Araraquara-SP, Janeiro de 2012.

Situação do Bairro Cidade Jardim O bairro Cidade Jardim foi aprovado em meados de 1979, apesar de haver registro das doações das áreas para constituição das ruas e avenidas do bairro, que datam da década de 50 (Lei 480 de 14/06/1956). Desse período até os dias atuais, o mesmo foi constantemente deixado à margem do desenvolvimento, evidenciado pelo vazio urbano criado. Localizado entre os bairros Jardim Botânico e Jardim Maria Luiza, o Cidade Jardim começou a receber pavimentação asfáltica em 2010/2011, sendo esta feita em duas etapas:  Primeira Etapa – foi realizada a pavimentação da Rua Carmino Brambilla Carmelo, via esta que dá acesso ao Condomínio Manoela. Segunda Etapa – foram pavimentadas cinco quadras, sendo Avenida Adayl Ramalho e Mendonça

[dois quarteirões], Rua Antônio Fernandes [dois quarteirões] e Avenida Orlando do Valle [um quarteirão].

Gostaria através deste documento, evidenciar a necessidade da pavimentação asfáltica em todo o bairro. Este é o anseio da tanto população que mora no local quanto dos bairros adjacentes. Com o término da Primeira Etapa de pavimentação, ficou explicito o favorecimento aos moradores dos Condomínios Flamboyant e principalmente Manoela, que teve sua portaria alterada da Rua José Barbieri Neto (Rodovia que liga Araraquara à Bueno de Andrada) para a Av. Guilherme Scarpa. A imagem a seguir (foto 01) comprova a discrepância criada:

(foto 01 – asfalto somente para os moradores dos condomínios).

O anúncio da Segunda Etapa da pavimentação foi recebido com muito louvor pelos moradores do bairro, porém após os serviços terem sido executados, ficou evidente a falta de critério na escolha das ruas a serem feitos os serviços. Foram escolhidas locais que ainda não existem moradias, ou seja, novamente a população que efetivamente mora no bairro não foi contemplada com as melhorias.

(foto 02 – Av. Orlando do Valle – pavimentada, porém nenhuma moradia no local). Hoje, as ruas que permanecem sem asfalto, concentra a maioria das casas do bairro (foto 03). Nelas ainda é possível detectar o descarte irregular de lixo e entulhos. (foto 04)

(foto 03 – ruas habitadas, porém sem asfalto).

(foto 04 – descarte irregular de entulho)

Quando da duplicação da Rua José Barbieri Neto, a prefeitura municipal utilizou as vias do bairro como rota alternativa. Esta rota, apesar de sem pavimentação, foi usada por muito tempo pelos moradores do bairro Maria Luiza, que possuíam até então uma única rota de acesso ao bairro, somente pela rodovia citada. No mês de Dezembro p.p., o acesso foi repentinamente fechado com morros de terra. Em contato com a Secretaria de Obras do município, a mesma afirmou que o acesso foi fechado, pois “este acesso não é passagem oficial no município.”.

(foto 05 – acesso ao Maria Luiza fechado com morros de terra, moradores ilhados). Os moradores do bairro Maria Luiza sofrem com o isolamento criado, pelo fato de não terem sido feito as melhorias necessárias no bairro Cidade Jardim. Pedestres e usuários de bicicleta são obrigados a utilizar a Rua José Barbieri Neto para chegar até o centro da cidade. Em horários de pico, como de manhã e no final da tarde, o trafego intenso de veículos que utilizam esta via para acessar cidades vizinhas e desviar do pedágio da Rod. Washington Luiz, tornam esta travessia demasiadamente perigosa, que não possui acostamento ou faixa de rolagem para bicicletas e pedestres. Em Outubro de 2010, o jornal Tribuna Impressa fez uma reportagem intitulada “Moradores cobram asfalto em ruas do bairro Cidade Jardim”, ao qual reproduzo fragmentos abaixo: “Os moradores do bairro Cidade Jardim, Zona Norte de Araraquara, reclamam da falta de previsão para a entrega de asfalto na região. De acordo com estimativas da Prefeitura, a área seria asfaltada até dezembro, mas procurada por moradores, a Secretaria Municipal de Obras Públicas informou que apenas uma parte do bairro será asfaltada e o restante continuará sem a melhoria por tempo indeterminado.

As obras começaram há uma semana no local, mas contempla a Avenida Antônio Fernandes, via que dá acesso ao Residencial Cambuy e que tem poucas residências construídas. Isso tem irritado os moradores de blocos com maior concentração de casas. "A gente não consegue entender o critério", comenta o corretor de imóveis Rodrigo Lopes, morador da Avenida João Arantes, no Cidade Jardim. "No ano passado, deram prioridade às ruas de acesso aos condomínios e agora estão asfaltando uma área que pouco tem casas." A dona de casa Patrícia Leite espera há três anos pelo asfalto na rua onde mora e reclama dos problemas causados pela terra acumulada no local. "Quando venta, a casa tem de ficar trancada. Quando chove, não dá para tirar o carro da garagem", comenta. Os mesmos problemas são enfrentados por Lopes. "Meu filho tem bronquite e constantemente tenho de levá-lo ao hospital. Há dias que ele precisa dormir na avó porque fica impossível respirar aqui com tanta terra." De acordo com Rozatto, não é possível garantir que as outras ruas do bairro sejam pavimentadas no próximo ano, já que não houve solicitação dos moradores na reunião do OP deste ano. "A única garantia para pavimentar o bairro todo será com verba extra", conclui.” Diante exposto, é claro e nítido a necessidade de finalmente concluir a pavimentação asfáltica do bairro Cidade Jardim, que espera a mais de 30 anos por esse dia. Acreditamos que, por ser um bairro pequeno onde a parcela sem asfalto se resume em dez ruas/avenidas, o benefício alcançado será imenso, fazendo justiça social para os habitantes deste bairro e também do Maria Luiza. Os moradores estão ansiosos para que finalmente o bairro tenha vez nos planos de investimento de nossa cidade. Enfim, acreditamos que os argumentos ora expostos são suficientes para que vossa senhoria encaminhe um projeto de asfaltamento, a fim de angariar a verba necessária para concluir tais melhorias. Sem mais para o momento, deixo aqui meus votos de estima e consideração e esperamos, contudo, ser atendidos com consideração e apreço. Atenciosamente, Fabricio Pocci.