07/10/2010

ECOCARDIOGRAFIA ECODOPPLERCARDIOGRAFIA

Método não invasivo que utiliza técnica da obtenção de imagens do coração e estruturas correlatas, por ultra-som ( >20.000 ciclos/seg )
Absorção

Aula – UFPE

Refração Reflexão

velocidade média ≈ 1.540 m/s

ECOCARDIOGRAFIA
Vantagens  Não invasivo  Passível de repetição bem como permanente (fita de vídeo ou CD)  Portabilidade  Menor custo Desvantagens  Operador-dependente
Diferenças intra-observadores, inter-observadores

Ecocardiografia – Modalidades Técnicas
1 - Ecocardiograma: (anatomia - estruturas - função)
Unidimensional (Modo M)

registro

Bidimensional (harmônica) Tridimensional 2 – Doppler Espectral: (fluxo cavitário - transvalvar - vascular) Pulsátil - Contínuo 3 - Mapeamento do fluxo em cores: (fluxo + anatomia) 4 - Ecocardiografia Fetal 5 - Ecocardiografia sob Estresse: (fisiológico - farmacológico) 6 - Ecocardiografia com contraste ( endocárdio - miocárdio) 7 - Doppler Tissular (tecidual): (velocidade - miocárdio)

Má transmissão do USG por cálcio e gás

VIAS DE ACESSO
Ecocardiograma Transtorácico (ETT)

ECOCARDIOGRAFIA
Modos  B (“brilho”)

M (“monodimensional”)

Ecocardiograma Transesofágico (ETE)

Septo

PpVE

1

07/10/2010 ECOCARDIOGRAFIA Modos  B (“brilho”)  ANATOMIA TOMOGRÁFICA M (“monodimensional”) Septo PpVE ECOCARDIOGRAFIA Modos  Bidimensional ECOCARDIOGRAFIA Modos  Bidimensional 2 .

07/10/2010 ECOCARDIOGRAFIA Bidimensional Ecocardiograma 2D  3D Eco 3 Dimensional – Técnica 1 Eco 3 Dimensional – Imagem 1 Eco 3 Dimensional POSSIBILIDADES: LIMITES: Avaliação mais detalhada da anatomia e estruturasimagens Disponibilidade (custo/benefício) / Obtenção das Maior facilidade na compreensão das imagens (curva de aprendizado) / Interpretação das Imagens (artefatos) Complementação diagnóstica do exame Bidimensional 3 .

07/10/2010 ECOCARDIOGRAFIA Morfologia Cavidades/paredes/valvas vasos / pericárdio / próteses •Dimensões •Aspecto Estrutural •Ecos anômalos Função •Sistólica segmentar e global •Dinâmica valvar ECOCARDIOGRAFIA com análise de fluxo: Doppler Doppler – Padrão Normal Doppler Pulsátil TRIV = 73 +/.32ms ECOCARDIOGRAFIA com análise de fluxo: Doppler Equação de Bernoulli Gradiente = 4 x V2 ECO + DOPPLER CONTÍNUO 3 1 G = 4 x 12 = 4mmHg G = 4 x 32 = 36mmHg 4 .13ms E/A = 1.6 +/.0.5 TDE = 199 +/.

07/10/2010 ECOCARDIOGRAFIA com análise de fluxo: Doppler Medição de fluxo / gradientes anormais   ECOCARDIOGRAFIA com análise de fluxo: Doppler mapeamento de fluxo em cores Valvares: estenóticos. regurgitantes Shunts Fluxo de enchimento (Função diastólica) Medidas hemodinâmicas Débito Cardíaco Pressão na AP  Pressão VCP   60 +10 = 70 mmHg ECO + MFC Congênitas Valvopatias MFC – Modo M 5 .

24 (8. et al.13:1053-64 6 .1997.07/10/2010 Doppler Tissular e Técnicas Derivadas • Doppler Tissular (Tecidual) • Tissue Tracking • Strain Rate • Strain Doppler Tissular x Strain Rate Sístole CIV Diástole Velocidade (cm/s) Tempo RIV v2 Δx v1 E Strain Rate (1/s) E CIV RIV A A Tempo DT = Velocidade de contração e relaxamento do miocárdio STRAIN = Deformidade do miocárdio na sístole e diástole Doppler Vascular x Doppler Tissular Strain and Strain Rate Imaging: A New Clinical Approach to Quantifying Regional Myocardial Function 1. JACC.30(6):1527.9 = 12. Strain Rate Imaging Doppler Tecidual sístole diástole sístole diástole 2D Infarto Basal Lateral Infarto Septal Apical Stoylen.JASE 2004.9 E/E’ > 10 (Sensibilidade de 97% / Especificidade de 71%) Sutherland G R.4) +1.A et al.24 (E/E’) +1. Nagueh SF et al. J Am Soc Echocardiogr 2000.17:788-802.3 mmHg Estimativa da PVCP PVCP = 1.

JASE 2004.07/10/2010 Cardiopatia Iquêmica Strain x PET (viabilidade) Inviável viável ECOCARDIOGRAFIA Bidimensional Análise da Função Contrátil (sistólica) do VE  Fração de encurtamento  Fração de ejeção (FE) Volume Sistólico FE = Yang. HS.28 DP/DT = 32/0. 17:933-40 Volume Diastólico Final Volume Sistólico Final VS VDF = VDF – VSF VDF Avaliação da Função Sistólica Global Sem Déficit Segmentar – Cubo ou Teicholz Com Déficit Segmentar – Área ou Simpson Avaliação da Função Sistólica Global * * Parâmetros que independem da Geometria Ventricular GD : 4V²(1=4.4 cm/s = FE > 50% (sensibilidade 88%. 3=36) = 32 mmHG DT = Intervalo de Tempo FE 0.77:979-84 7 .05’ = 640 mmHG/s DP/DT 640 mmHg/s (NL >1200) Avaliação da Função Sistólica Global * Disfunção Sistólica Segmentar Velocidade de movimentação do anel mitral > 5. especificidade 97%) Gulati VK. et al. Am J Cardiol 1996.

36 HVCP 21mmHg DP/DT 1066 HAP 56 mmHg ECOCARDIOGRAFIA Transesofágica ETE – Planos de Corte Sempre precedido do ETT ETE .07/10/2010 ICC – Avaliação Integrada FE 0.EXEMPLOS Próteses 8 .

9 . Fístulas Kloner RA. HAP Microcirculação Perfusão Miocárdica Parede do VE 10% vasos 90 % capilares 3. Circulation 1996. grandes obesos. 86:14-22 Ito H. Shunts 4. AD / VD 2.07/10/2010 ANSI + CIAS ETE . FOP. Am J Med 1989. deformidades torácicas  ECOCARDIOGRAFIA com contraste Bolhas >10 mícra:  Pesquisa CIA. PESDA Perfusão miocárdica com microbolhas  Estudo da microcirculação coronariana Melhor resolução para avaliar:      Próteses Pesquisa de trombo atrial Dissecção aórtica Endocardite Cardiopatias congênitas: CIA. etc   Transoperatório Correção percutânea de cardiopatias Contraste – Bolhas --> microbolhas Aplicações: 1. complexas. et al. intensificar sinal do Doppler.AORTA ECOCARDIOGRAFIA Transesofágica Indicações  Sem condições para realização ETT Enfisema. et al. albumina sonificada. diagnóstico de shunt pulmonar D  E Microbolhas <10 mícra: renografina.93:223-8l A integridade da microcirculação é um pré-requisito para a viabilidade miocárdica.

Capilar pulmonar: 10 m .– EchoGen carbono) – Optison Perfluoropropano (3ªG) (Definity) – Outros: – – – – – – Sonovue Quantison NC100100 Acusphere Bisphere Imagent Microbolhas com 1-10 micra: vibram e a interface líquido-ar reflete ultra-som Imagem fundamental ≠ Segunda harmônica ECOCARDIOGRAFIA de Estresse Estresse físico Estresse farmacológico: dobutamina + atropina Indicações: DIÁSTOLE Eco de Estresse com Dobutamina SÍSTOLE 0 2 4 6 8 10 12 14 mcg/kg/min Dobutamina Detecção Automática de Isquemia (pico do estresse – normal) Detecção Automática de Isquemia (pico do estresse .Hemácia: 6-8 m – Albunex – Levovist Gás (2aG) – PESDA (Perfluoro.07/10/2010 Ecocardiografia com Contraste Microbolhas Contrastes Encapsulados e Sonicados Ar (1aG) Microbolhas Opacificação Cavitária  Perfusão Miocárdica Proteína Sacarídeo Lipídio Polímero .anormal) 10 .

07/10/2010 ECODOPPLERCARDIOGRAFIA • Ambulatorial Cardiopatia Isquêmica Cardiopatia Hipertensiva Miocardiopatias Pericardiopatias Valvulopatias Tumores Trombos Aortopatias Cardiopatias congênitas Eco com contraste (microbolhas) • Sala de Emergência • U. Opacificação Ventricular Microbolhas .Exemplos Microbolhas . Coronária / UTI • Sala Hemodinâmica • Centro Cirúrgico QuickTime™ and a Video decompressor are needed to see this picture.Exemplos 11 .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful