IDENTIFICAÇÃO DE PERIGOS E AVALIAÇÃO DE RISCOS DEFINIÇÕES Local de trabalho: Todo e qualquer local físico no qual são realizadas actividades

relacionadas com o trabalho, sob o controlo da organização. Nota: Ao consideramos um local de trabalho, são tidos em conta os efeitos na segurança e saúde das pessoas que estão em viagem ou a trabalhar no exterior. Actividade de rotina (normal): Actividade planeada e prevista que ocorre durante a laboração normal (Ex.: Manuseamento de produtos químicos; manutenção programada; etc). Actividade ocasional (anormal): Situação prevista (inerente às actividades), mas que ocorre esporadicamente. (Ex.: Limpeza das torres de arrefecimento; manutenção não programada;etc). Situação de emergência: Situação não planeada e imprevista, não controlada com os meios operacionais de rotina, da qual resultam, ou é expectável que resultem, situações de perigo e danos pessoais ou materiais. Identificação do perigo: Processo de reconhecer a existência de um perigo e de definir as suas características. Perigo: Fonte, situação ou acto com um potencial para o dano em termos de lesões, ferimentos ou danos para a saúde, ou uma combinação destes. Risco: Combinação da probabilidade da ocorrência de um acontecimento perigoso ou exposição e da severidade das lesões, ferimentos ou danos para a saúde, que pode ser causada pelo acontecimento ou pela exposição. Avaliação do risco: Processo de avaliação do risco resultante de perigos identificados, tendo em consideração a adequação de quaisquer controlos já existentes e de decisão sobre se o risco é ou não aceitável. Risco aceitável: Risco que foi reduzido a um nível que possa ser tolerado pela organização, tomando em atenção as suas obrigações legais e a sua própria política de SST. Risco moderado: Risco que apresenta um nível que recomenda que sejam feitos esforços no sentido de o reduzir, face aos critérios estabelecidos, e que exige um acompanhamento específico, para o trabalho em causa, enquanto não forem implementadas medidas de redução de risco, que o tornem aceitável. Risco inaceitável: Risco não aceitável, face aos critérios estabelecidos, que obriga à implementação de acção correctiva específica com vista à sua redução ou eliminação. Dano para a saúde: Condição física ou mental identificável e adversa resultante de ou consequência da realização do trabalho e/ou situação relacionada com o trabalho.

MODO DE PROCEDIMENTO Identificação dos perigos e a avaliação e controlo dos riscos: atividades de rotina (operação normal) e as ocasionais (operação anormal) e de emergência. Identificação dos perigos Avaliação dos riscos inerentes aos processos, produtos e atividades em cada posto de trabalho Atividades em qualquer área / instalação, por pessoal direto, serviços contratados Atuações definidas para a operação, controlo e/ou melhoria dos riscos. Resultado da avaliação de riscos:     Riscos não toleráveis - implementação de ação corretiva para a sua eliminação, ou redução. Riscos a reduzir - objetivos de melhoria do desempenho / redução risco, e implementação das ações. Riscos de situação de emergência - atuações de prevenção e/ou combate, em emergência. Riscos aceitáveis - planos de acompanhamento e/ou monitorização, para manter os resultados consistentes no cumprimento das especificações e dos objetivos.
Luis Janicas Pág. 1/4

Visão deficiente Entorses e distensões. Fraturas. Infeções. Intoxicação fumos. Fraturas Contusões e traumatismos. Morte Lesões várias. Efeito de intempéries.b m.e Exposição contaminantes químicos Exposição contaminação biológica Ventilação / climatização Ruído Vibrações Calor / frio Radiações ionizantes / não ionizantes Iluminação Organização do trabalho Luis Janicas Pág. Morte Lesões respiratórias. Lesões respiratórias Asfixia.q m. Cansaço visual Queimaduras. Cegueira Contusões e traumatismos.Manuseamento Químico – Gases e Vapores Contaminação biológica Espaços confinados Iluminação deficiente Esforços excessivos / posturas incorretas RISCOS ASSOCIADOS Contusões e traumatismos. Morte Contusões e traumatismos. Morte Electrocução. Cancerígenos Frio / calor. Intoxicação. Morte Asfixia.IDENTIFICAÇÃO DE PERIGOS E AVALIAÇÃO DE RISCOS Identificação dos perigos Identificação dos perigos TIPO DE PERIGO LISTA DE PERIGOS Embate / Entalamento / Esmagamento Projeção de materiais Corte / Perfuração / Abrasão Queda de objetos Queda ao nível / em altura Soterramento Atropelamento Acidente de viação Queda à água Choque elétrico Poeiras e Fibras Ambiente térmico Superfícies com temperaturas extremas Radiações ionizantes /não ionizantes Incêndio / Inflamação / Explosão Vibrações Ruído ocupacional Químico .m. Morte Lesões ergonómicas Surdez Queimadura química. Contusões e traumatismos. Luxações mecânico mecânico mecânico mecânico mecânico mecânico mecânico mecânico físico físico físico físico físico físico físico físico físico químico químico biológico químico / biológico ergonómico ergonómico Condições materiais perigos exposição probabilidade gravidade Espaços de trabalho Máquinas Ferramentas manuais Objetos / manipulação Instalação elétrica Equipamento em pressão Incêndios Substâncias químicas Condições ambientais q.e m m. Morte Contusões e traumatismos. Lesões na pele. Morte Afogamento. Constipação e gripe Queimaduras (Calor ou frio) Efeito de radiação. 2/4 .e Equipamento de elevação e transporte m.f m f q q b f f f f f f f. Morte Cansaço visual. Intoxicação Intoxicações. Cancerígenos Lesões respiratórias.

não havendo registo de ter ocorrido no passado Se os danos nas pessoas podem ocorrer algumas vezes Se é previsível que os danos possam ocorrer algumas vezes Se é previsível que os danos ocorrerão provavelmente na maior parte das circunstâncias Se o dano é praticamente certo nas circunstâncias em causa A conjugação dos factores exposição e probabilidade determina a possibilidade de frequência do dano para as pessoas. provocando incapacidade parcial permanente. por exemplo afectação da vista.  Preocupações expressas pelo pessoal. Efeitos irreversíveis. 1 2 3 4 5 INSIGNIFICANTE MENOR MODERADO GRAVE MUITO GRAVE GRAVIDADE Não há danos pessoais (falha.  Medidas de controlo existentes. Avaliação dos riscos três fatores essenciais:  Exposição do pessoal ao perigo. mas com efeitos reversíveis para a saúde Efeitos irreversíveis na saúde. 3/4 . Luis Janicas Pág. acidentes.  Probabilidade de ocorrência do perigo. pela soma da classificação de cada um: 1 2 3 4 IMPROVÁVEL POUCO PROVÁVEL FREQUENTE MUITO FREQUENTE Exposição + Probabilidade = 2 ou 3 Exposição + Probabilidade = 4 ou 5 Exposição + Probabilidade = 6. cabeça ou coluna.IDENTIFICAÇÃO DE PERIGOS E AVALIAÇÃO DE RISCOS Identificação dos perigos Identificar todas as áreas e atividades Listar perigos associados a atividade  Requisitos legais. com incapacidade total permanente ou morte. falhas ou queixas). Exposição Probabilidade Severidade Risco Nível de exposição do pessoal ao perigo (tempo de exposição limitado (menos de 2 horas de cada vez): 1 2 3 4 5 IMPROVÁVEL: POUCO FREQUENTE: OCASIONAL: FREQUENTE: ROTINA: EXPOSIÇÃO Se a exposição pode acontecer menos de uma vez por ano Se a exposição pode acontecer entre mensal e anual Se a exposição pode acontecer entre semanal e mensal Se a exposição pode acontecer entre diário e semanal Se a exposição pode acontecer entre continuo e diário A probabilidade de a exposição das pessoas ao perigo provocar dano é: 1 2 3 4 5 RARA: PODE OCORRER: DEVE OCORRER: PROVÁVEL: ESPERADO: PROBABILIDADE Se os danos nas pessoas expostas podem ocorrer apenas em circunstâncias excepcionais. 7 ou 8 Exposição + Probabilidade = 9 ou 10 A gravidade indica o dano mais grave expectável num incidente envolvendo o perigo avaliado.  Experiência do passado (por exemplo.  A severidade do dano. normas internas e políticas existentes. quase acidente) Apenas primeiros socorros Requer tratamento.

Eliminação do perigo: como. a instalação de protecções nas máquinas e equipamentos perigosos. por exemplo. 2. protectores auriculares.MUITO GRAVE 1 2 3 4 2 4 6 8 3 6 9 12 4 8 12 16 5 10 15 20 Classificação dos riscos Risco inaceitável:   Risco igual ou superior a 15 – obriga a implementação de ação corretiva específica. a substituição de operações manuais de risco pela sua automatização. a substituição de químicos. instruções.acompanhamento e monitorização da atividade. avisos. instalação de silenciadores em condutas de evacuação. Redução do perigo: como. por exemplo. fumos ou gases em áreas onde possam ser produzidos.IMPROVÁVEL 2 . a instalação de sistemas de ventilação ou captação de poeiras. a substituição de produtos químicos perigosos.MENOR 3 . Medidas organizativas: como. etc. Ações de melhoria para reduzir o risco. a informação precoce de sinais e sintomas. Medição e monitorização da atividade. por exemplo. a substituição do amianto no isolamento por fibras sintéticas ou lã de rocha. a eliminação de substâncias como amianto ou PCB. Incumprimento de legislação aplicável ou de compromisso voluntário assumido. 3. etc.FREQUENTE 4 . Medidas técnicas: como.INSIGNIFICANTE 2 . Risco aceitável:   Risco igual ou inferior a 4. 5. por exemplo. óculos de protecção.IDENTIFICAÇÃO DE PERIGOS E AVALIAÇÃO DE RISCOS Risco determinado pela gravidade x frequência Matriz de Avaliação do Risco GRAVIDADE FREQUÊNCIA 1 . A eliminação dos perigos é 100% eficaz. A eficácia da substituição depende muito da escolha efectuada.POUCO PROVÁVEL 3 . Hierarquia de controlo dos riscos 1. etc. por exemplo. Equipamento de protecção individual: como. com aplicação de métodos seguros e controlados.MODERADO 4 . Luis Janicas Pág. Risco moderado: Risco entre 5 e 12. 4. etc. Medidas de controlo manter o risco controlado .MUITO FREQUENTE 1 .GRAVE 5 . para redução ou eliminação. com solventes orgânicos por outras com base aquosa. etc. a rotatividade dos postos de trabalho para repartir a carga das tarefas mais desgastantes. a formação e o treino. 4/4 . capacetes.