26272

Diário da República, 2.ª série — N.º 119 — 22 de Junho de 2011
de, fundamentadamente, poder ser oferecida posição diferente, nos termos legalmente definidos). 9 — Sem prejuízo do disposto no número anterior, de acordo com o artigo 26.º, n.º 1, alínea d) da LOE, não pode ser proposta uma posição remuneratória superior à remuneração auferida pelo candidato. 10 — Requisitos de admissão: a) Possuir relação jurídica de emprego público, por tempo indeterminado, previamente estabelecida; b) Ser detentor dos requisitos cumulativos, previstos no artigo 8.º da Lei n.º 12-A/2008, de que depende a constituição da relação jurídica de emprego público; c) Estar habilitado com o 12.º ano ou curso que lhe seja equiparado; d) Auferir uma remuneração igual ou superior à 1.ª posição remuneratória da carreira/categoria de assistente técnico, a que corresponde o montante pecuniário de 683,13 € (cf. artigos 24.º, n.º 10 e 26.º, n.º 1, alínea d) da LOE). 11 — O candidato deve reunir os requisitos referidos no número anterior até à data limite de apresentação da candidatura. 12 — Não podem ser admitidos candidatos que, cumulativamente, se encontrem integrados na carreira, sejam titulares da categoria e, não se encontrando em mobilidade, ocupem postos de trabalho previstos no mapa de pessoal do IPAD, I. P., idênticos aos postos de trabalho para cuja ocupação se publicita o presente procedimento. 13 — Sem prejuízo do disposto no número seguinte, nos termos do artigo 53.º, n.º 4, da Lei n.º 12-A/2008, de 27 de Fevereiro, o único método de selecção obrigatório a aplicar é a prova de conhecimentos. 14 — Aos candidatos que, cumulativamente, sejam titulares da categoria e se encontrem a exercer funções idênticas às do posto de trabalho publicitado, bem como, aos candidatos que, encontrando-se em situação de mobilidade especial, se tenham por último encontrado a exercer as referidas funções, o único método de selecção obrigatório a aplicar é a avaliação curricular, ao abrigo do disposto no artigo 53.º, n.os 2 e 4, da referida Lei n.º 12-A/2008, de 27 de Fevereiro. 15 — Os candidatos que preencham as condições previstas no número anterior podem afastar, mediante declaração no formulário de candidatura, a aplicação da avaliação curricular, optando pela realização da prova de conhecimentos (cf. n.º 2 do artigo 53.º da Lei n.º 12-A/2008, de 27 de Fevereiro). 16 — Nos termos do n.º 3 do citado artigo 53.º da Lei n.º 12-A/2008, de 27 de Fevereiro e artigo 7.º da Portaria n.º 83-A/2009, 22 de Janeiro, para além do método de selecção obrigatório, é aplicado, ainda, como método de selecção facultativo, a entrevista profissional de selecção. 17 — Valoração dos métodos de selecção: a) Prova de conhecimentos — é valorada de acordo com a escala de 0 a 20 valores, considerando-se a valoração até às centésimas; b) Avaliação curricular — é expressa numa escala de 0 a 20 valores, com valoração até às centésimas, sendo a classificação obtida através da média aritmética ponderada das classificações dos seguintes elementos: i) Habilitação académica; ii) Formação profissional, considerando-se as áreas de formação e aperfeiçoamento profissional relacionadas com as exigências e as competências necessárias ao exercício da função; iii) Experiência profissional, com incidência sobre a execução de actividades inerentes ao posto de trabalho e o grau de complexidade das mesmas; iv) Avaliação do desempenho, relativa ao último período (não superior a três anos) em que o candidato cumpriu ou executou actividades idênticas às do posto de trabalho a ocupar. c) Entrevista profissional de selecção — avaliada segundo os níveis classificativos de Elevado, Bom, Suficiente, Reduzido ou Insuficiente, aos quais correspondem, respectivamente, as classificações de 20, 16, 12, 8 e 4 valores. 18 — Cada um dos métodos de selecção é eliminatório, sendo excluído do procedimento o candidato que tenha obtido uma valoração inferior a 9,5 valores no método de selecção obrigatório, não lhe sendo aplicado o método facultativo. 19 — Para efeitos de valoração final, a prova de conhecimentos ou a avaliação curricular tem a ponderação de 70 % e a entrevista profissional de selecção tem a ponderação de 30 %. 20 — As provas de conhecimentos assumirão a forma escrita, de natureza teórica e de realização individual, sem consulta de legislação ou documentação e incidindo sobre os seguintes temas genéricos: I — Orgânica e Competências do IPAD; II — Organização Administrativa dos Serviços da Administração Pública;

MINISTÉRIO DOS NEGÓCIOS ESTRANGEIROS
Instituto Português de Apoio ao Desenvolvimento, I. P.
Aviso n.º 13009/2011 Procedimento concursal comum para recrutamento de dois assistentes técnicos para as áreas de Expediente e Património 1 — Nos termos do n.º 1 do artigo 50.º da Lei n.º 12-A/2008, de 27 de Fevereiro, torna-se público que, por meu despacho de 2 de Junho de 2011, no uso de poderes delegados, encontra-se aberto procedimento concursal comum, para constituição de relação jurídica de emprego público por tempo indeterminado, tendo em vista o preenchimento de dois postos de trabalho, da carreira e categoria de assistente técnico, previstos e não ocupados, no mapa de pessoal do Instituto Português de Apoio ao Desenvolvimento, I. P. (IPAD, I. P.). 2 — Legislação aplicável: Lei n.º 12-A/2008, de 27 de Fevereiro, na redacção vigente, Decreto Regulamentar n.º 14/2008, de 31 de Julho, Lei n.º 59/2008, de 11 de Setembro, na redacção dada pela Lei n.º 3-B/2010, de 28 de Abril e ulteriores alterações e Portaria n.º 83-A/2009, de 22 de Janeiro, alterada e republicada pela Portaria n.º 145-A/2011, de 6 de Abril e a Lei n.º 55-A/2010, de 31 de Dezembro (Lei do Orçamento de Estado — LOE). 3 — Para os efeitos do estipulado no n.º 1 do artigo 4.º da Portaria n.º 83-A/2009, de 22 de Janeiro, declara-se não estarem constituídas reservas de recrutamento no próprio organismo, presumindo-se a inexistência de reservas de recrutamento constituídas pela ECCRC, porquanto não foram ainda publicitados quaisquer procedimentos nos termos dos artigos 41.º e seguintes da referida portaria. 4 — Âmbito do recrutamento: Nos termos do disposto no n.º 4 do artigo 6.º da Lei n.º 12-A/2008, de 27 de Fevereiro, o recrutamento faz-se de entre trabalhadores com relação jurídica de emprego público por tempo indeterminado previamente estabelecida. 5 — Local de trabalho: Instalações do Instituto Português de Apoio ao Desenvolvimento, I. P., sitas na Avenida da Liberdade, n.º 192, em Lisboa. 6 — Número de postos de trabalho a ocupar: 2 postos de trabalho destinados à Divisão de Gestão Financeira e Patrimonial (DGF), designadamente: Referência A — 1 posto de trabalho — Secção de Património (SPAT); Referência B — 1 posto de trabalho — Secção de Expediente e Apoio Geral (SEAG). 7 — Caracterização dos postos de trabalho a ocupar: As funções exercidas são consubstanciadas nas competências previstas nos Estatutos do IPAD, I. P., para a Divisão de Gestão Financeira e Patrimonial, designadamente, as seguintes: Referência A: a) Preparar, realizar e gerir os contratos de fornecimentos de serviços, nomeadamente, de limpeza, de locação, de assistência técnica e de manutenção de equipamentos; b) Efectuar as compras autorizadas, assegurando os necessários contactos com os fornecedores; c) Assegurar a gestão e a manutenção das instalações e equipamentos do IPAD, I. P., em território nacional e no estrangeiro; d) Assegurar a limpeza e higiene das instalações do IPAD, I. P.; e) Garantir uma adequada gestão de stocks, bem como a distribuição atempada dos materiais necessários ao funcionamento dos serviços; f) Organizar e manter actualizado o cadastro e inventário dos bens do IPAD, I. P., em Portugal no estrangeiro; g) Assegurar a gestão do parque automóvel, incluindo a coordenação da condução de viaturas; h) Assegurar o desenvolvimento de outras atribuições que, no âmbito das suas competências, lhe forem superiormente cometidas. Referência B: a) Assegurar o registo e distribuição da correspondência entrada e expedida, bem como as demais tarefas conexas de expediente; b) Assegurar o serviço de atendimento telefónico; c) Assegurar o apoio geral e administrativo e coordenar o trabalho do pessoal auxiliar adstrito a tais funções; d) Assegurar o desenvolvimento de outras atribuições que, no âmbito das suas competências, lhe forem superiormente cometidas. 8 — Posição remuneratória de referência — 2.ª posição remuneratória da carreira/categoria de assistente técnico (sem prejuízo da possibilidade

qualitativas e quantitativas.º 3. II — Cadastro e Inventário. por correio registado. faltas e licenças dos funcionários e agentes da administração central.º 1553-C/2008. com indicação expressa da referência a que se candidata. Decreto-Lei n. contendo o número de níveis remuneratórios e o montante pecuniário correspondente a cada um e actualiza os índices 100 de todas as escalas salariais. de 29 de Janeiro: define a protecção social dos trabalhadores que exercem funções públicas.º 6/96. alterado pela Lei n. regional e local incluindo os institutos públicos que revistam a natureza de serviços personalizados ou de fundos públicos. caracterizadoras do posto de trabalho a ocupar.º 20328/2007. categoria e actividade. b) Identificação da entidade que realiza o procedimento. Decreto-Lei n.Diário da República.gov. Portaria n. de 27 de Outubro: aprova a Lei Orgânica do Ministério dos Negócios Estrangeiros. c) Declaração de conteúdo funcional..º 121/2008.º 510/2007.º 4/2009.º 2 do artigo 53.º 278/2009. n. de 15 de Novembro.º 119 — 22 de Junho de 2011 III — Legislação Comum dos Trabalhadores em funções públicas Referência A: I — Aquisição.º 120/2007. Decreto-Lei n. 27 — O formulário de candidatura deve ser acompanhado dos documentos a seguir enumerados.º 14/2008.º 62/2003. Portaria n. legalmente reconhecido para o efeito.º 162/2008. Legislação específica (Referência A): Decreto-Lei n. publicado no Diário da República.º 12-A/2008.º 442/91. b) Declaração. III — Documentos electrónicos. f) Menção de que o candidato declara serem verdadeiros os factos constantes da candidatura. . de 11 de Julho: extingue carreiras e categorias cujos trabalhadores transitam para as carreiras gerais. Decreto-Lei n. 2. dos trabalhadores que exercem funções públicas integrados no regime de protecção social convergente.º 46/2007. e remetidas para o e-mail ali indicado ou. é apenas necessário para os candidatos que reúnam as condições definidas no n. sita na Rua Rodrigues Sampaio n. para efeitos de avaliação curricular): a) Fotocópia do certificado de habilitações ou outro documento idóneo.mne. endereço postal e electrónico.º andar. gestão e alienação dos bens móveis do domínio privado do Estado. no âmbito da eventualidade maternidade. aconselha-se a consulta da seguinte: Legislação genérica (Referências A e B): Decreto-Lei n. de 24 de Outubro: Aprova o Programa de Gestão do Património Imobiliário do Estado para o quadriénio de 2009-2012. de 7 de Agosto: Regime jurídico do património imobiliário público. iv) As menções. de 31 de Março: estabelece o regime de férias.º 447/88. seguintes. em Lisboa. I. nacionalidade. de 27 de Dezembro: Regulamenta os princípios gerais de aquisição. Decreto-Lei n. Lei n. Decreto Regulamentar n. da qual conste a descrição pormenorizada da actividade que o candidato desempenha.º 378/94.º 18/2008. de 8 de Maio. da actividade que executa e do órgão ou serviço onde exerce funções.º 290-D/99. II — Arquivo. Despacho n. Decreto-Lei n. ii) A identificação da relação jurídica de emprego público previamente estabelecida.º da Lei n. de 15 de Outubro: Cria o inventário geral do património do Estado. 22 — Para a preparação dos temas acima indicados. c) e d). bem como dos suplementos remuneratórios. 26273 Decreto-Lei n. 21 — As provas terão a duração máxima de 1 hora e 30 minutos. com aviso de recepção. subsídios de refeição e de viagem.º 89/2009. disponível no sítio electrónico do IPAD. de 11 de Setembro: aprova o Regime do Contrato de Trabalho em Funções Públicas. designadamente: i) Os previstos no artigo 8. emitida pelo serviço onde o candidato exerce funções. da carreira. 2. de 10 de Dezembro: Regula a pré-arquivagem de documentação. de 28 de Dezembro: estabelece o sistema integrado de gestão e avaliação do desempenho na Administração Pública. recursos financeiros e recursos patrimoniais dos serviços da administração directa e indirecta do Estado. com a redacção que lhe foi dada pela Portaria n. de 27 de Fevereiro. 25 — A utilização do formulário é obrigatória. bem como da carreira e categoria de que seja titular. do Ministro de Estado e das Finanças. emitida pelo serviço de origem a que o candidato pertence. número de identificação fiscal.º 83-A/2009 e Despacho n. caso exista e contacto telefónico.º 89. gestão e alienação de bens. de 16 de Junho: Instruções regulamentares do cadastro e inventário dos móveis do estado (CIME) e respectivo classificador geral. de 31 de Dezembro: aprova a tabela remuneratória única dos trabalhadores que exercem funções públicas. para a Av. iii) Os relativos ao nível habilitacional.iv). de 02 de Agosto (alterado pelo Decreto-Lei n. de 30 de Abril. de 21 de Dezembro: Regime de aquisição. 1. P. de 27 de Fevereiro: estabelece os regimes de vinculação.º 77/80.º 59/2008. da qual conste: i) A identificação da relação jurídica de emprego público previamente estabelecida. bem como. data de nascimento. sexo. de 29 de Janeiro e Decreto-Lei n.º 15 do presente aviso. nos termos do n. 1250-147 Lisboa ou entregues na Secção de Expediente. com o endereço www. Legislação específica (Referência B): Lei n. de 27 de Abril: procede à reestruturação do IPAD. reforma e invalidez. de 9 de Abril: regulamenta a protecção na parentalidade. Decreto-Lei n. sob pena de exclusão (o envio dos documentos mencionados nas alíneas b.º. c) Identificação do candidato pelo nome. Portaria n. da Liberdade. de 14 de Maio: aprova os estatutos do IPAD.º da Portaria n.º 100/99.º 11 321/2009. para os trabalhadores em funções públicas e actualiza as pensões de aposentação e sobrevivência. de 6 de Setembro: determina a organização e funcionamento da estrutura orgânica flexível do IPAD. 192. gestão e alienação dos bens móveis do domínio privado do Estado. de 27 de Fevereiro (se for o caso). Portaria n. de assistente técnico e de assistente operacional. de carreiras e de remunerações dos trabalhadores que exercem funções públicas. de 29 de Janeiro: Programa de inventariação 2009-2012. 24 — As candidaturas devem ser formalizadas mediante o preenchimento de formulário tipo. Decreto-Lei n.º da Lei n.º 12-A/2008. de 31 de Janeiro: Código de Procedimento Administrativo.º 12-A/2008. quando relativas ao exercício de funções idênticas às do posto de trabalho publicitado. iii) A posição remuneratória correspondente à remuneração auferida. de 2 de Outubro: Aquisição de bens e serviços no regime de ajuste directo simplificado. e) Opção por métodos de selecção. Decreto-Lei n. não sendo possível. de 31 de Julho: estabelece os níveis da tabela remuneratória única correspondentes às posições remuneratórias das categorias das carreiras gerais de técnico superior. d) Situação perante cada um dos requisitos de admissão. obtidas nas avaliações do desempenho referentes aos últimos três anos. de 31 de Dezembro: procede à revisão anual das tabelas de ajudas de custo. Lei n. paternidade e adopção.º 1553-D/2008. Lei n.º 66-B/2007. Decreto-Lei n.º 121/92 de 02 de Julho: Estabelece os princípios de gestão de documentos relativos a recursos humanos.ª série — N.º 280/2007. sempre que a mesma consubstancie o exercício de funções idênticas às do posto de trabalho publicitado.. Portaria n.º 3/2004. contados da data da publicação do presente aviso no Diário da República. 26 — Do formulário de candidatura ao presente procedimento concursal deverão constar os seguintes elementos: a) Identificação do procedimento concursal. não sendo considerado outro tipo de formalização da candidatura. de 15 de Janeiro: aprova a lei-quadro dos institutos públicos. Resolução do Conselho de Ministros n. ii) A carreira e categoria de que é titular.ª série.pt. P.º 95/2009. 23 — Prazo de candidatura — 10 dias úteis. actualizada. I.º 204/2006.ipad. Referência B: I — Acesso e gestão dos documentos administrativos. Portaria n. de 03 Abril): Aprova o regime jurídico dos documentos electrónicos e da assinatura digital.º 1152-A/94. Lei n. 2.º 307/94. conforme o disposto no artigo 51. Lei n. de 24 de Agosto: regulamenta o acesso aos documentos administrativos e a sua reutilização.º 510/2009.

3 — Caracterização dos postos de trabalho a ocupar. de 27 de Fevereiro. cumulativamente.º 2 do artigo 40. do mapa de pessoal da Direcção-Geral do Tesouro e Finanças (DGTF). 5. 30 — Pode ser exigida aos candidatos a apresentação de documentos comprovativos de factos por eles referidos no currículo que possam relevar para a apreciação do seu mérito e que se encontrem deficientemente comprovados. de 31 de Julho. em conformidade com o estabelecido no mapa de pessoal aprovado para 2011 — Conceber.os 2 e 4 do artigo 6. 2. alterada pela Portaria n. de 28 de Abril. Artur Lami. as actas do júri.º Vogal suplente — Carla Isabel Vicente Martins Rodrigues. e) Ter cumprido as leis de vacinação obrigatória.ª Vogal efectiva. pelo período de 10 dias úteis. previstas no artigos 9. em cumprimento da alínea h) do artigo 9. 1 — Nos termos do disposto nos n. bem como a MINISTÉRIO DAS FINANÇAS E DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Direcção-Geral do Tesouro e Finanças Aviso (extracto) n.º 3 do artigo 19. ou remetida pelo correio. para preenchimento de 2 postos de trabalho na carreira e categoria de técnico superior. c) Não estar inibido de exercício de funções públicas ou interdito para o exercício de funções.º 34/2010. sendo a remuneração de referência a 2.º Vogal suplente — Jorge Manuel Ferreira.º da Portaria n. ou. salvo nos casos exceptuados pela Constituição da República Portuguesa. providenciando escrupulosamente no sentido de evitar toda e qualquer forma de discriminação. de 22 de Janeiro. e dado não existir reserva de recrutamento constituída junto da Direcção-Geral da Administração e do Emprego Público (enquanto ECCRC).2. se encontrem integrados na carreira. técnica superior. para a realização da audiência dos interessados.º 83-A/2009. 2.º 13010/2011 Procedimento concursal para o preenchimento de dois postos de trabalho na carreira e categoria de técnico superior (licenciatura adequada à área de recursos humanos e materiais). de 1 de Março. devidamente actualizada. 1149-008 Lisboa. a modalidade da relação jurídica de emprego público que detém. iii) Currículo profissional datado e assinado. 7 — A formalização da candidatura é efectuada em suporte de papel. nos termos do n. de 22 de Janeiro.º da Portaria n. 29 — A candidatura a ambas as referências. ii) Comprovativos das acções de formação frequentadas. adoptar e aplicar métodos e processos técnico-científicos. alterada pela Lei n. 38 — Em situações de igualdade de valoração. de 22 de Janeiro. de 22 de Janeiro. a documentação enviada ser considerada comum. a que o candidato efectivamente detém.º 3 do artigo 30.º 36 e. 6 de Junho de 2011. constante da página electrónica da DGTF em http://www. 1.º 83-A/2009.º da Portaria n. até ao prazo limite para apresentação das candidaturas. 7. é publicada na 2. de 22 de Janeiro.ª série — N. da qual conste. 31 — O júri. emitir pareceres e prestar assessoria técnica no âmbito das atribuições cometidas à Direcção de Serviços de Gestão de Recursos. 28 — Os documentos mencionados no número anterior podem ser enviados por via electrónica.º 64-A/2008.º 83-A/2008. e possuir os requisitos enunciados no artigo 8. ou encontrar-se em situação de mobilidade especial. torna-se público que.º e do artigo 50. do mapa de pessoal da Direcção-Geral do Tesouro e Finanças. 34 — A Presidente do júri será substituída. na modalidade de contrato de trabalho em funções públicas por tempo indeterminado. dos seguintes documentos: i) Fotocópias legíveis do certificado de habilitações académicas e do Bilhete de Identidade ou Cartão de Cidadão. b) Ter 18 anos de idade completos. deve ser formalizada através do envio de dois formulários distintos.º 9 do artigo 28.2 — A apresentação da candidatura pode ser entregue pessoalmente na Divisão de Recursos Humanos e Financeiros. sob registo e com aviso de recepção.º da Lei n. 41 — Nos termos do Despacho Conjunto n.º da Lei n. de 22 de Janeiro. por meu despacho de 28 de Março de 2011. 1149-008 Lisboa. esgotados estes. de 2 de Setembro e pela Lei n. — O Vice-Presidente. juntamente com o requerimento de candidatura.º 83-A/2009. No presente procedimento não existe possibilidade de substituição do nível habilitacional por formação ou experiência profissional. 37 — A ordenação final dos candidatos é efectuada de acordo com a escala classificativa de 0 a 20 valores. se a posição remuneratória do candidato for superior àquela. de 31 de Dezembro.º.º 55-A/2010.1 — Não podem ser admitidos candidatos que. a Administração Pública. não se encontrando em mobilidade. ocupem postos de trabalho previstos no mapa de pessoal da Direcção-Geral do Tesouro e Finanças idênticos aos postos de trabalho para cuja ocupação se publicita o presente procedimento concursal. 5. penal. os relativos a formação profissional).º da Portaria n. afixada em local visível e público das instalações do IPAD e disponibilizada na sua página electrónica. (disponível na funcionalidade “DGTF/Recursos Humanos/procedimentos Concursais/Formulários”). pela Lei n. 2 — Local de Trabalho: Direcção-Geral do Tesouro e Finanças.º 4 do artigo 6.º 10 do artigo 24.º da LVCR: a) Ter nacionalidade portuguesa. procedimento concursal comum. 2.º 55-A/2010.º Vogal efectivo — Ana Maria Robalo Branco. Rua da Alfândega. nos termos previstos no n. previamente estabelecida nos termos do n.º 55-A/2010. dos restantes candidatos. 6 — Nível habilitacional: licenciatura adequada às áreas de recursos humanos e materiais. podendo. desenvolver projectos.º da LVCR. n. n. em resultado da classificação quantitativa obtida no método de selecção aplicado. após homologação.48. 5 — Requisitos de admissão relativos ao trabalhador: Ser detentor de relação jurídica de emprego público por tempo indeterminado. técnica superior. de carreiras e de remunerações dos trabalhadores que exercem funções públicas (LVCR). técnico superior. — Ao presente procedimento apenas se podem candidatar os trabalhadores que se enquadrem no n.ª série do Diário da República. 39 — A lista unitária de ordenação final é notificada aos candidatos. acompanhado da documentação necessária à comprovação dos factos declarados (nomeadamente.º 119 — 22 de Junho de 2011 regimes de vinculação. a grelha classificativa e o sistema de valoração final serão facultadas aos candidatos sempre que solicitadas.1 — Só é admissível a apresentação de candidatura em suporte de papel. na carreira e no exercício de funções públicas. 33 — Composição do júri do concurso: Presidente — Helena da Glória Barros dos Santos.º 83-A/2009.º da Portaria n.º. para o endereço: Rua da Alfândega. sejam titulares da categoria e. que se propõe desempenhar.º 83-A/2009.º da Constituição. ou. 7. 4 — Posicionamento remuneratório: Aplicação do artigo 26. lei especial ou convenção internacional. promove activamente uma política de igualdade de oportunidades entre homens e mulheres no acesso ao emprego e na progressão profissional.º 373/2000. entre as 09h30 e as 17h00. enquanto entidade empregadora. 40 — O recrutamento efectua-se pela ordem decrescente da ordenação final dos candidatos colocados em situação de mobilidade especial e. 36 — Os candidatos excluídos são notificados. se encontra aberto. serão observados os critérios de ordenação preferencial estipulados no artigo 35.ª posição remuneratória da carreira técnica superior que corresponde a € 1 201.º da Portaria n. nas suas faltas e impedimentos.º 12-A/2008. conjugada com o artigo 4. pode conceder um prazo suplementar razoável para apresentação dos documentos exigidos quando seja de admitir que a sua não apresentação atempada se tenha devido a causas não imputáveis a dolo ou negligência do candidato. de 6 de Abril. a contar da data da publicação do presente aviso no Diário da República. de 31 de Dezembro.º 819/2007. de 31 de Dezembro. elaborar estudos. onde constam os parâmetros de avaliação. 42 — Prazo de validade — o concurso é válido para o preenchimento dos postos de trabalho a concurso e para os efeitos do previsto no n. 204787306 Diário da República.º Vogal efectivo — Ana Paula Silva Moreira Martins. e deverá ser acompanhada.º 5 — 1. pela Lei n. de 31 de Dezembro. por sua iniciativa ou a requerimento do candidato. técnica superior 1. pela forma e para os efeitos previstos no n. a categoria e posição remuneratória detida e a antiguidade na categoria.26274 d) Currículo profissional detalhado e actualizado.pt. pela 1.º da Lei n. assistente técnica. iv) Declaração emitida pelo organismo ou serviço onde o candidato exerce funções ou pertence.dgtf. mediante o preenchimento obrigatório do formulário de candidatura.º 3-B/2010.º 145-A/2011.º da Portaria n. 32 — A apresentação de documento falso determina a participação à entidade competente para efeitos de procedimento disciplinar e. contudo.º 5 — 1. d) Possuir robustez física e perfil psíquico indispensáveis ao exercício das funções. que estabelece os . 35 — Nos termos da alínea t) do n. de forma inequívoca.