A Informática na Educação a Distância

André Garrocini, Prof. Msc. Orlei José Pombeiro Grupo de Pesquisas em Informática, Bacharelado em Sistemas de Informação, Sociedade Paranaense de Ensino e Informática - Faculdades SPEI Fone(0XX41)3321-3131, Fax (0XX41)3321-3142 garrocini@click21.com.br , orlei@spei.br

Resumo A educação a distância estabelece um crescimento acelerado e começa a avançar nos cursos de nível Superior, tendo o governo como um dos defensores desta modalidade no Brasil. Muito se fala quanto aos supostos benefícios proporcionados por esta modalidade de ensino, mas quase nenhum estudo apresenta questionamentos a estes benefícios. A exclusão digital da maior parte dos jovens brasileiros, a falta da cultura de auto-aprendizado, o problema da qualidade do material e dos cursos, a evasão dos alunos e o conceito tradicional de aprendizagem são temas abordados neste artigo, estabelecendo uma crítica a esta metodologia de forma que ela possa ser melhor analisada antes de ser considerada a solução ao problema de Ensino Superior no Brasil.

Palavras-chave: EAD, Educação a Distância, e-learning, informática e educação.

Introdução Com o crescimento da Internet no Brasil, as aplicações de Educação a Distância ganharam mais um aliado na disseminação do conhecimento. Além das aplicações suportadas por mídias eletrônicas, como a TV e o Rádio, e mídias escritas, como os cursos por correspondência, começam a surgir, no final da década de 90 aplicações de EAD através da Internet, também conhecidas como e-learning. Muito se fala sobre o crescimento deste nicho de mercado educacional e das vantagens desfrutadas pela sua aplicação. No entanto, poucos estudiosos, pedagogos ou sociólogos, discutem as influências deste tipo de aprendizagem na formação cognitiva do aluno. Assim sendo, o objetivo deste artigo não é vangloriar a aplicação da EAD nos seus diversos modelos, mas sim questionar suas conseqüências na formação cultural e social dos jovens brasileiros, principalmente na educação Superior.

Metodologia Para o desenvolvimento deste artigo foram utilizadas informações de sites especializados no assunto EAD, conforme descrito nas referências, além de debates entre um grupo universitário, cujo objetivo foi estabelecer relações negativas da aplicação do Ensino a Distância através do uso da informática. As diferentes argumentações adquiridas durante o processo são distribuídas em tópicos, com o intuito de proporcionar uma melhor organização da leitura.

O Governo brasileiro inicia em 2006 um projeto de inclusão dos jovens ao ensino Superior, criando-se para isso, a Universidade Aberta do Brasil. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, o Brasil possui apenas 9% da população entre 18 e 24 anos nas faculdades e universidades, sendo que a região sudeste concentra cerca de 49% das matrículas [1]. Para a representante da Associação Brasileira de Ensino a Distância (Abed) em Brasília, Rosa Pessina, a educação brasileira ganha muito com essa iniciativa. O fato de ser um ensino não-presencial abrange uma maior quantidade de pessoas , destaca [1]. Conforme exposto nas afirmações que procedem este parágrafo, verifica-se que o Brasil enfrenta grandes problemas relacionados a formação superior de sua população. Como possível solução, o governo brasileiro deseja implantar o sistema de Ensino a Distância em uma Universidade Virtual, onde os alunos, ditos prejudicados pelo sistema de ensino, utilizarão os recursos educacionais disponíveis pela Internet para construir seu conhecimento. Segundo dados do IBOPE, no Brasil apenas 12% dos domicílios tem acesso à Internet e 55% nunca utilizou um computador [2].

A Universidade Aberta do Brasil

as questões são em sua maioria optativas. este modelo permite ajustar o conteúdo dinamicamente. sabendo que em sua maioria são eles os excluídos digitais? A Universidade Aberta do Brasil cita como publico alvo: qualquer cidadão que concluiu a educação básica. Na EAD isso não é possível. pela rapidez com que ela se expande nos últimos anos e a maior parte das pesquisas foca experiências isoladas e porque há uma contínua interaprendizagem: cada instituição aprende com as outras e passa a imitar as propostas bem sucedidas. como será avaliada? Norte Nordeste Sudeste Figura 2 Distribuição das Instituições de Ensino Superior Credenciadas em EAD no Brasil fonte MEC Sendo assim. conforme a percepção do professor quanto ao entendimento dos alunos. pela quantidade de instituições que estão envolvidas . Temos dificuldade em visualizar todas as variantes que estão acontecendo.[4] A construção do conhecimento A concepção construtivista de Piaget interpreta o processo de ensino-aprendizagem como um processo . através de uma prova estritamente optativa refletirá o conhecimento adquirido pelos alunos? E a capacidade de expressão destes futuros educadores. como espera o governo? Qualidade do Ensino a Distância Mesmo que utopicamente o Brasil possuísse uma base sólida para utilização dos recursos disponíveis pela Internet para aplicação da EAD. atendendo aos requisitos exigidos pela instituição pública vinculada ao Sistema Universidade Aberta do Brasil [3]. Distribuição no Brasil CentroOeste Sul Plenamente Satisfatório Figura 3 Qualidade do Conteúdo de e-learning na internet disponibilizados no Brasil [8].Instituições Credenciadas 40 30 20 10 43% Qualidade do Conteúdo 6% 10% 0 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 Insatisfatório 41% Razoavelmente Satisfatório Satisfatório Figura 1 Instituições de Ensino Superior Credenciadas em EAD fonte MEC. é realizado por um especialista sem os conhecimentos multidisciplinares necessários para qualificar a obra em todos os seus aspectos. principal curso apontado pelo Governo como candidato a EAD. É muito difícil fazer uma avaliação abrangente e objetiva do ensino superior à distância no Brasil. onde o professor interage frente a frente com os seus alunos. Quanto a dificuldade na gestão da qualidade. Em um curso presencial. copia do modelo presencial. a EAD sofre novamente as conseqüências do ensino a distância. Além de muito rico em informação. Estas pessoas chamadas de qualquer cidadão brasileiro não recebem preparação na educação publica para o uso da Internet e muitos não têm sequer acesso a esta tecnologia. Avaliar o conhecimento de um conteúdo de Pedagogia. como espera o governo brasileiro atingir esta população de jovens sem acesso ao ensino superior. o conteúdo da aula torna-se a soma entre o material didático. Além deste. a capacidade de ensino do professor e as interações dos alunos. pode-se destacar duas causas: a preparação do material e a avaliação dos resultados alcançados pelos alunos. Mesmo que as avaliações sejam realizadas em locais pré-definidos. foi aprovado no processo seletivo. Poderá então esta solução atender estas pessoas. ficando este talvez apenas para a próxima turma que fará o curso. pois todo o material deve ser previamente preparado e a interação professor-aluno ou aluno-aluno não tem a dinâmica necessária para permitir algum ajuste em tempo de execução da aula. tem-se o problema da preparação do material que. em sua grande maioria. ainda assim existe o problema com a gestão da qualidade deste ensino. inibindo a expressão do aluno quanto ao conteúdo adquirido por ele. Um designer instrucional não é simplesmente um especialista em determinado assunto digitando seus pensamentos em uma apresentação de PowerPoint [5] No momento da avaliação do aproveitamento do aluno quanto ao conteúdo.

ainda. a inabilidade em lidar com as novas tecnologias cria dificuldades em acompanhar atividades propostas pelos cursos a distância como: receber e enviar e-mail. de grupos de discussão. por exemplo. visto que o público afetado não tem preparação cultural para este processo de aprendizagem? Conclusões A educação a distância. não podendo ser minimizados ou ignorados. a construção deste ambiente de disseminação do conhecimento se torna impossível. mas poucos são os procedimentos que controlam a qualidade e a influência futura destas técnicas na formação do aluno quanto pessoa formadora de opinião. Tem-se. Com o tempo. Para que nossa educação não sofra as . Disponibilizar ao aluno um material de apoio que supre todas as dificuldades de concepção faz com que este não estimule sua capacidade de raciocínio abstrato e. sente dificuldades que impedem seu progresso desmotivando-a a continuar com os estudos. um problema cultural de uma população que não foi preparada para adquirir conhecimento sozinha e. A diversidade de técnicas que podem ser aplicadas nesta modalidade de ensino são muitas. ou seja. mas não o deixará preparado para o entendimento de um raciocínio imediatamente posterior. Insuficiente domínio técnico do uso do computador. Pode-se destacar as seguintes suposições quanto a evasão em cursos a distância via Internet: [7] Como poderá então ser aplicado o projeto da Universidade Aberta do Brasil pelo Governo. principalmente da Internet. em situações de isolamento social. assim como ocorre no ensino presencial tradicional. sem que ninguém esteja acompanhando seu processo no dia-a-dia para auxiliálo. faz com que o aluno de EAD não se sinta incluído num sistema educacional. proporcionará ao aluno um entendimento imediato do assunto. conseqüentemente. a sala de aula deve ser vista como uma comunidade educativa engajada em atividades de discussão. principalmente. Um dos motivos para a evasão dos alunos nos cursos a distância pode então ser estabelecido à falta de informação destes alunos sobre o processo. já se iniciou no Brasil sem que haja possibilidade de retorno. do professor. pois neste tipo de relacionamento julga-se haver maior interação e respostas afetivas entre os envolvidos no processo educacional. etc. a aprendizagem ocorre durante um processo de construção e assimilação de conhecimento. aplicada no Ensino Superior. dificuldade em expor idéias numa comunicação escrita a distância. Como poderá então a EAD proporcionar a estes alunos um processo de construção do conhecimento? E como serão as influências deste método passivo de aprendizagem na formação da sociedade futura? A falta da tradicional relação face-a-face entre professor e alunos. inviabilizando a interatividade. onde o aluno deve ser guiado a testar sua interpretação do assunto. assim. A falta de um agrupamento de pessoas em uma instituição física. ou seja. ele descobre que não é tão fácil como imaginava. mesmo que este não chegue a resultados corretos. fazer links sugeridos. não complete o processo de aprendizagem. participar de chats. Outra razão está na falta de acompanhamento por parte da instituição de ensino. onde o aluno está isolado fisicamente do restante da turma e. Os erros precisam ser percebidos como resultado de concepções do aluno. construída socialmente e destinada muitas vezes à transmissão de saberes. Assim. pois não construiu neste o processo da interpretação abstrata capaz de gerar o conhecimento. A comunicação entre os elementos do processo educativo estimula o pensamento. Tabela 1 Material utilizado pelas Instituições de Ensino Superior Número de % do Mídia Instituições total Impresso E-learning Televisão Vídeo Rádio CD-Rom Outros Fonte: MEC 52 39 14 24 2 35 11 84 63 23 39 3 56 18 Evasão pré-matura O fato de o aluno poder começar um curso a distância a qualquer momento e em qualquer lugar. reflexão e tomada de decisões.social de caráter ativo em que o conhecimento é fruto da construção pessoal do aluno [6]. com vídeos computadorizados e recursos audiovisuais demonstrando um raciocínio matemático. Uma apresentação multimídia. que não responde ou demora a responder às necessidades apresentadas pelo aluno durante o decorrer do curso. O aluno é um agente ativo na construção do seu conhecimento por meio da sua interação com o mundo físico e social. Do ponto de vista da EAD por meio da Internet. Ausência de reciprocidade da comunicação. pois ele tem que estudar mais do que nos cursos presenciais e. Assim. o leva a matricular-se sem avaliar todos os quesitos para a conclusão deste.

Fonte: http://www.uab. disponível em 14 de maio de 2006. 2006. Penetração da Internet nos Domicílios. [3] Universidade Aberta do Brasil. tornando-os aptos ao aprendizado a distância. 2002.php. http://www. 2003. Referências [1] Anônimo. http://www. para que estes futuros alunos da EAD tenham conhecimentos satisfatórios da tecnologia.asp. disponível em 13 de maio de 2006. o Brasil deverá enfrentar muitas barreiras antes de poder considerar a educação a distância como uma opção de inclusão dos jovens aos cursos de nível Superior. 4º Trim. desde o ensino fundamental. . Teorias Cognitivas da Aprendizagem.asp?id=2844.elearningbrasil. deve proporcionar um acesso verdadeiro a internet no Brasil. em conjunto com as instituições privadas. http://www. http://www. IBEPEX.br/home/d_mercad o/mercado.elearningbrasil. que não agrega valor social a seus alunos. Abril. disponível em 13 de maio de 2006.asp?id=3145.gov.nic. [5] Anônimo. disponível em 13 de maio de 2006.mec.com.elearningbrasil.com. realizado pelo portal e-Learning Brasil com 263 organizações brasileiras.br/pesquisa/resulta dos/pesq_result_48.br/publico. disponível em 13 de maio de 2006. Avaliação do Ensino Superior a Distância no Brasil. [7] Katia Morozov Alonso.htm. Público Alvo. Sem a formação de um aluno com perfil de auto-aprendizado. Avaliação da Aprendizagem em EAD. Com isso. Além disso.br/home/artigos/art igos. disponível em 13 de maio de 2006.conseqüências negativas da EAD faz-se necessária uma mudança na estrutura da formação dos alunos.asp?id=1926. [4] José Manuel Moran. Os instrutores são os melhores designers no e-learning. [6] Ana Maria Lakomy. [8] Levantamento quantitativo no mês de agosto de 2005. [2] IBOPE//NetRatings.br/indicadores/usuarios/ tab02-04.br/home/artigos/art igos. formando qualidade e não apenas quantidade. o governo. a EAD se tornará uma fabrica de diplomas.elearningbrasil. IBPEX.com. http://www. Educação a Distância ganha Espaço. 2005.com.

daneprairie. . The unregistered version of Win2PDF is for evaluation or non-commercial use only.This document was created with Win2PDF available at http://www.com.