Demologia Ghoetica Goetia é um assunto interessante e uma prática que divide muita gente.

Tem gente que adora e tem gente que detesta. Particularmente não pratico Goetia e não estou interessado em fazê-lo, o que pode distorcer um pouco minha opinião a respeito. Mas estudar os seres da Goetia é algo que me preocupo, uma vez que alguns desses seres parecem se manifestar na Umbanda e Quimbanda. A Goetia é uma prática mágica medieval. O nome Goetia é provavelmente um nome bárbaro, e não tem significado aparente. O som Goetia (pronuncia-se goétia) refere-se aos gritos que são pronunciados durante os rituais. Segundo meu herói Kenneth Grant, Goetia significaria "sussurro", o que a ligaria à Árvore da Morte. Embora goste de Grant, não concordo com a tese desses seres estarem na Árvore da Morte. Antes, precisamos definir 2 termos, que são essenciais para entender essa prática. Existem duas formas de se ter contato com um "ser" ou "entidade". A primeira é a INvocação, onde chamamos o ser para dentro de nós. A segunda é a Evocação, onde colocamos o ser fora de nós, possivelmente materializando-o. É pela evocação que existe o contato "clássico" com o ser, embora exista gente tenha conseguido a invocação com sucesso. Os seres derivam do nome de Deus que tem 72 letras, o SHEMHAMPHORASH. Como vivemos em um mundo de dualidade, ele se desdobra em um feixe de luz e sombras, gerando 72 anjos e 72 demônios. Na verdade, segundo a teoria, esses 72 seres seriam um só, divididos em 2, conforme as leis do hermetismo. Isso gera reflexões interessante, uma vez que muitos afirmam que temos um oposto em algum local no universo, a esse exemplo. O SHEMHAMPHORASH é essencialmente um nome que se manifesta em LVX, ou na Árvore da Vida. Em NOX, ou Árvore da Morte, existiriam 72 outros seres, divididos sucessimente em 2 polaridades. E seguindo essa teoria, esses 72 (divididos em 2) de NOX se relacionam com os 72 (divididos igualmente em 2) de LVX. A polaridade da polaridade. O ritual goético é muito complexo, cheio de parafernálias discutiveis e até inúteis. Está baseado em antigos grimórios medievais, as Claviculas Salomonis, textos como o Arbatel da Magia e outros livros obscuros, hoje todos fácilmente encontráveis na Net, todos em PDF. O principal é conhecido como Liber Sameck, que envio em outro mail. A Goetia é uma prática mágica que se dedica exclusivamente a evocação dos 72 demônios de LVX. Os seres de NOX são pouco conhecidos hoje e não foram todos catalogados, ainda hoje. Os 72 seres se dividem em uma hierarquia infernal complexa. São divididos em Reis, Principes, Duques, Marqueses e coisas do gênero. Os seres são: Bael, Agares, Vassago, Samigina, Marbas, Valefor, Amon, Barbatos, Paimon, Buer, Gusion, Sitri, Beleth, Leraje, Eligos, Zepar, Botis, Bathin, Sallos, Purson, Marax, Ipos, Aim, Naberius, GlasyaLabolas, Buné, Ronové, Berith, Astaroth, Forneus, Foras, Asmoday, Gaap, Furfur, Marchosias, Stolas, Phenex, Halphas, Malphas, Raum, Focalor, Vepar, Sabnock, Shax, Viné, Bifrons, Uvall, Haagenti, Crocell, Furcas, Balam, Alloces, Camio, Murmur, Orobas, Gremory, Osé, Amy, Oriax, Vapula, Zagan, Volac, Andras, Haures, Andrealphus,

Cimejes, Amdusias, Belial, Decarabia, Seere, Dantalion, Andromalius. Vários deles tem diferentes pronuncias ou nomes, como Asmoday, conhecido em português como Asmodeus. Normalmente, se estudarmos melhor esses seres vamos perceber algumas coisas interessantes. Astaroth é uma derivação da deusa Ishtar e portanto de Innana, Afrodite, Vênus e etc. No esquema infernal, principalmente no proposto por Milton, faltam os dois principais, Bels-Zebub (é assim que se escreve ?) e Satan. Segundo Eliphaz Levi, tentar evocar um dos dois é procurar a loucura. Normalmente, podemos dizer que muitos desses demônios são antigos deuses de povos conquistados, ou inimigos dos judeus. Esse é um fenômeno interessante, o da demonização. Para entender melhor esse fato, precisariamo estudar o método de criação de deuses e egregoras. É possível que muitos deles sejam egregores, deuses criados com sacrificios humanos, sacrificio de sangue e etc. Como pode ser que sejam pessoas como nós, que já andaram sobre a terra. Algo como os Orixás, Voudouns, ou os espíritos de Umbanda, Vodú, Palo Majombe e outros cultos. Aliás, é uma das insistencias de parte do pessoal que pratica Goetia. Os demônios ali registrados não seriam demônios, mas deuses e até seriam benéficos. O olhar a esses seres seria com preconceito. Isso é positivo. Mas muitos apenas entram em contato por simplesmente seres demônios, entidades malignas e etc. Mandar maldições e coisas do gênero. Aliás, cada um comanda algo, vejamos Furcas: "ensina as artes da filosofia, astrologia, retórica, logica, claromancia e piromancia, em todas suas partes e perfeitamente". Para o praticante de Goetia, esse ser deveria ser evocado, para o aprendizado dessas artes. Assim, o magista escolhe um, para o contato devido a afinidade que tem com ele e o que possa obter com esse ser. Normalmente não é o que ocorre. Insistem alguns, que esses seres escolhem o praticante. Cada um tem um forma demoníaca diferente, alguns de monstros, seres fálicos e etc. E cada um tem um sêlo, uma marca que o identifica e que é utilizada para chamá-lo. E isso é uma das coisas mais interessantes, um simbolo que identifica um espírito. A outra coisa interessante é que cada um comanda legiões de espíritos. É aí que a coisa realmente pega. Já dizia meu pai, que é Pai de Santo de Umbanda, que o Exu Tranca Rua das Almas é Bels-Zebub, o Exu Caveira, Astaroth e mais uma série de relacionamentos que não me lembro ao certo. Isso, os próprios Exus teriam dito, uma vez que ele pode vê-los frente a frente, pois é médium. Dizem que muitos dos selos dos demônios da Goetia são quase que semelhantes a pontos riscados de Exus (Lei de Pemba). Assim, esses seres encontraram outras formas de manifestação. Outro fato: demônios da Goetia comandam legiões. Paimon, por exemplo é um Rei que comanda 200 legiões e por isso, nesse sentido, seria o mais poderoso de todos os seres (digo novamente: nesse sentido). Os Exus comandam falanges. O Exu do Lodo, por exemplo, comandaria um sem número de espíritos que se identificam todos como Exu do Lodo. Aliás, os Exus se dizem tenentes, capitães e etc. Uma evidencia de hierarquia. Assim, para designar o Exu do Lodo, devemos portanto,

considerar a totalidade desses espíritos. Prossigamos com a viageira. Um demônio da Goetia tem uma contraparte. Assim, um Exu teria uma contra-parte ? Um Exu e um Cabloco, ou um Exu e um Preto-Velho podem ser o mesmo ser ? Isso é difícil de se saber e qualquer dia desses faço essa pergunta para eles. Assim, se um Exu for um demônio da Goetia, e se um demônio da Goetia for um anjo (segundo o velho conceito do que seja um anjo), um Exu é um anjo e um caboclo, um preto-velho, uma criança, um boiadeiro, um marinheiro também são... E um Exu, ou um preto-velho, ou uma criança e seres do gênero, podem ser o famoso Sagrado Anjo Guardião de alguém. Ou seja, o Ori de alguém pode ser o SAG. E a conversação com o Sagrado Anjo Guardião é o objeto de todo o Mago Ocidental. Sabemos que esses seres passam o verdadeiro nome da pessoa, conforme o Gwydyon colocou em outra lista. E é isso que o SAG faz com o magista que o contata. E isso pode ser a maior lição de humildade que alguém que pratica a magia ocidental e pretende que os cultos afros sejam coisas inferiores: seu SAG pode ser um Cabloco, um Erê e etc. Assim, Abramelin, Goetia e outras coisas seriam hoje, técnicas "complexas" e "obsoletas" para se contatar o anjo. Bastaria uma vela e um copo dágua ? Em tese, a prática da Goetia é o caminho entrada para o contato com o Anjo. A pessoa "pratica" evocando demônios, até estar habilitada a evocar o próprio anjo. É uma prática complexa e cheia de problemas e etc. Muitos evocam os demônios com círculo mágico, espada, cálice, sigilos, evocações em linguas bárbaras e etc. Outros simplesmente olham para o sêlo, enquanto elevam a Kundalini. Outros tentar usar a técnica do Spare, untanto o selo, ou sigilo com esperma ou sangue menstrual. Existe muito a ser dito sobre o assunto, isso foi apenas um esboço.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful