UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ CENTRO DE TECNOLOGIA – CT DEPARTAMENTO DE CONSTRUÇÃO CIVIL E ARQUITETURA CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO PROFESSORA: NÍCIA LEITE

MATÉRIA: ACESSIBILIDADE ALUNA: ISABELA ARAUJO DO NASCIMENTO MODULOR É uma escala antropométrica1 de proporções criada pelo arquiteto franco-suíço, Le Corbusier (pseudônimo de Charles Edouard Jeanneret-Gris) no séc. XX e usado em seus projetos como uma “ponte” entre duas escalas incompatíveis, o sistema métrico decimal e as unidades de pés (mais utilizada principalmente nos Estados Unidos e no Reino Unido). Segundo o próprio Le Corbusier, ele desenvolveu o sistema de proporcionalidade para organizar “as dimensões daquilo que contém, e daquilo que é contido”. Foi criada a partir de um conjunto de idéias: a razão áurea2, largamente utilizada nas edificações da Grécia Clássica, que conheceu e se impressionou em uma visita aos templos gregos, como o Partenon, baseando-se também na seqüência do matemático Fibonacci e levando em conta que, para ele, o tamanho padrão de um homem era de 1,83m (inicialmente era de 1,75, altura média do homem francês, mudou devido ao fato de os belos homens em romances policiais serem de 1,83m), surgiu então a proporção que denominou Modulor (Module = unidade de medida; section d’or = secção de ouro3) e se baseava nela para orientar os seus projetos e também as suas pinturas. Possui duas escalas interrelacionadas, as séries azul e vermelha, cujas medidas governam o dimensionamento de todos os artefatos interiores e mesmo exteriores do edifício. Segundo Possebon (2004) Le Corbusier sabia muito bem que a música, assim como a arquitetura, se desenvolve no espaço e no tempo e depende da medida, o arquiteto pensou então que, assim como a música poderia ser entendida e passada através de proporções por meio da escrita musical, isso poderia também acontecer com a arquitetura. E que dessa analogia poderia tirar um utensílio que tratasse de medidas visuais, geométricas e que traria grandes benefícios para a construção. Ainda de acordo com Possebon (2004) o arquiteto compreendia que em muitos dos templos de várias culturas e de várias épocas, havia nessas construções um sistema coerente, que afirmava uma unidade essencial, baseadas em proporções humanas: dedo, pés, braços, polegadas, etc. E dessa matemática do corpo humano, seria possível haver na construção também uma harmonia. Le Corbusier achava então que havia uma carência de sistema proporcional que satisfaça quesitos de racionalidade, simplicidade na ordenação do cálculo e adequação à escala humana – tanto para a arquitetura, quanto para a mecânica. Le Corbusier, no entanto, não procurou usar o seu sistema de proporção como um padrão, e sim para encontrar harmonia em suas composições arquiteturais e preferiu usá-la em espaços vazios (amplos e “frios”). Ele utilizou o sistema em muitas obras, como por exemplo, a Chapel de Notre Dame Du Haut,a unidade de habitação em Marseilles e o Mosteiro de Sainte-Marie de La Tourette. As idéias sobre o Modulor renderam dois livros, o primeiro (Modulor) publicado em 1948, e o outro (Modulor 2), devido ao sucesso do primeiro, publicado em 1957.
¹ Escala antropométrica – dimensões e proporções baseadas no corpo humano. ² Razão áurea – Proporção matemática criada pelos gregos e considerada harmônica e agradável à visão. ³ Secção de Ouro – a divisão de uma reta de tal modo que o segmento menor está para o maior, assim como o segmento maior está para o todo. Considerado como símbolo de harmonia. Numero irracional de valor aproximado = 1,618

1

a. form. 2 . O Modulor de Le Corbusier: Forma. < http://pt. 68-76. Francis D. Além do Modulor. a procura por um desenho universal satisfatório é muito grande. Proporção áurea. n. se pensarmos em maneiras de adaptar o projeto ao que temos e ao que somos hoje. mas que pode ser contornada. Modulor.wikipedia. Tradução: Alvamar Helena Lamparelli. e ajudam a determinar um espaço mínimo e confortável para qualquer pessoa e em qualquer tipo de ambiente. que além de fornecer as medidas de uma determinada construção. XX. jan. No desenho de Da Vinci. dinâmico e de rápido entendimento. < http://pt. pensou em um homem de 1. Ergonomia. IMAE. englobando materiais. onde ele descreve as proporções do corpo humano masculino. K. São Paulo. Tradução própria. De 2011. pode-se tentar adequar a medida de hoje com a idéia que Le Corbusier criou no séc. e como no desenho universal tem-se como base a altura de um homem de 2.org/wiki/Ergonomia > Acesso em: 19 de mar. tornando os projetos universais e muito mais harmônicos. na época. A obra escrita por Vitruvius defendia que os edifícios deveriam se basear na simetria e proporção da forma humana.wikipedia. seremos capazes de criar normas técnicas para melhorar a relação do homem com o espaço. São Paulo.A grande importância das proporções para o projeto de edificações é que essas medidas em relação ao corpo humano são fundamentais para a ergonomia4. < http://en. e dentro dos padrões matemáticos criados por ele. é utilizado também para a organização e módulo estético.wikipedia. Além ainda do Homem Vitruviano (considerado o cânone das proporções do corpo humano). Título Original: Architeture. 11. CONCLUSÃO Infelizmente. sem a necessidade de converter as medidas descritas no projeto. que é encaixar o corpo humano dentro da figura de um círculo e de um quadrado (figuras geométricas elementares). existem outras escalas de proporções como pro exemplo o Ken. daí a importância do Modulor para a arquitetura hoje. Arquitetura: Forma. R. Nos dias de hoje. CHING. ele consegue o que o arquiteto Vitruvius descreve em seus livros. o que torna uma grande falha do projeto. que correspondia aos belos homens heróis de romances.5.86m. 2004. estrutura e espaços da arquitetura japonesa. Cult: R. composição.org/wiki/Modulor > Acesso em: 18 de mar. com a acessibilidade e com o desenho universal. e ainda. os equipamentos e o local de trabalho para adequá-lo ao trabalhador. p. com a acessibilidade em evidência./jun.org/wiki/Propor%C3%A7%C3%A3o_%C3%A1urea > Acesso em 19 de mar. REFERÊNCIAS BIBLIOGÁFICAS POSSEBON.. De 2011. tornando-o mais prático.10m. desenhado por Leonardo da Vinci e teorizado pelo arquiteto Marcus Vitruvius em seu tratado de arquitetura. espaço e ordem. Le Corbusier. E juntamente com a ergonomia. Ennio. 1998. São Paulo: Martins Fontes. space & order. não pensou nas mulheres. 4 Ergonomia – Ciência de projetar o trabalho. utilizada ainda hoje. proporção e medida na arquitetura. que é uma escala japonesa. De 2011. Além disso. tendo em vista que são necessárias mudanças nas medidas mínimas criadas inicialmente pelo arquiteto. pois facilitam o estudo sobre o bem-estar das pessoas em um determinado local. trabalhando com uma medida universal de proporção fica mais fácil e rápido de se adequar um projeto a qualquer lugar do mundo.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful