos comer. Primeiro pegamos no guardanapo e colocamo-lo sobre as pernas. Agora vamos comer a sopa. Que talher devemos usar? - Vamos comer um filete. Que talher usaremos? - Se as crianças forem comer a um refeitório deve-se praticar tudo o que explicou anteriormente e procurar fomentar os hábitos adequados ao manejo dos utensílios, destacando o que está incorreto e conversando sobre a utilidade e a vantagem do bom uso dos utensílios.

29

Escola Superior de Educação de Santarém Curso de Licenciatura em Educação Básica

Anexo IX
Nome:_____________________________________________________________ Data:________________

1. Rodeia os alimentos bons para a saúde.

2. Rodeia os alimentos que deves consumir todos os dias.

3. Rodeia os produtos que derivam do leite.

30

Escola Superior de Educação de Santarém Curso de Licenciatura em Educação Básica

4. Risca o que está errado em cada grupo. • Deves lavar:

Deves comer todos os dias:

5. Desenha um lanche saudável.

31

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful