1

Redes de Computadores
Introdução
Prof.: Leonardo Drumond
2
Conteúdo
Conceitos básicos
Tipos de redes
Compartilhamento de Resursos;
Distribuição Geográfica;
Topologias de Redes
Estrela;
Anel;
Barra;
Meios físicos
Par trançado;
Coaxial;
Fibra óptica;
3
Conceito de Redes
Basicamente, uma rede de trabalho é um sistema que permite a
comunicação entre pontos distintos, ou seja, um sistema que permite
a troca de informações. Os componentes básicos de uma rede de
trabalho (ou rede de informações) são um emissor (origem da
informação), o meio através da qual a informação trafega (o canal),
um receptor (o destino da informação) e finalmente a mensagem, que
nada mais é do que a informação em si.
4
Tipos de Redes
As redes de computadores pode ser classificadas quanto à:
• Compartilhamento de Recursos
Cliente – servidor (Cliente - Server)
Ponto a Ponto (Peer-to-peer)
• Alcance Geográfico
WAN – Wide Area Network
MAN – Metropolitan Area Network
LAN – Local Area Network
• Confiabilidade
Probabilísticas
Determinísticas
5
Compartilhamento de Recursos
Os modelos de compartilhamento de recursos existentes
independem da estrutura física montada, ou seja, estes modelos
são implementados via Software.
6
Ponto-a-Ponto - Características
Vantagens
• Facil montagem;
• Facil Configuração (Suporte na maioria dos SO);
• Facil Compartilhamento de Recursos (Arquivos, Impressoras, etc);
• Baixo Custo;
Desvantagens
• Pouca segurança;
• Impossivel acessar arquivos simultaneamente (Ex.: Banco de
Dados);
Aplicabilidade
redes pequenas de até 10 computadores onde segurança não é
essencial.
7
Cliente/Servidor - Características
Vantagens
• Grande segurança;
• Ótimo desempenho;
• Possibilidade de compartilhar arquivos simultaneamente
(Ex.: banco de Dados);
Desvantagens
• Custo Elevado;
• Em geral, servidor é dedicado, ou seja, não é utilizado como estação
de Trabalho;
Aplicabilidade
Grandes redes, acima de 10 micros, ou mesmo redes pequenas de
onde a segurança é essencial;
8
Distribuição Geográfica - Quadro
9
WAN - Características
Espalham-se por uma área geografica grande: Um pais ou mesmo
Continente;
Contem grandes coleções de maquinas que executam programas
de usuários (aplicações);
Essas maquinas são conectadas por uma subrede de comunicação
(backbone), cujo trabalho é transportar mensagens de maquinas a
maquina, como um sistema telefônico com vários caminhos
alternativos;
Como o Backbone é separado das aplicações dos usuários, tem
seu projeto é simplificado;
10
MAN - Características
São basicamente uma versão aumentada das Redes Locais
(LAN), e usam em geral tecnologias similares;
Geralmente são utilizadas com Dados e Voz, podendo até
mesmo funcionarem com TV à cabo (CATV);
Como o proprio nome sugere, são encontradas normalmente em
Grandes Centros;
11
LAN - Características
São redes Privadas, localizadas em um único prédio ou
campus de poucos quilômetros de extensão;
São massivamente usadas para conectar PC´s e estações de
trabalho nas empresas para compartilhar recursos e trocar
informações;
Gerencia simplificada;
O pior tempo de transmissão é conhecido;
12
LAN – Estrutura Física
• Todas as maquinas são normalmente ligadas por um simples cabo;
• Velocidade de transmissão de ordem de 10 e/ou 100Mbps, com baixo atraso
(dezenas de microsegundos) e poucos erros;
• Avanços recentes permitem velocidades de 155 e/ou 622 Mbps (ATM), até
1000 Mbps (Gigabit Ethernet);
DESTAQUE
As LANs podem ser implementadas utilizando diversos tipos de topologias
De redes (estrela, anel e barra).
13
Confiabilidade
Redes Probabilísticas
Não é possível conhecer o pior tempo de transmissão;
Redes Determinísticas
É possível conhecer o pior tempo de transmissão;
14
Principais Topologias - Figuras
Estrela
Barra
Anel
15
Topologia em Estrela
Nesta topologia todos os nós são ligados diretamente à um nó
central pelo qual todas informações devem passar;
O nó central funciona como um ‘Gerente’ que controla as
informações, o fato de ser apenas um ponto centralizador não
impede que nós distintos comuniquem-se simultaneamente;
Este nó central é chamado de Comutador ou Switch;
Comunicação pode ser por Difusão (broadcasting) ou Não;
Não necessita de roteamento, devido ao nó central;
Chaveamento pode ser por dados, quando a origem envia ao
central que decide quando mandar o pacote ao destino;
Chaveamento por Circuitos, central baseado em informações
anteriores liga origem e destino durante toda a transmissão, estes
dois ficam impossibilitados de outra conexão;
16
Nó Central - Funções
Dependendo da configuração o nó central pode ter diversas funções,
como:
Chaveamento;
Processamento Normal;
Compatibilidade de Velocidade entre nós;
Conversor de Protocolos;
Diagnostico de redes;
Sistema de segurança (fiscalizando a rede);
17
Vantagens / Desvantagens
Desvantagens
Em relação a confiabilidade, se o nó central parar, a rede inteira é
comprometida;
Em relação a limitação de expansão, pois tudo depende da
capacidade do nó central;
Custo Elevado;
Vantagens
Fácil localização de problemas;
Facilmente expandida;
Rapidez na transmissão (altas taxas de transmissão);
Fácil acomodação dos nós secundários;
Se um nó parar, os outros continuam “Conversando”;
18
Topologia em Anel
São caracterizadas por serem conectadas em um caminho
fechado;
Transmitem nas duas direções, em geral, são unidirecionais
para facilitar o roteamento e o protocolo utilizado;
Estações funcionam como repetidores, recebem e
transmitem simultaneamente ;
Pacote entra no Anel, vai da origem ao destino, ou , da
origem à origem;
19
Vantagens / Desvantagens
Desvantagens
• Se um nó parar, o restante da rede também para;
• Difícil detecção da perda da Permissão (Token);
Vantagens
• Nós são capazes de receber e enviar mensagens simultaneamente;
• Nós funcionam como repetidores (recuperando sinal);
• Possibilitam Broadcast e MultCast;
• Possibilitam o modo promíscuo ou modo espião, facilitando o Controle de
trafego, detecção de erros, etc;
20
Topologia em Barra
Micros se ligam a um mesmo meio de transmissão;
Trabalham em modo promiscuo;
Nós tem acesso a todos dados que passam;
Controle Centralizado – Um nó é responsável;
Controle Descentralizado – Todos nós são responsáveis;
Utilizam terminadores (casadores de impedância);
Extensão depende do meio físico;
Micros são conectados através de um transceptor;
21
Vantagens / Desvantagens
Desvantagens
Controle centralizado, mesmo problema da topologia Estrela;
Controle Descentralizado, mesmo problema da Topologia Anel;
problemas com impedancia fazem a rede não funcionar;
Vantagens
Ao contrario da topologia estrela, pode-se usar redundância;
Baixo Custo;
22
Meios Físicos de Transmissão
A escolha de um cabo adequado à uma determinada instalação
depedende de diversos fatores, são eles:
Conhecer a área na qual o cabo sera instalado;
Conhecer as distancias limites;
Determinar a infra-estrutura que o cabo irá percorrer;
Conhecer a performance que se pretende obter da rede;
Conhecer os serviços que irão trafegar na rede;
Conhecer a forma de instalação do cabo( dutos proprios ou
compartilhados);
Detectar as possiveis fontes de ruidos;
23
Par Trançado
São utilizados em grande escala em LANs;
Utilizados normalmente para interligar HUB c/ Terminal;
Enlaçe não pode ultrapassar 100 metros;
Baixo Custo;
Facil Instalação;
Existem três tipos basicos
UTP - Cabo de Par trançado não blindado;
STP - Cabo de Par trançado blindado;
FTP - Cabo de Par trançado flolheado;
24
STP - Shielded Twisted Pair
Possuem 2 ou 4 pares de trançados atraves de uma malha que
deverá ser aterrada;
Aplicações: fiação terminal à HUB (token Ring, Fast Ethernet,
etc);
Impedância Característica: 150 ohms;
Banda passante (100m): 300MHz;
10 a 1000 Mbps;
25
STP / UTP - Figuras
26
UTP - Unshielded Twisted Pair
Cabo com 2 ou 4 pares trançados em capa plástica;
Aplicações: fiação simples terminal a Hub (Token Ring, Fast
Ethernet, etc);
Impedância Caracteristica: 100 ohms;
Taxas típicas: 1 a 100Mbps em ambiente com pouco ruído
eletromagnético;
dividido em Categorias:
Categoria 3 = 16 MHz;
Categoria 4 = 20 MHz;
Categoria 5 = 100 MHz;
Categoria 6 = 200 MHz;
Categoria 7 = 350 MHz;
27
UTP - Funcionamento
Há cancelamento de campo eletromagnetico;
Um fio Tx e outro Rx;
Maioria dos protocolos utilizam apenas 2 pares;
Conector utilizado: RJ-45 (8 vias);
Possui contatos frontais que perfuram a capa do condutor;
Padrões de Cores (Norma EIA/TIA 568):
T568-A;
T568-B;
Cuidados ao construir o cabo:
Não descamisar o cabo, pois pode gerar oxidação;
Adotar um dos padrões de cores existente;
Utilizar alicate de Crimp;
28
Pares e Cores - Figuras
29
FTP - Foil Twisted Pair
Tem como proteção uma capa laminada;
Tem basicamente as mesmas impedâncias de STP;
No Brasil este cabo (FTP) e o STP são pouco utilizados devido à
falta de aterramento.No entanto, vale lembrar que em Hospitais,
Aeroportos, etc onde a segurança é imprescindivel , estes tipos
de cabos devem ser utilizados;
30
Cabo Coaxial
Foi muito utilizado no passado, no entanto, ainda podem haver
pequenas redes com este tipo de cabo;
Construção:
Condutor central circundado por uma camada isolante sobre a qual
é aplicado uma malha condutora que forma o segundo condutor;
Aplicação:
São em geral utilizados com topologia em Barra, todas estações
devem ter suas impedância de Entrada e Saída casadas com a
impedância do Cabo Coaxial. Há tambem a necessidade que a rede
(barra) termine em um Terminador (Casador de impedância);
31
Cabo Coaxial - Tipos
Coaxial Comum
Coaxial de Banda Larga;
Cabos coaxiais mais comuns:
RG-58 (Ethernet Fino - 50 ohms)
Foi muito utilizado para interligar pequenas redes de
computadores (Ethernet).
RG-59 (75 ohms).
utilizado para interligar computadores, terminais e periféricos;
atualmente é bastante utilizado em ligações de TV a cabo e
sistema CATV.
32
Cabo Coaxial de 50 ohms
Principais Características
Alcance 200 m a 1 Km;
Taxas de transmissão: 10 a 50 Mbps;
Topologia: Normalmente Barra;
Tempo de Propagação: aproximadamente de 4 a 8 ns/m;
Cabos comerciais mais comuns:
RG - 175 - Alcance: 200 m;
RG - 58 - Alcance: 300 m (supondo 10Mbps);
RG - 8 - Alcance: 500 m
33
Cabo Coaxial de banda larga
Foram reutilizadas tecnologias padrões de TV à cabo e CATV;
Impedância: 75 ohms;
Banda passante: 850MHz;
Podem ser utilizados por MANs, transmissão de TV Digital, etc;
Baixo Custo, devido alta quantidade produzida;
Cable Modem: dispositivo utilizado para comunicar dados do
usuario com CATV;
Conectores utilizados em Cabos Coaxiais:
Conector BNC
Conector T
Conector Junção
Terminador
34
Conectores - Cabos Coaxiais
Conector BNC
Utilizado para conectar um cabo coaxial;
Tipos: rosca, crimp e de solda (BNC com joelho);
Conector T
Tambem conhecido com conector de transição;
Possibilita a ligação do equipamento ao cabo coaxial;
Conector Junção
Função: Unir ou juntar dois enlaces de cabo coaxial;
Deve ser usado com moderação, pois gera atenuação;
Otimo para substituir um conector T desnecessario;
Terminador
Função: Fechar o enlace de cabo coaxial;
Eliminar a ressonância;
35
Fibras ópticas
Vantagens
Suportam longas distancias preservando o sinal original por grande
tempo;
Imunidade a interferência Eletromagnéticas e Ruídos;
Grande capacidade de Transmissão (Gbps);
Principal desvantagem
Alto custo (Instalação, Manutenção e Hardware);
Aplicação
Backbones Internos e Externos;
36
Construção
Constuição Básica
Um nucleo interno de fibra de vidro;
Uma casca que envolve o nucleo, também de fibra de vidro;
Uma pelicula que recobre a casca, chamada de acrilato;
Um tubo em que as fibras são comportadas, chamado de tubete;
Fios de aramida, que ás vezes atuam como proteção a tração;
Bastão de Kevlar, utilizado para dar resistência mecânica;
Capa de polímero que reveste todo o cabo;
37
Tipos de Fibra
Existem 3 tipos de fibras ópticas, que distiquem-se por terem construção
físicas internas diferentes. O que acarreta então, performances
diferentes.
Fibra óptica do tipo multimodo com índice degrau;
Normalmente usadas em redes LAN e redes industriais;
Fibra óptica do tipo multimodo com índice gradual;
Utilizadas em aplicações de rede LAN;
Fibra óptica monomodo.
Normalmente utilizadas em aplicações de rede WAN;
38
Tabela de Padrão (EIA/TIA-568A)
Em aplicações de redes locais, o IEEE padronizou algumas fibras e
conectores ópticos para assegurar uma maior interoperabilidade entre
os equipamentos de usuário.
39
Classificação
Fibras Tight Buffer
Mais Flexibilidade;
Não Imune à umidade;
São utilizadas internamente nas edificações;
Fibras Loose
Mais ou Menos flexibilidade, dependendo da aplicação;
Imunidade à umidade (Gel contido no tubete protege da umidade);
Usado em ambientes externo às edificações;
Inflamável (se usado interno às edificações, deve-se ter cuidado);
Fibras Loose Auto-Sustentáveis
Identicas às fibras Loose, no entanto são usadas em posteamento;
Grande resistência mecânica;
Encontradas em lances de 80, 120 e 150 metros;
40
Terminador e Distribuidor
Todo enlaçe óptico deve terminar, ou em um terminador óptico, ou em
um distribuidor óptico.
Diferença
Terminador é usado por uma ou duas fibras;
Distribuidor é utilizados por varias fibras;
A necessidade de terminar os enlaçes de fibra surge da necessidade
de tornar os cordões mais flexíveis, o que facilita a manipulação. No
entanto se o cabo usado for muito rígido, é inadequado que ele saia
direto do equipamento, pois ele pode quebrar ou mesmo se danificar.
41
Injetores de sinal
Na transmissão por meio de fibras ópticas, são utilizados dois tipos de
injetores de sinal:
LED (Diodo Emissor de Luz)
Menor custo (Equipamentos para redes locais mais acessíveis);
Utilizado em equipamentos empregados em curtas distâncias;
Menor pôtencia (Muito utilizado em Informática);
LASER (Amplificação de luz estimulada por emissão de radiação)
O laser é muito utilizado em equipamentos empregados em
transmissão de longa distância.
Maior potência;
Maior Custo;
42
Conectores / Emendas
Dentro os conectores existentes, os mais utilizados são:
Para fibras multimodo: ST, SC e MIC.
Para Fibras Monomodo: SMA e FC.
Em alguns casos, é necessário fazer emendas na fibra óptica. Isto
pode ser feito desde que a atenuação esteje numa faixa aceitável pelo
equipamento decodificador. As emendas podem serem feitas de forma:
Manual
Fusão
43
Figuras - Conectores
44
Tipos de emenda
Manual
Normalmente temporária;
Mais rápida
De acordo com os fabricantes, já pode ser definitiva;
Fusão
Mais confiável e mais segura;
Definitivo;
45
Figuras - Emendas
46
Testadores
Tem como função principal testar se o link (enlace) instalado está
funcionando perfeitamente. Os dois modelos mais usados no mercado
são:
Mitter
Utilizado para testar pequenos links, normalmente em redes locais;
Não mostra perdas ponto-a-ponto, apenas atenuação total do link;
Menor custo;
OTDR
Varre o link ponto a ponto;
Indicado para grandes distâncias (kilometros);
Realiza amostragem gráfica do link, detalhando os pontos de
maior atenuação;
Maior custo;

Conteúdo
Conceitos básicos Tipos de redes Compartilhamento de Resursos; Distribuição Geográfica; Topologias de Redes Estrela; Anel; Barra; Meios físicos Par trançado; Coaxial; Fibra óptica;

Conceito de Redes
Basicamente, uma rede de trabalho é um sistema que permite a comunicação entre pontos distintos, ou seja, um sistema que permite a troca de informações. Os componentes básicos de uma rede de trabalho (ou rede de informações) são um emissor (origem da informação), o meio através da qual a informação trafega (o canal), um receptor (o destino da informação) e finalmente a mensagem, que nada mais é do que a informação em si.

Tipos de Redes
As redes de computadores pode ser classificadas quanto à: • Compartilhamento de Recursos Cliente – servidor (Cliente - Server) Ponto a Ponto (Peer-to-peer) • Alcance Geográfico WAN – Wide Area Network MAN – Metropolitan Area Network LAN – Local Area Network • Confiabilidade Probabilísticas Determinísticas

Compartilhamento de Recursos Os modelos de compartilhamento de recursos existentes independem da estrutura física montada. ou seja. estes modelos são implementados via Software. .

Impressoras.Características Vantagens • Facil montagem. • Baixo Custo. etc).: Banco de Dados). • Facil Compartilhamento de Recursos (Arquivos. Desvantagens • Pouca segurança.Ponto-a-Ponto . • Facil Configuração (Suporte na maioria dos SO). . • Impossivel acessar arquivos simultaneamente (Ex. Aplicabilidade redes pequenas de até 10 computadores onde segurança não é essencial.

• Ótimo desempenho. servidor é dedicado.Características Vantagens • Grande segurança. • Possibilidade de compartilhar arquivos simultaneamente (Ex. ou mesmo redes pequenas de onde a segurança é essencial. . Aplicabilidade Grandes redes.: banco de Dados). Desvantagens • Custo Elevado. não é utilizado como estação de Trabalho. • Em geral. ou seja. acima de 10 micros.Cliente/Servidor .

Distribuição Geográfica .Quadro .

Características Espalham-se por uma área geografica grande: Um pais ou mesmo Continente. . como um sistema telefônico com vários caminhos alternativos. Essas maquinas são conectadas por uma subrede de comunicação (backbone). cujo trabalho é transportar mensagens de maquinas a maquina. Como o Backbone é separado das aplicações dos usuários. tem seu projeto é simplificado. Contem grandes coleções de maquinas que executam programas de usuários (aplicações).WAN .

Como o proprio nome sugere. podendo até mesmo funcionarem com TV à cabo (CATV). .Características São basicamente uma versão aumentada das Redes Locais (LAN).MAN . e usam em geral tecnologias similares. Geralmente são utilizadas com Dados e Voz. são encontradas normalmente em Grandes Centros.

LAN . localizadas em um único prédio ou campus de poucos quilômetros de extensão. O pior tempo de transmissão é conhecido. . São massivamente usadas para conectar PC´s e estações de trabalho nas empresas para compartilhar recursos e trocar informações. Gerencia simplificada.Características São redes Privadas.

• Avanços recentes permitem velocidades de 155 e/ou 622 Mbps (ATM). até 1000 Mbps (Gigabit Ethernet). anel e barra). • Velocidade de transmissão de ordem de 10 e/ou 100Mbps. DESTAQUE As LANs podem ser implementadas utilizando diversos tipos de topologias De redes (estrela.LAN – Estrutura Física • Todas as maquinas são normalmente ligadas por um simples cabo. com baixo atraso (dezenas de microsegundos) e poucos erros. .

.Confiabilidade Redes Probabilísticas Não é possível conhecer o pior tempo de transmissão. Redes Determinísticas É possível conhecer o pior tempo de transmissão.

Figuras Anel Estrela Barra .Principais Topologias .

. o fato de ser apenas um ponto centralizador não impede que nós distintos comuniquem-se simultaneamente. central baseado em informações anteriores liga origem e destino durante toda a transmissão. quando a origem envia ao central que decide quando mandar o pacote ao destino. devido ao nó central. estes dois ficam impossibilitados de outra conexão.Topologia em Estrela Nesta topologia todos os nós são ligados diretamente à um nó central pelo qual todas informações devem passar. Chaveamento pode ser por dados. Chaveamento por Circuitos. Não necessita de roteamento. Este nó central é chamado de Comutador ou Switch. O nó central funciona como um ‘Gerente’ que controla as informações. Comunicação pode ser por Difusão (broadcasting) ou Não.

como: Chaveamento. . Conversor de Protocolos.Nó Central . Diagnostico de redes.Funções Dependendo da configuração o nó central pode ter diversas funções. Compatibilidade de Velocidade entre nós. Processamento Normal. Sistema de segurança (fiscalizando a rede).

Em relação a limitação de expansão. pois tudo depende da capacidade do nó central. Vantagens Fácil localização de problemas. Custo Elevado. Rapidez na transmissão (altas taxas de transmissão).Vantagens / Desvantagens Desvantagens Em relação a confiabilidade. Se um nó parar. Facilmente expandida. Fácil acomodação dos nós secundários. a rede inteira é comprometida. se o nó central parar. . os outros continuam “Conversando”.

Topologia em Anel São caracterizadas por serem conectadas em um caminho fechado. em geral. recebem e transmitem simultaneamente . vai da origem ao destino. . são unidirecionais para facilitar o roteamento e o protocolo utilizado. Pacote entra no Anel. ou . Estações funcionam como repetidores. Transmitem nas duas direções. da origem à origem.

• Difícil detecção da perda da Permissão (Token). o restante da rede também para. etc. detecção de erros. . Vantagens • Nós são capazes de receber e enviar mensagens simultaneamente.Vantagens / Desvantagens Desvantagens • Se um nó parar. • Possibilitam Broadcast e MultCast. • Nós funcionam como repetidores (recuperando sinal). • Possibilitam o modo promíscuo ou modo espião. facilitando o Controle de trafego.

Topologia em Barra Micros se ligam a um mesmo meio de transmissão. Extensão depende do meio físico. Nós tem acesso a todos dados que passam. Controle Descentralizado – Todos nós são responsáveis. Utilizam terminadores (casadores de impedância). Trabalham em modo promiscuo. Micros são conectados através de um transceptor. . Controle Centralizado – Um nó é responsável.

Vantagens / Desvantagens Desvantagens Controle centralizado. mesmo problema da topologia Estrela. Vantagens Ao contrario da topologia estrela. Controle Descentralizado. Baixo Custo. problemas com impedancia fazem a rede não funcionar. mesmo problema da Topologia Anel. pode-se usar redundância. .

Determinar a infra-estrutura que o cabo irá percorrer. Detectar as possiveis fontes de ruidos. . Conhecer a performance que se pretende obter da rede. Conhecer os serviços que irão trafegar na rede.Meios Físicos de Transmissão A escolha de um cabo adequado à uma determinada instalação depedende de diversos fatores. são eles: Conhecer a área na qual o cabo sera instalado. Conhecer a forma de instalação do cabo( dutos proprios ou compartilhados). Conhecer as distancias limites.

Cabo de Par trançado flolheado. Facil Instalação. Existem três tipos basicos UTP .Cabo de Par trançado blindado. Baixo Custo. Enlaçe não pode ultrapassar 100 metros. STP .Par Trançado São utilizados em grande escala em LANs.Cabo de Par trançado não blindado. Utilizados normalmente para interligar HUB c/ Terminal. . FTP .

STP . Aplicações: fiação terminal à HUB (token Ring. Fast Ethernet. Impedância Característica: 150 ohms. Banda passante (100m): 300MHz. etc). .Shielded Twisted Pair Possuem 2 ou 4 pares de trançados atraves de uma malha que deverá ser aterrada. 10 a 1000 Mbps.

Figuras .STP / UTP .

Fast Ethernet. Categoria 6 = 200 MHz. . Categoria 4 = 20 MHz.Unshielded Twisted Pair Cabo com 2 ou 4 pares trançados em capa plástica. Aplicações: fiação simples terminal a Hub (Token Ring.UTP . Impedância Caracteristica: 100 ohms. dividido em Categorias: Categoria 3 = 16 MHz. Taxas típicas: 1 a 100Mbps em ambiente com pouco ruído eletromagnético. Categoria 5 = 100 MHz. etc). Categoria 7 = 350 MHz.

Utilizar alicate de Crimp.Funcionamento Há cancelamento de campo eletromagnetico. Adotar um dos padrões de cores existente. Possui contatos frontais que perfuram a capa do condutor. pois pode gerar oxidação. . Conector utilizado: RJ-45 (8 vias). Um fio Tx e outro Rx.UTP . Cuidados ao construir o cabo: Não descamisar o cabo. Maioria dos protocolos utilizam apenas 2 pares. T568-B. Padrões de Cores (Norma EIA/TIA 568): T568-A.

Pares e Cores .Figuras .

FTP .Foil Twisted Pair Tem como proteção uma capa laminada. Tem basicamente as mesmas impedâncias de STP.No entanto. vale lembrar que em Hospitais. No Brasil este cabo (FTP) e o STP são pouco utilizados devido à falta de aterramento. estes tipos de cabos devem ser utilizados. Aeroportos. . etc onde a segurança é imprescindivel .

ainda podem haver pequenas redes com este tipo de cabo. .Cabo Coaxial Foi muito utilizado no passado. Aplicação: São em geral utilizados com topologia em Barra. Há tambem a necessidade que a rede (barra) termine em um Terminador (Casador de impedância). Construção: Condutor central circundado por uma camada isolante sobre a qual é aplicado uma malha condutora que forma o segundo condutor. todas estações devem ter suas impedância de Entrada e Saída casadas com a impedância do Cabo Coaxial. no entanto.

utilizado para interligar computadores.50 ohms) Foi muito utilizado para interligar pequenas redes de computadores (Ethernet). terminais e periféricos. atualmente é bastante utilizado em ligações de TV a cabo e sistema CATV. RG-59 (75 ohms).Tipos Coaxial Comum Coaxial de Banda Larga. . Cabos coaxiais mais comuns: RG-58 (Ethernet Fino .Cabo Coaxial .

Tempo de Propagação: aproximadamente de 4 a 8 ns/m.175 . Topologia: Normalmente Barra.Cabo Coaxial de 50 ohms Principais Características Alcance 200 m a 1 Km.58 . Taxas de transmissão: 10 a 50 Mbps.Alcance: 200 m.8 . RG . RG .Alcance: 300 m (supondo 10Mbps).Alcance: 500 m . Cabos comerciais mais comuns: RG .

Cable Modem: dispositivo utilizado para comunicar dados do usuario com CATV. Conectores utilizados em Cabos Coaxiais: Conector BNC Conector T Conector Junção Terminador . Podem ser utilizados por MANs. devido alta quantidade produzida. Banda passante: 850MHz.Cabo Coaxial de banda larga Foram reutilizadas tecnologias padrões de TV à cabo e CATV. transmissão de TV Digital. Baixo Custo. etc. Impedância: 75 ohms.

Conector T Tambem conhecido com conector de transição. . Possibilita a ligação do equipamento ao cabo coaxial.Conectores . Eliminar a ressonância. Otimo para substituir um conector T desnecessario. crimp e de solda (BNC com joelho). Terminador Função: Fechar o enlace de cabo coaxial. Deve ser usado com moderação. pois gera atenuação. Tipos: rosca. Conector Junção Função: Unir ou juntar dois enlaces de cabo coaxial.Cabos Coaxiais Conector BNC Utilizado para conectar um cabo coaxial.

Fibras ópticas Vantagens Suportam longas distancias preservando o sinal original por grande tempo. . Manutenção e Hardware). Principal desvantagem Alto custo (Instalação. Aplicação Backbones Internos e Externos. Grande capacidade de Transmissão (Gbps). Imunidade a interferência Eletromagnéticas e Ruídos.

Construção Constuição Básica Um nucleo interno de fibra de vidro. Capa de polímero que reveste todo o cabo. utilizado para dar resistência mecânica. Bastão de Kevlar. Uma pelicula que recobre a casca. chamado de tubete. . chamada de acrilato. também de fibra de vidro. Um tubo em que as fibras são comportadas. Fios de aramida. que ás vezes atuam como proteção a tração. Uma casca que envolve o nucleo.

Fibra óptica monomodo. Fibra óptica do tipo multimodo com índice degrau. Normalmente utilizadas em aplicações de rede WAN. Normalmente usadas em redes LAN e redes industriais. que distiquem-se por terem construção físicas internas diferentes. O que acarreta então. performances diferentes. Utilizadas em aplicações de rede LAN.Tipos de Fibra Existem 3 tipos de fibras ópticas. Fibra óptica do tipo multimodo com índice gradual. .

Tabela de Padrão (EIA/TIA-568A) Em aplicações de redes locais. . o IEEE padronizou algumas fibras e conectores ópticos para assegurar uma maior interoperabilidade entre os equipamentos de usuário.

Encontradas em lances de 80.Classificação Fibras Tight Buffer Mais Flexibilidade. 120 e 150 metros. São utilizadas internamente nas edificações. Fibras Loose Mais ou Menos flexibilidade. dependendo da aplicação. Imunidade à umidade (Gel contido no tubete protege da umidade). Fibras Loose Auto-Sustentáveis Identicas às fibras Loose. . Grande resistência mecânica. no entanto são usadas em posteamento. Usado em ambientes externo às edificações. Não Imune à umidade. Inflamável (se usado interno às edificações. deve-se ter cuidado).

é inadequado que ele saia direto do equipamento. pois ele pode quebrar ou mesmo se danificar. ou em um distribuidor óptico. Distribuidor é utilizados por varias fibras. A necessidade de terminar os enlaçes de fibra surge da necessidade de tornar os cordões mais flexíveis.Terminador e Distribuidor Todo enlaçe óptico deve terminar. Diferença Terminador é usado por uma ou duas fibras. o que facilita a manipulação. ou em um terminador óptico. No entanto se o cabo usado for muito rígido. .

Injetores de sinal Na transmissão por meio de fibras ópticas. Maior potência. Menor pôtencia (Muito utilizado em Informática). Utilizado em equipamentos empregados em curtas distâncias. . LASER (Amplificação de luz estimulada por emissão de radiação) O laser é muito utilizado em equipamentos empregados em transmissão de longa distância. são utilizados dois tipos de injetores de sinal: LED (Diodo Emissor de Luz) Menor custo (Equipamentos para redes locais mais acessíveis). Maior Custo.

Para Fibras Monomodo: SMA e FC.Conectores / Emendas Dentro os conectores existentes. é necessário fazer emendas na fibra óptica. As emendas podem serem feitas de forma: Manual Fusão . Em alguns casos. os mais utilizados são: Para fibras multimodo: ST. SC e MIC. Isto pode ser feito desde que a atenuação esteje numa faixa aceitável pelo equipamento decodificador.

Figuras .Conectores .

. Fusão Mais confiável e mais segura. Mais rápida De acordo com os fabricantes.Tipos de emenda Manual Normalmente temporária. Definitivo. já pode ser definitiva.

Figuras .Emendas .

Indicado para grandes distâncias (kilometros). Os dois modelos mais usados no mercado são: Mitter Utilizado para testar pequenos links. normalmente em redes locais. Não mostra perdas ponto-a-ponto. .Testadores Tem como função principal testar se o link (enlace) instalado está funcionando perfeitamente. Menor custo. detalhando os pontos de maior atenuação. OTDR Varre o link ponto a ponto. apenas atenuação total do link. Maior custo. Realiza amostragem gráfica do link.