ÍNDICE SIGNOS EM ROTAÇÃO Revival Astrológico A não-ciência OS ASTROS E A VIDA COMPLICADA OS ÚLTIMOS 500 ANOS Global e popular Determinismo astral Para calar os críticos Contracultura burguesa FENOMENOLOGIA DA DEBILIDADE O papel do oculto O COTIDIANO DE UMA ASTRÓLOGA A visão de um astrônomo CARACTERÍSTICAS DOS SIGNOS Áries Touro Gêmeos Câncer Leão Virgem Libra Escorpião Sagitário Capricórnio Aquário Peixes

em 7 de abril. em revistas especializadas e em programas de TV. Ainda que toda a polêmica oculte. cantado em um dos grandes sucessos música pop dos anos 60. na verdade. o "Astralement Vôtre" (Astralmente Seu). em 1975. Na frança." O prognóstico. apenas uma das pontas mais visíveis de um fenômeno que se popularizou no século 20 na esteira da expansão dos meios de comunicação. o primeiro programa de previsão astrológica da TV francesa.a astrologia. A Associação Francesa de Informação Científica chamou-a de "tolice científica" outros a qualificaram de "impostura" e uma comissão formada por quatro Prêmios Nobel solicitou ao ministro da Educação Jack Lang que simplesmente impedisse a defesa da tese. durante as últimas décadas. na Sorbonne. um em cada quatro americanos acreditava nas previsões astrais. 63. principal personagem de "Hair" . A canção "Aquarius". é uma figura intensamente midiática. o jogo de poder dentro do auto-centrado mundo acadêmico francês. um em cada dois franceses se interessa. seu prestígio entre cientistas. Peter Burke reconta a história dos últimos 500 anos da disciplina. O motivo maior da controvérsia residia. na postulante: Elizabeth Teissier. são uma constante hoje na grande imprensa. porém. O incidente que deflagrou o chamado "affaire Teissier" foi a defesa. sociólogos e filósofos nunca esteve tão em baixa. em parte. ainda está por se confirmar. em graus variados. que foi consultora astrológica de personalidades como o expresidente François Miterrand (1981-1995). Teissier foi incisiva durante a defesa: "O determinismo astral deve vir juntar-se ao determinismo psicológico e ao determinismo genético". além de ter criado. então a paz guiará os planetas e o amor comandará as estrelas. é. as previsões baseadas na conjunção dos astros . Popularidade crescente da astrologia entra em choque com premissas da ciência e coloca na ordem do dia discussão sobre seu estatuto hoje Marcos Flamínio Peres Editor-adjunto do Mais! Quando a Lua estiver na sétima casa e Júpiter se alinhar com Marte. mas atesta com segurança a enorme popularidade de que têm gozado. Em 1996. muitas vezes misturados com doutrinas esotéricas e ocultistas. Exemplo disso foi a polêmica ocorrida na França e que se estendeu por várias semanas pelas páginas do jornal "Le Monde". diz o sociólogo Michel Maffesoli. orientada justamente por Maffesoli. terra do racionalismo.a peça e o filme -. Previsões baseadas no signo zodiacal ou na hora do nascimento. o fato é que a dissertação recolocou na ordem do dia a .SIGNOS EM ROTAÇÃO ________________________________ Peter Burke Intelectuais discutem o papel da astrologia nas sociedades contemporâneas. Advogada ardorosa do ensino do tema na universidade. de uma tese de doutorado sobre astrologia. Na contramão dessa popularização. pela astrologia.

6). a longa história das práticas astrológicas. Madame Soleil (Senhora Sol) se tomou uma celebridade nacional ao distribuir conselhos a seus ouvintes baseados no alinhamento dos astros. Michel Maffesoli reivindica a legitimidade do estudo da astrologia: ela "não é uma ciência. a expansão brutal dos meios de comunicação de massa fragmentou essas doutrinas a níveis até então inimagináveis. na França. . "O Retomo dos Astrólogos" em que investiga as razões do crescente interesse que a astrologia estava despertando na sociedade francesa. e planetas. As especulações místicas passaram então a ser instrumentalizadas sobremaneira em favor do aconselhamento ligado às necessidades imediatas das pessoas. Assim como "a música tecno. Por cerca de três meses.em que inclui a astrologia -. Zora lonara e Ornar Cardoso iriam. . Contudo a dimensão dessas controvérsias sofreu uma reviravolta desde o século passado. A intenção da astrologia. Freud apontava ali o caráter "compensatório" de que estava se revestindo a astrologia na sociedade européia do pós-guerra. a que chamou de Nova Gnose. 12). como mostra o historiador inglês Peter Burke (leia texto na pág. Sua popularização está ligada diretamente à sua incorporação pela imprensa. desde seu surgimento na Mesopotâmia no século 23 a. Tomada fenômeno de massa. em seu artigo "psicanálise e Telepatia". trilhando o caminho aberto pelo autor de "A Interpretação dos Sonhos".C. No Brasil dos anos 70 e 80. o filósofo alemão. acompanhou a coluna astral do diário "Los Angeles Times". mas um fato social e portanto merece ser examinada". do Regent's College. Adorno. Já nos anos 70. as tribos homossexuais e o convívio na internet". como "Forecast" e "Astrology Guide. mas sobre um sentimento de coesão muito mais emocional".discussão sobre o estatuto da astrologia na sociedade moderna. iria juntar a teoria à prática. Maffesoli afirma que a astrologia é "uma manifestação de coesão social que não repousa mais sobre o contrato racional. sido antevista por Freud 50 anos antes. Essa função de "tapar buracos" existenciais já havia. é percorrida por controvérsias de toda ordem. era "criar noutra esfera. estender as previsões astrológicas aos programas de TV. com relativo sucesso.. de certa forma. 8). como explica o professor Mike Harding. então radicado nos EUA. as atrações perdidas pela vida sobre esta Terra". Defensor de uma "sociologia compreensiva" voltada para as questões do cotidiano. Ela é uma ciência. É de 1971 o estudo pioneiro coordenado pelo também francês Edgar Morin. uma crença ou sobretudo um fenômeno sociocultural de vastas implicações? Em entrevista ao Mais!. Contudo. supermundana. comparando-a com a de publicações especializadas. a partir de 1930. A instrumentalização das colunas de previsão astral por outras mídias foi apenas uma questão de tempo. segundo Morin. O resultado foi o ensaio "As Estrelas Caem sobre a Terra" um estudo exaustivo publicado originalmente em inglês e ainda inédito no Brasil (leia texto na pág. "Revival" astrológico ________________________________ Na verdade. conclui. de Londres (leia entrevista na pág. Morin situava o advento da sociedade industrial e a crise de valores da modernidade como decisivos para a expansão das novas doutrinas esotéricas. dizia. ela rapidamente passou a despertar o interesse da intelligentsia.

o governo anunciou que pretende criar departamentos de astrologia em todas as universidades do país já para o ano letivo de 2001-2002. Matrix. em Londres. A crítica mais feroz e empenhada ao estudo de Carlson veio de Mike Harding. por Shawn Carlson.A não-ciência ________________________________ Os ataques mais virulentos à astrologia partem hoje em dia de cientistas de renome como Richard Dawkins. em 1985. que a identificassem entre testes de personalidade de três pessoas distintas. O índice de acerto foi de cerca de um terço. e a Faculdade Kepler de Artes e Ciências Astrológicas. os estudiosos da astrologia têm sabido se servir do principal foco de críticas a seu objeto de estudo: a universidade. o teste consistia em pedir a vários astrólogos. um físico da Universidade da Califórnia. oferecendo bacharelado. um trabalho publicado na revista britânica "Nature". reunidos em tomo da revista "Skeptical Inquirer". para quem o trabalho de Carlson apresenta falhas de metodologia "evidentes para qualquer estudante de primeiro ano de psicologia". uma das mais recentes. O estudo divisor de águas sobre o verdadeiro estatuto da astrologia foi. Desde os anos 90. . Time Cycles e Cosmic Patterns têm sido amplamente utilizados pelos astrólogos para confeccionar mapas astrais e realizar previsões. sujeito à subjetividade e particularidade de quem o criou. a internet já permitem o "download" de programas que também fazem previsões e mapas em tempo real. Entre outras experiências. Outros. A tecnologia também tem se mostrado um meio eficaz para assegurar a expansão da astrologia. Softwares como Astrolabe. alegam que o teste é um índice como outro qualquer. fundada em 1948. Carlson pretendia testar uma das principais premissas da disciplina. ponta-de-lança contra as disciplinas "não-científicas". em Seattle (EUA). Hoje já há várias instituições superiores dedicadas inteiramente ao estudo da astrologia. como a Faculdade de Estudos Astrológicos.a de que a posição dos astros no momento do nascimento permitiria determinar os traços gerais da personalidade. em maio passado. o que levou Carlson a concluir cabalmente ao final de seu estudo: "A experiência refuta claramente a hipótese astrológica". como a própria Elizabeth Teissier. No começo dos anos 80 passou a se generalizar a utilização de programas de computadores. Na índia. aos quais foi dado um mapa astral de uma determinada pessoa. mestrado e doutorado. segundo Dawkins e Jay Gould. À revelia dos ataques. e Stephen Jay Gould.

morrendo toda a tripulação e um alto membro da Força Aérea. e um dos críticos mais qualificados e contumazes do que chama de "bastião do racionalismo". Naylor fez urna previsão de que haveria "más notícias" para a indústria aeronáutica inglesa e que urna importante figura ligada a ela morreria. para ele. Harding. embora sério. Na índia. por exemplo. Tratava-se de um artigo do astrólogo John Naylor sobre o mapa astral da princesa Margaret. rebate citando Wittgenstein: "Quando alguém diz 'deve ser assim'. embora em parte isso se deva ao sistema de castas. o avião inglês R101 caiu em seu primeiro vôo. Em suas primeiras tentativas. as colunas se expandiram tanto que hoje abarcam todas as classes. que reúne intelectuais como Stephen Jay Gould. mas acabou por estabelecer aquele que é o mais comum hoje. que tinha acabado de nascer.OS ASTROS E A VIDA COMPLICADA ________________________________ Entrevista com Mike Harding Mike Harding é professor da Escola de Psicoterapia do Regent's College. que. se trata de um dia apenas. Isso criou um tal interesse que o jornal pediu a Naylor que passasse a fazer previsões regulares. raramente haverá concordância nas previsões. No dia seguinte à publicação. acho que cada astrólogo constrói sua própria técnica e. Naylor tentou um ou dois diferentes formatos. não têm "nenhuma técnica astrológica". ele se servia de fato de uma técnica astrológica genuína. Isso pode ser facilmente demonstrado pelo fato de que. o das colunas. O texto era simples. Então por que elas são tão populares? As colunas de previsão astral em jornais vieram à luz pela primeira vez em 1930. Cui considerando-se um dia qualquer. publicação. certamente chegarão às mesmas conclusões com relação a questões centrais. Hoje. ele atacou ponto a ponto aqueles que consideram a astrologia "perigosa". elas são muito populares sem estarem enraizadas em nenhuma classe social específica. afinal. em Londres. quando lidam com um mapa astral. Pode-se argumentar que. Em um artigo publicado no ano passado na revista "Correlations" ("Preconceitos em Pesquisa Astrológica"). No mesmo artigo. Seu maior alvo é a "Skeptical Inquire?. mas o fato é que astrólogos sérios. que também é consultor astrológico. Richard Dawkins e Daniel Dennett. Elas são urna invenção dos anos 30 criada para vender jornais e não são baseadas em nenhuma verdadeira técnica astrológica. (MARCOS FLAMÍNIO PERES) Os horóscopos que aparecem regularmente na imprensa são confiáveis? Não tenho respeito nenhum por colunas de horóscopo da imprensa. a astrologia é provavelmente mais . Harding acusa-os de tentar politizar o debate ao aproximar. talvez. nas páginas do londrino "Sunday Express". De qualquer modo. na Inglaterra. a astrologia e movimentos como o feminismo e o pós-modernismo de Derrida e Richard Rorty. ainda que partam de diferentes métodos de abordagem. Harding não vê com bons olhos as colunas de horóscopos. como sendo não-científicos. a coisa toda. ele apenas está apontando o momento em que parou de pensar". baseadas nos signos zodiacais. A astrologia é um fenômeno de classe média? Embora o "Sunday Express" fosse um jornal de classe média.

pelo fato de alguma coisa não poder ser explicada de um certo modo. O sr. A astrologia afirma constantemente que a vida é muito complicada. Qual a relação entre astrologia e pós-modernismo? Trata-se apenas de um esforço de politizar o debate por parte daqueles que atacam a astrologia? Periódicos como o "Skeptical Inquirer" certamente atacam teóricos do pós-modernismo como "não-científicos" mas não creio que Rorty tenha muito a dizer sobre a astrologia. seja de abertura. seja de pouca receptividade) tem muito a ver com o fato de a astrologia poder ou não ser objeto de pesquisa. Dawkins em particular argumenta que a astrologia não funciona porque não existe nenhum "mecanismo" conhecido. não critica a ciência propriamente. pode ser demonstrado que pessoas que viram os resultados de seus testes de MMPI (sigla em inglês para "perfil psicológico mais respeitável") não puderam reconhecer-se neles. ela é uma questão do dia-a-dia para a população. critica não apenas cientistas que dizem que a astrologia é um substituto para a religião. como Adorno. ajudar a construir algumas pontes. Poderiam os astrólogos separá-los? Eles não puderam.relacionada à classe média do que a qualquer outra. por exemplo. sujeita a mudanças constantes. Então. De modo interessante. mas a metodologia usada pelos cientistas. Tem-se a impressão que o sr. por que alguém pinta ou por que alguém leva uma vida pública. porém. como o sr. Já na Índia. pois a astrologia é a forma de linguagem compreensiva mais antiga existente para explorar nossa relação com o mundo. menciona em seu artigo? Eu não sei por que Dennett e Dawkins são tão contrários à astrologia. como Rudolf Smit. pode-se deduzir que são contra porque a consideram "não-científica". assim como se considerou que todos os políticos entraram na vida pública também por um único motivo. Foram misturados mapas astrais de 20 pintores e de 20 políticos. e é mais provável que pessoas com essa tradição cultural busquem previsões e conselhos em um médium. Partiu-se da idéia de que todo pintor deve pintar pela mesma razão. ele apenas está apontando o momento em que parou de pensar. Mas por que isso deveria ocorrer? A pesquisa de tipos de personalidade é muito difícil. Muitas das pesquisas são muito simplistas e não-fenomenológicas. o que é exatamente a astrologia? . onde a astrologia tem uma tradição poderosa. e os testes psicológicos mais convencionais dizem muito pouco sobre isso. quando alguém diz "deve ser 'assim'". e que o "dentro" e o "fora" não apresentam limites precisos. Aqui ele comete um erro básico ao assumir que. o método (e a atitude por trás dele. Por exemplo. levando-se em conta o que eles têm escrito sobre o tema. ela não pode ser explicada de modo nenhum. a África não tem uma tradição de astrologia. Os pesquisadores não imaginaram perguntar. Mas. usam o arsenal da psicanálise para chamá-la de "uma substituta para a relação proibida com uma figura paterna onipotente". mas também aqueles que. O caso que cito em meu texto é emblemático. Mas os pesquisadores misturaram indiscriminadamente mapas astrais os mais variados. A preocupação deles com a complexidade da linguagem pode. Ser a favor ou contra a astrologia é sobretudo uma questão de método? Sim. Por que autores como Daniel Dennett e Richard Dawkins consideram a astrologia "perigosa". mas é também muito dependente dos aspectos culturais. Como aponta Wittgenstein.

. Não está conectado com nenhuma época ou linguagem específicas.Se você pergunta o que astrologia "é". mas é baseada na experiência assimilada. É uma linguagem conectada com a natureza do tempo e da existência. eu deveria dizer que primariamente é o que Wittgenstein chamou de "jogo de linguagem" um modo de falar e pensar sobre as coisas com sua própria lógica.

para o qual esse era um momento auspicioso para ele. seguindo os conselhos de um astrólogo. dão a impressão marcante de que a astrologia é levada a sério por pessoas de muitos tipos e em muitas diferentes partes do mundo. as pessoas com frequência falam em "ocasião auspiciosa". seguindo os conselhos de uma astróloga de San Francisco. Na realidade. e um restaurante aberto recentemente no elegante bairro londrino de Notting Hill oferece a seus clientes mapas astrológicos acompanhando as refeições. tais como quando o presidente se submeteria a uma cirurgia ou o momento de conceder grandes entrevistas coletivas à imprensa. por exemplo. repúdio ou risadas do que de empatia. Decisões importantes. Por outro lado. é bem provável que as escolhas feitas por muitas pessoas em seu dia-a-dia sejam influenciadas. o interesse do casal Reagan por astrologia era algo que remontava a muitos anos. disse ao brasileiro que as . desde a época em que Ronald trabalhou como ator (ou será que devemos dizer que era um "astro"?) em Hollywood. Joan Quigley. e piadas eram feitas a esse respeito em programas cômicos. num horário incomum "à meia-noite". tanto por intelectuais quanto por leigos. Do mesmo modo. Até mesmo a palavra "revolução" era originalmente um termo astrológico que vinculava os destinos de nações e Estados ao movimento circular dos planetas. Antes do encontro de Reagan e Gorbatchov na cúpula de Genebra. Nancy pediu a Quigley o horóscopo do líder russo e. Quando se tomou presidente dos Estados Unidos. alguns anos atrás. Colunas astrológicas em jornais e revistas são comuns e corriqueiras. hoje. um termo técnico derivado da astrologia.OS ÚLTIMOS 500 ANOS ________________________________ Peter Burke O historiador inglês narra as fases de decadência e ascensão da disciplina desde o Renascimento As numerosas colunas publicadas por jornais mais e revistas. oferecendo conselhos astrológicos semanais ou mensais a pessoas de Leão ou Escorpião. a conhecida história de que o presidente Ronald Reagan tinha o hábito de tomar decisões políticas importantes com base nas previsões feitas pela astróloga de Nancy Reagan evocava mais reações de descrença. A própria palavra "influência" era. Livros expostos em aeroportos e estações ferroviárias oferecem guias astrológicos para ajudar você a conservar a saúde. baseadas em seus horóscopos e signos. quando Reagan teve um encontro com Tancredo Neves. Ele tomou posse como governador da Califórnia no dia 2 de janeiro de 1967. especialmente a de serem capazes de prever o futuro. dizem que alguém nasceu "sob uma estrela de sorte" ou que tem temperamento "jovial" ou "mercuriano" . desde o Reino Unido até o Brasil (sem falar na Califórnia). pelo que elas acreditam. algumas das afirmações feitas por astrólogos. são freqüentemente rejeitadas e até mesmo transformadas em alvo de chacota. Nos anos 80 a British Telecom colocou um "disque horóscopo" à disposição de seus clientes.e tudo isso sem parar para pensar que estão usando a linguagem da astrologia. a programação semanal de Reagan passou a ser organizada por Nancy. Embora seja difícil confirmar a generalização que segue. Nos EUA. antes de ser transferido para a linguagem cotidiana e usado em sentido mais amplo. originalmente. eram tomadas apenas depois de Nancy consultar sua "amiga" de San Francisco. em 1985. ganhar dinheiro ou melhorar sua vida sexual.

Leon Battista Alberti. O matemático italiano Girolamo Cardano descreveu a astrologia como "o mais altivo dos ramos do conhecimento. de destaque escreveram sobre o tema. a "Primavera" de Botticelli. porque trata de coisas celestiais e do futuro". insistiu na importância de consultar astrólogos para decidir o dia e até mesmo a hora certa de iniciar a construção de edifícios importantes. outro humanista. "o magnífico" (governante de Florença). entre eles o papa da família ~ Alexandre 6o. porém. sem. Nessa época a astrologia não era vista como incompatível com o cristianismo. Global e popular ________________________________ Hoje. seria possível dizer que a astrologia é um fenômeno tanto global quanto popular. Ao que consta. para suscitar suas influências benéficas. a astronomia era ensinada regularmente nas universidades. no mundo árabe medieval ou (mais obviamente) na Europa entre os anos de 1300 e 1700. Paulo convidou seu astrólogo favorito para vir a Roma e o nomeou bispo. o papa da família Médici. Uma de suas recomendações era que fossem compostas canções apropriadas aos planetas específicos. Paulo 3o. Leão 10o. o médico humanista Marsilio Ficino. Na verdade. portanto. Naquela época a astrologia era essencialmente algo do interesse de intelectuais. mais ou menos. segundo alguns estudiosos. e o papa Farnese. na Roma Antiga. do planeta Vênus e assim por diante. tigelas de água ou bolas de cristal. e. rejeitado por muitos intelectuais. Alguns intelectuais renascentistas. especial mente por cientistas. que se interessava pelas idéias de . em Ferrara. Na Europa medieval. sendo mais provável que as pessoas do povo consultassem feiticeiros e adivinhos. escreveu um tratado explicando a seus leitores como fazer uso da astrologia para viver uma vida melhor. em Florença. Quando foi eleito papa. No passado. Em seu célebre tratado sobre arquitetura. vários papas da Renascença se interessavam profundamente pela astrologia. a música sensual.relações entre os dois países seriam boas porque os signos dos dois líderes eram compatíveis. quer fosse na Mesopotâmia. mas levado a sério por muitas outras pessoas. mais do que na observação dos astros. Mesmo o papa Urbano. a música "marcial" atrairia influências do planeta Marte. cujas previsões para o futuro eram baseadas na leitura das mãos. O palácio continua em pé até hoje. O próprio Ficino foi chamado para aconselhar os arquitetos sobre a data em que deveria ser iniciada a construção do grande Palazzo Strozzi. Outro italiano. a astrologia é a chave de algumas telas famosas do Renascimento. Escrever uma história global da astrologia que discutisse as práticas astrológicas usadas desde a China até a Pérsia e da índia ao império asteca seria um empreendimento tão difícil quanto fascinante Na discussão que segue. do século 18. filósofo favorito de Lorenzo de Médici. na qual a figura central representa tanto Vênus quanto o mês de abril. como parte do curso de "artes". porém. em Belém. vou me concentrar no Ocidente. e a distinção entre astronomia e astrologia era muito menos definida do que viria a se tomar ao longo dos séculos 17 e 18.. a situação era quase exatamente a inversa. é claro. e sua transmissão em sentido ocidental era' simbolizada pela história tradicional dos três homens sábios ou magos que seguiram uma estrela que os conduziu até o menino Jesus. em 1489. entre elas um ciclo de afrescos no Palazzo Schifanoia. Assim. esquecer que o conjunto de práticas às quais damos o nome de "astrologia" chegou à Europa vindo do Oriente Fazia parte da "sabedoria do Oriente" ou 'luz do Oriente.

ele pode .em outras palavras. O rei Luís 14. Mais do que crente tradicional na astrologia ou cético em relação a ela. por exemplo. Afinal. Calvino usou o conhecido argumento de que as afirmações dos astrólogos devem ser falsas porque gêmeos idênticos nascem sob a mesma estrela. o poder dos indivíduos de manipular os mundos natural e social por meio de rituais. Até a segunda metade do século 17. a astrologia começou a perder sua respeitabilidade intelectual. Isso pode nos parecer uma reação um tanto quanto cínica. Alguns membros do clero viam os astrólogos como rivais e os tratavam com hostilidade. diferentes religiões estavam destinadas a se revezarem no domínio do mundo. Em seu "Tratado contra a Astrologia" (1549). mas também absurda. mas. outros já se diziam havia muito tempo céticos quanto a sua suposta capacidade de prever o futuro. nomeou um astrólogo como seu agente diplomático especial na corte do rei Carlos 22. O rei Carlos levou o agente às corridas de cavalos em Newmarket para ver se ele seria capaz de prever os vencedores. Determinismo astral ________________________________ Entretanto. por exemplo. inacreditável ou enganosa. Seus adversários a descreviam como não apenas falsa. mas têm destinos diferentes. inclusive o seu próprio). encomendava os horóscopos de seus cardeais a astrólogos. Ele rejeitou o determinismo das influências astrais com o mesmo vigor com que alguns liberais do século 20 rejeitaram o determinismo econômico associado a Karl Marx. por outro lado. O que Pico levava a sério. fazendo comentários sobre assuntos religiosos. na Inglaterra. era a magia . se suas relações com o Parlamento iriam melhorar e qual seria o momento mais propicio para proferir um discurso político importante. descreveu a astrologia como a "filha pequena e tola" da astronomia (embora continuasse a desenhar horóscopos de tempos em tempos. de modo geral. perguntando a ele. no qual negou a influência dos astros nos assuntos humanos. da França. graças à influência das estrelas. para que soubesse quanto tempo de vida teria cada um deles. Richard Overton. por exemplo. o célebre humanista Giovanni Pico della Mirandola publicou um livro intitulado .sem a permissão deste. por exemplo. os estudiosos das estrelas só tinham problemas com a igreja quando invadiam o território dela. Alguns deles desenhavam os horóscopos das religiões e argumentavam que. consultou um astrólogo para saber se sua aliança política com o Exército seria bemsucedida. acusado de ter traçado o horóscopo de Cristo e explicado os acontecimentos de sua vida pela posição dos astros. Na Itália renascentista. ele demonstrou interesse suficiente pelo assunto para consultar um astrólogo sobre seus problemas políticos. se alguns intelectuais do calibre de Newton levavam a astrologia muito a sério. Cardano chegou a ser preso pela Inquisição. O astrônomo Johann Kepler. líder do chamado partido dos "niveladores" e homem que já foi descrito como racionalista. "Disputas contra a Astrologia". Tanto Lutero quanto Calvino viam a astrologia como doutrina falsa. a astrologia continuou a ser vista como intelectualmente respeitável.Galileu. Cardano também fez o horóscopo de Martinho Lutero . além de levantar objeções mais técnicas à possibilidade de fazer os cálculos precisos necessários para o traçado de horóscopos. por exemplo. Durante a guerra civil inglesa. a era da chamada "revolução científica". mas é bem possível que as intenções de Carlos fossem sérias. Mesmo Isaac Newton estudou astrologia em sua Juventude. Do século 17 em diante. A Reforma protestante levou ao aumento das críticas feitas aos astrólogos.

por exemplo. os astrólogos urbanos. cortar o cabelo ou tomar banho (o banho ainda era um acontecimento relativamente raro na Inglaterra do século 17). a astrologia sobreviveu até o início do século 19 e foi incorporada ao folclore rural. Entretanto. mais ou menos à mesma época em que a astrologia perdia seu prestígio anterior entre os intelectuais e as classes superiores. e. seu contemporâneo. 400 mil cópias deles eram vendidas todos os anos. oferecia a seus clientes previsões dos resultados de corridas de cavalos e dos movimentos das ações na Bolsa. mais almanaques. enquanto a polícia regularmente prendia astrólogos profissionais (depois de se fazer passar por seus clientes) e os encarcerava pelo crime de lograr o público. visando a a~ as classes médias. mas que descreviam o mundo rural da região Oeste da Inglaterra uma ou duas gerações antes. Os romances de Thomas Hardy. De maneira semelhante. o texto-chave do Iluminismo na Europa. Dizia-se. publicados na segunda metade do século 19. De maneira semelhante. que usava o nome de "Zadkiel" e empregava uma bola feita de cristal de pedra brasileira para ajudá-lo em suas previsões. O filósofo Francis Bacon. são repletos de referências à astrologia popular. a grande "Enciclopédia" francesa da década de 1750.ser mais bem descrito como reformador dela. cujo "Dicionário Histórico e Crítico" (1696) era amplamente consultado no século 18. as pessoas estavam temerosas a respeito das mudanças que o futuro poderia impor. A invenção da imprensa e o gradativo aumento do número de pessoas alfabetizadas foram abrindo caminho para isso. . Os almanaques diziam pouco. Outro. Na Inglaterra do século 19. O pastor calvinista Pierre Bayle. procuravam reformar sua disciplina. quando. do que Bíblias eram vendidos na Inglaterra. se isso fosse feito. Almanaques. um grupo protestante. especialmente durante a guerra civil dos anos 1640 e 1650. especialmente as tentativas de prever o tempo. sobre horóscopos individuais. descrevia a astrologia em termos de "pretensões". por exemplo. acreditava na influência dos astros sobre os assuntos humanos. Também eram incluídas previsões políticas. Em lugar disso. promoveu uma campanha contra a astrologia. ela começava a alcançar uma parte considerável da população comum. A astrologia dos almanaques era um pouco diferente daquela dos humanistas da Renascença. Em 1895 um novo periódico foi fundado em Londres com o nome de "Modern Astrology". conhecido como "Sepharial". Era adaptada aos interesses e às necessidades das pessoas comuns. Enquanto isso. por exemplo. declarou que o sistema astrológico era absurdo e que sua história não passava da história do logro e da credulidade. "superstição" e "paixão cega". eram relativamente baratos. Walter Old. atualizá-la e torná-la mais científica. Em outras palavras. Um dos modernizadores era um certo Richard Morrison. mas não na capacidade dos astrólogos em traçar previsões. Sob essa forma mais popular. tirando tanto as idéias quanto as informações da cultura oral tradicional. na Inglaterra do século 17. sobretudo das pessoas que trabalhavam na terra. eram impressos em números cada vez maiores. entre eles oficiais aposentados da Marinha (familiarizados com os astros como pontos de apoio para a navegação). se preocupavam principalmente em prever as condições climáticas do ano seguinte e as épocas mais propicias para semear plantações. os astrólogos profissionais se adaptaram às necessidades de seus diferentes clientes e ampliaram suas atividades para incluir a localização de pessoas ou navios desaparecidos ou de bens roubados. Seu primeiro editorial declarava que "é chegado o momento de modernizar o antigo sistema da astrologia". compreensivelmente. que nunca se devia matar um porco na lua minguante e que. a Sociedade para a Difusão do Conhecimento útil. o toucinho encolheria quando fosse cozido.

ele acusou seu crítico de calúnia e o levou ao tribunal. agrimensor e assim por diante. o vocabulário da ciência do século 19. adotaram a linguagem do inimigo ou seja. Não seria possível representá-la mais erroneamente de que traçar qualquer conexão entre ela e a magia ou teosofia. na medida em que publicava livros de astrologia sob o pseudônimo de A. como estava sendo feito com as profissões emergentes de engenheiro. os astrólogos mais tradicionais preferiam enfatizar as ligações entre suas idéias e as dos rosa-cruzes. "a base científica da astrologia" ou i( a prova científica da ligação entre os signos astrológicos e o comportamento humano".Para calar os críticos ________________________________ Mas a tendência à modernização não foi suficiente para calar os Críticos da astrologia. de um século mais tarde. Os . que se fazia chamar "Alan Leo". empregavam a retórica da estatística (de maneira semelhante. do hinduísmo e do budismo. estratégia que nos leva a crer que ele temia que seu tema ainda fosse visto como intelectualmente pouco respeitável. para isso. escreveu livros com títulos como "Astrologia para Todos". como Garnett como já vimos. Garnett levava uma vida dupla. e por uma Loja Astrológica. O renascimento do interesse pela astrologia em Londres nos anos 1880 e 1890 era parte do que se pode chamar de uma "contracultura burguesa". na França e em outras áreas no final do século 19. Por outro lado. alguns praticantes contemporâneos utilizam computadores para gerar horóscopos para seus clientes. Garnett via o chamado ocultismo com hostilidade. No início do século 20. Alternativamente. em 1902. quando Zadkiel foi descrito publicamente como charlatão. Contracultura burguesa ________________________________ Alguns deles se apropriavam de elementos das religiões orientais. Ela não é nada do tipo". Ganhou o processo. traçando uma analogia com a contracultura californiana. enfatizaram a diferença entre seu campo e o da magia e escreveram sobre "ciência espiritual'. escreveu. por exemplo. "Nada". um esforço coletivo foi feito por vários praticantes britânicos para elevar o status da astrologia e transformá-la em profissão. Assim foi fundada uma Sociedade de Pesquisas Astrológicas em Londres. popularizar ou democratizar o tem e. Outro astrólogo importante era Richard Garnett. mas o júri lhe concedeu apenas uma libra esterlina a título de danos . "fez a astrologia científica ganhar uma fama tão ruim quanto a idéia de que ela possa ser uma 'ciência oculta'. Alguns deles. em 1910.provavelmente para expressar a opinião de que a astrologia não deveria ser levada a sério. por exemplo. não apenas para poupar tempo mas também para conferir a suas previsões uma aura de alta tecnologia). um estudioso multifacetado que se tornou superintendente da Sala de Leitura do Museu Britânico. A principal diferença entre essa astrologia reformada e a mais tradicional era seu sincretismo consciente. seguida por um Instituto Astrológico. Seu objetivo era modernizar. contador. dos maçons e dos mistérios do Egito Antigo. quer estudassem essas religiões diretamente ou por meio da teosofia ou antroposofia sincretista que se espalhava na Inglaterra. Em 1863. Diferentemente de alguns de seus colegas astrólogos." Um terceiro astrólogo que era ativo na Inglaterra vitoriana e mesmo mais tarde era William Allen. cada urna com seus institutos oficiais. registrada como entidade beneficente e que promovia palestras semanais. Trent.G. Alguns astrólogos.

além da astrologia. hoje. Ao que parece. Também existem grupos minoritários. descrevendo o horóscopo como "mapa da psique" ou falando dos "planetas interiores" de cada um. Esse breve resumo dos últimos 500 anos de um conjunto de práticas que data de pelo menos 3. Para os próprios astrólogos. por exemplo. como a medicina alternativa ou a alimentação orgânica. estudada pelas elites. Tradução de Clara Allain. nem mesmo a própria astrologia pode fugir da influência dos astros. de entusiastas ocidentais de astrologias específicas não-ocidentais.estudiosos dos astros tinham a tendência a também se interessar pelo hipnotismo. Um futuro historiador do século 20 talvez interprete o "revival" da astrologia não apenas como exemplo da globalização da cultura.o da linguagem da astrologia comas da ciência e religião. mas também como reação contra a visão de mundo científica. em dado momento "elevada . autor de "Variedades de História Cultural" (ed. atraindo pessoas de diferentes classes sociais. a Peter Burke é historiador inglês. a astrologia védica. . é a combinação . Civilização Brasileira) e "O Renascimento Italiano" (ed. Ele escreve mensalmente na seção 'Autores". O mais comum. e o próprio Jung estudou o assunto. a astrologia tibetana e até mesmo a astrologia asteca. Essa nova astrologia sincrética. Para um historiador social. como o "feng shui". que não reservava lugar para a magia ou a poesia e que levou à construção das bombas atômica e de hidrogênio. ao que parece.000 anos sugere uma série de reflexões. entre outros. navega a onda do chamado movimento new age do final do século 20. Em contrapartida. Nova Alexandria). porém. em outro "baixa" ou popular e. alguns escritores "psicologizaram" a astrologia. esse ciclo de expansão. ou pelo vegetarianismo e espiritismo. O mais comum. do Mais]. a filha de Jung se tomou astróloga. é fascinante observar a trajetória social da astrologia. No final dos anos 20 e 30 do século 20. parece ser alguma forma de sincretismo. ao que parece. alguns astrólogos já tomavam de empréstimo a linguagem e as idéias da psicologia de Carl Gustav Jung. contração e nova expansão do interesse em sua disciplina não é mais do que se poderia prever. Seguindo seu exemplo.

por fim. Adorno tampouco concorda com a forma usual de aplicação das técnicas práticas de investigação. em contato permanente com as técnicas da sociologia empírica. à Alemanha. T.FENOMENOLOGIA DA DEBILIDADE ________________________________ Ricardo Musse Entre 1952 e 1953. no Brasil publicado pela ed. uma análise da coluna de astrologia do jornal "Los Angeles Times". O livro que. de um exílio de 16 anos. questiona a ênfase na quantificação dos "estímulos". A especificidade do seu projeto sociológico. Sua interpretação da astrologia parte de uma indagação elementar. já em sua pesquisa sobre a música radiofônica. desde 1937. mostra como nas reações subjetivas cintilam determinantes sociais objetivos. onde permanece por quase um ano. na ocasião. é mediado "não só pelos mecanismos de propaganda e a força de sugestão do aparato. Jorge Zahar). pelas estruturas sociais mais amplas. Embora Adorno estivesse. então. ed. escreveu com Horkheimer.prendese a um esforço de compreensão da então recente irrupção. até chegar à sociedade como um todo". individuais. "da calamidade triunfal" da qual o nazismo foi a expressão mais nítida. pesquisas essas que selam um pacto entre a orientação especulativa dos frankfurtianos e a sociologia empírica norte-americana. funciona como uma espécie de sistema de referências para uma série de investigações complementares. é que. quando morava nos EUA Pouco depois de regressar.W. EUA) permanece como um modelo de sociologia empírica que. mas também pelas conotações objetivas do meio e do material com que são confrontados os ouvintes e. Adorno. ao ir além das técnicas de quantificação. sempre rejeitou o modelo de investigação que denomina "administrativa" que se limita a averiguar fatos. sua diferença em ~o à sociologia clássica. Adorno retoma aos EUA. "Dialética do Esclarecimento" (1947. Elabora. "The Stars Down to Earth" (As Estrelas Caem sobre a Terra. em geral.a astrologia nos meios de comunicação de massas . pois ela não leva em conta que o imediato das reações subjetivas. por oposição à psicologia. num momento em que o conhecimento científico foi inteiramente incorporado à vida prática e à mentalidade predominante? . preocupado em explicar movimentos de massa cujos participantes parecem agir contra seus próprios interesses racionais de autoconservação. num mundo completamente iluminado. sem analisar seus pressupostos e suas conseqüências econômicas e sociais. incorpora a psicanálise como mediação essencial para a compreensão da relação entre indivíduo e sociedade. o filósofo alemão Theodor Adorno estudou a coluna de astrologia do jornal "Los Angeles Times". Routledge. ordená-los e colocá-los à disposição como informação. atinge o ideal de toda investigação social crítica. isto é. enfatiza apenas os condicionantes econômicos e sociais da ação. São tais pressupostos teóricos e metodológicos que explicam a atualidade da análise adorniana da astrologia. como entender a estima pública da astrologia. A escolha desse tema . em 1952. enquanto esta.

Seus resultados não podem ser resumidos sem a complexa rede de mediações mobilizada por Adorno. conceitos sinfônicos ou partidos políticos. A astrologia mescla um contorno irracional . o oculto desempenha papel secundário. O segredo metodológico de Adorno consiste principalmente na atenção que concede às contradições. submissão/resolução (abordadas tanto em sentido psicológico quanto social). O tema principal de "The Stars Down to Earth" é. dependência/autonomia. ou mesmo de destacar o legado cultural pela reconstituição do processo de refundição de velhas superstições. ["O tipo de pessoa com que nos preocupamos aceita a astrologia de modo gratuito. A lógica da construção e funcionamento da coluna de astrologia.a tese de que seus prognósticos e conselhos procedem dos movimentos dos astros. como faz certa antropologia. busca equilibrar uma série de exigências contraditórias: a dicotomia ameaça/alívio (configurada pela polaridade divergente entre diagnóstico e conselho ou no propósito de infundir angústia e satisfazer o narcisismo). explicar a demanda pela astrologia pela via da análise de seu conteúdo próprio. como fez Freud em "0 Estranho"."] (Trecho de "The Stars Down to Earth. portanto. o par real/fictício. e aos leitores se apresentam apenas os resultados alegados de um raciocínio astrológico do qual eles não participam. em suma. de acordo com os ditames do mundo ilustrado. a partir de sua premissa formal . a mecânica do sistema astrológico nunca é divulgada.. na retomada do método dialético ensaiado por Marx em "O Capital". adaptação/individualização. aceita com naturalidade pelos leitores. Na astrologia dos meios de comunicação. procura satisfazer anseios de indivíduos que estão convencidos de que outros (ou alguma força desconhecida) devem saber mais sobre ele e sobre o que deve fazer do que ele próprio. a relação individual/universal etc. assim como o faz com a psiquiatria. as antinomias trabalho/prazer. O que lhe permite passar de forma convincente do micro para o macro. aceita-a porque ela existe. Resta. uma espécie de fenomenologia da debilidade do sujeito no "mundo administrado". função pública/vida privada. produção/consumo. daquilo que aparentemente tem pouca importância no andamento da sociedade para uma compreensão precisa e determinada do todo social não reside apenas na já mencionada incorporação dos conceitos da psicanálise. sem muita reflexão. a forma como a indústria cultural pressupõe e reafirma a reificação do indivíduo. contanto que as suas demandas psicológicas de algum modo correspondam à oferta. portanto. mesmo tendo em vista uma provável atitude ao mesmo tempo indulgente e desconfiada de seus seguidores.O papel do oculto ________________________________ A resposta que propõe passa pela delimitação de seu objeto.. sua adequação às modernas formas de dependência psíquica e social Adorno promove um extenso mapeamento das figuras da individualidade contemporânea. pois. examinada minuciosamente por Adorno. não se trata de explicar experiências ocultas como expressão do inconsciente.a um núcleo racional. . ) Na coluna de jornal à qual esta monografia se devota. procurando identificar sobretudo as características implícitas de seu destinatário. Por conseguinte. ( . de Theodor Adorno) A coluna astrológica. ele se encontra institucionalizado. o fornecimento de conselhos pragmáticos e úteis para os problemas do cotidiano (não muito diferentes das orientações das colunas de psicologia popular). ali.adotar um estilo que induza a crença de que possui um conhecimento concreto dos problemas dos leitores -.

A forma de resolução dessas contradições. Ricardo Musse é professor do departamento de sociologia da USP.são elididas.que derivam das articulações da sociedade capitalista .As dificuldades objetivas dessas aporias . pressuposta e proposta pela indústria cultural . . na coluna de astrologia. por meio de um conjunto de procedimentos que Adorno denomina "enfoque bifásico". decorre de uma imposição ao mesmo tempo conformista e autoritária.eis aí um ponto-chave da interpretação adorniana -.

A astróloga. via de regra. em fazer um "instantâneo do universo simbólico". de elucubrações sobre a "dinâmica edipiana" da relação com o chefe. proposta por Carl Gustav Jung.são os mais úteis à identificação do "quadro do clima do dia". segundo Abramo. colunista de astrologia da Folha. Para Barbara Abramo. mas os horóscopos de jornal são exemplo constante de discurso generalista e de aposta no impessoal. Para tal trabalho. reservada antes ao monarca e hoje. por exemplo. eqüivalia na mitologia romana ao Hermes grego. isto é. Sol. 47.um substrato psíquico universal. captando conjunturas efêmeras da vida cotidiana.além deste. Vênus e Lua) repartiriam o domínio sobre os dias e semanas. A "arte" do astrólogo de mídia estaria.O COTIDIANO DE UMA ASTRÓLOGA ________________________________ Caio Caramico Soares Free-lance para Folha A colunista da Folha Barbara Abramo discute as características de sua profissão e comenta os requisitos para a elaboração do horóscopo Pode não ser bem esse o sentido da ligação. podendo ter a situação astral definida em traços vagos ."mercredi" em francês. Mercúrio. Vênus e Marte. que faz na biblioteca de sua casa. Júpiter.bem menos "ricos" e "refletidos" se comparados à atividade de consulta e confecção do mapa astrológico individual. o que poria sob essa influência astral não apenas sua própria profissão mas também a de jornalistas e oradores.com o leitorado de massa seria o caráter "prático" necessário ao aconselhamento: em vez. ao tentar abarcar em poucas linhas influências astrais comuns a todo "pisciano" ou "leonino". à exceção do rei. "mercoledi" em italiano -. outros seis astros (Saturno.agente de uma "culturalização do céu". lança mão. "todo mundo é ninguém". terra e as regiões infernais. deus das "comunicações" entre céu. entre astrologia e o inconsciente coletivo . sem desatentar ao pano de fundo. Marte. a quem possa pagar. Mas como se dá o trabalho do autor de horóscopos diários? Entre as pistas que dá sobre sua rotina pessoal. que se daria a ver pelos símbolos culturais -. Embora reconheça as facilidades trazidas pela . escrever para a mídia supõe o resgate de uma premissa da antiga Caldéia: a de que.limitados à referência da posição da Lua e do Sol.Mercúrio. Barbara utiliza o computador mas não revela o programa adotado. em geral crítica em relação ao atual "monopólio do direito de previsão" pelos economistas. comandante da primeira hora) da quarta-feira . regente (e. como via de legitimação do "toque genérico" possibilitado pelo horóscopo: este seria um diagnóstico preliminar dos "investimentos" (de conduta) momentaneamente mais adequados ao "status" (signo) do investidor. Outro princípio dessa relação do intérprete astrológico . nos termos de Abramo . seria melhor (e mais condizente com a tradição astrológica) detectar os momentos bons ou funestos para pedir aumento salarial. pois. porém de uma analogia com os consultores financeiros de jornal. às tendências do futuro a médio e longo prazos. A astróloga também diz que os planetas de trânsito mais rápido . Abramo afirma escrever sempre na hora do dia regida por Mercúrio .

período que se marcaria pelo entrada do Sol em Câncer. Abramo crê que a falta de boas faculdades ou cursos de especialização. A visão de um astrônomo ________________________________ free-lance para a Folha Para o astrônomo Ronaldo Rogério de Freitas Mourão. que em seu site . baseada na releitura de tratados antigos . só fazer sentido para as pessoas de um determinado signo que nasceram perto das 6 horas da manhã".www. a astrologia foi central à evolução científica. aliás. o estudo do céu. formada pela escola Júpiter. não acha que elas tomem a astrologia uma técnica acessível a todos: "Fico um pouco chocada com pessoas que dizem que sabem astrologia porque aprenderam a pilotar um software. isto é.para o oficio de "culturalizar" céu. A cientista social formada pela USP tem no seu próprio trajeto um exemplo do que hoje reivindica dos demais astrólogos: mais "articulação intelectual" com outros saberes e menos mistificações de tipo esotérico ou psicologizante. Abramo comenta ainda que. diz se identificar com a linha dita "neotradicional". por culpa dos próprios astrólogos . de projetar nele a capacidade humana de tecer e de se apoiar em teias de sentido.que pode ter razoável antecedência.divulga farto material de discussões históricas e filosóficas sobre o tema.fr . Estas. A astróloga. que assim é relegada a curiosidades do tipo: "Será que Leão se dá bem com Gêmeos?". . é de 60% o nível de acerto de suas previsões. em São Paulo. à medida que permeadas por uma linguagem não só mais acessível.calcada em um corpus coerente de conceitos e métodos.tabelas adotadas.entre eles. De novo. A astróloga diz levar até três horas por dia elaborar uma coluna . reflete e reforça. em especial no Brasil. Você precisa conhecer a filosofia que está por trás de cada cálculo. mas com o "trabalho de usar uma linguagem que inclua o maior número de possibilidades sem ficar vaga demais nem bitolada a ponto de apenas. o compêndio árabe "Picatrix" . inclusive para tomar um partido teórico que irá embasar seu trabalho interpretativo". digamos. a depender das "centenas" de reações de leitores por email. levando Leão a um estágio mais reflexivo. ao aguçar e prover de novos métodos uma prática onipresente na efabulação mítica dos povos arcaicos.a disciplina.cura. É o caso do símbolo do "leão no deserto" que Abramo diz ter utilizado muito em suas análises no mês passado . por árabes e judeus na previsão dos movimentos celestes (com até quatro anos de antecedência)-. teriam sido até melhoradas por sua experiência na mídia. Abramo vê uma legitimidade epistemológica própria . a falta de "seriedade" que pesa sobre. Cita também como paradigmático o núcleo de pesquisa francês Cura (Centre Universitaire de Recherche en Astrologie). o cálculo cede aqui es paço ao discurso: boa parte do tempo gasto não é com a observação e interpretação do céu. número que se elevaria para 90% no caso das consultas individuais. Um legado concreto da astrologia teriam sido as "efemérides" .e que tem no historiador e latinista Robert Zoller um dos seus principais expoentes.free.que estariam envolvidos demais em "panelas" corporativas -.informática. úteis às grandes expedições marítimas dos séculos 15 e 16. Embora admita que a astrologia não é "científica" no sentido pós-iluminista do termo. mas também mais imagética. apesar de ser equivocada ao supor uma "influência" moral dos astros sobre o destino humano. às vezes de alguns dias.

(ccs) . unia "válvula de escape" contra as pressões da vida moderna.Mas o pesquisador titular do Museu de Astronomia e Ciências Afins é incisivo ao recusar à astrologia legitimidade como via de descrever as constelações zodiacais e de inferir .efeitos terrenos dos perfis astrais. O interesse atual pela astrologia denotaria.inclusive pelo empréstimo de conceitos com lastro científico. segundo ele. tomados à astronomia.

que o faz carregar o mundo nas coam Faz seu o dito de Cristo (aliás representado como peixe até hoje. no nível simbólico. É o signo do desejo de aprendizagem. nas vestes de padres) "O meu reino não é deste mundo? . a abertura à sociabilidade. e dominado pelo elemento fogo. do poder e do dinheiro. é o "repórter do zodíaco" CÂNCER: Receptivo e nutridor. é instável como a Lua. sua determinação é proporcional ao ciúme e ao rancor pelos objetos cobiçados SAGITÁRIO: Figurado pelo centauro Quíron . Atraído pela informação imediata. GÊMEOS: Como seu regente Mercúrio -. curiosidade e versatilidade.intrépido doador do fogo roubado de Zeus aos homens.dado na imagem dos anéis de Saturno. da visão pragmática de faturo.médico impotente para curar a própria ferida -. mas pelo ensejo de praticar a ética CAPRICÓRNIO: Seu símbolo. Esportista não por ambição. a arte de pesar na "balança" (que o representa) as a~ do convívio interpessoal ESCORPIÃO: Regido por Marte. astro que o rege LEÃO: Regido pelo Sol. integridade e espontaneidade incólumes ao desgaste. Seu ~o de agir independe de aprovação externa TOURO: Representado por uni animal ligado à aragem e fertilização da terra. tem o sangue-frio dos líderes e estrategistas AQUÁRIO: Alegorizado pelo titã Prometeu . é o signo da vitalidade que prefere o combate à contemplação VIRGEM: Sua afinidade com a botânica ou zoologia vem do impulso de dissecar e classificar como meio para o auto. em seu frescor. é o signo do trabalho que materializa as formas ideais. Signo de sensibilidade facilmente impressionável. é um signo fortemente atraído pelos vetores "mundanos" do sexo. da sociabilidade.CARACTERÍSTICAS DOS SIGNOS ________________________________ ÁRIES: Início do ciclo zodiacal liga-se à imagem da "criança divina". exprime a tensão entre o "senso da terra" e a tentação escapista. que pode ser conversível num "complexo de Atlas". da compaixão universal. planeta de acentuado caráter bélico. do planejamento racional Pouco afeito a "ídolos de pés de barro" e a expansões emotivas PEIXES: Signo do devaneio. entre o limite . Perspicaz. é o signo da ousadia.aprimoramento. é o signo da justiça. Seu poder de concretizar metas se alia ao respeito pela vida real. da flecha que irradia benevolência. liga-se às imagens maternas do ventre e do útero. LIBRA: A primavera que o signo inicia no hemisfério sul representa.que tem asas nos pés -. a cabra-peixe. Signo dos deveres. planeta regente e sua dissolução. símbolo da força criativa. é o signo dos atributos "juvenis da inquietude.