Os melhores games de 2011 Nosso querido e idolatrado editor pediu aos nossos colaboradores e nobres colegas uma lista

com os 5 jogos de videogames que fizeram esse povo perder horas de sono no ano passado. Mas o amigo Álvaro Borba se empolgou e mandou uma mini-resenha dos jogos que ele mais curtiu. O texto ficou tão bom que não podíamos deixar de publicá-lo!

Seguem então os melhores games de 2011 por Álvaro Borba:

Portal 2 (Microsoft Windows, Mac OS X, PS3, Xbox 360)

Uma inteligência artificial controla um vasto complexo de pesquisas científicas, cheio de laboratórios e salas de testes em que a cobaia é você. Mesmo quem não jogou Portal já deve estar familiarizado com seu conceito, popularizado por uma série de memes. Aos novatos, cabe indicar o curta de Dan Trachtenberg. Portal 2 é a melhor coisa que a indústria do videogame conseguiu parir em 2011. A primeira conclusão pode parecer a mais triste: o jogo do ano é uma sequência. Numa indústria em que Mega Man é 10 e Final Fantasy é XIII-2, isso é só o que se espera. Agora o consolo: quem lembrar que o primeiro Portal não passava de um brinde distribuído junto com a Orange Box, saberá reconhecer que se trata de uma sequência mais necessária do que, digamos, aquele filme mais recente do Indiana Jones. Não estamos diante de nenhum caça níqueis. O conceito básico de Portal apareceu pela primeira vez em 2005, em Narbacular Drop, um joguinho feito como projeto de conclusão de curso por um grupo de estudantes. Narbacular Drop foi distribuído gratuitamente na internet e, meses mais tarde, seus criadores foram contratados pela Valve, que já dominava uns bons 70% da distribuição digital de games com a plataforma Steam. Nas mãos da Valve, Narbacular Drop virou Portal e teve um lançamento cauteloso dentro da já mencionada coletânea Orange Box. Portal é um puzzle com dinâmica de jogo de tiro, uma mistura de gêneros totalmente opostos. Lembro de ter sugerido esse título a um amigo que não entendeu, não gostou e definiu a experiência como “um jogo de tiro em que você não atira em ninguém”. Provavelmente, foi por temer esse tipo de reação que a Valve optou por um lançamento discreto e de riscos controlados.

Como nos outros episódios da série. dá a ele um rosto e um nome e mete o pé na estrada para explorar um vasto mundo medieval como bem entender. Jogos que oferecem mundos abertos. o jogo parecia ser apenas a versão beta de algo maior. terá futuro como mago e os que apelarem para a força bruta se desenvolverão como guerreiros. O único defeito do quinto Elder Scrolls está na maneira como você interage com esse belo universo. que os personagens sumam quando vão abrir uma porta. você começa por baixo. releve os pequenos defeitos de programação quando eles surgirem. Em Skyrim. é legítimo que o universo de Skyrim também tenha. Quem usar magias o tempo todo. Se até a Matrix tinha falhas. só para garantir que você não vai perder ainda mais tempo do que esse jogo já exige. Tomando essa precaução. O visual de Skyrim é o que há de melhor nessa geração. como Skyrim. Alguns desses bugs podem prejudicar sua jogatina e é recomendável ter múltiplos saves. Linux) . Quem quiser esgotar todas as possibilidades dessa aventura vai gastar centenas de horas. Nada de novo para quem conhece a velha lógica dos RPGs. Tudo tem textura e volume. Xbox 360) O quinto episódio da série Elder Scrolls veio para drenar todo seu tempo.O primeiro Portal surgiu para definir o termo “videogame experimental”: um jogo curto. Mac OS X. Mesmo com toda a sua imaginação e seus méritos. com amigos e uma cerveja. costumam ser mais desafiadores para quem os programa que para quem os joga. barato e pouco convencional. por exemplo. Elder Scrolls V: Skyrim (Microsoft Windows. The Binding of Isaac (Microsoft Windows. É comum. você cria um personagem. O mérito de Skyrim está no visual caprichado do imenso mundo do jogo. Eliminar todos os glitches e bugs de um gigantesco playground virtual não é para qualquer um. Esse algo maior é Portal 2 no modo cooperativo. PS3. É necessário adquirir as habilidades necessárias para sobreviver a dragões e outros perigos. destruir seu casamento e fazê-lo esquecer da sua vida social.

Como o antecessor. tido nos fóruns especializados como um dos softwares mais mal acabados da história da programação. O melhor jogo disponível com um herói dos quadrinhos na capa? Talvez. Nintendo Wii U. Nick Gillett escreveu que a Nintendo “conseguiu fazer um controle por movimento que não compromete a jogabilidade” da série. Batman: Arkhan City (Microsoft Windows. O Homem de Aço nunca teve essa sorte. É notório o exemplo de Super Man 64. Entre um desafio e outro. Vemos ele ser bombardeado com fezes e sofrer todo o tipo de humilhação. PS3. nos controles precisos e na ação furtiva tipo Metal Gear. Como qualquer outra coisa que queira misturar a bíblia com merda e fetos ensanguentados. Preso em um mundo fantástico e grotesco. Com Arkham City. The Binding of Isaac parte da parábola bíblica. É fácil encontrar bons jogos do Cavaleiro das Trevas mesmo nos consoles mais antigos. É preciso intepretá-lo e. The Binding of Isaac é uma produção independente. Batman mantém a liderança. há algo profundo aí. o jogador é presenteado com flashes da vida de Isaac. a graça aqui está num bom sistema de combate. Abraão e seu filho Isaac que o digam. É depois do jogo que The Binding of Isaac começa a mexer com a sua cabeça. Xbox 360) Pelo menos nos videogames.Quem tem um deus como o do velho testamento não precisa de diabo. digeri -lo. O Isaac do jogo tenta escapar do sacrifício chorando: lágrimas como armas. Nick Gillett queria dizer que a . A novidade é poder explorar a cidade circulando pelo topo dos prédios. Zelda Skyward Sword (Nintendo Wii) Zelda Skyward Sword entrou no topo da lista dos melhores jogos de 2011 do The Guardian. Isaac contará com a ajuda de um feto rejeitado. exatamente como Batman faria. Os finais (há vários possíveis) são tão etéreos quanto o de Shadow of the Colossus. só que mais escatológicos. Batman costuma ser tratado de maneira bem mais digna do que o Super Homem. mais do que isso. Arkhan Asylum.

Angry Birds (Android) .Fifa 12 (Nintendo 3DS.Deus Ex: Human Revolution (Microsoft Windows.Arkham City .Axelay (SNES) Roberto Maia . Apesar disso. Xbox 360) . todos os elementos básicos da série foram preservados.Tropico 4 (Microsoft Windows. iOS. Mac OS X. No fim das contas.Super R-Type (SNES) . Xbox 360) . PSP) . Xbox 360) . E o resto da equipe do blog listou o que andou jogando durante o ano. O novo Zelda também trouxe outras mudanças significativas: ir de um dungeon a outro ficou mais difícil e o já tradicional minigame de pesca foi limado. Sony Ericsson Xperia Play.CK Zombies (Android) . Xbox 360. Microsoft Windows) . Xbox 360) Rodrigo Febrônio . PS3.Alien: Infestation (Nintendo DS) .Speed Car (Android) .Catherine (PS3. Xbox 360. PS3.Dead Space 2 (PS3. PS2.Skyrim .Batman . Windows. independente do jogo ter sido lançado recentemente ou da plataforma. Skyward Sword é só mais um Zelda e esse é um grande elogio.Dark Souls (PS3. Seguem então os 5 jogos de videogame que fizeram os membros do Contraversão suar em 2011! Raphael Fernandes . Wii. MAC OS X.Batman: Arkham City .Nintendo felizmente não estragou tudo enquanto tentava nos fazer tirar a bunda do sofá.

Alessio Esteves .Secret of Monkey Island (PC) .Mario Kart (Nintento DS) .Pokémon Pearl (Nintendo DS) .Desert Strike (Mega Drive) .Road Rash (Mega Drive) .