Animação do ponto de venda

:
Muitos empresários pensam que promoção de produtos é uma estratégia relacionada apenas com os preços. Na verdade é toda estratégia desenvolvida para comercialização que envolve toda a campanha de divulgação do produto ou serviço. Uma ferramenta fundamental do marketing para incrementar as vendas de um produto é a promoção de produtos no ponto de vendas (merchandising). São conjuntos de técnicas, cuja aplicação visa dar uma apresentação destacada aos produtos no ponto de venda, acelerando sua venda. O merchandising, através de uma propaganda visual e física no ponto de venda faz com que o consumidor compre mecanicamente, condicionado pela propaganda, pela promoção ou pela exposição que o produto recebe. Poderíamos resumir merchandising como: o produto adequado, no lugar e com a apresentação adequada combinados com o momento e o preço também adequados. As técnicas de merchandising ter por objectivo dar vida ao produto, criar ambiente e tornar o ponto de venda atraente, colocando o produto nas mãos do consumidor e atrair a atenção para produtos específicos. A relação consumidor e o ponto de venda é ajudada pelo processo psicológico de compra, mediante a exposição dos produtos, a informação através de cartazes, a embalagem , ou seja, a intensidade de estímulos à compra para despertar um interesse crescente no consumidor, em sua trajectória pela loja entre outros factores que compõe na verdade o merchandising. Alguns dados importantes no processo de compra: a velocidade dos olhos percorrendo as gôndolas é de aproximadamente 100 Km/h; o tempo de atração que gera o impulso da compra é de aproximadamente 12 milésimos de segundo; a tomada de decisão é de aproximadamente 4 segundos; 70% dos consumidores afirmam que os displays fazem diferença na compra. Todas essas técnicas foram pesquisadas e aperfeiçoadas ao longo dos anos e embora micro e pequenos empresários acreditem que só as grandes empresas são capazes de utilizá-las qualquer estabelecimento comercial não só pode criar seu ponto de venda diferenciado, como a competitividade nos dias de hoje o obriga a tais estratégias. As técnicas de merchandising aliadas as eficientes técnicas de vendas e qualidade de atendimento com certeza podem impulsionar as vendas e fazer a diferença entre crescer ou de desaparecer do mercado. O ponto de venda é a vitrine, o lugar onde o produto está exposto de forma a ser apreciado, tocado e comprado. Contudo, em toda a história, o PDV, nunca foi tão levado a sério como agora, a principal concentração de verba destinada a divulgação sempre esteve concentrada nos média tradicionais e nunca no PDV. Hoje, já se tem pesquisas que revelam que 85% das decisões de compra são tomadas no PDV, e que o tempo médio de compra no Brasil é de 77 minutos, bem maior que em outros países (Fonte: Popai Brasil, 1998). Além do que o consumidor de hoje encontra-se diante de inúmeras marcas e infinitas possibilidades de compras. Os anúncio comerciais, despertam o interesse, fazem o consumidor pensar e desejar o produto, mas não garantem as vendas, pois o consumidor não está a analisar e sentir o produto. Storeradios (sistema de rádio exclusivo dentro dos estabelecimentos comerciais), FloorGraphics (adesivos de chão), carrinhos em supermercados, separadores de compras e muitos outros estão a aparecer para juntarem-se aos já tradicionais cartazes de PDV.

B a n d e i r o l a: Criar bandeirolas não é diferente do que criar outdoors. do papel que foi impressa. Se usar mais que uma intercale as bandeirolas entre imagens e textos. aquele produto. para que dê o seu maior resultado. pois está colocada junto ao produto e a sua função é tirar o produto do anonimato. lembrase do que já viu antes sobre aquela campanha. pois o consumidor. o sucesso é praticamente garantido. é preferível um acabamento recto ou oval. A faixa deve ser criada para que sirva necessariamente em vários pontos de venda. pois enrolam tanto que pode chegar a não dar para ver o produto ou o cliente. acções de degustação.7 centímetros. ao vê-la. F a i x a d e g ô n d o l a: A função principal da faixa de gôndola é atrair a atenção do consumidor no momento da compra. pois dependendo do tempo de exposição. É uma das menores peças que podem dar grandes resultados. · Cores fortes ajudam a atrair a atenção.Assim. Se o destaque for uma promoção que ofereça brindes. pois neste caso. a sua atenção não está voltada para isso. por causa dos padrões das gôndolas. · Normalmente são criadas num formato padrão de 50x7. Como tal não podem estar inundadas de informações. Precisa estar ligada a alguma campanha. assim precisa ter algo que promova a adaptabilidade. trabalhar com preço e promoção. Deve usar-se poucas imagens. etc. · O formato padrão (46x64 centímetros) só deve ser usado em ambientes grandes e com pé direito alto. deve-se mostrar os prémios sem medo. principalmente em um lugar onde formas e cores se misturam. promoção ou outro material de apoio. o brinde vale mais e garante a compra. · Se possível. Se o ambiente for pequeno usa-se 31x46 centímetros. faixas de gôndolas. Mas elas não estão dispostas a ver. áreas de respiro. ela pode enrolar. Pode-se também usar mais que uma bandeirola para formar uma única imagem. até mais que o produto. e se necessário pode-se até aumentar a largura da faixa escondendo um pouco o produto. . do tamanho da bandeirola e da humidade do ar. displays. o papel precisa ter áreas livres. Contudo. se o cliente só pode pagar uma faixa de gôndola. · Nunca fazer bandeirolas de plástico. o mais importante para a criação de materiais de PDV é estar informado: ir a hipermercados e prestar a atenção a sistemas de som. É claro que as pessoas têm mais tempo de ver a bandeirola do que um outdoor. ·Deve-se abusar do tamanho do título. · Procura-se não usar bandeirolas com acabamento em “V” na parte inferior. é melhor fazer alguma coisa do que nada.

.D i s p l a y e x p o s i t o: A tradução da palavra display é exibição. de maneira diferenciada dos concorrentes. agências de turismo. chegam mesmo a ser a reprodução de um produto gigante. hotéis. Dificilmente é encontrado em supermercados e sim em estabelecimentos comerciais que possuem balcão: farmácias. bancos. Os displays expositores são a cara dos produtos. exposição. com o local para expor o produto em tamanho natural. colocados próximos ao produto nas gôndolas ou prateleiras. Display de mesa(take one): A sua única semelhança com o display expositor é que também serve para expor alguma coisa. Floor Graphics: São adesivos para o chão. espectáculo. mas o visual ainda continua a ser função do director de design. Normalmente feito em cartão. manifestação. desfile. venda o folheto na bolsa desse display. garante maior visibilidade e influencia o consumidor directamente na decisão de compra. A sua função é fazer com que o consumidor. dobrável. etc. É um suporte também normalmente de cartão que possui uma bolsa onde são colocados os folhetos. mas desta vez não seria o próprio produto e sim folhetos. é feito por empresas especializadas em desenvolver esse tipo de material. e nada mais correcto do que defini-lo como algo que serve para expor o produto. pegue-o (por isso take one: “pegue um”) O bom uso da cor e a mensagem são artifícios que ajudam na criação do take one. Desenvolvido por uma empresa especializada nos médias no ponto-de-venda chamada. E não tem muito texto ou nenhum. livrarias. fácil de montar e transportar. lojas de departamento.

Relativamente às dimensões da loja: . · Pode ser produzido com chip electrónico e. · Suporta grandes variações de temperaturas. mesmo que distantes. É “O momento da verdade”. antiderrapante e fácil de limpar. pois sem essa condição não é possível atingir os resultados traçados”. que vendem artigos de consumo. atraem principalmente pela variedade. É o “espaço” em que o consumidor é directamente confrontado com um conjunto alargado de opções de compra.Lojas muito grandes.Lojas das proximidades. As acções de Merchandising desenvolvidas no ponto de venda têm sempre como objectivo “a satisfação do consumidor. trânsito no centro da cidade. e assim uma determinada área pode brilhar no adesivo assim que a pessoa pise. onde tudo se decide e o trabalho de “brand building” é colocado à prova.As lojas com o mesmo tamanho e do mesmo sector de actividade. FloorGraphics: · É super-resistente. Ponto de Venda: É no ponto de venda que 80% das compras se decidem. Faz o consumidor parar. Neste sentido. · É ultrafino.Lojas que vendem bens secundários. . alguns locais são mais atraentes que outros. . pois reage em função das suas emoções. semi . linhas de caminho de ferro. . alguns pontos de venda.fusco. olhar e comparar. a visibilidade e exposição das mesmas e todas as actividades paralelas que são realizadas podem influenciar o consumidor no processo de decisão de compra.É o único que projecta a campanha do anunciante dentro do ponto-de-venda como nenhum outro meio é capaz. por isso.) O potencial cliente não é racional. etc. · Pode ser transmitido até seis meses e tem a vantagem de não marcar o piso ao colar e descolar. Os produtos apresentados. . · Custa menos que os média tradicionais. Apontamentos para Módulo 4 – Animação no ponto de venda Zona de Venda: O local de venda dos produtos está directamente ligado à sua maior ou menor rentabilidade. são mais acessíveis devido à ausência de obstáculos (rios.

” Avaliação da satisfação do cliente: Transparência credibilidade Emoção dinâmica Sensibilidade Novidade Inovação Motivação de compra Economia Versatilidade Entusiasmo Ambiente Utilidade Rentabilidade Informação Apoio Limpeza Arrumação Conforto Confiança Critérios de selecção da loja: Implantação das secções / produtos Visitas bem sucedidas Gama de produtos de Marca Ambiente Eficácia nas saídas Desenvolvim ento do espaço Preferências do cliente: • • • • Conforto /comunidade Eficácia / rendibilidade Parqueamento Caixas em número suficiente . “uma extensão de estratégia de comunicação. painéis. para a empresa. folhetos.A comunicação no ponto de venda representa. cartazes. bandeirolas. etc. setas.

pois o seu sucesso e qualidade. em reserva. • Preço acessível. são comprados de forma preparada e com tempo. ou artigos de luxo. Locomotivas – produtos que são líderes com frequência. ou outras palavras. Sobre linha de partida – procurando responder às expectativas dos consumidores que variam com o tempo. pelo seu preço baixo. • Qualidade. • Escolha dos produtos sem incomodo. • Acções especiais. atraem os outros produtos da empresa. satisfação da curiosidade. De apelo – atraem a clientela. A perder velocidade – os produtos transformados. descontracção.destinados ao grande público (produtos de consumo) e os que se destinam aos profissionais (produtos industriais). em que os primeiros se compram de forma rotineira. • Atmosfera convidativa. preenchendo os buracos no conjunto de mercadorias da loja. enquanto os segundos.• • • • Serviço de apoio Galeria comercial /cafetaria Informação / Sinalização – secções promoções Horários dilatados de abertura Conhecimento dos produtos: Podemos fazer uma distinção entre os produtos –bens e serviços. os bens de concorrência e os bens de especialidade. por vezes na aparência. Também se distinguem os produtos: Líder – produtos que dão o maior número de negócios e muitas vezes o maior lucro. Podemos distinguir também os bens concorrentes ou de comodidade. recai sobre eles. os produtores possuem por vezes. como os produtos de primeira necessidade. A disposição do ponto de venda: . • Alternância. podem encontrar um segundo sopro chamam-se remodeláveis. Sentimentalmente ele espera: • Um estabelecimento no qual ele se sinta bem de imediato. Tácticos ou complementares – são produtos vendidos em série para que a concorrência não consiga penetrar. produtos destinados a substituir outros. As expectativas do consumidor: Racionalmente ele espera: • Grande variedade. na maior parte das vezes.

• Deve ser um espectáculo a três dimensões. O topo da gôndola. .  Uma variação no tempo. Uma exposição deve apresentar quantidades. A “ilha” de produtos. O mobiliário nas lojas: O móvel ou balcão – expositor é eficaz quando permite:  Uma compra impulsiva. Alguns aspectos importantes: Placas de secção.  Uma capacidade de atrair grande parte dos clientes. pois “quantidade vende quantidade”. A secção saliente. • Deve possuir os seguintes elementos:  Apresentar um único tema. O aspecto visual deve ser facilmente identificável. O exterior da loja deve estar limpo. Pequenos anúncios. durante a duração da mesma. A montra: A montra é o cartão de visita do comerciante.  A criação de um elo de ligação com o cliente.• • • A apresentação exterior da loja deve captar a atenção de todas as pessoas em geral e de cada uma em particular. Equipamento de exposição: Mobiliário Gôndolas exposição normal expositores ocasionais Ilhas de frio Display Grandes expositores Tratamento da exposição: O objectivo deste trabalho é manter a exposição com eficácia de venda em termos de visão.  Um forte impacto. • Deve dar a conhecer as melhores ofertas do momento. A saída da caixa. arrumado e agradável.

Devem estar limpos e visivelmente atraentes. vivacidade e dinamismo ao local de venda. As exposições organizadas aumentam as vendas e a rentabilidade da loja. transformando a loja num local agradável. com a designação legível e voltadas para a passagem das pessoas. . Estes devem possuir intervalos para pegar. imprime. organizada e estruturada. A indicação dos preços deve apresentar-se de forma esclarecedora e dentro dos parâmetros legais. bem decorada. Colocar as marcas dos produtos nos locais de destaque favorece a fidelidade aos produtos expostos.Estes devem apresentar-se bem arrumados. facilitando a sua aquisição. Material no ponto de venda: (caderno diário em esquema) A animação local de venda: (caderno diário) Animação permanente: Iluminaçã o Painéis Som Animaç ão Cartazes Decoraçã o A exposição e vendas: A exposição: A exposição dos produtos transforma a publicidade em vendas. Uma exposição colorida.

Aplicação da criatividade e inovação constante para atrair o público. As acções promocionais devem estar adaptadas a cada pessoa em particular e a todos em geral. Apresentar os produtos de forma dinâmica. visualização e identificação. -Estimula a compra por impulso. procurando desta forma ser um espaço “amigo” do cliente sem deixar de ser profissional. procurando diferenciar pela qualidade. sereno. organizado. O espaço comercial deve apresentar-se iluminado. -Facilita a decisão de compra. -Atrai novos potenciais clientes e consumidores. o espaço comercial deve ser um local amigável. O ambiente geral da loja deve transparecer simpatia. limpo. onde seja possível a circulação das pessoas.Pontos positivos da exposição ideal: A organização da exposição tem como principais pontos positivos os seguintes: . A animação: Por animação no local de venda entende-se todo o trabalho de criatividade e inovação aplicado de forma contínua. profissionalismo e competência. Obter informação e esclarecimento sobre as novas tendências da actividade. Ter em atenção as observações do público. condicional. com a finalidade de tornar interessante e agradável a interacção existente entre os clientes e os profissionais da actividade comercial. Na exposição dos produtos é fundamental que estes estejam apresentados por famílias. -Contribui pra uma maior fidelidade à loja. . -Provoca a ideia de compra.Demonstra exigir cuidado e empenho por parte do comerciante em ser agradável aos clientes. Deve ser entendido como uma extensão da sua própria casa. transparente e apropriada. Construir um clima de bem-estar e de harmonia. ou seja. sinalização e limpeza de todo o espaço. tendo em atenção o seu público. Cuidar da apresentação. Ordenar o espaço de acordo com o ambiente envolvente. A relação pessoal a existir entre clientes e profissionais do atendimento deve ser sincero. Para que esta situação aconteça. -Aumenta as vendas da loja. as pessoas quando visitam um espaço comercial. oportuno e necessário para o seu visitante.