Administração

A Administração (do latim: administratione) é o conjunto de atividades voltadas a direção de uma organização utilizando-se de técnicas de gestão para que alcance seus objetivos de forma eficiente, eficaz e com responsabilidade social e ambiental. Lacombe (2003, p.4) diz que a essência do trabalho do administrador é obter resultados por meio das pessoas que ele coordena. A partir desse raciocínio de Lacombe, temos o papel do "Gestor Administrativo" que com sua capacidade de gestão com as pessoas, consegue obter os resultados esperados. Drucker (1998, p. 2) diz que administrar é manter as organizações coesas, fazendo-as funcionar. Funções administrativas As principais funções administrativas são:
• • • • • • • •

Fixar objetivos (planejar) Analisar: conhecer os problemas. Solucionar problemas Organizar e alocar recursos (recursos financeiros e tecnológicos e as pessoas). Comunicar, dirigir e motivar as pessoas (liderar) Negociar Tomar as decisões. Mensurar e avaliar (controlar).

Fayol foi o primeiro a definir as funções básicas do Administrador: planejar, organizar, controlar, coordenar e comandar - POCC. Destas funções a que sofreu maior evolução foi o "comandar" que hoje chamamos de Liderança. Profissão A profissão de Administrador é relativamente nova e foi regulamentada no Brasil em 9 de setembro de 1965, data que se comemora o dia do Administrador. Os primeiros administradores profissionais (administrador contratado, que não é o dono do negócio) foram os que geriam as companhias de navegação inglesas a partir do século XVII. Estas empresas foram as primeiras sociedades anônimas que se tem notícia. Administrar envolve a elaboração de planos, pareceres, relatórios, projetos, arbitragens e laudos, em que se exija a aplicação de conhecimentos inerentes às técnicas de administração. Os princípios de um bom administrador:

Um bom administrador deve saber utilizar princípios, técnicas e ferramentas administrativas. Saber decidir e solucionar problemas.

é que se caracteriza como habilidade conceitual Atitudes do Administrador Ser proativo. • • • • • • • Abordagem clássica da administração o Administração científica o Teoria clássica da administração Abordagem humanística da administração o Teoria das relações humanas Abordagem neoclássica da administração o Teoria neoclássica da administração o Administração por objetivos (APO) Abordagem estruturalista da administração o Modelo burocrático da administração o Teoria estruturalista da administração Abordagem Comportamental da Administração o Teoria comportamental da administração o Teoria do desenvolvimento organizacional (D. ousado. acumulando conhecimento científico suficiente para gerir com responsabilidade e profissionalismo. agindo sempre com ética. cumpridor das promessas. comunicando-se eficientemente. ser cooperativo e um bom líder. Ter visão sistêmica pois qualquer organização. é algo complexo. Cada abordagem representa uma maneira específica de encarar a tarefa e as características do trabalho de administração. Esta capacidade de compreender toda a empresa. pois envolve pessoas. saber utilizar seus princípios.) Abordagem sistêmica da administração o Principios e Conceitos Sistêmicos o Cibernética e administração o Teoria matemática da administração o Teoria geral de sistemas o O Homem Funcional Abordagem contingencial da administração o Teoria da contingência o Mapeamento Ambiental o Desenho Organizacional o Adhocracia . obtendo cooperação e solucionando conflitos. bom exemplo.O. de ter uma visão geral sobre ela. produção e outras coisas. Teorias da administração de empresas As teorias da administração podem ser divididas em várias correntes ou abordagens. tecnologia. ajudando os funcionários para que eles possam crescer junto com a empresa. conduzindo mudanças. criativo. equipamentos.• • Saber lidar com pessoas. negociando. construções.

• O Homem Complexo Técnicas Modernas de Gestão o Administração participativa o Administração Japonesa o Administração Holística o Benchmarking o Downsizing o Gerenciamento com foco na Qualidade o Learning Organization o Modelo de Excelência em Gestão o Reengenharia o ReAdministração o Terceirização o Cronologia das teorias da administração • • • • • • • • • • • 1903 Administração científica 1909 Teoria da burocracia 1916 Teoria clássica da administração 1932 Teoria das relações humanas 1947 Teoria estruturalista 1951 Teoria dos sistemas 1954 Teoria neoclássica da administração 1957 Teoria comportamental 1962 Desenvolvimento organizacional 1972 Teoria da contingência 1990 Novas Abordagens Teorias Administrativas. Princípios gerais da Administração. Teoria estruturalista Pessoas Teoria das relações humanas Organização informal. Funções do Administrador Organização Formal Burocrática. comunicações e . Análise intra-organizacional e análise interorganizacional. Múltipla abordagem: Organização formal e informal. Motivação. liderança. Racionalidade Organizacional. suas ênfases e seus principais enfoques Ênfase Tarefas Teorias administrativas Administração científica Teoria Teoria neoclássica Estrutura Teoria da burocracia clássica Principais enfoques Racionalização do trabalho no nível operacional Organização Formal.

Análise intra-organizacional e análise Teoria estruturalista ambiental. estrutura. desenvolveu a ênfase na tecnologia. Sistemas e Métodos Comércio Internacional . Cada teoria administrativa procurou privilegiar ou enfatizar uma dessas cinco variáveis.tarefas. marcando um gradativo passo no desenvolvimento da TGA. A seguir. Esta. Áreas da administração • • • • • • • • • • Administração financeira Administração da produção Administração pública Administração de Materiais Marketing Gestão de Pessoas Gestão Sistêmica Administração de Sistemas de Informação Organização. seguindo-se mais tarde a teoria estruturalista. Teoria das decisões. a preocupação básica passou para a ênfase na estrutura com a teoria clássica de Fayol e com a teoria burocrática de Max Weber. com a administração científica de Taylor. Teoria neo-estruturalista Abordagem de sistema aberto. Ambiente Administração da tecnologia (imperativo tecnológico). ambiente e tecnologia .dinâmica de grupo. posteriormente. A ênfase no ambiente surgiu com a Teoria dos Sistemas. Teoria do desenvolvimento Mudança organizacional planejada. Teoria comportamental Estilos de Administração. omitindo ou relegando a um plano secundário todas as demais. por meio da teoria comportamental e pela teoria do desenvolvimento organizacional.provocou a seu tempo uma diferente teoria administrativa. A reação humanística surgiu com a ênfase nas pessoas. organizacional Abordagem de sistema aberto. Integração dos objetivos organizacionais e individuais. Abordagem de sistema aberto. As principais Teorias Administrativas e seus principais enfoques A teoria geral da administração começou com a ênfase nas tarefas. Cada uma dessas cinco variáveis . pessoas. Teoria da contingência Tecnologia Teoria dos sistemas Análise ambiental (imperativo ambiental). sendo completada pela teoria da contingência.

Drucker. Introdução à Teoria Geral da Administração. Segundo Montana (2003. ed. dividido e sequenciado o trabalho. Introdução à administração. Uma organização é formada pela soma de pessoas. ou seja. 3. um laboratório ou o corpo de bombeiros. A Profissão de Administrador.A organização então é o resultado da combinação de todos estes elementos orientados a um objetivo comum. ed. Grupo de indivíduos associados com um objetivo comum. 2002. Sobrevivência e crescimento (metas e objectivos) é o que a maioria ambiciona. 1993. Heilborn. 4. F. tecnológica e pessoas. documentos e informações. ISBN 85-02-03786-2 Organização Em sentido geral organização é o modo como se organiza um sistema. Exemplo: empresas. um hospital ou uma escola são todos exemplos de organizações. É a forma escolhida para arranjar. ed. G.. 2003.ed. utensílio. Ferdinand P.J. 2. associações. Modo como foi estruturado. São Paulo: Saraiva. Ferdinand P.L.J. conscientemente coordenada.M. As organizações são compostas de estrutura física. máquinas e outros equipamentos. organização significa instrumento. 170) organizar é o processo de reunir recursos físicos e humanos essenciais à consecução dos objetivos de uma empresa. A estrutura de uma organização é representada através do seu organograma. Por meio de uma organização torna-se possível perseguir e alcançar objetivos que seriam inatingíveis para uma pessoa. órgãos do governo. ISBN 85-221-0130-5 Drucker. Segundo Maximiano(1992)uma organização é uma combinação de esforços individuais que tem por finalidade realizar propósitos coletivos. Do grego "organon". São Paulo: Pioneira Thompson Learning. São Paulo: Makron. De acordo com o Prof. São Paulo: Saraiva. São Paulo: Pioneira Thompson Learning. A forma de organizar estes orgãos chama-se de departamentalização. Uma grande empresa ou uma pequena oficina. Administração. dispor ou classificar objetos. ISBN 85-221-0166-3 Lacombe. 2. gozando de fronteiras delimitadas que funcionam numa base relativamente contínua. Organizar compreende atribuir responsabilidades às pessoas e atividades aos órgãos (unidades administrativas). ISBN 85-02-03788-9 Montana. p. 1. 2003. Em Administração organização tem dois sentidos: 1. Administração: princípios e tendências. tendo em vista a realização de objectivos comuns".Referências Bibliográficas • • • • • Chiavenato. recursos financeiros e outros. 1998. . qualquer entidade pública ou privada. Patrick J. João Bilhim "a organização é uma entidade social. Idalberto.

Essas teorias criam novas perspectivas para a administração. do trabalho em grupo. 1. o trabalhador era tratado pela Teoria Clássica de forma muito mecânica. Até então. o estudo de grupos informais e da chamada organização formal.ed. a ênfase nos aspectos emocionais e não-racionais do comportamento das pessoas. São Paulo: Saraiva.J.L. 2003. na busca por variáveis que influenciassem. da qualidade do ambiente e descreveu-as afirmando que o cuidado com os aspectos sociais era favorável aos empresários.. 2003. São Paulo: Saraiva. acções formalmente coordenadas e funções diferenciadas. G. em Chicago. F.Objectivos que exigem grupos de duas ou mais pessoas. Com as conclusões iniciais tomadas a partir da Experiência de Hawthorne. ISBN 85-02-03788-9 Montana.J. EUA. ed. Heilborn. Teoria Organizacional: Estruturas e Pessoas. . Mayo fez estudos sobre a influência da luminosidade. novas variáveis são acrescentadas ao dicionário da administração: • • • • • a integração social e comportamento social dos empregados. o despertar para as relações humanas dentro das organizações. 2. ISCSP. A partir daqui começa-se a pensar na participação dos funcionários na tomada de decisões e na disponibilização das informações para eles. é um conjunto de teorias administrativas que ganharam força com a Grande Depressão criada na quebra da bolsa de valores de Nova Iorque. Administração: princípios e tendências. Administração. Experiência de Hawthorne A Escola das Relações Humanas surgiu efetivamente com a Experiência de Hawthorne.M. O médico e sociólogo australiano Elton Mayo. na produção. que estabelecem entre eles relações de cooperação. visto que busca conhecer as atividades e sentimentos dos trabalhadores e estudar a formação de grupos. ou Escola das Relações Humanas. fez testes na linha de produção. as necessidades psicológicas e sociais e a atenção para novas formas de recompensa e sanções não-materiais. Referências • • • Lacombe. positiva ou negativamente. ISBN 85-02-03786-2 Bilhim. realizada em uma fábrica no bairro que dá nome a pesquisa. João Abreu de Faria. Patrick J. ISBN 978-972-8726-75-1 Teoria das relações humanas A Teoria das Relações Humanas. ed. hierarquicamente hierárquica. Com os novos estudos o foco mudou e do Homo economicus o trabalhador passou a ser visto como homos social. 2006. em 1929.

Mary Parker Follet. e foi um dos primeiros a ver o homem como um ser social.• a importância do conteúdo dos cargos e tarefas para as pessoas. ordem hierárquica com linhas de autoridade e responsabilidades bem delimitadas. a Teoria das Relações Humanas precisou de uma reestruturação que deu origem a Teoria Comportamental Teoria da Burocracia A teoria da burocracia foi formalizada por Max Weber que. no século XX. não estava pensando se o fenômeno burocrático . Construiu um modelo ideal. porém ao fazê-lo. alguns estudiosos acreditam que a origem esteja no fato de ser a teoria das relações humanas em produto da ética e do princípio democrático então existente nos Estados Unidos. outros teóricos ganharam destaque na Escola das Relações Humanas Neidimir di Oliveira. Teóricos Além de Mayo.as pessoas que seguiram demonstraram que nem sempre isto ocorreu. A concepção ingênua e romântica do operário . procurou fazer um mapeamento de como se estabelece o poder nessas entidades. foi uma das precursoras ao analisar os padroes de comportamento e a importância das relaçãoes individuais.Tudo aquilo que esta preconizava. Barnard criou a Teoria da Cooperação. Oposição cerrada à teoria clássica . e analisar as organizações informais promovidas por eles. A ênfase exagerada nos grupos informais colaboraram rapidamente para que esta teoria fosse repensada. a teoria das relações humanas negava. Críticas à Teoria das Relações Humanas As principais críticas a essa escola é de que: • • • • • • Ela apresenta uma visão inadequada dos problemas de relações industriais . Limitação no campo experimental e parcialidade nas conclusões levaram gradualmente a teoria a um certo descrédito. O seu enfoque manipulativo e certamente demagogo não deixou de ser descoberto e identificado pelos operários e seus sindicatos. Assim. Ao receber tantas críticas.em alguns aspectos a experiência de Hawthorne foi insegura e artificial e mesmo tendenciosa. dentro do ambiente de trabalho. partindo da premissa de que o traço mais relevante da sociedade ocidental. no qual as organizações são caracterizadas por cargos formalmente bem definidos. era o agrupamento social em organizações. Weber cunhou a expressão burocrática para representar esse tipo ideal de organização.

Exibição de poderes de autoridade e pouca comunicação dentro da empresa. Burocracia é a organização eficiente por excelência. como está formalizado. Resistências às Mudanças. Weber descreve a organização dos sistemas sociais ou burocracia. de forma a permitir a coesão do funcionamento do sistema.era bom ou mau.não os possuem. Divisão do trabalho: cada elemento do grupo tem uma função específica. Competência técnica e Meritocracia: a escolha dos funcionários e cargos depende exclusivamente do seu mérito e capacidades . independentemente do que conhece sobre o assunto. Excesso de Formalismo e papelatório: Torna os processos mais lentos. Categorização como base no processo decisorial: O que tem um cargo maior. E para conseguir essa eficiência. torna dificil realizar as necessidades dos clientes tendo que seguir as normas internas. num sentido que vai além do significado pejorativo que por vezes tem. Completa previsibilidade do funcionamento: todos os funcionários deverão comportar-se de acordo com as normas e regulamentos da organização a fim de que esta atinja a máxima eficiência possível. Separação entre propriedade e administração: os burocratas limitam-se a administrar os meios de produção . podendo sempre serem substituídas por outras . funcionará tanto com uma pessoa como com outra. a burocracia tem os seguintes princípios fundamentais: • • • • • • • • Formalização: existem regras definidas e protegidas da alteração arbitrária ao serem formalizadas por escrito. Segundo Weber. às regras são dadas mais importância do que às metas. Superconformidade as Rotinas: Traz muita dificuldade de inovação e crescimento. Hierarquia: o sistema está organizado em pirâmide. sendo as funções subalternas controladas pelas funções de chefia. de forma a evitar conflitos na atribuição de competências. a burocracia precisa detalhar antecipadamente e nos mínimos detalhes como as coisas deverão ser feitas. limitamse a cumprir as suas tarefas. Profissionalização dos funcionários. enquanto elementos da organização. Despersonalização: Os funcionários se conhecem pelos cargos que ocupam. toma decisões. ou seja.havendo necessidade da existência de formas de avaliação objetivas. Dificuldade com os clientes: o funcionário está voltado para o interior da organização. . Disfunções da Burocracia: • • • • • • • • Internalização das regras: Elas passam a de "meios para os fins".o sistema. Impessoalidade: as pessoas.

ou patrimonial. concursos e diplomas como instrumentos de base à admissão e promoção. os subordinados aceitam como legítimas as ordens superiores que emanam dos costumes e hábitos tradicionais ou de fatos históricos imemoriais. Em presença de um líder ou chefe que personifique um carisma invulgar ou excepcional. na legalidade das leis e regulamentos.• A Burocracia não leva em conta a organização informal e nem a variabilidade humana. é estabelecida seguindo o princípio da hierarquia. também chamado burocrático. desenvolveu um determinado aparelho administrativo para servir de suporte à sua autoridade. O funcionário burocrático é uma peça de uma máquina. dependendo da maior ou menor observância destes princípios que são formulados para atender à máxima racionalização e eficiência do sistema social (por exemplo. Em suma. esperando-se dele um comportamento formal e . Tradicional: também chamada de feudal. a autoridade racional-legal prevalece nas sociedades ocidentais e apresenta o modelo para todas as sociedades. a ordem e a subordinação sejam plenamente assimiladas e realizadas. Uma dada empresa tem sempre um maior ou menor grau de burocratização. em qualquer organização. Segundo Weber (1946)[carece de fontes?]. A avaliação e a seleção dos funcionários são feitas em função da competência técnica. cada época social caracterizou-se por um determinado sistema político e por uma elite que. Este modelo. O sociólogo alemão Max Weber integrou o estudo das organizações ao desenvolvimento histórico-social. Segundo ele. As relações informais não têm razão de existir. para manter o poder e a legitimidade. Weber identificou três tipos de autoridade: • • • Racional-legal: em que a aceitação da autoridade se baseia na crença. Carismática: em que a aceitação advém da lealdade e confiança nas qualidades normais de quem governa. ao qual se devem reportar as regras e regulamentos. Daí a exigência de exames. Esta autoridade pressupõe um tipo de dominação legal que vai buscar a sua legitimidade no caráter prescritivo e normativo da lei. qualquer subordinado aceitará a legitimidade da sua autoridade. em que a aceitação da autoridade se baseia na crença de que o que explica a legitimidade é a tradição e os costumes. constituindo aplicações concretas de normas gerais e abstratas. a empresa) organizado. As relações hierárquicas entre superiores e subordinados são preenchidas por cargos de direção e chefia e cargos subalternos claramente definidos. de forma que a supervisão. A burocracia. caracteriza-se pelos seguintes elementos: • • • • A lei representa o ponto de equilíbrio último.

objetos. Quanto a sua natureza : Fechados: não apresentam intercambio com o meio ambiente que os circunda. e que permite ao mesmo tempo um aumento de produtividade do trabalho e de eficiência organizacional. software). O funcionário burocrata não é proprietário do seu posto de trabalho. O funcionário recebe regularmente um salário. Quanto a sua constituição : Físicos ou concretos: quando compostos de equipamento. (equipamento. • • A profissão de funcionário de tipo burocrático supõe um emprego fixo e uma carreira regular. Abertos: são os sistemas que apresentam relações de intercambio com o . Ex: A matemática é um sistema fechado. Não recebem nenhum recurso externo e nada produzem que seja enviado para fora. pois não sofrerá nenhuma influência do meio ambiente. de maquinaria e de objetos e coisas reais. há uma complementaridade entre sistemas físicos e abstratos: os sistemas físicos precisam de um sistema abstrato para funcionar.• • estandardizado. idéias. de acordo com certas características básicas. Na realidade. hipóteses e ideias que muitas vezes só existem no pensamento das pessoas. (conceitos. e O desempenho de cada cargo por parte dos funcionários burocráticos pressupõe uma grande especialização na execução das suas tarefas e trabalho. É aquilo que se chama de divisão de trabalho. planos. sendo assim não recebem nenhuma influencia do ambiente e por outro lado não influenciam. hardware). de forma a cumprir com exatidão as tarefas e funções que lhes estão destinadas. as funções que executa e o cargo que ocupa são totalmente independentes e separados da posse privada dos meios de produção da organização onde trabalha. planos. mas segundo as funções que integram esse trabalho e o tempo de serviço. que permite a padronização dos procedimentos técnicos e do exercício de autoridade. Abstratos ou conceituais: quando compostos por conceitos. e os sistemas abstratos somente se realizam quando aplicados a algum sistema físico. Teoria dos sistemas Há uma grande variedade de sistemas e uma ampla gama de tipologias para classificá-los. sempre 1+1 será 2. não determinado pelo trabalho realizado.

Essa teoria de sistemas pode ser uma maneira mais abrangente de estudar os campos não físicos do conhecimento científico. são: • • • • • Existe uma nítida tendência para a integração nas várias ciências naturais e sociais. Estruturalista e Comportamental) e da intensificação do uso da cibernética e da tecnologia da informação nas empresas. T. por meio de entradas e saídas. mantendo um continuo intercâmbio de matéria/energia/informação com o ambiente. na maioria das vezes. de natureza completamente diferentes. são analisados como “sistema abertos”.G. O mais importante ou tanto quanto é a identificação do maior número de variáveis possíveis. externas e internas que. A organização como um sistema aberto As organizações são por definição sistemas abertos. mas sim produzir teorias e formulações conceituais que possam criar condições de aplicação na realidade empírica. Essa integração parece orientar-se rumo a uma teoria dos sistemas. especialmente as ciências sociais.S. ao desenvolver princípios unificadores que atravessam verticalmente os universos particulares das diversas ciências envolvidas.ambiente. permitindo a inter-relação e integração de assuntos que são. não busca solucionar problemas ou tentar soluções práticas. A T.G. A teoria geral de sistemas (também conhecida pela sigla. pois não adequadamente compreendidas de forma isolada. publicados entre 1950 e 1968. para sobreviver devem reajustar-se constantemente as condições do meio. São eminentemente adaptativos. Os sistemas abertos trocam matéria e energia regularmente com o meio ambiente. A importância da TGS é significativa tendo em vista a necessidade de se avaliar a organização como um todo e não somente em departamentos ou setores. sejam indivíduos ou organizações. Outro fator também de significativa importância é o feed-back que deve ser realizado ao planejamento de todo o processo. Teoria dos sistemas começou a ser aplicada a administração principalmente em função da necessidade de uma síntese e uma maior integração das teorias anteriores (Cientificas. A Teoria de Sistema permite reconceituar os fenômenos em uma abordagem global. isto é. aproxima-nos do objetivo da unidade da ciência. Essa teoria de sistemas.S. Os pressupostos básicos da T. mas sim relacionamento entre diversas variáveis internas e externas.S) surgiu com os trabalhos do biólogo austríaco Ludwig von Bertalanffy. Relações Humanas. Isso pode levar a uma integração muito necessária da educação científica. influenciam em todo o processo existente na Organização. as organizações têm podem ser pelo interafetam seu seis funções . Os sistemas vivos. de alguma forma. Tal como os organismos vivos. que comportamento.G.

Ambos os homens e máquinas devem ser mantidos ou recolocados – manutenção e substituição. consumidores. Os sistemas são complexos de elementos colocados em interação. Por esta razão a administração não pode esperar que os consumidores. Os materiais são processados havendo certa relação entre entradas e saídas no qual o excesso é o equivalente a energia necessária para a sobrevivência da organização (transformação em produtos). Essas interações entre os elementos produzem um todo que não pode ser compreendido pela simples investigação das várias partes tomadas isoladamente. tenham um comportamento previsível e de acordo com suas expectativas. respondendo a muitas variáveis. f) Organização: administração e decisão sobre as funções. no processo ou na estrutura (mudanças face ao mercado). no qual uma das partes pode ser mudada sem um efeito concomitante . que mantêm estreita relação entre si. Na organização. Também nas organizações reage ao seu ambiente. mas também de dados de compras. c) Reação ao ambiente: o animal que reage frente a mudanças ambientais para sua sobrevivência deve adaptar-se as mudanças. Os membros das organizações também podem adoecer aposentar-se. produção. b) Parte de uma sociedade maior: as organizações são vistas como sistemas dentro de sistemas. – sistema social num ambiente sem fronteiras. mas que podem ser estudadas individualmente. b) Processamento: no animal. vendas ou contabilidade. como os organismos vivos que ingerem alimentos para suprirem outras funções e manter a energia. e são recompensados principalmente sob a forma de salários e benefícios.primarias ou principais. a comida é transformada em energia e suprimento das células. adoecem ou morrer e devem ser regenerados ou recolocados no sentido de sobreviver no conjunto. c) Interdependência entre as partes: uma organização não é um sistema mecânico. O comportamento humano nunca é totalmente previsível. As alterações podem se efetuar nos produtos. desliga-se da firma ou então morrer. complexo e nem sempre previsível. Funções primárias das organizações: a) Ingestão: as organizações adquirem ou compram materiais para processá-los de alguma maneira. O ambiente é potencialmente sem fronteiras e inclui variáveis desconhecidas e incontroladas. – ajuste constante entre grupos internos e externos (econômico e cultural). fornecedores. mudando seus materiais. d) Suprimento das partes: os participantes da organização são supridos. a produção é equivalente a esse ciclo animal. empregados e recursos financeiros. Por outro lado as conseqüências dos sistemas sociais são probabilísticas e não-determinadas. As principais características das organizações são: a) Comportamento probabilístico: as organizações são sempre afetadas pelas variáveis externas. As máquinas podem tornar-se obsoletas. Para assistirem outras funções. As pessoas são complexas. não só do significado de suas funções. e) Regeneração das partes: as partes do organismo perdem sua eficiência.

nesse sentido é empregado no . que pode ser instaurado mediante provocação do interessado ou por iniciativa da própria administração. de outro. 2. num primeiro sentido. Processo administrativo O processo administrativo. f) Morfogênese – capacidade de se modificar. estranho à controvérsia. Estabilidade e mudança. é regulado pela Lei nº 9. de um lado. se corrigir e de obter novos e melhores resultados Referências • • CHIAVENATO. estabelece uma relação bilateral. Editora Atlas. Ambos os processos precisam ser levados a cabo pela organização para garantir a sua viabilidade. –fronteiras permeáveis. Uma variedade de subsistema deve cumprir a função do sistema e as suas atividades devem ser coordenadas. ABREU. 3ª Edição. Rotina e ruptura. quando decide. que deduz uma pretensão e.sobreposições e intercâmbios com os sistemas do ambiente. de 29/01/1999. é ainda usado como sinônimo de processo disciplinar. na linguagem corrente. integração e controle. As interações internas e externas do sistema refletem diferentes escalões de controle e da autonomia. à mudança e à inovação. Idalberto. pelo qual se apuram as infrações administrativas e se punem os infratores. não age como terceiro. 4ª Edição. REZENDE. – tendência a estabilidade e equilíbrio X tendência ao atendimento de novos padrões. Aline França de. e) Fronteiras ou limites: é a linha imaginária que serve para marcar o que está dentro e o que está fora do sistema. Ed. Provocada ou não pelo particular. designa o conjunto de papéis e documentos organizados numa pasta e referentes a um dado assunto de interesse do funcionário ou da administração. – divisão de trabalho. enquanto a adaptabilidade leva a ruptura. "inter partes". ou seja. mas como parte que atua no próprio interesse e nos limites que lhe são impostos por lei. O processo administrativo no âmbito da Administração pública federal. A expressão processo administrativo. Tecnologia da Informação Aplicada a Sistemas de Informação Empresariais.784. a administração atua no interesse da própria administração e para atender a fins que lhe são específicos. Nem sempre a fronteira de um sistema existe fisicamente. d) Homeostasia versus adaptabilidade: a homeostasia(auto regulação) garante a rotina e a permanência do sistema. as partes precisam ser coordenadas por meio de integração e de trabalho. Introdução à Teoria Geral da Administração. Em face da diferenciação das partes provocadas pela divisão do trabalho. o administrado. é utilizada em sentidos diferentes: 1. no Brasil. Makron Books. a administração que. Denis Alcies.sobre as outras. coordenação.

quando diz que o servidor público estável só perderá o cargo em virtude de sentença judicial transitada em julgado ou mediante processo administrativo em que lhe seja assegurada ampla defesa. em sentido mais amplo. Objetivos do Processo Administrativo O processo administrativo possui dois objetivos primordiais: • Resguardar direitos dos administrados: existindo formalidade a ser cumprida pela Administração. à liberdade. XXXVII . à igualdade. para defesa de direitos e esclarecimento de situações de interesse pessoal. garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida. XXXIV .a lei não excluirá da apreciação do Poder Judiciário lesão ou ameaça a direito. • Assegurar a transparência da Administração: isso permite contestar judicialmente a atuação administrativa e torna acessível ao conhecimento por quem de direito.não haverá juízo ou tribunal de exceção. com os meios e recursos a ela inerentes. de modo a abranger a série de atos preparatórios de uma decisão final da Administração. e aos acusados em geral são assegurados o contraditório e a ampla defesa. LV . LVI . as provas obtidas .aos litigantes. O processo administrativo recebe tratamento constitucional.ninguém será privado da liberdade ou de seus bens sem o devido processo legal.são inadmissíveis. LIII ninguém será processado nem sentenciado senão pela autoridade competente.ninguém será obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa senão em virtude de lei. XIV . à segurança e à propriedade. sob pena de responsabilidade. da Constituição Federal . 4. de tudo quanto motive o ato final. o ato jurídico perfeito e a coisa julgada. também se pode falar em sentido ainda mais amplo. XXXV . XXXIII . 3. XXXVI .são a todos assegurados.todos têm direito a receber dos órgãos públicos informações de seu interesse particular. 5º Todos são iguais perante a lei. em processo judicial ou administrativo. ou de interesse coletivo ou geral. designa o conjunto de atos coordenados para a solução de uma controvérsia no âmbito administrativo. o processo administrativo não revela surpresa para o destinatário do ato. no processo. como nem todo processo administrativo envolve controvérsia. Esse tipo de processo é conhecido por "PAD" no meio jurídico. impõe forma obrigatória para certos atos como a instauração.a lei punirá qualquer discriminação atentatória dos direitos e liberdades fundamentais. que serão prestadas no prazo da lei. ou seja. sem distinção de qualquer natureza. independentemente do pagamento de taxas: a) o direito de petição aos poderes públicos em defesa de direitos ou contra ilegalidade ou abuso de poder. XLI . nos termos seguintes: II .a lei não prejudicará o direito adquirido. LIV . a produção de provas e o julgamento. quando necessário ao exercício profissional.artigo 41.é assegurado a todos o acesso à informação e resguardado o sigilo da fonte. § 1º. ressalvadas aquelas cujo sigilo seja imprescindível à segurança da sociedade e do Estado. b) a obtenção de certidões em repartições públicas. === Constitucionalização do processo administrativo O processo administrativo é direito fundamental e garantia de organização da Administração Pública. no Título dos Direitos e Garanbtias Fundamentais: Art.

por um ambiente crítico envolvendo alto risco ou alto custo. da melhor forma possível. Esta deliberação busca alcançar. ou quando o curso de uma ação pode ser livremente adaptado enquanto ela estiver sendo executada. geralmente agimos e adaptamos nossas ações sem planejá-las explicitamente.por meios ilícitos. avaliar os caminhos. LXXVIII . O planejamento também é necessário quando a adaptação das ações é coagida. estamos sempre agindo.a lei só poderá restringir a publicidade dos atos processuais quando a defesa da intimidade ou o interesse social o exigirem LXXIV . construir um referencial futuro. ou quando executamos comportamentos bem treinados para os quais possuímos planos previamente armazenados.a todos. mas muitas não. o que lhe garante continuidade. são assegurados a razoável duração do processo e os meios que garantam a celeridade de sua tramitação. LX . Tratando-se de um processo de deliberação abstrato e explícito que escolhe e organiza ações. por uma atividade em parceria com mais alguém. então. baseado na multidisciplinaridade. M. procuramos somente planos bons e viáveis ao invés de planos ótimos. que consome muito tempo e dinheiro. ou por uma atividade que necessite estar sincronizada com um sistema dinâmico. Algumas de nossas ações necessitam de planejamento. Uma atividade premeditada exige deliberação quando se volta para novas situações ou tarefas e objetivos complexos ou quando conta com ações menos familiares. Além disso. É importante que o planejamento seja entendido como um processo cíclico e prático das determinações do plano. antecipando os resultados esperados. num processo contínuo de tomada de decisões. por exemplo. estruturando o trâmite adequado e reavaliar todo o processo a que o planejamento se destina. Planejamento O planejamento é uma ferramenta administrativa. lhe conferindo assim dinamismo. Uma vez que o planejamento é um processo muito complicado.o Estado prestará assistência jurídica integral e gratuita aos que comprovarem insuficiência de recursos. propostas. Em nossas atividades diárias. Controle . Assim que tomamos conhecimento de uma ação. Mas agimos com muito mais freqüência do que planejamos. havendo uma constante realimentação de situações. N. recorremos ao planejamento apenas quando é realmente necessário ou quando a relação custo X benefício nos obriga a planejar. que possibilita perceber a realidade. portanto. e antecipamos os resultados de nossas ações. geralmente. nossas ações: poucas vezes temos consciência de estarmos executando um processo de deliberação antes da ação. § 1º As normas definidoras dos direitos e garantias fundamentais têm aplicação imediata.A. interatividade. o lado racional da ação. mesmo que não estejamos completamente cientes dessa antecipação. Sendo. alguns objetivos pré-definidos. explicitamente. resultados e soluções. no âmbito judicial e administrativo.

organização e métodos: uma abordagem gerencial. Sistemas. e assim por diante. 15. p. com a finalidade de corrigi-las se necessário. que definia a contabilidade como a ciência do controle econômico. 2005. o controle é uma das funções básicas de um sistema contábil. que tende a aplicar preceitos subjetivos (controle interno e externo) ou então de conteúdo cibernético. A função controlar consiste em averiguar se as atividades efetivas estão de acordo com as atividades que foram planejadas. Referências • OLIVEIRA. ed. vinculado a Comunicação e a Automação. existiu a escola do pensamento contábil conhecida como Controlismo. Historicamente. Em contabilidade. Difere do controle administrativo. São Paulo: Atlas. O controle contábil deriva das caracterÍsticas do método de escrituração conhecido como método das partidas dobradas. o do capital de terceiros pelo ativo circulante. Djalma. Oliveira (2005.427) explica que controlar é comparar o resultado das ações com padrões previamente estabelecidos. ISBN 85-224-4185-5 .P. Seu princípio é a oposição conta contra conta: o controle do custo é dado pela receita.R.Controle ou controlo é uma das funções que compõem o processo administrativo.