Mogi das Cruzes, sexTa-feira, 3 de fevereiro de 2012

O DIÁRIO

6 CIDADES
urgência

Após correição no Juizado Especial Federal mogiano, Suzana Camargo aponta necessidade de implantação de órgãos

Corregedora defende PF para Mogi
EiSnEr SoArES

Mara FLÔrES

A corregedora regional da Justiça Federal, Suzana Camargo, defendeu ontem a implantação de unidades do Ministério Público Federal, da Defensoria Pública da União e da Polícia Federal em Mogi das Cruzes. Aliás, a conclusão da correição que ela realiza no Juizado Especial Federal mogiano será justamente o envio de ofícios, para a direção desses órgãos, nos quais apontará a necessidade, com maior urgência, desses serviços na Cidade. “A ausência desses órgãos dificulta todo o trabalho da Justiça”, argumenta a corregedora, que desde a última segunda-feira realiza correição no Juizado Especial Federal de Mogi. “Sem dúvida, a instalação do MP Federal, da Defensoria Pública da União e da Polícia Federal vão melhorar o atendimento à população e dar maior celeridade ao julgamento dos processos”, acrescenta. Hoje, por exemplo, como não há uma unidade do MP Federal na Cidade, todos os processos que tramitam no Juizado Especial Federal de Mogi ficam na dependência dos procuradores de São José dos Campos, que deslocam-se para o Município apenas a cada 15 dias. “Se tivesse um MP Federal em Mogi, poderiam ser feitas muito mais audiências do que é feito hoje e os processos seriam julgados num prazo menor”, sustenta a corregedora. “Nos últimos anos, houve uma interiorização muito grande da Justiça Federal e o ideal é que a instalação desses outros órgãos federais acon-

MuDança

Cartórios eleitorais abrem em novo horário
LucaS MELOni

SErViçO Suzana quer unidades do Ministério Público Federal, Defensoria Pública da união e Polícia Federal

tecesse numa concomitância, mas eles não conseguem acompanhar”, completa. Apesar da conclusão de que a Região merece esses outros serviços para que a Justiça possa ser feita de forma plena, a corregedora foi só elogios para o trabalho verificado no Juizado Especial Federal de Mogi das Cruzes, implantado em 2005, que conta hoje com cinco juízes - um sexto é aguardado – e atende os 10 municípios do Alto Tietê. Balanço divulgado pela juíza Suzana Camargo mostra que no período entre janeiro de 2009 e janeiro deste ano, 12.457 processos foram julgados nas duas varas

do Juizado Especial Federal de Mogi, os quais resultaram no pagamento de R$ 70 milhões para as pessoas que demandaram as ações que, na sua maioria, são de origem previdenciária. Ou seja, pedidos para revisões de benefícios do INSS. Desse montante, R$ 27,4 milhões correspondem a processos tramitados no ano passado. “Veja o quanto foi injetado na economia da Região e o quanto a Justiça é importante para a garantia dos direitos da população. Por isso, a minha orientação para que os profissionais nunca vejam um processo simplesmente como mais um na estatística e, sim,

num processo que é muito importante para a vida daquela pessoa. Às vezes, é um salário mínimo, mas é dessa aposentadoria que depende uma família inteira”, ressalta Suzana. As duas varas do Juizado Especial Federal absorvem a demanda de ações com valor máximo de 60 salários mínimos. Causas com valores superiores são atendidas pela Vara Federal Plena, implantada em maio do ano passado e que atende processos cíveis e criminais. A unidade tem em tramitação hoje 11.236 ações e, além de Mogi, engloba as cidades de Biritiba Mirim, Guararema, Salesópolis e Suzano.

Os cartórios eleitorais de Mogi das Cruzes estão funcionando em novo horário por determinação do Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP). O atendimento ao público agora é de segunda a sextafeira, do meio-dia às 18 horas. A medida entra em vigor às vésperas do início do período de maior procura por serviços oferecidos nos locais em ano eleitoral. As zonas eleitorais 74ª, 287ª e 319ª da Cidade adotaram o novo horário na última quarta-feira, acompanhando outros tabelionatos do Estado. O antigo expediente era das 11 às 17 horas. Com isso, as pessoas que precisam regularizar sua situação para o pleito municipal deste ano devem ficar atentas. O movimento, contudo, ainda é normal. “Estamos atendendo cerca de 40 pessoas por dia”, explica Marcos Chaves, chefe do Cartório da 74ª Zona, com mais de 95 mil eleitores e que abrange a região central, além dos bairros do Caputera e Jardim Ivete. Já na 287ª Zona, a procura tem sido maior. São 150 pessoas, em média, que comparecem diariamente para resolver pendências com a Justiça Eleitoral. “Mas isso varia bastante, há dias em que há muitas pessoas, em outros menos. São 124,3 mil eleitores

aqui”, explica Fernanda Teixeira, responsável pelo local, que administra seções de votação em Biritiba Ussu, Mogilar, Jundiapeba e Taiaçupeba. A reportagem de O Diário também procurou a chefe do Cartório da 319ª Zona, mas ela não estava no local e os funcionários afirmaram não poder informar detalhes sem a autorização da responsável. Entre os serviços disponíveis para o público estão o cadastro eleitoral, a emissão de título de eleitor (1ª ou 2ª via), a atualização de dados e a transferência de seção. “Não tem como especificar qual é o mais procurado ainda”, acrescenta Fernanda. Os eleitores têm até 9 de maio - ou seja 151 dias antes do primeiro turno do pleito, que neste ano acontece em 7 de outubro - para alterar dados de seu registro junto à Justiça Eleitoral. O estudante Pedro Bragantini, de 17 anos, já se precaveu e tirou seu título de eleitor na tarde de ontem. “Aproveitei este início das aulas, que está mais tranquilo, e vim tirar o título, porque a partir deste ano preciso votar, já que completo 18 anos em 28 de setembro”, destaca. O voto é facultativo para pessoas com 16 e 17 anos, a partir dos 18, ele passa a ser obrigatório. As zonas eleitorais da Cidade estão localizadas na Rua Major Pinheiro Franco, no Centro.

TraJETO

Em 35 dias, mogianos percorreram 14 mil quilômetros
wArlEy lEitE

aVEnTura altanir gama e Marjori Lotufo passaram de jipe pelo Paraguai, argentina, chile, Bolívia e Peru

Viagem de família pode virar livro
iVan carVaLHO espeCial para O DiáriO

Foram 35 dias de aventura e mais de 14 mil quilômetros rodados pelos lugares mais inóspitos do continente sul-americano. Paraguai, Argentina, Chile, Bolívia e Peru foram os países escolhidos pela família de Altanir de Campos Gama para as férias deste final de ano. Sua mulher Marjori Lotufo e os dois filhos Ian e Taina Gama fizeram parte desta viagem. A grande aventura poderá em breve ser transformada em um livro, com fotos e fatos que marcaram a viagem. No último dia 26 de dezembro, os mogianos, a bordo de um jipe off-road, vivenciaram interessantes artefatos arqueológicos e históricos, além de salinas, gêiseres, vulcões, lagoas coloridas, vales verdejantes e canyons de água cristalina. Também tiveram a oportunida-

de de ver múmias com quase mil anos, deixadas pelos Chinchorros (antigos habitantes da área) e a cidade sagrada de Caral, a mais antiga do continente, com aproximadamente 2.600 anos a.C.. A aventura era para acabar no Chile, mas após um infeliz incidente, onde artigos eletrônicos foram furtados em um quarto de hotel no Atacama, enquanto a família jantava, eles decidiram partir para o Peru, onde deslumbraram a melhor parte da aventura. “Foi neste ponto da viagem que decidimos seguir adiante, pois os nossos parceiros não puderam nos esperar (eles estavam acompanhados de mais duas famílias de Suzano) e nos vimos sozinhos. A partir daí tomamos a decisão. Foi a melhor coisa que fizemos”, disse Altanir. Foram dias de aprendizado e muita experiência. O carro quebrou algumas vezes, eles

dormiram algumas noites em albergues e até em ginásios esportivos. Mas nada vai apagar o sentimento de estar ao lado da família por todo este período. “Nunca conseguimos ficar juntos por tanto tempo. Foi nossa primeira experiência. Houve de tudo, discussões, brincadeiras, abraços, sorrisos. Mas o que mais valeu a pena é que nos conhecemos melhor e aproveitamos uns aos outros como nunca havia acontecido antes”, contou Altanir. São tantas histórias que O Diário reservou um espaço para a família Gama na edição do próximo domingo. Marjori, que disse ter ficado sabendo que o prefeito Marco Bertaiolli também deve fazer uma recepção à família, separou mais de 4 mil fotos. Os principais detalhes, os lugares mais bonitos, a diferente culinária e todos os perigos e emoções da viagem poderão ser conferidos na reportagem.