Depreciação, Amortização e Exaustão DEPRECIAÇÃO Fenômeno contábil que expressa a perda de valor que os valores imobilizados de utilização sofrem

no tempo, por força de seu emprego na gestão. Conceitua-se depreciação como sendo a diminuição do valor dos bens corpóreos que integram o ativo permanente, em decorrência de desgaste ou perda de utilidade pelo uso, ação da natureza ou obsolescência. O encargo da depreciação poderá ser computado como custo ou despesa operacional, conforme o caso. A depreciação dos bens utilizados na produção será custo, enquanto a depreciação dos demais bens há de ser registrada como despesa operacional: O lançamento característico da depreciação é: Despesas (ou custo) de Depreciação a Depreciação Acumulada A conta devedora é de resultado e representa o encargo econômico suportado pela entidade. A conta credora retifica o bem do ativo sujeito a depreciação. Integra o Balanço Patrimonial, sendo demonstrada juntamente com a conta do bem que ela retifica, em subtração a seu saldo. NOTA: o encargo de depreciação somente é computável no resultado do exercício a partir da época em que o bem é instalado, posto em serviço ou em condições de produzir. O valor da depreciação acumulada não poderá ultrapassar o custo de aquisição do bem a que se refere corrigido monetariamente. O mesmo se aplica à amortização e à exaustão. Os encargos de depreciação dos bens do ativo imobilizado que tenham ocorrido durante a fase pré-operacional serão escriturados no ativo diferido para posterior amortização, no prazo mínimo de cinco anos e máximo de dez anos. Não é admitido o registro de quota de depreciação em relação aos seguintes bens: • terrenos, salvo em relação aos melhoramentos e contruções; • prédios e construções não alugados nem utilizados por seu proprietário na produção de seus rendimentos ou imóveis destinados à venda; • bens que normalmente aumentam de valor com o tempo, como obras de arte ou antiguidades; • bens em relação aos quais seja registrada quota de exaustão. Segue abaixo a tabela de taxas aplicáveis aos bens de ocorrência mais usual:

Taxa anual Edifícios Máquinas e Equipamentos Instalações Móveis e Utensílios Veículos Computadores e periféricos 4% 10% 10% 10% 20% 20%

Anos de vida útil 25 10 10 10 5 5

AMORTIZAÇÃO Eliminação gradual e periódica do ativo de uma empresa, como encargos do exercício, das imobilizações financeiras ou imateriais. É a recuperação econômica do capital aplicado em: I – Despesas que contribuam para formação do resultado de mais de um exercício social. Exemplos: Despesas pré-operacionais, Despesas com pesquisa e desenvolvimento de novos produtos; II – Direitos cuja existência ou exercício tenha duração limitada ou bens cuja utilização tenha prazo legal ou contratual limitado e desde que em nenhuma hipótese caiba indenização, como:

1

ao final do prazo de concessão. florestas. d) custo das construções e benfeitorias em bens locados. para fins fiscais. O lançamento característico da amortização é: Amortização a Amortização Acumulada DEPRECIAÇÃO x AMORTIZAÇÃO A depreciação atinge a perda de valor de coisas materiais. c) direitos autorais. dívidas a longo prazo etc. arrendados ou cedidos por terceiros. a depreciação é custo indireto de fabricação. e) o valor dos direitos contratuais de exploração de florestas. 2 . aviamentos. inclusive de exploração de fundos de comércio.. a exaustão é custo direto de fabricação. prorrogação ou modificação de contratos de qualquer natureza. A amortização dos componentes do ativo diferido sujeita-se a dois prazos: a) um mínimo de cinco anos. jazidas etc. nos termos da lei ou contrato que regule a concessão de serviço público. etc. autorizações para exploração de determinada atividade econômica. como.a) bens intangíveis ou direitos de uso. móveis. licenças. concessões para exploração de serviços públicos. as reservas minerais e vegetais (bosques. e a amortização destina-se apenas a significar perda de valor de coisas imateriais ou de imobilizações financeiras. como máquinas. Fórmulas e processos de fabricação. A taxa anual de amortização será fixada tendo em vista o números de anos restantes de existência do direito ou o número de exercícios sociais em que deverão ser usufruídos os benefícios das despesas registradas no ativo diferido. que é aplicável a todas as pessoas jurídicas que possuam escrituração contábil regular. devem reverter ao poder concedente.). b) investimento em bens que. a exaustão é a perda de valor por exploração. por exemplo: patentes de invenção. O lançamento característico da exaustão é: Exaustão a Exaustão Acumulada DEPRECIAÇÃO x EXAUSTÃO A depreciação é a perda de valor pelo uso. b) um máximo de dez anos. EXAUSTÃO Fenômeno patrimonial que caracteriza a perda de valor que sofrem as imobilizações suscetíveis de exploração e que se esgotam no correr do tempo. são objeto de amortização: despesas gerais de instalação. Corresponde à perda de valor decorrente da exploração de recursos minerais ou florestais ou de bens aplicados nessa exploração. por exemplo. bem como o custo de aquisição. como.